Open Source em Portugal: Casos e estudo

515 views
407 views

Published on

Resposta a um conjunto de afirmações provocatórios, através do recursos a trabalho realizado por ex-estudantes do mestrado de Software de Código Aberto.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
515
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Open Source em Portugal: Casos e estudo

  1. 1. 1Open Source em Portugal: Casos e estudoCarlos J. Costa
  2. 2. 2Carlos J. Costa- Doutorado CTI (SI e Bases de Dados), ISCTE- Docente no ISCTE desde 1993- Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação, Escola de Tecnologias e Arquitectura- Director do Mestrado em Software de Código Aberto (http://moss.dcti.iscte.pt)- Investigador Adetti- Membro Direcção Audax- Chair do EuroSIGDOC – capítulo europeu do ACM/SIGDOC (http://eurosigdoc.acm.org).Anteriormente:- Director da licenciatura em Informática e Gestão de Empresas (IGE)- Consultor TI/SIApresentação
  3. 3. 3“Open Source e Software Livre sãoPirataria”
  4. 4. 4“Open Source e Software Livre sãoPirataria”●Protecção dos direitos de autor.●Autor poderá pretender que a sua criação(livros, quadros ou software) seja protegida deforma tradicional – Direitos de Autor/ Copyrights●Copyleft●FLOSS - Free,Libre, and OpenSource Software●Open Source●Software Livre (Free Software)
  5. 5. 5“Open Source e Software Livre sãoPirataria”A program is free software if the programs users have the fouressential freedoms:– The freedom to run the program, for any purpose (freedom0).– The freedom to study how the program works, and changeit so it does your computing as you wish (freedom 1).Access to the source code is a precondition for this.– The freedom to redistribute copies so you can help yourneighbor (freedom 2).– The freedom to distribute copies of your modified versionsto others (freedom 3). By doing this you can give the wholecommunity a chance to benefit from your changes. Accessto the source code is a precondition for this.http://www.gnu.org
  6. 6. 6“Open Source e Software Livre sãoPirataria”
  7. 7. 7“Ninguém ganha nada com o OpenSource”
  8. 8. 8“Ninguém ganha nada com o OpenSource”●Já que é open source, não se paga nada, nãose ganha nada●Open source – Licenças de software●As empresas de consultoria hoje em diaganham dinheiro fundamentalmente comserviços. Ou com licenças?●Existem vários modelos de negócio para opensource
  9. 9. 9“Ninguém ganha nada com o OpenSource”●Trabalhos publicados demonstram que opensource poderá ter impacto positivo ao nível de– Balança com exterior– Défice orçamental– Crescimento económicoManuela Aparicio and Carlos J. Costa. 2012. Macroeconomicsleverage trough open source. In Proceedings of the Workshopon Open Source and Design of Communication (OSDOC 12).ACM, New York, NY, USA, 19-24.
  10. 10. 10“Ninguém ganha nada com o OpenSource”
  11. 11. 11Open source não se pode utilizar noEstado
  12. 12. 12“Open source não se pode utilizarno Estado”●Não só pode como é utilizado quer peloEstado a nível central quer ao nível deautarquias●Também pode ser utilizado no contexto dainformática forense●Rui Godinho, Luís Arriaga da Cunha, and Carlos J. Costa. 2010. OSS in thePortuguese public administration. In Proceedings of the Workshop on Open Sourceand Design of Communication (OSDOC ’10). ACM, New York, NY, USA, 69-70.●Carlos J. Costa, Manuela Aparicio, and Joao Paulo Figueiredo, “Health Portal: AnAlternative Using Open Source Technology,” International Journal of Web Portals,vol. 4, no. 4, pp. 1–18, 34 2012.●Manuel Delgado, Manuela Aparicio, and Carlos Costa. 2012. Using open source forforensic purposes. In Proceedings of the Workshop on Open Source and Design ofCommunication(OSDOC ’12). ACM, New York, NY, USA, 31-37.
  13. 13. 13“No Open Source é tudo boa gente”
  14. 14. 14“No Open Source é tudo boa gente”●Tenho ideias. Mas não respondo....
  15. 15. 15“Open source traduz-sebasicamente em páginas Web”
  16. 16. 16“Open source traduz-sebasicamente em páginas Web”João Paulo Ribeiro Alves. 2011. Programming and evolution of robot behaviours. In Proceedingsof the 2011 Workshop on Open Source and Design of Communication (OSDOC ’11). ACM,New York, NY, USA, 85-86Pedro Dias and Sancho Oliveira, 2011, “Meet and greet programming using graphical languagesand tangible interfaces,” in 2011 6th Iberian Conference on Information Systems andTechnologies (CISTI),15 e 18 de Junho de 2011, em Chaves, Portugal., pp. 1-4.Hélio Silva, Anders Lyhne Christensen, and Sancho Oliveira. 2011. Performance study ofConillon: a platform for distributed computing. In Proceedings of the 2011 Workshop on OpenSource and Design of Communication (OSDOC ’11). ACM, New York, NY, USA, 13-18Bruno Gil and Paulo Trezentos. 2011. Impacts of data interchange formats on energyconsumption and performance in smartphones. In Proceedings of the 2011 Workshop onOpen Source and Design of Communication (OSDOC ’11). ACM, New York, NY, USA, 1-6
  17. 17. 17“Open Source? Não. Isso não épara empresas.”
  18. 18. 18“Open Source? Não. Isso não épara empresas.”●Soluções Cloud●Sistemas Organizacionais (ERP)●Big Data, Data Mining, Business Intelligence●R, Weka,...●Miguel Reixa, Carlos Costa, and Manuela Aparicio. 2012. Cloud services evaluationframework. In Proceedings of the Workshop on Open Source and Design of Communication(OSDOC ’12). ACM, New York, NY, USA, 61-69.●Dinis Monteiro & Bráulio Alturas, 2012,A Adoção do e-recruitment: O caso Português;CISTI2012 – 7ª Conferência Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação●Carlos J. Costa, Manuela Aparicio and Fernando Bento, 2011, Modelo de Aceitação detecnologia no OSS. Conferência IADIS Ibero-Americana WWW/Internet 2011, 5 a 7Novembro 2011, Rio de Janeiro, Brasil
  19. 19. 19“Existe uma comunidade OpenSource: ou se está dentro ou fora”"If youre not withme, then youremy enemy."
  20. 20. 20“Existe uma comunidade OpenSource: ou se está dentro ou fora”●Não existe uma comunidade, mas váriascomunidades
  21. 21. 21“Existe uma comunidade OpenSource: ou se está dentro ou fora”●Existem vários níveis de participação●As comunidades podem desempenhar váriospapeis●As empresas podem aproveitar de formasdiferenciados as contribuições dascomunidades●André Correia (2012) A Participação nas Comunidadescomo Factor Crítico de Sucesso Empresarial: Empresasde Software Open Source Portuguesas; Dissertação deMestrado ISCTE-IUL
  22. 22. 22http://www.iscte.ptSite curso:http://moss.dcti.iscte.pthttp://masteropensource.wordpress.com

×