IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008

on

  • 571 views

IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008

IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008

Statistics

Views

Total Views
571
Views on SlideShare
571
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008 IX Agrocafé APRES - Apresentação 9º Agrocafé 2008 Presentation Transcript

  • IX AGROCAFÉ A sustentabilidade Econômica da Cafeicultura Gílson Ximenes Diretor Presidente Conselho Nacional do Café 03/03/2008
  • SOBRE O COSELHO NACIONAL DO CAFÉ - CNC
    • Fundado em 1981
    • Participou de todos os momentos críticos da história recente da Agricultura Brasileira defendendo o interesse dos produtores
    • 09 Presidentes ao longo de sua história
    • Idealizou a formação do Conselho Deliberativo de Política do Café – CDPC, criado em 1996 com participação de Governo e demais membros da cadeia do café.
  • SOBRE O COSELHO NACIONAL DO CAFÉ - CNC
    • Participa dos importantes fóruns internacionais de café:
    • Organização Internacional do Café – membro titular da junta Consultiva do setor Privado
    • 4 C´s – código comum para a comunidade cafeeira – Membro fundador e tem um de seus membros ocupando a Diretoria da Junta Executiva.
  • SOBRE O COSELHO NACIONAL DO CAFÉ - CNC
    • Sede em São Paulo
    • Escritório de representação política em Brasília
    • Sócios: 21 cooperativas de produtores. Que representam 50 mil produtores que recebem 40% da produção nacional de café e 53% da produção de café arábica.
  • A sustentabilidade Econômica da Cafeicultura Passado, Presente e Futuro
    • No Passado:
    • Marcos regulatórios garantiam através de intervenções no mercado, preços que asseguravam a renda para os produtores
    • A nível internacional: Acordo de cláusulas econômicas na Organização Internacional do Café.
    • A nível nacional: IBC (Instituto Brasileiro do Café) realizava intervenções no mercado através de cotas de contribuições e formação de estoques reguladores.
  • A sustentabilidade Econômica da Cafeicultura – Críticas ao modelo do passado
    • Política “guarda- Chuva” para concorrentes ao produzir melhores preços no mercado internacional, as intervenções favoreceram o aumento de produção de outros países.
    • O aumento da produção internacional não foi acompanhada de ações estratégicas para o aumento do consumo e agregação de valor, via verticalização da produção até o consumidor final .
  • APESAR DISSO ...
    • O agronegócio Café Mundial faturava na década de 1980 U$30 bilhões, os produtores U$9 bilhões (30% do total)
    • Hoje o Agronegócio Café fatura no mundo U$80 bilhões, os produtores U$7,5 bilhões (8% do total)
    • O faturamento aumentou, mas os produtores não se beneficiaram.
  • A sustentabilidade Econômica Presente
    • Na década de 90 todos os marcos regulatórios AIC e IBC acabaram
    • Os produtores melhoraram a produtividade, através do incremento tecnológico e renovação da lavoura, mas todos os benefícios foram apropriados pelos consumidores
    • O resultado é o maior nível de endividamento e inadimplência da história da cafeicultura brasileira
  • Endividamento da Produção
    • Solução:
    • Adotar as novas políticas para formação de preços em níveis sustentáveis. Priorizar financiamento do produto em detrimento do custeio e adequar o voluma de dívidas dos produtores, limitando a amortizações máximas de 3% da renda anual.
  • A sustentabilidade Econômica o desafio da construção de novos modelos
    • Premissas:
    • Planejamento da produção e oferta, em níveis que mantenham a renda e possibilitem o desenvolvimento da atividade
    • Redução da volatilidade do mercado pois o maior inimigo dos preços baixos são os preços baixos, dos preços altos os preços altos
    • A longo prazo, preços muito baixos e muito altos são inimigos dos produtores .
  • A sustentabilidade econômica Construindo modelos futuros
    • Seguro – Renda
    • Utilização de instrumentos de política agrícola: Preço como medida compensatória a valorização do real – garantindo renda e competitividade – e opções públicas como seguro de preços de venda e possibilidade de recomposição gradual dos estoques.
  • A sustentabilidade econômica Construindo modelos futuros
    • Construção de Consórcio entre cooperativas, que tenham entre os seus objetivos:
    • Agregação de valor ao produto, pela industrialização e comercialização do produto primário
    • Exportações diretas
    • Programa de treinamento e aprimoramento profissional para dirieintes e funcionários das cooperativas
    • Difusão e transferência de tecnologia para produtoes
  • O CONSELHO NACIONAL DO CAFÉ AGRADECE A OPROTUNIDADE DE ESTAR PRESENTES COM TODOS VOCÊS
    • UM GRANDE ABRAÇO A TODOS!