Sistema Neuro-hormonal

11,492 views
11,479 views

Published on

Published in: Education
1 Comment
9 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
11,492
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,094
Actions
Shares
0
Downloads
23
Comments
1
Likes
9
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sistema Neuro-hormonal

  1. 1.
  2. 2. Manter a vida humana, em todas as suas dimensões, implica a coordenação entre os vários sistemas de órgãos. <ul><li>Na coordenação do organismo intervêm: </li></ul><ul><li>Sistema nervoso </li></ul><ul><li>Sistema endócrino ou hormonal </li></ul>
  3. 3. Sistema neuro-hormonal <ul><li>Via Nervosa </li></ul><ul><ul><ul><li>Controla o funcionamento do nosso corpo e permite que nos relacionemos com o mundo que nos rodeia; </li></ul></ul></ul><ul><li>Via Hormonal </li></ul><ul><ul><ul><li>Coordena o funcionamento do nosso corpo. </li></ul></ul></ul>
  4. 4. O Sistema Nervoso <ul><li>Constituição </li></ul><ul><li>Coordenação Nervosa </li></ul>
  5. 5. Como é constituído? <ul><li>Sistema Nervoso Central </li></ul><ul><li>Sistema Nervoso Periférico </li></ul>
  6. 6. Sistema Nervoso Central <ul><li>Constituído por: </li></ul><ul><ul><li>Encéfalo que se encontra protegido pela caixa craniana e pelas meninges </li></ul></ul><ul><ul><li>Um cordão nervoso ou espinal medula que se encontra protegida pela coluna vertebral </li></ul></ul>
  7. 7. O Encéfalo <ul><li>Constituído por: </li></ul><ul><ul><li>Cérebro </li></ul></ul><ul><ul><li>Cerebelo </li></ul></ul><ul><ul><li>Bolbo raquidiano </li></ul></ul>
  8. 8. O Cérebro <ul><li>Encontra-se dividido em dois hemisférios </li></ul><ul><li>(os hemisférios cerebrais) </li></ul>
  9. 9. O Córtex Cerebral <ul><li>Parte superficial do cérebro </li></ul><ul><li>Possui circunvoluções </li></ul><ul><li>O córtex contém zonas especializadas em diversas funções. </li></ul>
  10. 10. O Cerebelo <ul><li>Controla a postura e o equilíbrio do corpo e controla a coordenação dos seus movimentos. </li></ul>
  11. 11. O Bolbo raquidiano <ul><li>Controla funções vitais como a respiração, o ritmo dos batimentos cardíacos e a tensão arterial. </li></ul>
  12. 12. Espinal Medula <ul><li>Um cordão com cerca de 50cm de comprimento e 1cm de diâmetro. </li></ul><ul><li>Cordão constituído por tecido nervoso </li></ul><ul><li>Encontra-se protegida pela coluna vertebral </li></ul><ul><li>Área central em forma de H ou borboleta </li></ul>
  13. 13. Espinal Medula <ul><li>zona externa (periférica), constituída por substância branca </li></ul><ul><li>zona interna, constituída por substância cinzenta. </li></ul>
  14. 14. Sistema Nervoso Periférico <ul><li>Constituído por: </li></ul><ul><li>- Nervos (conjuntos de fibras nervosas envolvidas por tecido conjuntivo) </li></ul><ul><li> </li></ul><ul><li>Partem dos centros nervosos e ramificam-se para todas as partes do corpo </li></ul><ul><li>- Gânglios Nervosos (conjuntos de corpos celulares de células nervosas) </li></ul>
  15. 15. Neurónios <ul><li>Unidades estruturais e funcionais do sistema nervoso </li></ul><ul><li>Recebem, transmitem e respondem aos impulsos nervosos </li></ul>
  16. 16. Neurónio sensitivo Neurónio motor Neurónio de associação Efector Receptor Transporta a mensagem nervosa no sentido do SNC Transporta a mensagem nervosa no sentido do órgão efector Estabelece comunicação entre os neurónios sensitivos e motores Tipos de neurónios
  17. 17. A transmissão nervosa <ul><li>O impulso nervoso é transmitido de duas formas: </li></ul><ul><ul><li>A condução de informação processa-se num só sentido, ao longo dos neurónios . (Através da existência de cargas eléctricas de sinais opostos no interior e no exterior do neurónio). </li></ul></ul>Núcleo Corpo celular Axónio Dendrites
  18. 18. A Transmissão Nervosa <ul><ul><li>A transmissão de informação de neurónio para neurónio processa-se através da ocorrência de sinapses . </li></ul></ul>
  19. 19. O Sistema Nervoso reage a estímulos do exterior. Estímulos Sinais, físicos ou químicos, que impressionam os órgãos dos sentidos. Receptores Sensoriais Existentes nos órgãos dos sentidos. Luz Substâncias químicas Chama Olhos (retina) Pele
  20. 20. Estímulo SNC Resposta Nervos sensitivos Nervos motores
  21. 21. Coordenação/Respostas do Organismo <ul><li>As actividades do organismo podem ser divididas em: </li></ul><ul><ul><li>Voluntárias (Acto Voluntário); </li></ul></ul><ul><ul><li>Involuntárias (Acto involuntário ou reflexo) </li></ul></ul>
  22. 22. Acto Voluntário
  23. 23. Acto Voluntário <ul><ul><li>Controlado pelo S.N. Central – Encéfalo </li></ul></ul><ul><ul><li>Acto precedido da intenção de o executar </li></ul></ul><ul><ul><li>Acto dependente da vontade </li></ul></ul>RESPOSTA CONTROLADA PELO ORGANISMO
  24. 24. Acto involuntário ou reflexo <ul><ul><li>Inato ou adquirido </li></ul></ul><ul><ul><li>Determinado pela espinal medula e “encéfalo” </li></ul></ul><ul><ul><li>Resposta automática e involuntária, inata ou adquirida, do organismo a um estímulo exterior </li></ul></ul>RESPOSTA AUTOMÁTICA E INVOLUNTÁRIA DO ORGANISMO
  25. 25. Acto involuntário ou reflexo <ul><li>Quanto ao modo como surgem, os actos reflexos classificam-se em : </li></ul><ul><ul><li>Reflexos inatos – nascem connosco </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex. sucção, preensão </li></ul></ul><ul><ul><li>Reflexos condicionados ou adquiridos – obtêm-se pela aprendizagem. O encéfalo memoriza a experiência. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex. travar o carro em situação de emergência </li></ul></ul>
  26. 26. Acto involuntário ou reflexo
  27. 27. Sistema Nervoso Periférico estabelece relações com órgãos cuja actividade depende da nossa vontade coordena os actos involuntários Cranianos (12 pares) Raquidianos (31 pares) - Estimula a actividade dos orgãos - prepara o organismo para uma emergência - Inibe a actividade dos órgãos - Intervém nos processos de recuperação Simpático Parassimpático Somático Autónomo Gânglios nervosos Nervos pode ser constituído por podem ser pode ser
  28. 28. <ul><li>Exemplo: uma batida repentina na porta a meio da noite (produz uma grande quantidade de impulsos simpáticos). </li></ul>Sistema Nervoso Simpático Sistema Nervoso Parassimpático <ul><li>encarrega-se de restituir a energia, </li></ul><ul><li>reduz as frequências cardíacas </li></ul><ul><li>Relaciona-se principalmente com as actividades funcionais que ocorrem quando tudo está tranquilo e silencioso. </li></ul><ul><li>pupilas dilatam-se, </li></ul><ul><li>pele fica arrepiada, </li></ul><ul><li>coração bate mais rapidamente, </li></ul><ul><li>vasos sanguíneos periféricos contraem-se elevando a pressão arterial. </li></ul><ul><li>Distribui-se o sangue de maneira que se dirija ao coração, o cérebro e o músculo esquelético. </li></ul><ul><li>Aumentam os movimentos respiratórios, isto é, o corpo inteiro está em alerta. </li></ul><ul><li>Ao mesmo tempo, as funções corporais que não são de ajuda são suprimidas. </li></ul>
  29. 29. Sistema nervoso autónomo
  30. 30. O sistema hormonal (endócrino)
  31. 31. Comunicação Hormonal <ul><li>A comunicação hormonal realiza-se por via química, através de hormonas . </li></ul><ul><li>Somente determinadas células, chamadas células-alvo , ou células efectoras, que possuem, na membrana ou no citoplasma, proteínas denominadas de receptores , capazes de se combinarem, especificamente, com as moléculas da hormona. </li></ul>Célula endócrina Capilar sanguíneo Células-alvo Receptor Célula endócrina Célula não afectada Célula-alvo Receptor
  32. 32. Glândulas Endócrinas
  33. 33. Glândulas endócrinas
  34. 34. Célula neuroendócrina (hipotálamo) Neuro-hormona Transporte no sangue Célula-alvo (hipófise) Resposta <ul><li>Grande parte da actividade endócrina é controlada, directa ou indirectamente, pelo hipotálamo (região do cérebro que estabelece a ligação entre o sistema nervoso e o sistema hormonal). </li></ul>Estímulos Hipotálamo (neurónios hipotalámicos) Neuro-hormonas Hipófise (glândula pituitária) O hipotálamo, depois de analisar todos os dados, «toma decisões»e «dá ordens», determinando através de estímulos nervosos e neuro-hormonas, que a hipófise aumente ou diminua a produção hormonal.
  35. 35. Interacção neuro-hormonal na coordenação do organismo O hipotálamo e a hipófise determinam o funcionamento de outras glândulas endócrinas, de modo a que haja uma concentração adequada de cada hormona no sangue e, consequentemente, a coordenação do organismo.
  36. 36. Reacção do nosso corpo a uma situação de emergência
  37. 37. RECEPTORES (TERMORRECEPTORES DA PELE) CENTRO REGULADOR (HIPOTÁLAMO) EFECTORES (VASOS SANGUÍNEOS E GLÂNDULAS SUDORÍPARAS) Resposta ao aumento da temperatura corporal: FIM DA ESTÍMULAÇÃO VALOR RESTABELECIDO (37ºC) DIMINUIÇÃO DA TEMPERATURA CORPORAL RESPOSTA VASODILATAÇÃO E AUMENTO DA PRODUÇÃO DE SUOR ESTÍMULO (AUMENTO DA TEMPERATURA) Mecanismos fisiológicos de termorregulação no ser Humano
  38. 38. Resposta à diminuição da temperatura corporal: ESTÍMULO DIMINUIÇÃO DA TEMPERATURA RECEPTORES (TERMORRECEPTORES DA PELE) CENTRO REGULADOR (HIPOTÁLAMO) EFECTORES (VASOS SANGUÍNEOS E MÚSCULOS) FIM DA ESTÍMULAÇÃO VALOR RESTABELECIDO (37ºC) AUMENTO DA TEMPERATURA CORPORAL RESPOSTA VASOCONSTRIÇÃO, TREMURAS E AUMENTO DAS REACÇÕES GERADORAS DE CALOR Mecanismos fisiológicos de termorregulação no ser Humano
  39. 39. Mecanismo de controlo de água no organismo pela ADH Quantidade de água no sangue Células cerebrais sensíveis á pressão osmótica Hipófise liberta ADH Permeabilidade do tubo colector Reabsorção de água para o sangue Quantidade de água no sangue  Quando ocorre diminuição da quantidade de água no meio interno: Aumento Diminuição
  40. 40. Mecanismo de controlo de água no organismo pela ADH  Quando ocorre aumento da quantidade de água no meio interno: Quantidade de água no sangue Células cerebrais sensíveis à pressão osmótica Hipófise é inibida a libertar ADH Quantidade de água no sangue Permeabilidade do tubo colector Reabsroção de água para o sangue Aumento Diminuição

×