Geografia de Africa parte economica

1,715 views
1,596 views

Published on

Este trabalho aborda o processo deUrbanizacao no Continente Africano especificamente para asMegacidades e a Regiao da SADC

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,715
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
32
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Geografia de Africa parte economica

  1. 1. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaUniversidade Eduardo MondlaneDepartamento de GeografiaLicenciatura em GeografiaGeografia de África: Parte EconómicaEstudantes:Calisto da PazCarlos MujovoLor MussagyDionísio MugabeGermias RasoBelmiro SoaresMaputo, Maio de 2013NB: O trabalho, foi realizado no âmbito da disciplina de Geografia de África-Parte Económica dicsiplina que, fazparte do currículo de Lincenciatura em Geografia na UEM no nível 3. A sua realização foi da inteiraresponsabilidade dos estudantes.
  2. 2. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaÍndiceI INTRODUÇÃO....................................................................................................................................3II. OBJECTIVOS ....................................................................................................................................4III. METODOLOGIA..............................................................................................................................4IV.ENQUADRAMENTO TEÓRICO (PRINCIPAIS CONCEITOS) .......................................................5V.ENQUADRAMNTO GEOGRÁFICO DO CONTINENTO AFRICANO.............................................6VI URBANIZAÇÃO EM ÁFRICA.........................................................................................................7VI.I HISTÓRIA DA URBANIZAÇÃO AFRICANA...............................................................................7VI.II.TENDÊNCIAS DA URBANIZAÇÃO EM ÁFRICA ..................................................................8VI.III FACTORES DA URBANIZAÇÃO EM ÁFRICA .........................................................................9VI.IV OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DE URBANIZAÇÃO EM ÁFRICA.....................................9VI.V PROBLEMAS ESPECÍFICOS DAS MEGACIDADES AFRICANAS....................................10VI.VI PROBLEMAS DA URBANIZAÇÃO NOS PAÍSES DA SADC..............................................11VI.VII MEDIDAS CORRECTIVAS DOS PROBLEMAS DA URBANIZAÇÃO EM ÁFRICA: ASMEGACIDADES E SADC ...................................................................................................................12VII CONCLUSÃO................................................................................................................................13VIII.REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS............................................................................................14SANTOS, Carlos, ( 2009),Território e Territorialidade, Revista Zona de Impacto, Brasil, volume 13.....14IX Anexos........................................................................................................................................15-21
  3. 3. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaI INTRODUÇÃOO continente africano apresenta uma taxa de urbanização bastante elevada, quando comparadocom os outros continentes nas últimas três décadas. Embora se apresenta pouco urbanizado, istoé, menor parte da superfície está pouco urbanizado. Entretanto o nível de desenvolvimentoeconómico é o principal factor do incremento do processo de urbanização visto que, os centrosurbanos têm uma economia centralizada. Em geral em todos países africanos os seus centrosurbanos apresentam uma taxa de urbanização bastante elevada em relação ao meio rural,influenciada pelo crescimento demográfico (natalidade e migração), visto que as cidadesapresentam diversas oportunidades em relação as outras regiões.Os países do continente africano fazem parte dos países subdesenvolvidos em via dedesenvolvimento, desta forma os problemas de urbanização das megacidades e da SADC1sãotípicos dos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, exemplos disso são gravesproblemas de saneamento, ordenamento físico, a incapacidade das infra-estruturas de suportar aprocura de serviços básicos para o bem-estar da população, a insegurança nos grandes centrosurbanos entre outros fenómenos advindos desse processo de urbanização.1Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral
  4. 4. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaII. OBJECTIVOSGeral:· Elaborar um relatório de investigação sobre Urbanização em ÁfricaEspecíficos:· Analisar as Tendências actuais da urbanização em África;· Identificar os principais problemas da Urbanização em África com maior enfoque asMegacidades e a região da SADC;· Apresentar algumas medidas correctivas aos problemas do processo de urbanização emÁfrica.III. METODOLOGIAPara a realização do trabalho obedeceu se a seguinte metodologia: consulta bibliográfica dasfontes referentes ao tema em estudo Urbanização em África , selecção do materialconveniente e relevante para análise do tema em estudo, de seguida fez-se a discussão em tornodos conteúdos seleccionados nas bibliografias recorrendo-se a análise de Mapas, dadosestatísticos referentes a distribuição da população nos principaís centros urbanos. Depois darecolha de dados estatísticos refentes a urbanização construiu-se os gráficos e tabelas comoforma de ajudar a análise da evolução temporal do processo de urbanização.
  5. 5. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaIV.ENQUADRAMENTO TEÓRICO (PRINCIPAIS CONCEITOS)Urbanização, pode ser entendida como um processo que resulta sobre tudo da transferência depessoas do meio rural para cidade (êxodo rural). Entretanto a urbanização está intimamenteligada a concentração de pessoas em um espaço restrito (cidade), resultado da substituição dasactividades primária (agropecuárias) por actividades secundárias (industriais) e terciárias(serviços) (Mascaró, 2003).Malhas urbanas ou macrocefalia, é um fenômeno que consiste na existência de uma rede decentros urbanos muito desequilibrada em quantidade de população, num país.Territorialidade, é um fenômeno comportamental associado com a organização do espaço emesferas de influência ou de territórios claramente demarcados, considerados distintos eexclusivos, ao menos parcialmente, por seus ocupantes ou por agentes outros que assim osdefinam", (SANTOS, 2009).Megacidade, são áreas urbanas com mais de 5 milhões de habitantes. As megacidades são maisdo que apenas grandes cidades. Suas dimensões proporcionam novas dinâmicas e uma diferentecomplexidade e simultaneidade de fenômenos e processos - físicos, sociais e econômicos eactualmente, é nessas áreas que ocorre a maior parte do processo de urbanização global,(YEAROFPLANETEARTH, 2013)Taxa de urbanização é a percentagem de população que vive nas cidades em relação àpopulação total do território, (GEO-EBIE, 2010).Cidade é um arranjo espacial e histórico de materialização dos modos de vida e de produção(VIRNA, S/d).Urbano Refere-se a um espaço contínuo, permanente e populacionalmente denso. Acaracterística, a forma específica de cada espaço urbano, é determinada pelas relações entre o seumeio físico, pelo desenvolvimento tecnológico e modo de produção do momento de suaformação e ao longo de sua História, (ESTATISTICAMT, 2013).
  6. 6. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaV.ENQUADRAMNTO GEOGRÁFICO DO CONTINENTO AFRICANOü Localização geográfica, Coordenadas geográficas e Latitude e longitudeO Continente africano estende-se desde o paralelo 34° 51 sul (cabo das Agulhas, RSA) a 37°21 norte (cabo Ras-El-Abaid, Tunísia). Em termos de longitude o continente enquadra-se entreos meridianos 18° no Cabo Verde oeste e 54° este no cabo de Ras-Hafun na Somália, (Jessen eAraújo, 1998). (Vide o Mapa 1 em anexo).V.I LOCALIZAÇÃO EM FUNÇÃO DO EQUADOR, DIMENSÃO E DISTÂNCIA MÁXIMAENTRE OS PONTOS EXTREMOSO equador atravessa o continente africano ao meio, dividindo-o em duas partes sensivelmenteiguais. A metade Norte assemelha-se a um trapézio e metade Sul a um triângulo, (Jessen eAraújo, 1998).Segundo Jessen e Araújo, (1998) a África tem na sua totalidade uma superfície de 30 milhõesde km², equivalente a 3/3 de terras emersas dos quais 1/3 de terras emersas correspondem a 19milhões de km² chegando a representar 75%, encontram-se no Norte e os restantes 1/3 de terrasemersas equivalente a uma superfície de 11milhoes km² encontram-se no hemisfério Australrepresentando 25%. As distâncias máximas ou pontos extremos compreendem as extremidadesmáximas das latitudes norte e Sul bem como as longitudes oeste e este deste continente.Entretanto em termos de latitude os dois pontos extremos são: cabo das Agulhas e Rus-el-Abiadseparados por uma distancia máxima de 8 000km e em termos de longitude os dois pontosextremos são: Cabo Verde e Rus-hafun, separados a uma distância de 7 500km.
  7. 7. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaV.II LIMETES NATURAIS (AQUÁTICOS): PONTOS CARDIAIS E INTERMÉDIOS EMFUNÇÃO DOS OUTROS CONTINENTESTabela 1: Enquadramento Geográfico de ÁfricaPontos cardias Limites naturais(Aquáticos) Em função dos outros continentesNorte Mar mediterrâneo EuropaSul Oceanos Índico e Atlântico AntárctidaEste Oceano Índico Austrália e ÁsiaOeste Oceano Atlântico AméricaNordeste Mar vermelho Ásia,Sudeste Oceano Índico AustráliaSudoeste Oceano Atlântico América do sulNoroeste Oceano Atlântico América do norteFonte: Jessen e Araújo, (1998)V.III Configuração da linha de costaA África é um continente maciço porque comparado com outros continentes, o seu litoral seapresenta muito regular, sem grandes retrâncias e saliências, isto é, não se distingue ao longo dacosta profundos golfos nem cabos pronunciados, (Jessen e Araújo, 1998).VI URBANIZAÇÃO EM ÁFRICAUrbanização pode ser entendida como um processo que resulta sobre tudo da transferência depessoas do meio rural para cidade (êxodo rural). Entretanto a urbanização está intimamenteligada a concentração de pessoas em um espaço restrito (cidade), resultado da substituição dasactividades primárias (agropecuária) por actividades secundárias (industriais) e terciárias(serviços), (Mascaró, 2003).VI.I HISTÓRIA DA URBANIZAÇÃO AFRICANAA África vive um processo de urbanização iniciado desde a década de 1950, com o fim daSegunda Guerra Mundial, o consumo de matérias-primas e combustíveis fósseis aumentou naEuropa e América e o continente massificou a sua extracção e exportação. Infra-estrutura criadapara suprir essa demanda e escoar os produtos concentrava-se nas maiores cidades naquelaépoca, todavia bastante precária, (Vide a Figura 4 em anexo). Nas décadas seguintes, diversospaíses conquistaram a sua independência e se integraram à nova ordem económica vigente, o queresultou no crescimento de muitas regiões. A queda do muro de Berlim, em 1989, tambéminfluenciou nessa transformação. A expansão do modelo capitalista e posterior a globalização
  8. 8. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte Económicatambém intensificou o crescimento da urbanização em África, entretanto a população ruralcomeçou a migrar para as cidades em busca de melhores oportunidades de emprego e ascensãosocial ou outros padrões de vida. Botsuana, por exemplo, concentrava 21% da população nascidades em 1990. Dados de 2007, divulgados este ano, mostram que essa percentagem subiu para60%, (Vide o Gráfico 1 em anexo), (MEDEIROS, 2006).VI.II.TENDÊNCIAS DA URBANIZAÇÃO EM ÁFRICAA dinâmica rápida, tardia e multiforme dos processos de urbanização no continente africano, sãofenómenos que caracterizam a Geografia do continente sobretudo da África subsariana.As concentrações humanas que se impuseram nas paisagens africanas como as cidades de Lagos,Kinshasa e Luanda, apresentam no entanto actualmente tendências de evolução diversificadas,reveladoras de significativas transformações na organização do espaço, da emergência de novasterritorialidades, de modificações nas antigas relações cidade-campo, de recomposições nasdinâmicas sociais em contínua experimentação, da definição de novas culturas urbanas,(MEDEIROS, 2006).Na actualidade, o volume total da população considerada como urbana, assim como o número deaglomerações e as respectivas dimensões, tem aumentado continuamente, embora com grandesdiferenças á escala dos países, (Vide o Mapa 2) (CLARA E MARCOS, s/d).Mapa 2: População Urbana em África e sua EvoluçãoFonte: Revistaescola citada por EBAH, 2011.De acordo com os dados publicados pela ONU, as estimativas, apontam que na última década orítmo médio de crescimento da população urbana na África Subsariana se tenha aproximado de5%, isto é, duas vezes superior ao rítmo médio de crescimento da população total. De acordo
  9. 9. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte Económicacom as projecções até 2015, o total de centros urbanos poderá registar um aumento de cerca de6.8% e o número de cidades bilionárias (habitantes) deverá triplicar, (MEDEIROS, 2006).Tendo em conta a tendência actual do crescimento da população na região urbana no continente,perspectivas de 2025, apontam para um incremento significativo, (Vide o Gráfico 2 em anexo).VI.III FACTORES DA URBANIZAÇÃO EM ÁFRICAOs factores que contribuem ao processo de urbanização em África são típicos de paísessubdesenvolvidos, que estão ligados as péssimas condições de vida vigentes nas regiões rurais,em função da estrutura fundiária bastante concentrada, característico do capitalismo, dos baixossalários e da falta de apoio aos pequenos agricultores. Há uma grande transferência de populaçãoara (rural) as cidades, para as grandes metrópoles, criando uma série de problemas urbanos,(EBAH, 2013). CLARA e MARCOS, (S/d), destacam-se os seguintes factores que contribuemna urbanização: maior oferta de oportunidades e de serviços nas cidades, como educação, saúdee emprego; mecanização, concentração de terras no campo e revolução verde: são factores derepulsão demográfica; Industrialização: que gera empregos nas cidades e atrai os imigrantes eelevada taxa de fecundidade, pela falta de planeamento familiar em países mais pobres.As perspectivas de oportunidades económicas, vigentes nas cidades africanas, geraminstabilidade social e pressões ambientais. Os centros urbanos, especialmente as capitaisnacionais e regionais, são também sedes dos governos e, portanto, locais de intensa concorrênciapelo poder político e financeiro, (COMMINS, 2001).VI.IV OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DE URBANIZAÇÃO EM ÁFRICANos últimos três decénios a África foi marcada por profundas transformações sociais eeconómicas que marcaram indelevelmente a fisionomia humana da grande parte dos territóriosafricanos, uma atenção cada vez maior tem sido dispensada aos mais variados aspectos dosfenómenos de urbanização em África. Os problemas abaixos apresentados, surgem no contextodo aumento da população urbana, e a complexidade dos mecanismos urbanizantes, àmultiplicação e especialização das actividades urbanas bem como a extensão da área dainfluência das cidades. (CONTRIBUIÇÃO PARA O CONHECIMENTO DAURBANIZAÇÃO EM ANGOLA, S/D).
  10. 10. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaSegundo COMMINS, 2011, o processo da urbanização em África é um fenómeno recente,quando comparado com outros continentes como: Europa e América (norte), desta forma, osproblemas de urbanização em África deve-se ao fenómeno de macrocefalia urbana ou malhaurbana, isto é, o inchaço das cidades gerando graves consequências económicas e sociais devidoà rapidez do processo de urbanização:ü Carência de infra-estruturas urbanas (sistema de transportes, de energia, de água, deesgoto, de saúde e de moradia, saneamento do meio) para atender a todos oshabitantes;ü Falta de oportunidades económicas produtivas (formal), originando o crescimento dosector informal, grande e complexo;ü Insegurança (instabilidade) nas vias públicas das cidades africanas, aumentandoníveis de violência, criminalidade, marginalidade;ü Maiores níveis de pobreza urbana.ü Grande desigualdade social (sobretudo nas condições habitacionais); (vide a figura 2em anexo).VI.V PROBLEMAS ESPECÍFICOS DAS MEGACIDADES AFRICANASA urbanização em África tem estado desde a muito tempo associado ao crescimento económico edo desenvolvimento de cada país e da região (vide a imagem 2 e Figura 5 em anexo), que derivados sectores industrial e de serviços baseados nas cidades, todavia o crescimento urbano colacatambém sérios desafios ao desenvolvimento (Paulo et al, 2007).Entretanto são distinguidas no continente africano as seguintes Megacidades: Lagos e Abidjan(Nigéria), Cartum (Sudão), Cairo e Alexandria (Egipto), Kinshasa (R.D.C), Joanesburgo e cidadedo Cabo (África do Sul), Nairobi (Quénia), Luanda (Angola) e Adis-Abeba (Etiópia), (Vide oMapa 3 em anexo). Com a superpovoamento nas cidades conjugada com a falta de uma políticaagrária eficaz para atenuar o problema de fuga da população do campo para cidade, provoca noseio das Megacidades Africanas, a escassez de oportunidades de emprego e o desemprego émuito alta e a criminalidade sobe nitidamente, a falta de condições de habitabilidade esalubridade e a exploração (da mão de obra barata e a escravatura), (Vide a Figura 1 em anexo).(EBAH, 2013).
  11. 11. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaVI.VI PROBLEMAS DA URBANIZAÇÃO NOS PAÍSES DA SADCOs crescentes níveis de urbanização são causados pelo crescimento natural da população e pelamigração da população rural para as cidades. Sendo que estas, dum lado desempenham umimportante papel, tanto como provedoras de emprego, moradia e serviços, quanto como centrosde desenvolvimento cultural, educacional e tecnológico, portanto de acesso para o resto domundo, centros industriais de processamento de produtos agrícolas e manufacturados e lugaresonde se gera renda, estabelecendo se um forte vínculo entre os níveis nacionais dedesenvolvimento humano e os níveis de urbanização (UNCHS, 2001) citado por UNEP, s/d.Os problemas de urbanização na SADC, não são tão distintos da África em geral, todavia, estesdiferem na sua escala e da intensidade do processo de urbanização, visto que o crescimento doprocesso de urbanização de cada país desta comunidade é influenciado pelo seu incrementoeconómico.Segundo a REVISTA SADCTODAY, 2004, a SADC é uma comunidade, com objectivo dealcançar o desenvolvimento económico, aliviando a pobreza, reforçar os níveis e padrões de vidados povos da África Austral e apoiar os socialmente desfavorecidos através da integraçãoregional, as suas cidades concentram oportunidades em relação as demais regiões doutro lado,causa sérios problemas aos centros Urbanos. A região da SADC, é caracterizada pelos seguintesproblemas:ü Expansão de bairros de lata, (vide a imagem 1 em anexo)ü Infra-estrutura Urbana (Rodovias) precária que condiciona a mobilidade Urbana atravésda caoticidade do trânsito,ü Saneamento urbano;ü Existência de uma rede urbana bastante precária e incompleta na maioria dos países, comdeficiência de infra-estruturas e de instituições sociais;ü Elevados níveis de violência, criminalidade, marginalidade e prostituição.ü Ineficiência e lentidão do planeamento urbano resultando no crescimento desordenadodas cidades o que trás sérias consequências como: superpovaomento, poluição daatmosférica, congestionamentos, perda da qualidade de vida das pessoas, dentre outros.
  12. 12. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaEm suma, um exemplo evidente da intensa urbanização na região da SADC é o caso das cidadesde Durban, Cape Town, Pretória (África do sul) (Vide o Gráfico 3 em anexo). Em Moçambiquee Angola, o processo de urbanização, foi bastante influenciada não só pelo êxodo rural maistambém pela guerra civil que implicou deslocações forçadas e contribuíram para acentuar asdiferenças em termos de desenvolvimento e urbanização dos dois países, (BAIA, 2007) e(LOPES, 2013)VI.VII MEDIDAS CORRECTIVAS DOS PROBLEMAS DA URBANIZAÇÃO EMÁFRICA: AS MEGACIDADES E SADCSendo a Urbanização um processo inevitável, visto ser resultado do intenso exôdo rural não sómas também migrações e elevados índices da natalidade, as medidas correctivas em prole dosproblemas urbanos requerem um estudo sistemático que acompanhe a dinâmica do processo deurbanização e do seu respeito crescimento económico de cada país, (CLARA & MARCOS,S/D. São apontadas algumas soluções:ü Discentralização da economia (investimentos) e de serviços a escala nacional comoforma de criar oportunidades em outras regiões,ü Criação de uma política agrária eficaz, eficiente e efectiva capaz de criar maisopurtunidades de emprego no meio rural como forma de atenuar o exôdo rural;ü Criação de mais centros urbanos frutos de uma planificação como forma de minimizar aexpansão proliferada (edifícios em precárias condições de habitação);ü Criação de uma política que combata a insustentabilidade social.ü Criação de política de planeamento urbano eficiente, com vista a minimizar ocrescimento desodenado das cidades.ü Criação de uma política que incentive o uso de técnicas de planeamento familiar comoforma de controlar o crescimento demográfico por natalidades.
  13. 13. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaVII CONCLUSÃOA urbanização em África é um fenómeno iniciado desde a década de 1950 com fim da segundaGuerra Mundial e, acompanha o crescimento económico dos países africanos. Entretanto, ela temuma forte ligação com a história da África, isto é, a dominação colonial e as guerras deinstabilidade política dos países africanos pôs independências. A urbanização na Áfricasubsaariana regista nos últimos 20 anos uma taxa de crescimento de 5% e de acordo com astendências actuais, até 2015 poderá registar uma taxa de 6.8%.Os problemas da urbanizacao em África, Megacidades e na SADC são característicos dos paísessubdesenvolvidos e/ou em via de desenvolvimento, onde os índices demográficos sobretudo anatalidade, imigrações e êxodo rural se mantêm constante, visto que as suas cidades concentramdiversas oportunidades de emprego em comparação com o meio rural e outras regiões do paíse/ou continente. Os problemas de urbanização nas megacidades e na SADC devem-seessencialmente ao superpovoamento nas cidades, o que concorre ao aumento nítido dosproblemas como: Insustentabilidade social (marginalidade e prostituição), Insegurança(violência, criminalidade), Expansão de bairros de lata, Saneamento urbano, Existência de umarede urbana bastante precária e incompleta na maioria dos países, com deficiência de infra-estruturas e de instituições sociais, Falta de oportunidades económicas produtivas (formal),originando o crescimento do sector informal, grande e complexo entre outros. Em suma aurbanizacao é um processo irreversível e inevitável. Nesta óptica foram apresentadas medidas decorrectivas tais como: Criação de uma política agrária eficaz, eficiente e efectiva capaz de criarmais oportunidades de emprego no meio rural como forma de atenuar o êxodo rural. Criação deuma política que incentive o uso de técnicas de planeamento familiar como forma de controlar ocrescimento demográfico por natalidades.
  14. 14. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaVIII.REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS.ARAÚJO, Manuel; JESSEN, (1998), Mário, Geografia Física de África: Pequena Monografia,Livraria Universitária-UEM, Maputo.BAIA, Alexandre Hilário Monteiro, (2009) Os conteúdos da urbanização em Moçambique:Considerações a partir da expansão da Cidade de Nampula, São Paulo.CLARA. Col Santa; Marcos, (S/D), África Crescimento Demográfico e Urbanização.COMMINS, Stephen, (2011),Resumo de Segurança de África: A Fragilidade Urbana e aSegurança em África.Contribuição para o conhecimento do fenómeno de Urbanização em Angola, Luanda, 2009.COSTA, Almeida DA, (S/d). Parlamentopm da SADCGoogle earth, 2013.Ebie Blogspot, (2010), Taxa de Urbanização. LisboaLOPES Carlos M.; RODRIGUES, Cristina U. ; SIMAS, Gabriela, (2013), A Caminho daCidade: Migração interna, urbanização e saúde em Angola, Luanda.MEDEIROS, Isabel.M, (2006), Tendências recentes da Urbanização na África ao Sul do Sahara:Notas de leitura finisterra, Lisboa, pp. 191-203.PAULO, Margarida; ROSÁRIO, Carmeliza; TVEDTEN, Inge (2007), Xiculungo RelaçõesSociais da Pobreza Urbana em Maputo, Moçambique, Maputo.PAULO, Margarida; ROSÁRIO, Carmeliza; TVEDTEN, Inge, (S/d), Xiculungo RelaçõesSociais da Pobreza Urbana em Maputo: Um estudo realizado em colaboracao com o MPD.SADCTODAY,.(2004) Plano histórico de combate a pobreza, Vol. 7, Africa do Sul.SANTOS, Carlos, ( 2009),Território e Territorialidade, Revista Zona de Impacto, Brasil, volume13.UNEP, Estado do Meio Ambiente e Retrospectivas Políticas:1972-2002, (S/d)University Of Texas At Austin, (2013), Texas.www.ebah.com.br, 2013Woodrow Wilson International Center for Scholars, (S/d), O Papel Das Cidades NoDesenvolvimento do País, Maputo/Moçambiquewww.estatisticasmt.com.brwww.yearofplanetearth.org, 2013.VIRNA, Maicon Eder Bruno, (S/d), Conceitos de Cidades. Brasil.
  15. 15. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaIX AnexosMapa 1: Localização Geográfica da ÁFricaFonte: University Of Texas At Austin, (2013).Gráfico 1: População Urbana e o seu Crescimento na Região Austral de África
  16. 16. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaFonte de Dados: Nações Unidas 2007 Apoud Paulo at alGráfico 2: População Urbana e estimativas do seu crescimento na ÁFrica AustralFonte: Nações Unidas 2007 Apoud Paulo at al (S/d)
  17. 17. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaGráfico 3: Taxas de Urbanização das Principais Cidades da SADC (2008-2009)Fonte : Nações Unidas 2007 Apoud Paulo at al, (S/d)Figura 1: Exemplo de um Bairro de Lata: Maxaquene-MaputoFonte: Paulo et al, 2007.
  18. 18. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaFigura 2: Desigualidades sociais na Cidade de Cairo (Egipto)Fonte: Clara e Marcos,( S/d)Figura 3: Mega cidade de JoanesburgoFonte: Clara e Marcos, (S/d)
  19. 19. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaFigura 4: Evolução temporal do processo de urbanização na África OcidentalFonte: Source: OECD, (1997) citado por Clara e Marcos, (S/d)Figura 5: Processo de Urbanização na África OcidentalFonte: Clara e Marcos, (Sd)
  20. 20. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaMapa 3: Megacidades AfricanasFonte: Clara e Marcos, (S/d)Mapa 4: Países Membros da SADCFonte: UNEP, (S/d)
  21. 21. Trabalho de Estudantes da UEM do 3 °Ano de Lincenciatura em geografia feito no âmbito de Geografia de África-Parte EconómicaImagem 1: Exemplo de Malhas Urbanas: LuandaFonte: Google earth, 2013Imagem 2: Megacidade: JoanesburgoFonte: Google earth, 2013

×