Café arábica e robusta uma análise da produção, consumo e dos blends nos diversos países carlos brando

1,358 views
1,153 views

Published on

Café arábica e robusta uma análise da produção, consumo e dos blends nos diversos países carlos brando

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,358
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
46
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Café arábica e robusta uma análise da produção, consumo e dos blends nos diversos países carlos brando

  1. 1. CAFÉ ARÁBICA E ROBUSTA: UMA ANÁLISE DA PRODUÇÃO, CONSUMO E DOS BLENDS NOS DIVERSOS PAÍSES 41023042 Carlos H. J. Brando P&A Marketing Internacional Março 2014
  2. 2. © Copyright P&A EVOLUÇÃO DO CONSUMO MUNDIAL 2000 A 2013 (MILHARES DE SACAS 60KG) Variação 2013-2000 Taxa de Crescimento Anual 2000 2013 % % Mercados Tradicionais 63.600 72.900 +14,6 +1,1 Países Produtores 26.400 45.200 +71,2 +4,2 Mercados Emergentes 15.500 27.700 +78,7 +4,6 Total Mundo 105.500 145.800 +38,2 +2,5 Fonte: OIC, preparado por P&A
  3. 3. © Copyright P&A CONSUMO DE CAFÉ NO MUNDO: EVOLUÇÃO DOS DIFERENTES MERCADOS Fonte: OIC Mercados tradicionais Mercados emergentes Países produtores
  4. 4. © Copyright P&A PARA ONDE CAMINHA A DEMANDA?
  5. 5. © Copyright P&A  Melhoria de renda em países com grandes populações  Índia  Brasil  Cresce o consumo de solúvel  Aumenta o consumo de monodose e espresso  Consumo fora de casa estimula consumo em casa  Aumenta o leque de opções  produtos mais baratos  novas preparações UM MERCADO CONSUMIDOR EM TRANSIÇÃO  Indonésia  China
  6. 6. © Copyright P&A AUMENTA O CONSUMO DE ROBUSTAS  Solúvel é o preferido em muitos (e novos) mercados  produtores: Indonésia, Vietnã, México, Colômbia  emergentes: Rússia, China  café “3 em 1”  Cresce participação de Robusta em blends T&M  todos os mercados  Marcas próprias dos grandes varejistas  preço baixo + apelo das marcas  Robusta: 40% a 60% do blend
  7. 7. © Copyright P&A CONSUMO DE ARÁBICA PUXADO POR LOJAS E MONODOSE  Cafeterias se expandem em emergentes e produtores  jovens & estilo de vida  espresso, cappuccino, preparações geladas  Exemplos:  Coréia do Sul – 12.000 lojas de café  Índia – Coffee Day: 400 mil clientes / dia  China – 800 Starbucks  Monodose revoluciona os mercados tradicionais  Estados Unidos e Europa
  8. 8. © Copyright P&A Fonte: CBS&A - Volcafé MONODOSE: A GRANDE TENDÊNCIA  Consumo mundial de monodose cresce > 20% ao ano  desde 2004  Forte crescimento, diversos tipos  Brasil: pólo dinâmico CAFÉ MONODOSE – % VOLUME CONSUMO EM CASA (EQUIVALENTE CAFÉ VERDE) U.S.A. HOLANDA FRANÇA U.E. 15% 35% SUÍÇA ALEMNHA ESPANHA ITÁLIA
  9. 9. © Copyright P&A EVOLUÇÃO DO CONSUMO E DA PRODUÇÃO: ARÁBICA E ROBUSTA Tipo de café 1980 2001 2012 2020* Arábica (%) 74 66 61,5 55 Robusta (%) 26 34 38,5 45 Fonte: OIC, Preparado pela P&A * Projeção P&A Fonte: OIC, Preparado pela P&A Linha de tendência construída sobre dados de 1980, 2001 e 2012 usando uma função exponencial de 2a ordem. PARTICIPAÇÃO DO ROBUSTA NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE CAFÉ .
  10. 10. © Copyright P&A PROJEÇÕES DE CONSUMO: 2020 (MILHÕES DE SACAS) CENÁRIO OIC CONSUMO 2012 (OIC) PROJEÇÕES 2020 TOTAL (OIC) INCREMENTO TOTAL ARÁBICA (25%) ROBUSTA (75%) PERÍODO ANO* PERÍODO ANO* ALTO 142 172,2 30,2 7,6 1,0 22,6 2,8 MÉDIO 142 164,8 22,8 5,7 0,7 17,1 2,1 BAIXO 142 157,7 15,7 3,9 0,5 11,8 1,5 * média do período
  11. 11. © Copyright P&A ARBITRAGEM ARÁBICA/ROBUSTA 2004-2014 Fonte: OIC
  12. 12. © Copyright P&A ALERTA PARA O BRASIL  Matriz de produção brasileira atual  Arábica: 75%  Robusta: 25%  Enquanto o cenário para 2020 aponta:  consumo Arábica: 25%  consumo Robusta: 75%  Mercado doméstico BR também tem papel importante  40% produção café fica no país MATRIZ FUTURA DA PRODUÇÃO: RESPONDER ÀS TENDÊNCIAS DE CONSUMO MUNDIAIS E LOCAIS
  13. 13. © Copyright P&A O FUTURO DO CONSUMO: BRASIL E MUNDO PROJEÇÕES DO CRESCIMENTO ATÉ 2020 Tipo de café Brasil * Mundo Arábica 2,75 3,9 a 7,6 Robusta 2,75 11,8 a 22,6 Fonte: OIC, Projeções P&A. Nota: * 3% ao ano com 50% Arábica e 50 % Robusta MILHÕES DE SACAS  Crescimento de 3% (???) ao ano no Brasil  50% Arábica e 50% Robusta (P&A)  Consumo interno futuro mais importante para Arábica que Robusta
  14. 14. © Copyright P&A PAÍS 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 12/13 Período Anual Período Anual Brasil (A/R) 31,3 31,4 48,5 28,8 39,3 32,9 42,5 36,1 46,0 39,5 48,1 43,5 50,8 50% 3,8% 25% 3,8% Vietnã (R/A) 14,8 13,1 11,6 15,3 14,4 13,8 19,3 16,4 18,4 17,8 19,5 24,1 22,0 65% 4,7% 39% 5,6% Indonésia (R/A) 7,0 6,8 6,7 6,4 7,5 9,2 7,5 4,5 9,6 11,4 9,1 8,6 11,3 44% 3,4% 19% 3,0% Etiópia (A) 3,1 4,0 4,1 4,4 5,2 4,8 5,6 6,0 4,9 6,9 7,5 6,8 8,1 108% 6,9% 44% 6,3% Honduras (A) 2,7 3,0 2,5 3,0 2,6 3,2 3,5 3,6 3,5 3,6 4,3 5,9 4,9 89% 6,0% 62% 8,4% Peru (A) 2,7 2,8 3,0 2,7 3,4 2,5 4,3 3,1 3,9 3,3 4,1 5,6 4,8 88% 5,9% 52% 7,2% Total acima 58,9 58,4 73,4 57,9 69,0 63,9 78,3 66,6 82,4 79,2 88,5 88,9 97,1 (2012+2011) / (2001+2000) (2011+2012) / (2005+2006)Porcentual 52% 54% 60% 55% 59% 58% 61% 57% 64% 65% 66% 65% 67% Total Mundo 112,9 107,7 123,1 106,2 116,2 111,2 128,4 116,6 128,6 122,8 133,5 135,9 144,6 TAXAS DE CRESCIMENTO OIC (US$ cents/lb) 64.24 45.59 47.74 51.90 62.15 89.36 95.75 107.68 124.25 115.67 147.24 210.39 156.34 CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO CONCENTRADO EM POUCOS PAÍSES Fonte: OIC, preparado por P&A PAÍS Período Anual Período Anual BRASIL 50% 3,8% 25% 3,8% VIETNÃ 65% 4,7% 39% 5,6% INDONÉSIA 44% 3,4% 19% 3,0% ETIÓPIA 108% 6,9% 44% 6,3% HONDURAS 89% 6,0% 62% 8,4% PERU 88% 5,9% 52% 7,2% (2012+2011) / (2001+2000) (2011+2012) / (2005+2006) Preço Composto OIC em fevereiro de 2014: US$ 1,38/lb
  15. 15. © Copyright P&A PREÇO COMPOSTO OIC MENSAL 2004-2014 Fonte: OIC ICO Composite Suaves Colombianos Outros Suaves Naturais Brasileiros Robustas
  16. 16. © Copyright P&A PRODUÇÃO DE CAFÉ 2013/14 (MILHARES DE SACAS) Fonte: OIC * * * ANTES DA VARIAÇÃO CLIMÁTICA RECENTE
  17. 17. © Copyright P&A CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO SERÁ CONCENTRADO PeruBrasil Etiópia 70% da produção mundial Indoné sia Hondu ras Vietnã - COLÔMBIA - MÉXICO - GUATEMALA - INDIA ? ? e a China?
  18. 18. © Copyright P&A * Inclui remuneração dos proprietários, depreciação e custo do capital investido na terra, equipamentos e benfeitorias. Fonte: CNA, Centro de Inteligência em Mercados; P&A e entrevista em propriedades rurais em maio de 2013. 40 70 0 155 140 130 120 110 100 90 80 60 50 40 3525 150 20 3010 Produção (milhões de sacas) 130 108 95 120 84 131 125 98 119 129129 Outros custos* Custo direto Custo de produção de Café Arábica (base safra 2012) US$ centavos/libra peso Cerrado Mineiro (Propriedades Médias) Sul de Minas e Mogiana (Propriedades Médias) Oeste São Paulo e Paraná (Proprie dades Médias) Sul de Minas e Mogiana (Pequenas Propriedades) Zona da Mata MG e Sul do Espírito Santo (Pequenas Propriedades) (Média dos Custos Diretos) (Custo Médio Total) CUSTOS MÉDIOS DE PRODUÇÃO R$ 350 por saca R$ 280 por saca * R$1,00 = US$ 2,25
  19. 19. © Copyright P&A PRODUÇÃO BRASILEIRA MÉDIA MÓVEL DE 4 ANOS Fontes: RIOEXPORT - 2001 a 2003 e CONAB - 2004 a 2013* *estimativa de produção do "1º Levantamento Café - Safra 2014" - CONAB e preço observado de fevereiro de 2014 -OIC 60mi 40mi 20mi 3,34 2,71 5,72 PreçoCompostoOIC(Centavosdedólar/lb)
  20. 20. © Copyright P&A AJUSTANDO EXPECTATIVAS  Brasil: seca  Indonésia: vulnerável clima  Colômbia + China: +4 milhões sacas  Honduras e Peru: ferrugem  Etiópia : otimista  Empate técnico  Mas...e se preços melhorarem...trarão mais produção? TOTAL MUNDO 175 mi sacas 2020
  21. 21. © Copyright P&A PRODUTIVIDADE, INCENTIVO “PERVERSO” PARA BAIXAR CUSTOS?  Incentivo “perverso”  baixos preços incentivam mais produtividade  maior produtividade aumenta produção  maior produção baixa preço  Brasil e Vietnã juntos = 50% produção mundial  maiores produtividades  sujeitos a maiores flutuações  risco de excesso de produção?  Excesso de produção nos rondou em 2013  ausência de “desastres” nas zonas produtoras  resposta viria via mercados (preços menores)  Desastres climáticos aconteceram
  22. 22. © Copyright P&A MUDANÇA CLIMÁTICA  Ferrugem  América Central  México  Peru  Seca e chuva  Vietnã  Indonésia  Seca no Brasil  Aprender a mitigar  Mais competitivos tem melhores condições de mitigar
  23. 23. © Copyright P&A CENÁRIOS DE CONSUMO E PRODUÇÃO DE CAFÉ 2020 CENÁRIO OIC CONSUMO 2012 OIC CONSUMO 2020 (1) PRODUÇÃO 2020(2) TOTAL OIC INCREMENTO MUNDO INCREMENTO 6 PAÍSES(3) TOTAL ARÁBICA (25%) ROBUSTA (75%) TOTAL ARÁBICA (46%) ROBUSTA (54%) ALTO 142 172,2 30,2 7,6 22,6 41,3 19,2 22,1MÉDIO 142 164,8 22,8 5,7 17,1 BAIXO 142 157,7 15,7 3,9 11,8 (1) Fonte OIC; distribuição A/R: P&A (2) P&A (3) Brasil, Vietnã, Indonésia, Etiópia, Honduras e Peru
  24. 24. © Copyright P&A BRASIL E O ARÁBICA  Produtividades altas e eficiência da cadeia colocam Brasil como mais competitivo entre os produtores mas...  ...vantagens sendo erodida pelo custo Brasil  só parcialmente compensadas pelo câmbio  Resiliência em períodos de crise:  pequenos consideram apenas custo operacional  grandes são altamente tecnificados e eficientes  na bonança todos produzem mais  Mas... se expansão da produção continuar no mesmo ritmo  demanda mundial adicional será satisfeita apenas pelo BR  O que fazer? EXPANDIR PARTICIPAÇÃO NO MERCADO INTERNACIONAL E/OU INCENTIVAR O CONSUMO DE ARÁBICAS
  25. 25. © Copyright P&A A INFLUÊNCIA DAS TAXAS DE CÂMBIO Fonte: OIC
  26. 26. © Copyright P&A VIETNÃ E O ROBUSTA  Produtor mais eficiente com custos mais baixos  Projeção de produção deixa espaço para concorrentes  porém, VT + INDO + BR acréscimo 22 mi sacas  acima da estimativa de demanda (baixa e média)  Brasil só poderá manter ritmo de expansão do Conilon  se projeção de consumo alta  ou se tirar mercado dos outros  pois mercado doméstico deixará excedente para exportação  mas custos de produção 8% a 36% acima VT BRASIL TERÁ QUE SE CONSOLIDAR COMO EXPORTADOR DE ROBUSTA
  27. 27. DESAFIOS E OPORTUNIDADES: CAFÉS DO BRASIL VS.
  28. 28. © Copyright P&A EXPANDIR A DEMANDA  Avaliar mercados onde o Brasil pode aumentar participação  Itália  Escandinávia  Marketing dos Cafés do Brasil  essencial!  ampliar investimentos  parcerias  Como renovar a promoção do consumo de café no mercado interno?  Aproveitar aumento do consumo nos emergentes  melhorar competitividade do solúvel  trabalhar a questão das taxas sobre o café brasileiro  Ampliar o trabalho em mercados de nicho  especiais e diferenciados  sustentáveis • Espanha e Portugal • outros PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  29. 29. © Copyright P&A MARKETING DOS CAFÉS DO BRASIL  Deficiente a nível nacional e internacional  Marketing pode colaborar para  melhores preços  maiores diferenciais  Já estamos perdendo oportunidades  Copa 2014  Olimpíadas 2016  Utilizar os recursos do Funcafé para marketing  passo inicial: aproveitar programa proposto pelo setor privado e aprovado pelo governo  depois: marketing deve ser constante e consistente PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  30. 30. © Copyright P&A AGREGAÇÃO DE VALOR  Ampliar os esforços em cafés diferenciados  grande potencial  Brasil tem afinidades únicas  Expandir cafeicultura sustentável  aumenta demanda da indústria  mais cafés sustentáveis nos blends  papel do corpo técnico das cooperativas  papel das certificações locais  Continuar e aumentar esforços nos cafés especiais  Agregar valor no Arábica e no Conilon  promover a origem Brasil PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  31. 31. © Copyright P&A PLATAFORMA DE EXPORTAÇÃO DE CAFÉ TORRADO E MOÍDO PLANEJAMENTOESTRATÉGICO  Soluções estruturais e mercadológicas mais agressivas  ganhar participação de mercado  garantir crescimento dos Cafés do Brasil  Brasil como plataforma de exportação de cafés industrializados  Necessidade de importar café verde para compor blends  sem ganho no início  grandes ganhos futuros factíveis  Mais mercado e … agregação de valor
  32. 32. © Copyright P&A ESTATÍSTICAS E INTELIGÊNCIA DE MERCADO  Como pode o maior agronegócio café do mundo tomar decisões estratégicas sem estatísticas confiáveis?  Muitas oportunidades perdidas por falta de informações  sobre concorrentes; mercados; custos de produção; etc  Estatísticas confiáveis e sistematizadas: passo inicial para inteligência de mercado  Programa efetivo de inteligência competitiva prioritário para os Cafés do Brasil  especialistas com experiência  orientar decisões estratégicas PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  33. 33. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: RUMOS DA POLÍTICA CAFEEIRA NO BRASIL
  34. 34. © Copyright P&A PROCESSO PASSO A PASSO 1) Reunião inicial no CeCafé em SP – Novembro 2013  ideias 2) Seminário na OCB em Brasília – Dezembro 2013  ações estratégicas 3) Reunião no MAPA em Brasília – Janeiro 2014  agrupamento de ações  matriz 4) Reunião no Bancoob em Brasília – Janeiro 2014  validação da priorização  finalização 5) Reunião final no CeCafé em SP – Fevereiro 2014  resultados  próximos passos PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  35. 35. © Copyright P&A MATRIZES  MATRIZ 1: Resultado da priorização das ações recomendadas  MATRIZ 2: Seleção das ações com o tema redução de custo  MATRIZ 3: Seleção das ações com o tema redução de risco  MATRIZ 4: Seleção das ações com o tema valorização do produto PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  36. 36. © Copyright P&A PRÓXIMOS PASSOS DEMANDAS ESPECÍFICAS (Termos de Referência) - O que? - Como? - Quando? - Quanto? - Quem? TERMOS DE REFERÊNCIA PARA PROJETOS ESPECÍFICOS AÇÕES ESTRATÉGICAS PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  37. 37. © Copyright P&A TERMOS DE REFERÊNCIA PARA PROJETOS ESPECÍFICOS  QUEM FARÁ OS TERMOS DE REFERÊNCIA?  processo de consulta com setores e governo  interlocutores: setores + DCAF + outros (?)  sem burocracia PROJETO RUMOS: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA A CADEIA PRODUTIVA DO CAFÉ PACOTE DE PROJETOS E PLANOS DE AÇÃO PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  38. 38. © Copyright P&A GERENCIAR PROJETO RUMOS (PACOTE DE PROJETOS E PLANOS DE AÇÃO)  Supervisionar contratação / facilitar início da implementação de projetos específicos (segundo Termos de Referência)  Acompanhar execução de projetos específicos  coordenar  monitorar  integrar resultados de projetos diferentes  Garantir implementação segundo objetivos e metas A DECIDIR DEPOIS DOS TERMOS DE REFERÊNCIA PLANEJAMENTOESTRATÉGICO
  39. 39. © Copyright P&A peamarketing@peamarketing.com.br www.peamarketing.com.br OBRIGADO!

×