Your SlideShare is downloading. ×
Nicbr cp-howinternetworks
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Nicbr cp-howinternetworks

484
views

Published on


0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
484
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Como funciona a Internet Ricardo Patara NIC.BR/Registro.br
  • 2. Introdução Visão geral de funcionamento da Internet  Usuário e sua conexão  Provedor de acesso, provedor de provedor  Interconexão  Distribuição de recursos.
  • 3. Introdução• Nic.BR (Núcleo de Informação e coordenação do .br) – Entidade civil, sem fins lucrativos. – Formada em 2005 – Principais serviços e projetos • Registro de domínios • Distribuição de recursos Internet • PTT, NTP, Indicadores, CERT, W3C BR
  • 4. Introdução• Como funciona a Internet • Redes de redes • Decentralizada • Resiliente / alta disponibilidade • Caminhos alternativos • Projetada para resistir a falhas que afetassem outros sistemas de comunicação
  • 5. Conectando à Internet• Desde o ponto de vista do usuário: – Conteúdo/serviços disponíveis em uma “nuvem”.
  • 6. Conectando à Internet• Desde o ponto de vista do usuário: (ISP) Provedor Acesso
  • 7. Conectando à Internet• Desde o ponto de vista do usuário: Camada lógica (ISP) Provedor Acesso Camada física
  • 8. Conectando à Internet• Desde o ponto de vista do usuário: Camada lógica: endereço, “transporte” (TCP/UDP) (ISP) Endereço IP Provedor Acesso Camada física: dsl, cabo, 3G, dialup, ethernet
  • 9. Conectando à Internet• Desde o ponto de vista do usuário: Camada lógica: endereço, “transporte” (TCP/UDP) Independência Independência (ISP) de meio físico de meio físico Endereço IP Provedor Acesso Camada física:Identificador Identificador dsl, cabo, 3G, único único dialup, ethernet
  • 10. Conectando à Internet• Mais detalhes da Infraestrutura: (ISP) Endereço IP Provedor Acesso
  • 11. Conectando à Internet• Mais detalhes da Infraestrutura:...
  • 12. Conectando à Internet• Mais detalhes da Infraestrutura: – Cada Sistema Autônomo, ou AS, identificado por número único: ASN... Sistema Autônomo
  • 13. Conectando à Internet• Provedor de provedores...
  • 14. Conectando à Internet• Provedor de provedores Provedor de Provedor de Provedor de Provedor de transito acesso transito acesso...
  • 15. Conectando à Internet• Redes de redes (Internet...)...
  • 16. Conectando à Internet• Redes de redes (Internet...)
  • 17. Conectando à Internet • Trocando informações ... AS X: AS Z: a.b.c.d/24 a.b.c.d/24 e.f.g.h/24 e.f.g.h/24 i.j.k.l/24 m.n.o.p/24Endereço IP AS Z: a.b.c.d/24 e.f.g.h/24Endereço IP i.j.k.l/24 m.n.o.p/24 AS X: i.j.k.l/24 m.n.o.p/24
  • 18. Conectando à Internet • Trocando informações ... Troca de Informação AS X: AS Z: entre ASs feita via BGP a.b.c.d/24 a.b.c.d/24 e.f.g.h/24 (Border Gateway Protocol) e.f.g.h/24 i.j.k.l/24 m.n.o.p/24Endereço IP Sistemas são Autônomos AS Z: na definição de suas a.b.c.d/24 e.f.g.h/24 políticas de anúnciosEndereço IP i.j.k.l/24 m.n.o.p/24 AS X: i.j.k.l/24 m.n.o.p/24
  • 19. Conectando à Internet • Distância entre pontos ... p2p, jogos, chat, ...Serviços,Vídeos,Redessociais
  • 20. Conectando à Internet • Distância entre pontos ... Muitas redes, mesmo que conectadas estão “distantes” p2p, jogos, chat, ... Distância pode implicar em atrasos nas comunicações, ou congestionamentos...Serviços,Vídeos,Redessociais
  • 21. Conectando à Internet• Troca de tráfego (Traffic Exchange) (PTT/IXP) Pontos de interconexão entre PTT/IXP redes. Estabelecem caminhos mais “curtos” e alternativos aumentando resiliência PTT/IXP
  • 22. Conectando à Internet• Troca de tráfego (Traffic Exchange) Tráfego de dados PTT/IXP Entre pontos é “local”. Menor “delay”, maior capacidade, melhor experiência PTT/IXP
  • 23. Um pouco de história Internet no Brasil  Inicialmente, como de se esperar, conexões no meio acadêmico.  1988 – primeiras conexões a redes de computadores (Bitnet, HEPnet).  LNCC (RJ) em setembro a 9.600 bps  FAPESP (SP) em outubro a 4.800 bps  1989 – Primeira entidade privada (Alternex). Correio eletrônico.  1989 – Criação da RNP (Rede Nacional de Pesquisa)
  • 24. Um pouco de história Internet no Brasil (continuação)  1991 – Iniciada Fase I da RNP. “Backbone” em 11 capitais. 9.6 a 64 Kbps  1991 – Conexão da Fapesp começa a transportar pacotes IPs. Administração do .br  1992 – Realização da ECO92  1992 – Alternex passa a oferecer todos serviços “Internet”
  • 25. Um pouco de história Internet no Brasil (continuação)  1994 – Primeiro servidores web  1994 – Embratel lança serviço Internet comercial experimental. Sua conexão internacional era de 256Kbps  1995 – Serviço Embratel definitivo. Conexão Internacional 2Mbps.  1995 – Criado o Comitê Gestor da Internet (CGI.BR)  1995 – Elance da Fapes com EUA passa para 2Mpbs (via fibra óptica submarina)
  • 26. Um pouco de história Internet no Brasil (continuação)  1997 – Primeiro PTT no Brasil. Interconexão entre Fapesp e provedor.  1998 – Conexão Internacional da Embratel 142 Mbps  1998 – Primeiros testes com ADSL.
  • 27. Internet no Brasil hoje Aproximadamente 1000 Sistemas Autônomos no Brasil Mais de 70 milhões de usuários – 20 milhões de usuários 3G Capacidade instalada conexão internacional em fibra óptica: ~ 7.5 Tbps – 8 estruturas de cabos Vários grandes provedores transito, várias saídas internacionais.
  • 28. PTTs/IXP nos Brasil PTT Metro  Projeto do NIC.BR/CEPTRO.BR  “Matriz” de interconexão única e distribuída dentro da localidade  Participante escolhe ponto mais próximo e barato.  Primeira localidade São Paulo com então 4 pontos. Atualmente são 20
  • 29. PTT Metro São Paulo
  • 30. PTT Metro PTT MetroAtualmente 15 localidades distribuídas em todo Brasil:Americana, Belo Horizonte, Brasília, Campina Grande, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Londrina, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo
  • 31. PTT Metro PTT Metro:  ~ 350 participantes no total  São Paulo, localidade com maior número de participantes: 170  Provedores de acesso, conteúdo, universidades, órgãos governo.  Tráfego agregado bruto: 6 Peta Bytes
  • 32. PTT Metro Tráfego médio agregado 27Gbps. Máximo 40Gbps
  • 33. PTT Metro Tráfego médio agregado 27Gbps. Máximo 40Gbps duplicando a cada ano
  • 34. PTT Metro Transito IPv6 através do PTT:  Incentivo a implementação  Opção enquanto participante não tenha um provedor com conexão Ipv6  Somente em São Paulo. Com 23 “clientes”
  • 35. Recursos de Numeração Internet Basicamente: endereços IPs (IPv4, IPv6), e ASNs (Autonomous System Numbers) Identificadores únicos e globais Distribuição hierárquica. Princípios básicos e comuns:  Conservação, “roteabilidade” e registro
  • 36. Recursos de Numeração Internet Distribuição Hierárquica Registro.br
  • 37. Recursos de Numeração Internet Regras/políticas para distribuição  Comuns a todos entre os RIRs  Semelhantes em cada região  Processo aberto e democrático para decisão (Fóruns Públicos de Políticas)  Baseadas em necessidades concretas para uso dos recursos  Recursos não são propriedades, mas “concessão” concessão
  • 38. Recursos de Numeração Internet Custos associados  Não há custo/preço por recurso  Custos associados a serviços prestados:  Registro de informação, publicação (whois), resolução inversa, operacional  Como exemplo, variam de 1.7 mil a 68 mil
  • 39. Recursos de Numeração Internet Atualidades  Conjunto de endereços IPv4 dentro de Registro Central (IANA), acabando (2% disponível) disponível  Finito e com 32bits (~4 bilhões)  Necessidade “urgente” de implementação de urgente sua nova geração: IPv6: IPv6  2 ^ 128 endereços  472 blocos alocados na região (54% no BR)
  • 40. Recursos de Numeração Internet Atualidades (cont.)  Tamanho do espaço de endereços IPv6 “Internet Number Resource Report” - NRO http://www.nro.net
  • 41. Recursos de Numeração Internet Atualidades (cont.)  ASN também está “mudando” mudando  Até há algum tempo, 16 bits (0 ~ 65535)  Expansão para 32 bits (0 ~ 4294967296)  Implementação mais “suave” suave  Atualmente, 234 ASNs 32bits no BR (33% do total distribuído)  132 como origem de rotas (IPv4 e IPv6)
  • 42. Referências Internet Revelada, Revelada http://pttmetro.nic.br/docs/ Linha do Tempo da Internet Brasileira http://internetnobrasil.net Projeto PTT Metro http://pttmetro.nic.br Projeto PTT Metro http://pttmetro.nic.br Registro.br/Recursos de Numeração http://registro.br/provedor/numeracao/ Internet Registry IP Allocation Guidelines, http://www.ietf.org/rfc/rfc2050.txt Number Resource Organization (NRO) http://www.nro.net
  • 43. Dúvidas / Comentários ?
  • 44. Obrigado!