• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Workshop de webwriting na UFPB
 

Workshop de webwriting na UFPB

on

  • 419 views

Na última sexta-feira, dia 25 de outubro, aconteceu mais uma edição do curso de webwriting, na UFPB. ...

Na última sexta-feira, dia 25 de outubro, aconteceu mais uma edição do curso de webwriting, na UFPB.

Durante o curso de webwriting foram abordados intensamente os seguintes tópicos:

- O que é webwriting?
- Como escrever?
- Princípios do webwriting.
- O foco no usuário.
- Como tornar a leitura mais atraente.
- Como escolher um tema para escrever.
- A influência do design no webwriting.
- Como estabelecer empatia com o seu público.
- Hábitos de leitura e leitura escaneada.
- Design do corpo do texto.
- Criando títulos para a internet.
- Hierarquia de títulos e estilo.
- Limites do texto.
- Como conduzir e orientar o usuário através do texto.
- Otimização de imagens e vídeos.
- Fontes de tráfego.
- Objetivos do webwriting.
- Checklist de webwriting.

Statistics

Views

Total Views
419
Views on SlideShare
419
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
14
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Workshop de webwriting na UFPB Workshop de webwriting na UFPB Presentation Transcript

    • Produzindo conteúdo para a web de forma impressionante
    • Aprendendo a escrever
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    • 6
    • panda e pinguim
    • Com as atualizações Panda e Pinguim, o Google se posicionou oficialmente como um buscador que da mais relevância ao conteúdo do que a truques de SEO. Por isso, o conteúdo bem produzido passou a ser fator chave para que um website esteja bem posicionado.
    • 22/05 Google lança o Pinguim 2.0 A nova atualização do Pinguim traz uma nova geração de algoritmos, que conseguem analisar mais profundamente a qualidade de links de um site. Por isto, é cada vez mais importante focar em bom conteúdo, para conseguir links em sites de qualidade e de forma natural.
    • Setembro/2013 Google lança o Hummingbird A nova atualização buscador muda completamente a maneira de fazer buscas online. A ideia é integrar o algoritmo do Facebook aos dispositivos móveis e facilitar a resposta de perguntas como “qual o restaurante mais perto do trabalho”?
    • O que é webwriting pra você?
    • O que não é webwriting... Webwriting não pode ser traduzido como redação online, porque não se trata apenas de uma técnica de redação. Webwriting não pode ser traduzido como jornalismo online. O jornalismo online é que é o ramo do webwriting dedicado a produção de notícias online. Webwriting não pode ser entendido como SEO de conteúdo, porque não visa apenas otimizar o conteúdo, mas sim torná-lo amigável ao leitor. ... afinal, o que é webwriting?
    • Webwriting é o conjunto de técnicas que auxiliam na distribuição de conteúdo informativo em ambientes digitais. A função do webwriting é realizar o casamento perfeito entre o conteúdo relevante que irá chamar a atenção dos leitores e ao mesmo tempo escolher corretamente as palavras chaves, tags, que irão compor o texto usando as ferramentas de SEO.
    • O “papa” do webwriting - Crawford Kilian é autor de Writing for the Web (lançado em 1998 e, hoje em sua 4ª edição), além de ser um professor universitário e um romancista canadense. - Os estudos de Kilian são focados no comportamento do texto em ambientes digitais. - O livro de Kilian, ainda não possui tradução ou Adaptação para o português.
    • Os princípios do webwriting
    • Persuasão Seu discurso precisa estar bem amarrado em argumentos sólidos. Portanto, dê atenção ao que está escrevendo, valorize sempre o gancho emocional com o leitor, explicite o seu ponto de vista e crie credibilidade. Ao final do seu texto, o leitor deve saber muito bem o que fazer. Chame-o para a ação.
    • Objetividade Vá direito ao ponto, sem rodeios, sem meias palavras, sem falsas promessas. Pense sempre se as informações estão completas, se faltaria algum aspecto a ser abordado, se existe informação em excesso. Não enrole o leitor!
    • Visibilidade Dê destaque às informações mais importantes – é por conta delas que o leitor está ali e, se você não dar ênfase a elas, eles vão sair da sua página. Mostre o que precisa ser mostrado, destaque, em listas ou numericamente, o que o leitor quer ler.
    • Navegabilidade Guie o usuário como um guia turístico. Primeiro capture a curiosidade do usuário, depois a atenção e aí sim o interesse do usuário. Somente depois disso, deixe que ele saiba mais sobre você. O título do link deve ser o título da página de destino.
    • Cavalheiros, vocês tinham minha curiosidade, mas agora vocês têm minha atenção.
    • NUNCA se esqueça dessas 4 regras fundamentais antes de escrever!
    • Benefícios do webwriting 1. Produção de conteúdo focado no hábito de leitura dos leitores da web. 2. Criação da reputação (seja marca pessoal ou corporativo) em torno de assuntos. 3. Otimização de conteúdo com técnicas mais valorizadas pelos buscadores. 4. Produção de conteúdo focado em 2 frentes: leitores e buscadores. 5. Fazer o conteúdo ser lido, compartilhado e espalhado pela internet.
    • ... e se, eu não usar webwriting?
    • no usuário
    • O foco no usuário deve ser o mantra do webwriting, uma vez que ele é a razão de ser da produção de qualquer conteúdo. É preciso estudar o comportamento do usuário, levar em consideração como eles interagem na internet com o conteúdo: fotos, gráficos, textos, animações. Nenhum conteúdo deve ser jogado sem nenhuma razão de ser nas páginas. Todos os elementos precisam estar em harmonia em um texto, complementando a mensagem principal e reforçando os argumentos de um website ou conteúdo.
    • Um erro muito comum em sites institucionais é reproduzir conteúdo de publicações impressas sem nenhuma adaptação. A leitura online tem características diferentes. O leitor online tem o hábito de varrer uma página em busca de informação, o que chamamos de busca escaneada: passando os olhos pela página procurando algo de interesse.
    • Como ter um termômetro do meu site?
    • Conclusão 1. Os leitores varrem a página em formato de F (o que chamamos de leitura escaneada). 2. O leitor busca por informações no topo do site e só se aprofunda se tiver algo de interesse pela página. 3. Imagens são responsáveis por mais de 40% da atenção de leitores e usuários. 4. A leitura na web segue o fluxo da escrita: da esquerda para a direita. 5. As pessoas precisam se interessar pelo que você escreveu em poucos segundos, senão abandonam a sua página.
    • Como o design fala a favor do webwriting... Cores limpas, sem poluição visual, abusando de cores que estimulam a leitura em campos de texto (como cinza claro e branco). Títulos visíveis em fontes de fácil leitura e de maneira que mostrem a divisão do conteúdo pelo texto, principalmente com fontes estilo ‘rounded’ ou sem serifa. Com conteúdo no corpo do texto em letras serifadas, que dão mais conforto à leitura e são mais amigáveis ao leitor, cansando menos a vista.
    • O fator encontra bilidade
    • ... antes da escrita Antes do processo de investigação escrita, produção e otimização de conteúdo é preciso assegurar que seu website está estruturalmente otimizado com as palavras-chaves pertinentes. Essa é a base para que o conteúdo chegue até os leitores e se espalhe pela internet. Portanto, antes de partir pra ação é preciso saber responder: como os usuários chegarão até meu conteúdo?
    • En.con.tra.bi.li.da.de É a facilidade de localização de informações, serviços na web. Tanto para os usuários que estão dentro do website quanto para quem está buscando informações em buscadores.
    • 1. disciplina acadêmica que define grupos de organismos biológicos, com base em suas características comuns. 2. ramo da biologia e botânica que identifica e classifica os seres vivos, animais e vegetais. 3. ciência da classificação. 4. técnica de classificação em que se dividem as palavras-chave no marketing digital.
    • grupos de palavras chave 1 2 3 navegacionais informativas transacionais
    • navegacionais Indicam que o usuário deseja encontrar um site específico. É quando o usuário busca pelo nome ou marca do produto: Apple, Coca-Cola, Nike, etc.
    • informativas Consultas informativas indicam que o usuário está procurando por informações específicas. Exemplos: dicas de jardinagem, cuidados com orquídeas, etc.
    • transacionais Uma pesquisa transacional indica que o usuário deseja realizar uma atividade na web, como “comprar flores online”, “enviar mensagens online”, dentre outras.
    • 1 Determine em qual tipo de pesquisa seu conteúdo se encaixa. Uma página que vende produtos e/ou serviços, é um bom resultado para uma pesquisa transacional. 2 Oriente sua estratégia de palavras-chave de acordo com as intenções do usuário. As páginas de produtos e/ou serviços com palavras-chave transacionais, por exemplo. 3 Monitore o seu tráfego, conversão e rejeição. Estar sempre atento aos resultados é interessante, pois confirma se as alterações nas palavras-chave trouxeram benefícios.
    • quando o design atrapalha
    • Conclusão 1. Banners exagerados tiram a atenção do leitor para o conteúdo. Além de cansar a vista. 2. Muitos anúncios tiram a credibilidade de seu website/blog. 3. Confusão visual incomoda os usuários e faz com que eles abandonem a página. 4. Enquadre o website ao nível cultural e tecnológico de seus leitores. 5. Distribua/divida a página em sessões que ajudem os usuários a se localizar e decidirem o próximo passo.
    • O processo de redação começa antes da escrita
    • O que? Quem? Quando? Onde? Como? Por que? o que o seu conteúdo precisa responder? ... de preferência no primeiro parágrafo.
    • Com isso, podemos concluir que, para chamar atenção do leitor, que tem o hábito de leitura escaneada, devemos dar destaque ao mais importante, que sempre deve estar no topo, revelando a essência do texto mas, mantendo, através de ganchos, parágrafos limpos e concisos, a essência do leitor até o final do texto.
    • ... desenvolvendo sua voz editorial O objetivo de definir um tom e uma voz não é simplesmente levar as pessoas à ação, mas sim fazer com que sintam uma conexão emocional ao interagir com o conteúdo de uma página web. Atrás de cada texto, há pessoas. E nada melhor do que fazer perguntas a todas elas para descobrir qual é a sua voz de publicação. O que você faz? Se fosse uma pessoa, como você a descreveria? Como você quer que as pessoas se sintam ao visitar o seu site? A ideia é criar uma lista de adjetivos com respostas emocionais. Quanto mais emocionais, melhor. A partir daí, pode-se começar a desenhar “personas” com as quais o site mantém contato constante.
    • narrativa descritiva dissertativa (opinativa) hard news
    • Você sabe com quem está falando? Qual é o perfil do seu leitor?
    • Perfil do usuário de internet no Brasil
    • Os acessos ultrapassaram 88 milhões em janeiro/2013.
    • Brasil é o TERCEIRO país em número de usuários ativos na internet.
    • Vendas de tablets mais que triplicou Em 2012.
    • Varejistas investirão 55 bilhões de dólares em marketing móvel até 2015.
    • Gasto mundial com publicidade móvel atingirá 11,4 bilhões de dólares neste ano.
    • onde está o seu leitor no meio disso tudo?
    • hora de colocar a mão na massa
    • durante a escrita 1. Use sempre voz ativa (ex.: o gato comeu o rato) ao invés de passiva (ex.: o rato foi comido pelo rato). 2. Evite gerundismo, advérbios e adjetivos sem valor (seguramente, extremamente) e substantivos abstratos. 3. Utilize maiúsculas apenas em início de frases e nomes próprios. 4. Siglas com até 4 letras são em maiúsculas (UFRJ). Acima de 4 letras, apenas a primeira em maiúscula (Anatel). 5. Evite estrangeirismos. Quando forem indispensáveis utilize itálico.
    • a fragmentação do discurso Um meio hipertextual como a web exige utilizar formatos que aproveitem a possibilidade de fragmentar o discurso informativo e criar níveis de profundidade documental.
    • O que isso significa?
    • Longos parágrafos tornam o texto monótono, cansativo, além de dar a impressão de que o assunto é o mesmo por toda a extensão do texto. Textos escritos para a web precisam levar em conta que um parágrafo extenso é cansativo e muito fácil de fazer o usuário perder o seu raciocínio, transformando a ideia em uma grande confusão. Sendo assim, o webwriter precisa transformar o texto monótono em texto fluído com parágrafos curtos, sempre com o gancho para o próximo parágrafo. A estrutura de parágrafos ideal é algo em torno de 25 a 36 palavras – 2 a 3 linhas.
    • por onde começar a escrever?
    • 1 2
    • Muitas pessoas têm uma rejeição natural pelo Word e acreditam que ele suja o código depois na hora de copiar o conteúdo para o CMS. Além disso, outras pessoas têm um conflito pessoal com o editor de texto e têm o seu editor favorito.
    • Código colado diretamente do Word no Wordpress: sem “sujeira”.
    • Como produtores de conteúdo temos que trabalhar em uma ferramenta que nos auxilie a ter o melhor desempenho como escritores. E infelizmente, nenhuma outra ferramenta (Google Docs, Dreamweaver ou editores alternativos) foram feitas para escritores. O Word e o Scrivener são as melhores opções do mercado.
    • estilo do texto
    • como chamar a atenção do leitor para o texto
    • O design da estrutura do texto precisa ser agradável ao leitor. Usar negritos em termos de destaque, itálicos, estrutura de títulos para dividir o texto esteticamente, intercalá-los com imagens e vídeos, tornando-o mais suave e sutil ao leitor.
    • a página perfeita
    • título e subtítulo
    • conteúdo
    • legibilidade
    • fontes
    • imagens
    • vídeos
    • call to action
    • compartilhamento social
    • estrutura de URL
    • tag de título
    • description
    • Google Athorship
    • tempo de carga
    • links internos/externos
    • o que você precisa saber sobre títulos
    • como escrever títulos 1. Dê preferência à palavra-chave principal no título do artigo. 2. Evite utilizar grandes títulos. Seja direto. E lembre-se: o medo de perder faz as pessoas clicarem mais do que a possibilidade de ganhar. 3. Títulos curtos ajudam na exibição completa quando listados no Google, enquanto títulos grandes acabam não aparecem completamente nos buscadores. 4. Escreva títulos preferencialmente com verbos de ação. 5. Faça perguntas polêmicas. Isso desperta a curiosidade das pessoas.
    • anatomia do corpo do texto
    • como organizar o corpo do texto? 1. Escreva frases diretas e objetivas, sem rodeios. Prefira pontos a vírgulas. E parágrafos curtos de, no máximo, 3 a 4 linhas. 2. Não abuse da paciência do leitor. Não faça rodeios. Tente ser o mais simples e direto possível. 3. Use entre 500 a 1000 palavras por texto (2 a 4 páginas). Intercale a produção de conteúdo: um conteúdo mais profundo – maior – entre conteúdos menores. 4. Divida o texto em subtítulos e fragmentos, para não fica maçante. 5. Expresse números como números. São 5 e não cinco. 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 0. 6. Sempre use apoio visual: imagens, vídeos, áudio, apresentações.
    • parágrafo extenso e maçante Em uma reunião, geralmente, estabelecemos prazos para as coisas: para terminar um texto, para enviar uma proposta para o cliente, para executar uma tarefa, etc. A nossa vida gira ao redor dos prazos, e da maneira com que nos comportamos quando temos prazos para cumprir e tarefas para entregar. Quando nos comprometemos a cumprir um prazo, temos um poderoso motivador, porque isso coloca a nossa reputação em jogo; os profissionais que não conseguem cumprir prazos estão arriscando a desaprovação – e às vezes até mesmo a ira – de seus colegas, clientes, fornecedores ou até mesmo chefes.
    • parágrafo fluído e texto limpo Em uma reunião, geralmente, estabelecemos prazos para as coisas: para terminar um texto, para enviar uma proposta para o cliente, para executar uma tarefa, etc. A nossa vida gira ao redor dos prazos, e da maneira com que nos comportamos quando temos prazos para cumprir e tarefas para entregar. Quando nos comprometemos a cumprir um prazo, temos um poderoso motivador, porque isso coloca a nossa reputação em jogo. Os profissionais que não conseguem cumprir prazos estão arriscando a desaprovação – e às vezes até mesmo a ira – de seus colegas, clientes, fornecedores ou até mesmo chefes.
    • SEO para conteúdo
    • checklist de SEO a palavra-chave aparece no primeiro parágrafo o slug (URL) da página é curto e breve a meta description tem 150 caracteres links internos imagens possuem tags title, alt e legenda a palavra-chave aparece na URL da página
    • a palavra-chave está no título a palavra-chave está na descrição o texto tem (no mínimo) 500 palavras densidade da palavra-chave até 4% o título da página tem mais de 40 caracteres e menos de 70 a palavra-chave aparece nos subtítulos
    • por que destacar as palavras-chave? 1. Para que os buscadores entendam que esta palavra-chave tem a ver com o conteúdo. 2. Dar força ao conteúdo. 3. Sinalizar quais palavras-chaves devem ser indexadas em destaque. 4. Ajudar que o conteúdo seja indexado mais rapidamente pelos buscadores com foco na palavra chave. ANTENÇÃO: Não abuse desse recurso! Utilize apenas 1 palavra por artigo.
    • LINKS como fazer? por que fazer? quando fazer? onde fazer?
    • todo conteúdo deve servir como um mergulho de snorkell, oferecendo, caso o leitor se interesse, mais referências através de links.
    • links internos Porque o objetivo é fazer o leitor navegar pelo seu site. Não apenas ler 1 artigo e ir embora.
    • motivos para fazer links internos 1. Fazer com que os leitores continuem navegando pelo seu website. 2. Aprofundar o assunto tratado no artigo. 3. Ajudar a otimizar um determinado artigo ou página. 4. Fazer com que os leitores conheçam melhor a sua empresa. 5. Diminuir a taxa de rejeição e aumentar o tempo de visualização de seu website.
    • Porque quanto mais ligações você faz para outros sites, mais ligações você recebe de volta. links externos
    • motivos para fazer links externos 1. Criar relacionamento com outros websites do seu segmento. 2. Referenciar sites que seguem a mesma linha de pensamento. 3. Conseguir sites para fazer backlinks. 4. Aumentar o page rank do seu website. 5. Estender a discussão para outro nível, oferecer aprofundamento ao tema e, referenciar um pensamento com líderes de pensamento.
    • como fazer links?
    • o link deve ter o nome exato da página de destino.
    • Para mais informações, clique aqui. X Para maiores informações, consulte o guia de webwriting. V Um bom link precisa ter a correspondência exata no texto âncora (texto em que ele é feito). Quanto mais exata a correspondência, mais forte o link é.
    • passo-a-passo para criar links 1. Sempre utilize a correspondência exata com o título do texto de destino para o texto que servirá de âncora. 2. Sempre coloque o título exato com o texto que será o link. 3. Sempre coloque o link para abrir em uma nova janela (independente de ser externo ou interno), uma vez que muitos leitores clicam no link antes de terminar a leitura. 4. Evite links genéricos: aqui, clique aqui, veja, download e etc.
    • papel do apoio visual no webwriting
    • SEO de imagens na prática
    • Sempre nomeie as imagens com as palavras-chave. Nesse exemplo, a imagem serve para ilustrar o SEO de imagens e, sendo assim, nada melhor do que nomeá-la de SEO de imagens.
    • Repita o texto da legenda da imagem em “texto alternativo” e “título”, são 2 atributos que ajudam a contextualizar a imagem no texto.
    • O título é o texto que vai aparecer quando o mouse for posicionado em cima da imagem. É uma descrição da imagem. O texto alternativo é o texto que irá aparecer caso a imagem por algum motivo não possa ser carregada. Para não ficar sem imagem, é carregado um texto para que seja possível saber o que a imagem representa.
    • As imagens são uma forma de tirar a sobrecarga e a grande quantidade de informações de um texto, dar uma pausa na leitura, descansar a vista e fazer com que a leitura fique menos monótona. Além disso, as imagens são um excelente apoio visual, reforçando e complementando o tema em torno de um assunto.
    • o que você precisa saber sobre imagens 1. Utilize entre 1 e 3 imagens dependendo do tamanho do texto. Evite escolher imagens genéricas de banco de dados. É melhor tirar uma foto de alguém lendo do que pegar do banco de imagens. 2. Intercale as imagens com os vídeos, sempre que possível. Eles servem como embasamento para o seu conteúdo. 3. Sempre use legenda nas fotos: é uma maneira de conectá-las ao texto e, ajuda na otimização das imagens. 4. Quanto mais original a imagem, mais o seu texto será visto como algo íntegro.
    • SEO de vídeos
    • como ajudar a otimizar vídeos 1. Coloque a palavra principal do assunto do seu vídeo no título. 2. Escreva uma descrição repetindo a palavra-chave entre 3 a 5 vezes. 3. Coloque a palavra-chave principal nas categorias do vídeo. 4. Marque seu vídeo como público. 5. Se possível, faça links para outros vídeos.
    • edição e revisão do texto
    • O primeiro passo da edição e revisão do texto é buscar por erros ou inconsistências: erros de português, digitação, concordância e, frases sem sentido, que podem ser cortadas sem que o texto perca a essência. O ideal é que isso seja feito por um terceiro. Mas, caso isso não seja possível, espere o intervalo de 20 a 30 minutos e busque coisas que precisem ser consertadas, melhoradas e eliminadas.
    • O texto precisa ser simples, de fácil compreensão e conciso Isso significa cortar do texto qualquer embromação, estrangeirismo e linguagem formal que tornam o texto um manual técnico chato e sem atrativo.
    • Quem já não ouviu falar do desafio da folha em branco? Para os escritores ele é motivo de reflexões (...) para contornar esse tipo de dificuldade muitos apelam a recursos de preenchimento, cuja função é suprir o vazio de ideias. Porém, tais recursos funcionam como um atentado à concisão (...) e são clichês e falsas definições que costumam arruinar o texto. - Chico Viana
    • Crie textos entre 500 a 1.000 palavras. Esse é o tamanho ideal para plantar uma semente na cabeça do leitor e direcioná-lo para mais informações...
    • Depois de corrigir os erros e reduzir o texto, busque por trechos que merecem ser destacados (em itálico ou negrito) e, se ele estiver muito maçante, crie intertítulos (pequenos títulos que servem para realçar a mudança de assunto e dividir o texto).
    • a li nha men to o texto sempre deve estar alinhado à esquerda, uma vez que o texto justificado cansa mais a vista e atrapalha a fluidez da leitura.
    • tags e categorias
    • como usar tags e categorias? 1. Seja o mais específico possível ao escolher tags e categorias. Elas podem tanto ajudar, quanto atrapalhar o seu conteúdo ser encontrado. 2. Coloque cada texto em apenas 1 categoria. Quando escolhemos mais de 1, geramos conteúdo duplicado que é sujeito à penalidades do Google. 3. Opte por poucas tags que sejam fiéis a essência do texto, ao invés de colocar milhões de tags que nada têm a ver com o assunto tratado. 4. O Google interpreta tudo em exagero como spam. Portanto, seja específico e moderado.
    • métricas de webwriting
    • métricas de acompanhamento 1. Quantidade de visitas por período. 2. Quantidade de pessoas cadastradas em newsletters ou RSS . 3. Páginas mais visitadas. 4. Dias e horários com maior número de acessos. 5. Origem dos cliques. 6. Taxa de rejeição.
    • indicadores de sucesso 1. Número de visitantes únicos que acessaram o website. 2. Número total de visitas. 3. Número de pageviews. 4. Número de compartilhamentos. 5. Número de comentários.
    • + métricas
    • É preciso monitorar o impacto do conteúdo nos acessos e, aprender com eles. É preciso estudar os artigos mais visualizados, mais compartilhados, mais comentados e ver o que podemos aprender para novos artigos. Precisamos produzir mais conteúdo que é bem-vindo pelos leitores do que conteúdo que não tem nenhuma participação.
    • aspectos legais do webwriting
    • Quando produzimos conteúdo podemos estar infringindo o direito de alguém com nossas palavras. Portanto, assegure-se de não produzir material ofensivo e que não possa ser enquadrado como calúnia e/ou difamação. Esse precisa ser o primeiro cuidado do webwriter.
    • garanta que: 1. Você tenha autorização para reproduzir o conteúdo desejado, para que você não viole os direitos autorais de terceiros. Quando autorizado, sempre coloque no rodapé o link do artigo original. 2. Que você não fere ou contradiz o texto de um autor durante a tradução/adaptação. Sempre coloque links para o artigo original. 3. Assegure-se de comprar imagens em bancos de imagens reconhecidos ou de sempre buscar por imagens royalties free para uso não comercial (Flikr por exemplo). 4. Fique por dentro das normas creative commons.
    • Creative Commons é uma organização localizada nos Estados Unidos, voltada a expandir a quantidade de obras criativas disponíveis, através de suas licenças que permitem a cópia e compartilhamento com menos restrições que o tradicional todos direitos reservados. Para esse fim, a organização criou diversas licenças, conhecidas como licenças Creative Commons.
    • Muito Obrigado! Enrico Cardoso curso@enricocardoso.com.br