Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.

on

  • 22,088 views

 

Statistics

Views

Total Views
22,088
Views on SlideShare
22,065
Embed Views
23

Actions

Likes
3
Downloads
294
Comments
0

1 Embed 23

http://www.slideshare.net 23

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência. Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência. Presentation Transcript

  • Sociologia
    Roberto Mosca Junior
  • Desigualdades sociais no Brasil
    Existem desigualdades sociais de várias ordens.
    Alguns cenários sobre a desigualdade:
    Segregação espacial
    No Brasil, conforme o IBGE até o final de 2006 temos:
    40 milhões de domicílios registrados.
    10 milhões são considerados insalubres (sem condições mínimas para viver dignamente)
  • Segregação espacial
    Nas cidades aos menos favorecidos são reservadas as áreas mais insalubres e sujeitas a toda sorte de riscos, como enchentes e deslizamentos de terra, violência crônica.
    Afinal de contas onde podemos encontrar a segregação espacial:
    Nas Favelas
    Nos Cortiços
    Nos Casebres
    Nas Palafitas
    Nos Alagados
  • Dados sobre as favelas
    6,5 milhões de pessoas.
    65% nas capitais
    São Paulo (2,07 milhões)
    Rio de Janeiro (1,38 milhões)
    Belém maior população favelada proporcionalmente 35% (581 mil)
  • Palafitas
  • Tarsila do Amaral
    'Morro da Favela'-1924
óleo/tela 64 X 76cm
Assin:"Tarsila 1924" 
Col. JoãoEstéfano, SP
  • “Cultura do medo”
    A existência de uma massa de pessoas vivendo precariamente alimenta uma crescente “cultura do medo”, presente em muitos segmentos da sociedade, e justifica os movimentos de abandono da cidade e a busca de isolamento, traduzido na multiplicação de condomínios fechados.
  • Condomínios Barra da Tijuca
  • Vida social desigual
    Nestes condomínios temos uma vida social marcada pelo isolamento:
    Escola específica
    Lazer próprio
    Regulamento e guardas particulares
    Delimitando o espaço
    E criando uma cultura desigual
  • Sociabilidade violenta
    Definição de Estado de Max Weber:
    “uma comunidade humana que pretende, com êxito, o monopólio do uso legítimo da força física dentro de determinado território”.
    Será que o Estado perdeu o monopólio da força?
    “Estado Paralelo” ou “para estado”
  • Sociabilidade violenta
    Luis Antonio Machado Silva
    Os comandos não tem de ser visto como:
    “Estado dentro do Estado” e nem em um contexto de “Ausência de Estado”
    O problema é de convivência entre a ordem institucional legal e uma ordem cujo princípio norteador é a violência.
  • Sociabilidade violenta
    Estamos vivendo uma nova sociabilidade – uma sociabilidade violenta - que rege o corpo social, afetando de forma ainda mais direta e profunda as áreas desfavorecidas economicamente.
    Característica da SV:
    Transformação da força, de meio de obtenção de interesses, no próprio princípio de coordenação das ações.
  • Sociabilidade violenta
    Não há princípios da honra, amizade e laços de sangue.
    Esta Sociabilidade é fragmentada (lógica do cada um por si)
    “Cadeia de submissão formada pelo reconhecimento do desequilíbrio da força” (comandos)
    O poder não se dá por meio da negociação ou convencimento.
  • Sociabilidade violenta
    Mas sim pelo uso da força, no mais das vezes, letal , imposta aos demais.
    Violência é usada para fora do grupo (cidadãos e grupos rivais) bem como no interior do próprio grupo.
  • Protesto no Rio
  • Sociabilidade violenta
    Dois criminosos assaltam um caixa eletrônico.
    Sob efeito de drogas e um deles está com uma pistola automática.
    Eles não tem exatamente um plano.
    A única coisa que sabem é que precisam escapar da polícia.
    O sinal de trânsito fecha e caminham na direção de um carro qualquer.
  • Sociabilidade violenta
    Não tem interesse no carro como tal, apenas precisam de um veículo para a fuga.
    Na lógica da sociabilidade violenta, sempre extremamente imprevisível, há vários desfechos possíveis para essa história:
    Os criminosos ameaçam o motorista do carro com a pistola, este lhe entrega o carro e os criminosos conseguem escapar.
  • Sociabilidade violenta
    O motorista do carro, paralisado de medo, não consegue sair do carro rapidamente. Os criminosos se exaltam e matam o motorista- perceba que de início não estava previsto o assassinato – e seguem em fuga.
    O motorista do carro também está armado e ocorre uma troca de tiros.
    Zona de incerteza – ninguém sabe exatamente como agir, nem mesmo os criminosos, o que acaba gerando nos cidadãos de bem uma profunda insegurança.
  • Reflexões finais
    Não faz sentido as noções de “criminalidade organizada” e “Estado paralelo”. Muito menos que o indivíduo já nasça violento para explicar o problema da violência no Brasil.
    Ninguém nasce cidadão é preciso aprender a sê-lo.
    Da mesma maneira ninguém nasce “portador” de sociabilidade violenta.
    Não se trata de uma questão de caráter ou índole.
    Justamente porque não se trata de uma questão natural, alguém que no presente é criminoso, no futuro pode deixar de sê-lo.
  • Manchetes de jornais (a violência está em todo lugar)
    Briga em festa de condomínio na Barra deixa seis feridos: Estudante é preso acusado de esfaquear pai e filho no Barra Summer Dream.
    Vítima de pitboys recebe ameaça por telefone
  • Questão
  • Questão ENEM
    Esta foto, do fotógrafo mexicano Carlos Cazalis, flagra, na porta de um prédio comercial, um morador de rua que passa a noite no centro de São Paulo.
    (imagem premiada no World Press Photo 2009).
    A partir da foto e considerando as condições de vida nas grandes cidades no Brasil, é possível afirmar que a questão incorretamente é:
  • Questão modelo ENEM
    O acesso a boas condições de moradia no Brasil está relacionado ao alto poder econômico das grandes cidades, que tende a ter um valor de custo de vida elevado nas áreas centrais e urbanizadas.
    Há uma tendência nas grandes cidades brasileiras, devido ao alto valor do custo de vida nas áreas centrais e urbanizadas, de isolamento das populações, confinadas a bolsões de miséria.
    Nas grandes cidades brasileiras, com a prática de tarifas de transportes caras e falta de integração de vários meios de transporte, a mobilidade social é dificultada e, com isso, a ascensão social das pessoas por meio de estudo e aumento de renda é um sonho distante para muitos.
    As favelas surgem e crescem sem planos de lotes e ruas, com frequência em terrenos públicos, às vezes acidentados e sem condições de segurança, e os governos encontram várias dificuldades para regularizar as moradias, pois cabe ao poder público cumprir as normas que ele mesmo estabeleceu .
    Com o processo de favelização das grandes cidades brasileiras, os moradores destas são assistidos e tem pleno acesso a direitos humanos básicos (comida, trabalho e moradia).
     
  • Naturalização da pobreza
    Justificativa no perfil da população para a condição de subalternidade:
    São pobres e violentos por questões “naturais” e biológicas, esta explicação apresenta um caráter preconceituoso, desconsidera o caráter sócio-cultural do indivíduo e as características do meio social no qual ele vive.
  • Relação entre pobreza e violência
  • Relação entre pobreza e violência
  • Pena de morte
  • Segregação espacial
  • Quem é o responsável?
  • Quem é o responsável?
  • Quem é o responsável?
  • Desemprego estrutural
  • Desemprego estrutural
  • Desemprego estrutural
  • A solução
  • Violência
    Não uma única causa, existe um conjunto de de situações que geram a violência. Barreiras culturais para controle de natalidade, a desestruturação dos laços familiares, a a redução de oportunidades por ineficiência do sistema escolar e falta de uma política de trabalho.