Your SlideShare is downloading. ×
0
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Vanguardas Europeias

28,017

Published on

Published in: Education
1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
  • Gostei muito do assunto.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
28,017
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
287
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. As Vanguardas Européias E o Texto Literário
  • 2. VANGUARDA: movimento formado por grupos de pessoas que, por seus conhecimentos ou por uma tendência natural, exercem papel de precursoras ou de pioneiras em determinado movimento cultural, artístico ou científico. Assim aconteceu com o conjunto de cinco “ismos”: Cubismo, Futurismo, Expressionismo (Fauvismo), Dadaísmo e Surrealismo.
  • 3. CUBISMO 1907 - França
  • 4.  
  • 5. Cubismo - 1907 Proposta - Supressão do sentimentalismo piegas e da dor. - Nada de lamentos - Não só acentua o caráter de destruição mas acrescenta construção. - Abolição da cópia na arte. - Interesse: mudança de planos, de perspectivas, da decomposição geométrica dos objetos.
  • 6. Hípica Saltos records Cavalos da Penha Correm jóqueis de Higienópolis Os magnatas As meninas E a orquestra toca Chá Na sala de cocktails (Poesias Reunidas – 5ª ed.- Rio de Janeiro – Civilização Brasileira, 1978 p.129) Oswald de Andrade Pintor- quadro Les demoiselles d’Avignon (1907) Pablo Picasso- Mulheres da esquerda cultura ibérica Mulheres da direita influência da arte negra
  • 7. FUTURISMO 1909 - França
  • 8. Futurismo - 1909 - Atitude de irreverência - Destruição de códigos e valores cristalizados, arte agressiva - Corte dos elos com o passado - Palavras em liberdade “ É preciso destruir a sintaxe, dispondo os substantivos ao acaso, como nascem”. (Manifesto Futurista, 1912) - Reunir beleza e feiúra ou o que era considerado grotesco e era excluído da poesia do passado. Criar cuidadosamente do feio na literatura. Velhice O netinho jogou os óculos na latrina. Oswald de Andrade
  • 9.  
  • 10. ODE AO BURGUÊS Eu insulto o burguês! O burguês-níquel, o burguês-burguês! A digestão bem feita de São Paulo! O homem-curva! o homem-nádegas! O homem que sendo francês, brasileiro, italiano, é sempre um cauteloso pouco-a-pouco! ------------------------------------------------------- Eu insulto o burguês-funesto! O indigesto feijão com toucinho, dono das tradições! Fora os que algarismam os amanhãs! Olha a vida dos nossos setembros! ------------------------------------------------------ Ódio e insulto! Ódio e raiva! Ódio e mais ódio! Morte ao burguês de giolhos cheirando religião e que não crê em Deus! Ódio vermelho! Ódio fecundo! Ódio cíclico! Ódio fundamento, sem perdão! Mário de Andrade. Poesias Completas. São Paulo: Circulo do Livro, sd, p.45-7. Mário de Andrade Pintor - Giácomo Balla Vôo de andorinhas
  • 11. EXPRESSIONISMO 1905 - Alemanha
  • 12. O meu tempo Cantos e metrópoles, lavinas febris, Terras descoradas, pólos sem glória, Miséria, heróis e mulheres da escória, Sobrolhos espectrais, tumulto em carris. Soam ventoinhas em nuvens perdidas. Os livros são bruxas. Povos desconexos. A alma reduz-se a mínimos complexos. A arte está morta. As horas reduzidas. (Wilheim Klem) Edvard Munch - O Grito
  • 13. Expressionismo - 1905 - Cores intensas, simbólicas, imagens sugestivas - Deformação da realidade, representada subjetivamente - Mostra seus aspectos hediondos, terríveis e dolorosos. - Valorização dos conteúdos subjetivos que adquirem maior importância do que a técnica.
  • 14. FAUVISMO 1909 - França
  • 15.  
  • 16. Fauvismo - 1909 Assim como o Expressionismo, há predomínio das cores intensas e distorções ousadas. - Fauves (selvagens) no sentido de libertação e experimento. - Equilíbrio novo e radical em Matisse, seu principal líder.
  • 17. POÉTICA MANUEL BANDEIRA   Estou farto do lirismo comedido Do lirismo bem comportado Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente protocolo e manifestações de apreço ao sr. diretor.   Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o cunho vernáculo de um vocábulo.   Abaixo os puristas. Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais Todas as construções sobretudo as sintaxes de exceção Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis   Estou farto do lirismo namorador Político Raquítico Sifilítico De todo lirismo que capitula ao que quer que seja fora de si mesmo.   De resto não é lirismo Será contabilidade tabela de co-senos secretário do amante exemplar com cem modelos de cartas e as diferentes maneiras de agradar às agraves mulheres, etc.   Quero antes o lirismo dos loucos O lirismo dos bêbados O lirismo difícil e pungente dos bêbados O lirismo dos clowns de Shakespeare.   - Não quero saber do lirismo que não é libertação. Henry Matisse - Harmonia em vermelho
  • 18. DADAÍSMO 1916 - Suíça
  • 19. MATURIDADE O Sr. E a Sra. Amadeu Participam a V. Exa. O Feliz nascimento De sua filha Gilberta Oswald de Andrade Marcel Duchamp “ Roda de Bicicleta”
  • 20. Dadaísmo - 1916 Romper com o bom senso, a lógica e o significado compreensível, repudiar tudo aquilo que é do domínio da consciência. O mais radical dos movimentos de vanguarda, procura a antiarte e a antiliteratura, algo diferente de tudo que já tivesse sido feito até então.
  • 21. SURREALISMO 1921 - França
  • 22.  
  • 23. Surrealismo - 1921 ( a costela do Dadaísmo) CARACTERÍSTICAS COMUNS - Amor ao protesto - Valorização do improviso - Espontaneidade no manejo da linguagem SURREALISTAS EXPLORARAM - A relação da linguagem e da arte com o inconsciente, os sonhos, o sobrenatural, a loucura e os estados alucinatórios. Tudo o que fosse o reverso da lógica e fora do controle da consciência. - O emprego passional e irracional das imagens, em busca de representar um mundo em que a realidade e a força inconsciente da imaginação se misturem.
  • 24. Pré-história Mamãe vestida de rendas Tocava piano no caos Uma noite abriu as asas Cansada de tanto som, Equilibrou-se no azul, De tonta não mais olhou Para mim, para ninguém! Cai no álbum de retratos. Murilo Mendes Salvador Dali - Criança Geopolítica assistindo ao nascimento do novo homem (1943)
  • 25. Os Amantes - 1928 - Magritte
  • 26. Tabacaria Álvaro de Campos   Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo. ---------------------------------------------------------------- Fiz de mim o que não soube E o que podia fazer de mim não o fiz. O dominó que vesti era errado. Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me. ---------------------------------------------------------------- Quando quis tirar a máscara, Estava pregada à cara. Quando a tirei e me vi ao espelho, Já tinha envelhecido. Estava bêbado, já não sabia vestir o dominó que não tinha tirado
  • 27. Golconda - Magritte
  • 28. De Chirico – Heitor e Andrômaca
  • 29. Abaporu – 1928 - Tarsila Antropofagia – 1929 - Tarsila
  • 30. O Elefante Celebes – Max Ernst
  • 31. O Homem Amarelo – Anita Malfatti

×