A QUEM POSSA INTERESSAR
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A QUEM POSSA INTERESSAR

on

  • 5,342 views

Sobre as acusações que a ONG Cão Sem Dono vem sofrendo.

Sobre as acusações que a ONG Cão Sem Dono vem sofrendo.

Statistics

Views

Total Views
5,342
Views on SlideShare
2,296
Embed Views
3,046

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
1

4 Embeds 3,046

http://www.caosemdono.com.br 2858
http://apadrinheumcaosemdono.blogspot.com.br 186
http://apadrinheumcaosemdono.blogspot.com 1
http://translate.googleusercontent.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Uma injustiça mesmo.

    Eu mesmo adotei a minha cachorra numa feirinha de adoção da Cão Sem Dono, em Poá - SP, no dia 12/3/2011. Posso comprovar a seriedade da instituição, que inclusive faz o adotante assinar um termo de responsabilidade.

    Pouco tempo depois, mudei para Rondonópolis - MT, e, claro, levei a Menta. Uma bela aventura, pois foram quase 1600 km de carro. Mas ela se portou muito bem e hoje, é uma cachorra muito feliz e saudável.

    A Menta é a alegria da casa! Adora passear, é muito alegre e carinhosa. Hoje ela está com 20 kg! Devo agradecer à Cão Sem Dono pela oportunidade que tive e por me proporcionar tanta alegria.

    Que a Cão Sem Dono continue a fazer o seu trabalho, sério e honesto como sempre foi.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

A QUEM POSSA INTERESSAR A QUEM POSSA INTERESSAR Document Transcript

  • A QUEM POSSA INTERESSAR “Ah...só mais uma coisa, peça para avisarem quando uma cadela estiver grávida, é mais fácil levar pra Maria José castrar do que deixar nascer, até porque eles morrem todos” (Trecho extraído de e-mail de Cláudia Pentiocinas ao Cão Sem Dono)Antes de responder às todas as questões por muitos levianamente publicados, queremosdizer que o mal que estas pessoas causaram aos membros da Direção do Cão Sem Dono,nossos 15 funcionários, aos nossos familiares e aos nossos 195 animais, pode não sermais reparável, embora sejamos fortes e cremos na Justiça e em Deus. Não nosdeixamos abater apesar da tristeza pelos ataques.Tudo o que fizeram e ainda fazem não tem como objetivo a preocupação com osanimais, pois quem busca a verdade usa a justiça legal e não faz a sua própria ou o seupróprio julgamento.Dizer que é tudo pelos cães de Parelheiros? Mentira. TODOS QUE NOS ACUSAM nuncaapareceram por 11 (onze) meses para saber como estavam aqueles animais. Não seprontificaram a ajudar nem quando fizemos um convite público para colocarem a mãona massa e tratar aqueles pobres cães que ali entravam, mas antes nunca saiam. Aliás, afrase acima exprime bem o sentimento dessas pessoas com relação à vida e aos animais.Sabemos do poder do dinheiro, mas não que ele pudesse ir tão longe. Não mesmo. E quenão venham nos falar que foi apenas por “amor aos animais”, pois em nenhummomento pensaram nos cães que estão conosco agora e que precisam comer hoje,amanha e depois. Aliás, já não pensaram nos seus quando estavam morrendo de fomeou com doenças, ou vivendo no lixo.Apesar de tudo nós vamos continuar a nossa luta do dia-a-dia para sustentar nossosanimais e tentar doá-los. Também vamos resgatar tantos quantos forem ou julgarmosnecessário. E essa será sempre uma decisão só nossa. Mais de ninguém. Nadaem nossa organização vai mudar. Temos capacidade para superar isso, bem comoesquecer que um dia essas mesmas pessoas cometeram tamanha maldade. 1
  • Não sentimos ódio pelos ataques, mas sim pena da alma pequena que devem ter. Penado pouco caso que têm pelos animais. Pena por talvez nunca colocarem a mão emsangue de um cão atropelado. Pena por só ficarem atrás de um computador com oveneno escorrendo pelos dedos e, aí sim, para verem o sangue jorrar em suas telas,aliás, o único que gostam realmente de ver.Talvez isso os agrade. Afinal, o que é destruir um grupo que há anos procura fazer umbom trabalho? O que é atingir pessoas? O que é provocar uma onda de terrorismocontra gente de bem? O que é tentar “provocar” uma “guerrinha de nervos” afetandotodo um setor? O que é dizer que muitos estão de “rabo preso” quando não conseguemcuidar nem dos seus?Com o aqui exposto, pretendemos esclarecer todos os pontos levantados por e-mails oublogs caluniosos. Lamentavelmente já sabemos que muitas pessoas só enxergarãoaquilo que querem e talvez não se deem por satisfeitas, ou por já estarem contaminadasou mal intencionadas. Algumas até pela inveja ou pelo egocentrismo.Aproveitamos o ensejo para comunicar também que nós estamos tomando todas asmedidas legais que o caso requer. Já denunciamos na Polícia através do Boletim deOcorrência de número 4617/2012 - 35ª. DP - nos crimes de DIFAMAÇÃO (art.139),CALÚNIA (art.139) e INJÚRIA (art. 140), CONSUMADOS, com apresentação de provasde que foi cometido na presença de várias pessoas e por meios que facilitem essapropagação. O documento é público e poderá ser consultado na DELEGACIA DEPOLÍCIA. Além disso, já estamos tomando providências na JUSTIÇA CÍVIL também.Caso ainda pairem dúvidas sobre nosso trabalho, nossas portas sempre estiveram esempre estarão abertas a esclarecimentos. Nosso escritório fica à Rua das Nhandirobas,122 – Parque Jabaquara – SP com horário de funcionamento das 08h00 às 18h00.Para quem desejar conhecer de perto nosso trabalho e os animais que cuidamos, nossosítio principal fica em Itapecerica da Serra – SP, à Estrada do Borba Gato, 56, erecebemos visitas das 10h00 às 17h00. Aproveitamos para informar que há câmeras desegurança em toda a área, com gravação 24 horas/dia, inibindo assim abandonos nolocal. 2
  • O TAL EMAIL DE UMA “TAL PAT LIMA”Como é de conhecimento de uma grande maioria circulou - e ainda circula - entre e-mails e também nas redes sociais, graves acusações contra a ONG CÃO SEM DONO, seupresidente, sua diretoria e também seus funcionários.O que estão fazendo, e a impressão que estão tentando passar sobre o trabalho quedesenvolvemos chega a beirar uma mescla de espetáculo teatral com humor negro,procurando dificultar ao máximo até mesmo nossa defesa, tamanha a quantidade deacusações absurdas. Nesta “onda de histeria e terrorismo” causados até agora,procuramos agir com razoabilidade, prudência e serenidade, além de poder esclarecercom fatos documentais cada ponto do que andam - os irresponsáveis de plantão –dizendo e bradando aos quatro cantos, ventos ou bytes.O QUE GEROU AS ACUSAÇÕES CONTRA O CÃO SEM DONO?A VERDADE DOS FATOS.Tudo começou quando duas contribuintes e “protetoras” dos animais – com dinheiropara ajudar animais - nos procuraram e mostraram desejo em construir canis na antiga“Chácara dos Meus Amores“, além de uma delas solicitar ingresso na Diretoria de nossaONG. Argumentamos dizendo que ali, em Parelheiros, seria impossível fazer talinvestimento por uma série de fatores, como explicaremos mais adiante.Então foi por elas sugerido transferir todos os cães da Chácara para o nosso “LarTransitório de Itapecerica da Serra”, ato este difícil de ser concretizado em função deacordos que temos com a Justiça daquela cidade. Negamos também.Não citaremos seus nomes por questões de privacidade, mesmo porque louvamos ointeresse delas nos animais da Chácara de Parelheiros entre outros. Demonstraramamar de verdade os animais e se preocuparem com eles, mas é preciso entender que nãose pode interferir em um trabalho que está sendo feito com planejamento. Em certosmomentos, quando há envolvimento de muitos animais, não é possível agir com ocoração apenas, mas também ser razoáveis e conscientes do que fazer e como fazer. 3 View slide
  • Apesar de bastante pressionados recusamos tais ofertas e isso acabou se transformandoem uma teia enorme de interesses financeiros com posterior onda de ataques de uma“tal” Pat Lima, cuja existência nós desconhecemos, nunca vimos um telefone divulgadoou mesmo endereço, embora se declare captadora de recursos da Chácara dos MeusAmores por anos, inclusive no período em que sustentamos sozinhos aqueles animais, anão ser que exista outra Chácara - que também desconhecemos -, como ela mesmapublicou em 20 de março de 2012 (período em que ainda cuidávamos sozinhosdos cães de Parelheiros) com uma conta corrente que não é a nossa.ABAIXO OS QUESTIONAMENTOS FEITOS POR UMA “TAL PAT LIMA” COM ASDEVIDAS EXPLICAÇÕES PARA CADA PONTO LEVANTADO.1) No referido e-mail, a “tal” Pat Lima, entre apresentações, diz textualmente aquantidade de cães que assumimos: “Como é de conhecimento de todos, já faz alguns anos quesou a captadora de recursos da Chácara dos meus Amores. Dona Jane faleceu, uma centena deanimais se mudaram comigo para a Chácara de Cotia e em julho, Rafael do Cão sem Dono assumiuos quase 400 animais que estavam em Parelheiros.” 4 View slide
  • A própria afirmação já é contraditória, pois se ficamos com 4oo cães como diz ela, atal Pat Lima, que afirma ter retirado 100 deles, então a chácara estava com 500animais? Claro que não, bastando ver a notícia abaixo.Os antigos administradores do local divulgaram, por ocasião do falecimento da Sra.Jane, a existência de 300 animais conforme pode ser visto em publicação do PortalR7, do dia 03 de junho de 2011, ou seja, 45 dias antes de assumirmos aqueles cães.Como surgiriam outros 200 em tão pouco tempo?Segue o link da matéria: http://entretenimento.r7.com/bichos/noticias/protetora-dos-animais-morre-e-deixa-abrigo-com-300-caes-20110603.html?question=0Além disso, quando assumimos em definitivo os cães da “Chácara dos Meus Amores”existiam lá apenas 285 (duzentos e oitenta e cinco) cães e não os quase 400(quatrocentos) que afirma a “tal” Pat Lima. Tal fato pode ser comprovado no e-mailencaminhado ao CÃO SEM DONO pela Sra. Cláudia Pentiocinas, filha da Sra. EugeniaSchaffman (Dona Jane), com data de 10.07.2011, às 15h07, e que ainda consta denosso banco de dados se alguém desejar comprovar sua existência e seu teor. Equeremos crer que ela sabia quantos cães estavam sendo por ela alimentados. 5
  • Clique no link abaixo e veja o e-mail onde ela afirma a quantidade de cães,os 100 que ela disse ter levado com ela e também outras situações.https://picasaweb.google.com/117599923387467801982/CaoSemDono02?authuser=0&authkey=Gv1sRgCLf1i7WtztfVbw&feat=directlinkSe você abriu o e-mail acima note também que a Sra. Cláudia Pentiocinas afirma que aPrefeitura estava para liberar a licença de funcionamento e que havia muito espaço paraconstruir. Ao mesmo tempo em que ela prestava tal afirmação, já havia mobilização daPrefeitura de São Paulo que acabou tramitando na 3ª. Vara da Fazenda Pública, sobnúmero 0036576-47.2011.8.26.0053, com pedido da Procuradoria Geral do Municípiosolicitando a interdição definitiva do local, o que realmente ocorreu, inclusive àrevelia, em 15 de dezembro de 2011. Ela sabia disso. Não nos contou. Como oprocesso não estava em nosso nome, tomamos conhecimento muito tempo depois.Ali já começou a MÁ FÉ de quem tanto nos acusa.Perguntamos agora: Onde ficam mesmos os cães (UMA CENTENA) que semudaram com a “tal” Pat Lima para Cotia? Alguém sabe? Alguém já os viu? Há fotosdo local? Estão sendo bem tratados?Só por esse começo, acreditamos que já é possível perceber o que virá pela frente. Bastasaber fazer as contas para perceberem a MÁ FÉ empregada contra nosso trabalho e aONG Cão Sem Dono. Caem em contradição no próprio e-mail e induzem outrosao erro de julgamento, e lamentamos muito que isso tenha acontecido.Não há cães “desaparecidos” ou “sumidos” como afirma ela, nem nuncahouve. Só os que maldosamente “criaram” em seus repentes imaginários,ou talvez andassem vendo os “fantasmas” dos muitos coitados animais quenaquele local morreram por total falta de higiene e atendimento quando daadministração deles, como poderão constatar mais adiante.Sabemos quantos cães doamos, quantos morreram e quantos estão aindapara adoção com o Cão Sem Dono.Quando solicitaram com ameaças todos os cães de volta, não nos deram nem aoportunidade de protocolarmos a devolução dos animais ali existentes. Além disso,visitaram a área no dia 29 de abril sem o nosso conhecimento. 6
  • 2) Continua a “tal” Pat Lima em seu e-mail: “Pois bem, quando O Cão sem Dono assumiu olocal em Parelheiros, o fez porque estava sendo despejado do local que tinham em Itapecerica eprecisava de uma nova sede. Ao mesmo tempo, aos nossos olhos, tratava-se de uma Ong mais bemestruturada, com mais colaboradores, mais voluntários, mais capacidade financeira”.Nós nunca fomos despejados de Itapecerica da Serra, mesmo porque o sítio onde é asede do Cão Sem Dono é uma área particular. É nosso! Da família de um denossos Diretores. Toda nossa preocupação à época era com a integridade física doscães que lá abrigamos, pois haviam ameaças do CCZ local de recolher todos eles paralocal incerto, acusando-nos de não ter documentação da CETESB e Alvará para canil,além de outras justificativas como já cansamos de divulgar.Todas as solicitações acordadas na Justiça de Itapecerica da Serra estão sendocumpridas à risca, muitas delas com sacrifício muito grande, embora sejamos apenasuma ONG de animais e não uma empresa privada.Com relação à parte estrutural, possuímos 15 funcionários fixos e uma diretoria ativa enão temos ajuda de nenhum órgão governamental ou grandes empresas. Sofremos dosmesmos problemas que toda ONG sofre, mas nunca deixamos nossos animais viveremde forma tão precária quanto a que encontramos na Chácara dos Meus Amores, situaçãopor nós constatada quando estivemos lá pela primeira vez (mais abaixo link com asfotos de nossa primeira visita ao local), e após o aceite de ficarmos com aqueles cãespara uma provável remoção dos nossos de Itapecerica em caso de necessidade. Graças aDeus isso nunca foi preciso.Aliás, nós não temos e nem nunca tivemos nenhuma ação de despejo!O que nos cabe perguntar é:Que motivos levaram a entregarem 285 cães para uma ONG já que sabiamde seus problemas junto à Prefeitura de Itapecerica da Serra e – segundoeles mesmos – sendo despejados? 7
  • 3) Em sua longa viagem, a “tal” Pat Lima pareceu ser bem informada de tudo o queestava acontecendo, até mesmo sobre os e-mails trocados entre o Sr. Rafael Miranda e aSra. Cláudia Pentiocinas, e continua: “Rafael Miranda assumiu nossos (grifo nosso) cães e ocompromisso de reformar os canis, levar semanalmente um veterinário para atender os animais,vaciná-los, castrá-los e encaminhá-los para feirinhas de adoção. Logo no dia em que divulgou estarassumindo nossos cães, levou material de construção para Parelheiros, tirou fotos do local sendoreformado, visitava o local três, quatro vezes por semana. Fez propaganda em todos os meios decomunicação e começou a arrecadar fundos para estes animais”.Tão logo visitamos a Chácara dos Meus Amores, e isso 2 (dois) dias depois do e-mailrecebido da Sra. Cláudia Pentiocinas, percebemos que o trabalho não seria fácil. Até nosanimamos e fizemos planos para reformar algumas áreas, e alimentamos isso por algunsmeses, mas ou fazíamos obras ou dávamos de comer para os cães, já que a ajudasolicitada para eles nunca foi a que pretendíamos. Seriam necessários milhares de reaispara reformar as áreas mais críticas da Chácara, dinheiro esse que nunca tivemos apesardos apelos e campanhas. O que entrava de ajuda era gasto com pequenas reformas,limpeza, pagamento dos salários, compra de ração e atendimento aos animais comproblemas mais graves. E eram muitos.Mesmo assim, e sempre com boas intenções, para toda e qualquer obra seria precisolimpar o local, e demoramos muito para retirar de lá um total de 15 toneladas de lixo eexcrementos acondicionados em sacos de ração, além de outros entulhos. Um cheiroinsuportável até mesmo para os ratos, alguns deles, segundo soubemos depois, decriação, que circulavam à vontade e que tinham também seus “canis por elesconstruídos”, como podem ser vistos nas fotos que publicamos na época:Segue o link:https://picasaweb.google.com/117599923387467801982/12072011VisitaChacaraJane?authuser=0&authkey=Gv1sRgCI-4y9Wdhsql_gE&feat=directlinkCom todos os problemas, ainda conseguimos tirar boa parte do mato existente e pintaralgumas paredes e canis, colocar portões novos em outros, arrumar caixas d´água,dando um aspecto melhor para o lugar, além de passar a exigir que os canis fossem maislimpos pelos funcionários de lá que, diga-se de passagem, e apesar do esforço, nãorecebiam salários dos antigos administradores há muitos meses. Nós os pagamossempre. 8
  • Apesar de toda a precariedade do espaço, em 03 de março de 2012 realizamos ummutirão de atendimento, com convite público por e-mail e redes sociais e as fotospoderão ser conferidas neste link:https://picasaweb.google.com/117599923387467801982/Chacara?authkey=Gv1sRgCNbs3P2x-amawAEPena que a “tal” Pat Lima não foi ver os cães que diz amar e se preocupar. Não foi muitomenos nos ajudar. Aliás, nem ela e nem ninguém que está nos atacando ou “gritando”contra nosso trabalho, tratando-nos como se fossemos marginais e foras da lei. Todosnós, Diretores e funcionários.Na ocasião, TODOS os animais foram vermifugados e a maioria deles assistidos poruma equipe de voluntários e vários veterinários.Se tivéssemos algo a esconder, jamais abriríamos as portas do local oudivulgaríamos fotos e vídeos em todos esses 11 (onze) meses cuidandodaqueles cães.4) Em outro trecho ela se refere a outros serviços que executamos. “Víamos através dasnotícias O Cão sem Dono em Pinheirinho, socorrendo cães em outras cidades, comunidadescarentes, campanhas de vacinação e castração. Qualquer um pensaria que se recursos estão sendogastos com animais de comunidades carentes, obviamente seria porque a casa está arrumada, ouseja, os cães de Parelheiros estariam recebendo o melhor.¨NÃO MEDIMOS ESFORÇOS NEM PELOS NOSSOS E NEM POR AQUELESQUE PRECISAM DE NÓS, AFINAL DE CONTAS ELES TAMBÉM MERECEMUMA CHANCE. OU NÃO?Todo mundo está cansado de saber que nós do CÃO SEM DONO procuramos atuarfirmemente na proteção animal. Não nos preocupamos apenas com os nossos cães, massim com todo aquele que de uma forma ou de outra precisa de ajuda, de nossa força nasredes sociais, de nossa capacidade de mobilização e de nosso conhecimento técnicotambém. Foi assim no caso Tietê em fevereiro do ano passado onde resgatamos esalvamos 45 cães que estavam morrendo em um abrigo local, como pode ser visto nolink:http://www.youtube.com/watch?v=9P5H-nLbAFQ 9
  • Também fazemos vários mutirões de atendimento veterinário para a população carente.Aliás, esse é um papel que deveria ser do Governo ou CCZ. Quando há sobra deremédios, logo nos animamos em dividi-los com quem precisa e, como já comentamos,temos uma boa mobilização e uma Equipe de funcionários e voluntários maravilhosos.Chegamos a atender mais de 500 cães em um único dia, encaminhando os casos maisgraves para clínicas especializadas e sem cobrar um único centavo de ninguém.Que diferença eles tem dos outros animais em abrigos? Só por serem de comunidadescarentes não merecem atendimento?Nos links, muitas fotos de nossos mutirões:https://picasaweb.google.com/117599923387467801982/MutiraoDeAtendimentoVeterinarioCidadeTiradentes07052011https://picasaweb.google.com/117599923387467801982/MutiraoRealizadoEmPoaSPhttps://picasaweb.google.com/117599923387467801982/VisitaDoCaoSemDonoAoAbrigoDeDDiolandaRJSobre o caso do Pinheirinho também sentimos a necessidade de ajudar de algumaforma, já que tudo o que estava acontecendo por lá com os animais se resumia à luta dealgumas protetoras locais e só. Nada mais acontecia. A mobilização desde o dia 22 dejaneiro (dia da desocupação da área) até o dia 31 do mesmo mês, dia de nossa chegada,era pequena, e muita gente nem tinha conhecimento do que realmente estavaacontecendo naquele 1,3 milhão de metros quadrados de área. Basta uma consulta nainternet.Convocamos nossos amigos e conhecidos, divulgamos em nossas redes sociais,chamamos a imprensa, denunciamos e procuramos fazer por eles o que faríamos porqualquer animal naquelas condições de total abandono.Graças à nossa atuação saíram de lá 65 animais, processamos a Prefeitura de São Josédos Campos e ainda teremos outros desdobramentos interessantes sobre este caso, poisnão desistimos de saber o que realmente aconteceu com a quantidade de dinheiro gastopara deixarem morrer tantos animais. 10
  • Para fazer tudo isso não é preciso estar com a “casa arrumada” ou ter dinheiro emcaixa. Basta ter coragem e boa vontade, além de força de mobilização. Omesmo carinho que sempre procuramos dar aos cães de Itapecerica, de mutirões ou atémesmo de resgates, sempre foi proporcionado, também, para os cães de Parelheiros,Pinheirinho, Tietê ou para qualquer outro animal.5) E a “tal” Pat Lima continua em seu longo e “denunciante” e-mail: “Nos comunicados, oscães que eram inicialmente 400, de repente se transformaram em 270. Um número considerável, sepensarmos que todos os cães da Chácara dos meus Amores herdados pelo Rafael eram adultos eSRD. Claro que muitos eram doáveis, mas 130 começou a nos parecer um número um tanto quantoexagerado.”Como já dissemos acima, quando assumimos os cães da antiga Chácara dos MeusAmores o total era de 285 animais, sendo 230 (duzentos e trinta) cães na ChácaraSanto Antonio e mais 55 (cinquenta e cinco) cães na chácara onde a Sra. Jane – e a elanosso respeito – morava. Quantidade esta CONFIRMADA pela Sra. CláudiaPentiocinas em e-mail que já reproduzimos também.Além disso, nós nunca divulgamos que na Chácara existiam 400 cães. Nunca. E é aíque ela se enganou, ou fingiu que não viu. A soma dos nossos animais depois dachegada dos cães de Parelheiros é que chegou a 400, ou será que ela esqueceu quetambém temos um lindo e bem cuidado abrigo em Itapecerica da Serra com mais de 100animais?O que falamos acima poderá ser comprovado no vídeo que fizemos sobre a Chácara epublicado no dia 14 de setembro de 2011, às 23h53. Nele, inclusive, jádemonstrávamos nossa preocupação com a qualidade de vida daqueles cães. Reparemno título também. Divulgamos 300 animais, e não os 400 como a "tal" Pat Lima fazquestão de maldosamente frisar. Nesta época ainda tínhamos o sonho de poderconstruir novos canis para aqueles animais.http://youtu.be/7hmAEhkzVJ4 11
  • 6) Em outro momento a “tal” Pat Lima diz que o Sr. Rafael, presidente do Cão SemDono, se sentiu pressionado: “Então, o Rafael pressionado, começou a falar em mortes porcinomose, uma coisa que nunca antes havia existido no canil. Depois começamos a ler emcomunicados que esses cães haviam sido abandonados por uma “ong falida” e que passavam fome.¨Em 25 de Novembro de 2011, às 08h43, lançamos outro apelo público, pois onúmero de cães estava caindo na Chácara, e não da forma como gostaríamos. Paraquem não viu, assista. Nunca escondemos nada. Não deixem de ver neste mesmovídeo o comunicado que fazemos no final. Acessem o link:http://youtu.be/kcDag0lIb_sAlguns cães estavam com CINOMOSE sim, entre outros problemas. Doenças quecontraíram lá. Na Chácara. Na página 9 de inspeção da Vigilância Sanitária, realizadapouco antes de nossa chegada por lá constata que o local era insalubre, com acumulo defezes, urina e restos de comida diretamente no solo, além da presença de toca deroedores e seringas reutilizáveis. Abaixo o teor deste documento que tem fé pública:https://picasaweb.google.com/lh/photo/RsJ1WtlYMkXixP5cCveYwkPepwkp1FNHmGJrnI2AzmU?feat=directlinkAlém disso, esse problema de falta de condições para os animais na Chácara dos MeusAmores já vinha se arrastando há anos, tanto que em 2009 já havia uma grave denúnciaquanto às condições em que os cães viviam, conforme pode ser constatado no linkabaixo. Será que esses mesmos que nos acusam não eram nascidos naquela época? Nãohavia internet? Porque não fizeram nada? O que fizeram com o dinheiro arrecadado atéentão? É fácil apontar o dedo para os outros se esquecendo de que há 4 apontando parasi.http://terrornachacaradosmeusamores.blogspot.com.br/Da época que assumimos os cães até meados de Novembro, 05 (CINCO) deles perderama vida, e divulgamos isso. Tentamos de tudo para salvar esses animais. Obtivemossucesso com a Penélope, que também estava com CINOMOSE, como pode sercomprovado no vídeo que publicamos em 09 de dezembro de 2011. Foram meses detratamento até ela ser curada. Aproveitem e vejam no link abaixo o que a persistência deuma Equipe faz para salvar um animal e de onde ele foi resgatado.http://www.youtube.com/watch?v=niCAcfz8sO8 12
  • Quanto a ser uma ONG falida, os cães da Chácara mal se alimentavam quandoassumimos aqueles animais. Comiam uma única vez por dia - e isso palavra dospróprios funcionários - que ali prestavam serviço há meses sem recebersalários - sem contar outras situações que não nos compete comentar aqui, emboradevêssemos. Quem sabe não o faremos ainda?7) Uma das acusações, e bem graves, que a “tal” Pat Lima nos fez foi de que deixamosum cãozinho na rua com a patinha quebrada. Comenta ela sobre o fato: “Há cerca de doismeses, a Claudia recebeu um apelo na internet de uma amiga, Claudia Mônaco, que pedia abrigopara um cão que havia sido atropelado e socorrido por ela emergenciamente, mas que não tinha umcantinho para se recuperar e estava na rua com a pata entalada. Como eu estava em obras e semespaço, e a Claudia sabia que a casa da Dona Jane estava vazia, pois o Rafael havia retirado todosos cães de dentro da casa, mandou levar esse cão para lá. Para a surpresa da Claudia, o RafaelPROIBIU a entrada do cão, mandando deixá-lo na rua, com a pata quebrada, sob a ameaça dedemitir a funcionária que recolhesse o animal. Uma atitude um tanto estranha para quem acabarade vir de Pinheirinho onde havia muitos animais sem destino, para quem pede dinheiro pararesgatar animais, para quem, posta no facebook que resgatou uma caixa de filhotes no meio da rua.Que protetor que tem espaço disponível, mesmo que precário, se recusa a acolher um animal com apata quebrada?”É muito fácil pedir esmolas com o chapéu dos outros!Desde que assumimos os cães da Chácara de Parelheiros, e também o salário dosfuncionários, a cada ida nossa lá aparecia um novo cãozinho. Sendo assim, e como todaONG responsável, PROIBIMOS a entrada de todo e qualquer animal naquele lugar.Poderíamos correr o risco de uma superpopulação em um espaço que nem para cães foifeito, e ainda por cima ter problemas legais, pois já tínhamos conhecimento daproibição da justiça publicada à página 22 do processo movido pelaPrefeitura de São Paulo contra a Chácara dos Meus Amores e A. P. A.Eugênia Schaffman, conforme pode ser constatado no link:https://picasaweb.google.com/lh/photo/qKXQm5I5i-bVgw72PbhFh0Pepwkp1FNHmGJrnI2AzmU?feat=directlinkObservem a letra > e 13
  • Além disso, não sabíamos a origem do animal, de quem era e que problema tinha.Mesmo se soubéssemos que estava com a patinha “entalada”, ainda assim nãopermitiríamos que ali ficasse tentando explicar para seu tutor que não era o melhorlugar para deixar um cão em recuperação. Aliás, nem bom para os sadios.Ainda, em e-mail que publicamos no link abaixo, encaminhado pela Sra. ClaudiaPentiocinas em 11 de Abril de 2012, às 17h57, ela declara: “Este cachorro não foideixado na porta da Chácara...e, o que aconteceu foi que eu e o Rafael nãoconseguimos nos comunicar a tempo e aconteceu esta confusão”. Aliás, ela mesmareconhece que ali não é local para cães.https://picasaweb.google.com/lh/photo/ntlblmc12bxH2XH4Y11uj0Pepwkp1FNHmGJrnI2AzmU?feat=directlinkÉ fácil ser protetor assim. “Manda deixar ali o cãozinho. Eu estou sem espaçoem casa”.E quem disse que nós tínhamos também?Além disso, a Sra. Cláudia Pentiocinas sabia dos problemas na Chácara por conta deabandonos, como expressou em e-mail datado de 03 de Janeiro de 2012, onde suaconhecida e ex-funcionária Vera, a quem ela diz “odiar” e ser um “câncer”confirma a enorme quantidade de abandonos no local. Vejam abaixo o link deste email:https://picasaweb.google.com/lh/photo/nIB3dB07aexZWR50ZhKxYkPepwkp1FNHmGJrnI2AzmU?feat=directlinkComo acreditar em alguém que faz afirmações dessa natureza sobre quem sempre aajudou?No mesmo documento ela pede para levarem uma cadela grávida paracastrar, porque “se deixar nascer morreriam todos”. 14
  • 8) E continua a “tal” Pat Lima: “Pois bem, a partir daí, a Claudia suspeitou que as coisas nãoiam bem e começou a investigar o que estava acontecendo com os cães da Chácara assumidos pelosRafael. Encontrou uma colaboradora do Cão sem Dono, que nunca quis doar dinheiro diretamenteao Rafael, mas que se dispôs a construir canis em parelheiros para abrigar melhor os animais.Rafael mentiu para ela, dizendo que o terreno de Parelheiros era da Prefeitura e por isso nãopoderia construir no local. Convenceu a moça a construir os canis em Itapecerica com a promessade transferir animais da Chácara para lá. Os canis ficaram prontos e a moça começou a suspetitar,pois rafael sempre enrolava e não tirava os cães de Parelheiros. Mais próxima, ela constatou quenunca um veterinário havia visitados os cães e que os mesmos não estavam vacinados. Sequerdinheiro era gasto com a compra de ração, pois os casos que chegavam em Parelheiros, eram sacosde 5Kg, 10Kg, nitidamente arrecadados durante as feiras do Cão sem Dono na Cobasi ou em outroslocais.”A Sra. Claudia Pentiocinas não suspeitou que as coisas não andassem bem na Chácara,pois sempre publicamos comunicados em nossas redes sociais que as coisas por lá nãoestavam nada bem há tempos. Ela, certamente, deve ter lido muito a respeito, ouassistido aos nossos vídeos no Youtube. Sempre divulgamos que tudo o queconseguíamos fazer era apenas alimentar os cães. Se tivesse mesmo estapreocupação, bateria à nossa porta muito antes, fato este que não ocorreu,pois publicamos tudo o que ali estava acontecendo.Não querendo usar da mesma leviandade, o que certamente pode ter acontecido – e a“tal” Pat Lima até afirma isso - é que ela foi procurada por pessoas de bem que queriamconstruir em Parelheiros e também fomos contrários, já que o canil está interditado pelaPrefeitura de São Paulo conforme processo já citado acima. E denunciamos isso.Informamos que não é só construir canil e colocar cães para dentro. Isso seria outrairresponsabilidade e o que os cães da Chácara estavam precisando é de atendimentoveterinário e urgentemente um novo local para eles, pois ali até para atendê-losera complicado.Então, mesmo depois de muita discussão, outra pessoa de bem, depois de muito insistir,apareceu em nosso sítio de Itapecerica da Serra e começou a construir 10 canis, arcandocom toda a obra e pedreiros na esperança de levar alguns cães de Parelheiros para lá,apesar de nossos alertas de que certamente isso não seria possível. Aliás, todos estes10 (dez) canis estão vazios! 15
  • Todos sabem que estamos ainda com processo tramitando no Fórum de Itapecerica daSerra, e há uma série de exigências que estamos cumprindo, dentre elas a de não levarcães de outros locais para lá. O medo de levarmos animais para nosso Lar Transitóriocresceu quando nosso Departamento Jurídico nos alertou dos perigos que estávamoscorrendo com isso, pois descumpriríamos uma decisão judicial e quem arcaria com issoseria apenas o responsável pela ONG, mais ninguém.Diante do exposto, e procurando preservar o que construímos durante anos emItapecerica da Serra, nos recusamos a levar para lá estes animais, oferecendo um outroespaço no interior de São Paulo.Sendo assim, quando íamos começar a tirar os cães da Chácara de Parelheiros e levá-los,aos poucos, para este outro abrigo em Paraibuna (mil vezes melhor), até mesmo paraserem melhor atendidos, fomos surpreendidos e impedidos de fazê-lo pelo marido daSra. Claudia Pentiocinas, Sr. Stefano.Quando isso aconteceu em 16 de maio de 2012, e como sempre tivemos problemaspela pouca falta de ajuda recebida (iludem-se os que acham que são muitas as doações,que ganhamos dinheiro do governo, laboratórios e empresas grandes) resolvemos nãointerceder mais e deixá-los à vontade com os animais que já tinham abandonado antes.Publicamos uma nota simples, informando nossa dificuldade e que nossos amigos eseguidores dirigissem suas doações para aqueles animais diretamente à ONG Chácarados Meus Amores. Era o que tinha sido combinado. Procuramos ser éticos atéentão.Sobre a ração que dávamos para os cães, sempre fizemos o que foi possível por eles enunca lhes faltou nada. Quando não ganhávamos de doação (e doações são paraisso, não importando em que quantidade e peso) comprávamos na TERAVIS(11-5928-6750 com Sr. Carlos) mesmo lugar onde a “ONG Chácara dos Meus Amores”ou Associação de Proteção Animal Eugenia Shaffman sempre "comprou". Aliás, caberessalvar que nós sempre pagamos em dia essas compras e lá nadadevemos. 16
  • 9) Ainda diz a “tal” Pat Lima: “Resumidamente, se é que é possível, após tanto escrever, osanimais da Dona Jane estavam completamente abandonados. Mais pressionado a dar conta dosanimais que saíam de Parelheiros e não chegavam em Itapecerica, Rafael Miranda enviou para aDra. Denise Valente, termos de doação de cães, porém, ao investigar as adoções, descobrimos quequase nenhum cão era da Chácara. Rafael nunca soube, mas na semana que a Dona Jane faleceu, ogenro dela e Presidente da nossa Ong, Stefano, esteve no canil e cadastrou e fotografou todos os 298cães do canil e os 71 cães da casa da Dona Jane. Sabemos quem são todos eles, cada animais que láestava.”Em nenhum momento abandonamos os Cães de Parelheiros, ou Chácara dos MeusAmores, apesar de termos apenas o compromisso moral de cuidar deles, já que nenhumdocumento formal foi feito a respeito, a não ser troca de e-mails. Um erro quereconhecemos.Quanto a dizer que deixamos os cães à mercê da sorte, acho que ela – a “tal” Pat Lima -se engana de novo. Sempre estivemos preocupados com a saúde daqueles animais,inclusive nos esforçamos para doar os com melhores condições. Não somos insensíveisou interesseiros. Também não vivemos dos cães, mas sim para eles.Divulgamos aqueles animais em todos os nossos informativos e redes sociais.Mandamos fazer novas fotos, chamamos TODOS para um mutirão no dia 03 de marçop. p. e também divulgamos isso em nossa revista como podem ver no link abaixo:http://www.youblisher.com/p/267302-Informativo-da-ONG-Cao-Sem-Dono-Marco-de-2012/Produzimos vários vídeos sobre o local, o último inclusive datado de 10 de março ondefizemos mais um apelo público para que aqueles cães fossem ADOTADOS. Basta ver nolink abaixo:http://www.youtube.com/watch?v=mVyOycmTYTw&feature=youtu.beAliás, neste mesmo vídeo poderão constatar a melhoria do lugar e aquantidade de veterinários e técnicos em veterinária que levamos para lá.Nenhum animal deixou de ser assistido. 17
  • A “tal” Pat Lima fala em 369 fotografias que foram tiradas quando a Sra. Jane morreu.Ótimo, que as apresente então, o que nada vai dizer, pois a própria Sra. ClaudiaPentiocinas AFIRMA que eram 285 animais. Cabe um parêntese para dizer que a dançade números por eles provocada é proposital, feita mesmo para confundir. No mesmo e-mail falam em 400 e depois em 369. Também no mesmo documento ela nos disse queestavam todos gordos e saudáveis. As fotos que nós tiramos em nossa primeira visitanão demonstraram isso, embora tenhamos que reconhecer que alguns cãesrealmente estavam até que bons para a adoção, bastando serem castrados, vacinados evermifugados, procedimento que executamos para os que doamos.Link de fotos em nossa primeira visita à Chácara.https://picasaweb.google.com/117599923387467801982/12072011VisitaChacaraJane?authkey=Gv1sRgCI-4y9Wdhsql_gE#5628590548386835778ouhttps://picasaweb.google.com/117599923387467801982/12072011VisitaChacaraJane?authkey=Gv1sRgCI-4y9Wdhsql_gE#5628591530569070626ouhttps://picasaweb.google.com/117599923387467801982/12072011VisitaChacaraJane?authkey=Gv1sRgCI-4y9Wdhsql_gE#5628586758962539154Sobre os termos de adoção que a “tal” Pat Lima e outros citados dizem ter “verificado”ou “investigado” informamos que nenhum ADOTANTE sabe da ORIGEM do cãoADOTADO, ou onde ele estava abrigado antes, a não ser que os tenha visitado em nossosítio. Quem adota um cão no Cão Sem Dono não quer saber se ele veio de um palácio oude uma favela. O faz por amor ao animal, o mesmo que sempre dedicamos a eles. E épor isso que não DAMOS animais. Os DOAMOS com responsabilidade. 18
  • 10) Aqui, a “tal” Pat Lima se engana de novo: “Rafael está divulgando um espaço em Jacareí,para onde supostamente estaria levando estes cães, por ser um local com mais condições de abrigá-los. Esta colaboradora descobriu, que o local, que fica na verdade em Paraibúna, é o antigo canilUanga, que em 2006, foi denunciado por receber dinheiro para ficar com animais e deixá-los morrerà míngua. Seus novos “associados” são os mesmos, denunciados de 2006.¨O que aconteceu em 2006 não é de nosso conhecimento e também nem nosinteressa e, cá entre nós, isso foi há 6 anos. Para nós importa o hoje, oagora. Ficar cavando situações é coisa de quem se perde em acusações.O antigo proprietário do abrigo UANGA já faleceu há alguns anos, então nãopoderíamos ser associados dele. Não temos sócios mesmo porque não somos empresa etambém não aceitamos interferências na forma como administramos nossa ONG. Sehouve processo em 2006, está muito longe dos dias atuais e nada temos a ver com isso.Aliás, processo quase toda ONG tem. Nós temos a Associação Eugenia Schaffman tem,entre tantas outras. Cuidar de animais sem ajuda não é fácil. Cuidar deles quando setem a moral atacada, pior ainda.Quanto a deixar os cães morrer à míngua, informamos que não sabemos o que issosignifica e nem nunca fomos acusados quanto a este fato também, aliás, nem nuncarecebemos algo como o constante na página 08 do processo movido pelaPrefeitura de São Paulo contra a A.P.A. Eugenia Schaffan onde os técnicosda Vigilância Sanitária encontraram, além das condições pra lá de insalubres,carcaças de animais mortos, conforme consta na cópia do documento públicopublicado no link abaixo e que faz parte do processo de interdição total da Chácarados Meus Amores:https://picasaweb.google.com/112828657527371487113/Pagina08?authuser=0&authkey=Gv1sRgCLCOpNisirStBg&feat=directlinkSobre a localização exata do espaço onde temos vários canis disponíveis, ele fica sim emParaibuna, bem pertinho de Jacareí. Como lá há somente NOSSOS cães e que aindanão têm ajuda de ninguém, a não ser nossa particular, nos reservamos no direito dedivulgar sua localização exata apenas para quem nos ajudar com ele e contribuir com onosso trabalho por lá. 19
  • E SIM. Muitos cães de Parelheiros seriam levados para esse local para um melhoratendimento e recuperação, para depois serem encaminhados para as Feiras de Adoção.Basta ver as fotos abaixo e comprovar o quanto seria bom para eles isso:https://plus.google.com/photos/112828657527371487113/albums/5748856080682741953?banner=pwaImpediram os cães de sair de um lugar insalubre, sem higiene, que nunca teve condiçõesfísicas de abrigá-los e muito menos quem cuidasse deles 24 horas por dia. Uma penapara os cães.11) A “tal” Pat Lima diz ainda que “A Dra. Denise Valente, conversou com uma diretora do CCZ,que negou saber de nossos cães, disse que rafael está proibido de receber novos animais, pois foidenunciado por receber dinheiro para cuidar de cachorros e sacrificá-los ou deixá-los morrer àmíngua.”Não há uma queixa do CCZ ou acusação formal contra a ONG CÃO SEM DONO sobreeste fato. Creio que nem precisamos nos pronunciar neste caso, pois para isso todosserão intimados judicialmente. Além disso, todo o problema que tivemos com aquelaentidade de Itapecerica da Serra já foi amplamente divulgado.Quem conhece nosso Lar Transitório – e são milhares de pessoas - sabe que isso é umamentira das mais absurdas. Nossos animais não passam fome e nem ficam sematendimento veterinário. Aliás, se uma DIRETORA DO CCZ disse isso mesmo com tantaconvicção porque então não pegou os cães que estavam "morrendo à míngua" e oslevou? Porque não os socorreu? Não seria esse o papel dela? Omissão de socorro é crimetambém. Ela não fez isso porque nossos cães são bem cuidados.12) No sentido de nos desestabilizar emocionalmente, coisa que não vai conseguir, a“tal” Pat Lima diz ainda: “Investigado por nós agora, estamos recebendo todo tipo de denúncias.Nilce do jardim dos Amiguinhos, diz que Rafael retirou cães dela para levar à adoção, masencontrou alguns destes cães abandonados nas ruas nas imediações de seu abrigo. Uma menina nofacebook informa no dia de ontem, que viu voluntários do Cão sem Dono, abandonarem uma caixade filhotes próximo a uma Cobasi, onde promovem feiras de adoção". 20
  • O Sr. Rafael nunca retirou um único animal do Jardim dos Amiguinhos. Que sentidoteria tirar cães da Sra. Nilce, gastar gasolina, ter trabalho para levá-los para adoção elargá-los nas ruas? Se fosse mesmo verdade, porque ela não denunciou isso na épocaque aconteceu? Uma denúncia muito vazia, assim como a da pessoa que nos acusou deabandonar filhote próximo à COBASI, outro absurdo que, aliás, o fez estranhamente napágina da ABEAC no Facebook e apagou logo depois, percebendo a grande besteira queestava fazendo e já antevendo o processo que poderia lhe acarretar. O que vai, já queprintamos a tela e a localizaremos para isso.Na verdade nós, no dia citado, resgatamos uma cachorra e seus 6 (seis) filhotinhosdentro de uma caixa de aspirador de pó, na área de um estacionamento e com váriastestemunhas, inclusive algumas até nos ajudaram.Todas as fotos desse dia estão publicadas abaixo para que possam ver como é que se fazum trabalho sério e digno. As primeiras fotos foram feitas de um aparelho celular.Caso seja necessário, poderemos também chamar todas as testemunhas desse caso paraprestar depoimentos.Nós não ABANDONAMOS animais nem os ameaçamos de entregá-los para nenhumCCZ como aqueles que nos acusam. Nós os RESGATAMOS, CUIDAMOS e DOAMOSpara quem pode cuidar.Além disso, é uma questão de pensar um pouquinho: Abandonar animais na RuaJoaquim Nabuco, às 17h30, ao lado da COBASI, e ainda com um carro identificadocomo sendo do CÃO SEM DONO e usando camisetas do CÃO SEM DONO? Acusaçãomais do que ridícula assim como todas as outras, oriundas de quem quer mesmo nosprejudicar.Nós não somos irresponsáveis e também nunca abandonamos animais. Quando háespaço disponível em canil nós resgatamos sim. Quando não temos condições,ajudamos a divulgar para ver se outros podem fazê-lo. Não mandamos levar na porta deninguém e também não os colecionamos. 21
  • Resgate – Brooklin – Rua Joaquim NabucoO horário do resgate foi por volta de 17h30 aproximadamente. Às 18h30 os resgatadosjá estavam confortavelmente abrigados em nosso escritório no Jabaquara.Tanto a mamãe quando os filhotinhos passam bem e logo estarão aptos paraparticiparem de nossas feiras de adoção.Utilizamos um veículo com identificação do Cão Sem Dono e acompanhamento defuncionários usando a camiseta com o logotipo do Cão Sem Dono. 22
  • 13) E terminando, diz a “tal” Pat Lima: “O prazo para Rafael nos informar o paradeiro dosanimais que retirou da Chácara terminou ontem, sem que tenhamos tido notícias dele. A prestaçãode contas deve ser entregue até quarta-feira, dia 23 de maio. Completamente atônitos, estamosaguardando explicações. Quero acreditar que tudo seja um mal entendido e que Rafael tenhaconseguido neste período encaminhar 180 cães de parelheiros, mas as evidências nos levam emoutra direção.”Não há prazos. Não há acordos firmados. Não devemos nada para a “tal” Pat Lima nema ninguém ligado à antiga administração da Chácara dos Meus Amores. Tudo o quefizemos pelos cães de Parelheiros foi dentro de nossas possibilidades. Temos carinhopor eles e queremos que tenham o melhor para si. Coisa que a “tal” Pat Lima ouqualquer outro a eles ligados se recusou a fazer enquanto podia.Dos 285 cães que recebemos da Sra. Cláudia Pentiocinas, 33 (trinta e três) deles foramdoados – e temos todos os termos de adoção, 09 (nove) apresentaram óbito – e temostodos os laudos emitidos por veterinários, 01 (um) foi adotado por um de nossosfuncionários e irá morar com ele em nosso novo abrigo, e outros 09 (nove) estãodisponíveis para adoção e só sairão de nossas mãos se forem ADOTADOS, pois foramentregues a nós. Para o processo de adoção deverão seguir, também, nossas normas.Ou será que eles eram nossos até que surgisse uma boa oportunidade?Esperamos, assim, ter esclarecido TODAS as denúncias do e-mail da “tal” Pat Lima. Oque nos foi solicitado por muitos está acima relatado. Cabe acreditarem ou não, mas anossa consciência está bem tranquila. Para cada ponto levantado mostramos provascontrárias, mas ainda assim sabemos que tem gente que só vê mesmo aquilo queinteressa, e repetimos: não pelos animais.ONG Cão Sem DonoJunho de 2012 23
  • O BLOG “A FARSA DO CÃO SEM DONO”No blog criado pela Sra. Cláudia Pentiocinas, cujo título está reproduzido acima, eladeixa transparecer toda a sua “ira” pessoal contra o presidente da ONG Cão Sem Dono.Não há outra explicação para tantos ataques que não sejam de caráter pessoal ou cominteresses de vingança, embora ela tenha que entender que está colocando em dúvida otrabalho realizado pela instituição que é formada por 10 diretores, 15 funcionários edezenas de voluntários.Ela acusa Rafael Miranda de, em 2005, andar de ônibus e agora, 7 anos depois, andar decarro. Talvez ela não conheça o ditado popular que diz: A vida é um espelho. Quandosorrimos para ela, ela sorri para você!O objetivo de todos é o progresso, e isso não é crime. Se ela também não sabe, otrabalho é uma lei natural de Deus e o meio imposto ao homem para aperfeiçoar a suainteligência, assegurar o seu progresso, o seu bem-estar e a sua felicidade. Define-setambém, como exercício material ou intelectual para fazer ou conseguir alguma coisa.Refere-se ao esforço, a labutação, a lida e a luta. Qualifica-se no esmero que se empregana feitura de uma obra. Andar de carro também não é crime. Comprá-lo também não.Mas, vamos lá nós outra vez mostrar o quanto a Sra. Cláudia Pentiocinas engana-se eacaba cometendo tropeços que levam ao ridículo:RARO TRANSPORTESEla faz a postagem de uma fotografia mostrando onde foi registrada a RAROTRANSPORTES onde o Sr. Rafael Miranda já foi um dos sócios. Um prédio simples nobairro de Santa Cecília em São Paulo. Oras, e daí? Quantas empresas nascem eproliferam em fundos de quintais ou garagens? Apenas para citar dois exemplos,Microsoft e Natura cresceram a partir de uma garagem. Poderíamos citar milhares deoutras empresas. É demérito para alguém ter seu negócio próprio seja ele onde for? Atéum camelô, quando trabalha, tem sucesso e progride. 24
  • O Sr. Rafael Miranda acorda cedo e dorme tarde todos os dias, muitas vezes é visto demadrugada em eventos no Center Norte ou Anhembi fazendo transportes de materiaisde feira em sua Fiorino ou negociando transportes em caminhões locados. Vive dessespequenos, mas constantes serviços. Alias isso não é crime. É trabalho. Prefereaproveitar bem seu tempo para poder dividi-lo entre seus afazeres, vida pessoal e a ONGque dirige, e bem.RESIDÊNCIAMais uma vez a “blogueira” engana-se ao falar que Rafael Miranda mora no PlanaltoPaulista em uma confortável casa. Ou ela não conhece São Paulo e seus bairros ou nãosabe distinguir moradias.Rafael mora em uma casa simples, alugada, no bairro Parque do Jabaquara,próximo à estação do Metrô Jabaquara. Além disso, cede seu espaço particular para cãesresgatados, guarda de material da ONG e ainda empresta sua cozinha que serve comorefeitório para os funcionários do Cão Sem Dono.SOBRE O DOMÍNIO DO CÃO SEM SONOA Sra. Cláudia Pentiocinas comenta que o domínio “caosemdono.com.br” estáregistrado em nome da Raro Transportes do qual o Rafael Miranda é sócio. Pergunta-se:e daí? Que mal há nisso se foi ele quem fundou o Cão Sem Dono? Não entendemosmuito o que ela quis dizer com isso.SOBRE PUBLICAÇÃO DE INTERDIÇÃO DO CÃO SEM DONOUsando o princípio da “equidade” como relata, ela publica parte de uma decisão deinterdição do Cão Sem Dono em Itapecerica da Serra.Apenas para lembra-la, nosso sítio está funcionando normalmente, pois nós lutamosbravamente por ele e lutaremos sempre, diferentes de quem nos acusa que perdeu seuabrigo para a justiça, e à revelia ainda. 25
  • QUANTO À QUESTÃO DE NÃO DAR MAIS ABRIGO A ANIMAISA ONG Cão Sem Dono não é, nunca foi e nem vai se transformar em DEPÓSITO DEANIMAIS. Não somos COLECIONADORES irresponsáveis e NÃO vamos colocar a vidados animais que já cuidamos em risco.É TRISTE poder deixar de atender alguns animais, vê-los nas ruas sem amparonenhum, sem terem onde ficar, recusá-los em nossas portas, mas não seremosinconsequentes de lotarmos nossos abrigos para depois virarem “carcaças deanimais” ou terem que dividir seus espaços com ratazanas. NÃO FAREMOS ISSO.SOBRE O NOSSO SILÊNCIO INICIALProcuramos de toda forma evitar um “debate” público, mesmo porque sabemos oquanto isso acaba prejudicando outras ONGs de animais e também muitos protetoresde verdade, que saem às ruas para resgatar, que levam a clínicas e depois correm atráspara pedir ajuda.Quando é colocado em dúvida o trabalho de uma ONG séria, que preza pelatransparência e procura sempre divulgar seus atos e gastos (todos os que nos ajudamsabem quais são nossas despesas mensais) coloca-se em risco todo um setor. Durantealguns dias chegamos a discutir esse assunto internamente e a necessidade de umareação imediata, mas íamos de encontro ao que nossos advogados pediam.Tentamos ser éticos e racionais, assim como procuramos os meios legais para isso, ouseja, a Polícia e a Justiça.Mas, atendendo ao pedido de muitos, quebramos a barreira do silêncio. E daí? A Sra.Cláudia Pentiocinas nunca se dará por vencida, pois se acha onipotente, a dona daverdade e da justiça, aliás, a mesma justiça que ela desdenha e ignora. 26
  • ABANDONO DE ANIMAIS EM RUASFala ainda o blog criado por Cláudia Pentiocinas que uma “testemunha” viu 2 carrosimportados abandonando animais em um bairro e que os moradores ficaram incréduloscom a quantidade de cães que surgiram de uma hora para outra.Até comentaríamos isso, mas a acusação é tão absurda e fantasiosa que fica até difícilfalar alguma coisa a respeito. Pedimos desculpas por pular este capítulo! Não há o quedizer, a não ser que uma mente humana perturbada cria mesmo ilusões estranhas.NOSSAS VETERINÁRIAS AGORA VIRAM ALVOComo demoramos em entrar no jogo da Sra. Cláudia Pentiocinas, até mesmo para evitardesgastes e também por não termos tanto tempo livre como ela tem, nossosfuncionários começaram a virar seu alvo preferido, o que achamos uma apelação muitogrande. Além disso, diz ela que terão que responder na justiça onde estão os cachorrosque ela um dia já abandonou.Queremos lembrar para a Sra. Cláudia Pentiocinas que nosso corpo clínico é formadopor profissionais contratados e que certamente não lhe devem nenhuma satisfação.PARA NÃO NOS ESTENDERMOS MAISTenta ainda, a Sra. Cláudia Pentiocinas, nos acusar de estarmos “atacando”. Acho queela está muito enganada, pois em nenhum momento abrimos “blog” de acusações contraninguém, assim como não acusamos nenhuma instituição ou pessoa física sem podercomprovar. Não seríamos “loucos” ou inconsequentes para isso. Aliás, nem temostempo para certas insanidades. Nós não temos esse histórico.O que virá depois? Só mentes perturbadas dirão!Observação: Não mais responderemos a nenhum tipo de provocação. O quetínhamos para comentar sobre este assunto está feito. Deixaremos agora aJustiça cuidar do caso. Também não daremos IBOPE a quem não nosinteressa e não tem preocupação com animais. 27
  • ONG CÃO SEM DONOSe fossemos mesmo uma farsa:- Não ganharíamos um prêmio da Pedigree como uma das 7 melhores ONGs de 2011- Não faríamos parte do Movimento Crueldade Nunca Mais- Não estaríamos inseridos em folheto da Secretaria Estadual do Meio Ambiente- Não seríamos parceiros da Subprefeitura de Cidade Tiradentes em mutirões- Não teríamos quase 120 mil seguidores no Twitter- Não teríamos mais de 12 mil amigos no Facebook- Nossos vídeos não seriam assistidos mais de 336.000 vezes- Não faríamos 48 feiras de adoção por mês só na COBASI- Não faríamos feiras de adoção no Pão de Açúcar e também Carrefour- Não seríamos exigentes no processo de Adoção- Não abriríamos nossas portas para visitas e mutirões- Não divulgaríamos nossos endereços e telefones- Não teríamos doado quase 2 mil animais- Não teríamos resgatado também todos eles- Não nos envolveríamos em situações de risco para resgates- Não enfrentaríamos prefeituras que maltratam seus animais- Não teríamos tantos parceiros bons que nos ajudam a divulgar nosso trabalho- Não responderíamos a nada! 28