Modulo3

2,275 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,275
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
81
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modulo3

  1. 1. Teoria Organizacional M ódulo 3 – Comportamento Individual. Teorias de Motivação Prof Doutor Rodrigo Magalhães
  2. 2. <ul><li>Índice </li></ul><ul><li>Diferenças Individuais </li></ul><ul><li>Motivação e Factores Motivacionais </li></ul><ul><li>Caso prático – Sargento Young </li></ul><ul><ul><li>Anexo: Inteligência Emocional </li></ul></ul>
  3. 3. 1. Diferenças Individuais
  4. 4. Diferenças Individuais Em cada momento da sua vida, o indivíduo tenta dar sentido ao mundo com que se depara e a si próprio, como ser integrado nesse mundo. É, pois, importante reconhecer que cada pessoa “vê” o mundo de maneira diferente (i.e. diferenças cognitivas)
  5. 5. Diferenças Individuais Reconhecer que existem diferenças cognitivas individuais, é importante em dois sentidos: 1) O aumento do auto-conhecimento: conhecendo melhor as suas características próprias poderá melhor entender as suas tendências comportamentais, inclinações, aptidões. 2) O reconhecimento de que os outros têm formas diferentes de sentir, pensar e agir aumentará a sua tolerância e procura de formas de lidar produtivamente com estas diferenças, tornando-as úteis no trabalho.
  6. 6. <ul><li>Porque interpreta cada indivíduo a realidade de uma forma diferente? </li></ul><ul><li>porque cada pessoa percebe o mundo de forma diferente </li></ul>Diferenças Individuais Definição de percepção Processo de organização e interpretação das experiências sensoriais, na tentativa de dar significado aos estímulos que chegam permanentemente ao indivíduo vindos do seu meio interno ou do ambiente que o rodeia
  7. 7. <ul><li>Porque é que cada pessoa percebe o mundo de forma diferente ? </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>porque a interpretação das experiências sensoriais varia de indivíduo para indivíduo, pois é influenciada por factores internos, tais como: </li></ul><ul><ul><ul><li>fisiológicos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>emocionais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>cognitivos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>de personalidade </li></ul></ul></ul>Diferenças Individuais
  8. 8. Percepção Social a forma como a pessoa percebe o mundo à sua volta a partir da forma como interge com as outras pessoas ******* Erving Goffman (1959): “ a interacção social pode ser vista como sendo análoga ao desempenho teatral, em que os actores tentam, no desempenho do seu papel , produzir uma determinada imagem , que cause no espectador uma determinada impressão. ”   Diferenças Individuais   C ada pessoa percebe o mundo de forma diferente porque as percepções sociais também são diferentes
  9. 9. Diferentes interpretações da realidade Diferentes percepções   Diferentes comportamentos Diferenças Individuais
  10. 10. Diferenças Individuais   Competências individuais: aquilo que o indivíduo é capaz de compreender ou realizar Expectativas: crenças em relação às consequências de determinados actos ou situações Valores subjectivos: os valores sociais e culturais, que a pessoa interioriza como sendo mais os importantes para si Sistemas auto-reguladores: modo como a pessoa regula o seu próprio comportamento através do estabelecimento de objectivos para si própria Estratégias de codificação: modo como o indivíduo tende a interpretar as situações Estilo Cognitivo: forma como conceptualiza e tenta resolver os problemas Diferenças individuais no âmbito profissional
  11. 11. 2. Motivação
  12. 12. Motivação O comportamento do homem pode ser analisado em função das necessidades que sente.     As necessidade humanas transformam-se em estímulo para a acção e no sentido de as suprir. As necessidades insatisfeitas, transformam-se em fonte de motivação, gerando uma actividade intencional, no sentido da persecução de um objectivo.
  13. 13. Motivação: Um conjunto de forças energéticas que têm origem quer no indivíduo quer fora dele e que moldam o comportamento no trabalho, determinando a sua forma, direcção, intensidade e duração (Pinder, 1998 in Pina e Cunha et al, 2003:102) Motivação
  14. 14. A pirâmide de necessidades de Maslow Necessidades Básicas (Fisiológicas) Necessidades de Segurança Necessidades de Associação (Sociais, Pertença, Amor) Auto-estima (Ego-status) Auto-realização Motivação
  15. 15. <ul><li>A hierarquia das necessidades de Maslow </li></ul><ul><li>Necessidades básicas : são aquelas que estão ligadas a interesses de sobrevivência ou fisiológicos. </li></ul><ul><li>Necessidades de segurança : estabilidade, boas condições de higiene e segurança no trabalho, benefícios, assistência médica, reforma, etc. </li></ul><ul><li>Necessidades de Associação : de relação com os seus pares, de participação em actividades de grupo. </li></ul><ul><li>A partir destas desenvolvem-se sentimentos de afiliação , de integração na família organizacional , e de procura de um status . </li></ul>Motivação
  16. 16. <ul><li>A hierarquia das necessidades de Maslow </li></ul><ul><li>Ego-status : busca de oportunidades em que se possa demonstrar a capacidade profissional, dando o máximo do esforço à organização e esperando como recompensa o reconhecimento dos outros. </li></ul><ul><li>Auto-realização : preocupação com a auto-aprovação, procura de oportunidades para testar a capacidade , maximizar o potencial e criatividade. </li></ul>Motivação
  17. 17. Hierarquia de necessidades de Maslow Teoria de dois-factores de Herzberg Factores higiénicos Motivadores Necessidades básicas Necessidades de alto nível Motivação Auto-realização Auto-estima Necessidades sociais, pertença, amor Segurança Necessidades Fisiológicas O trabalho própriamente dito Responsabilidade Crescimento pessoal Realização Reconhecimento Qualidade de relações inter-pessoais (c/ chefes, colegas e subordinados) Políticas da empresa Condições laborais Salário
  18. 18. Teoria de Herzberg <ul><li>Herzberg pesquisou as fontes de motivação directamente relacionadas com a realização do trabalho. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Constatou que: à medida em que as pessoas crescem, se desenvolvem, ganham maturidade e adquirem experiência pessoal, passam a dar mais importância a factores como a auto-estima e auto-realização. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>A motivação do homem no seu trabalho, depende de dois tipos de factores, cada um deles ligado a um tipo de necessidades: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><ul><li>Factores de Higiene ou Manutenção </li></ul></ul><ul><ul><li>Factores Motivacionais </li></ul></ul>Motivação
  19. 19. <ul><li>Factores de Higiene ou Manutenção </li></ul><ul><li>Quando o homem se sente insatisfeito com o seu trabalho vira a sua atenção para os factores do ambiente. </li></ul><ul><li>Estes, não provocam crescimento na capacidade de produção, apenas impedem a insatisfação e as perdas na realização do empregado. </li></ul><ul><ul><li>Exemplos : Programa e administração, supervisão, condições de trabalho, relações interpessoais, dinheiro, segurança. </li></ul></ul>Teoria de Herzberg Motivação
  20. 20. Factores motivacionais Traduzem : Fontes de satisfação Indicam : Sentimentos de realização Crescimento profissional Reconhecimento Oferecem: Desafio e amplitude Resultam em : Aumento da capacidade total de produção. Teoria de Herzberg Motivação
  21. 21. 3. Caso Prático – Sargento Young
  22. 22. Anexo Inteligência Emocional
  23. 23. Formas de lidar com as diferenças inter-individuais no trabalho Para além dos factores cognitivos, os aspectos afectivos afectam também as atitudes em relação ao trabalho e os comportamentos a elas associados. As cognições dos indivíduos são influenciadas pelas suas emoções: há uma espécie de sabedoria instilada nas emoções. Os comportamentos dos indivíduos em situação de trabalho englobam, necessariamente, estas duas vertentes. Inteligência Emocional
  24. 24. <ul><li>Capacidade para conciliar emoções e razão: </li></ul><ul><ul><li>usar as emoções para facilitar a razão </li></ul></ul><ul><ul><li>raciocinar inteligentemente acerca das emoções </li></ul></ul><ul><li>Embora as pessoas tenham diferentes capacidades podem, de uma forma consciente, lidar com as suas emoções e as de outras pessoas e gerí-las de modo funcional, quer em termos pessoais quer organizacionais. </li></ul><ul><li>Os gestores que estão atentos aos seus próprios sentimentos e aos sentimentos dos outros , podem utilizar este conhecimento para melhorar o seu próprio desempenho e a interacção com os outros. </li></ul>Inteligência Emocional
  25. 25. <ul><li>Componentes da inteligência emocional </li></ul><ul><li>Auto-conhecimento: </li></ul><ul><li>  Estar aberto para sentir, desperto para reconhecer e consciente para controlar e utilizar as suas próprias emoções é a base para reconhecer as emoções dos outros e relacionar–se com o mundo em seu redor. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>O Auto-conhecimento fornece as bases para todos os outros componentes da inteligência emocional.  </li></ul><ul><li>Os gestores com um alto nível de auto-conhecimento, aprendem a intuir os sentimentos presentes em cada situação e a usar estas pistas para o esclarecimento dos problemas e a tomada de decisões. </li></ul>Inteligência Emocional
  26. 26. <ul><li>Componentes da inteligência emocional </li></ul><ul><li>2. Gestão das emoções: </li></ul><ul><li>  Não significa suprimir ou negar as suas emoções, mas entendê-las e utilizá-las para lidar com as situações produtivamente. </li></ul><ul><li>Significa encontrar em cada situação o equilíbrio emocional necessário para poder pensar claramente e executar as suas tarefas. Para isso é necessário: </li></ul><ul><li>Reconhecer os sentimentos presentes na situação </li></ul><ul><li>Pensar acerca do que eles significam e a que estão ligados </li></ul><ul><li>Pensar na forma como eles afectam a situação </li></ul><ul><li>Escolher como agir. </li></ul>Inteligência Emocional
  27. 27. Componentes da inteligência emocional 3. Auto-motivação:   Capacidade de se motivar a si próprio de forma a manter-se confiante e optimista apesar dos obstáculos, recuos, os mesmo falhas. É fundamental para alcançar objectivos a longo prazo , tanto na vida, como nos negócios. Inteligência Emocional
  28. 28. Componentes da inteligência emocional 4. Empatia:   Significa ser capaz de se colocar no lugar do outro e reconhecer o que ele está a sentir , através dos seus sinais não verbais ( tom de voz, gestual, expressões faciais). A empatia é baseada na auto-confiança pois, estar atento ás suas próprias emoções torna mais fácil reconhecer as dos outros. Inteligência Emocional
  29. 29. Componentes da inteligência emocional 5. Competências sociais: Capacidade de estabelecer contacto com os outros, reagir às suas emoções e influenciá-los.   Os gestores necessitam de competências sociais para compreender as relações interpessoais, lidar com os desacordos, gerir conflitos e levar as pessoas a perseguir juntas um objectivo comum. Inteligência Emocional

×