• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
2ano populaçao brasil
 

2ano populaçao brasil

on

  • 6,073 views

 

Statistics

Views

Total Views
6,073
Views on SlideShare
6,073
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
180
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    2ano populaçao brasil 2ano populaçao brasil Presentation Transcript

      • Geografia Homem & Espaço A população brasileira
    • A demografia
      • É uma área do conhecimento que estuda a população nos seus mais variados aspectos:
      • crescimento;
      • distribuição por faixas de idade e pelos setores da economia;
      • preconceito racial;
      • deslocamentos espaciais;
      • distribuição pelo território, entre outros.
      Ao considerar todos esses elementos, estamos nos referindo à dinâmica demográfica.
      • Determinando transformações espaciais:
      • pessoas se deslocam para lugares onde podem ter melhores condições de vida, principalmente para as cidades, o aumento da população faz com que cresça a necessidade por recursos da natureza.
      A dinâmica demográfica evidentemente traz consequências para o espaço geográfico.
    • O crescimento da população brasileira De acordo com estimativas do IBGE, em meados de 2007 o Brasil possuía 189,7 milhões de habitantes. Com esse número, a população brasileira é a 5ª maior do mundo e a 2ª da América.
      • Essa população numerosa foi resultado:
      • da entrada de muitos imigrantes entre os séculos XIX e XX;
      • das altas taxas de crescimento vegetativo verificadas a partir de 1940.
    • Observe a tabela a seguir, que mostra o ritmo de crescimento populacional. Fonte: IBGE. Censo demográfico , 2000 e PNAD 2007.
      • A intensificação da urbanização;
      • a maior participação da mulher no mercado de trabalho;
      • o aumento do uso de pílulas anticoncepcionais;
      • o aumento do número de abortos provocados;
      • a esterilização de mulheres e de homens
      • São causas interligadas e que explicam a redução das taxas de crescimento vegetativo.
      A diminuição no ritmo de crescimento da população é consequência da redução da taxa de fecundidade .
      • Intensificou-se o processo de urbanização, que contribuiu para a redução da taxa de fecundidade.
      • » Nas cidades, o acesso às informações sobre os métodos para evitar a concepção é mais facilitado e o custo de criação ou formação dos filhos é maior do que no campo.
      • Vêm aumentando o nível de escolarização e a atuação da mulher nas decisões em questões familiares, bem como a sua participação no mercado de trabalho, apesar de ainda não haver igualdade de condições entre homens e mulheres em relação a esses dois últimos aspectos .
      A partir de 1960
    • A tendência da população brasileira para o envelhecimento O processo de aumento da população idosa recebe o nome de envelhecimento populacional. É um fenômeno mundial e ocorre principalmente nos países desenvolvidos e nos subdesenvolvidos industrializados.
    • Observe a tabela. *Estimativa Fonte: IBGE. Censo demográfico, 2000; Index Mundi. Brasil: População – Perfil 2007. Disponível em: [http://www.indexmundi.com/pt/brasil/população_perfil.html]. Acesso em: out. 2007.
    • O aumento proporcional da população com mais de 65 anos Com a diminuição das taxas de crescimento vegetativo Vem diminuindo gradativamente a proporção de habitantes com menos de 14 anos no total da população. Vem ocorrendo uma mudança na estrutura etária da população brasileira, essa alteração tem se processado de forma rápida. Da redução das taxas de mortalidade e do aumento da esperança de vida ao nascer. É CONSEQUÊNCIA
    • Observe os gráficos a seguir. Fonte: IBGE. Brasil em números , 2001. Mário Yoshida Pirâmide etária da população brasileira (1980)
    • Fonte: IBGE. Síntese PNAD , 2006. p.91. Pirâmide etária da população brasileira (2006) Mário Yoshida
    • A formação do povo brasileiro
      • indígenas;
      • negros, trazidos como escravos da África;
      • europeus;
      • asiáticos
      • Que emigraram para o Brasil em grandes quantidades entre a segunda metade do século XIX e a primeira metade do século XX.
      The Bridgeman Art Library/Keystone Representação das três raças: a escrava africana, o português e o índio nativo. Muitos povos contribuíram para a formação da população brasileira:
    • Os indígenas Estima-se que, na época da chegada dos portugueses, viviam no Brasil entre 3 e 5 milhões de indígenas de diferentes povos. Existem algumas estimativas sobre o número da população indígena, mas segundo o Instituto Socioambiental, atualmente há cerca de 600 mil índios. Que constituem a maior diversidade de povos indígenas do mundo num único país: são 227 etnias com mais de 180 línguas diferentes.
      • As causas do extermínio foram (e ainda são):
      • os conflitos com os não índios, que invadem as terras indígenas,
      • as doenças trazidas por eles, como gripe, catapora, sarampo, que podem matar grupos indígenas inteiros.
    • Observe a fotografia. Indígenas Kayapós assistindo TV durante um encontro em Altamira, PA (1989). João Ramid/Studio R
    • Outros povos desapareceram porque seus membros foram obrigados a se integrar à sociedade e à cultura dos não índios, sofrendo um processo denominado aculturação. A sobrevivência, a preservação dos valores culturais e dos modos de vida dos povos indígenas estão diretamente relacionadas com a criação e a demarcação de áreas de posse permanente para os diversos grupos. O que é Funai? A Fundação Nacional do Índio, que foi fundada em 1967, é um órgão do governo federal que tem a responsabilidade de demarcar as terras indígenas no Brasil.
    • Família do cacique Afonso R. Catarina, Bahia. Ronaldo Kotoscho/Kino Fotoarquivo
    • Dança Xavante na Aldeia de Pimentel Barbosa, próximo a Cabarana, MT (2001). Muitas áreas de reservas indígenas não são respeitadas pelos brancos. Na fotografia podemos observar um garimpo de diamantes dentro da reserva indígena Roosevelt, em Rondônia (2007). Evelson de Freitas/AE Rosa Gauditano/Studio R
    • Os negros Os negros, retirados à força da África e trazidos para o Brasil, pertenciam a diferentes grupos africanos. O tráfico de escravos começou oficialmente em 1559. Escravos partindo para colheita do café, no interior do estado do Rio de Janeiro, em 1882. Acervo Iconographia Estima-se que foram trazidos para o Brasil entre 3,5 e 4 milhões de negros africanos.
    • Depois da abolição
      • Efetivamente a população negra continua sendo a mais pobre.
      • Uma melhoria na situação da população negra depende de profundas alterações na estrutura socioeconômica do país.
      • Há também o problema da discriminação racial, muito comum quando o negro vai em busca de um emprego, por exemplo.
      Muita coisa não mudou nesses mais de 100 anos após a abolição. Os 300 anos em que a escravidão foi oficialmente praticada deixaram uma herança difícil de ser destruída.
    • Manifestação organizada pela Ong Educafro, a favor da adoção do sistema de cotas na UFRJ, no Rio de Janeiro, RJ (2004). Ana Carolina Fernandes/Folha Imagem
    • Os brancos Povos que predominaram na formação da população brasileira. Dos brancos asiáticos que vieram para o Brasil, os mais numerosos foram os sírio-libaneses e os judeus. Pertencem a vários grupos, destacando-se os de origem europeia. Os italianos e os espanhóis também tiveram grande participação na composição da população brasileira. Principalmente os portugueses, que colonizaram o Brasil.
    • Os japoneses constituem outro grupo importante. Eles formam o 5º maior grupo de imigrantes que entraram no Brasil. Recentemente, a imigração coreana tem sido expressiva, sobretudo na cidade de São Paulo. Essa cidade passou a receber também muitos imigrantes bolivianos, que, sem opção de emprego em seu país, acabavam se submetendo a condições precárias de trabalho. Festa italiana em Belo Horizonte, MG (2008). Pedro Silveira/ o tempo/ futura Press
    • A emigração brasileira Em fins da década de 1970, a economia brasileira passou a enfrentar uma séria crise, a mais grave de sua história. Essa situação fez com que muitos brasileiros buscassem oportunidades de emprego fora do país. Assim, um movimento populacional expressivo, inédito em nossa história, passou a ocorrer: a emigração.
    • Imigração para o Brasil segundo a nacionalidade (1820-1980) Fonte: IBGE, 2000. [SIC] COMUNICAÇÃO
    • A maior concentração de brasileiros no exterior está nos EUA. Loja de brasileiros em Massachusetts, nos Estados Unidos (2008). Patricia Campos Mello/AE
    • As migrações internas Apesar de as migrações internas terem ocorrido desde a época colonial, elas passaram a ser muito mais significativas a partir de 1930. O Centro-Sul foi se constituindo em uma importante área de atração, principalmente da população nordestina. O primeiro grande deslocamento populacional interno foi motivado pela descoberta de ouro na região de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.
    • Retirantes nordestinos no ano de 1958. Josenildo/Agência JB Nos anos 1960 e 1970, o governo brasileiro desenvolveu projetos de colonização que estimularam a ocupação de terras na Amazônia.
    • Centro-Oeste tem o maior número de migrantes Sidnei Moura Fonte: IBGE.
    • A concentração populacional próxima ao litoral A ocupação do litoral teve início na época da colonização. A maior parte da população brasileira — cerca de 75% — está concentrada numa faixa de até 300 km de distância do litoral . Nessa região, localiza-se a maioria das metrópoles do Brasil. A instalação de cidades na região litorânea facilitava a comunicação com a metrópole e, como a produção brasileira era voltada para a exportação, agilizava também o transporte dos produtos aos portos.
    • Brasil – Densidade Demográfica (2005) Fonte: Atlas geográfico escolar . 4. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2007. p. 114.
    • Observe a fotografia e a legenda. Milton Santos, um dos geógrafos brasileiros mais respeitados. Claudia Guimarães/Folha Imagem Milton Santos (1926-2001) é considerado o maior geógrafo brasileiro pelos colegas de profissão. O professor de voz calma e olhar tranquilo sublinhou o aspecto humano da geografia e criticou a globalização perversa. Via na população pobre o ator social capaz de promover uma outra globalização, que defendeu em livros e conferências pelo mundo. Sobre ser afrodescendente, declarou: &quot;Minha vida de todos os dias é a de negro. Mantenho com a sociedade uma relação de negro. No Brasil, ela não é das mais confortáveis.&quot; Rachel Aguiar: O militante de ideias . Revista Ciência Hoje. Disponível em: <http://cienciahoje.uol.com.br/controlPanel/materia/view/1655>. Acesso em: 26 setembro 2007.
    • Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
      • A urbanização Brasileira
      Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
      • Contrastes:
      • Rico X pobre
      • Desenvolvido X Subdesenvolvido
    • Observe os mapas e o gráfico. Cidades brasileiras conforme o número de habitantes (1950) Fonte: Atlas nacional do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2000. p.83 (adaptado). Mário Yoshida Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Cidades brasileiras conforme o número de habitantes (2000) Mário Yoshida Fonte: Atlas nacional do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2000. p.83 (adaptado). Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Brasil – Evolução da população rural-urbana entre 1940 e 2006. Fonte: IBGE. Anuário estatístico do Brasil , 1986, 1990, 1993 e 1997; Censo demográfico, 2000; Síntese de indicadores sociais, 2007. [sic] comunicação Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    •  
    • Conversa
      • Ao compararmos os mapas, quais informações podemos obter?
      • Em sua opinião, quais fatores podem ter contribuído para o aumento da população das cidades?
      • O que ocorreu com a população rural e a urbana em relação ao total da população brasileira, entre 1940 e 2006?
      • Em qual período ocorreu o aumento mais significativo da população urbana em relação à população rural?
      Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • A urbanização Intenso crescimento populacional e conheceram uma ampliação de sua área, que passou a contar com mais construções, ruas, avenidas, redes de energia elétrica, de água encanada, de telefonia, de esgotos etc. Crescimento maior da população urbana em relação à população rural, em termos proporcionais. Decorrência do grande deslocamento da população do campo para as cidades – êxodo rural. Especialmente entre 1950 e 1990. Década de 1940 Aumento no número de cidades . Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
      • Assim, os:
      • filmes
      • noticiários
      • novelas
      • propagandas transmitidos pela TV
      • são vistos tanto pelo habitante urbano como pelo rural.
      ATUALMENTE AS TELECOMUNICAÇÕES CONTRIBUEM PARA A FORTE INTEGRAÇÃO ENTRE O CAMPO E AS CIDADES. O ESPAÇO RURAL E O URBANO SE COMPLEMENTAM. RELAÇÃO DE INTERDEPENDÊNCIA. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • DIFERENCIAÇÃO ENTRE AS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO CAMPO E NA CIDADE Espaço rural Atividades do setor terciário, como turismo e lazer, mas principalmente atividades primárias Espaço urbano Atividades do setor secundário e terciário. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Recursos modernos podem ser vistos até mesmo nos lugares mais distantes das grandes capitais. João Prudente / Pulsar Imagens Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva Na fotografia, antena parabólica em casa no município de Carrancas, interior de Minas Gerais (2006).
    • Cidade Show musical no Parque da Cidade de Salvador, BA (2005). Renata Carvalho / Ag. A Tarde / Futura Press “ A cidade é por excelência o lugar do poder administrativo, ele mesmo representativo do sistema econômico, social e político.”
    • O êxodo rural e a urbanização Responsáveis pela expulsão do trabalhador do campo em direção à cidade. Intenso processo de deslocamento da população do campo para as cidades, num período muito curto de tempo. Mecanização agrícola Expansão das grandes propriedades rurais processo de urbanização no Brasil foi consequência da modernização.
    • Vista interna de um shopping center em Recife, Pernambuco, e barracas de camelôs. As características dos espaços de venda de mercadorias podem revelar as desigualdades socioeconômicas das cidades, principalmente em países subdesenvolvidos como o Brasil. Renato Spencer/FC Imagem/AE Bernardo Soares/JC Imagem/AE Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • O crescimento das cidades e o planejamento urbano expansão das cidades no Brasil Não seguiu uma orientação ou planejamento. Um grande número de lotes de terrenos foi ocupado na periferia das cidades. Pela população mais carente, que vê nessas áreas, sem infra-estrutura, a única possibilidade de se estabelecer. A falta de moradia é um dos mais graves problemas das cidades brasileiras, mas também afeta a população que vive no campo. Está diretamente relacionada à baixa renda da maior parte da população e não propriamente à inexistência de moradias. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Bairro de São Mateus, na periferia da cidade de São Paulo, SP (2004). Juca Martins/Olhar Imagem Apesar de serem muito comum nas grandes cidades, as favelas também existem em municípios menores. A maioria se localiza em barrancos e áreas de risco, sem infraestrutura básica, deixando à mostra a desigualdade socioeconômica da qual é resultado. A favela precisa ser integrada à cidade.
      • São necessários projetos para valorizar:
      • o esporte; a cultura; a educação;
      • Além disso, é preciso qualificar profissionalmente os jovens e promover sua inserção no mercado de trabalho, e criar infra-estruturai.
      Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Brasil – Déficit habitacional por unidades da federação (2005) Carlos Tadeu de Carvalho Gamba Fonte: Centro de Estatísticas e Informações. Fundação João Pinheiro, abril de 2007, p. 9. Disponível em: [http://www.fjp.mg.gov.br/produtos/cei/info-cei_deficitbr2005.pdf]. Acesso em: 4 out. 2007. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Favela no Brasil Favela de Heliópolis, em São Paulo, SP (2004). A favela pode ser caracterizada por uma aglomeração de habitações, em sua maioria construídas precariamente, onde há carência de uma série de serviços básicos. Eduardo Knapp / Folha Imagem O processo de favelização no Brasil é uma consequência do modelo de desenvolvimento do país, que concentrou riquezas, excluiu grande parcela da população de seus benefícios e contribuiu para o aumento do desemprego e a perda do poder de compra de boa parte dos trabalhadores. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Urbanização e Metropolização Formação de cidades enormes: essa é uma característica do processo de urbanização de praticamente todos os países subdesenvolvidos, onde a atividade econômica acaba se concentrando em espaços restritos. Marcada por um processo de formação de grandes cidades: as metrópoles Centros de comando da economia e da política, das atividades culturais e de pesquisa. Principal elo com o exterior, em razão de sua força econômica e de sua infra-estrutura diversificada. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro e seus arredores, temos a área mais densamente urbanizada do Brasil, onde vivem aproximadamente 25% da população brasileira e estão concentrados cerca de 60% da produção industrial de todo o país. Eixo Rio-São Paulo e entorno Fonte: Leda Isola e Vera Caldini. Atlas geográfico Saraiva . São Paulo: Saraiva, 2005. p. 32. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Violência - um dos problemas dos centros urbanos A formação de grandes cidades no Brasil foi acompanhada pelo surgimento de graves problemas sociais em razão, principalmente do caráter concentrador e excludente do processo de desenvolvimento do país. Grandes centros urbanos apresentam elevados índices de violência. As áreas mais violentas são as periféricas. Boa parte dos homicídios que ocorrem no país está relacionado ao tráfico de drogas. No eixo Rio-São Paulo e arredores, os índices de morte por homicídios são os mais elevados do país. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Taxas de homicídio por faixa etária no Brasil (1994 e 2004) Fonte: Mapa da violência, 2006 – OEI. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Longe da escola A violência relaciona-se à falta de acesso à educação e à falta de trabalho. À medida que a idade avança, aumenta a evasão escolar e diminuem as chances no mercado de trabalho. Fonte: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), 2005 – IBGE. Mário Yoshida Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Rede urbana Mantêm intenso contato com o exterior, sediando filiais de empresas multinacionais, matrizes de grandes bancos nacionais e de empresas brasileiras de grande porte. Sistema integrado de cidades, por meio de transporte e comunicação. Constituída por cidades de diversos tamanhos, as maiores correspondem às metrópoles. No Brasil, as duas grandes metrópoles que comandam a vida social, econômica e cultural do país são: São Paulo e Rio de Janeiro. Metrópoles globais. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • A cidade de Teresina, no Piauí, é um exemplo de centro regional do Brasil. Edi Vasconcelos/ Futura Press De acordo com a classificação do IBGE, a rede urbana é formada por cidades médias e pequenas. As cidades médias, conforme seu tamanho e os recursos de que dispõem, podem ser classificadas como centros regionais. As cidades menores constituem a base da rede urbana.
    • Ritmo de crescimento urbano Desestimulando as migrações para as metrópoles e estimulando-as para as cidades médias do interior. Nos anos 1990 Alteração no ritmo de crescimento das áreas urbanas brasileiras. Atualmente, as metrópoles estão “saturadas”.
      • Graves problemas sociais;
      • Elevado custo de vida.
      Não têm recebido tantos investimentos do Estado e de empresas privadas nacionais e estrangeiras. São canalizados para o interior dos estados. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • As regiões metropolitanas e a conurbação Crescimento das metrópoles brasileiras + Aumento das cidades situadas em seus arredores = Junção de suas áreas urbanas Processo denominado conurbação. Formou-se, assim, uma imensa área urbana pertencente a municípios diferentes. Em virtude dessa integração, foram criadas as regiões ou áreas metropolitanas. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva
    • Fonte: Atlas Nacional do Brasil . Rio de Janeiro: IBGE, 2000; Atlas geográfico escolar . Rio de Janeiro: IBGE, 2002; Metrópoles em dados – regiões metropolitanas do Brasil, 2006. Disponível em: www.emplasa.sp.gov.br . Acesso em: 5 out. 2007. Parte integrante da obra Geografia homem & espaço , Editora Saraiva