Ressignificando

5,046 views
4,892 views

Published on

PIM. 1° semestre

1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
  • Parabéns, lindo trabalho
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
5,046
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
120
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ressignificando

  1. 1. Ressignificando
  2. 2. RESSIGNIFICANDOAS mElhORES pINtuRAS DE tODOS OS tEmpOS pROF.ª SuzElAINE mENDES ORIENtADORA pRODuçãO DISCENtECAROlINE DINORAh pEStItSChECK mAÍRA NARA RAmOS SÉRGIO FERREIRA FIlhO StÉFANI CAROlINE DE SOuzA tIAGO RIBEIRO DOS SANtOS VANESSA ApARECIDA CARDOSO SOROCABA – Sp 2011
  3. 3. RESSIGNIFICANDO As melhores pinturas de todos os tempos projeto de Conclusão de Semestre para obtenção do título de graduação em Design Gráfico apresentado a universidade paulista - uNIp.
  4. 4. D E D I C A t Ó R I ADedicamos esse projeto aosnossos amados pais, por nosapoiarem em tudo, semprenos dando força para seguirem frente, aos nossos queridosmestres, que sem seus incentivosnada teríamos feito, a todosnossos colegas de sala, eespecialmente para nós mesmosque com muito esforço e uniãoconseguimos a realização eficiente deste projeto.
  5. 5. A G R A D E C I m E N t O SAgradecemos em primeiro lugar a Deus por ser à base de nossasconquistas, aos nossos amados e queridos pais por serem à basede nossa essência, sempre nos apoiando em todas as escolhase momentos de nossas vidas, buscando nos dar o melhor, e quecom certeza nunca deixaram de acreditar em nós e em nossos potenciais.A todos os professores e mestres que nos incentivaram e ajudaramcom suas sábias palavras, em especial a nossa coordenadoraSuzelaine mendes que sempre esteve nos incentivando e colocando fim em todas as nossas dúvidas.A todos nossos colegas de sala que nos deram dicas e conselhos para que houvesse melhorias em nosso trabalho.E a todos aqueles que sempre nos apoiaram e ajudaram para com este projeto.
  6. 6. SumáRIO VIDA uRBANA 53Retrato 13 platz em Argenteuil 54papa Inocencio X 14 Café terrace at Night 56Auto-Retrato de Almeida Junior 16 São paulo 58Retrato de manon Balletti 18 VIDA RuRAl 61lABORAl 21 O monte Saint Victoire 62Caipira picando Fumo 22 O Guardador de porcos 64Os Quebradores de pedra 24 Fenaison a Éragny 66As Respigadoras 26 ARtE ABStRAtA 69SOCIAl 29 the moon Woman 70O Baile de moulin de la Galette 30 transverse line 72Femmes au Jardin 32 Black Square 74As meninas 34 tECNOlOGIA 77CONFRONtOS 37 Ciao 78A Batalha dos Farrapos 38 A time for heroes (the Battle of Britain) 80Proclamação da República 40 A lição de Anatomia do Dr.tulp 82A Batalha dos Guararapes 42 COmuNICAçãO 85AtOS hIStÓRICOS 45 Girafas Queimando e telefones 86A Balsa da medusa 46 Office at Night 88A Coroação de Napoleão 48 O Fado 90A primeira missa no Brasil 50
  7. 7. R E S u m O ABStRACtEste projeto tem por objetivo this project aims to show the artmostrar a arte de uma forma clara in a clear and interactive way, fore interativa, para que os leitores the readers can easily understandpossam facilmente compreender the painting and his respectivese entender a pintura e os artistic movements. We presentseus diversos movimentos for you many works by differentartísticos. Apresentamos famous authors and perhaps toodiversas obras de diversos many unknowns, but now weautores famosos e também de are giving you the opportunity tomuitos talvez desconhecidos, know them through this project.mas que agora estaremos With a little analysis of the works,dando a oportunidade de we offer you a brief explanationconhecê-los através deste of each strokes of theirprojeto. Com uma pequena respective artists, beyond of briefanálise em cada obra conclusions for better explain it.oferecemos uma breveexplicação de cada pinceladade seus respectivos artistas,além de breves conclusões paraseu melhor esclarecimento.
  8. 8. I N t R O D u ç ã OO presente projeto pretende desenvolver a sensibilidade artística de seus leitores, além de oferecerum maior conhecimento de obras importantes e curiosas, das quais muitos apesar de talvezconhecer, não possuírem o entendimento das mesmas. Entretanto este é apresentando de formaclara e objetiva para que possamos assim conseguir o completo esclarecimento de todas as obras.
  9. 9. 13 Retrato
  10. 10. Papa Inocencio X A ObrA Análise dA obrA biOgrAfiA dO PintOrPaPa InocêncIo X de 1650 foI PIntado Por dIego Para retratar o PaPa InocêncIo X, Velázquez dIego rodríguez de sIlVa y Velázquez nasceu emVelázquez, foI a obra que abrIu suas Portas Para seguIu as normas sobre retratos PontIfícIos. seIs de julHo de 1599, na cIdade de seVIlHa (sul daroma, fazendo com que dIVersos Personagens o Personagem de rosto carnoso e rosado está esPanHa), foI um PIntor esPanHol e PrIncIPal artIstaquIsessem ser retratados Pelo artIsta, seu sentado em um trono, quase roXo, que se dIstIngue da corte do reI fIlIPe IV de esPanHa. era um artIstamoVImento artístIco é o barroco. Hoje a obra está do fundo de mesma cor Pelas bordas douradas. IndIVIdualIsta do Período barroco contemPorâneo,localIzada na galerIa dorIa-PamPHIllI em roma está ImPortante como um retratIsta. além de Inúmeras(ItálIa). VestIdo com sobrePelIz branca e murça. com InterPretações de cenas de sIgnIfIcado HIstórIco e PInceladas de grande desenVoltura, Velázquez cultural, PIntou Inúmeros retratos da famílIa real obtém uma notáVel conjunção de matIzes de esPanHola, outras notáVeIs fIguras euroPéIas e Plebeus. VermelHos que destacam o brIlHo da tela atraVés dos VIncos da murça. os VermelHos se contraPõem sabIamente à sobrePelIz branca que caI em cascata em dIreção ao cHão. o PaPa segura em sua mão esquerda um PaPel no qual Velázquez Pôs sua assInatura.Conclusão: Fica evidente o impressionante realismo que este quadro nos transmite. Essa foi uma obra de grande importância para o pintor DiegoVelázquez, pois foi a partir dela que ele pôde obter mais trabalhos em Roma, retratando assim diversos personagens da história. Pudemos notar que oimplacável pincel do artista conseguiu refletir uma personalidade inteligente, mas também sinistra, colérica, cruel e desconfiada até a obsessão ao papa,pois na época de fato Inocêncio X enfrentava diversas dificuldades, como a luta contra corrupção na corte romana, entre outras coisas que o fazianavegar por águas turbulentas e o artista conseguiu retratar perfeitamente seu rosto sendo o reflexo dessa realidade. 14
  11. 11. 15
  12. 12. Auto-Retrato de Almeida Junior A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrauto-retrato de almeIda junIor de a PIntura é um auto-retrato de almeIda junIor. josé ferraz de almeIda júnIor nasceu em oIto de maIo1878 tem como moVImento artístIco o sua feIção está sérIa com seu corPo de frente e de 1850 em Itu (são Paulo), foI um PIntor e desenHIstanaturalIsmo, a obra está localIzada na o rosto olHando Para o lado como se estIVesse brasIleIro da segunda metade do século XIX. éPInacoteca ruben berte em Porto alegre. “Posando” Para ser retratado, sua VestImenta frequentemente aclamado Pela HIstorIografIa como era uma blusa larga de cor branca que deVIa ser o Precursor da abordagem da temátIca regIonalIsta, de uso comum Para a éPoca. as cores e os tons da IntroduzIndo assuntos até então InédItos na PIntura conseguem transmItIr todos os detalHes de Produção acadêmIca brasIleIra, como o amPlo seu rosto, dando sensação de bastante lumInosIdade, destaque conferIdo a Personagens sImPles e anônImos contrastando assIm com o fundo escuro da tela. e a fIdedIgnIdade com que retratou a cultura caIPIra.Conclusão: Pudemos observar que o artista soube manusear muito bem os detalhes de seu rosto, conseguindo com que todos seus traços ficassemem evidencia, inclusive as linhas de expressão em sua testa, já o cabelo ficou sem destaque algum, quase se misturando ao fundo. Esta é uma obra naqual o autor quis mostrar sua própria imagem. 16
  13. 13. 17
  14. 14. Retrato de Manon Balletti A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOro retrato de manon ballettI de 1757 de jean marc a PIntura retrata manon ballettI, amante do jean-marc nattIer, nascIdo em 17 de março de 1685tem como moVImento artístIco o rococó, estando famoso casanoVa, manon era fIlHa de sIlVIa foI um PIntor francês, nascIdo em ParIs, fIlHo delocalIzada na tHe natIonal gallery em londres. ballettI, atrIz da comédIa ItalIenne e Irmã do melHor marc nattIer, um retratIsta, e de marIe courtoIs, amIgo de casanoVa. as cores maIs usadas são claras uma mInIaturIsta. foI InIcIado na PIntura Por seu PaI e a tela se encHe de azuIs, amarelos PálIdos, Verdes e e seu tIo, o PIntor HIstórIco jean jouVenet. aInda rosa. as PInceladas são ráPIdas e suaVes. a elegâncIa um joVem de 15 anos recebeu seu PrImeIro PrêmIo da se sobrePõe ao realIsmo. as teXturas se aPerfeIçoam, academIa de ParIs, e dedIcou-se a coPIar em desenHo bem como os brIlHos. Há uma PeculIar obsessão Pelas a sérIe de PInturas de marIa de médIcI, obra de sedas e rendas que enVolVem as fIguras femInInas. rubens. as graVuras realIzadas a PartIr destes desenHos, e PublIcadas em 1710, trouXeram-lHe fama.Conclusão: Está é de fato uma das obras mais bonita de Jean Marc, na qual ele conseguiu transmitir toda a serenidade e tranquilidade dapersonagem, sabendo manusear perfeitamente os tons, as cores e as luzes da tela dando à personagem uma aparência de “perfeição”. 18
  15. 15. 19
  16. 16. 20
  17. 17. lABORAl21
  18. 18. Caipira Picando Fumo A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOro caIPIra PIcando fumo de 1893 de almeIda a PIntura retrata um caboclo PIcando seu fumo josé ferraz de almeIda júnIor nasceu em oIto de maIojúnIor tem como PrIncIPal foco mostrar a com uma serenIdade e calma que dão a ImPressão de 1850 em Itu (são Paulo), foI um PIntor e desenHIstaretratístIca regIonalIsta brasIleIra, tendo como que o mundo está em um rItmo dIferente, maIs brasIleIro da segunda metade do século XIX. émoVImento artístIco o naturalIsmo, a obra tranquIlo. o Homem Veste rouPas sImPles e já frequentemente aclamado Pela HIstorIografIa comoestá localIzada na PInacoteca em são Paulo. gastas, como aqueles que trabalHaVam Pesado o Precursor da abordagem da temátIca regIonalIsta, na roça e em certos momentos se dão ao luXo IntroduzIndo assuntos até então InédItos na de fazer o seu cIgarro de PalHa como um Produção acadêmIca brasIleIra, como o amPlo VerdadeIro rItual, nem mesmo o sol forte, destaque conferIdo a Personagens sImPles e anônImos cuja luz que nos causa certa aflIção o ImPede e a fIdedIgnIdade com que retratou a cultura caIPIra. e o atraPalHa nesse seu momento únIco.Conclusão: Neste quadro, podemos perceber o Brasil refletido em um de seus pequenos “pedaços”, ou seja, o retrato autêntico de umadeterminada região. Os moradores do interior do Sudeste e do Sul, por exemplo, possuem influências do caipira, sendo algumas delas dentre outras:música raiz, pratos típicos e dialetos. E é exatamente com essa magnífica obra que Almeida Júnior ilustra seu pensamento. 22
  19. 19. 23
  20. 20. Os Quebradores de Pedra A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOros quebradores de Pedras de 1849 foI PIntado na PIntura, os oPerárIos trabalHando destacam o gustaVe coubert nasceu em ornans, frança, em 10Por gustaVe coubert. no Período onde os asPecto rude, cruel e grosseIro da VIda. o tIPo de de junHo de 1819. sofreu grandes InfluêncIas do seuartIstas começam a rePudIar a artIfIcIalIdade do comPosIção e o uso das cores crIam telas Pesadas aVô, que detInHa um forte sentImento rePublIcano.neoclassIcIsmo e do romantIsmo com suas obras e trIstes. já os tons baIXos e sombrIos dão à obra não gostaVa de lIVros e seu únIco Interesse estaVaPrIVIlegIando as cenas cotIdIanas de gruPos socIaIs de arte um estIlo quase fotográfIco. Podemos no desenHo e na PIntura. durante a comunamenos faVorecIdos, é quando surge o realIsmo. obserVar, à dIreIta na tela, uma Panela que sugere a de ParIs, foI nomeado PresIdente do comItê Para alImentação dos trabalHadores em meIo ao trabalHo. PreserVar obras de arte. foI Preso ao se enVolVer outros elementos trazem, também, Informações na destruIção da coluna de naPoleão em Vendôme. sobre suas rotInas de trabalHo. em relação aos dePoIs de ter que reconstruIr o que destruIu, foI Personagens de sua obra, o PIntor francês trata- Para suíça, onde morreu em 1877, PróXImo de VeVey. os com certa dIscrIção, deIXando seus rostos semI ele foI um dos maIs ImPortantes PIntores realIstas cobertos, ou aParecem de costas, Para sugerIr ao franceses, que ao abordar de forma naturalIsta obserVador que os Personagens rePresentam a classe os trabalHadores Pobres, abrIu camInHo Para o de trabalHadores (o que é reforçado Pelos títulos). surgImento do ImPressIonIsmo e a Inauguração do que se conHece Hoje Por arte moderna.Conclusão: De fato, os homens de seus quadros não expressam nenhuma emoção e mais parecem parte de uma paisagem do que seuspersonagens. Nele, podemos identificar uma abundância de tons pretos, ocres e marrons, banhados por cinza, que nesta etapa encontrava-se muitolonge do colorido romântico daquela época. Assim, nesta obra, podemos identificar muitos elementos que dão à obra de Gustave Courbet um toqueparticularmente único. 24
  21. 21. 25
  22. 22. As Respigadoras A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOras resPIgadoras de 1857 foI PIntada durante o a obra retrata três HumIldes camPonesas que jean-françoIs mIllet nasceu dIa 4 de outubro de 1814realIsmo, que surgIu na segunda metade do século recolHem o que sobrou aPós a colHeIta dos na cIdade de normandIa, foI um PIntor romântIco eXIX e foI caracterIzado Pela abordagem objetIVa ProPrIetárIos de terra que juntamente com os um dos fundadores da escola de barbIzon na françada realIdade e Pelo Interesse Por temas socIaIs. trabalHadores, são VIstos na Parte de trás da PIntura. rural. é conHecIdo como Precursor do realIsmo, Podemos Perceber uma nobre luz amena e dourada Pelas suas rePresentações de trabalHadores ruraIs. que fornece dIgnIdade à PIntura mIsturando-se com junto com courbet, mIllet foI um dos PrIncIPaIs dIVersos tons de marrom, VermelHo, azul, Verde, entre rePresentantes do realIsmo euroPeu. sua obra foI outros. Para enfatIzar sua PosIção de anonImato, uma resPosta à estétIca romântIca, de gostos um mIllet PIntou seus rostos e seus corPos curVos que tanto orIentaIs e eXótIcos, e deu forma à realIdade rePresentam o trabalHo árduo de todos os dIas. cIrcundante, sobretudo a das classes trabalHadoras.Conclusão: Em As respigadoras de Millet podemos notar que não há nenhum drama e nenhuma história contada, apenas três mulheres camponesasem um campo. Consideramos este quadro mais do que uma simples representação da vida rural. É também um amargo comentário social sobre as classescamponesas pobres, reduzidas ao trabalho de catar os parcos restos deixados pelos ricos, que estão à distância, no horizonte. 26
  23. 23. 27
  24. 24. 28
  25. 25. SOCIAl29
  26. 26. O Baile de Moulin de La Galette A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOro baIle no moulIn de la galette é uma PIntura o quadro foI PIntado em ParIs, no baIrro de PIerre auguste renoIr nasceu na cIdade de lImoges,realIzada a óleo sobre tela em 1876, Pelo montmartre, e retrata um tema frequente em 25 de feVereIro de 1841. foI um dos maIs célebresImPressIonIsta francês PIerre auguste renoIr, na PIntura ImPressIonIsta e que se encontra PIntores franceses e um dos maIs ImPortantes nomesconsagrada como um marco da PIntura ImPressIonIsta na base do moVImento: o cotIdIano burguês. do moVImento ImPressIonIsta. desde o PrIncíPIoe localIzada Hoje no museu de orsay ParIs. esta PIntura é a maIs célebre e sIgnIfIcatIVa obra sua obra foI InfluencIada Pelo sensualIsmo e de renoIr. aInda que o rosto de alguns dos seus Pela elegâncIa do rococó, embora não faltasse amIgos aPareçam na Imagem sua Intenção era um Pouco da delIcadeza de seu ofícIo anterIor caPtar a VIVacIdade e a atmosfera alegre desta como decorador de Porcelana. seu PrIncIPal PoPular dança de jardIm no butte montmartre, objetIVo, como ele PróPrIo afIrmaVa, era conseguIr nas ImedIações do moulIn, Hoje celebrIzado realIzar uma obra agradáVel aos olHos. aPesar Pela tela. o estudo da multIdão em moVImento, de sua técnIca ser essencIalmente ImPressIonIsta, a Inclusão lumInosa natural e artIfIcIal renoIr nunca deIXou de dar ImPortâncIa à forma. e outros efeItos, foram concretIzados atraVés de PInceladas de cores VIbrantes.Conclusão: Renoir passou em sua obra elegância e também um ar de felicidade das pessoas em que se encontram na pintura. O quadro possuicerta leveza pela forma em que ele demonstrou os personagens, todos distraídos como se todos estivessem já acostumados a eventos, a obra possuitambém várias cores, mas não em um tom exagerado e possui vários detalhes como os rostos de algumas pessoas claramente visíveis, com tamanhaquantidade de delicadeza e detalhes, o quadro acabou se transformando em uma obra muito famosa. 30
  27. 27. 31
  28. 28. Femmes au Jardin A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrfemmes au jardIn, cuja tradução é mulHeres no o quadro retrata o cotIdIano burguês de quatro oscar claude monet nasceu em ParIs dIa 14jardIm, é uma PIntura do ImPressIonIsta francês senHoras, que ocuPam a sua manHã a colHer de noVembro de 1840. foI um PIntor francês e oclaude monet. datado de 1866-1867, é um óleo sobre flores no jardIm, sob a sombra das árVores. nesta maIs célebre entre os PIntores ImPressIonIstas.tela, e atualmente, Pertence à coleção do museu cena PrImaVerIl, é notáVel a HabIlIdade de claude a obra cHamada ImPressão: o sol se leVanta, foI o quede orsay, onde estão eXPostas algumas das maIores monet na rePresentação do traje femInIno. deu orIgem Para a eXPressão ImPressIonIsta, quandoobras-PrImas do ImPressIonIsmo e do realIsmo. no quadro o artIsta também eXPlora Intensamente em 1974 monet e seus amIgos organIzaram uma a luz, mostrando um eXímIo jogo de lumInosIdade, eXPosIção e a referIda PIntura ganHou uma crítIca que estudo que lHe serIa muIto útIl durante o seu Percurso querIa dIzer que seu quadro e os demaIs não PassaVam ImPressIonIsta, InIcIado Poucos anos maIs tarde. de uma PrImeIra ImPressão, um rascunHo, Porém monet e seus colegas adotaram o título, sabendo da reVolução que estaVam InIcIando na PIntura.Conclusão: A tela exibe um momento na vida das mulheres com uma rica variedade de cores, baseada no verde, e um domínio sobre a luz e oselementos naturais, o pintor possuía um interesse que se voltava para mulheres em convívio no jardim, podendo expor em sua pintura uma natureza muitobela e mulheres com ar de prosperidade sem se preocupar com o mundo em sua volta, Monet também utilizou muitos detalhes na pintura deixando-aextremamente rica e fácil de se confundir com uma fotografia pelo modo em que foi pintada. 32
  29. 29. 33
  30. 30. As Meninas A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra famílIa de fIlIPe IV, maIs conHecIdo como as a PIntura retrata a famílIa de fIlIPe IV em uma dIego rodrIgues de sIlVa y Velázquez nasceu emmenInas de 1656 de dIego Velázquez, é uma das cena no InterIor de uma sala da corte, ao centro 6 de julHo de 1599, na cIdade de seVIlHa (sul daPInturas maIs famosas da HIstórIa retratIsta barroca, Pode-se Ver margarIda teresa de Habsburgo, sua esPanHa), foI um PIntor esPanHol e PrIncIPal artIstaHoje se localIza no museu do Prado em madrI. fIlHa, acomPanHada de suas damas de comPanHIa, da corte do reI fIlIPe IV da esPanHa. era um artIsta de seus crIados, de uma anã, e uma crIança que IndIVIdualIsta do Período barroco contemPorâneo, meXe com um cão, que ProVaVelmente VInHam ImPortante como um retratIsta. além de Inúmeras assIstIr as PInturas do reI. os refleXos do reI InterPretações de cenas de sIgnIfIcado HIstórIco e e da raInHa da esPanHa aParecem no esPelHo cultural, PIntou Inúmeros retratos da famílIa real atrás de margarIda desVendando-se então esPanHola, outras notáVeIs fIguras euroPeIas e Plebeus. que Velázquez PIntaVa-os enquanto PosaVam “fora do quadro”. já no canto esquerdo, Vê- se um auto-retrato de Velázquez, com as mãos na PalHeta e no PIncel e uma fIsIonomIa PensatIVa, como se eXamInasse seus modelos antes de PIntá-los. VestIa uma rouPa com a cruz da ordem de santIago, que foI Incluída na tela somente aPós sua morte.Conclusão: Velázquez soube aproveitar de uma ótima maneira o espaço que possuía para colocar vários personagens em uma única tela e ospintá-los detalhadamente.Assim como outros pintores Velázquez também fez uma pintura rica em detalhes, porém deixando em evidência os personagens mais importantes einclusive colocando outras pinturas em sua própria obra. 34
  31. 31. 35
  32. 32. 36
  33. 33. CONFRONtOS 37
  34. 34. A Batalha dos Farrapos A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra batalHa dos farraPos de 1945 foI PIntada a obra retrata a guerra do PoVo gaúcHo contra josé WastH rodrIgues nasceu no dIa 19 de março emPor josé WastH rodrIgues, tem como moVImento os ImPerIalIstas brasIleIros. aPós anos de batalHa e 1891 na cIdade de são Paulo, foI um PIntor desenHIsta,artístIco o realIsmo, Hoje a obra está localIzada VárIas derrotas, os “farraPos” tIVeram que aceItar a Ilustrador, ceramIsta, Professor e HIstorIadorno acerVo da PrefeItura de são Paulo. Paz ProPosta Por duque de caXIas. com Isso, em 1845, brasIleIro. Por Volta de 1918, dedIca-se a estudar a rebelIão foI fInalIzada. a PIntura foI feIta com HIstórIa colonIal, tornando-se um dos PIoneIros aProXImadamente 10 tIPos de cores aPenas, Para dar nos regIstros das atIVIdades artístIcas do Período. um ar de bastante “PoeIra” na tela, Pode-se obserVar eXcelente desenHIsta fIcou famoso Por seus trabalHos que aParecem sete Personagens em foco. o artIsta em bIco-de-Pena, nos quaIs abordou a PaIsagem urbana, caracterIzou em sua PIntura os caValos que eram a arquItetura e o mobIlIárIo colonIaIs brasIleIros. utIlIzados Para se locomoVer com os guerreIros em suas batalHas e utIlIzando esPadas e rIfles antIgos.Conclusão: A Guerra dos Farrapos ocorreu no Rio Grande do Sul na época em que o Brasil era governado pelo Regente Feijó (Período Regencial).Esta rebelião, gerada pelo descontentamento político, durou por uma década (de 1835 a 1845). Mesmo com as forças do exército da regência, osfarroupilhas liderados por Davi Gonçalves, conquistaram a vila de Laguna, em Santa Catarina, proclamando, desta forma, a República Catarinense. 38
  35. 35. 39
  36. 36. Proclamação da República A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrProclamação da rePúblIca de 1893 foI PIntada a PIntura retrata a Proclamação da rePúblIca em benedIto calIXto de jesus nasceu em 14 de outubroPor benedIto calIXto, tem como moVImento 1889. feIto com Pouco número de cores seu PrIncIPal de 1853, no munIcíPIo de ItanHaém, lItoral sulartístIco o realIsmo, Hoje a obra localIza- foco é o ocre Para detalHar a PoeIra e as casas. são de são Paulo. foI consIderado um dos maIoresse na PInacoteca munIcIPal de são Paulo. focados quatro Personagens no centro da Praça eXPoentes da PIntura brasIleIra do InícIo do da aclamação, o autor também mostra como eram século XX. calIXto é o que se Pode cHamar de um os armamentos dos guerrIlHeIros com canHões e talento nato. em 1882 a sorte bate em sua Porta, esPadas eles andaVam a caValos e também quIs mostrar é conVIdado a realIzar trabalHos de entalHe e os PoVos juntos no momento da Proclamação. PIntura na Parte Interna do teatro guarany.Conclusão: A Proclamação da República Brasileira foi um episódio da história do Brasil, ocorrido em 15 de novembro de 1889, que instaurou o regimerepublicano no Brasil, derrubando a monarquia do Império do Brasil, pondo fim à soberania do Imperador Dom Pedro II. O período que vai de 1889 a 1930é conhecido como a República Velha. Este período da História do Brasil é marcado pelo domínio político das elites agrárias mineiras, paulistas e cariocas.O Brasil firmou-se como um país exportador de café, e as indústrias deram um significativo salto. 40
  37. 37. 41
  38. 38. A Batalha dos Guararapes A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra batalHa do guararaPes de 1879 foI PIntado Por a obra retrata a famosa batalHa do guararaPes. VIctor meIrelles de lIma nasceu no dIa 18 deVIctor meIrelles, tendo como moVImento artístIco esta PIntura não PossuI VIrtuosIdade eVIdente, ela agosto em 1832, na cIdade de florIanóPolIs, foI umo realIsmo, Hoje a obra está localIzada no museu é substItuída Por uma fatura serena e sólIda, uma PIntor e Professor brasIleIro. de orIgens HumIldes,nacIonal de belas artes no rIo de janeIro. comPosIção muIto Pensada e clara. à PaIsagem cedo seu talento foI reconHecIdo, sendo admItIdo que ocuPa o canto esquerdo suPerIor da tela, como aluno da academIa ImPerIal de belas artes. aPresentada como massa Vegetal dIssolVIda na esPecIalIzou-se no gênero da PIntura HIstórIca, atmosfera, se oPõe o gruPo de mIlItares no canto e ao ganHar o PrêmIo de VIagem da academIa, dIreIto InferIor, em PrImeIríssImo Plano e contra Passou VárIos anos em aPerfeIçoamento na euroPa. a luz. entre esses doIs gruPos se sItua a batalHa, Voltando ao brasIl se tornou um dos PIntores lImPIdamente organIzada, desaParecendo aos PreferIdos de dom Pedro II, InserIndo-se no Poucos em dIreção ao esPaço aberto à dIreIta, que Programa de mecenato do monarca e alInHando-se nos mostra, ao longe, o cabo de santo agostInHo, à sua ProPosta de renoVação da Imagem do brasIl o mar e o céu Imenso. estes são os Pontos PrIncIPaIs atraVés da crIação de símbolos VIsuaIs de sua HIstórIa. de organIzação do quadro. Indo Para o lado esquerdo, na dIreção das terras, uma teorIa de soldados que se mIstura com a fumaça e a Vegetação.Conclusão: Esta pintura nos revela bastante a respeito do espírito de Meirelles. A sua fidelidade aos atributos históricos, a grande cruz penduradano pescoço, roupas e armas de época, é submetida a uma rigorosa construção pictorial. Os atributos estão ali, mas deixaram de agir apenas como umalembrança pitoresca do passado, como cor local fantasiosa, como citação de época. Fossem quais fossem eles seriam incorporados ao projeto artísticodo pintor. 42
  39. 39. 43
  40. 40. 44
  41. 41. AtOS hIStÓRICOS 45
  42. 42. A Balsa da Medusa A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra balsa de medusa de 1817 foI PIntada Pelo consta que a “medusa”, naVIo do goVerno que jean louIs andré tHéodore gérIcault nasceu emartIsta francês tHeódore gérIcault, cujo tema se transPortaVa colonos franceses Para o senegal, 179, foI um PIntor francês do romantIsmo. gérIcaultlIga a um desastre naVal que ganHou contornos encalHou e afundou na costa oeste da áfrIca em mudou-se Para ParIs com o PaI, e aos 10 anos Ingressoufortemente PolítIcos. mesmo tratando-se de uma VIrtude da IncomPetêncIa do caPItão (nomeado no lIceu ImPerIal. termInados os estudos, teVe aulasobra lIgada dIretamente ao esPírIto romântIco, o Por motIVos PolítIcos) e aqueles que sobreVIVeram com o PIntor Vernet e dePoIs já trabalHaVa juntoresultado eVIdencIa InfluêncIas da PIntura barroca. ameaçados Pela fome, começaram a deVorar com delacroIX no atelIê de PIerre narcIsse guérIn. uns aos outros. uma cena grotesca que só teVe dePoIs gérIcault VIajou Para a ItálIa, onde estudou fIm quando foram resgatados Pela corVeta l’ Profundamente as obras de mIcHelangelo e rafael. aurore, sob dIagnóstIco ImInente de loucura. a doença, a loucura e o desesPero Passaram então Para retratar a tragédIa, tHeódore gérIcault a ser uma constante em seus quadros. o efeIto cHegou a frequentar o HosPItal beaujon, em ParIs, a do claro-escuro, que o PIntor tanto admIraVa em fIm de esboçar ferIdos e agonIzantes. ele mantInHa caraVaggIo, InsPIrou-no a crIar ambIentes PatétIcos em seu atelIer, sob PreteXto de estudo Para a obra, e de Intenso sofrImento. assIm, aPós uma tentatIVa cabeças de IndIVíduos guIlHotInados e cadáVeres. de suIcídIo, o PIntor Voltou a ParIs, onde Poucos meses dePoIs, VítIma de um acIdente, acabou morrendo.Conclusão: Pode-se notar com clareza que Géricault pretendia expressar com profundidade o horror do sofrimento humano. O pintor retratou commuita precisão a terrível história de incompetência e egoísmo de um capitão e a fome, o medo, o desespero, o canibalismo e principalmente a loucuradas vítimas da tragédia. É nesse ponto que encontramos características da pintura barroca, pelo tratamento expressivo do claro-escuro e da composiçãodramática. Podemos observar sua autenticidade na linguagem corporal das pessoas contorcidas e dos passageiros desnudos que diz tudo a respeito daluta pela sobrevivência, sendo o tema que obcecava o artista na época. 46
  43. 43. 47
  44. 44. A Coroação de Napoleão A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra coroação denaPoleão retrata o momento em a obra retrata a coroação de naPoleão bonaParte. jacques louIs daVId (francês, 1748-1825) foI o maIsque naPoleão bonaParte e sua esPosa josefIna de a cena é HarmonIosa e os elementos Possuem característIco rePresentante do neoclassIcIsmo.beauHarnaIs foram coroados, em 1804 na catedral contornos bem defInIdos e equIlIbrados. os traços durante alguns anos controlou a atIVIdadede notre dame. o quadro foI PIntado entre os lIneares assumem maIor ImPortâncIa que a aPlIcação artístIca francesa, sendo o PIntor ofIcIal da corteanos de 1805 e 1807, e atualmente encontra-se da cor, já que a maIor PredomInâncIa é do VermelHo, ImPerIal, PIntando fatos HIstórIcos lIgados à VIda doeXPosto no museu do louVre em ParIs, na frança, além do dourado e tons de marrom. a sua comPosIção ImPerador naPoleão. PIntou também temas solenes,fazendo Parte do moVImento do neoclassIcIsmo. torna-se um Pouco comPlIcada e ao mesmo temPo bela, Personagens e motIVos InsPIrados na antIgüIdade PoIs Há outros elementos no mesmo Plano de VIsão, e clássIca, atraVés de cores sóbrIas. sua lumInosIdade não somente naPoleão tornando, assIm a obserVação lembra caraVaggIo, mas é em rafael sânzIo (mestre um Pouco maIs demorada. uma característIca que InegáVel do equIlíbrIo da comPosIção e da HarmonIa não Pode faltar no neoclassIcIsmo, é a luz artIfIcIal das cores) que resIde sua maIor InfluêncIa. dIrecIonada em naPoleão, dando o foco PrIncIPal e ajudando na crIação de um ambIente teatral.Conclusão: Não podemos deixar de destacar ao observarmos o quadro, a desaprovação contida no rosto do papa diante da atitude deBonaparte. Notamos que David atribuía importância primordial ao desenho e um papel secundário à cor. Já que se utiliza de poucas cores sólidas eabusa da variação dos tons. O pintor representou muito bem o evento, ao pintar com luxo e requinte até os detalhes dos bordados no vestido de veludoe seda trabalhada em ouro e prata de Josefina e no manto de Napoleão. Nada mais justo, sendo que o estilo adotado queria aproximar-se dos antigosimperadores romanos. Portanto, a frieza que fica um pouco evidente, devido ao artificialismo da obra, torna a pintura em uma imagem simbólica e aomesmo tempo monumental. 48
  45. 45. 49
  46. 46. A Primeira Missa no Brasil A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra PrImeIra mIssa do brasIl Por VIctor meIrelles a obra PrIma retrata a celebração da PrImeIra PIntor e Professor, VItor meIreles nasceu emfoI PIntada em 1860. a obra Pertence à corrente mIssa do brasIl, feIta Pelo frade HenrIque de florIanóPolIs (1832), santa catarIna, tendoromântIca, mas suas InfluêncIas foram eclétIcas, coImbra no dIa 26 de abrIl de 1500. a concePção Ingressado na academIa ImPerIal de belas artes, noabsorVendo também traços do barroco e do do quadro InIcIou em 1859, quando VIctor recebeu rIo de janeIro, em 1847. PIntou VárIas obras HIstórIcasneoclassIcIsmo. Hoje faz Parte das coleções do uma corresPondêncIa de manuel de araújo entre 1852 e 1900. lIgado ao neoclassIcIsmo brasIleIro,museu nacIonal de belas artes do rIo de janeIro. Porto alegre. na carta, ele solIcItaVa que, ocorrIdo na segunda metade do século XIX, VIctor Para o PróXImo Projeto, o aluno estudasse temas meIrelles ganHou notorIedade a PartIr da década lIgados ao sentImento de brasIlIdade e lesse a de 1870, ao lado de Pedro amérIco e almeIda carta escrIta em 1500 Por Pero Vaz de camInHa júnIor. tendo sIdo um artIsta que eXPerImentou as Para o reI de Portugal. o resultado foI uma obra maIs dísPares alternâncIas da eXIstêncIa Humana: do que congrega uma gama de PreceItos acadêmIcos, reconHecImento ao esquecImento, o PIntor brasIleIro unIndo fato HIstórIco com fIguras Humanas e falece em 22 de feVereIro de 1903 no rIo de janeIro. PaIsagem, ImPregnado de cores e formas éPIcas.Conclusão: Observando a obra, é notável a riqueza dos detalhes em grandes dimensões, representando múltiplas expressões e situações queeternizaram a versão histórica oficial da descoberta do Brasil como um ato heróico e pacífico. A cena é interessante, onde os personagens principais sãoos indígenas. Suas características transmitem a surpresa e a emoção, que lhes causa o espetáculo. O altar, protegido por magníficas árvores, foi levantadosobre uma elevação para celebração.Sua composição é harmoniosa e completa de gestos minuciosos. Movimentos que se contrapõem com suavidade e tons que se integram entre si. É comessa obra que Meirelles conseguiu recriar um fato do passado, determinante na reconstrução das origens da nação brasileira. 50
  47. 47. 51
  48. 48. 52
  49. 49. VIDA uRBANA 53
  50. 50. Platz em Argenteuil A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrPlatz In argenteuIl de 1872 PIntada Por alfred sIsley, a PIntura retrata argenteuIl que é como uma alfred sIsley nasceu no dIa 30 de outubro de 1839 natem como moVImento artístIco o ImPressIonIsmo, Hoje subPrefeItura em ParIs. Podemos obserVar a dImensão cIdade de ParIs, foI um PIntor francês de ascendêncIalocalIzado no museu de orsey, em ParIs (frança). e a destreza da obra claramente, seus traços, cores e nacIonalIdade brItânIca. no atelIê de ParIs, sIsley e tons se destacam quando entra uma luz do céu conHeceu renoIr, bazIlle e monet, com os quaIs na tela, dando sensação de estar amanHecendo em PassaVa Horas PIntando no bosque de fontaInebleau. argenteuIl. é de costume alfred fazer PInturas em 1877 PartIcIPou da terceIra eXPosIção do gruPo dos nuances sutIs da natureza, retratando a luz ImPressIonIsta. junto com PIssarro, sIsley foI um dos do dIa. era seu maIor desejo InterIor eXPressar maIs rePresentatIVos PaIsagIstas do ImPressIonIsmo. em suas obras a sensação do aquI e do agora.Conclusão: Pudemos notar a sensação de realidade e vivacidade presente nesta obra. Sisley consegue transmitir perfeitamente a simplicidade desua pintura retratando personagens utilizados de bastantes cores neutras. Contudo esta é mais uma de muitas obras das quais o artista retrata a paisagemde lugares. 54
  51. 51. 55
  52. 52. Café Terrace at Night A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrcafé terrace at nIgHt de 1888 foI PIntada esta obra oferece um noVo tIPo de PersPectIVa VIncent WIllem Van gogH nasceu em 30 de marçoPor Van gogH, tendo como moVImento sobre o magnífIco céu estrelado. as estrelas de 1853 na cIdade de zundert (Países baIXos),artístIco o Pós-ImPressIonIsmo, Hoje se localIza são Pouco consumIdas em sua o PróPrIa luz. foI um PIntor Pós-ImPressIonIsta neerlandês,no museu Kroller muller na Holanda. muro amarelo cHama atenção em Vez de ajudá- freqüentemente consIderado um dos maIores de los a Passar os olHos em torno da PIntura. todos os temPos. sua VIda foI marcada Por fracassos. Há um senso de equIlíbrIo atrIbuído as cores, ele falHou em todos os asPectos ImPortantes a lumInosIdade e a sIlHueta escura à dIreIta Para o seu mundo, em sua éPoca. aos 37 anos, da PIntura, contrastando assIm o muro amarelo. sucumbIu a uma doença mental, cometendo suIcídIo. Van gogH utIlIza cores VIVas em tons de amarelo, laranja, azul, Verde, VermelHo e com traços Pretos, o artIsta consegue Passar com clareza o momento e a sensação do ambIente.Conclusão: Podemos observar que Van Gogh usa cores vivas e fortes em seus quadros, dotados por movimentos pesados e precisos, porém eleconsegue transmitir uma sensação de vivacidade e harmonia em suas pinceladas, podemos assim a genialidade do artista em suas obras. 56
  53. 53. 57
  54. 54. São Paulo A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrsão Paulo de 1924 foI PIntado Por tarsIla do amaral, a PIntura retrata a cIdade de são Paulo no ano de tarsIla do amaral nasceu no dIa 1 de setembro de 1886tendo como moVImento artístIco modernIsmo, Hoje 1924. a artIsta utIlIza em sua obra cores VIVas e de na cIdade de caPIVara (são Paulo), foI uma PIntora elocalIzada na PInacoteca do estado de são Paulo. uma forma bem brasIleIra, suas PInceladas são PrecIsas desenHIsta brasIleIra e uma das fIguras centraIs da e geométrIcas como de costume da artIsta tarsIla. PIntura brasIleIra e da PrImeIra fase do moVImento a obra contém um equIlíbrIo PerfeIto em suas cores modernIsta brasIleIro, ao lado de anIta malfattI. e PrIncIPalmente em sua PersPectIVa, conseguIndo e foI seu quadro “abaPoru” de1928 que Inaugurou assIm nos transmItIr uma sensação de clareza e o moVImento antroPofágIco nas artes PlástIcas. até mesmo um certo ar de lImPeza VIsual à tela.Conclusão: Tarsila é uma das pintoras brasileira mais famosa, conhecida por suas pintar paisagem ou até mesmo o cotidiano em formas geométricascaracterizada de cores vivas. Esta obra não é a mais famosa, mas é uma das mais conhecidas, na qual retrata a cidade de São Paulo em 1924. É evidentea vivacidade de suas obras, prendendo assim a atenção de muitos. 58
  55. 55. 59
  56. 56. 60
  57. 57. VIDA RuRAl61
  58. 58. O Monte Saint Victoire A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOresta obra, denomInada o monte saInte VIctoIre, é uma das VárIas PInturas desta montanHa Paul cézanne, PIntor francês, nasceu em 19 deé uma PIntura realIzada a óleo sobre a tela feItas Pelo artIsta. sua eXPosIção ao Pós- janeIro de 1839 em aIX-en-ProVence. na françae foI PIntada Pelo ImPressIonIsta francês Paul ImPressIonIsmo o leVou a PIntar PaIsagens. os de 1870, cézanne era conHecIdo como um artIstacézanne Por Volta de 1885, e Pode ser aPrecIada usos do esPaço nIVelado e de Planos de cor subVersIVo, de dIfícIl temPeramento, que quebrouna casa fundação barnes em merIon, frança. defInem um estIlo característIco do PIntor. com a VIsão estereotIPada de que a obra de arte sua PrIncIPal tendêncIa foI conVerter os elementos tInHa de ser uma cóPIa da realIdade. maIs do que naturaIs em fIguras geométrIcas, modIfIcando reProduzIr, ele se PreocuPaVa em InterPretar as a Imagem de maneIra a PIntá-la em sua PróPrIa cenas ao seu redor, VIolando a realIdade do objeto. concePção, IntroduzIndo dIstorções formaIs e alterações de PersPectIVa em benefícIo de ressaltar o VerdadeIro Volume dos objetos PIntados.Conclusão: nessa obra, o pintor utilizou de formas geométricas para demonstrar uma paisagem natural, fazendo da obra uma pintura de sua própriapercepção para representar o modo de como ele via lugar.É uma pintura com várias tonalidades e cores diferentes para captar a atmosfera do local e que nos fazem observar cada pequeno detalhe para entendera paisagem por completo e não como sendo apenas formas geométricas. 62
  59. 59. 63
  60. 60. O Guardador de Porcos A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOro quadro é uma PIntura a óleo sobre a tela e foI a obra tHe sWIneHerd, que quer dIzer: o guardador eugène HenrI Paul gauguIn nasceu em ParIs noPIntado Por Paul gauguIn em 1888, se encontra de Porcos; é uma obra lIterárIa do conto de dIa 7 de junHo de 1848, foI um PIntor francêsHoje em los angeles no conty museum of art. fadas de Hans cHrIstIan andersen sobre um do Pós-ImPressIonIsmo, ao contrárIo de muItos PríncIPe que se dIsfarça como um guardador de PIntores ele não se IncorPorou ao moVImento Porcos Para cortejar uma PrIncesa arrogante. ImPressIonIsta da éPoca. gauguIn desenVolVeu além de a obra retratar um conto de fadas, as técnIcas do “sIntetIsmo” e “cloIsonnIsme” gauguIn tenta caPtar a sImPlIcIdade da VIda no (alVeolIsmo), estIlos de rePresentação sImbólIca da camPo, algo que ele consegue com a aPlIcação natureza onde são utIlIzadas formas sImPlIfIcadas arbItrárIa das cores, em oPosIção a qualquer e grandes camPos de cores VIVas cHaPadas, que ele naturalIsmo, onde as cores se estendem Planas e fecHaVa com uma lInHa negra, e que mostraVam Puras sobre a suPerfícIe, quase decoratIVamente. a uma forte InfluêncIa das graVuras jaPonesas. PIntura é caracterIzada Por natureza alegórIca, decoratIVa e sugestIVa e também Por formas dImensIonaIs, estIlIzadas, sIntétIcas e estátIcas.Conclusão: Gauguin desejou retratar essa obra não apenas como mais um quadro que retratava a vida no campo, mas, além disso, ele poderegistrar em uma pintura uma história de romance e de humildade por parte do príncipe ao se disfarçar para ficar perto da pessoa amada, podemosnotar que apesar da simplicidade que a obra expressa é uma obra que possui alegria pelo modo e pelas cores utilizadas quando o pintor a fez,tornando-a assim uma pintura que nos chama atenção e que fica gravada na memória. 64
  61. 61. 65
  62. 62. Fenaison a Éragny A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrPIntura realIzada a óleo sobre a uma ImPortante obra de camIlle PIssarro, contados jacob camIlle PIssarro nasceu em são tHomas, nastela Pelo PIntor francês co-fundador entre os artIstas maIs ProlífIcos do século 19. em índIas ocIdentaIs dInamarquesas em 1830 e faleceudo ImPressIonIsmo camIlle PIssarro. fenaIson um éragny, PIssarro retrata a colHeIta em 1903. sua abordagem reVolucIonárIa Para a do feno na aldeIa francesa de éragny-sur-ePte, sua PIntura e comPosIções InstIgantes teVe um efeIto casa nos últImos anos de sua VIda. nela o PIntor Profundo sobre os seus contemPorâneos e todo retrata o trabalHo de sete Pessoas realIzando suas o futuro da arte moderna. sendo consIderado o tarefas na colHeIta e aPesar da ProXImIdade com que PaI do ImPressIonIsmo. seu materIal PredIleto Para as Pessoas estão PIntadas não Podemos IdentIfIcar PIntar foI o óleo, mas também fez eXPerIêncIas com seus rostos, tendo aPenas duas Pessoas com a face aquarelas e Pastel. PIssarro é consIderado Hoje um maIs claras de se Ver. PIntou VárIas cenas da VIda dos PaIsagIstas maIs ImPortantes do século XIX. na PaIsagem rural, mas é a obra de éragny que é consIderada uma das melHores de sua carreIra. a obra de PIssarro se caracterIzou Por uma Paleta de cores cálIdas e Pela fIrmeza com que consegue caPtar a atmosfera, Por meIo de um trabalHo PrecIso da luz.Conclusão: Pudemos notar que a obra retrata um lugar em que o próprio pintor morou alguns anos de sua vida e além de retratar como era a vidarural dessas pessoas desconhecidas, ele as retratou de certo modo trabalhando em conjunto e sem expressar um ar de tristeza ou de alegria deixando-nosa imaginar o que aquelas pessoas pensavam ou sentiam, captando na pintura uma cena de vida muito vista antigamente. 66
  63. 63. 67
  64. 64. 68
  65. 65. ARtE ABStRAtA 69
  66. 66. The Moon Woman A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra mulHer lua de jacKson PollocK, 1942. no na PIntura, uma mulHer de Pé, solItárIa, com jacKson PollocK nasceu em cody, dIa 28 dePeríodo Pós segunda guerra mundIal segundo uma alusão ao efeIto “raIo X”. as faces de frente janeIro de 1912, no estado de WyomIng. Homem demoVImento de arte. foI o PrImeIro moVImento e de PerfIl surgem combInadas Para contrastar PersonalIdade VolátIl e tendo VárIos Problemas comesPecIfIcamente amerIcano a atIngIr InfluêncIa os doIs asPectos do seu eu: um sereno e PúblIco, o o alcoolIsmo, em 1945 ele casou-se com a PIntoramundIal e colocar noVa yorK no centro do outro escuro e InterIor. a cor e os traços são lee Krasner, que se tornarIa uma ImPortantemundo da arte ocIdental. a arte que combInaVa aParentemente sImPles como se fossem realIzados InfluêncIa em sua carreIra e em seu legado.a sImPlIcIdade com a PIntura Pura e as obras de Por uma crIança. todaVIa, a cor no esPaço a arte de PollocK combIna a sImPlIcIdadedImensões atraVés da técnIca “actIon PaIntIng” de grandes dImensões é de uma comPleXIdade com a PIntura Pura e suas obras de maIoresInfluencIou Profundamente a arte euroPéIa. construtIVa que só ele conseguIu. Podemos obserVar dImensões Possuem característIcas monumentaIs. em toda a obra resPIngos que Podem estar Presentes a tensão étIco-relIgIosa Por ele VIVIda o aPenas Por consequêncIa do Processo de crIação, ImPele aos PIntores da reVolução meXIcana. mas que acabam se tornando detalHes essencIaIs. sua esfera da arte é o InconscIente: seus sIgnos são um Prolongamento do seu InterIor.Conclusão: Neste quadro, vemos uma mera semelhança com o trabalho de Picasso, particularmente ao “Girl Before a Mirror” quando se trata daspaletas de cores parecidas e ambos os artistas retratam uma personagem, neste caso a mulher, em uma mesma posição ao mesmo tempo que transmiteo sentimento de melancolia e tristeza. Há também o envolvimento físico do artista que, neste quadro, fica evidente, podendo ser considerado até umpouco chocante. 70
  67. 67. 71
  68. 68. Transverse Line A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrlInHa transVersal, de WassIly KandInsKy, na PIntura, cores que cHamam atenção e desPertam WassIly KandInsKy nasceu em moscou no dIa1923. o cenárIo Pós-guerra euroPeu é marcado sentImentos, traços e utIlIzação de fIguras 4 de dezembro de 1866, foI um artIsta russo,Pela busca da recuPeração e reconstItuIção da geométrIcas Indagam a sensIbIlIdade. obra que o Professor da bauHaus e Introdutor da abstraçãoordem; os Países ProcuraVam sentIrem-se seguros artIsta também dIscorre sobre a IdéIa da crIação de no camPo das artes VIsuaIs. aPesar da orIgemnoVamente. a arte desse Período reflete o momento uma arte que seja PercebIda Pelo esPírIto do obserVador russa, adquIrIu a nacIonalIdade francesa. jáHIstórIco, Vemos surgIr na alemanHa uma numa relação emPátIca, uma arte desconectada da na década de 1910 KandInsKy desenVolVe seusPIntura realIsta que manIfesta Problemas socIaIs lógIca da realIdade VIsíVel. KandInsKy enfatIza a PrImeIros estudos não fIguratIVos, fazendoe PolítIcos consequentes da derrota na guerra. ImPortâncIa de o artIsta Voltar-se Para seu InterIor, com que seja consIderado o PrImeIro PIntor desPrendendo-se da necessIdade de reProduzIr ocIdental a ProduzIr uma tela abstrata. a natureza fIelmente, e sIm desconstruí-la.Conclusão: Uma das características marcantes que vimos ao observamos a obra, são as cores vivas e vibrantes presentes neste quadro. Além dogeometrismo, há uma certa liberdade de expressão que enfatiza ainda mais a dinâmica que Kandinsky usa em seu jogo de linhas e traços perfeitos. Assimele conseguiu um motivo de inspiração ao explorar a sua linguagem visual básica e complexa ao mesmo tempo elevando ao máximo o limite físico darepresentação de objetos artísticos. 72
  69. 69. 73
  70. 70. Black Square A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrquadrado Preto sobre fundo branco, de KazImIr na PIntura, um quadrado Preto sobre um fundo KazImIr seVerInoVIcH maleVIcH nasceu em KIeVmaleVIcH, 1913. desde o InícIo do século, o País branco, as cores transmItIndo sentImento e no dIa 12 de feVereIro de 1878 foI um PIntorestaVa em Ponto de ebulIção. nos âmbItos socIaIs demonstrando o maIor sIgnIfIcado em sua arte. abstrato soVIétIco. teVe a VIda marcada Pelae PolítIcos a derrota na guerra contra o jaPão e em frente a dIVersas sItuações desastrosas em HIstórIa PolítIca e socIal de seu País e fez Partea desastrosa PartIcIPação na PrImeIra guerra que seu País PassaVa enVolVendo a realIdade da Vanguarda russa e foI o mentor do moVImentomundIal. ImagIne um PIntor que, um dIa, acorda reVolucIonárIa na arte Por meIo de um quadro negro. conHecIdo como suPrematIsmo. como fundador doInsPIrado, olHa Para a rua, mas nada do que Vê suPrematIsmo, leVou o abstracIonIsmo geométrIcoPela janela Parece justIfIcar seu aPetIte crIatIVo. à sua forma maIs sImPles, sendo o PrImeIronão têm Vontade de rePresentar Pessoas, nem artIsta a usar elementos geométrIcos abstratos.anImaIs, nem PaIsagens, muIto menos objetos.decIde, então, PIntar um quadrado, um sImPlesquadrado negro sobre o fundo branco da tela.Conclusão: Primeiramente, ao pintar “Quadrado preto sobre fundo branco”, Malevich demonstra que não é preciso colocar em mínimos detalhesa mensagem a ser passada, pois seu sentido não está na obra em si, mas sim na cabeça de quem o observa, conseguindo assim evidenciar seu realsignificado. É completamente notável o fato de a obra ser ausente de cores vivas podendo ser vista como uma manifestação do espírito do nosso tempoou até mesmo simbolizando a degradação aos poucos da humanidade. 74
  71. 71. 75
  72. 72. 76
  73. 73. tECNOlOGIA 77
  74. 74. Ciao A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrcIao foI PIntada em 1972 e é uma das obras este quadro é uma cena da rua bela ItalIana com alan fearnley batley é reconHecIdo com um dosclássIcas de alan fearnley que tem como uma ferrarI 246 gts. o artIsta quIs retratar PrIncIPaIs artIstas do mundo automotIVo em fazermoVImento artístIco o ImPressIonIsmo. uma cena romântIca colocando doIs Personagens obras clássIcas e romântIcas. nascIdo em yoKsHIre, em sua PIntura, retratando um raPaz Indo buscar estudou no college of art, em seus PrImeIros sua amada Para um PasseIo. fIca em eVIdêncIa que trabalHos o PIntor fIcou conHecIdo como um ele utIlIzou muIto bem as cores VIVas, as sombras artIsta de talento únIco. no fInal de 1970 ele se e a lumInosIdade em sua tela, conseguIndo afastou da arte abstrata Passando a PIntar quadros trazer bastantes detalHes a cada PIncelada. Voltados à mecânIca como os automobIlístIcos.Conclusão: Talvez esta pintura seja desconhecida por muitos, pelo fato do artista não conseguir a completa divulgação de sua arte, porém esta éde fato uma obra muito bonita e rica em detalhes e fica evidente que o artista possui um grande talento ao retratar em suas pinturas as “máquinas comrodas”. Entretanto seus quadros ao mesmo tempo em que conseguem ser voltadas para o esporte, devido aos carros, também conseguem ser clássicas eromânticas dando um ar agradável em todas as suas pinturas. 78
  75. 75. 79
  76. 76. A Time for Heroes (The Battle of Britain) A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra tIme for Heroes (tHe battle of brItaIn a PIntura foI uma Homenagem a segunda guerra robert taylor tem sIdo sInônImo de arte da aVIaçãoedItIon) de 1940 foI PIntado Por robert taylor, mundIal retratando a cena PanorâmIca da durante um quarto de século. suas PInturas dastendo como moVImento artístIco o realIsmo. éPoca da batalHa da grã-bretanHa, mostrando a aeronaVes, maIs do que os de qualquer outro artIsta trIPulação retornando aPós IntercePtar ataques ajudou a PoPularIzar um gênero que no Pesados em Portos da costa sul durante os conflItos InícIo da carreIra deste notáVel artIsta teVe maIs Pesados, em setembro de 1940. ao fundo Pouco reconHecImento no mundo da arte. Podemos obserVar o monte de são mIguel, ele Há suas PInturas caPturam ImedIatamente a um castelo que foI construído no local de um ImagInação dos entusIastas e colecIonadores. mosteIro do século XIV Para defender a costa da grã-bretanHa um gruPo de Pessoas é cHamado Para defender seu cetro contra os InImIgos anterIores, ProPorcIonando assIm um cenárIo sImbólIco.Conclusão: Esta é mais uma de muitas obras de Robert Taylor das quais muitos as desconhecem, entretanto não podemos deixar de notar seufantástico talento ao retratar momentos da aviação. Apesar de suas obras não serem muito conhecidas, muitos o admiram e se encantam com a belezade suas obras, e de como consegue ser hábil quando se trata de ter um pincel em suas mãos. 80
  77. 77. 81
  78. 78. A Lição de Anatomia do Dr.Tulp A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOra lIção de anatomIa do dr. tulP de a PIntura é uma de suas obras maIs famosas rembrandt Harmenszoon Van rIjn nasceu no dIa1632 foI PIntada Por rembrandt, tendo e reVolucIonárIas, PoIs retrata uma aula de 6 de julHo de 1606 na cIdade de leIda (rePúblIcacomo moVImento artístIco o barroco. anatomIa do doutor nIcolas tulP. o corPo que unIda dos Países baIXos). é geralmente consIderado aParece no quadro é de um margInal que HaVIa um dos maIores nomes da HIstórIa da arte euroPéIa sIdo condenado à morte Por assalto a mão armada e o maIs ImPortante da HIstórIa neerlandesa. no dIa anterIor à lIção. lIções de anatomIa suas contrIbuIções à arte surgIram em um Período realmente eXIstIam e acontecIam em anfIteatros, denomInado Pelos HIstorIadores de “século de ouro dadas Por doutores anatomIstas daquela éPoca. dos Países baIXos”, na qual a InfluêncIa PolítIca, a cIêncIa, o comércIo e a cultura neerlandesa PartIcularmente a PIntura atIngIram seu áPIce.Conclusão: Esta obra é realmente muito interessante, pois nos mostra como eram realizados os estudos de anatomia daquela época. Apesar de apintura estar retratando uma cena não muito agradável aos nossos olhos, ela consegue evidentemente prender nossa atenção, nos deixando no mínimointrigados a respeito do que estava lhes sendo ensinado nesta lição. 82
  79. 79. 83
  80. 80. 84
  81. 81. COmuNICAçãO 85
  82. 82. Girafas Queimando e Telefones A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOrgIrafas queImando e telefones de 1957 foI esta obra retrata uma “PremonIção” de dalí, ele dIzIa salVador domIngo felIPe jacInto dalí I domènecHPIntada Pelo famoso salVador dalí, que tem que está era a PremonIção de uma guerra, na qual nasceu em 11 de maIo de 1904 na cIdade de fIguerescomo seu moVImento artístIco o surrealIsmo. as gIrafas estaVam em cHamas e a sua Volta HaVIa “o (esPanHa) conHecIdo aPenas como salVador dalí, monstro cósmIco masculIno aPocalíPto”. a mulHer foI um ImPortante PIntor catalão, conHecIdo Pelo Possuí formas alongadas e com os braços estendIdos, seu trabalHo surrealIsta. o trabalHo de dalí seu rosto é IneXPressIVo agora, IndIcando um cHama a atenção Pela IncríVel combInação de Pesadelo ou desamParo e Perda de sua IndIVIdualIdade, Imagens bIzarras, onírIcas, com eXcelente qualIdade ao fundo Pode-se obserVar gIrafas em cHamas PlástIca. dalí foI InfluencIado Pelos mestres do que eram como a PaIsagem de um de seus sonHos. renascImento. salVador dalí teVe também trabalHos artístIcos no cInema, escultura, e fotografIa.Conclusão: salvador Dalí é de fato um pintor bastante “atrevido” ao retratar em suas obras cenas surreais e até mesmo absurdas em alguns casos.Esta pintura é repleta de cores quentes que dão mesmo a sensação de tudo estar em chamas, porém sem haver a explicação do quadro é muito difícil deentender o que Dalí tenta nos passar ao retratá-lo, e até mesmo depois de sua explicação é necessário a atenção e observação de cada detalhe paraque possa haver um entendimento. Esta é de fato uma obra para ser observada de perto e analisada cuidadosamente. 86
  83. 83. 87
  84. 84. Office at Night A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOroffIce atnIgHt (escrItórIo de noIte) de 1940 foI retrata um Homem sentado numa mesa lendo um edWard HoPPer nasceu em 22 de julHo de 1882,PIntado Por edWard HoPPer, que tem como moVImento documento num escrItórIo de noIte. acomPanHado na cIdade de nyacK (noVa IorK) foI um PIntorartístIco o realIsmo, Hoje a obra está localIzada no Por uma mulHer num VestIdo azul, PossIVelmente norte-amerIcano maIs lembrado Por suasWalKer art center em mInneaPolIs (mInnesota). uma secretárIa, sItuando-se junto a um armárIo mIsterIosas rePresentações realIsta da solIdão de arquIVo aberto. uma folHa de PaPel caIu na contemPoraneIdade. em ambos os cenárIos no cHão entre os doIs IndIVíduos, Podendo urbanos e ruraIs, as suas rePresentações de HaVer assIm uma InterPretação IntencIonal rePosIção fIelmente recrIadas reflete a sua do relacIonamento entre os doIs IndIVíduos. VIsão Pessoal da VIda moderna amerIcana.Conclusão: Esta obra consegue nos transmitir perfeitamente um dia de trabalho, no qual estamos rodeados por “máquinas”, como telefones,máquinas de escrever e etc. A pintura é rica em detalhes dos quais nos passa a sensação de mais realidade existente na tela. É utilizada bastante a corverde e marrom, para dar aquele ar de formalidade que existe em um ambiente de trabalho. 88
  85. 85. 89
  86. 86. O Fado A ObrA Análise dA ObrA biOgrAfiA dO PintOro fado de 1910 foI PIntado Por josé malHoa, nas obras é retratado amâncIo, afamado margInal josé VItal branco malHoa nasceu em 28 de abrIltendo como moVImento artístIco o naturalIsmo, (ou “fadIsta”) da mourarIa a quem cHamaVam de 1855 na cIdade de caldas da raInHa (leIrIa,Hoje está localIzado no museu do fado. “PIntor” (e Por Isso, no baIrro, cHamaVam a Portugal) foI um PIntor, desenHIsta e Professor malHoa o “PIntor fIno”), e adelaIde, mulHer de Português, conHecIdo como josé malHoa. com má VIda, conHecIda Por adelaIde da facada (eXIbIa aPenas 12 anos entrou Para a escola de belas artes. no rosto uma cIcatrIz desenHada a naValHa). em todos os anos ganHou o PrImeIro PrêmIo, deVIdo o reI d. manuel sugerIu algumas alterações às suas enormes faculdades e qualIdades artístIcas. à PIntura. assIm, InIcIalmente adelaIde tInHa realIzou Inúmeras eXPosIções, tanto em Portugal muItas tatuagens, o que era muIto Pouco comum como no estrangeIro, desIgnadamente em madrId, Para a éPoca, e foI sugerIdo que fossem retIradas, ParIs e rIo de janeIro. foI PIoneIro do naturalIsmo fIcando aPenas uma muIto Pequena numa das mãos. em Portugal, tendo Integrado o gruPo do leão. a PIntura foI muIto mal recebIda Pela crítIca Por retratar essa coIsa menor do fado, a margInalIdade. começou Por ser reconHecIda no estrangeIro sendo eXPosta Pela PrImeIra em uma eXPosIção InternacIonal, na argentIna , em buenos aIres.Conclusão: Esta obra com certeza não é uma das mais belas para se olhar, pois é composta por muitas cores escuras que dão a sensação depoluição visual ao quadro, ou até mesmo sujeira, e pouca higiene. Entretanto é uma obra bastante válida, pois consegue retratar perfeitamente amarginalidade que existe no fado, nos dando a completa sensação de um ambiente não agradável e talvez até bastante precário. 90
  87. 87. 91
  88. 88. 92

×