• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Petic Casa Civil 2009 V2.0
 

Petic Casa Civil 2009 V2.0

on

  • 848 views

 

Statistics

Views

Total Views
848
Views on SlideShare
818
Embed Views
30

Actions

Likes
0
Downloads
8
Comments
0

1 Embed 30

http://peticbrasil.blogspot.com 30

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Petic Casa Civil 2009 V2.0 Petic Casa Civil 2009 V2.0 Document Transcript

    • UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO ALBERTO SANTOS BARBOSA ANDERSON FREIRE DOS SANTOS CLARYANNE ALMEIDA GUIMARÃES DANIEL DIAS SANTA ROSA RAFAEL BATISTA SANTOS CONCEPÇÃO DE UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO CPD DA SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL DE SERGIPE PETIC 2010 - 2012 ARACAJU 2009
    • ALBERTO SANTOS BARBOSA ANDERSON FREIRE DOS SANTOS CLARYANNE ALMEIDA GUIMARÃES DANIEL DIAS SANTA ROSA RAFAEL BATISTA SANTOS CONCEPÇÃO DE UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO CPD DA SECRETARIA DE ESTADO DA CASA CIVIL DE SERGIPE Trabalho realizado como forma de avaliação na disciplina Sistemas de Informação Empresarial, do curso de Pós-Graduação em Gerência de Projetos de Tecnologia da Informação. Prof. Doutor. Rogério Patrício Chagas do Nascimento ARACAJU 2009
    • LISTAGEM DE TABELAS Tabela 1 - Salários básicos dos atuais cargos...........................................................................15 Tabela 2 - Locais de armazanamento de dados........................................................................27
    • SUMÁRIO LISTAGEM DE TABELAS......................................................................................................3 SUMÁRIO.................................................................................................................................4 Introdução..................................................................................................................................5 1. Apresentação Formal da organização.....................................................................................7 2. Tecnologias Emergentes.........................................................................................................9 2.1. Data Warehouse...............................................................................................................9 2.2. Data Mining ..............................................................................................................10 2.3. Certificação Digital........................................................................................................10 2.4. Videoconferência...........................................................................................................11 2.5. Voz sobre IP (VOIP)......................................................................................................12 2.6. Storage...........................................................................................................................13 3. MeTODOLOGIA de análise do petic..................................................................................14 4. Desenvolvimento..................................................................................................................15 4.1. Cenário Atual das Pessoas.............................................................................................15 4.2. Cenário Desejado das Pessoas ......................................................................................18 4.3. Cenário Atual dos Dados...............................................................................................21 4.4. Cenário Desejado dos Dados ........................................................................................22 4.5. Cenário Atual de Software.............................................................................................23 4.6. Ambiente Desejado de Software....................................................................................24 4.7. Cenário Atual de Hardware............................................................................................25 4.8. Cenário Desejado de Hardware......................................................................................27 4.9. Cenário Atual de Telecomunicação...............................................................................29 4.10. Cenário desejado de telecomunicações........................................................................29 5. CONCLUSÕES....................................................................................................................31 5.1. Cenário Desejado...........................................................................................................31 5.2. Trabalho Futuro..............................................................................................................31 REFERÊNCIAS.......................................................................................................................33
    • 5 INTRODUÇÃO Plano estratégico de informática pode ser entendido por ter como objetivo maior a preparação de planos de aplicações e sistemáticas. Identificar todas as necessidades relacionadas à informação para os canais de decisão e ainda propor soluções, identificar quais as prioridades, os custos e benefícios. Pode ser definido como instrumento básico para orientar o desenvolvimento de uma instituição. Um Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação, PETIC, utiliza esse mesmo conceito. É destinado à área de tecnologia e comunicação de uma organização. Pode ser considerado como uma remodelagem da parte de tecnologia da instituição. Utiliza projetos, sistemas de informação e do conhecimento, pessoas e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) para dar suporte às decisões, às ações, aos projetos e processos da organização. Abrange as áreas de hardware, software, redes e telecomunicações, dados e pessoas. O ponto chave da elaboração de um PETIC de uma instituição é garantir o crescimento e desenvolvimento ordenado da mesma. O papel da TIC tem sido cada vez mais abrangente. Os gestores das empresas e instituições a utilizam com a finalidade de reduzir custos, aperfeiçoar e controlar suas atividades. O Centro de Processamento de Dados (CPD) da Secretaria de Estado da Casa Civil de Sergipe (SECC-SE) não possui planejamento a respeito das informações organizacionais e tecnológicas. O objetivo deste trabalho é apresentar o PETIC para o CPD. Para isso, foram usados como base outros planos estratégicos, a exemplo do PETIC escrito para o Departamento de Informática (DComp) da Universidade Federal de Sergipe (UFS).
    • 6 Para que tais objetivos fossem alcançados o trabalho foi organizado em secções. Na secção 2, foi feita a apresentação formal da Organização Secretaria de Estado da Casa Civil - SECC, já na secção 3 mostraremos os conceitos e aplicações de tecnologias emergentes que podem ser utilizadas pela SECC, sistemas, funcionalidades e políticas pesquisadas. Na secção 4 apresentaremos a metodologia realizada para concretização do PETIC. Para a secção 5 apresentaremos o cenário atual e o que pode ser feito de melhorias para um cenário ideal, aplicando esses conceitos. Por fim na secção 6 serão apresentadas as nossas conclusões em relação ao PETIC, mostrando a sua importância e o que será feito para ser implantado.
    • 7 1. APRESENTAÇÃO FORMAL DA ORGANIZAÇÃO A Secretaria de Estado da Casa Civil está localizada no Palácio Governador Augusto Franco. No Palácio do Governo está alocada boa parte da assessoria do governo, que é dividida em três secretarias: Secretaria de Estado da Casa Civil – SECC, a Secretaria de Estado da Comunicação Social – SECOM e Secretaria Especial de Articulação Política e Relações Institucionais - SEAPRI, além disso, é local de Trabalho do Governador e seu vice. A SECC ocupa quase todo o palácio, e está dividida em várias Coordenadorias, Diretorias, Setores e Órgãos. Ela tem por finalidade prestar assessoramento direto ao Governador do Estado no desempenho de suas atribuições, especialmente na supervisão e execução das atividades administrativas da Governadoria, no que se refere à Secretaria Particular do Governador e à Assessoria Especial de Assuntos e do Cerimonial, competindo- lhe ainda: • Executar as atividades de suporte às unidades que compõem a Governadoria nos aspectos de recursos humanos, administrativos, materiais, orçamentários e financeiros; • Manter registro dos atos administrativos assinados pelo Governador do Estado e processá-los para publicação; • Coordenar as atividades de recebimento e expedição de correspondência, controle e arquivamento de processos e documentos da Secretaria; • Exercer a supervisão dos órgãos e entidades que a integram; • Exercer outras atividades correlatas; O Gabinete do Secretário de Estado da Casa Civil – GS/SECC tem a finalidade de:
    • 8 • Executar as atividades e preparar a agenda do Secretário; • Expedir e arquivar os documentos recebidos pela Casa Civil; • Coordenar fluxo de informação; informar as ordens do Secretário aos demais setores;
    • 9 2. TECNOLOGIAS EMERGENTES Nesta secção serão apresentadas novas tecnologias que podem ser adotadas pela SECC, no intuito de melhorar a qualidade dos serviços oferecidos. 2.1.Data Warehouse Um Data Warehouse (ou armazém de dados, ou depósito de dados) é um sistema de computação utilizado para armazenar informações relativas às atividades de uma organização em bancos de dados, de forma consolidada. O desenho da base de dados favorece os relatórios, a análise de grandes volumes de dados e a obtenção de informações estratégicas que podem facilitar a tomada de decisão (Wikipedia, 2009). O Data Warehouse possibilita a análise de grandes volumes de dados, coletados dos sistemas transacionais (OLTP). São as chamadas séries históricas que possibilitam uma melhor análise de eventos passados, oferecendo suporte às tomadas de decisões presentes e a previsão de eventos futuros. Por definição, os dados em um data warehouse não são voláteis, ou seja, eles não mudam, salvo quando é necessário fazer correções de dados previamente carregados. Os dados estão disponíveis somente para leitura e não podem ser alterados (Wikipedia, 2009). A implementação do Data Warehouse passou a se tornar realidade nas grandes corporações. Pela sua capacidade de sumarizar grandes volumes de dados e de possibilitar análises os Data Warehouses são atualmente o núcleo dos sistemas de informações gerenciais e apoio a decisão das principais soluções de mercado.
    • 10 2.2.Data Mining O Data Mining é uma forma atual de buscar questionamentos e informações, dos dados armazenados no banco de dados. É o processo não-trivial de identificar, em dados, padrões válidos, novos, potencialmente úteis e ultimamente compreensíveis. A tecnologia do Data Mining, juntamente com suas ferramentas, permite a “mineração” dos dados com a finalidade de lhes gerar um real valor, transformando-o em informação e conhecimento (Rocha, Martins, 2003). Uma empresa que emprega a técnica do Data Mining é capaz de fazer um estudo dos hábitos dos seus clientes, identificá-los e entender os comportamentos habituais. Quando acontece repetições de padrões de comportamento, as ferramentas do Data Mining indicam a presença de oportunidades aquele público consumidor. O diferencial do Data Mining está no fato de as descobertas de padrões ocorrerem por uma lógica de algoritmos, com base em uma rede neural de raciocínios. Trata-se de ferramenta de descobertas matemáticas feitas sobre os registros corporativos já processados contra descobertas empíricas. (Rocha, Martins, 2003) 2.3.Certificação Digital Os computadores e a Internet são largamente utilizados para o processamento de dados e para a troca de mensagens e documentos entre cidadãos, governo e empresas. No entanto, estas transações eletrônicas necessitam da adoção de mecanismos de segurança capazes de garantir autenticidade, confidencialidade e integridade às informações eletrônicas. A certificação digital é a tecnologia que provê estes mecanismos.
    • 11 O certificado digital é um documento eletrônico assinado digitalmente. Um exemplo é Governo Federal: Presidente da República e Ministros têm utilizado certificados digitais na tramitação eletrônica de documentos oficiais, que serão publicados no Diário Oficial da União. Um sistema faz o controle do fluxo dos documentos de forma automática, desde a origem dos mesmos até sua publicação e arquivamento. Trazendo assim inúmeros benefícios como: disponibilização de diversos serviços com uma maior agilidade, facilidade de acesso e grande redução de custos. A certificação digital oferece as seguintes garantias: Autenticidade do emissor e do receptor da transação ou do documento; Integridade dos dados contidos na transação ou no documento; Confidencialidade entre as partes; Não-repúdio das transações efetuadas ou documentos assinados. 2.4.Videoconferência Videoconferência é uma discussão entre pessoas que estão em lugares diferentes através do contacto audiovisual, dando a sensação de que se encontram no mesmo local. A comunicação não necessariamente é entre um grupo, mas também pessoa à pessoa. Hoje, com o avanço dos processadores e da compressão de dados, surgiu um novo tipo de videoconferência, a conferência desktop, não sendo necessária a utilização de câmeras especiais e equipamentos modernos, basta possuir uma webcam e um microfone instalados em uma máquina padrão onde a compressão e descompressão são efetuados via software. Vantagens do uso da videoconferência: • Economia de tempo, evitando o deslocamento físico;
    • 12 • Economia de recursos, com a redução dos gastos com viagens; • Mais um recurso de pesquisa, já que a reunião pode ser gravada e disponibilizada posteriormente. 2.5.Voz sobre IP (VOIP) Voz sobre IP, também chamado VoIP, telefonia IP, telefonia Internet, telefonia em banda larga e voz sobre banda larga é o roteamento de conversação humana usando a Internet ou qualquer outra rede de computadores baseada no Protocolo de Internet, tornando a transmissão de voz mais um dos serviços suportados pela rede de dados. Em uma viajem é possível levar um telefone VoIP, e onde você conectá-lo à Internet pode-se receber ligações, contanto que a conexão seja rápida e estável o suficiente. O fato de a tecnologia ser atrelada à Internet também traz a vantagem de poder integrar telefones VoIP a outros serviços como conversação de vídeo, mensageiros instantâneos, compartilhamento de arquivos e gerenciamento de listas telefônicas. Estar relacionado à Internet também significa que o custo da chamada independe da localização geodésica e dos horários de utilização, ambos os parâmetros usados na cobrança na telefonia fixa e móvel, e cujos valores variam de operadora a operadora.
    • 13 2.6.Storage Storage é um gabinete de discos, onde os servidores são conectados, e assim, torna-se possível definir, acrescentar e diminuir o volume de armazenamento para cada servidor, otimizando a utilização dos discos. O Storage traz vários benefícios como (TechDec, 2009): • Economia: Utiliza-se apenas a capacidade necessária para cada servidor, sem necessidade de adquirir um disco inteiro para o mesmo, e tampouco uma controladora RAID para cada servidor. • Alta Disponibilidade: Com controladoras e switches redundantes, este equipamento não tem um ponto único de falha, garantindo disponibilidade contínua da massa de dados. • Performance: Com uma grande capacidade de memória Cache, Barramentos Fiber Channel e outros recursos, o tempo de acesso torna-se muito reduzido. • Segurança: Com facilidade de administração e de implementação de políticas de backup, as soluções de STORAGE garantem um nível de segurança muito superior aos que podem ser implementados em servidores comuns.
    • 14 3. METODOLOGIA DE ANÁLISE DO PETIC Para poder aplicar o Planejamento Estratégico de TIC foi realizado um estudo sobre o CPD da SECC, abordando cinco grandes áreas (Dados, Hardware, Gestão de Pessoas, Software e Telecomunicações). Foi realizado um levantamento sobre o cenário atual de cada uma das áreas destacadas no intuito de identificar o comportamento e os seus principais problemas. Esse levantamento foi feito através de entrevistas com os coordenadores do CPD da SECC Rafael Batista Santos (Coordenador de Desenvolvimento de Softwares), Breno Carmo (Coordenador de Infra-estrutura) e o gerente de suporte da EMGETIS, Antônio Manuel. Nessas entrevistas foram colhidos relatórios que possuem as principais indicativas da situação atual de TIC no CPD. Com o intuito de solucionar e resolver os problemas encontrados no cenário atual foram feitas pesquisas sobre novas tecnologias de cada uma das áreas destacadas, buscando conceitos, funcionalidades e aplicações.
    • 15 4. DESENVOLVIMENTO Nos itens a seguir dessa secção serão apresentados o cenário atual e desejados em cada uma das grandes áreas (Dados, Hardware, Gestão de Pessoas, Software e Telecomunicações). 4.1.Cenário Atual das Pessoas Os salários básicos dos atuais cargos existentes no CPD são descritos abaixo: Tabela 1 - Salários básicos dos atuais cargos Cargo Atribuição Remuneração Assessor Especial Coordenador R$ 2.393,49 Consultor-Técnico Operacional Analista R$ 1.753,94 Assessor-Geral de Programas e Projetos Técnico R$ 1.196,73 Estes cargos já existiam na administração pública quando o CPD foi criado, e foram definidos sem direcionamento a uma atribuição específica. O modo como os cargos foram relacionados a atribuição teve como critério principal o valor da remuneração vinculado ao nível de competência exigido para ocupar o cargo. A falta de flexibilidade na definição de cargos e atribuições impede que seja feita uma seleção específica para tais cargos, a seleção dos candidatos é feita conforme Nomenclatura, Requisito e Denominação Sumária dos cargos. O que implica numa mesma prova ser aplicada a todos os candidatos sem opção de direcionamento por parte do CPD para as áreas mais carentes de mão-de-obra especializada.
    • 16 O cargo Assessor Especial, que é designado quando se tem a atribuição de Coordenador, tem como requisito curso de graduação na área de Tecnologia da Informação e é desejável Pós-Graduação na área de Gerência de Projetos. Suas atividades são: • Dimensionar requisitos e funcionalidades de sistemas; • Especificar arquitetura; • Escolher ferramentas de desenvolvimento; • Especificar programas; • Estabelecer padrões; • Coordenar projetos e oferecer soluções para ambientes informatizados; • Pesquisar tecnologias em informática; O cargo Consultor-Técnico Operacional, que é designado quando se tem a atribuição de Analista, tem como requisito curso de graduação na área de Tecnologia da Informação. Suas atividades são: • Desenvolver e implantar sistemas informatizados; • Dimensionar requisitos e funcionalidades de sistemas; • Especificar arquitetura; • Escolher ferramentas de desenvolvimento; • Codificar aplicativos; • Administrar ambientes informatizados; • Prestar treinamento e suporte técnico ao usuário; • Elaborar documentação técnica;
    • 17 Já o cargo de Assessor-Geral de Programas e Projetos, que é designado quando se tem a atribuição de Técnico, possui como requisito um curso médio profissionalizante ou médio completo, este necessita também de um curso técnico em informática. Suas atividades são: • Montar estrutura de banco de dados; • Projetar, implantar e realizar manutenção de sistemas e aplicações; • Selecionar recursos de trabalho, tais como requisitos de hardware para os diversos setores do órgão. • Assessorar nas atividades tecnológicas do órgão. Não existe atualmente um plano de carreira na Secretaria de Estado da Casa Civil. Por outro lado, há a possibilidade do trabalhador comissionado ser aprovado em um concurso público e passar a receber uma respectiva gratificação além de seu próprio salário. Quanto à política de capacitação, uma empresa do governo a Emgetis – Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação, visando atender a necessidade de desenvolvimento profissional técnico-administrativo e a necessidade dos serviços de acordo com cada ambiente organizacional, procura implementar cursos de capacitação para atender as demandas e necessidades. • Quanto ao ambiente de trabalho no CPD, foi observado que o espaço físico é extremamente limitado e apresenta alguns problemas relacionados à ergonomia: • Não possui iluminação adequada; • As cadeiras adquiridas, não atendem aos requisitos ergonômicos;
    • 18 • Não há política de pausa ou ginástica laboral como forma de prevenção de LER/DORT; • As mesas não possuem apoiador de teclado; • Não há apoiadores de pulso para mouse e teclado; • Não há apoio para pés. 4.2.Cenário Desejado das Pessoas O governo do estado possui a Emgetis que se encarrega das gerências de maior porte, deixando a cargo de cada órgão a gerência de seus assuntos restritos. Um exemplo disso é a divisão de setores do CPD. Hoje dividido em suporte e desenvolvimento, o CPD deixa a cargo da Emgetis resolver problemas relacionados a telefonia e redes. Atualmente são serviços terceirizados. A proposta é manter a Emgetis responsável por seus atuais papéis e sugerir a criação de um setor de dados, tendo em vista a importância deste no apoio as decisões do governador, já que a Casa Civil é um órgão de apoio ao governador do estado. Propomos, então, um novo modelo de estrutura para o CPD, onde os coordenadores seriam responsáveis por manter a relação administrativa com o secretário do órgão, informando-o sobre os recursos oferecidos e necessidades na área de TIC. O Coordenador teria o perfil de gerente de relações da tecnologia-negócio e gerente de serviços. A área de desenvolvimento atuaria no desenvolvimento de software e seria responsável pelo desenvolvimento de soluções na área de sistemas de aplicativos, assim como
    • 19 seus testes e manutenção. Quanto a distribuição de pessoal, propõe-se a seguinte configuração: • 01 Gerente de Projeto; • 05 Analistas; • 01 Estagiário. O Coordenador da área de desenvolvimento acumularia o cargo de Gerente de Projetos, sendo responsável pelo contato direto com o secretário da Casa Civil, isto é, definir junto a este acerca dos projetos e suas prioridades, assim como o contato direto com os analistas responsáveis por cada projeto. A área de dados atuaria no suporte ao banco de dados, coordenando as atividades de gerenciamento e atualização da estrutura do banco de dados, além de oferecer suporte aos desenvolvedores sobre os SGBDs utilizados. Tarefas como a de configurar, monitorar e otimizar o desempenho e zelar pela segurança dos dados (planejando estratégias de backup, monitorando e controlando o acesso de usuários, alocando espaço e planejando necessidades futuras de armazenamento) também seriam atribuições deste setor. A equipe seria formada como segue: • 01 Administrador de Banco de Dados; • 01 Supervisor da Informação e Comunicação; • 01 Analista na Tecnologia da Informação e Comunicação. • 01 Estagiário. O Coordenador da área de dados acumularia o cargo de Supervisor da Informação e Comunicação.
    • 20 A Emgetis atuaria na área de suporte as telecomunicações e teria como atribuições: manter a infra-estrutura de rede do órgão, garantindo alta disponibilidade, segurança, confiabilidade, flexibilidade, escalabilidade e desempenho da mesma; efetuar trabalhos de pesquisa e análise a fim de especificar soluções em telecomunicações, definir e acompanhar a evolução da topologia das redes de telecomunicações e desenvolver/participar de treinamentos da sua área de especialização. Equipe: • 01 Gerente de Redes; • 02 Analistas em Tecnologia da Informação e Comunicação; • 03 Técnicos em Tecnologia da Informação e Comunicação; • 01 Estagiário. O coordenador do setor também acumularia o cargo de gerente de redes. A área de suporte atuaria no suporte a hardware, mantendo em pleno funcionamento e atualização os equipamentos de tecnologia de informação e comunicação utilizados, além de solicitar orçamentos e participar da formação de aquisições de novos equipamentos, bem como peças para manutenção corretivas/preventivas. Equipe: • 03 Técnicos; • 01 Contratado; • 01 Estagiário. Neste caso um técnico continuaria a assumir as atribuições de coordenador. Um ponto importante para manter um ambiente de trabalho produtivo e satisfatório é o da ergonomia. Sugerimos, a aquisição de alguns itens:
    • 21 • Cadeiras giratórias com apoio para braço e com regulador de altura; • Mesas reguláveis com apoio para teclado; • Apoiador de pulso para mouse e para teclado; • Apoiador para pés. Além disso, como foi identificada a deficiência na iluminação e refrigeração do ambiente de trabalho do CPD, propomos também a contratação de uma empresa especializada em projetos de iluminação de interiores e contatar a empresa responsável pelos refrigeradores de ar, para fazer a manutenção e possível troca de equipamentos. Por fim, sugerimos uma campanha de conscientização dos funcionários, não só do CPD mas do órgão inteiro, sobre doenças, como LER/DORT, que podem acometê-los caso se descuidem e não sigam as políticas de prevenção das mesmas acompanhada de Ginástica Laboral e pausas de 10 minutos após 50 minutos de trabalho. 4.3.Cenário Atual dos Dados O Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD) utilizado é o PostgreSQL. É um SGBD relacional de plataforma livre. O servidor de Banco de Dados tem espaço de armazenamento suficiente, mas existe um problema de o servidor não ser apenas de banco de dados, e sim de várias outras coisas como: DNS, Logon, Aplicação, Arquivos, Impressão e HTTP. Fazendo com que haja uma redução desempenho do SGBD, além de trazer maior insegurança para os dados. A política de backup não é das melhores. São feitas gerações de arquivos contendo estrutura e dados do banco e tais arquivos são gerados pelo próprio SGBD. As
    • 22 cópias são geradas diariamente, de forma agendada e automática, e mantidas em discos rígidos, em duas máquinas distintas. Uma das máquinas que armazenam os backups de banco de dados também é utilizada para homologação de sistemas (servidor de homologação) e a outra é o próprio servidor de produção; Caso ocorra algum problema no setor como um incêndio todos os dados serão perdidos. Outro problema é que o banco de dados é único e não possui redundância. Caso o servidor de banco pare de funcionar, todos os sistemas interligados a ele pararão até que o problema seja resolvido. Os sistemas web do órgão não possuem Certificação Digital (visa garantir autenticidade, confidencialidade e integridade às informações). A validação de dados, criptografia e geração de relatórios são feitas em nível de sistema. 4.4.Cenário Desejado dos Dados O servidor de Banco de Dados deve ser separado das demais aplicações, para poder melhorar o desempenho e a segurança dos dados. Além disso, deve possuir um outro servidor de Banco de Dados como redundância do primeiro, para caso ocorra algum problema os sistemas não parem de funcionar. Quanto à política de backup além do que já era adotado, deve ser feito um backup diariamente em fitas e adquirido um cofre contra incêndio para guardá-los. Assegurando assim que dificilmente os dados serão perdidos. Os sistemas da SECC que funcionam na web são largamente utilizados para o processamento e armazenamento de dados, e estas transações necessitam da adoção de
    • 23 mecanismos de segurança capazes de garantir autenticidade, confidencialidade e integridade às informações. Por isso é necessário a utilização da Certificação Digital. Para auxiliar na avaliação do desempenho dos setores da SECC, poderá utilizar tecnologia como Data Warehouse (DW). 4.5.Cenário Atual de Software Atualmente, a Casa Civil possui duas categorias de software, a primeira são os chamados softwares proprietários e a segunda são os sistemas produzidos localmente. Alguns dos produtos proprietários são ditos de prateleira, ou produzidos sem a necessidade de atender a uma demanda específica. Vale ressaltar, ainda, que entres estes alguns são softwares livres, mais especificamente as ferramentas de apoio ao processo de desenvolvimento de sistemas. No apoio a infra-estrutura o órgão conta com servidores utilizando sistema operacional Microsoft Windows 2003 Server, com licença corporativa. Conta, ainda, com um servidor virtual através do VMWare, ambiente que serve os sistemas que precisam ser publicados na internet. Em relação às estações de trabalho também utilizam o Microsoft Windows, sendo na versão XP. Ainda tratando-se de estações de trabalho o ambiente conta com o Microsoft Office, nas versões 2003 e 2007, além de incorporar o Microsoft Office Outlook 2007 como software padrão de cliente de e-mail e colaboração. A Casa Civil não possui ferramenta de controle das licenças de software, sendo estas associadas à compra de equipamentos. Porém, pretende produzir localmente um sistema para tal fim.
    • 24 Tratando dos sistemas locais todos são produzidos em ambiente web e disponibilizados através da intranet, sendo alguns casos na internet. O cargo chefe é o Portal de Serviços e Segurança, denominado SSA (Sistemas de Segurança de Aplicações), onde são acoplados todos os outros sistemas. Para produzir os sistemas a equipe de TI local utiliza a linguagem de programação Java (com JSP) e alguns softwares, como seguem: • Servidor web: Jboss 4.2; • Banco de dados: PostgreSql 8.2; • IDE: MyEclipse; • Modelagem: ER Studio; • Relatório: IReport; • Controle de verão: Tortoise. Os sistemas são produzidos sem uma completa documentação, contando apenas com um padrão de interface e modelo de entidade relacionamento (DER). Porém, a equipe de TI está viabilizando um estudo para levantar a melhor forma de manter uma documentação precisa e que não comprometa muito recurso de tempo para produzir. Além disso, o estudo conta com viabilidade de ferramentas de apoio desde a documentação até a codificação e testes dos sistemas. 4.6.Ambiente Desejado de Software Como toda instituição governamental, seja na esfera estadual ou federal, a Casa Civil também têm o propósito de aderir ao Software Livre para redução de custos,
    • 25 primeiramente no apoio a infra-estrutura e posteriormente nas estações de trabalho. Sendo que a segunda deverá ocorrer mediante aceitação prévia da área usuária. Se tratando de produção de software o órgão insere em seu planejamento um Módulo de Visualização de Dados do Sistema Integrado de Administração Financeira e Contabilidade (SAFIC) do estado, que é tido como fundamental para gestão e controle de gastos. Além deste, será viabilizado um módulo de comunicação instantânea dentro do Sistema de Segurança de Aplicações (SSA), que servirá para divulgações internas e conversação on-line entre os usuários, permitindo a utilização em grupo. Para a produção dos novos sistemas a equipe de TI fará uso de novas tecnologias de desenvolvimento web e novas ferramentas de apoio a tal desenvolvimento. Será substituída a linguagem Java com JSP para Java com JSF, além de adequação do NetBeans como IDE. A equipe também se planeja para migração dos sistemas existentes para essas novas tecnologias. 4.7.Cenário Atual de Hardware Na SECC existe hoje cerca de 100 computadores de diferentes configurações, dependendo da necessidade do usuário. Os servidores de rede estão localizados na EMGETIS (Empresa Sergipana de tecnologia da informação de Sergipe). A EMGETIS fica situada ao lado da SECC, ligados através de fibra óptica de 100 Mbps em uma distância aproximada de 300m. A COINF (Coordenadoria de Informática) que fica na SECC é responsável para dar suporte aos usuários e a EMGETIS é responsável por manter estes servidores no ar. Existem 4 (quatro) servidores, localizados na EMGETIS, onde um servidor é disponibilizado para SECC como servidor de DNS, Domínio, Aplicação, Banco de dados,
    • 26 Arquivo, Impressão, Backup e Http, usando o Wndows Server 2003. O servidor de Homologação se encontra na SECC.
    • 27 Tabela 2 - Locais de armazanamento de dados Local de Localizaçã Armazenamento de Aplicativo(s) Sistema Operacional o Dados Servidor Atalaia EMGETIS Proxy, Firewall Linux DNS, Logon, Aplicação, Banco de Servidor Aruana EMGETIS Dados, Arquivos, Impressão, Windows Server 2003 Backup e Http Servidor Abais EMGETIS E-mail Windows Server 2003 Servidor Orla EMGETIS Intranet Windows Server 2003 Servidor Pirambu SECC Homologação Windows Server 2003 Não tem nenhuma política de gerenciamento de energia na SECC. O uso de no- breaks e geradores não existe na SECC. A SECC utiliza padronização nos nomes das máquinas, não existe um controle de versão dos softwares instalados nas máquinas, nenhum software de inventário. Existe um sistema SHD (Sistema Help Desk), para controle dos chamados e problemas solucionados. A aquisição de Hardware é dependente de licitações, Convênios com o Governo Federal. Existe uma previsão todo ano de quanto vai ser gasto com a parte de TIC. 4.8.Cenário Desejado de Hardware A SECC possui sérios problemas com a questão dos servidores, pois possui uma política de backup precária, não existem servidores de replicação de dados como foi dito antes. Com isso sugerimos a compra de um Storage com solução de backup inclusa, para uma melhor organização dos aplicativos gerando uma economia, desempenho, segurança. Separando em diferentes servidores de banco de dados, aplicação, arquivos, impressão e domínio podem ficar no mesmo.
    • 28 A SECC possui o domínio “casacivil.se.gov.br”. Já está registrado e será usado como nosso domínio principal em nosso esquema. Todos os elementos ativos devem seguir a seguinte regra para a formação do nome: dois caracteres alfabéticos minúsculos seguidos da sigla do setor mais quatro caracteres numéricos seqüenciais. Os dois primeiros caracteres identificam o tipo do equipamento e os quatro restantes o próprio equipamento: • Servidores: sv + [sigla do setor] + [n° do servidor: 0000-9999]; • Estação de trabalho: et + [sigla do setor] + [n° da estação: 0000-9999]; • Impressoras: im + [sigla do setor] + [n° da impressora: 0000-9999]; • Scanners: sc + [sigla do setor] + [n° do scanners: 0000-9999]; • Roteadores: rt + [sigla do setor] + [n° do roteador: 0000-9999]; • Switches: sw + [sigla do setor] + [n° do switch: 0000-9999]. A SECC não possui uma política em caso de falha de sistema ou de queda de fornecimento de energia, com isso necessário a compra de um gerador para manter o fornecimento de energia. Implantação de uma política de segurança é instrumento importante para proteger a instituição contra ameaças à segurança da informação que a ela pertence ou que está sob sua responsabilidade. Uma ameaça à segurança é compreendida neste contexto como a quebra de uma ou mais de suas três propriedades fundamentais (confidencialidade, integridade e disponibilidade). Gerando as normas de segurança da instituição para evitar problemas graves no futuro para os Usuários. A criação de um normativo para novos usuários e sobre a distribuição dos serviços disponibilizados. Como foi dito na parte de software, para a produção dos novos sistemas a equipe de TI fará uso de novas tecnologias de desenvolvimento web e novas ferramentas de apoio a
    • 29 tal desenvolvimento. A linguagem Java será com JSF, além de adequação do NetBeans como IDE. Para que seja possível a realização dos sistemas serão incrementadas memórias RAM de 1GB em cada uma das máquinas de desenvolvimento dos sistemas. 4.9.Cenário Atual de Telecomunicação O cenário atual da Secretaria de Estado da Casa Civil quanto à área de redes e telecomunicações não é das mais precárias. O órgão dispõe de uma infra-estrutura de rede com arquitetura em estrela, com X pontos de acesso a rede, utilizando uma banda de 8Mbps de acesso a internet, um backbone de fibra óptica de 1Gbps e switches de 100Mbps, ideal para suprir as necessidades dos usuários. Esta estrutura peca somente em seu único servidor de rede, fornecendo serviços de Proxy, firewall, aplicação, banco de dados e armazenamento de arquivos acarretando em uma baixa velocidade de transmissão em alguns serviços. A secretaria possui uma estrutura de telefonia que utiliza PABX (Troca automática de ramais privados), onde são criados grupos de ramais por setor para captura e transferência automática de chamadas. Ligações destinadas a celular, o PABX utiliza celulares conectados a ele reduzindo o custo das ligações. 4.10.Cenário desejado de telecomunicações Já esta em andamento o planejamento da implantação da tecnologia VOIP em todas as secretarias reduzindo significantemente o custo das ligações entre elas.
    • 30 Neste mês de Junho, o governo junto com o BANESE, adquiriu uma nova sala cofre com diversos servidores blade disponíveis para serem utilizados pelas secretarias e demais órgão do governo que precisarem, dentre eles a Casa Civil, eliminando o problema do único servidor. Todas as reuniões do governador são feitas no palácio dos despachos. Aonde esta localizada a Casa Civil. Sendo necessário o deslocamento de secretários de suas respectivas secretarias. A utilização de videoconferência acarretaria numa economia no gasto de tempo e custo com transporte para o local.
    • 31 5. CONCLUSÕES Este documento resultou no entendimento da importância de um planejamento estratégico de uma empresa no mundo atual. Aonde a concorrência é cada vez maior, além disso, pessoas, economia e segurança são fatores vitais para o progresso de uma empresa. Através do planejamento estratégico torna possível fazer uma análise de como esses fatores estão sendo e serão executados. Devido à grande importância da informática nas empresas, elaboramos um planejamento estratégico específico de tecnologia da informação (PETIC). Esse PETIC contribuiu para a obtenção do cenário desejado do CPD da SECC e também contribui na realização de trabalhos futuros. 5.1.Cenário Desejado Esperamos que através deste PETIC à SECC possua uma maior integração das suas áreas e que esse se estabeleça como um marco inicial para as suas várias mudanças que ocorrerão daqui para frente. Este PETIC trará uma maior organização dos objetivos e metas do CPD da SECC, orientando a realização destes. 5.2.Trabalho Futuro Este PETIC será entregue à equipe de TI da Casa Civil e da EMGETIS para as devidas analises e avaliação da viabilidade da execução do plano.
    • 32 Este documento servirá também de estudo de caso para as demais secretarias de estado que necessitem de uma avaliação nas TICs nelas existentes, tornando todo o estado com um mesmo cenário e qualidade.
    • 33 REFERÊNCIAS WIKIPÉDIA. Data Warehouse. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Data_Warehouse. Acessado em: 20/06/2009. WIKIPÉDIA. Videoconferência. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Videoconferencia. Acessado em: 20/06/2009. WIKIPÉDIA. Voz sobre IP. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Voip. Acessado em: 20/06/2009. ROCHA, Armando, MARTINS, Daniel Borges Marques. Conceitos Básicos Sobre Data Mining. Disponível em: http://www.frb.br/ciente/Textos%20CienteFico %202003.2/INFO/Banco%20de%20Dados/Conceitos%20B%E1sicos%20sobre%20Data %20Mining.pdf. Acessado em: 20/06/2009. TECHDEC. Storage. Disponível em: http://www.techdec.com.br/index.php? option=com_content&task=view&id=4&Itemid=13. Acessado em: 20/06/2009. NUNES, Bruno Oliveira, dos SANTOS, Denisson Santana, at all. Estudo sobre o Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação para o Departamento de Computação da Universidade Federal de Sergipe. Disponível em: http://peticmonstrossa.blogspot.com/2009/06/manuscrito.html. Acessado em: 20/06/2009. SILVA, Vagner Amaral. Proposta de um Guia para o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Disponível em: http://petisque.blogspot.com/2009/03/artigo-em-andamento-tcc-wagner-amaral-e_10.html. Acessado em: 20/06/2009.