Trabalho de grupo de moral
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Trabalho de grupo de moral

on

  • 1,404 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,404
Views on SlideShare
1,162
Embed Views
242

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

2 Embeds 242

http://emrc-mirandela.blogs.sapo.pt 241
http://imgs.sapo.pt 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Trabalho de grupo de moral Trabalho de grupo de moral Presentation Transcript

  • TRABALHO DEGRUPO Ana Lamas Nº8 Ana Vitorino Nº7 Mariana Alves Nº17
  • Índice:1-Natal2-A verdadeira história do painatal3-Tradições de natal4.Crianças que não têm natal.5-Missa do Galo
  • 6-Jesus(A Vida)7-A imagem do pai natal8-Pai natal-S.Nicolau9-História de natal10- Costumes de natal11-Os reis magos
  • 1- N A T A L
  • Natal ou Dia de Natal é um feriado e festivalreligioso cristão comemorado anualmente em 25 deDezembro (nos países eslavos e ortodoxos cujoscalendários eram baseados no calendário juliano, oNatal é comemorado no dia 7 de janeiro), originalmentedestinado a celebrar o nascimento anual do Deus Solno solstício de inverno, e adaptado pela Igreja Católicano terceiro século d.C., para permitir a conversão dospovos pagãos sob o domínio do Império Romano,passando a comemorar o nascimento de Jesus deNazaré. O Natal é o centro dos feriados de fim de ano eda temporada de férias, sendo, no cristianismo, omarco inicial do Ciclo do Natal que dura doze dias.
  • Embora tradicionalmente seja um feriado cristão, oNatal é amplamente comemorado por muitos não-cristãos, sendo que alguns de seus costumes popularese temas comemorativos têm origens pré-cristãs ouseculares. Costumes populares modernos típicos doferiado incluem a troca de presentes e cartões, a Ceia deNatal, músicas natalinas, festas de igreja, uma refeiçãoespecial e a exibição de decorações diferentes; incluindoas árvores de Natal, pisca-piscas e guirlandas, visco,presépios e ilex. Além disso, o Papai Noel (conhecidocomo Pai Natal em Portugal) é uma figura mitológicapopular em muitos países, associada com os presentespara crianças.
  • Costumes populares modernos típicos do feriadoincluem a troca de presentes e cartões, a Ceia de Natal,músicas natalinas, festas de igreja, uma refeição especial ea exibição de decorações diferentes; incluindo as árvores deNatal, pisca-piscas e guirlandas, visco, presépios e ilex.Além disso, o Papai Noel (conhecido como Pai Natal emPortugal) é uma figura mitológica popular em muitos países,associada com os presentes para crianças.
  • Como a troca de presentes e muitos outros aspectos dafesta de Natal envolvem um aumento da atividadeeconômica entre cristãos e não cristãos, a festa tornou-seum acontecimento significativo e um período chave devendas para os varejistas e para as empresas. O impactoeconômico do Natal é um fator que tem crescido de formaconstante ao longo dos últimos séculos em muitas regiõesdo mundo.
  • 2-A verdadeira história do pai natal O Pai Natal tem vários nomes dependo dopaís e cultura, mas independentemente donome que ele recebe, trata-se sempre de S.Nicolau, um senhor muito simpático egeneroso, que nasceu no ano de 350 d.C., emPatara. Depois de viajar por muitos sítios, S.Nicolau decidiu ir viver em Mira, onde anosmais tarde tornou-se bispo da Igreja Católica.Muitos milagres lhe são atribuídos e grandeparte destes relacionam-se com a doação depresentes. Ele, hoje, ainda é vivo já que a suaFonte de Vida é a crença das pessoas na suaexistência, quando ninguém mais acreditar noPai Natal é quando ele morre!
  • Actualmente ninguém sabe ao certo onde é que oPai Natal vive, uns dizem que é na Noruega,outros dizem que é na Finlândia e ainda outrosdizem que ele vive no Pólo Norte. A verdade é queo Pai Natal não quer que ninguém saiba onde éque ele mora, para conseguir trabalhar sem serincomodado, pois o seu trabalho não se resume adistribuir os presentes na noite de Natal, étambém necessário fazer os presentes, saber o quecada criança pediu e o que cada uma realmentemerece.
  • O Pai Natal tem uma lista, queactualmente já é computorizada, de todasas crianças do mundo. O Pai Natal e osseus ajudantes, os duendes, através dessalista sabem onde é que cada criança mora eassim podem observar o seucomportamento ao longo do ano.Para conseguir entregar todos os presentesnuma só noite, o Pai Natal tem de usar asua magia, tanto o seu trenó como as suasrenas são mágicas. As renas do Pai Natalsão nove: Dasher, Dancer, Prancer, Vixen,Comet, Cupid, Donder, Blitze e Rodolfo. Arena que lidera o trenó é o Rodolfo, já queeste tem um nariz brilhante que iluminatodo o caminho.
  • Para mandar a tua carta ao Pai Natal podesutilizar 3 métodos diferentes:• Enviar pelo correio:• Enviar um e-mail pela Internet;• Simplesmente deixar a tua carta nopresépio de tua casa (o Pai Natal ou um dosseus ajudantes vai lá busca-la).Independentemente do método queescolheres deves sempre dizer aos teus paisquais são os presentes que queres, porque àsvezes os ajudantes do Pai Natal sãodesorganizados e perdem as cartas. Quandoisso acontece, o Pai Natal manda um dosseus ajudantes ir perguntar aos teus pais oque é que tu pediste.
  • Por vezes os meninos recebem presentesque não corresponde ao que pediram, issoacontece por vários motivos:• Não te portastes bem e o Pai Natal acha que tunão mereces o que pediste;• A tua lista é muito grande e o Pai Natal não tepode dar tudo o que pediste, pois ele tambémtem de dar presentes aos outros meninos;• O Pai Natal não dá presentes que os teus paisnão te dariam (exemplo: brinquedos perigosos).Quando o Natal acaba, o Pai Natal vai de fériascom a Mãe Natal, afinal ele trabalhou muito etem de recuperar as suas forças para nopróximo ano voltar a preparar tudo para que oNatal seja um sucesso.
  • 3-Tradiçoes de NatalO Natal é, sem dúvida, uma das celebrações maiscomplexas do calendário português, no qual seobservam elementos de cultos solsticiais e dos mortos,cerimónias da liturgia cristã comemorativas donascimento de Jesus Cristo, entre outros.
  • Actualmente, devido a uma crescente globalização, oNatal português começa a ser influenciado por outrasculturas, sobretudo através dos filmes americanos, umdos factos que comprova este tendência é asubstituição do Menino Jesus pelo Pai Natal naentrega dos presentes; os tradicionais presépios, querepresentam o nascimento de Cristo (e que constituemum dos motivos mais notórios da estatuária popularportuguesa) têm agora de coexistir com a árvore deNatal, de origem certamente germânica. Contudo, istonão quer dizer que as tradições natalícias portuguesasdesapareceram!
  • No dia 24 Dezembro, véspera de Natal, ànoite, em certas partes do país(especialmente no norte) tem lugar aceia de Natal (chamada de consoada),nesta serve-se bacalhau cozido e adoçaria cerimonial (rabanadas, sonhos,mexidos, etc.). Ainda no dia 24, no finalda ceia, há a missa do galo à meia-noite,embora actualmente esta missa esteja acair em desuso.No próprio dia 25, há um jantarmelhorado com carnes diversas, emalgumas zonas do país no almoço do dia25 é servida a tradicional roupa-velha,feita com os restos da consoada do diaanterior.
  • Um costume já quase esquecido é o dedurante a ceia do dia 24 evocar-se os mortos,com o seu lugar à mesa, fazendo-se umaduplicação da ceia para eles numa outra sala.Em certas zonas queima-se cepo do Natal,particular (nos lares), ou público (nos adros), àvolta do qual se cantam canções tradicionaisportuguesas.O Natal é uma ocasião de ofertas e presentescerimoniais: as consoadas.
  • A palavra PRESEPIO deriva do latim praesepium, que quer dizercurral, estábulo ou lugar de recolha de gado.Conta a tradição católica que o presépio teve origem surgiu noséc. XIII, em Úmbria (região da Itália central). Foi S. Franciscode Assis que, com a permissão do Papa, criou um presépio comfiguras humanas e animais, recreando o local de nascimento deJesus, que serviu de pano de fundo para a missa de Natal desseano. Esta representação teve tanto sucesso, que se tornou numareferência Cristã, representativa do Natal, em quase todo omundo.Em Portugal, o presépio tem tradições muito antigas (porvolta do séc. XVII). É colocado no início do Advento sem afigura do menino Jesus, que será posta na noite de Natal, apósa missa do galo. O presépio é desmontado no dia seguinte aoDia de Reis.
  • Na tradição Portuguesa, as figuras que se colocam nopresépio, além da Sagrada família (S. José, Maria e o MeninoJesus), dos pastores e alguns animais, e dos três ReisMagos, também encontramos figuras como o moleiro e o seumoinho, lavadeiras, membros de um rancho folclórico e outrospersonagens típicos da cultura portuguesa. Tradicionalmentefeito de barro, podemos encontrar ainda peças de diversosmateriais, desde tecido ou madeira até porcelana fina.
  • A coroa de natal
  • Azevinho de natal
  • A planta de natal
  • A estrela de Natal
  • 5-Missa do GaloO Natal, segundo das leis canónicas (leis ditadas pelaIgreja), deve ser composto por 4 missas: a vigília nocturna, ada meia-noite, a da aurora e por fim a da manhã.Contudo, em termos práticos, não se conseguem celebrar as4 vigílias, sendo normalmente dispensada a da noite e a daaurora. Assim, a primeira missa celebrada no Natal é a dameia-noite. A missa celebrada à meia-noite, na passagem do dia 24 parao dia 25 de Dezembro, denomina-se de Missa do Galo. Estaapareceu no século V, pelas mãos dos católicos romanos.Em relação a esta missa surgem duas questões: Saber oporquê da missa ser celebrada à meia-noite. Saber a razãopela qual esta missa é chamada de missa do galo.
  • No que se refere à primeira questão, à razão pela qual amissa é celebrada à meia-noite, parte-se da seguinte ideia:Já que nesta missa se celebra o nascimento de Cristo, ela deve ser celebrada à mesma hora do nascimento Deste.Ora, como se pensa que Jesus terá nascido à meia-noite, amissa deve ser celebrada à meia-noite em ponto.A segunda questão cria maior discórdia, existem váriasteorias que tentam explicar qual o motivo denominação demissa do galo.A explicação mais comum é a da lenda que conta que ogalo foi o primeiro animal a presenciar o nascimento deJesus, por isso ficou com a missão de anunciar ao mundoo nascimento de Cristo, através do seu canto.
  • Até ao início do século XX, a tradição ditava a meia-noite eraanunciada, dentro da igreja, através do canto de um galo,real ou simulado.No seu início, a missa do galo era uma celebração jubilosa,longe do carácter solene que existe nos dias de hoje.Até princípios do século XX, manteve-se o costume doprivilégio de serem os primeiros a adorarem o Menino Jesusestar reservado aos pastores congregados ali.Durante a adoração ao Menino, as mulheresdepositavam doces caseiros e em troca recebiam pãobento ou pão do Natal. Outro costume era o de seguardar um pedaço desse pão bento como amuleto, aoqual só se podia recorrer em caso de doença grave.Uma tradição que existia em algumas aldeiasportuguesas e espanholas, era o de se levar um galopara a Missa do Galo, se este cantasse era umprenúncio de boas colheitas para esse ano.
  • Com o advento do regime republicano e com afalta de párocos em muitas freguesias, fizeram com que aMissa do Galo começa-se a cair em desuso.Em França, as Missas do Galo mais famosas, como a deNôtre Dame e a de Saint Germain dês Prés, são muitoconcorridas, nestas é necessário reservar lugar combastante antecedência, até porque durante a noite deNatal, também há apresentações de belos programas demúsica sacra.
  • 6-Jesus (A Vida)Jesus, emhebreu, Jehoshua, abreviado emJeshua, que quer dizer “Javé, é asalvação”, o filho de Deus, segundoo Evangelho, e o Messiasanunciado pelos profetas. Nasceuem Belém da Virgem Maria, em 25de Dezembro do ano de 749 deRoma, embora o cálculo feito noséculo VI pelo frade Dionísio, e queserve de cronologia da eracristã, colocou onascimento, erradamente, no anode 754. Jesus morreucrucificado, no ano 33 da eramoderna.
  • Segundo os Evangelhos, o presépio que serviu de berço aoMenino Jesus foi visitado pelos Reis Magos do Oriente(Baltasar, Belchior e Gaspar).O rei da Judeia, Herodes, sabendo que chegada do Messiasera anunciada para essa época pelos antigos profetas,ordenou que todos os recém-nascidos fossem assassinados.Perante isto, José (pai adoptivo de Jesus) e Maria decidiramfugir para o Egipto, para salvarem a vida de Jesus. Só depoisda morte de Herodes, esta família voltou para Nazaré, naGalileia. Aqui Jesus cresceu, ajudando seu pai adoptivo notrabalho de carpinteiro.
  • Aos 30 anos, Jesus começou a sua missão, sendo baptizado por seu primo S. João Baptista, nas águas do Jordão. Em seguida, dirigiu-se para o deserto onde permaneceu durante 40 dias em jejum e onde resistiu às tentações de Satanás. Começou por pregar o Evangelho ou a “boa nova” na Galileia, depois dirigiu-se para Jerusalém, lugar onde se deparou com uma hostilidade crescente por parte dos fariseus. Na sua missão, Jesus foi acompanhado pelos seus discípulos, os doze apóstolos, com estes percorreu as cidades da Judeia e da Galileia, pregando a caridade, o amor de Deus e do próximo e realizando inúmeros milagres.As ideias defendidas por Jesus Cristo fizeram enfurecer osfariseus e os sacerdotes judeus, que acusaram-no perante ogovernador romano, Pôncio Pilatos, de se dizer Rei dosJudeus e de querer derrubar o governo estabelecidoº.
  • Judas, um dos apóstolos, traiu Jesus por 30 dinheiros.Depois de ter celebrado a última ceia e instituído aEucaristia, Cristo teve de comparecer perante o sumo-sacerdote dos Judeus, Caifás, e em seguida perante a justiçaromana, representada por Pôncio Pilatos. Condenado pelo primeiro, abandonado pelo segundo, coberto de ultrajes pelo povo subiu ao Calvário, onde morreu crucificado entre dois ladrões. Ressuscitou ao 3º dia e apareceu a muitos dos seus discípulos, encarregando-os de espalhar a sua doutrina pelo mundo inteiro. Quarenta dias depois da sua ressurreição, subiu aos céus na presença dos seus discípulos.Esta é a narrativa dos Evangelhos, contudo surgiram críticos,entre os quais Satruss e Renan, que deram diferentesinterpretações ao texto.
  • Em “A vida de Jesus” por Ernest Renan (1863), o autorcoloca-se num ponto de vista racionalista, rejeitando osobrenatural. Para Renan, os Evangelhos têm apenas umvalor histórico duvidoso, embora reproduzissem de forma fielos ensinamentos do Mestre, sublime pessoa a quem épermitido chamar divina, isto porque Jesus foi o indivíduoque fez dar à espécie humana o maior passo para o divino.Independentemente da visão que se possui do Evangelho, averdade é que a existência de Jesus é inegável, a investigaçãocientífica comprova isso. Existem vários textos históricos quecomprovam essa existência.
  • 7-A imagem do pai natalJesus, em hebreu, Jehoshua, abreviado em Jeshua, quequer dizer “Javé, é a salvação”, o filho de Deus, segundo oEvangelho, e o Messias anunciado pelos profetas. Nasceuem Belém da Virgem Maria, em 25 de Dezembro do ano de749 de Roma, embora o cálculo feito no século VI pelofrade Dionísio, e que serve de cronologia da era cristã,colocou o nascimento, erradamente, no ano de 754. Jesusmorreu crucificado, no ano 33 da era moderna.Segundo os Evangelhos, o presépio que serviu de berço aoMenino Jesus foi visitado pelos Reis Magos do Oriente(Baltasar, Belchior e Gaspar).
  • O rei da Judeia, Herodes, sabendo que chegada do Messiasera anunciada para essa época pelos antigosprofetas, ordenou que todos os recém-nascidos fossemassassinados. Perante isto, José (pai adoptivo de Jesus) eMaria decidiram fugir para o Egipto, para salvarem a vida deJesus. Só depois da morte de Herodes, esta família voltoupara Nazaré, na Galileia. Aqui Jesus cresceu, ajudando seupai adoptivo no trabalho de carpinteiro.Aos 30 anos, Jesus começou a sua missão, sendo baptizadopor seu primo S. João Baptista, nas águas do Jordão. Emseguida, dirigiu-se para o deserto onde permaneceu durante40 dias em jejum e onde resistiu às tentações de Satanás.
  • Começou por pregar o Evangelho ou a “boa nova” na Galileia,depois dirigiu-se para Jerusalém, lugar onde se deparou comuma hostilidade crescente por parte dos fariseus. Na suamissão, Jesus foi acompanhado pelos seus discípulos, osdoze apóstolos, com estes percorreu as cidades da Judeia eda Galileia, pregando a caridade, o amor de Deus e dopróximo e realizando inúmeros milagres.As ideias defendidas por Jesus Cristo fizeram enfurecer osfariseus e os sacerdotes judeus, que acusaram-no perante ogovernador romano, Pôncio Pilatos, de se dizer Rei dosJudeus e de querer derrubar o governo estabelecido.Judas, um dos apóstolos, traiu Jesus por 30 dinheiros.Depois de ter celebrado a última ceia e instituído a Eucaristia,Cristo teve de comparecer perante o sumo-sacerdote dosJudeus, Caifás, e em seguida perante a justiça romana,representada por Pôncio Pilatos.
  • Condenado pelo primeiro, abandonado pelo segundo, cobertode ultrajes pelo povo subiu ao Calvário, onde morreucrucificado entre dois ladrões. Ressuscitou ao 3º dia eapareceu a muitos dos seus discípulos, encarregando-os deespalhar a sua doutrina pelo mundo inteiro. Quarenta diasdepois da sua ressurreição, subiu aos céus na presença dosseus discípulos.Esta é a narrativa dos Evangelhos, contudo surgiram críticos,entre os quais Satruss e Renan, que deram diferentesinterpretações ao texto.Em “A vida de Jesus” por Ernest Renan, o autor coloca-senum ponto de vista racionalista, rejeitando o sobrenatural.Para Renan, os Evangelhos têm apenas um valor históricoduvidoso, embora reproduzissem de forma fiel osensinamentos do Mestre, sublime pessoa a quem é permitidochamar divina, isto porque Jesus foi o indivíduo que fez dar àespécie humana o maior passo para o divino.
  • Independentemente da visão que se possui do Evangelho, averdade é que a existência de Jesus é inegável, a investigaçãocientífica comprova isso. Existem vários textos históricos quecomprovam essa existência.Ao contrário do que muitas pensam, a imagem do Pai Natalvestido de vermelho e com barba branca não é da autoria damarca de refrigerantes Coca-Cola.É certo que, durante muito tempo, o Pai Natal foi desenhadovestido com uma grande variedade de cores e erarepresentado a fumar um cachimbo de barro ou a bebervinho. Também é correcto que, nos anos 30, a Coca-Coladecidiu usar a figura do Pai Natal na sua publicidade deInverno e contratou o artista Haddon Sundblom para lhecompor a imagem. Sundblom escolheu o vermelho e brancoda Coca-Cola para vestir o Pai Natal.(Curiosidade: Os desenhos do Pai Natal criados por Sundblompara a Coca-cola são auto-retratos, já que o simpático PaiNatal por ele desenhado possuía a sua própria cara!).
  • Contudo, Sundblom não foi original na sua escolha, já que oprimeiro desenho que retratava a figura do Pai Natal tal comohoje o conhecemos foi feito por Thomas Nast e foi publicadono semanário “Harper’s Weekly”, no ano de 1866.Nast foi um grande cartonista americano. Este trabalhava parao jornal "Harpers Weekly", aproveitando o espaço que lhe erareservado no jornal para fazer crítica política e para abordaros problemas sociais da época.No final da década de 1880, Nast começou a fazer uma ediçãoespecial de Natal para o seu jornal, contudo os desenhos desteera a preto e branco.
  • Nast, em 1870, fez um segundo livro ilustrado denominado de"The nigth before christmas".Mesmo assim, durante décadas (incluíndo no ínicio no séculoXX), o Pai Natal, por vezes, era retratado de maneiradiferente: magro, vestido com outras roupas e cores, etc.Contudo, é um facto indiscutível que a criação da actualimagem do Pai Natal não pertence à Coca.-Cola. Aliás, muitosutilizaram a imagem criada por Nast antes da Coca Cola. Ho, ho, ho….Eu sou o pai natal!!!
  • 8-Pai natal - S. Nicolau
  • A história do Pai NatalO Pai Natal é associado à ideia de um homem já com umacerta idade, gorducho, de faces rosadas, com uma grandebarba branca, que veste um fato vermelho e que conduz umtrenó puxado por renas que conseguem voar mesmo nãotendo asas. Segundo a lenda, na noite de Natal este simpáticosenhor visita todas as casas, desce pela chaminé e deixapresentes a todas as crianças que se comportaram bemdurante todo o ano.
  • A personagem do Pai Natal baseia-se em S. Nicolau e a ideia de umvelhinho de barba branca numtrenó puxado por renas (o mesmotransporte que é usado naEscandinávia) foi introduzida porClement Clark More, um ministroepiscopal, num poema intitulado de"An account of a visit from SaintNicolas" (tradução: Um relato davisita de S. Nicolau) que começavade seguinte modo “The night beforeChristmas” (que em portuguêssignifica "Na noite antes do Natal"),em 1822. More escreveu este poemapara as suas filhas e hesitou empublicá-lo porque achou que davauma imagem frívola do Pai Natal.
  • Contudo, uma senhora, Harriet Butler, teve acesso ao poemaatravés do filho de More e decidiu levá-lo ao editor do jornalTroy Sentinel, em Nova Iorque, o qual publicou o poema noNatal do ano seguinte em 1823. A partir daí, vários jornais erevistas publicaram o poema, mas sempre sem se mencionar oseu autor. Só em 1844, é que More reclamou a autoria dopoema!AntecedentesAs raízes da história do Pai Natal remontam ao folcloreeuropeu e influenciaram as celebrações do Natal por todo omundo.A figura do Pai Natal baseia-se em S. Nicolau, padroeiro daRússia, da Grécia, dos marinheiros e das crianças.A única coisa que se sabe com certeza sobre a vida de S.Nicolau é que este foi bispo de Mira na Lícia, que se situa nosudoeste da Ásia Menor, no século IV d.C.
  • Antes de estar relacionado com as tradições e lendas deNatal, S. Nicolau era conhecido por salvar marinheiros dastempestades, defender crianças e por oferecer generosospresentes aos mais pobres.Pode-se duvidar da autenticidade de muitas das históriasrelacionadas com S. Nicolau, mas mesmo assim a lendaespalhou-se por toda a Europa e a sua figura ficou associadaa um distribuidor de presentes. Os símbolos de S. Nicolausão três bolas de ouro. Diz a lenda que numa ocasião elesalvou da prostituição três filhas de um homem pobre aooferecer-lhes, em três ocasiões diferentes, um saco de ouro;uma outra lenda é que depois da sua morte salvou trêsoficiais da morte aparecendo-lhes, para isso, em sonhos.
  • O dia de S. Nicolau era originalmente celebrado no dia 6 deDezembro, sendo este o dia em que se recebiam os presentes.Contudo, depois da reforma, os protestantes germânicosdecidiram dar especial atenção a ChristKindl, ou seja, aoMenino Jesus, transformando-o no “distribuidor” depresentes e transferindo a entrega de presentes para a Suafesta a 25 de Dezembro. Quando a tradição de S. Nicolauprevaleceu, esta ficou colocada no próprio dia de Natal.Assim, o dia 25 de Dezembro passou a englobar o Natal e o diade S. Nicolau. Contudo, em 1969, devido à vida do santo estarescassamente documentada, o Papa Paulo VI ordenou que afesta de S. Nicolau fosse retirada do Calendário OficialRomano.
  • Mesmo assim, todos os anos,na época de Natal, em muitaspartes do mundo, anúncios,cartões de boas festas,decorações sazonais e apresença de pessoas vestidasde Pai Natal documentam amoderna lenda do Santa Claus(contracção de SantusNicholaus). Crianças de todo oMundo escrevem cartas ao PaiNatal, nas quais dizem quaissão os seus desejos, e, na noitede Natal, algumas deixam-lhecomida e bebida para umarápida merenda.
  • A lenda de S. Nicolau Como já foi dito anteriormente pode duvidar-se da autenticidade de algumas das histórias relacionadas com S. Nicolau. Ele viveu em Mira na Lícia, no sudoeste da Ásia Menor (onde hoje se situa a Turquia). Filho de Eipifânio e Joana, devotos cristãos, que lhe deram o nome de Nicolau que significa “pessoa virtuosa”, este nasceu em 350 d.C., em Patara, uma cidade com um porto movimentado.
  • Nicolau pertencia a uma família abastada e, segundo a lenda,cedo deu sinais da sua bondade. Uma das histórias maisconhecidas sobre a sua generosidade relata que, ao saber quena sua cidade um homem bastante pobre estava decidido aencaminhar as suas três filhas para a prostituição, já que nãotinha dinheiro para lhes dar um dote, Nicolau decidiu deixaràs escondidas um saco cheio de ouro para a filha mais velha,já que esta estava em idade de casar e logo era a quenecessitava mais do dote. Nicolau repetiu o acto por maisduas vezes, ou seja, sempre que uma das filhas atingia a idadepara casar. Segundo a mesma lenda, Nicolau colocava o sacodentro da casa pela chaminé, onde secavam algumas meias(daí o hábito das crianças, em alguns países, deixarem meiasna chaminé à espera dos presentes).
  • Os pais de Nicolau morreram cedo. Então, por recomendaçãode um tio, que o aconselhou a ir visitar a Terra Santa, Nicolaudecidiu viajar até à Palestina e depois ao Egipto. Durante aviagem, houve uma tempestade, que segundo alenda, acalmou milagrosamente, quando Nicolau começou arezar com toda a sua Fé. Foi este episódio que o transformouno padroeiro dos marinheiros e pescadores.Quando voltou da sua viagem, decidiu que não queria vivermais em Patara e mudou-se para Mira, onde viveu napobreza, já que tinha doado toda a sua herança aos maispobres e desfavorecidos. Quando anos mais tarde o bispo de Mira morreu, os anciões da cidade não conseguiam decidir quem seria o seu sucessor, já não sabendo o que fazer os anciãos decidiram pôr o problema nas mãos de Deus.
  • Segundo a lenda, nessa mesma noite o ancião mais velhosonhou com Deus, e Este dizia-lhe que o primeiro homem aentrar na igreja no dia seguinte seria o novo bispo de Mira.Como Nicolau tinha já o hábito de se levantar cedo para ir rezarà igreja, foi o primeiro homem a entrar nela e logo foi indicadobispo.S. Nicolau morreu a 6 de Dezembro de 342. Em meados doséculo VI, o santuário onde este foi sepultado transformou-senuma nascente de água. Em 1087, os seus restos mortais foramtransferidos para a cidade de Bari, na Itália., que se tornounum centro de peregrinação em sua homenagem. Milhares demilagres foram creditados como cedo sua obra, actualmente S.Nicolau é um dos Santos mais populares entre os cristãos emilhares de igrejas por toda a Europa receberam o seu nome(só em Roma existem 60 igrejas com o seu nome, na Inglaterrasão mais de 400).
  • Evolução: S. Nicolau
  • Pai natal-Alemanha
  • Pai natal-América_1800
  • Pai natal-América
  • 9-História de natalOs Primeiros indícios da comemoração de uma festa cristãlitúrgica do nascimento de Jesus em 25 de dezembro é apartir do Essa comemoração começou em Roma, enquantono cristianismo oriental o nascimento de Jesus já eracelebrado em conexão com a Epifania, em 6 de janeiro.[Acomemoração em 25 de dezembro foi importada para ooriente mais tarde: em Antioquia por João Crisóstomo, nofinal do século IV, provavelmente, em 388, e em Alexandriasomente no século seguinte Mesmo no ocidente, acelebração da natividade de Jesus em 6 de janeiro parece tercontinuado até depois de 380.No ano 350, o Papa Júlio I levou a efeito uma investigaçãopormenorizada e proclamou o dia 25 de Dezembro comodata oficial e o Imperador Justiniano, em 529, declarou-oferiado nacional
  • 10-Costumes de natalMuitos costumes populares associados ao Nataldesenvolveram-se de forma independente da comemoração donascimento de Jesus, com certos elementos de origens emfestivais pré-cristãos que eram celebradas em torno do solstíciode inverno pelas populações pagãs que foram mais tardeconvertidas ao cristianismo. Estes elementos, incluindo omadeiros, do festival Yule, e a troca presentes, da Saturnalia,tornaram-se sincretizados ao Natal ao longo dos séculos. Aatmosfera prevalecente do Natal também tem evoluídocontinuamente desde o início do feriado, o que foi desde umestado carnavalesca na Idade Média, a um feriado orientadopara a família e centrado nas crianças, introduzido na Reformado século XIX. Além disso, a celebração do Natal foi proibidaem mais de uma ocasião, dentro da cristandade protestante,devido a preocupações de que a data é muito pagã ouantibíblica
  • 11-Os reis magosOS TRES REIS MAGOS surgem como sábios vindos doOriente com o propósito de venerarem o Menino Jesus, onovo Rei dos Judeus que tinha nascido.O caminho até Belém onde se encontrava o Menino, é-lhesindicado por uma estrela, a Estrela de Belém e devido àgrande distância percorrida pelos Reis Magos até lá, diz-seque a visita destes se fez no dia 6 de Janeiro.É no Evangelho de S. Mateus que encontramos a únicareferência à existência dos Reis Magos. Foi no séc. V queOrígenes, erudito da igreja antiga e Leão Magno, sacerdote emais tarde Papa e Santo, lhes conferem o título de ReisMagos. E só no séc. VII é que lhe foram atribuídos nomes:Gaspar ("aquele que vai inspeccionar), Baltazar ("Deusmanifesta o Rei") e Belchior/Melchior/Melquior ("meu Rei éluz"). No séc. XV é associada uma raça a cada um dos ReisMagos, de modo a representar toda a raça humana que seconhecia na época.
  • Na antiguidade, era costume oferecer-se ouro a um Rei, incenso aum Sacerdote e mirra a um Profeta. Por isso Belchior, de raçabranca, ofereceu ouro reconhecendo-Lhe realeza; Gaspar,representando a raça amarela, ofereceu-Lhe incenso atribuindo-lhe divindade e, finalmente Baltazar, de raça negra, ofereceu mirraque representava a imortalidade.É na idade média que começa a devoção aos Reis Magos e, no séc.VI as suas relíquias são levadas de Istambul para Milão. Sendo jáconsiderados Santos em 1164, foram levados para a catedral deColónia, na Alemanha.Actualmente, os Reis Magos fazem parte das tradições de Natal,nomeadamente pelas suas figuras, que são colocadas junto aopresépio. Celebram o nascimento de Jesus, através da sua visita eda oferta de presentes, criando-se a tradição de trocar prendasnesta época festiva. Daí que, em países como a Espanha, seproceda à troca de prendas só no dia 6 de Janeiro.
  • A todos os meus amigos eudeixo uma simples mensagem:Se fores... vai mais longe! Sefizeres... faz diferente! Se rires...ri até chorar! Se sonhares...sonha mais alto! Se arriscares...arrisca tudo! Se pensares...pensa por ti! Se saíres... sai darotina! Se mudares... muda tudo!Se contares... CONTA COMIGO!!!Feliz Natal & Bom Ano Novo!!
  • Este trabalho foi realizado porAna Teresa, Ana Margarida eMariana.Espero que tenham gostado!!!!