Your SlideShare is downloading. ×
Mayara
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,054
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Aprendizagem Real no mundo Virtual metaverso- prós e contras
    • Mayara Setúbal
  • 2.  
  • 3. Second Life (SL)
    • Idealizado em 1999 por Philip Rosedale;
    • Desenvolvido em 2003 (Linden Research);
    • Linden LAB.
    • “ Seu Mundo, Sua Imaginação”.
  • 4. Residentes
    • TODOS:
    • Mulheres e homens adultos;
    • Jovens;
    • CRIANÇAS (RL).
  • 5. APRENDIZAGEns
    • Estímulos;
    • Interação;
    • Conhecimentos;
    • Mudanças.
  • 6.
    • APRENDIZAGENS
    • Permutabilidade;
    • Potencialidade;
    • Simultaneidade .
  • 7. Estímulos Sensoriais
    • Possibilidades audio-visuais;
    • Presença como Imersão;
    • Reflexos
    • Lingüísticos;
    • Sociais;
    • Cognitivos.
  • 8. Faça você mesmo!
    • Sua versão virtual;
    • Interatividade e Interação;
    • Sujeito criador;
    • Sensação de privacidade.
  • 9.  
  • 10. Edição e construção de Objetos
    • Sistema dinâmico:
    • Prims;
    • Modelagem;
    • Textura;
    • Simulação...
  • 11.
    • “ A projeção da imagem do corpo é geralmente associada a noção de Telepresença mas a Telepresença é sempre mais que a simples projeção de imagens”.
    • (LÉVY, 1996 p. 28)
  • 12. A criança e o Jogo Virtual
    • O simbolismo:
    • “ O jogo leva a criança a exercitar o mundo, tal como ela compreende, fazendo assim com que ela se liberte de certas coisas que a incomodavam”.
    • (PIAGET, 1971 p. 45 )
  • 13.  
  • 14. A Representação
    • De sociedade/mundo;
    • De vida (familiar);
    • AUTOREPRESENTAÇÃO.
  • 15.  
  • 16.  
  • 17. Conteúdos
    • Gerais;
    • Acesso fácil;
    • Realismo;
    • Verificação de idade.
    • Não estamos presos à regras físicas!
  • 18.  
  • 19.  
  • 20.  
  • 21.  
  • 22.  
  • 23.  
  • 24.  
  • 25.  
  • 26.  
  • 27.  
  • 28.  
  • 29.  
  • 30.  
  • 31.  
  • 32.  
  • 33. Educação
    • Virtualidade Real – Aprendizagem
    • Telepresença – Educação à Distância
    • A novidade que pode virar INOVAÇÃO .
  • 34.  
  • 35.  
  • 36.  
  • 37.  
  • 38.  
  • 39.  
  • 40.  
  • 41.  
  • 42.
    • “ O processo de ensino-aprendizagem está entrelaçado com a condução do aprendiz a ler o mundo que o cerca. Para ele, só se conquista o saber se aprendermos a analisar o mundo que nos cerca de forma crítica e produtiva, podendo interferir nos acontecimentos do cotidiano”.
    • (FREIRE, 2003)
  • 43. ORIENTAÇÃO
  • 44. A criança e sua percepção de mundo
    • Estágios de Piaget:
    • Sensório-motor -0 a 2 anos;
    • Pré-operatório 2 a 7 anos
    • Operacões concretas o operatório concreto 7 a 11;
    • Operações formais ou operatório formal: 12 em diante.
  • 45. Operações concretas
    • A criança desenvolve noções de tempo, espaço, velocidade, ordem, casualidade, já sendo capaz de relacionar diferentes aspectos e abstrair dados da realidade. Não se limita a uma representação imediata, mas ainda depende do mundo concreto para chegar à abstração.
  • 46. desenvolve a capacidade de representar uma ação no sentido inverso de uma anterior, anulando a transformação observada (reversibilidade).
  • 47. Operações formais
    • A representação agora permite a abstração total. A criança não se limita mais a representação imediata nem somente às relações previamente existentes, mas é capaz de pensar em todas as relações possíveis logicamente buscando soluções a partir de hipóteses e não apenas pela observação da realidade.
  • 48. Em outras palavras, as estruturas cognitivas da criança alcançam seu nível mais elevado de desenvolvimento e tornam-se aptas a aplicar o raciocínio lógico a todas as classes de problemas.
  • 49. Construção do conhecimento
    • Ação, participação e transformação;
    • Hiperleitura
  • 50.  
  • 51.  
  • 52.  
  • 53. Interferências negativas associadas ao convívio familiar
    • Educação permissiva;
    • Ausência de boas referências;
    • Ausência de afeto.
  • 54. Interferências negativas associadas à Escola
    • Exclusão;
    • Bullying;
    • Falta de amigos;
    • Déficit metodológico (dispedagogia).
  • 55.
    • “ Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para constatar, constatando, intervenho, intervindo, EDUCO”.
    • (Freire1998, p. 32)
  • 56. Obrigada!
  • 57. Referências
    • COLL, César; MARCHISI, Álvaro; PALÁCIUS, Jésus. Desenvolvimento Psicológico e Educação . 2 ed. Artmed, 2004.
    • FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática
    • educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1998.
    • Hiperleitura e Interatividade na Web. Núcleo de estudos de hipertexto e Tecnologia Educacional . Artigos. Disponível em: << http://www.ufpe.br >>. Acesso em: 05.01.2011.
    • LÉVY, Pierre. O que é o Virtual? . Rio de Janeiro: Editora 34, 1996.
  • 58.
    • Metaverso: a telepresença em Mundos Digitais Virtuais 3D por meio do uso de avatares. Disponível em: << http://www.br-ie.org >>. Acesso em: 02.01.2011.
    • SILVA, Marco. Sala de aula interativa. Rio de Janeiro : Quartet, 2000.
    • PIAGET, Jean. A psicologia da criança . Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.
  • 59. Contato
    • Mayara Setúbal
    • [email_address]
    • William Gomes
    • [email_address]
    • ID Second Life:
    • May Menizah
    • Magros Zapatero

×