Your SlideShare is downloading. ×
Splash air kids
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Splash air kids

421

Published on

Pesquisa para criação e lançamento do produto SPLASH AIR KIDS. …

Pesquisa para criação e lançamento do produto SPLASH AIR KIDS.
INTELIGÊNCIA DE MERCADO
Profª Elizabeth Souza

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
421
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. INTELIGÊNCIA DE MERCADO Profª Elizabeth Souza Pesquisa para criação e lançamento do produto SPLASH AIR KIDS Maio/2011
  • 2. OBJETIVO DA PESQUISA
    • Levantar comportamento de consumo frente às opções e métodos de desobstrução nasal disponíveis no mercado.
    • Refinar conceito de uma nova ideia de produto com o apelo mais lúdico e favorável à utilização infantil.
    • Levantar aspectos positivos e possíveis restrições ou receios, bem como melhorias para orientar seu desenvolvimento.
  • 3. CONCEITO
    • Primeira pastilha efervescente que atua na desobstrução das vias respiratórias das crianças durante o banho, promovendo alívio rápido sem sofrimento.
  • 4. “ Se o seu filho chora e sofre utilizando o nebulizador, em razão do incômodo de ter de permanecer parado inalando vapor com cheiro desagradável e com sensação de falta de ar.”
  • 5. é um medicamento de venda livre, isento de prescrição médica (OTC), na forma de pastilha efervescente que desobstrui as vias respiratórias durante o banho, para crianças – de 0 a 12 anos – resfriadas, gripadas ou que sofram de alergia respiratória.
  • 6. Basta colocar uma pastilha na banheira para ocorrer uma evaporação precisa dos seus princípios ativos. Sua fórmula efervescente e suave permite total desobstrução das vias respiratórias por meio do vapor liberado durante o banho.
  • 7. Faz com que as crianças tenham um tratamento de desobstrução das vias respiratórias mais rápido, eficaz, sem sofrimento, e de forma divertida, diferente dos tratamentos convencionais de inalação.
  • 8. E mais: Splash Air Kids não agride o meio ambiente, pois não há dispersão de gás sob pressão, como ocorre ao utilizar o nebulizador. Não é necessário o consumo maior de água durante o banho. Sua embalagem será produzida em cartelas de alumínio ( blisters) , que protegem o produto da luz e da umidade. Serão inodoras, atóxicas e com barreira eficaz à contaminação. A embalagem também respeita a natureza, já que será desenvolvida com 100% de material reciclado.
  • 9. Desobstrução das vias respiratórias das crianças durante o banho. Alívio rápido sem sofrimento. Ao persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.
  • 10.
    •  
    • Qual a importância da aprovação dos pediatras para a aceitação do produto?
    • Os responsáveis pelas crianças levam em consideração o sofrimento delas diante dos métodos tradicionais?
    • A usabilidade do produto agrada os responsáveis pelas crianças, uma vez que as mesmas terão contato direto com água?
      • QUESTÕES DE MARKETING
  • 11.
    •  
    • Sustentabilidade: o produto pode ser enxergado por alguns como algo que força um consumo maior de água. Até que ponto essa visão pode ser neutralizada pelos fatores sustentáveis já existentes em nosso produto (a não dispersão de gás sob pressão, como ocorre ao utilizar o inalador, e sua embalagem, que será desenvolvida com 100% de material reciclado)?
    • O produto terá um preço premium (15% acima dos descongestionantes nasais comuns). Será que nossos possíveis consumidores estão dispostos a pagar por isso?
      • QUESTÕES DE MARKETING
  • 12.   “ É o fim da inalação e do sofrimento do meu filho” “ Meu filho vai ficar curado enquanto se diverte” “ Esse tratamento é muito mais prático e menos demorado” “ É muito mais fácil armazenar o produto em casa do que guardar o nebulizador” “ Posso levar o medicamento para qualquer lugar” “ Meu filho não precisa ficar parado enquanto usa o medicamento” HIPÓTESES POSITIVAS
  • 13. “ Tenho medo de usar medicamentos, mesmo via nasal, com o meu filho, a não ser que o pediatra recomende” “ Não vejo motivos para mudar métodos tradicionais, como a inalação, se os mesmos sempre deram certo” “ Não vejo problema em meu filho não gostar de inalação. Crianças não gostam de nenhum tratamento médico” "Com esse medicamento meu filho vai ficar mais tempo na água e isso significa mais trabalho” “ Meu filho, com esse novo tratamento, vai ficar mais tempo no banho, consumindo maior quantidade de água” “ Esse medicamento prevê mais tempo do meu filho no banho e ele pode piorar” HIPÓTESES NEGATIVAS
  • 14.
    • Dados do IBGE revelam que 47,3% dos casais brasileiros têm filhos. Desse total, 54,7% possuem filhos com menos de 16 anos. Ainda segundo a mesma pesquisa, cresce o número de mulheres que cuidam de seus filhos sem a companhia do cônjuge.
    • Além disso, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% dos brasileiros são adeptos à prática de automedicação, sendo que, deste total, a maioria envolve mulheres entre 16 e 45 anos.
    METODOLOGIA QUEM PESQUISAR
  • 15.
    • Concluímos assim que o principal grupo a ser pesquisado é:
    • Mulheres casadas, solteiras, viúvas ou divorciadas com filhos entre 0 e 12 anos.
    • (*) Descartamos homens solteiros, viúvos ou divorciados com filhos entre 0 e 12 anos por acreditarmos que estes representam um percentual mínimo do universo de consumidores.
    QUEM PESQUISAR METODOLOGIA
  • 16. Realizamos 15 entrevistas em profundidade com mães de crianças entre 0 e 12 anos com base no seguinte roteiro: PERGUNTAS INICIAIS (antes da apresentação do conceito) 1. Qual a idade do seu filho(a)? 2. Quando seu filho(a) está resfriado, qual é a sua reação? Leva ao pediatra ou o medica por conta própria e por quê? 3. Quando você tem que comprar algum medicamento para resfriado, quem você consulta: o pediatra, a sua mãe, parente ou amigas que também são mães e por quê? Pesquisa Qualitativa METODOLOGIA
  • 17. 4. Seu filho (a) já necessitou de um método para desobstruir as vias respiratórias? Qual foi o método utilizado? (se a resposta for não, passa para a pergunta 6) 5. O que mais gostou e o que menos gostou deste tipo de tratamento? Por quê? 6. Qual o motivo de você não utilizar nenhum método para desobstrução das vias respiratórias? Pesquisa Qualitativa METODOLOGIA
  • 18. CARTAZ DO CONCEITO
  • 19. Apresentação do cartaz do conceito - pedimos para a entrevistada ler e fizemos as próximas perguntas: 7. O que você achou da ideia deste novo produto? 8. O que você mais gostou? Por quê? 9. O que menos gostou? Por quê? 10. Sem considerar o preço, apenas a ideia, você consideraria a compra deste produto? Por quê? Explore cada aspecto. Pesquisa Qualitativa METODOLOGIA
  • 20. 11. Na sua opinião, o que deveria ser adicionado, retirado ou alterado na ideia deste produto para que ele ficasse mais interessante? 12. Quanto ao preço, quanto a mais a sra. estaria disposta a pagar por este produto em relação aos produtos tradicionais? 13. E se ele custasse 15 % a mais? Mesmo assim a sra. compraria? Pesquisa Qualitativa METODOLOGIA
  • 21. As mães com filhos até 3 anos têm sempre em mente a figura do pediatra. Porém, a grande maioria já conhece os medicamentos necessários e os utiliza, somente procurando orientação médica se os sintomas se agravarem. “ Em geral, consulto pediatra, porque é mais segura a opinião de um especialista.” Rachel Barichello, 29 anos, mãe de Clarissa, de 3 anos “ O pediatra, no passado, receitou um remédio que uso e sempre funciona!” Hila Oliveira, 42 anos, mãe de um menino de 9 anos “ Tenho medo de eu mesma medicar. Ainda acredito nos médicos.” Antonia Carneiro,  25 anos,  mãe de um menino de 3 anos RESULTADOS
  • 22. A maioria das mães revelou que o método que mais utilizam para desobstrução das vias respiratórias dos seus filhos é a nebulização, por meio do inalador. Sobre este método, grande parte das mães afirmou que é um tratamento incômodo para seus filhos e que eles não gostam e reclamam ao precisar utilizá-lo. “ Ele não deixa a máscara do nebulizador por muito tempo no rosto e reclama da demora.” Nina Cioffi, 31 anos, mãe de um menino de 3 anos e 6 meses RESULTADOS
  • 23. As mães, cujos filhos nunca necessitaram de métodos de desobstrução das vias respiratórias, mostraram pouco conhecimento sobre estes tratamentos. Muitas, quando questionadas sobre qual método seria mais eficaz, revelaram que não sabiam. RESULTADOS
  • 24. Ao serem perguntadas sobre a eficácia dos tratamentos utilizados em seus filhos, as mães responderam que a nebulização demora a fazer efeito. “ Uma vez meu filho estava muito congestionado e precisou ficar uns 20 minutos para a nebulização dar resultado.” Ana Carolina Gonçalves, 26 anos, mãe do David, de 1 ano e 4 meses RESULTADOS
  • 25. Após a apresentação do cartaz do conceito RESULTADOS
  • 26. A maioria das mães ficou satisfeita com a ideia e com a praticidade do produto, ou seja, de poderem utilizá-lo durante o banho. "Achei uma boa ideia, bastante inovadora. Fazer inalação durante o banho e sem sentir, parece ser uma solução prática e eficiente." Ana Paula Azevedo, 31 anos, mãe de uma menina de 5 anos “ Acho que o produto é de fácil utilização e prático. A ideia é excelente.” Rachel Barrichelo, 29 anos, mãe da Clarissa, de 3 anos RESULTADOS
  • 27. As mães com filhos de até 1 ano se mostraram bastante receosas na utilização do medicamento. “ Não usaria no meu filho. Ele é muito pequeno, frágil, vai se sufocar!" Zélia Billo, 39 anos, mãe do João Pedro, de 6 meses “ Sou mãe de primeira viagem e não conseguiria conciliar o banho dele com este tratamento. Talvez quando ele for maiorzinho, eu pense no assunto.” Maria Luiza, 26 anos, mãe do Thiago, de 2 meses RESULTADOS
  • 28. O que mais incomodou as mães foi o desconhecimento da marca, ou seja, sua falta de tradição no mercado, e a solução rápida e fácil (desconfiança de mãe).   “ A princípio não compraria. A ideia de algo novo assusta. É como se minha filha fosse virar cobaia de algo que não tenho 100% de confiança." Faygha Carriello, 29 anos, mãe da Maya, de 8 meses RESULTADOS
  • 29. A maioria das mães aceitaria pagar um valor mais alto por esse produto, se comparado aos outros tratamentos disponíveis no mercado. “ Pagaria sim 15% a mais. O importante para mim é o bem estar do meu filho.” Renata Roque, 29 anos, mãe de um menino de 1 ano e 10 meses RESULTADOS
  • 30. Uma das mães questionou o porquê de só poder utilizar o produto na banheira. "Não entendi o porquê de ter de usar só na banheira. Só tenho uma de plástico, mas as crianças crescem rápido, como o meu filho, que já mal cabe nessa!" Nina Cioffi, 31 anos, mãe de um menino de 3 anos e 6 meses RESULTADOS
  • 31.
    • O Splash Air Kids sofrerá a concorrência indireta de outras formas de tratamentos convencionais de inalação, sendo a principal delas o uso do nebulizador e, de forma secundária, a utilização do descongestionante nasal.
    • Por essa razão, o diferencial de nossa estratégia de lançamento será mostrar para as mães das crianças que o Splash Air Kids ameniza o sofrimento causado pelos tratamentos convencionais.
    CONCLUSÕES / RECOMENDAÇÕES
  • 32. CONCLUSÕES / RECOMENDAÇÕES
    • Identificamos que a prescrição do pediatra é importante na escolha do medicamento, logo, é fundamental que nosso produto seja aprovado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).
    • Constatamos que deveríamos alterar a faixa etária de utilização do nosso produto para a partir de 1 ano. As mães de crianças com idade inferior a essa apresentaram maior receio na utilização do Splash Air Kids .
  • 33.
    • Percebemos que não havia razão para restringir o uso de nosso produto. Após comprovarmos a mesma eficácia de sua utilização, ampliamos sua colocação na banheira ou no box.
    • Desta forma, atenderemos às expectativas e aos anseios das mães de crianças maiores.
    CONCLUSÕES / RECOMENDAÇÕES
  • 34. NOVO CONCEITO
    • Primeira pastilha efervescente que atua na desobstrução das vias respiratórias das crianças durante o banho, promovendo alívio rápido sem sofrimento.
  • 35. é um medicamento de venda livre, isento de prescrição médica (OTC), na forma de pastilha efervescente que desobstrui as vias respiratórias durante o banho, para crianças – de 1 a 12 anos – resfriadas, gripadas ou que sofram de alergia respiratória. Basta colocar uma pastilha na banheira ou no box para ocorrer uma evaporação precisa dos seus princípios ativos.
  • 36. Sua fórmula efervescente e suave permite total desobstrução das vias respiratórias por meio do vapor liberado durante o banho. Faz com que as crianças tenham um tratamento de desobstrução das vias respiratórias mais rápido, eficaz, sem sofrimento, e de forma divertida, diferente dos tratamentos convencionais de inalação.
  • 37. E mais: Splash Air Kids não agride o meio ambiente, pois não há dispersão de gás sob pressão, como ocorre ao utilizar o nebulizador. Não é necessário o consumo maior de água durante o banho. Sua embalagem será produzida em cartelas de alumínio ( blisters) , que protegem o produto da luz e da umidade. Serão inodoras, atóxicas e com barreira eficaz à contaminação. A embalagem também respeita a natureza, já que será desenvolvida com 100% de material reciclado.
  • 38. Desobstrução das vias respiratórias das crianças durante o banho. Alívio rápido sem sofrimento. Ao persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.
  • 39. EMBALAGEM
  • 40. Carla Viola Cyro Rodrigues Daniela Souza Deborah Carrolo Eduardo Mansell Endora Barboza Ricardo Pinto

×