Your SlideShare is downloading. ×
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura   Terezinha J  G  Salva Iac   Agrocafe 2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

As Contribuições do Instituto AgronôMico De Campinas Para O Desenvolvimento Da Cafeicultura Terezinha J G Salva Iac Agrocafe 2010

1,024

Published on

AS CONTRIBUIÇÕES DO INSTITUTO AGRONÔMICO DE CAMPINAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA CAFEICULTURA …

AS CONTRIBUIÇÕES DO INSTITUTO AGRONÔMICO DE CAMPINAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA CAFEICULTURA

TerezinhaJ. G. Salva
InstitutoAgronômicode Campinas –(IAC)
11ºAgrocafé/ Março/2010

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,024
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. AS CONTRIBUIÇÕES DO INSTITUTO AGRONÔMICO DE CAMPINAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA CAFEICULTURA - Terezinha J. G. Salva Instituto Agronômico de Campinas – (IAC) 11º Agrocafé/ Março/2010
  • 2. O Instituto Agronômico de Campinas Histórico Café- Brasil 1727 Campinas 1810 1887 – Fundação da Imperial Estação Agronômica de Campinas por D. Pedro II 1892 – Tutela do Governo do Estado de São Paulo 1932 – Plano de estudos sobre o cafeeiro
  • 3. Plano de estudos sobre o cafeeiro / 1932 - 2010 Estudos agronômicos e biológicos  Sistemática  Citologia  Biologia da Reprodução  Genética Técnicas Agronômicas  Melhoramento Dr. Carlos Arnaldo Krug Responsável pelo programa de estudos com o cafeeiro 1934 - 1993 Dr. Alcides Carvalho
  • 4. 1932 – Início do programa de genética e melhoramento do cafeeiro do IAC
  • 5. O Programa Café no Instituto Agronômico de Campinas (cont.) APTA – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios Institutos de Pesquisa e Pólos Regionais Centros de Pesquisa do IAC/2010 Café e Seringueira (15) Citricultura Ecofisiologia e Biofísica (7) Cana Engenharia e Automação Frutas Solos e Recursos Ambientais (2) Horticultura Recursos Genéticos (4) Grãos e Fibras Jardim Botânico (1) Fitossanidade http://www.iac.sp.gov.br
  • 6. O Programa Café no Instituto Agronômico de Campinas (cont.) Instituições Parceiras Pólos Regionais Nordeste Paulista – Mococa Alta Paulista – Adamantina Médio Paranapanema – Assis Leste Paulista – Monte Alegre do Sul Centro Oeste – Jaú Centro Norte – Pindorama
  • 7. O Programa Café no Instituto Agronômico de Campinas (cont.) Instituições Parceiras (cont) Instituições de Pesquisa e Ensino: IB, IEA, Ital, Botânica, Embrapa, Epamig, IAPAR, Incaper, Unicamp, Esalq, USP, Unesp, UFLA, UFV Cooperativas e Propriedades Particulares: São Paulo, Minas Gerais, Bahia
  • 8. O Programa Café no Instituto Agronômico de Campinas Objetivos Principais Maior eficiência e qualidade na cadeia produtiva Desenvolvimento regional
  • 9. O Programa Café no Instituto Agronômico de Campinas (cont.) Linhas de Pesquisa Biotecnologia Citogenética clássica e molecular Genômica funcional do café Cultura de Tecidos Melhoramento do cafeeiro Gestão de recursos genéticos Novas cultivares, seleções clonais e porta-enxertos Estresses bióticos e abióticos Resistência a pragas, doenças e nematóides Tolerância do cafeeiros ao estresse hídrico e calor
  • 10. O Programa Café no Instituto Agronômico de Campinas (cont.) Linhas de Pesquisa (cont.) Ecofisiologia Agrometeorologia Fisiologia do Crescimento e da Produção Morfologia do desenvolvimento floral Produção, arquitetura e desenvolvimento do cafeeiro Pós-Colheita Qualidade da bebida Qualidade do grão Relação entre química e qualidade do café
  • 11. O Programa Café no Instituto Agronômico de Campinas (cont.) Linhas de Pesquisa Fitotecnia Sistemas de produção Técnicas de condução e manejo Socioeconomia Economia regional Avaliação de projetos agroindustriais Prospecção de demandas Envolvimento em programas de certificação
  • 12. Contribuições do IAC para o desenvolvimento da cafeicultura
  • 13. Contribuições do IAC para a cafeicultura Cultivares IAC / Lançadas Produção / Adaptação / Resistência / Qualidade ■Bourbon Amarelo Excepcional qualidade da bebida ■ Mundo Novo e Catuaí 80% (estimativa) do parque cafeeiro nacional de café arábica ■ Apoatã – Tupi – Obatã - Icatu Resistentes a Nematóides e Ferrugem Alaranjada
  • 14. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Cultivares IAC / Em seleção Produção / Adaptação / Resistência / Qualidade Café arábica naturalmente descafeinado 0,06% de cafeína Cultivares resistentes a nematóides e à ferrugem Tupi RN / Icatu IAC 925 (Ne) / Catuaí S H3 (Fe) Cultivares resistentes ao bicho-mineiro Cultivares clonais Resistência múltipla a pragas e doenças Cultivares com tolerância ao estresse hídrico e ao calor
  • 15. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Biotecnologia - Contribuições Genoma Café Identificação de cerca de 32 mil genes Sistemas de expressão gênica tecido-específicos Raízes e folhas de cafeeiros Caracterização da diversidade do Banco de Germoplasma 15 espécies (Coffea e Psilanthus) e inúmeros acessos
  • 16. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Biotecnologia – Recentes Genes marcadores para seleção assistida Cafés naturalmente de descafeinados / variedades resistentes ao bicho-mineiro Cultivo in vitro Micropropagação de plantas de alto valor agronômico Genotipagem Caracterização molecular de cafeeiros
  • 17. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Tecnologia de produção - Contribuições Bases para o cultivo em solos de cerrado Baixa fertilidade natural Implantação de cafezais Formação de mudas / espaçamento / práticas de cultivo Recomendações de adubação e calagem Referência em análises de solo e análises foliares
  • 18. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Colheita e pós-colheita - Contribuições Colheita mecanizada do café Primeiro protótipo de colhedeira Café despolpado e cereja descascado Aporte de qualidade em regiões de alta umidade relativa do ar Qualidade da bebida Métodos de secagem e condições de armazenamento do café Influência da colheita e do preparo
  • 19. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Colheita e pós-colheita – Recentes Caracterização química do café Verde e torrado Preparo Variedade Diversidade do Banco de Germoplasma Qualidade de Bebida Ambiente, genética, desenvolvimento do fruto
  • 20. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Ecofisiologia - Contribuições Irrigação de cafeeiros Restauração de lavouras velhas e instalação de novos cafezais Sistemas de cultivo Café a pleno sol x Sombreamento Enxertia Café arábica /cavalos resistentes
  • 21. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Edafoclimatologia - Contribuições Zoneamento agrícola Pioneiro em estudos de aptidão para os cafés arábica e robusta Análise diagnóstica de solos de diferentes regiões agrícolas Levantamento do estado nutricional de cafezais e recomendações de correção em vários tipos de solo pela análise química foliar.
  • 22. Café arábica - INAPTO: Ta < 17 oC - Marginal: 17 < Ta < 18 oC - APTO: 18 < Ta < 22 oC - Marginal: 22 < Ta < 24 oC - INAPTO: Ta > 24°C Café robusta - INAPTO: Ta < 20 oC - Marginal: 20 < Ta < 22 oC - APTO: 22 < Ta < 26 oC - Marginal: 26 < Ta < 27 oC - INAPTO: Ta > 27°C A.P. Camargo (1974)
  • 23. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Agroclimatologia – Recentes Zoneamento agroclimático (SP) Regionalização de riscos: Secas e geadas Arborização de cafezais Espécies mais indicadas para consórcio Modelagem agrometeorológica Estimativa de produtividade de lavouras Melhoria da qualidade do café
  • 24. Contribuições IAC para a cafeicultura (cont) Socioeconomia - Recentes Análise de Demandas de Pesquisa Análise de custos de produção de café Análises inter-setoriais sobre geração de emprego e renda na cafeicultura brasileira Análises sobre impactos de certificação de cafés
  • 25. Novas alternativas para a cafeicultura Uso da fração lipídica em produtos cosméticos/ farmacêuticos Seleções IAC com alto fator de proteção solar
  • 26. Equipe/Café/IAC Melhoramento Genético Socioeconomia Luiz Carlos Fazuoli Sérgio P. Pereira Herculano Penna Medina Filho Flávia M. M. Bliska Rita Bordignon Masako T. Braghini Pré-Melhoramento Maria Bernadete Silvarolla Maria Bernadete Silvarolla Terezinha J. G. Salva Biotecnologia Fisiologia Mirian P. Maluf (Embrapa/IAC) Joel I. Fahl Julieta Almeida Maria Luiza C.Carelli Rachel Fitotecnia Roberto Antonio Thomaziello Citogenética Gerson S. Giomo Cecília A. P. Maglio Sérgio P. Pereira Neiva Pierozi Pós-Colheita Biotecnologia Gerson Silva Giomo Carlos Colombo Terezinha J. G. Salva Luis Carlos Ramos
  • 27. Agroclimatologia Marcelo B. P. Camargo Orivaldo Brunini Fisiologia e Nutrição A. Quaggio Rafael Vasconcelos
  • 28. FIM OBRIGADA PELA ATENÇÃO

×