Emprego do Sinal indicativo de Crase
CRASE: é uma palavra de origem grega e significa "mistura", "fusão". Nos estudos de
L...
Começou a gritar. (sem crase) - Gosta de gritar / Insiste em gritar / Optou por gritar.
3 - Substitua verbos que transmite...
À meia-noite.
À uma hora.
À duas horas.
Às três e quarenta.

Casos Especiais e Dicas Práticas
CRASE: é uma palavra de orig...
I. Voltamos DA Grécia há duas semanas.
II. Voltamos DE Roma há duas semanas.
Façamos a reescrita da frase com a substituiç...
c) Pessoa não-especificada - Admite artigo facultativamente; por isso, o uso da crase
também é facultativo.
3. Números Car...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Crase (à)

363

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
363
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Crase (à)"

  1. 1. Emprego do Sinal indicativo de Crase CRASE: é uma palavra de origem grega e significa "mistura", "fusão". Nos estudos de Língua Portuguesa, é o nome dado à fusão ou contração de duas letras "a" em uma só. A crase é indicada pelo acento grave (`) sobre o "a". Crase, portanto, NÃO é o nome do acento, mas do fenômeno (junção a + a) representado através do acento grave. A crase pode ser a fusão da preposição a com: 1) o artigo feminino definido a (ou as): Fomos à cidade e assistimos às festas. 2) o pronome demonstrativo a (ou as): Irei à (loja) do centro. 3) os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo: Refiro-me àquele fato. 4) o a dos pronomes relativos a qual e as quais: Há cidades brasileiras às quais não é possível enviar correspondência. Observe que a ocorrência da crase depende da verificação da existência de duas vogais "a" (preposição+artigo ou preposição+pronome) no contexto sintático. REGRAS PRÁTICAS 1 - Substitua a palavra feminina por uma masculina, de mesma natureza. Se aparecer a combinação ao, é certo que OCORRERÁ crase antes do termo feminino: Amanhã iremos ao colégio / à escola. Prefiro o futebol ao voleibol / à natação. Resolvi o problema / a questão. Vou ao campo / à praia. Eles foram ao parque / à praça. 2 - Substitua o termo regente da preposição a por outro que exija uma preposição diferente (de, em, por). Se essas preposições não se contraírem com o artigo, ou seja, se não surgirem as formas da(s), na(s) ou pela(s), não haverá crase: Refiro-me a você. (sem crase) - Gosto de você / Penso em você / Apaixonei-me por você. Refiro-me à menina. (com crase) - Gosto da menina / Penso na menina / Apaixonei-me pela menina.
  2. 2. Começou a gritar. (sem crase) - Gosta de gritar / Insiste em gritar / Optou por gritar. 3 - Substitua verbos que transmitem a idéia de movimento (ir, voltar, vir, chegar etc.) pelo verbo voltar. Ocorrendo a preposição "de", NÃO haverá crase. E se ocorrer a preposição "da", HAVERÁ crase: Vou a Roma. / Voltei de Roma. Vou à Roma dos Césares. / Voltei da Roma dos Césares. Voltarei a Paris e àSuiça. / Voltarei de Paris e daSuiça. Ocorrendo a preposição "de", NÃO haverá crase. E se ocorrer a preposição "da", HAVERÁ crase: Vou a Roma. / Voltei de Roma. Vou à Roma dos Césares. / Voltei da Roma dos Césares. Voltarei a Paris e àSuiça. / Voltarei de Paris e daSuiça. 4 - A crase deve ser usada no caso de locuções, ou seja, reunião de palavras que equivalem a uma só idéia. Se a locução começar por preposição e se o núcleo da locução for palavra feminina, então haverá crase: Gente à toa. Vire à direita. Tudo às claras. Hoje à noite. Navio à deriva. Tudo às avessas. No caso da locução "à moda de", a expressão "moda de" pode vir subentendida, deixando apenas o "à" expresso, como nos exemplos que seguem: Sapatos à Luiz XV. Relógios à Santos Dummont. Filé à milanesa. Churrasco à gaúcha. No caso de locuções relativas a horários, somente no caso de horas definidas e especificadas ocorrerá a crase:
  3. 3. À meia-noite. À uma hora. À duas horas. Às três e quarenta. Casos Especiais e Dicas Práticas CRASE: é uma palavra de origem grega e significa "mistura", "fusão". Nos estudos de Língua Portuguesa, é o nome dado à fusão ou contração de duas letras "a" em uma só. A crase é indicada pelo acento grave (`) sobre o "a". Crase, portanto, NÃO é o nome do acento, mas do fenômeno (junção a + a) representado através do acento grave. A crase pode ser a fusão da preposição a com: 1) o artigo feminino definido a (ou as): Fomos à cidade e assistimos às festas. 2) o pronome demonstrativo a (ou as): Irei à (loja) do centro. 3) os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo: Refiro-me àquele fato. 4) o a dos pronomes relativos a qual e as quais: Há cidades brasileiras às quais não é possível enviar correspondência. Observe que a ocorrência da crase depende da verificação da existência de duas vogais "a" (preposição+artigo ou preposição+pronome) no contexto sintático. CASOS ESPECIAIS E DICAS 1 - Nome próprio geográfico Em se tratando de nomes de lugar (cidade, estado, país, continente, planeta), o fenômeno da crase acontece quando a palavra admite artigo "a". Nestes casos, (nomes próprios geográficos), substitui-se o verbo da frase pelo verbo "voltar" e caso resulte na expressão “voltar da”, há a confirmação da crase. Observe os 2 (dois) exemplos abaixo: I. Nestas férias, viajaremos à (preposição + artigo) Grécia. II. Nestas férias, viajaremos a (artigo) Roma. Façamos a reescrita da frase com a substituição do verbo "viajar" pelo verbo "voltar", conforme proposto:
  4. 4. I. Voltamos DA Grécia há duas semanas. II. Voltamos DE Roma há duas semanas. Façamos a reescrita da frase com a substituição do verbo "viajar" pelo verbo "voltar", conforme proposto: I. Voltamos DA Grécia há duas semanas. II. Voltamos DE Roma há duas semanas. Atenção: A crase estará confirmada nas situações em que o nome geográfico apresentar-se modificado por um adjunto adnominal. Veja o exemplo abaixo: Nestas férias, viajaremos à (preposição + artigo) Roma histórica. Dizemos: "Voltamos DE Roma" e "Voltamos DA Roma histórica". 2. Nomes de mulher Para usar (ou não) crase com nome de mulher, temos que considerar três situações: a) Quando chamamos a pessoa (mulher) pelo "primeiro nome" o uso da crase é facultativo, com adiante se demonstra: Exemplo 1.a Gosto DE Magali. Penso em Ana. Contei a Magali o que falei a Ana. Exemplo 2.a Gosto DA Magali. Penso na Ana. Contei à Magali o que falei à Ana. b) Antes de nomes de mulheres consideradas célebres, por não admitir artigo, NÃO admite crase. Veja exemplos: Exemplo 1.c O filme faz referência a Joana D’Arc. Exemplo 2.c Retratou a Joana D’Arc como santa...
  5. 5. c) Pessoa não-especificada - Admite artigo facultativamente; por isso, o uso da crase também é facultativo. 3. Números Cardinais Antes de números cardinais NÃO se utiliza crase. Exemplo: Vou embora daqui a quinze minutos. 4. Antes de pronomes possessivos O uso da crase é facultativo. Neste caso, o melhor é aplicar a regra geral de substituir o "feminino" pelo "masculino". Ao substituir um pronome possessivo feminino por um pronome possessivo masculino encontramos a resposta quanto a ocorrência ou não de crase. Veja a frase: Dei férias a / à minha equipe. Primeiramente vamos substituir o substantivo feminino equipe por um substantivo masculino equivalente. Dei férias a meu grupoOU Dei férias ao meu grupo. Segue daí que: se no masculino, posso dizer a ou ao, então a crase é facultativa no feminino. Portanto, estão corretas as seguintes frases: Dei férias a minha equipe. Dei férias à minha equipe.

×