Teoria sócio historica

767 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
767
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
28
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Teoria sócio historica

  1. 1. TEORIA SÓCIOINTERACIONISTA / SÓCIO-HISTÓRICA Lev Vygotsky
  2. 2.  Não é linear  Não é determinado somente pelos processos de maturação biológica ou genética  O meio é fator de máxima importância (cultura, sociedade, práticas e interações)  Nascemos “mergulhados na cultura"
  3. 3.  As abordagens consideram para o desenvolvimento graus diferentes da influência da maturação biológica e da aprendizagem com o meio  O contexto cultural é o palco das transformações e evoluções do bebê humano ao idoso  Através da interação social aprendemos e nos desenvolvemos ampliamos nossas ferramentas de atuação neste contexto cultural complexo durante todo o ciclo vital.
  4. 4.  Nasceu em 1896 na Bielo-Rússia (depois de 1917 foi incorporada à União Soviética)  Nasceu no mesmo ano de Piaget  Morreu em 1934 aos 37 anos  Nasceu em uma família abastada e culta  Formou-se em Direito  Trabalhou nas áreas de Psicologia, Pedagogia, Filosofia, Literatura e Deficiência Mental  Trabalho com Luria, Leontiev e Sakarov
  5. 5.  O primeiro teórico a sugerir os mecanismos pelos quais a cultura torna-se parte da natureza de cada pessoa  Insistiu que as funções psicológicas são produto da atividade cerebral  Explicou a transformação dos processos psicológicos elementares em processos complexos dentro da história
  6. 6.  Enfatizou o processo histórico-social e o papel da linguagem no desenvolvimento do indivíduo  O sujeito é interativo, adquire conhecimento a partir das relações intra e interpessoais e de troca com o meio  Denominou de processo de MEDIAÇÃO  Um dos primeiros a considerar a criança como ela própria e não um adulto em miniatura
  7. 7.  Buscou a síntese do homem como ser biológico, histórico e social  Ênfase na dimensão sócio-histórica e na interação do homem com seu o outro no espaço social  A abordagem sóciointeracionista buscou caracterizar os aspectos tipicamente humanos do comportamento e  Elaborou hipóteses de como as características humanas se formam ao longo da história do indivíduo
  8. 8. Livros que escreveu:  “A Formação Social da Mente”  “Psicologia e Pedagogia”  Linguagem Desenvolvimento e Aprendizagem”  “A Construção do Pensamento e Linguagem”(obra completa)  “Teoria e Método em Psicologia”  Psicologia Pedagógica”
  9. 9.  Sua obra permaneceu desconhecida no ocidente por motivos políticos  Somente em 1962 seu livro “Pensamento e Linguagem” foi publicado nos EUA  A edição brasileira foi feita a partir desta edição  É apenas uma complilação que corresponde à 1/3 de sua obra.
  10. 10. Teoria Sócio-Histórica
  11. 11.  Para Vigotsky : Plano genético, ou seja, o mundo psíquico não está pronto quando o indivíduo nasce  Mas também não é recebido como um pacote pronto do meio ambiente  Assim como Piaget é um autor interacionista considerando o que acompanha o indivíduo e o que vem do ambiente.
  12. 12.  Plano genético postulado: 4 entradas do desenvolvimento, que juntas caracterizam o funcionamento psicológico do indivíduo 1. Filogênse 2. Ontogênese 3. Sociogênse 4. Microgênese
  13. 13.  Filogênse É a história de uma espécie, e esta história define limites e possibilidades desta espécie Características do corpo, plasticidade etc... (ex: somos bípedes, visão binocular, movimento em pinça) Somos capazes de fazer algumas coisas e outras não Também definiriam as características psicológicas
  14. 14.  Ontogênese Desenvolvimento do ser, de um indivíduo de cada espécie Que tem um caminho de desenvolvimento por pertencer aquela espécie Determinado por um ritmo, um percurso de desenvolvimento (ex: o ser humano primeiro fica deitado, depois engatinha, depois anda etc...) Ligado ao da filogênese Pertinência do homem à uma determinada espécie
  15. 15.  Sóciogênese História cultural do meio que o indivíduo está envolvido Forma de funcionamento cultural que interfere no funcionamento psicológico A cultura que seria um “alargador das potencialidades humanas” Cada cultura organiza o desenvolvimento de jeito diferente (ex: adolescência X puberdade)
  16. 16.  Microgênese Cada fenômeno psicológico tem a sua própria história (espaço e tempo) Micro: foco bem definido (ex: saber e não saber amarrar o sapato – aconteceu algo e entre este algo um tempo determinado se passou, então o como a criança aprendeu a amarrar o sapato seria a microgênese deste aprendizado) Assim considera-se a micro história do fenômeno
  17. 17.  Porta aberta para o NÃO DETERMINISMO Filogênese , Ontogênse e Sociogênse – determinismo A microgênese: cada pequeno fenômeno tem a sua história, e as histórias para um mesmo fenômeno em indivíduos diferentes, são diferentes Singularidade e Heteirogeneidade
  18. 18.  Invenção e uso dos signos para a solução de um dado problema psicológico (ex: lembrar, relatar, escolher etc...)  Análoga à invenção de instrumentos/ ferramentas, mas no campo psicológico  Faz a intermediação (interposta) entre uma coisa e outra  É feita através de signos e instrumentos
  19. 19.  Instrumentos Intermediários Instrumento como interposto: nos relacionamos com o mundo através de ferramentas (ex: telefone, carro, tecnologia etc...) Mediação concreta sobre o mundo e o mundo
  20. 20.  Signos Formas posteriores de mediação Faz mediação de natureza semiótica Faz uma interposição entre o sujeito e o objeto de conhecimento De forma não concreta, e sim simbólica
  21. 21.  Signos Primeira forma: Um grupo ou uma sociedade compartilham da mesma representação Informação de natureza simbólica que fica interposta entre a intenção de fazer algo e a própria ação Mas ainda concreto Está marcado no mundo, é de natureza simbólica e não age diretamente no mundo e sim em um plano simbólico Ex: placa de banheiro (feminino e masculino), trocar o anel de mão para se lembrar de fazer algo.
  22. 22.  Outro plano dos Signos Totalmente simbólico As coisas são postas dentro do sistema psicológico e funcionam como mediadores semióticos ou simbólicos dentro do sistema psicológico Surge algo muito humano , a Representação Mental
  23. 23.  Representação Mental Ex: nos relacionamos com um livro mas não só fisicamente, pois quando vemos o livro somos remetidos à uma coisa de natureza simbólica que está no psiquismo que são o conceito de livro, a idéia de livro, a palavra livro , a imagem de livro A forma de estar dentro de nós é a través da representação, não é a coisa em si
  24. 24.  Representação Mental  Exs: Vela - 1ª vez que se coloca o dedo (não mediado, relação direta) Próxima experiência: vejo a vela, tiro o dedo, pois a experiência com a vela está sendo mediada pela lembrança da dor (mediada pela experiência anterior) Obediência – realização de uma ação mediada pela informação da mãe Escola – interação mediada pela experiência dos outros; não começos tudo do zero.
  25. 25.  Na ausência de sistemas de signos, linguísticos ou não, só é possível o tipo de comunicação mais primitiva (ex: latido ou grito do ganso assustado)  Os signos são construídos culturalmente  O indivíduo desenvolve a capacidade de representação simbólica inserido em uma cultura  E a cultura oferece material para ele desenvolver o simbólico
  26. 26.  A Língua (foco de atenção de Vygotsky – a fala e não linguagem) Principal instrumento de representação simbólica que o ser humano dispõem  Teria 2 funções: - Comunicação: objetivo de comunicação e troca, existente também nos animais (linguagem gestual e sonora) - Pensamento generalizante: a língua encaixa com o pensamento, e aparece mais tarde, existindo uma relação forte entre os dois.
  27. 27. - Pensamento generalizante - Seu uso implica em uma compreensão generalizada do mundo  No ato de nomear existe o ato de classificação (ex: chamar de carro classe de todos os carros e ao mesmo tempo distinção do que não é carro)  Uma palavra pode classificar o mundo em duas grandes categorias  Temos um sistema simbólico articulado e organizado por regras ( a LÍNGUA) , o que nos possibilita generalizar, abstrair e classificar  Os animais não tem este sistema organizado.
  28. 28.  Significado da palavra : amálgama entre o pensamento e a língua (não se pode dizer que é só um fenômeno da fala ou do pensamento)  O significado de cada palavra é uma generalização ou um conceito  Generalizações e conceitos são atos de pensamento, ASSIM  SIGNIFICADO= FENÔMENO DO PENSAMENTO
  29. 29.  Para Vigotsky LINGUAGEM E PENSAMENTO:  Ligação muito forte  Muito tipicamente humana  Muito importante para a definição do que é o funcionamento psicológico humano
  30. 30.  Esta relação é desenvolvida (não nasce com o sujeito) na filogênese (história da espécie) e na ontogênese (história do indivíduo)  Na filogênse existe linguagem e pensamento separados  primórdios do pensamento Ex: Uso da vara para alcançar algo por um chimpanzé  Inserida em situação prática e não tem componente simbólico
  31. 31.  Pensamento e linguagem separados: • Inserida em um campo perceptual imediato e age ativamente sobre o ambiente, para solucionar um problema (inteligência prática) mas não tem componente simbólico • Apenas plano concreto Exs: o Vara fora do campo visual do chimpanzé  não busca solucionar o problema; o Bebês comunicação com fins de intercâmbio social (choro, gestual, expressões faciais) – cça prélinguística, inteligência prática como os chimpanzés
  32. 32.  Cça age de forma inteligente no ambiente, resolve problemas e usa instrumentos, mas sem mediação simbólica  Existe linguagem com o objetivo de comunicação e existe primórdio de pensamento (inteligência prática)  Em um determinado momento as potencialidade se unem (linguagem e pensamento) e não se separam mais  Irão representar uma parte substancial do desenvolvimento humano
  33. 33.  Na história da espécie isto aconteceu em um determinado momento do desenvolvimento da espécie ✜ significa o ingresso da espécie humana na espécie humana  Através de milhares de anos o homem passa a ser capaz de se comunicar através da linguagem como um sistema articulado e a inteligência passa a ser abstrata (de natureza simbólica)
  34. 34.  Passa a funcionar no plano simbólico  Passa a circular em momentos e espaços fora do espaço e momentos presentes  Passa a ser capaz de imaginar, recuperar e criar coisas que estão no passado ou estão no futuro
  35. 35.  Movimento contínuo entre o vai e vem do pensamento e da palavra e vice-versa  Pensamento não é expresso somente em palavras, é através delas que passa a existir
  36. 36.  Nos apropriamos da língua ao longo do desenvolvimento, que está fora de nós quando nascemos  Fora dentro  Fala da cça para os outros  Fala socializada  Interface dela com o outro
  37. 37. Quando mais desenvolvido Discurso interior Incorporação de um sistema simbólico no aparato psicológico e é capaz de ter internamente este plano simbólico do funcionamento psicológico como suporte da língua Está dentro de mim 

×