Fontes de informação em linha da União Europeia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Fontes de informação em linha da União Europeia

  • 636 views
Uploaded on

Conjunto de dispositivos utilizados para a minha comunicação intitulada «Fontes de informação em linha da União Europeia», último seminário do Ciclo de Seminários 2012, organizado pela BAD, que......

Conjunto de dispositivos utilizados para a minha comunicação intitulada «Fontes de informação em linha da União Europeia», último seminário do Ciclo de Seminários 2012, organizado pela BAD, que decorreu no Pequeno Auditório da Biblioteca Nacional de Portugal em Lisboa a 5 de dezembro.
«O seminário esteve a cargo de Carlos Medeiros e teve como objetivo dar a conhecer os princípios fundamentais da política de informação e comunicação da União Europeia,a estrutura de informação do portal Europa, e a documentação (e informação) institucional europeia disponibilizada através do portal Europa e das redes/medias sociais.»

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
636
On Slideshare
636
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
6
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Ciclo de Seminários 2012 – BADFontes de Informação em linha da União Europeia Ciclo de SemináriosBiblioteca Nacional de Portugal Carlos Medeiros
  • 2. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE• Documento:  «qualquer conteúdo, seja qual for o seu suporte (documento escrito em suporte papel ou electrónico, registo sonoro, visual ou audiovisual) sobre assuntos relativos às políticas, acções e decisões da competência da instituição em causa». Regulamento (CE) 1049/2001 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 30 de Maio de 2001, relativo ao acesso do público aos documentos do Parlamento Europeu, do Conselho e da Comissão. «JOCE L». 145 (31-05-2001). 0257-7771. p. 43 – 48. © Carlos Medeiros, 2012
  • 3. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE• Fonte de informação:  «Documento original, crónica, testemunho, etc. a partir do qual são tratados os elementos para determinados estudos e investigações. (…) As fontes de informação podem ser constituídas por material dactilografado, impresso ou audiovisual, bases de dados informatizadas, registos bibliográficos de bibliotecas, etc., instituições e pessoas.» FARIA, Maria Isabel; PERICÃO, Maria da Graça, co-aut. – Dicionário do livro. Coimbra: Almedina, 2008. ISBN 978-972-40-3499-7. p. 564. © Carlos Medeiros, 2012
  • 4. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE• As fontes de informação podem ser:  primárias «livros, publicações em serie, relatórios científicos e técnicos, actas de congressos, programas de investigação, teses, etc., cujo conteúdo é a primeira consequência da actividade do intelecto»;  secundárias «que contém dados e informação sobre fontes primárias (revistas de títulos e de resumos, bibliografias, catálogos de bibliotecas, guias bibliográficos, repertórios, anuários, directórios, etc.)» e;  terciárias como obras especializadas que cobrem «um conjunto de conhecimentos ou explicações concisas relacionadas com temas, autores, trabalhos, associações, recursos, etc. (…) As obras de referência tais como as enciclopédias, os dicionários e os repertórios são consideradas fontes terciárias.» FARIA, Maria Isabel; PERICÃO, Maria da Graça, co-aut. – Dicionário do livro. Coimbra: Almedina, 2008. ISBN 978-972-40-3499-7. p. 564. © Carlos Medeiros, 2012
  • 5. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE• Objetivo geral da política de informação e comunicação da União Europeia:  Criar uma Europa dos cidadãos, uma Europa mais próxima das pessoas e da sua existência• Objetivos específicos da política de informação e comunicação da União Europeia:  Eliminar a distância entre a UE e o cidadão  Garantir o acesso a informação objetiva e rigorosa  Combinar as expectativas e as exigências dos cidadãos  Difundir o debate sobre as temáticas europeias  Assumir uma posição pro activa e menos reativa (OIE) © Carlos Medeiros, 2012
  • 6. Breve introdução à política de informação e comunicação da UETERRA, Ana – As políticas de informação e comunicação da União Europeia.Coimbra : Universidade de Coimbra, 2008. Dissertação de Doutoramento. © Carlos Medeiros, 2012
  • 7. Breve introdução à política de informação e comunicação da UETERRA, Ana – As políticas de informação e comunicação da União Europeia.Coimbra : Universidade de Coimbra, 2008. Dissertação de Doutoramento. © Carlos Medeiros, 2012
  • 8. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE Documentos oficiais: Aspectos a destacar: • O PE, o Conselho e a Comissão respeitam os princípios democráticos e reafirmam o empenho na transparência: – Parlamento Europeu: • carácter público das reuniões das comissões e das sessões plenárias;Resolução sobre a democracia, a transparência e – Conselho:a subsidiariedade, JOCE C 329 de 6/12/1993 • abertura ao público de certos debates do Conselho; • acesso aos arquivos do Conselho; – Comissão: • elaboração de livros verdes e livros brancos; • melhor acesso aos documentos na posse da Comissão.Regulamento (CE) n.º 1049/2001 do Parlamento • Estabelece o direito de acesso aos documentos;Europeu e do Conselho, de 30 de Maio de 2001, • Registo público de documentos:relativo ao acesso do público aos documentos da – Parlamento Europeu;Parlamento Europeu, do Conselho e da Comissão, – Conselho;JOCE L 145 de 31/5/2001 – Comissão. • Cooperação entre Comissão e Parlamento: – Grupo Interinstitucional para a Informação (IGI) • Serviços de informação e comunicação da Comissão: – SIG: • DG Imprensa e Comunicação; • Representações da Comissão.Um novo quadro de cooperação para as – Informação sectorial (unidades de informação em cada DG)actividades no âmbito da política de informação e – Meios, instrumentos e avaliação:comunicação da União Europeia, COM (2001) 354 • PRINCE; • Redes e Centros de Informação; • EUROPA e publicações; • Europe Direct, Eurojus, Serviço de Assistência Directa ao Cidadão; • Emissões de TV e rádio e formação para jornalistas; • Biblioteca central e rede de centros de documentação; • Visitas; • Avaliação. © Carlos Medeiros, 2012
  • 9. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE Documentos oficiais: Aspectos a destacar: • Temas de informação prioritários: – O Alargamento; – O futuro da União Europeia; – O espaço de liberdade, segurança e justiça; – O papel da Europa no mundo.Uma estratégia de informação e • Públicos-alvo:comunicação para a União – Multiplicadores de opinião;Europeia, COM (2002) 350 – Grande público. • Memorando de entendimento: – UE/Estados-membros • Centros e redes de informação: – Análise e avaliação • Cooperação entre Comissão e Parlamento: – Grupo Interinstitucional para a Informação (IGI) • Serviços de informação e comunicação da Comissão: – SIG: • DG Imprensa e Comunicação e Representações da Comissão.A aplicação da estratégia de – Informação sectorial (unidades de informação em cada DG) – Meios, instrumentos e avaliação:informação e comunicação para a • PRINCE;União Europeia, COM (2004) 196 • Redes e Centros de Informação; • EUROPA e publicações; • Europe Direct, Eurojus, Serviço de Assistência Directa ao Cidadão; • Emissões de TV e rádio e formação para jornalistas; • Biblioteca central e rede de centros de documentação; • Visitas; • Avaliação. © Carlos Medeiros, 2012
  • 10. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE PREOCUPAÇÕES DOS OBJECTIVOS TÓPICOS PRINCIPAIS DE CIDADÃOS ESTRATÉGICOS INFORMAÇÃO • Preservar a paz e a • Promover novas segurança formas de • ALARGAMENTO • Combater o governação na UE • O FUTURO DA UNIÃO desemprego • Europa estável com EUROPEIA • Combater o crime uma voz forte no • ÁREA DE LIBERDADE, organizado e o tráfico Mundo SEGURANÇA E • Reduzir a pobreza • Nova agenda JUSTIÇA • Assegurar económica e social • O PAPEL DA UE NO oportunidades iguais • Melhor qualidade de MUNDO • Proteger o ambiente vida dos cidadãosUNIÃO EUROPEIA. Comissão Europeia – Comunicação da Comissão ao Conselho, ao Parlamento Europeu, ao Comité Económico e Social e ao Comité © Carlos Medeiros, 2012das Regiões sobre uma estratégia de informação e comunicação para a União Europeia. - , 2002. - 43 p.. - Documento CE/UE. - Documento COM
  • 11. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE TÓPICOS PRINCIPAIS DE INFORMAÇÃO • Oportunidades – legitimidade do acesso ALARGAMENTO • Segurança – esforços dos países aderentes • Prosperidade – valor acrescentado do alargamento • Informação do modus operandi da UE O FUTURO DA UNIÃO • Explicar o trabalho da Convenção EUROPEIA • Enfatizar a necessidade de adaptação das instituições para funcionar numa Europa alargada • Imigração – acção isolada dos EM não garante segurança ÁREA DE LIBERDADE, • Direitos Humanos – pertencer à UE significa liberdade, democracia e SEGURANÇA E JUSTIÇA respeito pelos valores fundamentais • Cidadania – a ALSJ dará verdadeira dimensão à cidadania da UE • Temas em discussão nas negociações multilaterais O PAPEL DA UE NO • A UE como força de equilíbrio no mundo (aberta ao 3º Mundo e MUNDO defensora do desenvolvimento sustentável) • A força da UE no mundo se falar a uma só vozUNIÃO EUROPEIA. Comissão Europeia – Comunicação da Comissão ao Conselho, ao Parlamento Europeu, ao Comité Económico e Social e ao Comité © Carlos Medeiros, 2012das Regiões sobre uma estratégia de informação e comunicação para a União Europeia. - , 2002. - 43 p.. - Documento CE/UE. - Documento COM
  • 12. Breve introdução à política de informação e comunicação da UEDocumentos oficiais Aspetos a destacar O Livro Branco destinou-se principalmente a mobilizar os intervenientes relevantes (instituições e órgãos comunitários, Estados-Membros,Livro Branco sobre autoridades regionais e locais, partidos políticos e sociedade civil). O Livrouma política de Branco propôs cinco domínios de acção conjunta:comunicação • definir princípios comuns para as actividades de comunicação sobre questõeseuropeia, europeias; • implicar os cidadãos;COM (2006) 35 • trabalhar com os meios de comunicação e utilizar as novas tecnologias; • compreender a opinião pública; • trabalhar em conjunto. A CE propõe o alargamento das parcerias de gestão que mantém com alguns países numa base voluntária, a fim de realizar iniciativas conjuntas em matéria de comunicação, já que os Estados-Membros têm um importante papel a desempenhar na divulgação dos assuntos europeus noParceria para a respectivo território nacional. • Rede de espaços públicos europeus nas representações da CE e nos gabinetes docomunicação sobre a PE nos Estados-Membros: exposições, debates e concertos;Europa, • Identificação dos aspectos do ensino básico e secundário em relação aos quais umaCOM(2007) 569 acção conjunta a nível comunitário poderá auxiliar os Estados-Membros; • Estabelecimento na CE de pontos de contacto com a sociedade civil, para propiciar às ONG um acesso mais fácil e equitativo; • Melhoria das sondagens de opinião pública; • Rede de informação baseada na Internet para melhorar a comunicação entre os políticos europeus e nacionais, os jornalistas e outros líderes de opinião. © Carlos Medeiros, 2012
  • 13. Breve introdução à política de informação e comunicação da UE PARCERIA DE GESTÃO PLANO DE COMUNICAÇÃO (2012) A celebração desta parceria tem por 1º Eixo: Participar para Crescer. objeto coordenar as respectivas Informar, debater e mobilizar os cidadãos para uma atividades de informação e participação ativa, evidenciando os possíveis contributos para o comunicação sobre a União crescimento económico e o reforço da competitividade em Europeia através de um Plano de Portugal e na Europa, abordando questões como a inovação, a comunicação adoptado de comum criatividade, o empreendedorismo, a internacionalização da acordo, cuja execução é financiada economia e as vantagens do Mercado Único. pelos recursos de ambas as partes. 2º Eixo: União Europeia – Cultura e Cidadania. O Plano de comunicação anual é A atual conjuntura da União Europeia, e a nossa realidade elaborado e acompanhado por uma nacional, tornam imperativo (re)centrar o debate nos valores, Célula de Coordenação, que na história e na cultura subjacentes ao projeto europeu, representa o Governo português, a apelando à participação dos cidadãos, à sua ação. Comissão Europeia e o Parlamento Europeu. 3º Eixo: Que meios para o nosso Futuro: o próximo quadro financeiro da União Europeia. A sua execução é levada a cabo pelo Este tema procura informar os cidadãos sobre o Quadro CIEJD enquanto Organismo Financeiro Plurianual 2014-2020, explicitando e debatendo as Intermediário, no âmbito das novas Políticas da União, os respetivos meios financeiros, procurando modalidades de funcionamento do apurar de que forma a coesão económica, social e territorial Centro. será assegurada por este quadro financeiro.UNIÃO EUROPEIA. Comissão Europeia – Comunicação da Comissão ao Conselho, ao Parlamento Europeu, ao Comité Económico e Social Europeu e ao Comité © Carlos Medeiros, 2012das Regiões sobre a aplicação da estratégia de informação e comunicação para a União Europeia - , 2004. - 37 p.. - Documento CE/UE. - Documento COM
  • 14. Fontes de informação europeiaem linha Sítios Internet relevantes: Portal EUROPA Instituições Europeias Agências europeias Órgãos interinstitucionais © Carlos Medeiros, 2012
  • 15. O Portal Europa• Europa, o portal da União Europeia  http://europa.eu• Acesso à informação europeia em linha  Instituições e órgãos  Integração europeia  Política de transparência• Disponível nas 23 línguas oficiais da UE• Utilizadores:  Estudantes  Administrações públicas  Gabinetes de estudos © Carlos Medeiros, 2012
  • 16. O Portal EuropaEstrutura de informação organizada em 6 grandes áreas:• Como funciona a União Europeia  Para além de lhe explicarem o objetivo da UE e o papel das várias instituições, estas páginas dão informações sobre as finanças da UE, as suas bases jurídicas, as suas políticas e atividades [http://europa.eu/about-eu/index_pt.htm];• Políticas e atividades da União Europeia  Os países da UE delegaram-lhe algumas das suas competências legislativas em determinadas áreas políticas, como a agricultura e as pescas. Noutras áreas, como a cultura, a decisão política é partilhada pela UE e os governos nacionais. Descubra mais informações sobre as atividades da UE, bem como sobre as possibilidades de financiamento e subvenções [http://europa.eu/policies-activities/index_pt.htm];• Viver na União Europeia  Informações e conselhos jurídicos para quem vive, trabalha ou estuda no estrangeiro, incluindo acesso aos cuidados de saúde e direitos dos consumidores [http://europa.eu/eu-life/index_pt.htm]; © Carlos Medeiros, 2012
  • 17. O Portal EuropaEstrutura de informação organizada em 6 grandes áreas:• Participe!  Diga de sua justiça! Entre num debate em linha, responda a uma consulta pública ou veja e comente os nossos blogues e vídeos [http://europa.eu/take-part/index_pt.htm];• Publicações e documentos  Ligações que dão acesso a documentos da UE, desde atos jurídicos a registos históricos, aos mais recentes inquéritos e sondagens de opinião às bibliotecas e centros documentação que os albergam. Explicações sobre a terminologia da UE, glossários e conselhos sobre como escrever sobre a UE. Possibilidade de encomendar publicações na EU Bookshop [http://europa.eu/documentation/index_pt.htm ];• Fazer negócios  Precisa de aconselhamento sobre como fazer negócios noutro país, dentro ou fora da UE? Esta secção dá-lhe informações sobre aspetos importantes, nomeadamente impostos, importação e exportação de mercadorias e apoio financeiro às empresas.informado sobre a atualidade da UE. [http://europa.eu/business/index_pt.htm]. © Carlos Medeiros, 2012
  • 18. Instituições e órgãos da UE• Parlamento Europeu [http://www.europarl.europa.eu] – diretamente eleito, representa os cidadãos da UE;• Conselho Europeu [http://www.european-council.europa.eu] – define as orientações políticas gerais da UE, mas não tem poder para adotar legislação. Dirigido pelo seu Presidente, atualmente Herman Van Rompuy [http://www.european-council.europa.eu/the-president.aspx], e composto pelos Chefes de Estado ou de Governo e pelo Presidente da Comissão, reúne-se durante 1 ou 2 dias, pelo menos, de 6 em 6meses;• Conselho da União Europeia [http://www.consilium.europa.eu] – representa os governos nacionais e cuja presidência é assumida rotativamente pelos Estados-Membros [http://www.cy2012.eu/];• Comissão Europeia [http://ec.europa.eu] – vela pela defesa dos interesses da UE no seu todo. © Carlos Medeiros, 2012
  • 19. Instituições e órgãos da UE © Carlos Medeiros, 2012
  • 20. Instituições e órgãos da UE• Tribunal de Justiça [http://curia.europa.eu] – assegura o cumprimento da legislação europeia;• Tribunal de Contas [http://eca.europa.eu] – fiscaliza o financiamento das atividades da UE;• Comité Económico e Social Europeu [http://www.eesc.europa.eu] – representa a sociedade civil, os empregadores e os trabalhadores;• Comité das Regiões [http://www.cor.europa.eu/] – representa as entidades regionais e locais;• Banco Europeu de Investimento [http://www.eib.europa.eu] – financia projetos de investimento da UE e ajuda PME através do Fundo Europeu de Investimento [http://www.eif.org/];• Banco Central Europeu [http://www.ecb.int] – responsável pela política monetária europeia;• Serviço Europeu para a Ação Externa [http://eeas.europa.eu/] – dá apoio ao Alto Representante da União Europeia para a Política Externa e de Segurança Comum, atualmente Catherine Ashton [http://eeas.europa.eu/ashton/index_en.htm], que preside o Conselho dos Negócios Estrangeiros e dirige a política externa e de segurança comum, garantindo a sua coerência e coordenação com a ação externa da UE. © Carlos Medeiros, 2012
  • 21. Agências europeias• Agências e órgãos de regulamentação – agências especializadas e descentralizadas criadas para apoiar os EM e os cidadãos. São a resposta à necessidade de fazer face a novas tarefas de carácter jurídico, técnico e/ou científico:  Agências estratégicas [http://europa.eu/agencies/regulatory_agencies_bodies/policy_agencies/index_pt.htm]  Agências de Política Externa e de Segurança Comum [http://europa.eu/agencies/regulatory_agencies_bodies/security_agencies/index_pt.htm]  Agências de cooperação policial e judiciária em matéria penal [http://europa.eu/agencies/regulatory_agencies_bodies/pol_agencies/index_pt.htm]• Agências e organismos da EURATOM – Órgãos criados para apoiar os objetivos do Tratado EURATOM que procura coordenar os programas de investigação dos EM com vista à utilização pacífica da energia nuclear, contribuir para a partilha do conhecimento, das infraestruturas e do financiamento da energia nuclear e para garantir o aprovisionamento energético em condições de segurança. [http://europa.eu/agencies/euratom_agencies/index_pt.htm]• Agências de execução – Agências criadas nos termos do Regulamento (CE) nº 58/2003 para efeitos da atribuição de determinadas tarefas relacionadas com a gestão de um ou mais programas comunitários. Estas agências, criadas por um determinado período de tempo, devem estar localizadas na sede da Comissão Europeia (Bruxelas ou Luxemburgo). [http://europa.eu/agencies/executive_agencies/index_pt.htm] © Carlos Medeiros, 2012
  • 22. Órgãos interinstitucionais• Equipa de resposta a emergências informáticas (CERT) – Compete ao CERT ajudar a gerir as ameaças aos sistemas informáticos das instituições da UE, apoiando as equipas de segurança informática de cada instituição da UE e assegurando a ligação com os seus homólogos do sector público nos países da UE. [http://cert.europa.eu/]• Escola Europeia de Administração (EEA) – A EEA foi criada a 10 fevereiro 2005 para fornecer formação profissional em áreas específicas aos funcionários comunitários. Os cursos estão abertos aos funcionários de todas as instituições da UE, contribuindo assim para a divulgação de valores comuns, a promoção de uma melhor compreensão entre funcionários das instituições e a realização de economias de escala. [http://europa.eu/eas/index_en.htm] © Carlos Medeiros, 2012
  • 23. Órgãos interinstitucionais• Serviço das Publicações da União Europeia (Serviço das Publicações) [http://publications.europa.eu/index_pt.htm] – Este serviço é a editora das instituições da UE, sendo responsável pela publicação e distribuição, em papel ou em suporte digital, de todas as publicações oficiais da UE:  legislação [http://eur-lex.europa.eu/];  publicações [http://bookshop.europa.eu/pt/home/];  contratos públicos [http://ted.europa.eu/];  actividades de investigação e desenvolvimento [http://cordis.europa.eu/].• Serviço Europeu de Selecção do Pessoal das Comunidades Europeias (EPSO) – O EPSO iniciou as suas actividades em janeiro de 2003. Tem por missão preparar os concursos e exames destinados a seleccionar e a contratar pessoal para todas as instituições da UE, o que é mais eficaz do que a organização de concursos de recrutamento por cada instituição. [http://europa.eu/epso/index_pt.htm ] © Carlos Medeiros, 2012
  • 24. Fontes de informação europeiaem linha Sítios Internet relevantes: Portal EUROPA Instituições Europeias Agências europeias Órgãos interinstitucionais Publicações e Documentos Redes Sociais e Media Sociais © Carlos Medeiros, 2012
  • 25. Publicações e Documentos © Carlos Medeiros, 2012
  • 26. Publicações e Documentos © Carlos Medeiros, 2012
  • 27. Redes Sociais e Media Sociais © Carlos Medeiros, 2012
  • 28. Redes Sociais e Media Sociais © Carlos Medeiros, 2012
  • 29. Redes Sociais e Media Sociais © Carlos Medeiros, 2012
  • 30. Redes Sociais e Media Sociais © Carlos Medeiros, 2012
  • 31. Redes Sociais e Media Sociais The White House - 1.534.994 Likes!Facebook Pages Likes (4/12/2012)European Commisson 71.895Representação da Comissão Europeia 6.324em PortugalEuropean Parliament 561.884Parlamento Europeu – Gabinete em 2.170PortugalCouncil of the European Union 14.107Centro de Informação Europeia 8.988Jacques Delors © Carlos Medeiros, 2012
  • 32. Redes Sociais e Media Sociais © Carlos Medeiros, 2012
  • 33. Redes Sociais e Media Sociais• Top posts per week in views:  January – Croatia joins the EU  March – Fiscal Compact Treaty  May - In what kind of European Union would you like to live in 2020? Public consultation on EU citizenship• Top posts that engaged viewers (viewers clicked and/or shared the post)  January – Croatia joins the EU  February – ‘So similar so different’ Enlargement video  March – EU careers registration announced  April – Last day to register: EPSO competition announced © Carlos Medeiros, 2012
  • 34. Redes Sociais e Media Sociais © Carlos Medeiros, 2012
  • 35. Redes Sociais e Media Sociais © Carlos Medeiros, 2012
  • 36. XIII Seminário de Estudos Europeus 36
  • 37. Que futuro para a informação e documentação europeia?• Organismos de Informação Europeia  Publicações em formato papel  Atendimento / Serviço de referência• Correio  Publicações em formato papel• Internet (web 1.0)  Publicações em suporte digital• Internet (web 2.0)  Publicações em suporte digital e possibilidade de interação• Internet (web 3.0)  Web semântica © Carlos Medeiros, 2012
  • 38. Obrigado pela vossa atenção.