Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,013
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
39
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Programa ABC“Agricultura de Baixo Carbono”
  • 2. Protocolo de Quioto  metas de redução da emissão de carbono até 2012  (-5,2%) 2008-2012 comparado a 1990  2012 – renovado (COP 17 Durban – África do Sul)  conferência de Copenhague em 2009 (COP 15)  BR compromisso de redução de GEE  políticas públicas (decreto 7.390/10 - lei 12.187/09)
  • 3. Lei 12.187 e Decreto 7.390 (PNMC) Planos Setoriais de Mitigação e AdaptaçãoDesmatamento Desmatamento Eficiência Carvão na Outros Amazônia Cerrado Agricultura Energética Siderurgia Planos Setoriais 1. Recuperação de Pastagens Degradadas 2. Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) 3. Sistema de Plantio Direto (SPD) 4. Fixação Biológica do Nitrogênio (FBN) 5. Florestas Plantadas Programa 6. Tratamento de Resíduos Animais ABC
  • 4. ABC - Mitigar a Emissões de GEE pela Agropecuária CO2 CO2 N2O CO2 CH4 N2O CH4 N2O CO2 CH4 CO2 CH4 N2O CH4 CH4 CH4 CH4Adaptado de: CH4 - metanoLuiz Adriano Maia Cordeiro CO2 – dióxido de carbonoEng.Agr., D.S., Pesquisador, Embrapa Sede N2O – óxido nitrosoDepartamento de Transferência de Tecnologia (DTT)
  • 5. Recuperação/Renovação da PastagemAdaptado de:Luiz Adriano Maia CordeiroEng.Agr., D.S., Pesquisador, Embrapa SedeDepartamento de Transferência de Tecnologia (DTT)
  • 6. DEGRADAÇÃO"Conjunto de processos resultantes de danos no meio ambiente, pelos quais se perdem ou se reduzem algumas de suas propriedades, tais como, a qualidade ou capacidade produtiva dos recursos ambientais" (Decreto Federal 97.632/89).DEGRADAÇÃO DO SOLO"Alterações adversas das características do solo em relação aos seus diversos usos possíveis, tanto estabelecidos em planejamento quanto os potenciais" (ABNT, 1989).RECUPERAÇÃO "Local alterado é trabalhado de modo que as condições ambientais acabem se situando próximas às condições anteriores à intervenção; ou seja, trata-se de devolver ao local o equilíbrio e a estabilidade dos processos atuantes”
  • 7. CO2Lavoura sob SPD CO2 Pastagem Degradada
  • 8. Integração Lavoura-Pecuária-Floresta1. LAVOURA-PECUÁRIA (Agropastoril)2. PECUÁRIA-FLORESTA (Silvipastoril)4. LAVOURA-FLORESTA (Silviagrícola)4. LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA(Agrossilvipastoril)Adaptado de:Luiz Adriano Maia CordeiroEng.Agr., D.S., Pesquisador, Embrapa SedeDepartamento de Transferência de Tecnologia (DTT)
  • 9. Programa ABC – no BB ConceitoO Programa para redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa naAgricultura - Programa ABC é uma linha de crédito para investimento. objetivos - redução das emissões de gases de efeito estufa - redução do desmatamento - aumentar produção agropecuária em bases sustentáveis - adequação ambiental das propriedades - ampliar área de florestas cultivadas - estimular recuperação de áreas degradadas
  • 10. condições operacionais Itens Financiáveis  em projeto de investimento  despesas de elaboração de projeto técnico, georreferenciamento e regularização ambiental  assistência técnica  aquisição, transporte, aplicação e incorporação de corretivos agrícolas (calcário e outros);  marcação e construção de terraços e implantação de práticas conservacionistas do solo;  adubação verde e plantio de cultura de cobertura do solo;  aquisição de sementes e mudas para formação de pastagens, culturas e florestas; (continua)
  • 11. condições operacionais Itens Financiáveis  em projeto de investimento  implantação de viveiros de mudas florestais  operações de destoca;  implantação e recuperação de cercas; aquisição de energizadores; aquisição, construção ou reformas de bebedouros e de saleiros ou cochos para sal;  aquisição de animais e sêmen de bovinos, ovinos e caprinos, para reprodução, recria e terminação,  aquisição de máquinas e equipamentos para a agricultura e/ou pecuária  construção e modernização de benfeitorias e de instalações.
  • 12. condições operacionais Itens Financiáveis – continuação  Custeio associado ao investimento, limitado até 30% do valor financiado, podendo ser ampliado para:  até 35% do valor financiado, quando destinado à implantação e manutenção de florestas comerciais ou recomposição de áreas de preservação permanente ou de reserva legal, casos em que poderão ser incluídos como custeio os gastos de manutenção de florestas nos segundo, terceiro e quarto anos; ou  até 40% do valor financiado, quando o projeto incluir a aquisição de animais e sêmen de bovinos, ovinos e caprinos, para reprodução, recria e terminação.
  • 13. condições operacionais Limite FinanciávelAté R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) por beneficiário, por ano-safra,independentemente de outros créditos concedidos ao amparo de recursoscontrolados do crédito rural. Encargos Financeiros: 5,5% a.a. fixos/efetivos Prazo: Conforme definido no projeto técnico e fluxo de receitas da propriedade, sendo:  recuperação de pastagens e a sistemas produtivos de integração lavoura-pecuária,lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura-pecuária- floresta: até 96 meses (elevável a até 144 meses se componente florestal presente);  implantação e manutenção de florestas comerciais: até 144 meses, (elevável a até 180 meses se a espécie florestal justificar); e  recomposição e manutenção de áreas de preservação permanente ou de reserva legal: até 144 meses (elevável a até 180 meses se a espécie florestal justificar).
  • 14. condições operacionais Prazo – continuação  Carência  recuperação de pastagens e a sistemas produtivos de integração lavoura pecuária, lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura-pecuária-floresta: até 36 meses;  implantação e manutenção de florestas comerciais: 6 meses a partir da data do primeiro corte, limitada a 96 meses; e  recomposição e manutenção de áreas de preservação permanente ou de reserva legal: 12 meses a partir da data de contratação,
  • 15. Plano ABCFinalidades:- mitigação de 133,9 a 162,9 milhões de ton CO2eq , com: - recuperar 15 milhões ha de pastagens degradadas; - aumentar em 4 milhões ha a área de integração lavoura, pecuária e floresta; - aumentar em 8 milhões de ha o uso do sistema de plantio direto; - aumentar em 5,5 milhões de ha a utilização de método de fixação biológica de nitrogênio; - aumentar em 3 milhões de ha a área de florestas plantadas; - aumentar em 4,4 milhões de m³ o tratamento de dejetos animaisCO2eq, é uma medida que expressa a quantidade de GEE em termos equivalentes da quantidade de CO2. A equivalêncialeva em conta o potencial de aquecimento global dos gases envolvidos e calcula quanto de CO2 seria emitido se todos osGEEs fossem emitidos como esse gás.
  • 16. recuperar 15 milhões ha de áreas e pastagens degradadas como  Recuperar o solo ou a pastagem para fins de aumento da capacidade de apascentamento do rebanho evitando desmatar para aumentar a produtividade . o que financiar  insumos, máquinas (40% do financiado), mão-de-obra, benfeitorias, animais, custeio associado quanto financiar  R$ 1.200,00 a 3.000,00/ha (pastagens)  R$ 8.000,00/ha (café);  R$ 4.000,00 (cana)
  • 17. recuperar 15 milhões ha de áreas e pastagens degradadas quanto financiar  Aquisição de animais  Bezerro R$ 600,00 a 800,00/cab;  Boi Magro R$ 750,00 a 950,00/cab;  Novilha 1-2 anos R$ 600,00 a 800,00/cab;  Novilhas 2-3 anos R$ 800,00 a R$ 1.100,00/cab;  Vaca/matriz R$ 1.100,00 a 1.500,00/cab  quantos animais  A quantidade que o plano de manejo incrementar em capacidade de apascentamento da área beneficiada – 40% do financiado  Reforma de cercas: R$ 500,00 a R$ 2.000,00/km;  Implantação de cerca convencional: R$ 3.500,00 a R$ 10.000,00/km  Implantação de cerca elétrica R$ 2.800,00 a R$ 3.600,00;
  • 18. aumentar em 4 milhões ha a área de integração lavoura, pecuária e floresta como  Maximização do uso das áreas destinadas a exploração da agropecuária com o uso de pastagens, florestas e culturas anuais de forma integrada. o que financiar  implantação, recuperação de pastagens  cercas  aquisição de animais  custeio associado  máquinas (40% do financiado)  insumos quanto financiar  específico
  • 19. aumentar em 8 milhões de ha o uso do sistema de plantio direto Conceito  Implantação, melhoramento e manutenção de sistemas de plantio direto “na palha”, visando melhoria nas condições físicas do solo, redução de custos, aumento de produtividade e conservação de solos . o que financiar  corretivos  serviços (marcação de curvas de nível, terraços, etc)  máquinas (40% do financiado)  benfeitorias  custeio associado  astecquanto financiar  R$ 1.500,00 a R$ 5.000,00/ha
  • 20. aumentar em 3 milhões de ha a área de florestas plantadas Conceito  Implantação de florestas (eucalipto, pinus, seringueira, etc) para exploração comercial de madeira, lenha, látex etc . o que financiar  insumos, máquinas (40% do financiado), mão-de-obra, benfeitorias, custeio associado, astec quanto financiar (muito variável)  R$ 3.000,00 a 5.000,00/ha (eucalipto e pinus)  R$ 7.000,00 a 8.500,00/ha (seringueira)
  • 21. Regularização ambiental de propriedade Conceito  Recuperação do solo, do Ecossistema para fins de manter um banco de sementes, a fauna, preservando a diversidade genética, lençol freático e microclima. o que financiar  recuperação de APP, implantação de reserva legal quanto financiar  Georreferenciamento: R$ 15,00 a R$ 45,00/ha  Implantação de cerca convencional: R$ 3.500,00 a R$ 10.000,00/km  R$ 3.000,00 a 5.000,00/ha (eucalipto e pinus)  Aquisição de mudas florestais: R$ 0,75 a R$ 3,50/unidade.
  • 22. Agricultura orgânica Conceito  a produção de alimentos sem o uso de produtos químicos sintéticos, nem de OGM - geralmente adere aos princípios de agricultura sustentável o que financiar  transição, certificação, custeio quanto financiar  Certificação da agricultura orgânica: R$ 600,00 a R$ 9.500,00 (a depender do faturamento e/ou tamanho da área, tipo de cultivo e produtos usados anteriormente).
  • 23. aumentar em 4,4 milhões de m³ o tratamento de dejetos animais Conceito  redução dos impactos ambientais e aproveitamento de nutrientes o que financiar  operações, máquinas (40% do financiado), mão-de-obra, benfeitorias, astec quanto financiar (muito variável)  Biodigestores R$ 50.000,00 a R$ 250.000,00 (a depender do modelo de construção);  R$ 750,00/m3 de construção
  • 24. Exemplo 01 recuperação / reforma de sistema de plantio direto Custo específico  corretivos (calcário, macro nutrientes)  serviços (subsolagem, aplicação de corretivos/nutrientes, reforma de curvas de nível, terraços, etc)  prazo de até 5 anos com carência de 02  custeio associado implantação de sistema de plantio direto Custo específico  corretivos (calcário, macro nutrientes  serviços (aração, subsolagem, marcação de curvas de nível, terraços, etc)  máquinas (40% do financiado)  prazo de até 8 anos com carência de 03  custeio associado
  • 25. Exemplo 02 implantação de 125 ha de seringueira/ano  custo implantação: R$ 8.000,00/ha  projeto de R$ 1.000.000,00  poupança programada
  • 26. Exemplo 03 recuperação de área degradada (implantação de cana)  R$ 1.000.000,00  custo implantação: R$ 4.000,00/ha  área de 250 ha/ano
  • 27. o projeto deve conterEm projetos que englobem sistemas integrados lavoura-pecuária,lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura-pecuária-floresta,recuperação de pastagens, implantação de florestas comerciais esistemas de plantio direto "na palha  Identificação do imóvel e de seu área total  croqui descritivo e histórico de utilização da área a ser beneficiada contendo no mínimo 4 pontos no perímetro da área por GPS, ou outro instrumento de aferição mais precisa  comprovantes de análise de solo  plano de manejo agropecuário, agroflorestal ou florestal, conforme o caso, da área do projeto;  justificativas;  relatório a cada 4 anos
  • 28. o projeto deve conterEm projetos que incluam adequação ou regularização das propriedadesrurais frente à legislação ambiental, englobando recuperação dareserva legal, de áreas de preservação permanente, e o tratamento dedejetos e resíduos  Projeto Técnico Programa ABC, assinado por profissional habilitado contendo obrigatoriamente: - comprovação de rentabilidade suficiente que assegure a quitação das obrigações inerentes aos financiamentos; - a identificação da área total do imóvel e croqui da área a ser recuperada; - justificativas;
  • 29. o projeto deve conter Nos financiamentos para a agricultura orgânica: projeto Técnico Programa ABC, assinado por profissional habilitado  para projetos de conversão: declaração de acompanhamento do projeto de conversão emitido pela certificadora  para produtores certificados: registro no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos.  justificativas;
  • 30. o projeto deve conter Nos financiamentos que incluam a implantação de planos de manejo florestal sustentável : Projeto Técnico Programa ABC, assinado por profissional habilitado; plano de manejo aprovado pelo órgão ambiental competente; justificativas;
  • 31. o projeto deve conter Plano de manejo : Informar todas as práticas (agropecuárias, zootécnicas, florestais, ...), ações e procedimentos que serão implementadas pelo proponente e que garantam o atingimento dos objetivos propostos para o financiamento ao amparo do Programa ABC. obrigatório que a minuciosa descrição do manejo contemple cada área/talhão ano a ano, no mínimo, pelo período de vigência do financiamento
  • 32. o projeto deve conter Plano de manejo : pode assumir a forma descritiva cursiva e, sempre que possível, com quadros e tabelas . no caso de florestas, indicar a destinação da produção, espaçamento a ser utilizado no plantio das culturas, períodos de cortes, desbrota, e apresentar contrato com empresa especializada no plantio e condução da cultura
  • 33. o projeto deve conter Plano de manejo : evolução do rebanho e manejo de pastagens e pastoreio, sistema de rotação de culturas, planejamento de corte de florestas e destinação, planejamento para recuperação de área ou pastagem degradada . o Plano de Manejo é exigência do MCR - Manual de Crédito Rural do Banco Central do Brasil
  • 34. Obrigado!Edu Bernardo SandriGerente Geral11-3244-6261edubb@bb.com.br