FOTOGRAFIA - Fotografia com luz Externa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

FOTOGRAFIA - Fotografia com luz Externa

  • 11,416 views
Uploaded on

Fotógrafo Gabriel Boieras vai ensinar como usar o flash na fotografia, desde os conceitos básicos até alguns recursos especiais. De quebra, vai explicar como fazer fotos artísticas usando a técnica......

Fotógrafo Gabriel Boieras vai ensinar como usar o flash na fotografia, desde os conceitos básicos até alguns recursos especiais. De quebra, vai explicar como fazer fotos artísticas usando a técnica de lightpainting.

More in: Design , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
11,416
On Slideshare
11,281
From Embeds
135
Number of Embeds
5

Actions

Shares
Downloads
303
Comments
0
Likes
4

Embeds 135

http://www.eadamazonia.com 68
http://www.slideshare.net 29
http://eusoufotografoamador.blogspot.com 22
http://eusoufotografoamador.blogspot.com.br 14
http://eusoufotografoamador.blogspot.pt 2

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. FLASH Nos primeiros flash eram utilizadas lâmpadas similares as incandescentes de hoje, com a diferença que seu filamento era bem fino e muito longo que ao receber uma descarga elétrica se queimava. Ou seja, para cada foto era utilizada uma lâmpada. O flash eletrônico surgiu por volta de 1949 e tinham o tamanho de uma mala, pesava quase 8 quilôgramas e utilizava 5.000 volts de energia. Início dos anos 50, começaram a aparecer tubos (lâmpadas) em "U" ou circulares o que melhorou muito a eficiência. Em 1950 surgiu o "Sevoblitz" o primeiro flash com o refletor incluído. Ao surgirem as baterias de níquel-cádmio começaram a fabricar os primeiros "flash de bolso", o que reduziu em muito as dimensões, aliado ao aperfeiçoamento dos refletores.
  • 2. FLASH - Harold Eugene Edgerton Luz estroboscópica FLASH – Gjon Mili Parecria com Edgerton, fotografo da revista LIFE Copyright.Harold Eugene Edgerton
  • 3. FLASH Mais recentemente, com o surgimento ao consumo das câmeras digitais (segunda metade da década de 1990), os flash sempre estão incorporados. Nas câmeras profissionais é opção os flashes TTLs, inteligentes que "conversam" com a câmera ajustando seus disparos de acordo com os dados de abertura, velocidade, ISO, distância e outros.
  • 4. FLASH - VELOCIDADE DE SINCRONISMO Sincronismo refere-se ao intervalo de tempo entre a abertura do obturador e o disparo do flash. Ambos devem acontecer exatamente no mesmo momento. Para isto, necessitamos de uma velocidade específica que dispare o flash no exato momento em que o obturador esteja totalmente aberto para atingir o pico máximo de luz. Se o manual de sua câmera informar que o sincronismo do flash está regulado para 1/60, e se você acidentalmente utilizar uma velocidade mais rápida como 1/125 ou ainda 1/250, a foto sairá gravada somente em parte, pois a velocidade estará fora do pico, e a cortina do obturador estará cobrindo parte do filme durante a exposição. velocidade de sincronismo - velocidade máxima permitida a operar com flash eletrônico
  • 5. f. 5.6 1/1000 ISO 100 Copyright.Gabriel Boieras f. 5.6 1/30 ISO 100 Copyright.Gabriel Boieras
  • 6. FLASH – NÚMERO GUIA Cada tipo ou modelo de flash tem uma potência, um poder de iluminação. Esta medida é o número guia, indicado no manual do seu flash, para filmes de ISO 100. A luz que parte do seu flash se espalha e chega até o assunto com maior ou menor intensidade. Portanto, toda vez em que a distância se altera, é necessário alterar o diafragma para uma correta exposição. Cada flash tem um número guia, uma potência diferente.E apresenta uma tabela de Distancia x Abertura.
  • 7. FLASH – NÚMERO GUIA
  • 8. Flash rebatido O flash direto da câmera não favorece os retratos, porque a luz plana e frontal que ilumina o objeto ou plano, elimina as sombras. A cabeça do flash inclina-se 60º ou mais por cima, fazendo com que a luz fique no teto. Também chega a projetar sombras duras sobre qualquer superfície que faça fundo. Estes dois problemas se resolvem, ajustando a luz para o teto ou numa parede usando um flash com um cabeçal que possa ser girado ou inclinado para usar o teto ou as paredes como superfície de reflexão.
  • 9. Flash rebatido Copyright.Gabriel Boieras Flash direto Copyright.Luciana Cattani
  • 10. Flash preenchimento Neste caso o flash é utilizado de maneira que não seja a luz principal, mas sim uma luz secundária que auxilie na eliminação de áreas de sombra. Copyright.Gabriel Boieras Copyright.Gabriel Boieras
  • 11. Retrato Noturno Copyright.Gabriel Boieras
  • 12. Flash com sincronismo longo O recurso de alongar o tempo do obturador nas fotos com flash evita que o fundo fique escurecido, e qeuilibra a luz entre primeiro plano e luz ambiente. Nas cameras com regulagem manual, utiliza- se uma velocidade baixa, razoável para que a câmera não trema 1/8, 1/4 s. E o flash em TTL. No caso das cameras compactas existe a opção em algumas câmeras do FLASH SL (slow sync).
  • 13. Flash com sincronismo longo Copyright.Luciana Cattani
  • 14. Flash com sincronismo longo Copyright.Gabriel Boieras
  • 15. Relação Flash x Temp. de Cor Flash tem uma temperatura de cor próxima a luz do dia em Sol Aberto - 5.500 K
  • 16. Relação Flash x Temp. de Cor Copyright.Gabriel Boieras Copyright.Gabriel Boieras Copyright.Gabriel Boieras 10.000 K 5.000 K 3.000 K
  • 17. Técnica Light Painting Renan Cepeda Cenci Goepel & Jens Warnecke Copyright.Renan Cepeda
  • 18. Técnica Light Painting + Flash Gjon Mili – fotos Picasso no estúdio Copyright.Gjon Mili
  • 19. Fotografia com luz externa Flash e Light Painting Sites para pesquisa: www.lightmark.de http://www.renancepeda.com/ http://www.life.com http://portfolio.joemcnally.com/ Copyright.Gjon Mili
  • 20. OBRIGADO!!! Dúvidas e Sugestões: contato@territoriodafoto.com.br www.territoriodafoto.com.br