Trabalho Direitos Autoriais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
434
On Slideshare
407
From Embeds
27
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
3
Comments
0
Likes
0

Embeds 27

http://turma3in1.blogspot.com.br 27

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. TRABALHO DIREITO AUTORAL Disciplina: Ética na Sociedade II Professora: Marcela Turma: 3in1 Alunos: Felipe Marchiori Felipe Brito Paulo Almada
  • 2. É um conjunto de prerrogativas conferidas por lei à pessoa física ou jurídica criadora da obra intelectual, para que ela possa gozar dos benefícios morais e intelectuais resultantes da exploração de suas criações  Os titulares de direitos são aquelas pessoas físicas ou jurídicas às quais a legislação autoral confere direitos de autor ou conexos. Portanto, eles podem ser titulares de natureza autoral ou conexa.  -Autores/Compositores -Editores musicais/sub-editores ====Titulares de direitos do autor -Versionistas/adaptadores -Intérpretes -Músicos acompanhantes -Produtores fonográficos ====Titulares de direitos conexos -Empresas de radiodifusão
  • 3.  A primeira lei específica sobre Direito Autoral entrou em vigor em 1710, na Inglaterra, no período da Raínha Ana (Statute of Anne) e visava proteger obras literárias. Foi denominada Copyright (direito à cópia). A Discussão não é simplesmente técnica, mas fundamentalmente Ética.  A partir da invenção da imprensa mecânica (Gutenberg 1398), a pirataria de livros iniciava suas atividades, logo os editores reivindicaram proteção. Por questões econômicas as reivindicações foram mais dos editores do que da própria classe autoral, ou seja, não estavam tão preocupados com violação a dignidade da pessoa humana proprietário da obra.  Já existiu a prática de compra da autoria, nos dias atuais isso é proibido, tendo em vista que o direito moral à paternidade da obra é um direito intrasferivel e inalienável (LDA – 98, art. 27). Apenas o que diz respeito à exploração econômica da obra pode ser negociado.
  • 4. Legislação  Atualmente, os direitos autorais e o ECAD são regidos pela Lei Federal 9.610, promulgada em 19 de fevereiro de 1998, que veio reafirmar e ampliar os direitos de criação e execução pública de todos os titulares de música.O Brasil também é signatário de diversos tratados e convenções internacionais que representam o compromisso assumido pelo país perante a comunidade internacional, de respeitar e proteger os direitos autorais relativos aos diversos tipos de obras intelectuais.  Dentre as principais normas internacionais, podemos destacar: - Convenção de Berna (Decreto 75.699, de 6.12.75); - Convenção de Roma, sobre direitos conexos (Decreto 57.125, de 19.10.65); - Acordo sobre aspectos dos Direitos de Propriedade Intelectual relacionados ao Comércio – ADPIC (Decreto 1.355, de 30.12.94)
  • 5. A Lei 9.610, no Capítulo I, Artigo 7º, define as obras intelectuais protegidas c omo sendo “ascriações do espírito, expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ouintangível, conhecido ou que se invente no futuro ”. E elenca os exemplos dessas criações, quereproduzimos na íntegra, abaixo: I - os textos de obras literárias, artísticas ou científicas; II - as conferências, alocuções, sermões e outras obras da mesma natureza; III - as obras dramáticas e dramático-musicais; IV - as obras coreográficas e pantomímicas, cuja execução cênica se fixe por escrito ou por outra qualquer forma; V - as composições musicais, tenham ou não letra; VI - as obras audiovisuais, sonorizadas ou não, inclusive as cinematográficas; VII - as obras fotográficas e as produzidas por qualquer processo análogo ao da fotografia; VIII - as obras de desenho, pintura, gravura, escultura, litografia e arte cinética; IX - as ilustrações, cartas geográficas e outras obras da mesma natureza; X - os projetos, esboços e obras plásticas concernentes à geografia, engenharia, topografia, arquitetura, paisagismo, cenografia e ciência;
  • 6. XI - as adaptações, traduções e outras transformações de obras originais, apresentadas como criação intelectual nova; XII - os programas de computador; XIII as coletâneas ou compilações, antologias, enciclopédias, dicionários, bases de dados e outras obras, que, por sua seleção, organização ou disposição de seu conte údo, constituam umacriação intelectual. 1º Os programas de computador são objeto de legislação específica, observadas as disposições desta Lei que lhes sejam aplicáveis. 2º A proteção concedida no inciso XIII não abarca os dados ou materiais em si mesmos e se entende sem prejuízo de quaisquer direitos autorais que subsistam a respeito dos dados ou materiais contidos nas obras. 3º No domínio das ciências, a proteção recairá sobre a forma literária ou artística, não abrangendo o seu conteúdo científico ou técnico, sem prejuízo dos direitos que protegem os demais campos da propriedade imaterial.
  • 7. BIBLIOGRAFIA • http://www.meiosdigitais.com.br/2011/02/28/plagio-na-internet/ • http://www.ecad.org.br/ViewController/Publico/conteudo.aspx?codigo=48
  • 8. ESTE TRABALHO E DEDICADO AO NOSSO NOBRE COLEGA, POR SUAS PROEZAS DIÁRIAS AQUI NO CURSO . UM GRANDE ABRAÇO A TODOS