Palestra - Na quebrada da Web

1,100 views

Published on

Uma palestra sobre a chamada "Web 2.0", Novos Conteúdos e afins, apresentada no III Encontro Estadual de Estudantes de Design de Pernambuco, em Recife.

Published in: Design
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,100
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
464
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Palestra - Na quebrada da Web

  1. 1. NA QUEBRADA DA WEB CAROÉ Qual o papel do designer na web? O que antes era difícil dizer - ou pior, era resumido a “fazer layout” - hoje já tem aspectos bastante concretos: Estudo de navegação, usabilidade, arquitetura da informação, adaptação estética... Por que a evolução? Simplesmente houve tempo para a estabilidade? Ou os conceitos de Web 2.0 e Novos Conteúdos tem alguma coisa a ver com isso? Como quebrar paradigmas?
  2. 2. O QUE É A WEB 2.0 NA REAL, ISSO EXISTE MESMO? Web 2.0 é um termo cunhado pela primeira vez em 2004 para designar uma segunda geração de comunidades e serviços pela internet. A “Web como plataforma” envolve wikis, aplicações colaborativas, redes sociais e Tecnologia da Informação. Embora o termo tenha uma conotação de uma nova versão para a Web, ele não se refere à atualização nas suas especificações técnicas, mas a uma mudança na forma como ela é encarada por usuários e desenvolvedores, ou seja, o ambiente de interação que hoje engloba inúmeras linguagens e motivações. É uma atualização conceitual, mais do que tecnológica. Adaptado da Wikipédia - Um dos maiores exemplos de web 2.0
  3. 3. O QUE É A WEB 2.0 EXEMPLOS BLOGS WIKIS FÓRUMS FOTOLOGS ORKUT TWITTER FACEBOOK LINKEDIN DESIGNUP NING THE CRIMS A origem dos serviços 2.0 é difícil de determinar, mas...
  4. 4. O QUE É A WEB 2.0 GENEALOGIA ...dá pra se ter uma ideia olhando pros seus avós.
  5. 5. NOVAS TENDÊNCIAS E CONCEITOS COMO O DESIGN SE ADAPTOU À WEB 2.0? As informações são mórficas, e o usuário tem influência no que acessa; Isso exige interatividade, possibilitada pela infame Programação. Por ser interativo, o conteúdo pode ser melhor explorado; Ao mesmo tempo, exige uma maior dedicação na apresentação. A participação do usuário é fundamental para gerar mais conteúdo; Um exemplo disso são os comentários em um blog, ou replies no twitter. Seu comentário no blog hoje pode gerar o post de amanhã...
  6. 6. NOVAS TENDÊNCIAS E CONCEITOS COMO O DESIGN SE ADAPTOU À WEB 2.0? ...ou mesmo aprimorar o post de hoje.
  7. 7. NOVAS RESPONSABILIDADES COM GRANDES PODERES... BRIEFING CONCISO; PROTOTIPAçãO; ARqUITETURA DA INFORMAçãO; ACESSIBILIDADE; USABILIDADE; Achou que era só empurrar pro cliente um blog no wordpress?
  8. 8. NOVA RESPONSABILIDADE: USABILIDADE FALA SÉRIO: TU INVENTOU ESSA PALAVRA, NÉ? Usabilidade é o termo relativo ao estudo e aplicação de conceitos de interação homem-máquina, bem como da ergonomia visual e da apresentação de dados. Normalmente se refere ao trabalho exercido para aprimorar a utilização de quais- quer interfaces digitais. Utilizada originalmente para interfaces de softwares, hoje a Usabilidade se refere quase que inteiramente ao posicionamento da informação em websites. Faz parte de suas atribuições o projeto do fluxo que o usuário irá seguir, a publicação dos dados, a definição de um padrão ergonômico, entre outros. É bom navegar num site usável.
  9. 9. NOVA RESPONSABILIDADE: USABILIDADE QUAL A IMPORTÂNCIA E COMO ESTUDA-LA? NÃOMEFAÇAPENSAR! Título do Livro de STEvEN KRUG sobre Usabilidade O usuário não pode perder tempo visitando seu site, a não ser que ele queira. Ele deve ter opções (caso seja seu objetivo que ele passe vários minutos visitando), mas deve acima de tudo poder encontrar os dados na hora que quiser. FERRAMENTA DE BUSCA LISTA OBjETIvA MAPA DO SITE TíTULOS ADEqUADOS E não é difícil projetar um site usável. Além de levar em considerações os dados acima, a metodologia para começar a desenvolver a interface deve levar em consideração: FLUxOGRAMA WIREFRAME PRINCíPIOS DE REDAçãO SEMâNTICA OBjETIvIDADE Tá, não é fáááácil. Mas não é nada do outro mundo pra um designer.
  10. 10. ESTUDO DE USABILIDADE FLUXOGRAMA > APLICAçãO DEFINIR MODO DE EXIBIÇÃO [menu] O conteúdo de um site apresenta as seguintes seções: HOME A EMPRESA CURSOS PALESTRAS CONSULTORIA DEPOIMENTOS CDS E DvDS APOSTILAS CONTATO SEMANTICAMENTE, qUAIS ITENS SE AGRUPAM? COMO SERIA O FLUxOGRAMA DESTE SITE?
  11. 11. ESTUDO DE USABILIDADE FLUXOGRAMA > APLICAçãO DEFINIR MODO DE EXIBIÇÃO [menu] Os itens CURSOS, PALESTRAS e CONSULTORIA tem um formato de conteúdo semelhante. Da mesma forma também se agrupam CDs e DvDs e APOSTILAS. Nestes casos, cabe ao designer propor ao cliente que sejam agrupados em apenas um item de exibição. Os primeiros podem ser vizualizados em apenas um: SERvIçOS. CDs e DvDs e APOSTILAS, se forem produtos a serem vendidos, podem ficar numa mesma seção principal: LOjA ONLINE. CDs e DvDs e APOSTILAS, se forem produtos a serem vendidos, podem ficar numa mesma seção principal: LOjA ONLINE.
  12. 12. ESTUDO DE USABILIDADE FLUXOGRAMA > APLICAçãO DEFINIR MODO DE EXIBIÇÃO [menu] HOME A EMPRESA SERVIÇOS DEPOIMENTOS LOJA ONLINE CONTATO CURSOS CDs e DVDs PALESTRAS APOSTILAS CONSULTORIA O Usuário entra no site na página HOME. A partir dali, ele tem a opção de navegar pelas outras páginas.
  13. 13. BIBLIOGRAFIA ONLINE E OFFLINE GOOGLE IT! MAS TEM UNS EXEMPLOS AÍ EMBAIXO USABILIDOIDO.COM.BR PINCELADASDAWEB.COM.BR RODRIGOMUNIz.COM FELIPECAROE.COM CASULLOWEB.COM.BR UxRECIFE.BLOGSPOT.COM SMASHINGMAGAzINE.COM WEBDESIGNERWALL.COM WEBDESIGNLEDGER.COM BESTWEBGALLERy.COM LAyOUTGALLAxy.COM THESITEWIzARD.COM
  14. 14. NA QUEBRADA DA WEB FELIPE CAROÉ - COLETIVO NEGOBOM

×