Apresentacao Elisabete

  • 208 views
Uploaded on

 

More in: Education , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
208
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1.
  • 2. modelação de um sistema de classificação e de agrupamento automático de documentos, de acordo com a sua proximidade semântica
    +
    Integração de uma classificação social
  • 3. Classificação Social
    Pretende-se que os utilizadores possam:
    classificar
    comentar
    associar tags
    Sob a hipótese de permitir uma melhor classificação e organização dos documentos
  • 4. Web 2.0.
    Aplicações
    Interacção entre os utilizadores
    Editar
    Partilhar
    Comunicar
    Permitiram uma fácil publicação de conteúdos na web.
  • 5. Das tags até à folksonomy
    Tags em: imagem, artigo, blogue, bookmark, URL…
    “Quando muitos utilizadores fazem tags para muitos items, este conjunto de tags torna-se numa folksonomia”
    (Katja ˇSnuderl, 2008)
    O termo Folksonomy foi criado por ThomasVanderWal
    folk + taxonomy
  • 6. tagging
    Método para classificar a informação de forma colaborativa e descentralizada.
    Partilha da classificação com outros utilizadores.
    “Os principais motores de pesquisa criam metadados baseados em categorias predefinidas para cada página indexada, passível de ser lida pelos seus “robots” de pesquisa. O problema é que o conteúdo está a ser criado a um ritmo muito superior ao que os robots podem acompanhar.”
    (Katja ˇSnuderl, 2008)
  • 7. http://www.wordle.net/
  • 8. Desafio da Biblioteca do Congresso
    Janeiro de 2008
    A biblioteca do Congresso colocou mais de 3000 fotos no Flirck para verificar se conseguia uma catalogação mais correcta usando o conhecimento de muitas pessoas comuns ou de poucos peritos.
    1 dia depois foram adicionadas 4000 tags únicas (num total de 19 000) e deixaram 500 comentários.
    10 dias depois o resultado foi:
    2440 comentários
    570 notas
    13077 tags únicas
  • 9. Web semântica (3.0.)
    Extensão da Web actual
    Atribuição de significado aos conteúdos
    Desenvolvimento de tecnologias que tornem possível a legibilidade da informação por parte das máquinas
    Contexto da web semântica (3.0) tem por objectivo criar uma ontologia para as tags.
  • 10. Taxonomia controlada
    Vs
    “loucura” da criação de Tags
    Preparados?
  • 11. 1 -Classificação automática através da proximidade semântica
    2 - Classificação Social
    1 ?
    2 ?
    1+2 ?
  • 12. Bibliografia
    K. Snuderl, “Tagging: Can user – generated content improve our service?” StatiscalJounal of the IAOS 25, pp. 125-132, 2008, IOS Press.
    E. Takeharu, U. Toshio, “The Effectiveness of Latent Semantic Analysis for Building Up a Bottom-up Taxonomy from Folksonomy Tags”, World Wide Web (2009) 12:421-440, Springer Science + Business Media, LLC 2009.
    P. Morrison, “Tagging and searching: Search retrieval effectiveness of folksonomies on the World Wide Web”, 2008, www.sciencedirect.com .
    J. Trant, “Tagging, Folksonomy and Art Museums: Results of steve museum’s rechearch” , 2008, http://verne.steve.museum/SteveResearchReport2008.pdf
    J. Trant, “Studying Social Tagging and Folksonomy: A Review and Framework”, Journal of Digital Information, Vol 10, No 1 (2009), http://journals.tdl.org/jodi/issue/view/65 .
    C. Lee, D. Lian, K. Razikin, A. Chua, “Tagging, Sharing and the Influence of Personal Experience”, Journal of Digital Information, Vol 10, No 1 (2009), http://journals.tdl.org/jodi/issue/view/65.
    A. Maslov, A. Mikeal, J. Leggest, “Cooperation or Control? Web 2.0 and the Digital Library”, Journal of Digital Information, Vol 10, No 1 (2009), http://journals.tdl.org/jodi/issue/view/65.
    Lee T.; Hall W. (2006). The Semantic Web Revisited. University of Koblenz-Landau