O Estudo De Caso
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

O Estudo De Caso

on

  • 161,641 views

 

Statistics

Views

Total Views
161,641
Views on SlideShare
160,632
Embed Views
1,009

Actions

Likes
15
Downloads
1,645
Comments
5

3 Embeds 1,009

http://www.slideshare.net 1003
http://templatebuscadofuturo.blogspot.com 3
http://webcache.googleusercontent.com 3

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

O Estudo De Caso O Estudo De Caso Presentation Transcript

  • O estudo de caso
    • O que é o estudo de caso?
    • O que define um caso?
    • Como projectar um estudo de caso?
    • As características de um estudo de caso.
    • Vantagens e desvantagens do estudo de caso.
    O estudo de caso
    • 1. O que é um Estudo de Caso?
    • É um método de investigação qualitativa.
    • São transportados para casos gerais factos observados num caso específico – generalização dos factos.
    • Aprofunda a ideia de que se pretende chegar ao “quê” e o “quanto” pela compreensão do “como”.
    • Consiste na observação detalhada de um contexto ou indivíduo e de um acontecimento específico(o caso).
    • Requer a observação de diversas variáveis, de modo a comparar e constatar com outros casos – Estudo de Casos Múltiplos.
    • O investigador deve seguir um esquema que depende do enquadramento teórico, das suas finalidades, objectivos e recursos disponíveis.
    • Os estudos de caso têm em comum a dedicação ao conhecimento e descrição do idiossincrático e específico como legítimo em si mesmo.
    • 2. O que define um caso?
    • A sua delimitação natural ou a sua integridade fenomenológica.
    • Na sua origem e evolução, a unidade de estudo deve mostrar estabilidade interna e ser reconhecida como tal pelos membros que a constituem.
    • O seu estudo será necessariamente sistemático, detalhado, intensivo, em profundidade e interactivo.
    • O objecto de estudo tem de ser identificador do grupo em estudo.
    • 3. Como Projectar o Estudo de Caso
    • Projecto de Pesquisa:
    • É um esquema de pesquisa e um plano de acção, que se ocupa de cinco problemas:
    • ◊ as questões de um estudo;
    • ◊ suas preposições, se houver;
    • ◊ suas unidades de análise;
    • ◊ a lógica que une os dados às proposições;
    • ◊ os critérios para se interpretarem as descobertas.
    • O Papel da Teoria:
    • Para os estudos de caso é absolutamente necessário o desenvolvimento de uma teoria e, em seguida testar essa teoria.
  • Utilizando uma teoria num estudo de caso simboliza um auxílio na definição do projecto de pesquisa e o desenvolvimento dessa teoria torna-se o principal meio para a generalização dos resultados. Teorias de desenvolvimento urbano, instituições culturais, etc Teorias Sociais Teorias de burocracias, de funções organizacionais, etc Teorias Organizacionais Teorias de funcionamento familiar, de equipas de trabalho, etc Teorias de Grupo Teorias de desenvolvimento individual, comportamental, de personalidade, etc Teorias Individuais
    • Pesquisa de um Estudo de Caso:
    • O investigador deve focar quatro aspectos:
    • ► validade do constructo (através de fontes múltiplas de evidências);
    • ► validade interna (adequação ao padrão);
    • ► validade externa (utiliza lógica de replicação em estudos de casos múltiplos);
    • ► confiabilidade (desenvolve um leque de dados para o estudo de caso) .
    • 4. As características de um estudo de caso
    • As características comuns aos estudos de caso e que os definem podem resumir-se da seguinte forma:
    • Totalidade, devem reflectir todos os elementos que compõem a realidade do caso da unidade.
    • Particularidade , dão-nos uma imagem vivida e única da situação.
    • Realidade , não só informam (criam uma imagem), como participam nos problemas, paradoxos, conflitos, situações e factos reais que fazem parte da própria realidade que é o caso.
    • Participação , os participantes reais do caso constroem a realidade que se estuda; também o investigador se torna participante no caso, com a sua presença e permanência no campo.
    • Negociação , negoceia-se desde o uso da informação obtida, aos papéis durante o estudo, passando pelas perspectivas e significados.
    • Confidencialidade , implica organizações, situações e pessoas na sua vida real e os resultados do estudo podem afectar as suas vidas. A investigação deve decorrer em circunstâncias que não prejudiquem os participantes.
    • Acessibilidade , a informação derivada do caso deve ser acessível a audiências não especializadas.
    • 4.1. O estudo de caso em educação
    • Estudo de caso como investigação – quando o público são outros investigadores – estilo autocrático .
    • Estudo de caso como avaliação – destina-se a um público mais político ou administrativo – dentro deste o estilo dominante é o burocrátic o (destinam-se a organismos oficiais por exemplo.)
    • Walker(1983) advoga o estilo democrático , tanto nos estudos avaliativos como nos de investigação – o estudo converte-se num serviço para a comunidade.
    • 5. Vantagens e desvantagens do estudo de caso
      • Vantagens:
    • Podem constituir um arquivo de material descritivo suficientemente rico para permitir reinterpretações subsequentes.
    • São mais acessíveis ao público em geral do que outros dados de investigação.
    • Relacionam a teoria à prática (vida quotidiana).
    • Proporcionam uma percepção através de exemplos específicos, acontecimentos ou situações.
      • Desvantagens/limitações/dificuldades:
    • São estudos muito complexos, morosos e difíceis de levar a cabo.
    • O acesso aos dados levanta problemas, assim como a sua publicação, o investigador tem de ter em conta os problemas de confidencialidade dos dados, os limites, entre o público e o privado, preservando o anonimato dos sujeitos.
    • Levanta também problemas quanto aos efeitos da implicação do investigador na realidade que estuda e os seus reflexos nos resultados obtidos.
    • O estudo de caso suscita um problema de concepção; quando se estuda um só exemplo, o importante não é “ qual será esse exemplo?” (um problema do investigador), mas sim “como aplicá-lo à minha situação?” (um problema do leitor).
    • Existe também o problema da generalização, uma vez que se trata de um estudo em profundidade de uma realidade específica, considerando os seus aspectos idiossincrásicos; este aspecto pode, no entanto, ser superado através do recurso a estudos de caso múltiplos, seguindo o mesmo esquema de investigação na tentativa de encontrar algumas possíveis generalizações.
    • Quem desenvolve os currículos tende a formar juízos de valor sobre a validade do conhecimento de um caso particular.
    • Este método é desaprovado pelos investigadores como base de investigação na prática da educação (não serve para tal fim) .
    • Bibliografia:
    • Dockrell, W.B. e Hamilton, D .(1983) «La realizacion de estudios de casos em educacio: etica, teoria Y procedimento»
    • Freire, Isabel Pimenta (1997)«O estudo centrado na escola e a investigação sobre indisciplina: questões metodológicas»
    • Yin, R.K .(2001)«Projectando estudos de caso»
    • Marcelo, C. e Parrilla, A. e Mingorance, P. e Estabaranz, A. e Sanchez, M.V. e Llinares, S .(1991)«El estudio de caso en la formation del professorado y la investigation didática»
    • FPCE – Universidade de Lisboa
    • Ciências da Educação
    • Investigação em Educação II
    • ProfªIsabel Freire
    • Trabalho do grupo:
    • Joana Carriço
    • Joana Costa
    • Marisa Martins
    • Patrícia Garcia