• Save
EB1/JI de Oliveira de Azeméis, nº 4
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
897
On Slideshare
535
From Embeds
362
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 362

http://escritanapontadeumlapis.wordpress.com 362

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 5. – O Fiti lava as mãos.1. – O Fiti acordou. 6. – Ele vai vestir-se.2. Ele lava os dentes. 7. – O Fiti vai estudar.3. Ele penteia-se. 8. – Ele toma o almoço.4. O Fiti toma o chá quentinho. Francisca Almeida Silva Turma OA4-1
  • 2. Vanessa Paloma João Laureano Turma OA4-1
  • 3. 5. – Lavar as mãos.1. – Dormir. 6. – Abrir a porta.2. Lavar os dentes. 7. – Estudar.3. Pentear 8. – Comer o lanche.4. Tomar o pequeno-almoço. Miguel da Silva Ferreira Turma OA4-2
  • 4. Miguel da Silva Ferreira Turma OA4-2
  • 5. Turma OA4-3
  • 6. Turma OA4-3
  • 7. Turma OA4-3
  • 8. Turma OA4-3
  • 9. O Coelho de Páscoa O coelho da Páscoa, trabalhava numafábrica de chocolates em Portugal. Nesta épocatem muito que fazer, para que nenhum meninofique sem o seu ovo de chocolate no domingo dePáscoa.O Tiago, era assim que se chamava o coelhinho,estava muito cansado e ficou doente. Agora, todosficaram preocupados, porque não havia ninguémque distribuísse os ovos. Depois de muito pensar, ocoelhinho decidiu pedir ajuda ao pintainho e àgalinha. Tiago, pediu ao pombo correio para levaruma mensagem urgente à galinha e ao seu filho.Eles vieram logo a correr para ajudaro coelhinho. Continua…
  • 10. O coelhinho explicou-lhe o que se passava ecomo costumava esconder os ovos para queos meninos os pudessem encontrar nodomingo de Páscoa. A mãe e o pintainho apressaram-se afazer tudo o que o coelhinho lhes dissera, paraque nenhum menino ficasse triste no domingode Páscoa. No domingo de Páscoa tudo correucomo o coelhinho queria e os meninosficaram todos contentes por encontrar os seusovinhos. Tiago Coelho Turma OA4-6
  • 11. A fada teimosa e a raposa matreira Numa floresta encantada, vivia uma fadabonita, mas muito teimosa. Gabava-se por serbastante inteligente e por ter tudo o que queria.Ela era muito rica, e nem adivinham porquê!!!..Pois eu vou contar-vos…. Há muitos muitos anos, a fada fez um feitiçocom a sua varinha de condão…apontou a suavarinha para uma árvore e de repente,começaram a nascer moedas e notas nos ramosdaquela árvore. Aquela era uma árvore especial,pois era diferente de todas as árvores. Turma OA4-7
  • 12. Certo dia, mesmo no final da tarde….umaraposa manhosa, mas mesmo muitomanhosa, estava a passear e viu dinheiro acair daquela estranha árvore. Da primeira vezpensou que estava com visões; mas depoisviu a fada a apanhar o dinheiro que estava nochão. A raposa esperou que a fada entrassedentro de casa para ela poder roubar-lhedinheiro. Logo que a fada entrou em casa, araposa saltou o muro e subiu à árvore paraver quando caía dinheiro. Esperou dezminutos e….começou a chover dinheiro. Araposa apanhou-o e fugiu. Turma OA4-7
  • 13. Mas a meio do caminho, eis senão quedeu um valente “tralho” e a fadaapanhou-a a roubar dinheiro. Inicialmentediscutiram mas passado um pouco o fadaacalmou-se, pois não queria discutir maise no fundo, reconheceu a esperteza daraposa.Ambas aprenderam uma grande lição: Araposa nunca mais tirou nada a ninguém,e a fada por sua vez aprendeu a nãomenosprezar as qualidadesdos outros. Turma OA4-7
  • 14. Turma OA4-7
  • 15. A gruta misteriosa Numa bela tarde de verão, a Carolina, a Ana, oPedro e o Eduardo decidiram ir dar um passeioao Parque das Silvas. Subitamente, os quatroirmãos caíram de uma pequena ponte e foramparar em frente a uma gruta. Decidiram entrar,pois eram muito curiosos. O grupo viu coisas maravilhosas! Morcegos,teias de aranha, rochas brilhantes e ruídosestranhos davam à gruta uma magia estranha.Todos estavam assustados, mas ao mesmotempo intrigados, pois nunca tinham estadonum espaço tão único. Turma OA4-8
  • 16. Eduardo já tinha ouvido falar daquele lugarsecreto e lembrou-se de uma velha lenda que oseu avô lhe contara, que dizia que aquela grutacontinha um tesouro escondido por egípcios eque ainda ninguém tinha descoberto. Assim, orapaz contou aos irmãos que, segundo a lenda,para entrarem na galeria do tesouro tinham deresolver um enigma, mas só teriam direito a trêstentativas. Ficaram todos entusiasmados com a ideia deencontrar um tesouro milenar e procurarampistas para o enigma. Subitamente, o Pedrogritou: Turma OA4-8
  • 17. - Venham depressa! Vejam asinscrições gravadas nesta parede. Dizassim: “Um Papa está na margem de umrio, o outro está na outra margem. O rioestá cheio de crocodilos e não há barcos,nem pontes para o atravessar. Como éque poderão dar um aperto de mão?” De imediato a Carolina respondeu: - Já sei! Os Papas atravessam o rio anado… Turma OA4-8
  • 18. Ouviu-se um estrondo e algumas rochas dagruta desabaram. - Então e os crocodilos, Carolina? Pelos vistosessa resposta não é a correta. Temos que acertarbrevemente, caso contrário corremos o risco deficar presos. Não sejamos precipitados irmãos.Pensem bem antes de dar a resposta. –Aconselhou o Eduardo. Todos refletiram e o Pedro, de súbito,exclamou: - Dois Papas!? Nunca ouvi tal coisa! - É isso mesmo! Só existe um Papa !… -descobriu o Eduardo. Turma OA4-8
  • 19. A resposta do enigma tinha sido encontrada, oque fez com que uma grande rocha sedeslocasse, dando acesso à galeria onde estavaescondido o tesouro. No centro da galeria haviaentão um sarcófago em ouro, aberto e cheio dejoias que deveriam ter pertencido a faraósegípcios. Os quatro irmãos encheram asalgibeiras com o que puderam e correram para asaída antes que a gruta ruísse. Já no exterior mostraram uns aos outros o quetinham conseguido apanhar e decidiram que omais correto a fazer era entregar aquelesachados a um museu. Turma OA4-8
  • 20. O que eles não sabiam é que iriamreceber uma recompensa peladescoberta desse tesouro. E assim, comessa recompensa puderam comprarequipamento de arqueologia e deexploração, para poderem viver maisaventuras emocionantes em busca denovos tesouros. Texto e ilustração: Pedro Soares Marques e Eduardo Monteiro Turma OA4-8
  • 21. O que eles não sabiam é que iriamreceber uma recompensa peladescoberta desse tesouro. E assim, comessa recompensa puderam comprarequipamento de arqueologia e deexploração, para poderem viver maisaventuras emocionantes em busca denovos tesouros. Texto e ilustração: Pedro Soares Marques e Eduardo Monteiro Turma OA4-8