• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Carina santos infertilidade feminina 1405
 

Carina santos infertilidade feminina 1405

on

  • 2,117 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,117
Views on SlideShare
2,063
Embed Views
54

Actions

Likes
0
Downloads
27
Comments
0

3 Embeds 54

http://aaprojecto9a.blogspot.com 45
http://aaprojecto9a.blogspot.pt 6
http://aaprojecto9a.blogspot.com.br 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Carina santos infertilidade feminina 1405 Carina santos infertilidade feminina 1405 Presentation Transcript

    • Infertilidade Feminina Carina Santos nº4 9ºA 1
    • Índice• Infertilidade Feminina• Introdução• Definição de Infertilidade• Quando um casal deve procurar ajuda?• Quais as formas de diagnóstico?• Causas de Infertilidade e problemas com os mesmos• Infertilidade Secundária• Prevenção• Tratamentos• Estas técnicas têm sucesso garantido?• Fecundação “in vitro” (FIV)• Taxas médias de maturidade ovocitária Carina Santos nº4 9ºA 2
    • • Qualidade embrionária• Indução da Ovulação• Infertilidade Masculina• Tratamento Natural• Custos de tratamentos• Onde existem clínicas para tratar este problema• Recomendações ao casal• Conclusão• Vídeo• Trabalho realizado por Carina Santos nº4 9ºA 3
    • Introdução:• Neste trabalho vou falar sobre a Infertilidade Feminina e masculina, as suas causas, os respectivos tratamentos, as formas de diagnósticos, prevenções e recomendações para o casal que não consegue engravidar com tratamentos. Carina Santos nº4 9ºA 4
    • Definição de Infertilidade: • A infertilidade é o resultado de uma falência orgânica devido à disfunção dos órgãos reprodutores, dos gâmetas. Um casal é infértil quando não alcança a gravidez desejada ao fim de um ano de vida sexual contínua sem métodos contraceptivos. Esta definição é válida para o casal com vida sexual plena de amor e prazer (3-5 vezes por semana), em que a mulher tem <35 anos de idade (6 meses se ≥35 anos de idade), e em que ambos não conhecem qualquer tipo de causa de infertilidade que os atinja. Também se considera infértil o casal que apresenta abortamentos de repetição (≥3, consecutivos). Carina Santos nº4 9ºA 5
    • Quando um casal deve procurar ajuda?? Dificuldade em engravidar não é necessariamente um problema de infertilidade. Diz-se que um casal tem problemas de fertilidade quando após um a dois anos de actividade sexual sem utilização de métodos contraceptivos não ocorre uma gravidez.? Recomenda-se que o casal procure ajuda especializada quando a gravidez não ocorre ao fim de dois anos. Se a mulher tiver mais de 30 anos, o casal deve procurar ajuda ao fim de um ano. Carina Santos nº4 9ºA 6
    • Quais as formas de diagnóstico?• Em primeiro lugar, o casal deve consultar um médico. Nessa consulta são avaliados os antecedentes clínicos de ambos, no que respeita a doenças e intervenções cirúrgicas efectuadas, características do ciclo menstrual, dificuldades sexuais e o estilo de vida do casal. Antes dos exames, é obrigatório uma boa história clínica, pessoal e familiar, seguida de um exame físico rigoroso e completo. De seguida, devem ser pedidos exames auxiliares de diagnóstico para complementar a história clínica e o exame físico. Estes exames são obrigatórios e devem ser efectuados antes do início de qualquer tipo de tratamento. Contudo, em muitos casos estes procedimentos não são suficientes para caracterizar a situação, pelo que se torna necessário realizar exames complementares de diagnóstico, como, por exemplo, o controlo do equilíbrio hormonal e a análise do esperma. Carina Santos nº4 9ºA 7
    • INFERTILIDADE SECUNDÁRIA:• As causas em geral são as mesmas da infertilidade primária, ou seja, de quem nunca conseguiu ter um bebé. Entre elas estão: cicatrizes no útero ou nas tubas uterinas (trompas), endometriose, problemas de ovulação, baixa quantidade de espermatozóides. Qualquer que seja a causa, é alguma coisa que apareceu ou se agravou depois que você teve o bebé. Complicações durante o parto são uma possível causa. Ou, se muitos anos se passaram, talvez a questão seja a sua idade. Carina Santos nº4 9ºA 8
    • Causas de Infertilidade: A falta de fertilidade não tem uma única causa porque a gravidez é decorrente de uma cadeia de eventos. Descrevendo de forma simples, a gravidez inclui os seguintes passos:• Os ovários da mulher devem ser capazes de liberar um ovo viável, o qual então deve ser capaz de viajar até a trompa de Falópio.• O homem deve ser capaz de ejacular e o seu esperma deve ser transportado até a trompa de Falópio.• O esperma deve unir o ovo para fertilizá-lo.• O ovo fertilizado deve grudar dentro do útero receptivo, e ser nutrido pelo corpo para permitir ao feto que se desenvolva e cresça até que esteja pronto para o nascimento. Carina Santos nº4 9ºA 9
    • • Problemas físicos na parede uterina.• Fibrose uterina.• Idade.• Dieta pobre.• Estar com sobpeso ou abaixo do peso.• Fumo, drogas e álcool.• Medicações.• Toxinas no ambiente.• Condições genética.• Outros problemas de saúde, incluindo doenças sexualmente transmissíveis. Carina Santos nº4 9ºA 10
    • • Problemas com qualquer um destes passos pode interferir com a fertilidade e causar infertilidade. A causa da infertilidade pode estar no homem ou na mulher, ou pode ser devido a factores combinados ou desconhecidos. Em alguns casos, factores ambientais podem interferir na fertilidade. Em outros casos, condições genéticas ou outros problemas de saúde podem ser a causa principal da infertilidade. Carina Santos nº4 9ºA 11
    • Prevenção:• A alimentação deve ser variada e equilibrada, com farináceos, vegetais, saladas, fruta (2-3 peças/dia), leite (0,5-1 L/dia) e derivados, carne e peixe (100 g por refeição; equilibrar peixe e carne) e 1,5 L água/dia. Deve-se evitar uma alimentação rica em açúcares e gorduras, pois favorece a diabetes, as doenças da tiróide, as doenças cardiovasculares (aterosclerose, acidentes fibrovasculares, insuficiência cardíaca, angina de peito, hipertensão arterial, varizes), a insuficiência hepática e a insuficiência renal. Os alimentos ricos em vitaminas anti-oxidantes melhoram o desempenho dos espermatozóides. Carina Santos nº4 9ºA 12
    • • Evitar carne de animais alimentados com rações químicas e derivadas de produtos animais, pois contêm frequentemente hormonas esteróides e antibióticos. Evitar produtos hortícolas e frutas tratadas quimicamente, bem como todos os produtos contendo ingredientes químicos, pois podem apresentar químicos tóxicos para os ovócitos e espermatozóides.• Evitar viver junto a centrais termoeléctricas ou nucleares. Interditar mais de 2h/dia o uso de televisão ou computadores para fins recreativos. Interditar o uso de telemóveis antes da adolescência.• Desporto regular três vezes por semana.• Não consumir álcool, drogas ou tabaco.• Manter um mínimo de 8h de sono regular.• Fazer eco grafia pélvica feminina, mamo grafia, eco grafia mamária a partir dos 15 anos. Carina Santos nº4 9ºA 13
    • Tratamentos: Em alguns casos, o problema fica resolvido com a determinação da altura mais adequada para haver relações sexuais, após o estudo do período fértil do ciclo menstrual. Noutros, pode utilizar-se uma ou várias formas de tratamento disponíveis, que serão sempre realizadas com o consentimento informado do casal:• Medicação Há medicamentos que podem ajudar a regular os problemas que possam existir a nível hormonal da mulher ou no do homem (por exemplo, medicamentos para provocar a ovulação);• Cirurgia Podem ser utilizadas certas técnicas cirúrgicas para, por exemplo, eliminar obstáculos físicos que estejam a dificultar ou a impedir o processo de fecundação;• Técnicas laborais – Há várias técnicas de fertilização com apoio laboratorial, entre as quais a inseminação intra-uterina ou a fertilização in vitro. Carina Santos nº4 9ºA 14
    • Estas técnicas têm sucesso garantido?• Não é possível garantir resultados. O sucesso destas técnicas varia de acordo com o problema, o tratamento utilizado e outros factores.• A infertilidade total, ou esterilidade, é rara. Contudo, e mesmo com a evolução tecnológica actual, em cerca de 15 por cento das situações de infertilidade não é possível determinar quais são as causas e, consequentemente, intervir de modo a tentar ultrapassar o problema. Carina Santos nº4 9ºA 15
    • Fecundação in vitro (FIV) : INDICAÇÕES FEMININAS E MASCULINAS: • As mulheres têm de ter uma disfunção ovulatória moderada a severa; Obstrução tubar; Falhas de gravidez após ciclos de IIU. • Os homens têm um défice ligeiro do sémen. Riscos: • Síndrome de hiper-estimulação do ovário (<5%). Pode ser prevenido com a vigilância acima descrita. A maioria (>95%) não necessita de internamento hospitalar. Carina Santos nº4 9ºA 16
    • Taxas médias de maturidade ovocitária, de fertilização e de desenvolvimento embrionário As taxas médias de maturidade ovocitária, de fertilização e de desenvolvimento embrionário pré-implantação são dependentes de factores aleatórios de índole individual (qualidade dos ovócitos e dos espermatozóides) e de espécie (70-80% dos embriões humanos possuem anomalias genéticas) e não das técnicas de RMA.• Maturidade ovocitária: 80% dos ovócitos aspirados.• Fecundação (12-18 h pós-inseminação ou pós-microinjecção, de dia 1: embrião de 1 célula, estádio de pronúcleos ou zigoto): 70%.• Embriões AB ao dia 2 (com 2-4 blastómeros): 60%.• Embriões AB ao dia 3 (com 6-12 blastómeros): 50%.• Embriões AB ao dia 4 (64 blastómeros: mórula): 40%.• Embriões AB ao dia 5 (250 células: blastocisto): 30%.• Embriões AB ao dia 6 (blastocisto eclodido): 25% Carina Santos nº4 9ºA 17
    • QUALIDADE ENBRIONÁRIA: Embriões de dia 2-4• Excelente (grau A): embriões com blastómeros de diâmetro similar e 0% de fragmentos.• Boa (grau B): embriões com <25% de fragmentos.• Insuficiente (grau C): embriões com 25-50% de fragmentos. Só se devem transferir embriões C na ausência de embriões A/B, porque contêm uma maior percentagem (93%) de anomalias genéticas.• Má (grau D): embriões com >50% de fragmentos. Não devem ser transferidos, porque possuem (100%) anomalias genéticas. Carina Santos nº4 9ºA 18
    • Embriões de dia 5-6• Excelente (grau A): massa celular interna atinge pelo menos 2/3 do raio com ausência de células degenerativas; presença de trofoblasto contínuo e fino sem células degenerativas; presença de zona pelúcida fina.• Boa (grau B): massa celular interna 1/3-2/3 do raio com ausência de células degenerativas; presença de trofoblasto contínuo e fino sem células degenerativas; presença de zona pelúcida fina.• Insuficiente (grau C): massa celular interna 1/3-2/3 do raio e/ou presença de algumas células degenerativas; trofoblasto mal diferenciado (descontínuo, ou espesso ou com algumas células degenerativas); zona pelúcida espessa.• Má (grau D): massa celular interna <1/3 do raio; presença de múltiplas células degenerativas; trofoblasto mal diferenciado (descontínuo, ou espesso ou com múltiplas células degenerativas); zona pelúcida espessa. Carina Santos nº4 9ºA 19
    • Indução da Ovulação:Indicações Femininas: Disfunção ligeira da ovulação. Exige trompas e endométrionormais, teste de Hunner normal.Indução: Assegura o crescimento folicular e a ovulação espontânea,com suplemento hormonal por via oral. O crescimento folicularpode ser monitorizado por eco grafias sequenciadas e a ovulaçãopode ser artificialmente induzida com hCG, a que se devemseguir relações sexuais durante 3 dias consecutivos.Taxa de gravidez:• 14-20%.Frequência:• 1x por mês, 3x consecutivas (≥35 anos de idade) ou 1x por mês, 6x consecutivas (<35 anos de idade). Carina Santos nº4 9ºA 20
    • Infertilidade Masculina: O processo de fertilidade masculina envolve a produção de esperma maduro e que este alcance e fertilize o ovo. Embora o processo de fertilidade masculina pareça ser mais simples do que o da fertilidade feminina, ele também requer muitas condições, como:• Capacidade de ter e sustentar uma erecção;• Ter esperma suficiente;• Ter sémen suficiente;• Ter esperma com a forma correcta que se mova apropriadamente; Um problema com qualquer uma das condições acima pode afectar a fertilidade masculina. Carina Santos nº4 9ºA 21
    • Assim como a infertilidade feminina, a masculina pode resultar de problemas físicos, como testículos que não produzem esperma normal suficiente, problemas hormonais e factores ambientais e estilo de vida como por exemplo:• Idade.• Stress.• Fumo, drogas e álcool.• Medicações.• Toxinas no ambiente.• Exposição a altas temperaturas, as quais podem afectar a capacidade do esperma se mover e fertilizar o ovo. Criptorquia é uma condição na qual os testículos não descem ao escroto, o que significa que eles ficam na cavidade corporal onde as temperaturas são maiores.• Outro factor que pode elevar a temperatura nos testículos são cuecas apertadas.• Outros problemas de saúde. Carina Santos nº4 9ºA 22
    • Infertilidade Infertilidadea procura do culpado Masculina 30%-40% dos casosA infertilidade há muito que deixou de ser um problema exclusivoda mulher, para antes ser um problema do casal.Muitas vezes este fenómeno é sazonal ou corrigível, principalmenteatravés de tratamentos clínicos ou técnicas de reprodução assistida. Carina Santos nº4 9ºA 23
    • Tratamento Natural: Um medicamento produzido com anti-oxidantes naturaisprotege os espermatozóides e ajuda a preservar a fertilidade masculina.Investigadores da Universidade de Adelaide, na Austrália,revelaram que um medicamento produzido com anti-oxidantesnaturais protege os espermatozóides e ajuda a preservar afertilidade masculina.Em casos de inseminação artificial, as probabilidades de gravidezaumentam quando o homem começa a tomar este combinadotrês meses antes da extracção do óvulo. O remédio junta váriosanti-oxidantes e possui vitamina C e E, ácido fólico, zinco,licopeno e óleo de alho. Carina Santos nº4 9ºA 24
    • Custos de tratamentos:• Consultas e eco grafia: Primeira consulta de infertilidade (casal) 75 € a 130 € Consultas de infertilidade 65 € a 90 € Consultas de ginecologia 65 € a 80 € Consultas de obstetrícia 65 € a 85 € Consulta de Psicologia 52 € a 70 € Eco grafia ginecológica 50 € a 85 € Carina Santos nº4 9ºA 25
    • Exames de diagnóstico:• Espermograma 60 € a 100 €• Lavagem de esperma 200 €• Papanicolau 45 € a 65 €• Exame da permeabilidade das Trompas de Falópio (por eco grafia) SSG, Salpingosonografia; 100 € a 160 €• Exame da permeabilidade das Trompas de Falópio (por radiologia) HSG, Histerosalpingografia; 80 € a 303 €• Teste pós-coital 65 €• Punção aspirativa de quistos 125 €Colposcopia 70 €• Biópsia Exocolo/Endométrio30 € a 175 €• Criocoagulação110 €• Laparoscopia Diagnóstica com Cromotubação 500 €• Exame da cavidade do útero (eco grafia e contraste) 85 €• Biópsia testicular (aspiração e anestesia local) 215 € a 630 €• Biópsia testicular (campo operatório aberto) 750 € a 1.500 €• Congelamento de tecido testicular 250 €• Congelamento de tecido testicular (por cada ano) 100 € Carina Santos nº4 9ºA 26
    • • Histeroscopia diagnóstica 150 € a 345 €• Ressectocopia com anestesia geral sem "Versapoint“ 350 €• Ressectocopia com anestesia geral com "Versapoint“ 625 €• Dilatação e curetagem uterina 230 € a 1.040 € Tratamentos de fertilização assistida:• Estradiol 23 €• Estradiol + Progesterona 36 €• Inseminação intra-uterina (IUI-AIH) 350 € a 570 €• Inseminação intra-uterina com esperma de dador (IUI-AID)150 € a 940 €• Fertilização in vitro (IVF) 2.500 € a 3.300 €• Fertilização in vitro (IVF) com esperma de dador 3.350 € a 3.930 €• Microfertilização (ICSI) 3.250 € a 4.000 €• Microfertilização (ICSI) com esperma de dador 3.850 €• Microfertilização (ICSI) com biópsia testicular 5.000 €• Microfertilização (ICSI) com doação de ovócitos 5.700 €• Criopreservação de pré-embriões 190 € a 345 €• Criopreservação de embriões 220 € a 800 € Carina Santos nº4 9ºA 27
    • • Criopreservação de embriões - Manutenção por cada período adicional de 3 anos600 €• Descongelamento com transferência de embriões criopreservados 500 € a 1.375 €• Criopreservação de pré-embriões 190 € a 345 €• Criopreservação de embriões 220 € a 800 €• Criopreservação de embriões - Manutenção por cada período adicional de 3 anos600 €• Descongelamento com transferência de embriões criopreservados 500 € a 1.375 €• Descongelamento sem transferência de embriões criopreservados 230€ a 500 €• Assisted hatching (AH) – Abertura no invólucro do embrião 190 € a 580 €• Cultura prolongada de embriões (cultura de blastocistos) 210 € a 500 €• Custo de manutenção anual da criopreservação de espermatozóides 40 € a 100 € Carina Santos nº4 9ºA 28
    • • Portadores de VIH, VHB, VHC, Lavagem e preparação de espermatozóides, Estudo molecular variável 100 €• Diagnóstico Genético Pré-Implantação (DGPI) - Biópsia Embrionária 300 € a 750 €• Diagnóstico Genético Pré-Implantação (DGPI) - Estudo Genético (Génico ou Cromossómico)variávelOutros:• Teste de migração de espermatozóides 100 €• Teste pós-coital com consulta ginecológica 100 €• Punção de quisto 130 € a 285 €• Histeroscopia cirúrgica 750 €• Criopreservação de esperma 125 € a 300 € Os preços apresentados são meramente indicativos após consultar diversas clínicas da especialidade, a APFertilidade não se responsabiliza por quaisquer alterações que estes preços possam sofrer. Carina Santos nº4 9ºA 29
    • Onde existem clínicaspara tratar este problema? Associação Portuguesa de Fertilidade disponibiliza uma lista de clínicas a nível nacional onde podem ser realizados tratamentos de Fertilidade. Nas clínicas privadas existem em diversos lugares como: ZONA NORTE: • três clínicas no Porto; • Um no Espinho; • Um em Braga; ZONA CENTRO: • Duas clínicas em Coimbra; • Sete clínicas em Lisboa; ZONA SUL: • Uma cínica em Faro; • Nos açores existe uma clínica. • Carina Santos nº4 9ºA 30
    • NAS CLÍNICAS PÚBLICAS: ZONA NORTE: • uma em Guimarães; • uma em Vila Nova de Gaia; • duas no Porto; ZONA CENTRO: • uma na Covilhã; • uma em Coimbra; • três em Lisboa. Carina Santos nº4 9ºA 31
    • Recomendações ao casal:• É essencial que o casal seja capaz de comunicar sobre os seus sentimentos e sobre a situação que está a viver ao longo de todo o processo. A infertilidade e as dificuldades que eventualmente possam surgir ao longo do tratamento podem gerar sofrimento psíquico, stress, ansiedade e sentimentos contraditórios, inclusive entre o casal.• O apoio da família, dos amigos e dos profissionais de saúde é, por todos os motivos, muito importante e de grande utilidade.• Não hesite em procurar ajuda se considerar necessário e, fundamentalmente, não hesite em esclarecer todas as dúvidas junto dos profissionais de saúde.• E lembre-se: a adopção constitui sempre uma possibilidade para os casais terem filhos, existam ou não problemas de infertilidade . Carina Santos nº4 9ºA 32
    • Conclusão:Com este trabalho, consegui saber mais sobre a angústia que énão ter um filho. Saber mais sobre as pessoas que nãoconseguem engravidar e os tratamentos para a infertilidade.
    • Trabalho realizado por:Carina Santos nº4 9º A Carina Santos nº4 9ºA 34