Clareamento Dental Interno

10,914 views
10,248 views

Published on

Published in: Education

Clareamento Dental Interno

  1. 1. CAMILLA BRINGEL RÊGO DENTES VITALIZADOS E DESVITALIZADOS
  2. 2. “Tratamento Clareador muito solicitado para atender aos padrões estéticos”. (Nash, 1999) Clareamento Interno “O Clareamento interno é um método alternativo para restabelecer a cor dos dentes evitando o desgaste necessário da estrutura normal”. Clareamento Dental
  3. 3. Manchas Intrísecas  Coloração natural  Escurecimento natural  Medicamentos (tetraciclina) e fluoretos  Traumatismos  Necrose pulpar  Contaminação da câmara durante tratamento  Iatrogenias  Material obturador e restaurador
  4. 4. Manchas Extrínsecas ► Predisposição do paciente ► Adquirida do meio bucal ► Após a erupção ► Precipitação de corante no biofilme dental ► Exemplos: Café, Chá Preto, Vinho Tinto, Chimarrão, Shoyu, Cigarro, Charuto
  5. 5. Escurecimento dental ENDODONTIA DENTÍSTICA REMANESCENTE PULPAR AMÁLGAMA Cimento PINOS Materiais obturadores RESINAS COMPOSTAS
  6. 6. Os agentes clareadores são veículos de radicais de Oxigênio Mecanismo de Ação grande instabilidade quando em contato com os tecidos dentais promovem ora oxidação, ora redução do pigmento associado a ele macromoléculas, acabam sendo fracionados em cadeias menores, até serem eliminadas por difusão “As moléculas do gel clareador penetram na intimidade do esmalte e da dentina que, por sua vez, “quebram” as moléculas dos pigmentos causadores de manchas, liberando-as.” OXIDAÇÃO + Oxigênio - Hidrogênio REDUÇÃO - Oxigênio + Hidrogênio
  7. 7.  Peróxido de Carbamida  Peróxido de Hidrogênio AGENTES CLAREADORES
  8. 8. Peróxido de Carbamida TECIDOS / SALIVA CH4N20-H202 H2O2 + CO(NH2)2 URÉIA AMÔNIA E CO2 OXIGÊNIO + ÁGUA
  9. 9. Peróxido de Hidrogênio OXIGÊNIO + ÁGUA H2O2
  10. 10. Indicações  Dentes amarelados  Tetraciclina  Manchas hipoplásicas  Fluorose  Desvitalizados  Antes de iniciar o tratamento restaurador
  11. 11. Contra-Indicações  Pacientes grávidas  Fumantes  Hipersensibilidade a algum componente da fórmula  Restaurações em resina e porcelana em excesso
  12. 12. CLAREAMENTO DE DENTES VITAIS CLAREAMENTO DE DENTES NÃO-VITAIS APLICAÇÃO DOMÉSTICA CONSULTÓRIO CONSULTÓRIO (Técnicas) CLAREAMENTO DENTAL IMEDIATA MEDIATA
  13. 13. HOME BLEACHING CLAREAMENTO DOMÉSTICO  Técnica simples, fácil aplicação  Pouco tempo de atendimento clínico  Não promove alterações em dentes, periodonto ou restaurações  Pode ser usada em vários dentes simultaneamente  Custo reduzido Vantagens: Clareamento de Dentes Vitais
  14. 14. Agentes utilizados no clareamento doméstico Peróxido de Hidrogênio Diversas concentrações (6, 7 e 10%) Peróxido de Carbamida Diversas concentrações (10, 15, 16, 20, 22 %) Clareamento de Dentes Vitais
  15. 15. Técnica de aplicação  Aplicar o conjunto moldeira clareador durante 1 hora a 1 hora e meia  Realizar o procedimento em dois períodos do dia  Avaliar a cada 7 dias  Suspender em caso de sensibilidade moderada ou severa (Depende do fabricante) ANTES DEPOIS Clareamento de Dentes Vitais
  16. 16. OFFICE BLEAGHING CLAREAMENTO DE CONSULTÓRIO  Resultados mais acelerados  Conforto para o paciente  Melhor monitoramento do profissional  Ideal para pacientes não colaboradores, com bruxismo e desordens têmporo-mandibular  Manchas localizadas  Marketing para o consultório VANTAGENS Clareamento de Dentes Vitais
  17. 17. Agentes utilizados no clareamento de Consultório Peróxido de Hidrogênio Concentrações (20, 35 e 38%) Peróxido de Carbamida Concentração (35 e 37%) Até 3 sessões de 3 aplicações de 6 minutos cada Até 3 sessões de 3 aplicações de 15 minutos cada Técnica não muito utilizada hoje em dia Utilizado em clareamento clínico há mais de 75 anos OFFICE BLEAGHING Clareamento de Dentes Vitais Depende do Fabricante
  18. 18. Protocolo de Aplicação 1) Profilaxia prévia 2) Verificação da cor inicial 3) Afastamento e aplicação da barreira gengival Clareamento de Dentes Vitais Pedra pomes
  19. 19. Protocolo de Aplicação Clareamento de Dentes Vitais 4) Aplicação do Peróxido  Peróxido de Hidrogênio = 6 minutos por aplicação  Peróxido de Carbamida = 15 minutos por aplicação DEPENDE DO FABRICANTE
  20. 20. 6) Realizar 3 aplicações a cada sessão 7) Ao final de cada sessão lavar abundantemente 8) Tomada de cor Protocolo de Aplicação Clareamento de Dentes Vitais Aplicação do Peróxido LIBERAÇÃO DO OXIGÊNIO 5) Remover o produto com sucção e gaze. (Não lavar ) ANTES DEPOIS
  21. 21.  Caso o peróxido tenha entrado em contato com os tecidos moles, aplicar solução neutralizante (Ex.: Bicarbonato de Sódio)  Suspender a aplicação imediatamente caso o paciente reclame de sensibilidade durante o tratamento  Caso o paciente reclame de sensibilidade após o tratamento, aplicar algum agente dessensibilizante (Ex.: Nitrato de Potássio ).  Realizar polimento na superfície dental com pasta diamantada e escova de Robinson macia  Pode ser realizado até 3 sessões de clareamento, com 3 aplicações cada.  É necessário um intervalo de pelo menos 7 dias entre as sessões.  Uma quarta sessão só deve ser considerada caso necessite de pequenos ajustes. Protocolo de Aplicação Clareamento de Dentes Vitais CUIDADOS: DEPENDE DO FABRICANTE
  22. 22. Luz em Clareamento: A Polêmica Peróxido de hidrogênio puro não é fotosensível. Clareamento de Dentes Vitais pode acelerar a decomposição do peróxido IDEPENDENTE de ser Laser, LED, halógena ou plasma. Papel da lâmpada fornecimento de calor INJÚRIA PULPAR
  23. 23.  Marketing para paciente insuperável  Efetividade pequena ou nula  Investimento alto  Possibilidade de sensibilidade Utilização de LED / Lasers em Clareamento Luz em Clareamento: A Polêmica Clareamento de Dentes Vitais Considerações:
  24. 24. Sensibilidade  Flúor tópico neutro  Flor-Opal (Ultradent)  UltraEZ (Ultradent)  Flúor Gel (Discus)  Desensibilize (FGM) Clareamento de Dentes Vitais Alternar os dias de aplicação OU Suspender o procedimento clareador
  25. 25. Avaliar a qualidade do tratamento endodôntico Retratar se houver necessidade Isolamento absoluto SELAMENTO CERVICAL
  26. 26. SELAMENTO CERVICAL Clareamento de Dentes Não-Vitais Realizar acesso à câmara pulpar e limpar corretamente Remover o material obturador entre 2-3mm abaixo da junção amelocementária Colocar um cimento-base prevenindo qualquer infiltração do clareador em direção ao canal
  27. 27. AGENTES CLAREADORES Peróxido de Carbamida 37% Perborato de Sódio 30% Peróxido de Hidrogênio 35%
  28. 28. TÉCNICAS DE APLICAÇÃO TÉCNICA MEDIATA “WALKING BLEACH” (Nutting & Peo, 1967; Abboutt, 1997) TÉCNICA IMEDIATA “POWER BLEACHING” (Benjamim, 2002) Clareamento de Dentes Não-Vitais ASSOCIADA OU NÃO  Peróxido de Hidrogênio 35 % (Idêntica à técnica para dentes vitais)  Peróxido de Carbamida 37%  Perborato de Sódio + Peróxido de Hidrogênio 20%  Peróxido de Hidrogênio 35% Atualmente pouca indicada
  29. 29. TÉCNICA IMEDIATA Clareamento de Dentes Não-Vitais Verificação da cor inicial e medir a coroa com uma sonda Radiografia inicial para avaliação do canal DESOBSTRUÇÃO DO CANAL DE 2-3MM SELAMENTO CERVICAL
  30. 30. Gel clareador a base de Peróxido de Hidrogênio a 35% (Usado para clareamento imediato) TÉCNICA IMEDIATA Clareamento de Dentes Não-Vitais
  31. 31. TÉCNICA IMEDIATA Clareamento de Dentes Não-Vitais ANTES DEPOIS
  32. 32. TÉCNICA MEDIATA Clareamento de Dentes Não-Vitais “WALKING BLEACH” MEDIÇÃO DO DENTE COM SONDA PERIODONTAL RADIOGRAFIA PARA VERIFICAÇÃO DO CONDUTO RADICULAR
  33. 33. TÉCNICA MEDIATA Clareamento de Dentes Não-Vitais “WALKING BLEACHING”
  34. 34. TÉCNICA MEDIATA Clareamento de Dentes Não-Vitais “WALKING BLEACHING” ANTES DEPOIS
  35. 35. IMPORTANTE! Sempre se deve esperar aprox. 21dias antes de se restaurar um dente clareado. O Peróxido ainda permanece ativo “dentro” do dente Pode haver mudança de cor
  36. 36. Existe Segurança no Tratamento Clareador? “Quando realizado com a supervisão de um profissional, este procedimento é seguro como qualquer outro tratamento dental rotineiro”. Haywood, VB Jada, vol 28 Special supp. April, 1997

×