Apresentação patos.2

470 views
344 views

Published on

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO NA CIDADE DE PATOS

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
470
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação patos.2

  1. 1. CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PATOS/PB Agosto 2011
  2. 2. OBJETIVOS <ul><li>Apresentar o Decreto 046/2011 </li></ul><ul><li>Avaliar as suas repercussões </li></ul><ul><li>Demarcar a parceria entre Prefeitura de Patos e MTE (TCC) </li></ul>
  3. 3. Indústria da Construção <ul><li>Lugar de destaque no cenário sócio-econômico do país </li></ul><ul><li>Indústria em crescimento (4% ao ano – FGV) </li></ul><ul><li>120 mil empresas </li></ul><ul><li>2,6 milhões de trabalhadores formais </li></ul><ul><li>61% de informalidade da mão-de-obra </li></ul>
  4. 4. Indústria em crescimento <ul><li>Ampliação de linhas de financiamento habitacional, como o Programa Minha Casa, Minha Vida (redução de juros e ampliação dos prazos de pagamento); </li></ul><ul><li>Manutenção e ampliação do programa de recuperação da infraestrutura, conhecido como PAC - Programa de Aceleração do Crescimento ; </li></ul><ul><li>Os investimentos para realização da Copa do Mundo de Futebol em 2014 (12 capitais) de diferentes regiões brasileiras, e as Olimpíadas de 2016 que acontecerão no Rio de Janeiro. </li></ul>
  5. 5. Indústria da Construção Características da Atividade <ul><ul><li>Heterogeneidade do produto final </li></ul></ul><ul><ul><li>Temporariedade do estabelecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>Prazos de execução </li></ul></ul><ul><ul><li>Rotatividade de mão de obra </li></ul></ul><ul><ul><li>Várias empresas no mesmo estabelecimento ( várias gerências ) </li></ul></ul><ul><ul><li>Instalações e postos de trabalho provisórios </li></ul></ul><ul><ul><li>Condições de trabalho variáveis </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível de industrialização </li></ul></ul><ul><ul><li>Baixo nível de organização do trabalho e produtividade , com alto índice de desperdício de materiais e horas trabalhadas </li></ul></ul><ul><ul><li>Acidentes de trabalho </li></ul></ul><ul><ul><li>Doenças relacionadas ao trabalho </li></ul></ul>
  6. 6. Atividades da Construção <ul><li>Construção de Edifícios e Obras de Engenharia Civil </li></ul><ul><ul><li>edificações (residenciais, industriais, comerciais e de serviços) - inclusive ampliação e reformas completas </li></ul></ul><ul><ul><li>obras viárias - inclusive manutenção </li></ul></ul><ul><ul><li>grandes estruturas e obras de arte </li></ul></ul><ul><ul><li>obras de urbanização e paisagismo </li></ul></ul><ul><ul><li>montagens industriais </li></ul></ul><ul><ul><li>obras de outros tipos </li></ul></ul>
  7. 7. Dados Acidentários <ul><li>Indústria da Construção </li></ul><ul><li>Mundo </li></ul><ul><li>17% de todos os acidentes fatais ocorridos no local de trabalho </li></ul><ul><li>60 mil mortes/ano (1 morte a cada 10 min) </li></ul><ul><li>Trabalhadores têm risco 3 x maior de morrer </li></ul><ul><li>por AT do que os trabalhadores do conjunto de setores econômicos </li></ul><ul><li>Brasil: 4ºlugar em nº de AT fatais </li></ul>
  8. 8. Dados Acidentários <ul><li>Indústria da Construção </li></ul><ul><li>Brasil </li></ul><ul><li>3º lugar em número de AT </li></ul><ul><li>1º lugar em número de óbitos </li></ul><ul><li>30% dos AT fatais analisados pelo MTE </li></ul>
  9. 9. Ação em Patos <ul><li>1ª Etapa </li></ul><ul><li>Início: novembro/2009 (MTE/MPT) </li></ul><ul><li>26 obras </li></ul><ul><li>34 empresas </li></ul><ul><li>30 embargos </li></ul><ul><li>18 visitas </li></ul><ul><li>Conclusão: junho/2011 </li></ul>
  10. 10. Ação em Patos <ul><li>Premissas do processo inspecional </li></ul><ul><li>1. Segurança do Trabalho como Engenharia </li></ul><ul><ul><ul><li>Planejamento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Projeto </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Especificação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Procedimento </li></ul></ul></ul>
  11. 11. Ação em Patos <ul><li>Premissas do processo inspecional </li></ul><ul><li>Projetos do EMPREENDIMENTO  </li></ul><ul><ul><li>Arquitetônico </li></ul></ul><ul><ul><li>Fundações </li></ul></ul><ul><ul><li>Estrutural </li></ul></ul><ul><ul><li>Sistemas prediais </li></ul></ul>
  12. 12. Ação em Patos <ul><li>Premissas do processo inspecional </li></ul><ul><li>Projetos de SEGURANÇA DO TRABALHO  </li></ul><ul><ul><li>Proteções Coletivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Instalações Elétricas </li></ul></ul><ul><ul><li>Andaimes </li></ul></ul>
  13. 13. Ação em Patos <ul><li>Premissas do processo inspecional </li></ul><ul><li>2. Causa dos AT  ? </li></ul><ul><li>Quedas Choque Elétrico Soterramento </li></ul><ul><li> Sintomas </li></ul><ul><li>IMPROVISAÇÃO </li></ul>
  14. 14. Ação em Patos <ul><li>Premissas do processo inspecional </li></ul><ul><li>3. Responsabilidades com o capital humano </li></ul><ul><li>Treinamento </li></ul><ul><li> riscos presentes X medidas preventivas </li></ul><ul><li>Saúde </li></ul><ul><li> aferição da aptidão ocupacional </li></ul>
  15. 15. Ação em Patos <ul><li>A não conformidade legal/técnica com esses pressupostos (isolada ou conjuntamente) constituiu a base dos embargos efetivados. </li></ul><ul><li>Por quê? </li></ul><ul><li> Situações de Grave e Iminente Risco </li></ul>
  16. 16. Ação em Patos <ul><li>Quem perde com a insegurança ocupacional? </li></ul><ul><li>TRABALHADORES </li></ul><ul><ul><li>Exercem suas atividades desguarnecidos das indispensáveis medidas protetivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Têm seu desempenho comprometido </li></ul></ul><ul><ul><li>Têm seu direito à segurança, a sua dignidade e a sua cidadania afrontados </li></ul></ul>
  17. 17. Ação em Patos <ul><li>Quem perde com a insegurança ocupacional? </li></ul><ul><li>EMPREGADORES </li></ul><ul><li>Os fatores que causam acidentes são os mesmos que acarretam </li></ul><ul><ul><ul><li>Desperdícios </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Retrabalhos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quebra de cronograma </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Baixa produtividade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Comprometimento da qualidade </li></ul></ul></ul>
  18. 18. Ação em Patos <ul><li>Quem perde com a insegurança ocupacional? </li></ul><ul><li>EMPREGADORES </li></ul><ul><li>Os fatores que causam acidentes são os mesmos que podem </li></ul><ul><ul><ul><li>Potencializar os riscos de demandas nas esferas trabalhista, previdenciária, cível e penal </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Afetar a imagem e o crescimento corporativo , colocando em risco a própria sobrevivência do negócio </li></ul></ul></ul>
  19. 19. Ação em Patos <ul><li>Quem perde com a insegurança ocupacional? </li></ul><ul><li>SOCIEDADE </li></ul><ul><li>o que fazer para mudar? </li></ul><ul><ul><li>Informando </li></ul></ul><ul><ul><li>Agindo </li></ul></ul><ul><li>combatendo o risco na sua gênese  </li></ul><ul><li>TCC + DECRETO </li></ul>
  20. 20. NR 18 <ul><li>Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção </li></ul><ul><li>Portaria nº 04, de 04/07/95. </li></ul>
  21. 21. Vãos de acesso às caixas de elevadores Proteções PROJETADAS
  22. 22. Plataformas de proteção Plataforma primária Plataforma secundária
  23. 23. Sistema de guarda-corpo e rodapé
  24. 24. DR -DISPOSITIVO DIFERENCIAL RESIDUAL
  25. 25. Instalação provisória/definitiva

×