• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Oriente Médio
 

Oriente Médio

on

  • 2,255 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,255
Views on SlideShare
1,001
Embed Views
1,254

Actions

Likes
0
Downloads
38
Comments
0

8 Embeds 1,254

http://hisrel.blogspot.com.br 1185
http://www.hisrel.blogspot.com.br 60
http://hisrel.blogspot.com 4
http://hisrel.blogspot.pt 1
http://hisrel.blogspot.ro 1
http://hisrel.blogspot.mx 1
https://www.google.com.br 1
http://hisrel.blogspot.in 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Oriente Médio Oriente Médio Presentation Transcript

    • ORIENTE MÉDIO PROF. CARLOS BIDU
    • O ORIENTE MÉDIO NO MUNDO
    • ORIENTE MÉDIO • Palco dos principais conflitos da atualidade. Motivos: território e religião. • Berço das grandes civilizações e religiões judaica, cristã e muçulmana (predomínio atual do islamismo). • 90% da sua área é dominada pelos climas árido e semi-árido = escassez de água. • Contém as maiores reservas de petróleo do mundo.
    • Principais conflitos no Oriente Médio: • Conflito árabe- israelense • Guerras envolvendo o Iraque • Guerras no Afeganistão • Conflitos no Líbano. • Tensão no Irã (persas x árabes)
    • • CRONOLOGIA: • 70 d.C. Diáspora. Os hebreus foram expulsos da palestina pelos romanos e dispersos pelas várias províncias do Império Romano. • 1876 – Movimento sionista defende a criação de um lar nacional judeu na antiga região da Palestina. • 1917 – Declaração Balfour. Inglaterra demonstra apoio para a criação de um Estado judeu. • 1919 _ Com o fim da Primeira Guerra Mundial o Oriente Médio foi dividido entre Inglaterra e França. A Inglaterra passa a controlar a Palestina. • 1933 _ Os nazistas conquistam o poder na Alemanha. Começam as perseguições aos judeus. Leis de Nuremberg, noite de Cristal, campos de concentração • 1939-45 _ Segunda Guerra Mundial e holocausto de 6 milhões de judeus • 1948 _ Plano de partilha da ONU previa a criação de dois Estados na Palestina, um judeu e outro árabe. • 1948 _ Bem Gurion e a criação do Estado de Israel
    • Conceitos Importantes • Judeu: é aquele que, em termos religiosos, culturais e genealógicos se considera judeu. • Hebreu: refere-se ao povo de Abraão. • Israelense: cidadão do Estado de Israel, sem distinção étnica ou religiosa. • Israelita: adepto da religião judaica. • Fundamentalismo Islâmico: movimento religioso ortodoxo que busca no islã orientações para a vida prática e as atividades políticas. • Fatwa: em árabe, significa sentença de morte proferida contra um inimigo do islamismo. • Sharia: conjunto de leis islâmicas.
    • 3 - O SIONISMO: • Movimento nacionalista judaico. • Theodor Herzl (1897) • Criação do Estado para os judeus. • Situação dos judeus: – Dispersos desde a tomada da Palestina pelos romanos em 70 d.C. – Sem direitos civis plenos – Sujeitos a constantes perseguições. • Sionistas de esquerda compram terras na Palestina e instalam primeiros Kibutzim (comunidades agrícolas onde a propriedade da terra é coletiva).
    • ISRAEL: UM ENCLAVE NO ORIENTE MÉDIO
    • Israel para os judeus • 1947 – ONU dividiu a Palestina Palestina para os árabes Jerusalém (área internacional)
    • - Vizinhos árabes não aceitaram um país judeu entre eles = primeira guerra árabe-israelense! - 1967: guerra dos 6 dias – Israel vence e toma toda a Palestina, além de parte do Egito e da Síria.
    • • Com a criação do Estado de Israel aproximadamente 900mil palestinos que viviam na região foram expulsos. • A localização estratégica do Oriente Médio, eixo de ligação entre a Europa, a África e a Ásia atrai o interesse das grandes potências. • O fato de ser uma região rica em petróleo também desperta o interesse das potências.
    • Diferenças que vão além da religião Israel • Religião judaica • País rico • Alto padrão de vida • Tecnologia avançada • País de cultura ocidental • Apoio dos EUA • Vitorioso nas guerras Países árabes • Religião islâmica • Países pobres • Baixo padrão de vida. • Tecnologia atrasada • Rejeição a cultura ocidental • Sem o apoio dos EUA • Derrotados nas guerras
    • ISRAEL E OS MOVIMENTOS RADICAIS A. O HEZBOLLAH (Partido de Deus): O Hezbollah, Hizbollah, Hizbolá ou Hizbullah (conforme a transliteração do árabe ) o que significa "Partido de Deus“, é uma organização política e militar dos muçulmanos xiitas do Líbano, criada em 1982 no contexto da invasão de Israel ao sul do Líbano. Considerado como uma organização terrorista pelos Estados Unidos da América e por Israel, esta classificação não é contudo partilhada pela União Europeia. Para muitos habitantes do Líbano (incluindo cristãos) e do mundo islâmico, o Hezbollah é uma organização política armada de resistência a existência do Estado judeu.
    • B. O HAMAS (FAIXA DE GAZA): O Hamas (acrônimo de Harakat al-Muqawamah al- Islamiyyah) é um movimento político Palestino, cuja sigla designa o Movimento de Resistência Islâmica, ou seja, luta contra a existência do Estado de Israel (Estado esse criado, pela ONU, após a Segunda Guerra Mundial para abrigar os judeus). Criado, em 1987 na cidade de Gaza, a qual situa-se na Faixa de Gaza, preconiza a luta contra Israel, por todos os meios, visando a libertação da Palestina "... desde o Rio Jordão até o mar". O Hamas é responsável por várias ações armadas e terroristas contra Israel.
    • Hezbollah –Hamás Hezbolláh (libaneses financiados pela Síria) Hamás (palestinos financiados pelo Irã)
    • C. AL-FATAH (A CONQUISTA): O Movimento de Libertação Nacional da Palestina, conhecido como Al-Fatah ou Fatah (que significa conquista), é uma organização política e militar, fundada em 1959 pelo engenheiro e ativista político Yasser Arafat. Os membros desse grupo defendiam a luta armada e o uso do terrorismo para expulsar Israel dos territórios ocupados. Arafat ocupou o Conselho Revolucionário da OLP, atuando como seu braço armado.
    • • Principal líder da luta palestina para reivindicar suas terras de volta: Yasser Arafat, presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP). Arafat morreu em dezembro de 2004. • Em janeiro de 2005, Mahmoud Abbas foi eleito presidente da ANP. • A Faixa de Gaza e a Cisjordânia estão em processo de devolução aos palestinos. Yasser Arafat Mahmoud Abbas
    • Xiitas São partidários de Ali, marido de Fátima, filha de Maomé. São os líderes da comunidade e continuadores da missão espiritual de Maomé. Possuem sua própria interpretação da Sharia, que é o corpo da Lei religiosa que orienta os Sunitas e os Xiitas. O Islão não faz bem a distinção entre vida religiosa e secular, e portanto a Sharia cobre não só o rituais religiosos e a administração Os principais grupos muçulmanos Sunitas São os seguidores da tradição do profeta, continuada por All-Abbas, seu tio. Aproximadamente 85% dos muçulmanos do mundo fazem parte do grupo sunita. De acordo com os sunitas, a autoridade espiritual pertence a toda comunidade. Os muçulmanos estão divididos em dois grandes grupos: Saddam Hussein foi condenado à morte por enforcamento pelo Alto tribunal penal iraquiano, pela execução de 148 xiitas de Dujail. workforall.net
    • Um fator que gerou maior visibilidade aos países islâmicos está em sua imensa riqueza estratégica: são donos das mais generosas reservas de petróleo do mundo. Entre os cinco maiores produtores de óleo do Oriente Médio, o PIB conjunto quadruplicou nos últimos trinta anos, enquanto o PIB mundial apenas dobrou de tamanho. O crescimento do rebanho e a fartura do petróleo, no entanto, produziram um barril de pólvora. Reservas mundiais de petróleo Riqueza x problemas
    • Em geral, os regimes dos países islâmicos são ditaduras teocráticas e a riqueza não é distribuída, deixando a maior parte da população relegada à miséria. É dentro desse caldeirão paradoxal que ressurgiu a força da religião, em especial depois da Revolução Islâmica no Irã, em 1979. O Islã é multifacetado por várias nações, mas tem uma característica curiosa: não produziu um só país democrático e desenvolvido. O contraste entre a pobreza dos fiéis e a riqueza do Ocidente fomentou rancor. www.geocities.com A resposta às dificuldades materiais e à falta de liberdade, levantada nas mesquitas, é a de que a identidade religiosa supera todos os valores políticos. Bomba - relógio
    • CRONOLOGIA RECENTE: • 1996: – Partido Likud (direita conservadora de Israel) vence eleições para o parlamento. O primeiro ministro passa a ser Benjamin Netanyahu. – Talibãs afegãos implantam regime fundamentalista no Afeganistão. Mohamed Omar – líder talibã
    • • 1999: – Morre o Rei Houssein, da Jordânia. – Partido Trabalhista (esquerda de Israel) vence eleições para o parlamento. O primeiro ministro passa a ser Ehud Barak. • 2000: – General israelense Ariel Sharon (responsável pela campanha que provocou os massacres dos campos de refugiados palestinos de Sabra e Chatila no Líbano em 1982) visita a esplanada das mesquitas, em Jerusalém, Israel. – Início de uma segunda e violenta Intifada, em Israel. SHARON REI HUSSEIN
    • • 2001: – Atentados ao WTC e Pentágono, nos EUA, pelos quais são responsabilizados o regime Talibã do Afeganistão e o líder saudita supostamente lá refugiado Osama Bin Laden. – Operação “Liberdade Duradoura” como resposta aos atentados do WTC tem início no Afeganistão. Atentado ao WTC Bin Laden
    • – Cai o regime Talibã no Afeganistão. – Partido Likud vence eleições para o parlamento. O primeiro ministro passa a ser Ariel Sharon. • 2002: George Bush cita como representantes do “Eixo do Mal” os seguintes países: Iraque, Irã e Coréia do Norte. ONU aprova resolução de apoio a criação do Estado Palestino. Síria retira-se da região central do Líbano.
    • Terrorismo-O Eixo do Mal
    • – Israel começa a construção de muro para separar israelenses e palestinos na Cisjordânia. – Iniciam inspeções da ONU no Iraque para verificar a produção de armas químicas. • 2003: – EUA invade o Iraque com auxílio da Inglaterra sem a aprovação do Conselho de Segurança da ONU. • 2004: – Morre o líder palestino Yasser Arafat.
    • • 2005: – Síria retira-se do Líbano. – Israel desocupa colônias judaicas na Faixa de Gaza e inicia desocupação também na Cisjordânia.
    • 10/02/2004 - 09h46 Saiba mais sobre o "muro de proteção" da Cisjordânia (da Folha Online) Os israelenses começaram a construir, em junho de 2002, entre Israel e a Cisjordânia um "muro de proteção" destinado a impedir ataques palestinos. A construção do "muro de proteção" foi requisitada pela direita e esquerda israelenses, após a onda de atentados suicidas que atingiu Israel desde o início da segunda Intifada (revolta palestina contra a ocupação israelense) no final de setembro de 2000. Com extensão prevista de 350 km, o "muro de proteção" deve cobrir do norte ao sul a "linha verde" e englobar também o setor oriental de Jerusalém, anexado por Israel desde 1967, e onde os palestinos pretendem construir um dia a capital do seu Estado. O complexo defensivo deve ser alto em alguns pontos e ainda terá dispositivos eletrônicos capazes de detectar infiltrações, fossas antitanques e pontos de observação e patrulha. Em certos lugares, como na região da cidade palestina de Qalqiliya, o "muro de proteção" chegaria à altura de oito metros. Em alguns pontos, a construção tem 45 metros de largura, que em outros pontos pode chegar a 75 ou 100 metros. Prevê-se que a construção vá custar US$ 1 bilhão. Até agora, acredita-se que a obra defensiva já custou cerca de US$ 2 milhões ao Estado de Israel.
    • http://www.youtube.com/watch?v=iPIFHUg_ER4&feature=related
    • OS PRINCIPAIS CONFLITOS ÁRABES E ISRAELENSES AO LONGO DO SÉCULO Guerra de Suez ( 1956) – Israel, com o apoio da França e Reino Unido, que utilizavam o canal para ter acesso ao comércio oriental, declarou guerra ao Egito, que tinha nacionalizado o canal de Suez. No desenrolar do conflito, os egípcios foram derrotados, mas os Estados Unidos da América e a União Soviética interferiram, e em 1959 obrigaram os três países a retirarem-se dos territórios ocupados. Guerra dos Seis Dias (1967) – Conflito entre palestinos e israelenses, no qual os israelenses saíram vitoriosos ocupando territórios da Síria, Egito e Jordânia. Guerra do Yom Kippur / Ramadã (1973) – os egípcios assinaram, sem concordância da Síria e Jordânia, o Acordo de Camp David com Israel, pelo qual receberam de volta a península do Sinai. A primeira Intifada (1980) – “Revolta das Pedras” Crianças e jovens palestinos atacavam os tanques Israelenses com pedras.