Uma aventura no oceano

  • 892 views
Uploaded on

"Escrita na Ponta de Um Lápis" - Turma 3 (2º ano) da EB1 de Oliveira de Azeméis, nº 4

"Escrita na Ponta de Um Lápis" - Turma 3 (2º ano) da EB1 de Oliveira de Azeméis, nº 4

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
892
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Certo dia de verão, o Luís viajou com os seus pais até ao México, a caminho de umas férias inesquecíveis.
  • 2. Divertiu-se imenso com os seus brinquedo e atéconseguiu fazer um castelo de areia com a ajuda dos seus pais.
  • 3. Como o mar estava muito calmo o meninomergulhou imensas vezes. Estava deliciado com aquela água!
  • 4. Vestiu o seu fato de mergulho e calçou as barbatanas para poder observaraquela paisagem aquática. Nadou, nadou até que avistou um golfinho que seaproximou dele. Divertiram-se juntos com grandes mergulhos e acrobaciasdentro e fora de água.A dada altura o golfinhoperguntou-lhe:-Queres vir conhecer aGolfilândia?-O menino arregalou osolhos e gaguejou:- Tu… tu… tu… fa… fa…falas?!-- Sim. Eu conheço alinguagem dos homens.O Luís estava encantado com o seu novo amigo.-Como é que a aprendeste?-- Aprendi na Golfilândia. Os golfinhos mais velhos foram treinados por humanos eagora ensinam-nos a nós. Queres vir conhecer a minha família?-- Claro que quero! Levas-me até lá?-- Segura-te a mim.-- Está bem, mas não vás muito rápido, quero apreciar toda a paisagem e além dissonão estou habituado à tua velocidade!
  • 5. Chegaram a determinado sítio e o golfinho parou. O menino só via uma rochaenorme à sua frente. Foi então que o golfinho pôs a barbatana caudal encostadaà rocha e ela abriu. Assim surgiu uma maravilhosa “cidade” subterrânea cheiade cor.
  • 6. -Quem é esta criatura? – perguntou o pai do golfinho.-- Este é o Luís. Um menino que conheci na praia e com quem me diverti muito –respondeu o golfinho – ele quis vir conhecer a nossa família.
  • 7. O Luís apercebeu-se que estava um grupo de golfinhos a brincar com uma bolareluzente e questionou-os:-Que bola tão reluzente! Parece de ouro! Faz parte de algum tesouro? Um dos golfinhos respondeu:-- Estás a ver aquela sombra ali ao fundo? É um barco pirata! Ela foi lá encontrada!
  • 8. Os golfinhos convidaram-no a entrar no jogo e ele aceitou mas anecessidade de ar do Luís cada vez aumentava mais e ele tinhaurgentemente de regressar à superfície.
  • 9. O golfinho acompanhou-o nesta trajetória e quando regressaram omenino foi logo surpreendido com a bola na sua direção e foi assimque entrou logo no jogo. Enquanto brincavam juntos muitoconsolados viram uma sombra a deslocar-se na direção deles. Era umtubarão! Fugiram todos para trás das algas e deixaram a bola que foiengolida pelo feroz tubarão. Devia pensar que era comida!
  • 10. Ao longe o professor polvo, que treinava os seus alunos, avistou o alvoroço naGolfilândia. Dirigiu-se logo para lá seguido das suas alforrecas aprendizes,imobilizou o tubarão com os seus tentáculos e a bola saiu. As alforrecastambém cercaram o tubarão que acabou por morrer com os choquesvenenosos.
  • 11. Com esta agitação o Luís ficou muito assustado. Os golfinhos ao ver opânico na cara do menino resolveram levá-lo à superfície eofereceram-lhe a bola dourada.
  • 12. Os pais viram o menino chegar e dirigiram-se logo para ele. Ao escutarem asua aventura os pais sussurraram um para o outro: “Ele tem cá umaimaginação!”…
  • 13. • Turma 2 • 2ºano• EB1 de OAZ nº4