Os Muçulmanos Na Península Ibérica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Os Muçulmanos Na Península Ibérica

on

  • 5,434 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,434
Views on SlideShare
5,425
Embed Views
9

Actions

Likes
1
Downloads
122
Comments
0

1 Embed 9

http://carlosproenca.blogspot.com 9

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Os Muçulmanos Na Península Ibérica Document Transcript

  • 1. Escola E.B. 2,3/S Ribeiro Sanches - Penamacor História e Geografia de Portugal Os Muçulmanos na Península Ibérica Arábia Península da Ásia fornada por grandes desertos. Árabes Até ao século VII, viviam em tribos, junto dos Oásis, dedicavam-se à pastorícia e ao comércio. Maomet Natural de Meca, no ano 612, anunciou-se como profeta e começou a pregar uma nova religião: os Islamismo. Muçulmanos Seguidores do Islamismo, acreditavam num único Deus - Alá- e o seu livro sagrado é o Corão. Causas que levaram os Muçulmanos à conquista de outros territórios: Expandir o Islamismo; Obter terras férteis e riquezas minerais. Na sua conquista, os Muçulmanos começaram por dominar todos os territórios perto da Arábia, depois grandes áreas da Ásia e norte de África e no ano 711 atravessaram o Estreito de Gibraltar e iniciaram a conquista da Península Ibérica. O território muçulmano na Península Ibérica ficou conhecido por Al-Andaluz. Professor Carlos Proença
  • 2. Escola E.B. 2,3/S Ribeiro Sanches - Penamacor História e Geografia de Portugal O período da Reconquista Os Cristãos, refugiados nas Astúrias, no Norte da Península, organizaram a resistência aos Muçulmanos. Chefiados por Pelágio, têm a sua primeira grande vitória na Batalha de Covadonga, em 722. Forma-se o primeiro reino cristão, o Reino das Astúrias. Estava iniciada a Reconquista Cristã, isto é, a recuperação de territórios em poder dos Muçulmanos. Outros reinos se vão formando à medida que a Reconquista avança: Leão, Castela, Navarra, Aragão... A Reconquista foi lenta, feita de avanços e recuos e durou cerca de oito séculos... Mas nem sempre cristãos e muçulmanos estavam em guerra. Houve também períodos de paz onde a convivência entre os dois povos era maior, permitindo a tolerância e o respeito por tradições, costumes, e até pela religião de cada um. Professor Carlos Proença
  • 3. Escola E.B. 2,3/S Ribeiro Sanches - Penamacor História e Geografia de Portugal Herança Muçulmana Os Muçulmanos permaneceram na Península Ibérica cerca de oito séculos, tendo influenciado os povos peninsulares: Muitos peninsulares converteram-se ao Islamismo, passaram a falar a sua língua e aceitaram os seus costumes; Construíram mesquitas e palácios decorados com azulejos; As casas tinham terraços, chaminés rendilhadas e eram caiadas de branco; Desenvolveram indústrias artesanais (tapetes, pólvora, cerâmica, etc.) e a agricultura (trouxeram processos de rega, como a nora, a picota, a azenha e o açude e introduziram novas plantas: a laranjeira, o limoeiro, a amendoeira, a figueira, a oliveira, etc); Trouxeram novos conhecimentos científicos na astronomia, na matemática, na medicina, na geografia, etc.; A língua portuguesa foi enriquecida com várias centenas de palavras de origem árabe. Professor Carlos Proença
  • 4. Escola E.B. 2,3/S Ribeiro Sanches - Penamacor História e Geografia de Portugal Palavras de origem Árabe Açafrão (azzafaran, amarelo) Achaque (ashshaka, enfermidade) Açoite (assaut) Açougue (assok) Açude (assudd) Açúcar (assukar deriva do Sanscrito çarkara, grãos de areia) Alcachofra (Alkharshof, fruto do cardo manso) Alcalóide (palavra composta: Árab. alcali + Grego eîdos, forma) Alcateia (alkataia, rebanho) Álcool (alkohul, coisa subtil) Alcorão (Alkuran, a leitura) Alcova (al-qabu, quarto lateral) Alecrim (aliklil) Alface: al-khaç Alfaiate: al-khayyât Alfândega: alfunduq Alfazema:al-khuzâma Algarismo Álgebra Algodão (alkutun) Alicate (allikkát, tenaz) Almanaque (almanakh) Almofada (almukhadda de khadd, face) Almoxarife Azeite Azeitona Azulejo Café Cáfila Califa Califado Professor Carlos Proença
  • 5. Escola E.B. 2,3/S Ribeiro Sanches - Penamacor História e Geografia de Portugal Ceifa Ceroulas Chafariz Cherne Chifra Cifra Damasco Garrafa (garrafâ, frasco bojudo) Javali (jabali) Laranja (naranj deriva do Persa naräng) Laranjeira (naranj deriva do Persa naräng) Limão (laimun deriva do Persa limun) Limoeiro (laimun deriva do Persa limun) Masmorra (matmura, celeiro subterrâneo) Matraca (mitraka) Nora (na'ûra) Oxalá (in sha allah ou inshallah, se Deus quiser) Safra (safaria, estação da colheita) Tambor (tanbur deriva do Persa dänbära, cítara) Xadrez (xatranj deriva do Sânscrito xaturanga, que consta de quatro membros) Xarope (sharab, bebida, poção) Xaveco (xabbak, pequeno navio de três mastros e velas latinas) Xeque Professor Carlos Proença