Your SlideShare is downloading. ×
Cultura do Mosteiro - Arte Românica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Cultura do Mosteiro - Arte Românica

783
views

Published on

Cultura do Mosteiro - Arte Românica

Cultura do Mosteiro - Arte Românica

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
783
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Módulo 4 – Cultura do Mosteiro Arte Românica - Características Carlos Jorge Canto Vieira
  • 2. Arte Românica • Planta – Transepto • é a nave transversal
  • 3. Arte Românica • Planta – Cruzeiro • cruzamento da nave central e o transepto. • Rematado por uma cúpula
  • 4. Arte Românica • Planta – Nave central • Pode terminar na ábside, (semicircular na cabeceira) • Podem existir capelas semicirculares (absidíolos)
  • 5. Arte Românica • Planta – Absidíolos ou capelas radiantes
  • 6. Arte Românica • Planta – Ábside
  • 7. Arte Românica • Planta – Deambulatório: • Prolongamento das naves laterais sobre a nave central por detrás da capela-mor.
  • 8. Arte Românica • Planta – Nartex • zona de entrada de um templo
  • 9. Arte Românica • Sistemas de cobertura e suporte – Totalmente abobadadas. • Nave principal -> abóbadas de berço, resultantes da sucessão de arcos de volta inteira; • Naves laterais, mais baixas, utilizavam-se abóbadas de aresta; • Nas catedrais sob a influência oriental as abóbadas foram, por vezes, substituídas por sucessões de cúpulas. (área quadrada) Contraforte
  • 10. Arte Românica • Sistemas de cobertura e suporte – O tramo • é definido transversalmente por dois arcos torais; • longitudinalmente, por dois arcos formeiros que separam a nave principal das laterais • por arcos cruzeiros que formam as arestas ou nervuras da abóbada. Arco Formeiro Arco Toral Arco Cruzeiro
  • 11. Arte Românica
  • 12. Arte Românica • Alçado interno da nave principal Arcada Tribuna Trifório Clerestório
  • 13. Arte Românica • Alçado interno da nave principal – Arcada principal • Divide a nave central das laterais e que é formada usualmente por pilares ou colunas;
  • 14. Arte Românica • Alçado interno da nave principal – Tribuna • espécie de galeria semiabobadada; • aberta para a nave central que serve para fazer a descarga das forças para a parede exterior. • destinava-se às mulheres que iam sozinhas à igreja
  • 15. Arte Românica • Alçado interno da nave principal – Trifório • conjunto de dois, três ou mais arcos por tramo • substitui por vezes, a tribuna e interliga o pequeno corredor situado acima da nave lateral à nave principal. • Na inexistência de corredor, o trifório não passa de uma arcada cega, apenas com valor decorativo;
  • 16. Arte Românica • Alçado interno da nave principal • Clerestório, – zona de iluminação imediatamente abaixo dos arcos formeiros da abóbada principal; – constituído por janelas ou frestas; – na maior parte dos casos era o único elemento de iluminação da nave principal
  • 17. Arte Românica • Iluminação – Paredes são compactas e com poucas aberturas. – Devido ao equilíbrio de forças necessário à sustentação das abóbadas, – Sistema de iluminação • Clerestório, • Outras janelas e frestas, estreitas e chanfradas, pelas quais se obtém uma luz rasante e difusa, propícia à concentração e elevação espiritual, tão próprias do misticismo piedoso da época.
  • 18. Arte Românica • Iluminação – A torre lanterna possui, também, uma série de aberturas que difundem a luz para a nave principal, a partir do cruzamento com o transepto.
  • 19. Arte Românica • Iluminação – Fachada • janelões na arquitectura francesa e normanda; • rosácea nas igrejas italianas.
  • 20. Arte Românica • Configuração e decoração no exterior – combinação de volumes • circulares dados pela cabeceira; • rectangulares do corpo da igreja e do transepto; • poliédricos e piramidais dados pelas torres sineiras e lanterna. – O efeito geral é de grande solidez, reforçado e robustecido pelos contrafortes salientes e chanfrados que intensificam a implantação do edifício no terreno
  • 21. Arte Românica • Fachada – o corpo central de forma rectangular terminado em triângulo, correspondente ao telhado de duas águas; – elementos de iluminação e de decoração, como rosáceas, janelões, contrafortes, arcadas cegas ou abertas e portais; – dois corpos laterais, unidos ao central, que podem ser mais baixos e inclinados, correspondentes às naves laterais, ou mais elevados quando correspondem a duas torres sineiras; – Estas também possuem aberturas cegas com função decorativa e outras para iluminação.
  • 22. Arte Românica SAN MARTÍN FROMISTA (PALENCIA)
  • 23. Arte Românica CATEDRAL DE DURHAM, Inglaterra
  • 24. Arte Românica