O caminho digital para escritores

2,115 views

Published on

Aula apresentada na Estação das Letras no dia 5 de fevereiro de 2011.

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,115
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
82
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Baseado na população acima de 5 anos de idade: 172,7 milhões.
  • Baseado na população leitora da pesquisa (1 livro lido nos últimos 3 meses): 95,6 milhões
  • Em 2009, vendas combinadas foram 95 bi, mais que todo o mercado mundial de livros, 90 bi
  • Em 2009, vendas combinadas form 95 bi, mais que todo o mercado mundial de livros, 90 bi
  • Em 2009, vendas combinadas form 95 bi, mais que todo o mercado mundial de livros, 90 bi
  • Em 2009, vendas combinadas form 95 bi, mais que todo o mercado mundial de livros, 90 bi
  • Wylie foi em Julho
  • Wylie foi em Julho
  • O caminho digital para escritores

    1. 1. O escritor e o mercado editorial: o caminho digital Por Carlo Carrenho | Estação das Letras, Rio de Janeiro, 5/2/2011
    2. 2. I. Em terras tupiniquins <ul><li>II. Enquanto isso, lá fora III. Os três mosqueteiros IV. Autoedite-se a si próprio V. Polêmicas, decisões e afins </li></ul>
    3. 3. As livrarias digitais brasileiras <ul><li>Saraiva </li></ul><ul><ul><li>Lançada em 06/2010 </li></ul></ul><ul><ul><li>Catálogo de 2.000 títulos em português </li></ul></ul><ul><ul><li>Aplicativos para desktop, iPhone e iPad (50 mil downloads em um mês) </li></ul></ul><ul><ul><li>150 mil downloads em 4 meses </li></ul></ul><ul><ul><li>Comercializa o Alfa Positivo </li></ul></ul><ul><ul><li>DRM </li></ul></ul><ul><li>Ponto Frio / Casas Bahia </li></ul><ul><ul><li>Lançada em 09/2010 </li></ul></ul><ul><ul><li>Catálogo de 210 títulos </li></ul></ul><ul><ul><li>Opção de DRM para editoras </li></ul></ul><ul><li>Grioti </li></ul><ul><ul><li>eBookstore baiana, fundada em 11/2010 </li></ul></ul><ul><ul><li>Catálogo de 870 títulos em português </li></ul></ul><ul><ul><li>DRM ou Marca d’Água </li></ul></ul><ul><li>Cultura </li></ul><ul><ul><li>Lançada em 03/2010 </li></ul></ul><ul><ul><li>Catálogo de 2.000 títulos em português </li></ul></ul><ul><ul><li>Comercializa o Alfa Positivo </li></ul></ul><ul><ul><li>DRM </li></ul></ul><ul><li>Simplíssimo </li></ul><ul><ul><li>Lançada em 07/2010 </li></ul></ul><ul><ul><li>Catálogo de 200 títulos </li></ul></ul><ul><ul><li>Sem DRM para autores independentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Opção de DRM para editoras </li></ul></ul><ul><li>Gato Sabido </li></ul><ul><ul><li>1ª eBookstore brasileira, fundada em 12/2009 </li></ul></ul><ul><ul><li>Catálogo de 2.800 títulos em português </li></ul></ul><ul><ul><li>E-reader próprio </li></ul></ul><ul><ul><li>DRM </li></ul></ul>
    4. 4. As livrarias digitais brasileiras
    5. 5. As distribuidoras digitais brasileiras <ul><li>DLD </li></ul><ul><ul><li>Consórcio de grandes editoras (Rocco, Record, Sextante, Planeta e Objetiva) </li></ul></ul><ul><ul><li>Pretende ter um catálogo de 500 títulos até o fim do ano e crescê-lo na velocidade 300 títulos por mês </li></ul></ul><ul><ul><li>Vão distribuir outras editoras </li></ul></ul><ul><ul><li>Início de operação </li></ul></ul><ul><li>Xeriph </li></ul><ul><ul><li>Criada pelos controladores da Gato Sabido </li></ul></ul><ul><ul><li>Permitirá a distribuição em moldes convencionais </li></ul></ul><ul><ul><li>Operará também como prestador de serviços </li></ul></ul><ul><ul><li>Tecnicamente operacional, mas possui distribuição limitada no momento </li></ul></ul><ul><ul><li>Participação da Superpedido </li></ul></ul><ul><li>Singular </li></ul><ul><ul><li>Braço digital do grupo Ediouro </li></ul></ul><ul><ul><li>Proposta é ser um hub digital para distribuição de conteúdo no formato de POD e ePub. </li></ul></ul><ul><ul><li>Vão distribuir outras editoras </li></ul></ul><ul><ul><li>Operação mais adiantada, mas ainda longe da plena capacidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Inúmeras parcerias internacionais: ColorCentric, Smashwords, Digipedia, Ingram etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>Acordo em finalização com a Ingram. </li></ul></ul><ul><li>Simplissimo / Stealth </li></ul><ul><ul><li>Plataforma ítalo-gaúcha </li></ul></ul><ul><ul><li>Oferecem opção de marca d’água </li></ul></ul><ul><ul><li>Início de operação </li></ul></ul>
    6. 6. Os e-readers no mercado brasileiro iPad: R$ 1.649 Kindle: R$ 550 Positivo alfa: R$ 799 Cooler: R$ 599 iRiver: R$ 969 Galaxy: R$ 1.999
    7. 7. Os e-readers no mercado brasileiro
    8. 8. O usuário de e-reader nos EUA Fonte: The Harris Poll ® #108, September 22, 2010, por Regina A. Corso Diferenças entre e-readers, smartbooks e tablets Tipo Interação principal Tamanho da tela Formato da tela Velocidade da tela Conecti-vidade Conteúdo mais apropriado E-readers Consumo Médio PB Lento Dados (limitado) Livros Smartphones Comunicação Pequeno Colorida Rápido Voz e dados Notícias Tablets Entretenimento Médio Colorida Rápido Dados Revistas
    9. 9. Os leitores brasileiros de e-books Fonte: Retratos da Leitura no Brasil | Instituto Pró-Livro | 2007
    10. 10. Os leitores brasileiros de e-books Fonte: Retratos da Leitura no Brasil | Instituto Pró-Livro | 2007
    11. 11. Livros baixados na internet Fonte: Retratos da Leitura no Brasil | Instituto Pró-Livro | 2007
    12. 12. Livros baixados na internet Fonte: Retratos da Leitura no Brasil | Instituto Pró-Livro | 2007
    13. 13. O livro digital no desktop (mar/10) Fonte: Os Leitores Brasileiros e o Livro Digital | Observatório do Livro | 2010 <ul><li>Conceito está bastante difundido </li></ul><ul><li>Livro digital é sempre associado à internet </li></ul><ul><li>Rejeição do leitor brasileiro se dá, inicialmente, por: </li></ul><ul><ul><ul><li>Dificuldade para ler os textos na tela </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Manuseio e transporte difícil do computador </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Afeição aos livros impressos em papel </li></ul></ul></ul>
    14. 14. O livro digital no desktop (mar/10) Fonte: Os Leitores Brasileiros e o Livro Digital | Observatório do Livro | 2010 <ul><li>Não dá para fazer anotações e grifos </li></ul><ul><li>Mesmo lendo na tela, prefere imprimir e ler no papel </li></ul><ul><li>Concorre com outras mídias eletrônicas do computador, redes sociais e bate-papos on-line </li></ul><ul><li>“ Degustação” de livros digitais na internet (Google) perde de longe para a livraria </li></ul><ul><li>Grande desconhecimento de quem fornece livros digitais </li></ul>
    15. 15. Conhecimento do e-reader Fonte: Consumo de Eletrônicos no Brasil | GfK Brasil | Maio, 2010
    16. 16. Conhecimento do e-reader Fonte: Consumo de Eletrônicos no Brasil | GfK Brasil | Maio, 2010
    17. 17. O livro digital no e-reader (mar/10) Fonte: Os Leitores Brasileiros e o Livro Digital | Observatório do Livro | 2010 <ul><li>Desconhecimento alto do produto </li></ul><ul><li>Boa luminosidade e leitura fácil </li></ul><ul><li>Formato simples e prático </li></ul><ul><li>Aparelho leve e fácil de transportar </li></ul>
    18. 18. O livro digital no e-reader (mar/10) Fonte: Os Leitores Brasileiros e o Livro Digital | Observatório do Livro | 2010 <ul><li>Boa capacidade de armazenamento </li></ul><ul><li>Produto de uso simplificado </li></ul><ul><li>Forte apelo ecológico </li></ul><ul><li> Gera forte empatia e aprovação </li></ul>
    19. 19. O livro digital no e-reader (mar/10) Fonte: Os Leitores Brasileiros e o Livro Digital | Observatório do Livro | 2010 <ul><li>Reação dos leitores: </li></ul><ul><ul><ul><li>Desperta fortes expectativas no usuário iniciante. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Crença em uma rápida evolução tecnológica (cor, luz e sensibilidade). </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Gera certa frustração inicial no usuário. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Ainda está no estágio inicial (protótipo). </li></ul></ul></ul></ul>
    20. 20. Intenção de compra de e-reader a preço acessível Fonte: Consumo de Eletrônicos no Brasil | GfK Brasil | Maio, 2010
    21. 21. Intenção de compra de e-reader a preço acessível Fonte: Consumo de Eletrônicos no Brasil | GfK Brasil | Maio, 2010
    22. 22. Os preços desejados do e-reader (mar/10) Fonte: Os Leitores Brasileiros e o Livro Digital | Observatório do Livro | 2010 <ul><li>Quanto você está disposto a pagar por um e-reader? </li></ul><ul><ul><li>São Paulo: R$ 1,5 mil </li></ul></ul><ul><ul><li>Rio de Janeiro: R$ 1 mil </li></ul></ul><ul><ul><li>Porto Alegre: R$ 1 mil </li></ul></ul><ul><ul><li>Recife: R$ 200,00 / 300,00 </li></ul></ul>
    23. 23. A compra de e-books (mar/10) Fonte: Os Leitores Brasileiros e o Livro Digital | Observatório do Livro | 2010 <ul><li>Qual um preço aceitável para um livro digital? </li></ul><ul><ul><li>¼ do atual preço de capa, desde que tenha valor agregado.(exemplo: livro técnico de R$ 90 por R$ 20) </li></ul></ul><ul><li>Você pretende comprar livros digitais? </li></ul><ul><ul><li>NÃO! </li></ul></ul>
    24. 24. Desafios do mercado brasileiro <ul><li>“ No modelo físico, temos muito livro para pouca prateleira. No digital, temos muita prateleira para pouco livro.” Carlos Eduardo Ernanny (Gato Sabido) </li></ul><ul><li>Catálogo ínfimo: 6.000 títulos com sobreposição de catálogos </li></ul><ul><li>Distribuição ainda não estabelecida </li></ul><ul><li>E-readers caros para a realidade nacional </li></ul>
    25. 25. A corrida por conteúdo já começou, mas todos ainda estão na linha de partida
    26. 26. II. Enquanto isso, lá fora <ul><li>I. Em terras tupiniquins III. Os três mosqueteiros IV. Autoedite-se a si próprio V. Polêmicas, decisões e afins </li></ul>
    27. 27. Dizem por aí... “ Um diretor comercial de uma grande editora afirmou que suas vendas de e-books já respondem por 11% do faturamento, e foram apenas 3% no ano passado. Ele espera que no ano que vem elas cheguem a 22%. E ele estava falando em valores; em exemplares, a participação será maior.&quot; Mike Shatzkin , consultor, (out/10) &quot;Estamos com 8% de vendas digitais nos EUA atualmente. Posso imaginar que vamos passar dos 10% no ano que vem. A participação dos e-book provavelmente será algo entre 25 e 50% em cinco anos.&quot; Markus Dohle , presidente da Random House (jul/10) &quot;Os livros digitais responderam por 4,5% das vendas em 2009 e prevê-se que alcancem 8% em 2010&quot;. Carolyn Reidy , presidente da Simon & Schuster (out/10) &quot; Durante os últimos 30 dias, os clientes da Amazon compraram mais e-books que p-books (livros físicos) dos títulos que estão entre os 10, 25, 100 e 1000 mais vendidos da Amazon.com. E a proporção entre livros digitais e livros físicos nos top 10 é de 2 para 1. “ Steve Kessel , vice-presidente da Amazon (out/10) &quot; Em 2010, foram vendidos 115 e-books para cada 100 livros brochura e 3 e-books para cada livro em capa dura. &quot; Press Release da Amazon
    28. 28. O crescimento das vendas de e-books nos EUA Fonte: The International Digital Publishing Forum (www.idpf.org)
    29. 29. O crescimento das vendas de e-books nos EUA Fonte: The International Digital Publishing Forum (www.idpf.org)
    30. 30. A participação das vendas de e-books nos EUA Fonte: Association of American Publishers *jan a out
    31. 31. Projeção de faturamento de ebooks nos EUA Fonte: The Yankee Group com projeções da indústria
    32. 32. Previsão de vendas de e-reader devices nos EUA Fonte: The Harris Poll® #108, September 22, 2010, por Regina A. Corso, para os anos de 2009 a 2013. Demais anos são projeções.
    33. 33. O usuário de e-reader nos EUA Fonte: The Harris Poll ® #108, September 22, 2010, por Regina A. Corso Livros lidos por ano Número de livros Usuários de e-reader (8%) Não-usuários (92%) 0 1 % 10 % 1 – 2 3 % 15 % 3 – 5 16 % 21 % 6 – 10 19 % 16% 11 – 20 36 % 19% 21 + 26 % 19%
    34. 34. O usuário de e-reader nos EUA Fonte: The Harris Poll ® #108, September 22, 2010, por Regina A. Corso Livros comprados por ano Número de livros Usuários de e-reader (8%) Não-usuários (92%) 0 8 % 22 % 1 – 2 8 % 18 % 3 – 5 18 % 22 % 6 – 10 30 % 16% 11 – 20 17 % 11% 21 + 20 % 11%
    35. 35. O usuário de e-reader nos EUA Fonte: The Harris Poll ® #108, September 22, 2010, por Regina A. Corso Mudanças no hábito de leitura Nos últimos 6 meses... Usuários de e-reader (8%) Não-usuários (92%) Lêem a mesma quantidade 25 % 51 % Lêem menos que antes 18 % 23 % Lêem mais que antes 53 % 18 % Compram mais livros mas não os lêem tão imediatamente como antes 4 % 4% Não sabem 0 4%
    36. 36. O efeito Kindle Fonte: Codex Group Survey | Nov 2010
    37. 37. O formato dos ebooks Fonte: A Blueprint for Book Publishing Transformation: | Gilbane Group / Aptara | Oct 2010
    38. 38. III. Os Três Mosqueteiros <ul><li>I. Em terras tupiniquins II. Enquanto isso, lá fora IV. Autoedite-se a si próprio V. Polêmicas, decisões e afins </li></ul>
    39. 39. Amazon Análise baseada no seminário “Understanding Digital Rights in a Digital Selling World”, apresentado por Evan Schnittman na Feira de Frankfurt de 2010. <ul><li>Modelo de distribuição com descontos entre 30 e 60% </li></ul><ul><li>O varejista determina o preço </li></ul><ul><li>Pontos fortes: </li></ul><ul><ul><ul><li>Maior varejista online com 75% de market share em livros físicos e 65% em e-books </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Interação entre o Kindle e a plataforma </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Plataforma de self-publishing </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Compromisso de longo prazo para fazer os e-books acontecerem </li></ul></ul></ul><ul><li>Pontos fracos: </li></ul><ul><ul><ul><li>Produção e design dos e-readers </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Plataforma Mobi bloqueada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Não pode manter o market share atual </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Limitações do e-reader com e-ink </li></ul></ul></ul>
    40. 40. Apple Análise baseada no seminário “Understanding Digital Rights in a Digital Selling World”, apresentado por Evan Schnittman na Feira de Frankfurt de 2010. <ul><li>Modelo de agência com 30% </li></ul><ul><li>O editor determina o preço </li></ul><ul><li>Pontos fortes: </li></ul><ul><ul><ul><li>Hardware e software </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Design e interação com o usuário </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Prioridade é vender hardware e software; margem no conteúdo é secundária </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Outras plataformas coexistem no hardware </li></ul></ul></ul><ul><li>Pontos fracos: </li></ul><ul><ul><ul><li>Novata no mercado editorial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Seleção limitada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tela reflexiva gera uma leitura mais cansativa que os e-readers com e-ink </li></ul></ul></ul>
    41. 41. Google Análise baseada no seminário “Understanding Digital Rights in a Digital Selling World”, apresentado por Evan Schnittman na Feira de Frankfurt de 2010. <ul><li>Modelo de distribuição / varejo com desconto de 37% e comissão de 10% </li></ul><ul><li>Nos EUA pelo menos, também aceitará o modelo de agência </li></ul><ul><li>Pontos fortes: </li></ul><ul><ul><ul><li>Browser é plataforma </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Multiplataforma, acesso online e offline </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Catálogo gigantesco </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>100% na nuvem </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A busca é o grande negócio, não a margem na comercialização de conteúdo </li></ul></ul></ul><ul><li>Pontos fracos: </li></ul><ul><ul><ul><li>Atraso de lançamento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Limitações do browser como plataforma </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Não prevê plataforma de self-publishing e de impressão por demanda </li></ul></ul></ul>
    42. 42. Kobo <ul><li>Modelo de distribuição e de agência </li></ul><ul><li>Empresa canadense, com participação acionária da Borders e Índigo </li></ul><ul><li>Pontos fortes: </li></ul><ul><ul><ul><li>É uma empresa de livreiros tradicionais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Canadense, corre por fora </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pensa globalmente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Multiplataforma </li></ul></ul></ul><ul><li>Pontos fracos: </li></ul><ul><ul><ul><li>Não é uma megaempresa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Marca pouco conhecida internacionalmente </li></ul></ul></ul>
    43. 43. A diferença de escalas Fonte: Books, ebooks and the future | Enders Analysis and Nielsen BookScan | Outubro, 2010
    44. 44. IV. Autoedite-se a si próprio <ul><li>I. Em terras tupiniquins II. Enquanto isso, lá fora III. Os três mosqueteiros V. Polêmicas, decisões e afins </li></ul>
    45. 45. Self-publishing: o modelo SmashWords
    46. 46. Self-publishing: o modelo SmashWords <ul><li>Plataforma de publicação e distribuição de e-books em vários formatos e lojas virtuais </li></ul><ul><li>Rápida, gratuita, fácil e sem exclusividade </li></ul><ul><li>Royalties de 60 a 85% </li></ul><ul><li>Sem DRM </li></ul>
    47. 47. Self-publishing: o modelo SmashWords <ul><li>UPLOAD </li></ul><ul><ul><li>Autor / editor faz o upload de um arquivo de Microsoft Word devidamente formatado </li></ul></ul><ul><li>CONVERS ÃO </li></ul><ul><ul><li>A Smashwords converte automaticamente para 9 formatos de e - books </li></ul></ul><ul><li>PUBLICAÇÃO </li></ul><ul><ul><li>Pronta para venda online imediata em ebookstores como Apple, Kobo, Barnes&Noble </li></ul></ul><ul><li>DISTRIBUIÇÃO </li></ul><ul><ul><li>Distribuição para os principais varejistas (Apple, Barnes & Noble, Sony, outros) </li></ul></ul><ul><li>PAGAMENTO </li></ul><ul><ul><li>Autores / editores recebem 85% do líquido. Pagamento internacional via PayPal. </li></ul></ul>
    48. 48. Self-publishing: o modelo SmashWords 140 28.800 6.000
    49. 49. Self-publishing: o modelo AuthorDirect.net
    50. 50. Self-publishing: o modelo AuthorDirect.net <ul><li>Plataforma australiana de publicação </li></ul><ul><li>Royalty de 70% </li></ul><ul><li>Comissão de 5% para indicações </li></ul><ul><li>Direcionada a autores independentes JÁ PUBLICADOS </li></ul><ul><li>Sem DRM </li></ul>
    51. 51. Chemins de tr@verse: um modelo 100% digital
    52. 52. Chemins de tr@verse: um modelo 100% digital <ul><li>Editora 100% digital, mas não é self-publishing </li></ul><ul><li>Utiliza a comunidade de editores, chefes de coleção e autores </li></ul><ul><li>A remuneração dos profissionais é variável, em royaties: </li></ul><ul><ul><ul><li>Autor: 40% </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Coordenador da coleção: 10% </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Editor: 5% </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Comitê editorial: 3% </li></ul></ul></ul><ul><li>Possui a própria loja, a Bouquineo.fr, sem DRM </li></ul><ul><li>Seu modelo viabiliza a publicação de livros que seria impossível em papel com a participação de editores e profissionais gabaritados </li></ul>
    53. 53. Chemins de tr@verse: um modelo 100% digital <ul><li>A Chemins de Tra@verse explica sua própria diferenciação: </li></ul><ul><ul><li>Atingimos um público imenso graças à internet </li></ul></ul><ul><ul><li>Nossos autores e, de forma geral, os membros da cadeia editorial são melhor remunerados por royalties </li></ul></ul><ul><ul><li>Não consumimos uma grama de papel </li></ul></ul><ul><ul><li>Nossos livros são mais baratos </li></ul></ul><ul><ul><li>Nossos livros são vendidos primariamente na forma digital, ainda que parceiros permitam impressão por demanda </li></ul></ul>
    54. 54. Self-Publishing: o modelo da Wordclay
    55. 55. Self-Publishing: o modelo da Wordclay <ul><li>Livro pode ser “publicado” gratuitamente </li></ul><ul><li>O escritor pode acrescentar serviços </li></ul><ul><li>Distribuição em varejistas mediante compra de pacote </li></ul><ul><li>Paga royalties a critério do autor, via cheques em dólar </li></ul><ul><li>Aceita autores estrangeiros </li></ul>
    56. 56. Self-Publishing: o modelo da iUniverse
    57. 57. Self-Publishing: o modelo da iUniverse <ul><li>Escritor escolhe um pacote de publicação pago </li></ul><ul><li>Distribuição em varejistas dependendo do pacote </li></ul><ul><li>Royalties de 20% do líquido, pagos em cheques ou DOC em dólar </li></ul><ul><li>Focado em autores norte-americanos </li></ul>
    58. 58. Opções de Self-Publishing no Brasil <ul><li>Universo do autor </li></ul><ul><ul><li>Fase beta </li></ul></ul><ul><ul><li>Iniciativa da Ediouro/Singular </li></ul></ul><ul><ul><li>Pacotes de R$ 400 a R$ 2.000 </li></ul></ul><ul><ul><li>R$ 250 para e-book </li></ul></ul><ul><ul><li>Livros na Saraiva, Laselva, Cultura, Fnac e Travessa </li></ul></ul><ul><li>Gato Sabido </li></ul><ul><ul><li>Plataforma de self-publishing será lançada nos próximos meses </li></ul></ul><ul><ul><li>Distribuição via Xeriph </li></ul></ul><ul><li>Bookess </li></ul><ul><ul><li>Start-up catarinense </li></ul></ul><ul><ul><li>Mistura mídia social e self-publishing </li></ul></ul><ul><ul><li>E-books e POD </li></ul></ul><ul><ul><li>Distribuição própria </li></ul></ul><ul><li>Simplíssimo </li></ul><ul><ul><li>Start-up gaúcha </li></ul></ul><ul><ul><li>E-books </li></ul></ul><ul><ul><li>Distribuição própria </li></ul></ul>
    59. 59. V. Polêmicas, decisões e afins <ul><li>I. Em terras tupiniquins II. Enquanto isso, lá fora III. Os três mosqueteiros IV. Autoedite-se a si próprio </li></ul>
    60. 60. Direitos autorais <ul><li>Qual a porcentagem para o autor? </li></ul><ul><li>A territorialidade acabou? </li></ul><ul><li>Revisão dos contrato </li></ul>
    61. 61. Digital rights management (DRM) <ul><li>Protege contra pirataria, mas prejudica o leitor honesto ao criar dificuldades </li></ul><ul><li>Nunca funcionou para a música </li></ul><ul><li>Editor e autor têm de escolher entre o risco da pirataria, desagradar o consumidor e o modelo monopolista de grandes varejistas </li></ul>
    62. 62. Ainda precisamos de editoras? “ A grande oportunidade que o Kindle oferece ao escritor é que ele permite que leitores em outros países sem acesso a livrarias locais acessem textos em sua própria língua. Portanto, é com muita algria que agora vejo meus livros em português, antes disponíveis no exterior apenas em livrarias especializadas, a um clique de distância dos leitores de língua portuguesa do mundo todo.” Paulo Coelho, em janeiro de 2010, ao fechar acordo de exclusividade com a Amazon para a distribuição de seus e-books em português
    63. 63. O papel da editora no mundo físico <ul><li>Edição </li></ul><ul><li>Chancela de qualidade </li></ul><ul><li>Distribuição </li></ul><ul><li>Marketing </li></ul>
    64. 64. O papel da editora no mundo digital <ul><li>Edição continua igual </li></ul><ul><li>Chancela de qualidade continua igual </li></ul><ul><li>Distribuição perde o sentido e a exclusividade da editora </li></ul><ul><li>Marketing é todo remodelado </li></ul>
    65. 65. Editoras: vantagens e desvantagens <ul><li>Vantagens </li></ul><ul><ul><li>Trato editorial do texto </li></ul></ul><ul><ul><li>Produção profissional </li></ul></ul><ul><ul><li>Custo zero para o autor </li></ul></ul><ul><ul><li>Chancela de qualidade </li></ul></ul><ul><li>Desvantagens </li></ul><ul><ul><li>Pouca atenção individual a cada título ou autor </li></ul></ul><ul><ul><li>Pouca flexibilidade para inovação </li></ul></ul><ul><ul><li>Grandes barreiras de entrada </li></ul></ul>
    66. 66. Self-publishing digital: vantagens e desvantagens <ul><li>Vantagens </li></ul><ul><ul><li>Controle absoluto sobre a obra </li></ul></ul><ul><ul><li>Atenção e dedicação durante toda a vida útil do livro </li></ul></ul><ul><ul><li>Maior ganho financeiro por livro vendido </li></ul></ul><ul><li>Desvantagens </li></ul><ul><ul><li>Custo por conta do autor </li></ul></ul><ul><ul><li>Administração constante do livro pelo resto da vida </li></ul></ul><ul><ul><li>Não há chancela de qualidade </li></ul></ul>
    67. 67. Obrigado! Carlo Carrenho Fundador e presidente do PublishNews (www.publishnews.com.br) Editor do Tipos Digitais (www.tiposdigitais.com) E-mail: carlocarrenho @ publishnews.com.br Linkedin: http://br.linkedin.com/in/carrenho Twitter: @carrenho

    ×