Apresentação Câmara2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apresentação Câmara2

on

  • 2,848 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,848
Views on SlideShare
2,807
Embed Views
41

Actions

Likes
0
Downloads
23
Comments
0

2 Embeds 41

http://tribunapopular.wordpress.com 33
http://www.slideshare.net 8

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Apresentação Câmara2 Apresentação Câmara2 Presentation Transcript

    • PREFEITO Luiz Cabral de Oliveira Filho VICE-PREFEITO José Ivaldo Gomes SECRETÁRIA MUNICIPAL DE SAÚDE Adelaide Maria Caldas Cabral
    • QUEM SOMOS 175.049 POPULAÇÃO TOTAL (Estimativa IBGE- 2007)
    • Estrutura etária da população residente no Cabo de Santo Agostinho segundo ano 2007 Feminino Masculino 2007 0.43 80 e + 0.41 75 a 79 0.63 70 a 74 0.84 65 a 69 1.20 60 a 64 1.39 55 a 59 Idade (em anos) 1.89 50 a 54 2.37 45 a 49 2.98 40 a 44 3.63 35 a 39 Adulto jovem= 17,67% 4.12 30 a 34 4.56 25 a 29 5.36 20 a 24 5.78 15 a 19 Adolescente = 11,08% 5.30 10 a 14 4.93 5a9 5.01 1a4 10 8 6 4 2 0 2 4 6 8 10 Percentual da população Brasil - 2007
    • Distribuição do número de nascidos vivos de residentes, segundo ano de nascimento. Cabo de Santo Agostinho, de 1999 a 2008 3703 3554 3553 3169 3238 3262 3211 3118 2963 2873 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Nº DE NASCIDOS 2,3% - Queda da Taxa de Fecundidade
    • Perfil de Nascimento 2005 % 2006 % 2007 % 2008 % VARIAVEL SEXO 1718 51,54 1611 51,83 1128 45,39 1457 MASCULINO 50,71 1614 48,42 1497 48,16 1068 42,97 1415 FEMININO 49,25 1 0,03 -- -- 289 11,63 ING 1 0,04 TIPO DE GESTAÇÃO 3277 98,31 3049 98,10 2432 97,86 2812 Única 97,88 55 1,65 59 1,89 52 2,09 Dupla 61 2,12 CONSULTAS PRÉ- NATAL 19 2,37 57 1,83 55 2,21 Nenhuma 41 1,48 280 8,40 236 7,59 162 6,52 234 1-3 vezes 8,14 1226 36,78 1052 33,84 837 33,68 1021 4-6 vezes 35,53 1685 50,55 1756 56,49 1416 56,98 1535 7e+ 53,42 63 1,89 7 0,22 15 0,60 Ignorado 42 1,46 PESO AO NASCER ≤ 2499 264 7,92 256 8,23 219 8,81 251 8,7 3069 92,07 2852 91,76 2196 88,37 2622 > 2500 91,3 IDADE DA MÃE 34 1,02 44 1,41 20 0,80 14 29 1,01 835 25,05 788 25,35 607 24,42 667 19 23,21 2292 68,76 2117 68,11 1715 69,01 2002 34 69,68 148 4,44 131 4,21 114 4,58 144 39 5,01 23 0,69 26 0,83 24 0,96 44 29 1,01 1 0,03 2 0,06 5 0,20 49 1 0,03 LOCAL DE OCORRÊNCIA 3324 99,73 3106 99,93 2478 97,86 2870 HOSPITAL 99,99 7 0,21 1 0,03 -- -- DOMICÍLIO 2 0,07 2 0,06 1 0,03 7 0,28 OUTROS 1 0,03 TIPO DE PARTO 1956 58,68 1787 57,49 1413 56,86 1336 VAGINAL 46,5 1374 41,22 1318 42,40 1072 43,14 1536 CESÁRIO 53,46 3 0,09 3 0,09 -- -- NÃO INFORMADO 1 0,03 3333 100 3108 100 2485 100 2873 TOTAL 100
    • REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE Organizando de forma horizontal os serviços de saúde, centrada na atenção básica à saúde, que permite prestar uma assistência contínua a população - no tempo certo, no lugar certo, com o custo certo e com a qualidade certa - se responsabilizando pelos resultados sanitários. Atenção Especializada Atenção Hospitalar (Média Complexidade) ( Alta e média Complexidade) Atenção Básica Elevada complexidade(conhecimentos gerais) Baixa densidade(necessita de pouco equipamento) Intersetorialidade Os sistemas de apoio (RH, FMS) Vigilância à Saúde Instrumento para a transformação dos determinantes de saúde e doença referenciada pelo conceito de território, participação da população e promoção da saúde.
    • Modelo de Atenção à Saúde MODELO SUJEITO OBJETO MEIOS DE FORMAS DE TRABALHO ORGANIZAÇÃO Vigilância Equipe de saúde Danos, riscos, Tecnologias de Políticas públicas da saúde População (cidadãos) necessidades e comunicação saudáveis na Atenção determinantes social, de Ações intersetoriais básica dos modos de planejamento e Intervenções vida e saúde programação específicas (condição de vida local e (promoção, e trabalho) tecnologias prevenção e médico- recuperação) sanitárias Operações sobre problemas e grupos populacionais Modelo Médico Doença Tecnologia médica Rede de serviços de médico saúde Especialização (patologia e outras) (indivíduo) assistencial Hospital Complementariedade Doentes (paramédicos) (clínica e cirurgia) FOCO EM TRÊS EIXOS ESTRUTURANTES FINANCIAMENTO CAPACITAÇÃO INSTRUMENTOS
    • REDE DE SAÚDE MUNICIPAL EQUIPAMENTOS DE SAÚDE 2004 2008 Centros de Saúde 02 02 Unidade Tradicional 03 02 Policlínica 01 01 CAPS 02 03 Residência Terapêutica 0 01 Hospital 01 02 Maternidade 01 01 SPA 04 06 SAMU ( Com 03 Unidades Móveis) 0 01
    • REDE DE SAÚDE MUNICIPAL PSF 34 37 ESB/PSF 09 24 PACS 03 02 CEREST 0 01 Centro de Saúde Herbert de 01 01 Souza Centros de Referência Mulher 02 02 CEO 0 01 Pronto Atendimento 0 01 Odontológico 24 horas Laboratório Municipal 01 01 Equipes Matriciais 0 04 Pólo da Academia da Cidade 0 01 TOTAL 64 94
    • DIRETRIZES DO PACTO PELA SAÚDE – Portaria 699/06 GM/MS PACTO PELA VIDA Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa Manual de Atenção Básica à Saúde da Pessoa Idosa Saúde do Idoso Atenção Diferenciada na Internação Colo de útero: Cobertura de 80% do exame preventivo em 2006 Incentivo à CAF – Cirurgia de Alta Freqüência Controle do câncer de colo de útero e de mama Mama: Ampliar para 60% a cobertura de mamografia Realizar punção em 100% dos casos necessários Reduzir em 5% a mortalidade neonatal Reduzir em 50% os óbitos por diarréia Reduzir em 20% os óbitos por pneumonia Redução da mortalidade infantil e Criação de comitês de vig. do óbito em 80% dos municípios com mais de 80.000 materna habitantes Reduzir em 5% a mortalidade materna Garantir o tratamento das síndromes hipertensiva Controle da dengue Plano de Contingência para municípios prioritários Reduzir para 1% a infestação predial em 30% dos municípios prioritários Eliminação da hanseníase Fortalecimento da capacidade de Atingir menos de 1 caso por 10.000 habitantes nos municípios prioritários resposta às doenças emergentes e endemias, com ênfase na dengue, Controle da tuberculose hanseníase, tuberculose, malária e Atingir pelo menos 85% de cura de casos novos de tb bacilífera diagnosticados a cada ano influenza Controle da malária Reduzir em 15% a Incidência Parasitária Anual na Amazônia Legal Controle da influenza Implantar Plano de Contingência, unidades sentinela e o SIVEP-GRIPE Política Nacional de Promoção da Saúde Promoção da Saúde Atividade física regular, alimentação adequada e combate ao tabagismo Saúde da Família como estratégia prioritária para o fortalecimento da AB Fortalecimento da Atenção Básica
    • Atenção Básica Conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrangem a promoção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico, tratamento e reabilitação. Portaria 648/GM de 28 de março de 2006
    • Política Municipal de Atenção Básica Tem como eixo estruturador a Estratégia Saúde da Família atuando de forma pactuada e integrada com as Unidades de Saúde da Média Complexidade.
    • Estratégia Saúde da Família  Equipes de Saúde da Família Mínima: médico, enfermeiro, aux. enfermagem, ACS Ampliada: cirurgião-dentista, ACD, THD  Localizadas prioritariamente em áreas de maior vulnerabilidade social  Atendem à uma população de um território delimitado  Porta de entrada preferencial dos usuários no sistema de saúde  Buscam resolver os problemas de saúde de maior relevância no território que representa 85% da necessidade da população  Estão vinculadas à uma rede de referência
    • Áreas estratégicas de atuação da Atenção Básica • Eliminação da hanseníase • Modalidade de Controle da tuberculose • Financiamento II Controle da hipertensão arterial •Equipe de Saúde da Família • Controle do diabetes mellitus Recurso repassado • Eliminação da desnutrição infantil R$ 6.000,00/mês por equipe • Saúde da criança •Equipe de Saúde Bucal • Saúde da mulher Recurso repassado R$ 2.450,00/mês por equipe • Saúde do idoso • Saúde bucal •Contra-partida Municipal • Promoção da saúde por equipe R$ 4.140,29
    • Estratégia Saúde da Família  Nºde Equipes = 37 Cobertura = 78,57%  Pessoas atendidas = 128.178 Fonte: (SIAB/IBGE) Loteamento Ilha
    • Mapa da Rede de Saúde PE Juçaral 37 PE Regional IV 101 Regional III CS Pau Santo Santa Rosa Policlínica Jamaci H de Medeiros Pajuçara Alto do Pires Maternidade CS Padre Geraldo Arariba Centro de Referência Maruim Sáude da Mulher II Tapugi Alto dos Índios Sacramento +SPA Alto do Sol Unidade de Saúde da Família Pirapama M angueira C aç ari Sede da SESA Alto da Igreja Santo Estevão Loteamento CAPS Ciranda Engenho Novo CVA CEO Ilha de Vida Liberdade Centro de Referência Mercês Saúde do Adolescente Hospital Infantil Regional I Manuel Vigia CAPS Estação CAPS Estação Cidadania CEO Cidadania Charneca III CAPS Ciranda de Vida CAPS-AD Bela Vista II PACSCS ROCA Herbert de H Souza CEREST PE Charneca II CS Bela VistaI CAPS AD Charneca I 28 Centro de Referência Manuel Gomes Torrinha H Saúde da Mulher I Residência Terapêutica PE Malaquias Academia da Cidade Sapucaia 60 Vicente Mendes-SPA São Francisco I H CEREST Regional II Laboratório Municipal São Francisco IV de Saúde Charnequinha Hospital Mendo Sampaio São Francisco II Rosário Policlínica Jamaci de Medeiros São Francisco III H Itapuama Centro de Saúde CS Maternidade Padre Geraldo Enseada dos corais CMS Conselho Municipal de Saúde Gaibu +SPA CVA CVA Herbert de Souza Suape SPA SPA SAMU PACS C . d e R e f e r ê n c ia S a ú d e CVA d a M u lh e r I C . d e R e f e r ê n c ia S a ú d e CVA d a M u lh e r II CVA C. de Referência Saúde do Adolescente CVA Laboratório Municipal de Saúde
    • CONCURSO PÚBLICO: AMPLIANDO O QUADRO DE RECURSOS HUMANOS NA SAÚDE  Nível superior = 453  Nível Técnico = 481  Total = 934 • Ao final de 2008, temos 69% dos aprovados já contratados. As vagas de nível superior foram preenchidas em 73%, o que representa 333 novos profissionais na rede municipal e as de nível médio em 66%, com a contratação de 316 profissionais. • Novas especialidades médicas: medicina do trabalho, gastroenterologia, geriatria, proctologia , reumatologia, entre outros. • Novos profissionais na rede: educação física, fisioterapia, terapia ocupacional, auditoria, supervisor de auditoria e
    • Alguns Indicadores de Saúde
    • Cobertura vacinal em menor de um ano,segundo tipo de vacinas. Cabo de Santo Agostinho, 2005 a 2008 Meta de cobertura preconizada pelo MS= 95% I Cobertura média geral do município= 98% M U 120 110 100 N 90 80 I 70 60 Z 50 40 30 A 20 10 Ç 0 2005 2006 2007 2008* Ã BCG+BCG COMUN. 116,97 109,94 103,00 101,05 HEP+PENTA+HEXA O 95,09 95,65 98,05 93,88 POLIO+INAT+HEX 95,09 95,65 98,05 93,88 TETR+PENTA+HEX 105,28 103,8 98,38 101,89 ROTAVIRUS-VORH 0,00 41,25 78,73 79,39 FONTE:SIAPI/SMS
    • DE QUE ADOECE O CABENSE HOJE Freqüência de morbidade por causa determinante, 2005 a 2008*, no município do Cabo de Santo Agostinho. Agravos notificado 2005 % 2006 % 2007 % 2008 % CO LERA 1 0.03 0 0.00 0 0.00 0 0.00 0 0.00 0 0.00 1 0.03 0 0.00 FEBRE TIFO IDE TUBERCULO SE 103 3.02 94 2.48 94 2.52 103 4.18 30 0.88 20 0.53 29 0.78 17 0.69 LEPTO SPIRO SE HANSENIASE 157 4.60 141 3.72 161 4.32 145 5.89 1 0.03 0 0.00 0 0.00 0 0.00 TETANO ACIDENTAL M 1 0.03 0 0.00 2 0.05 0 0.00 DIFTERIA 5 0.15 3 0.08 0 0.00 0 0.00 CO UELUCHE Q 21 0.62 4 0.11 11 0.29 2 0.08 SIFILIS CO NG ENITA O 23 0.67 0 0.00 0 0.00 0 0.00 SIFILIS EM ADULTO 0 0.00 0 0.00 37 0.99 19 0.77 SIFILIS EM ADULTO (EXCLUIDA A FO RM PRIM A ARIA) 8 0.23 0 0.00 0 0.00 0 0.00 HERPES G ENITAL R 0 0.00 0 0.00 5 0.13 1 0.04 HERPES G ENITAL (APENAS O PRIM EIRO EPISO DIO) 9 0.26 0 0.00 0 0.00 3 0.12 CO NDILO A ACUM M INADO (VERRUG AS ANO ENITAIS) G B DENG UE 319 9.34 575 15.16 2.156 57.79 1.014 41.19 3 0.09 0 0.00 18 0.48 54 2.19 VARICELA 11 0.32 18 0.47 17 0.46 11 0.45 DO ENCAS EXANTEM ATICAS I 86 2.52 51 1.34 0 0.00 0 0.00 HEPATITE VIRAL 0 0.00 0 0.00 65 1.74 34 1.38 HEPATITES VIRAIS D 0 0.00 0 0.00 0 0.00 1 0.04 M ALARIA 0 0.00 0 0.00 0 0.00 1 0.04 LEISHM ANIO SE VISCERAL 0 0.00 0 0.00 51 1.37 2 0.08 LEISHM ANIO SE TEG UM ENTAR AM ERICANA A 24 0.70 95 2.50 0 0.00 0 0.00 LEISHM ANIO SE TEG UM ENTAR AM ERICANA 1 0.03 3 0.08 0 0.00 0 0.00 DO ENCA DE CHAG AS 0 0.00 0 0.00 1 0.03 0 0.00 D DO ENCA DE CHAG AS AG UDA 108 3.16 71 1.87 72 1.93 0 0.00 ESQ UISTO SSO O M SE 0 0.00 0 0.00 1 0.03 3 0.12 TRANSTO RNO M ENTAL E M ENING ITE 66 1.93 58 1.53 95 2.55 132 5.36 0 0.00 1 0.03 0 0.00 0 0.00 SINDRO E RESPIRATO M RIA AGUDA 0 0.00 0 0.00 0 0.00 5 0.20 DERM ATO SES O CUPACIO NAIS 4 0.12 0 0.00 0 0.00 0 0.00 SINDRO E DA ULCERA G M ENITAL 595 17.43 318 8.38 0 0.00 0 0.00 SINDRO E DO CO M RRIM ENTO CERVICAL 0 0.00 0 0.00 280 7.50 178 7.23 SINDRO E DO CO M RRIM ENTO CERVICAL EM M ULHERES 1 0.03 0 0.00 8 0.21 10 0.41 SIFILIS EM G ESTANTE 1 0.03 0 0.00 0 0.00 0 0.00 G ESTANTE C/ RUBEO LA E/O SINDR. RUBEO U LA CO NG ENITA 11 0.32 19 0.50 0 0.00 0 0.00 SINDRO E DO CO M RRIM ENTO URETRAL 0 0.00 0 0.00 17 0.46 9 0.37 SINDRO E DO CO M RRIM ENTO URETRAL EM HO EM M 0 0.00 0 0.00 25 0.67 10 0.41 INTO XICACAO EXO ENAG ATENDIM ENTO ANTI-RABICO 652 19.10 652 17.19 527 14.12 609 24.74 0 0.00 0 0.00 42 1.13 22 0.89 ACIDENTE PO ANIM R AIS PECO NHENTO S 10 0.29 52 1.37 0 0.00 0 0.00 ACIDENTES ANIM AIS PECO NHENTO S 0 0.00 0 0.00 0 0.00 13 0.53 VIO LENCIA DO ESTICA, SEXUAL E/O O M U UTRAS VIO LENCIAS 0 0.00 0 0.00 1 0.03 0 0.00 ACIDENTE DE TRABALHO G RAVE 0 0.00 0 0.00 1 0.03 0 0.00 ACIDENTE DE TRABALHO CO EXPO M SICAO A MATERIAL BIO LO ICO G 0 0.00 0 0.00 5 0.13 1 0.04 G ESTANTE HIV 0 0.00 1 0.03 0 0.00 0 0.00 G ESTANTE HIV E CRIANCAS EXPO STAS 0 0.00 0 0.00 8 0.21 55 2.23 LER DO RT TO TAL 3.414 100.00 3.793 100.00 3.731 100.00 2.462 100.00 FONTE: SINAN/SMS
    • Mortalidade Geral POR GRANDE GRUPO DE CAUSA – CID 10 • As doenças do Aparelho circulatório: 31,52% • As causas externas: 22,28% • As doenças do aparelho respiratório: 9,42% • Neoplasias: 9,15 (câncer de mama maior %) POR CAUSA DETERMINANTE – CID 10 • Homicídio: 14,16 % • Doenças cerebrovasculares: 8,88% • Doenças hipertensivas: 8,64% • Infarto agudo do miocárdio 6,46%
    • TMI – BRASIL, PE E CABO DE SANTO AGOSTINHO 2008* sujeito a modificações
    • IMPACTOS POSITIVOS NA SAÚDE DA POPULAÇÃO PRINCIPAIS RESULTADOS ENTRE 2004 E 2007 • Para a Mortalidade Infantil uma REDUÇÃO: De 11% na Taxa de mortalidade infantil (TMI) por 1000 NV De 39% na Mortalidade proporcional por Doenças diarréicas agudas (DDA) em menores de 5 anos De 49% na Mortalidade proporcional por Infecção respiratória aguda (IRA) em menores de 5 anos (Fonte: Sistema de Informação de Mortalidade/ SUS) • Para as internações uma REDUÇÃO: De 18% na Taxa de Internação por Infecção respiratória aguda em menores de 5 anos De 44% na Taxa de Internação por Diarréia aguda em menores de 5 anos De 18% na Taxa de Internação por Acidente Vascular Cerebral na população com 40 anos e mais De 23% na Taxa de Internação por Diabetes mellitus na população com 40 anos e mais (Fonte: Sistema de Informação Ambulatorial/ SUS)
    • Gráfico da distribuição de consultas especializadas realizadas no município do Cabo entre os anos de 2003 a 2008 80,000 70,000 60,000 50,000 40,000 30,000 20,000 10,000 0 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Fonte: SIA/MS
    • INVESTIMENTO DA GESTÃO MUNICIPAL EM SAÚDE
    • Percentual de Recursos Próprios Aplicados na Saúde 25 21.65 21.36 20.72 20 16.96 16.6 14.28 15 13.99 11 9.98 10 5 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
    • Despesa total com saúde 70,000,000.00 59,935,297.25 60,000,000.00 48,275,200.34 50,000,000.00 43,245,235.47 40,000,000.00 33,571,186.53 30,000,000.00 25,884,959.71 23,748,184.57 19,840,161.61 20,000,000.00 16,011,122.02 13,875,503.11 10,000,000.00 0.00 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
    • Relação de Valores gastos com Obras e Serviços de Manutenção Realizados nas Unidades de Saúde dos anos de 2005 a 2008 ESPECIFICAÇÃO Total HOSPITAL INFANTIL 1.280.260,80 POLICLINA JAMACI DE MEDEIROS 58.278,80 MANOEL GOMES 61.088,26 HOSPITAL MENDO SAMPAIO 318.666,60 ACADEMIA DA CIDADE 588.154,43 CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS - CEO 49.766,99 LABORATORIO DE CITOLOGIA 4.000,00 PSF ALTO BELA VISTA 29.810,65 PSF - CAÇARI 125.920,75 PSF - ROSÁRIO 3.818,46 PSF - ENG. NOVO 14.583,13 PSF - SAPUCAIA 5.083,05 PSF - ITAPUAMA 10.142,26 PSF - V.S.CM Pacs 35.314,06 POSTO DE SAÚDE SUAPE 14.784,69 PSF - ARARIBA 4.500,00 SPA SACRAMENTO 159.336,71 MATERNIDADE PADRE GERALDO 65.037,48 CENTRO DE SAÚDE VICENTE MENDES 54.033,93 SAMU 231.584,24 CAPS - ADS 59.593,99 CEREST 41.033,88 LABORATORIO MUNICIPAL 684.868,94 CENTRO DE VIGILÊNCIA AMBIENTAL - CVA 16.152,21 SPA GAIBU 207.269,27 VALO R TOTAL 4.123.083,58 Fonte: FMS
    • Despesas com Medicamentos e outros Insumos Hospitalares INSUMO 2004 2005 2006 2007 2008 MEDICAMENTO 1.543.705,57 3.290.217,79 2.924.576,52 2.296.420,99 3.134.606,38 MATERIAL MÉDICO HOSPITALAR 1.411.814,07 1.399.642,51 1.514.200,05 1.483.993,30 1.862.406,91 MATERIAL ODONTOLÓGICO * 80.897,20 149.529,74 106.081,73 207.485,53 MATERIAL DE LABORATÓRIO * 791.266,88 527.643,90 553.214,23 804.902,56 TOTAL 2.955.519,64 5.562.024,38 5.115.950,21 4.439.710,25 6.009.401,38 * AS INFORMAÇÕES DE MATERIAL ODONTOLÓGICO, MATERIAL MÉDICO E LABORATORIAL DO ANO DE 2004, ESTÃO JUNTAS.
    • A Situação da Estrutura física de algumas Unidades de Saúde em 2004 e a partir de 2005
    • Média Complexidade
    • Hospital Infantil
    • HOSPITAL INFANTIL  Leitos:  Estabilização = 02  Atendimento urgências e  03 enfermarias = 06 emergências  09 enfermarias = 27  Internamento Clínico e  Isolamento = 01 Cirúrgico  Serviço de USG e Raio X  RPA = 02  Nebulização  Posto de coleta  Atendimento de 0 a 13 anos  Ambulatórios: 11 meses e 29 dias  Isolamento  Lactário  Neurologia  Bloco cirúrgico  Pneumologia  Endocrinologia Média de 200 Cirurgia geral atendimentos-dia Fisioterapia
    • Hospital Mendo Sampaio – Média de 350 atendimentos dia Serviço de referência para o Cabo de Santo Agostinho e também outros municípios da região nas áreas de urgência/emergência, consultas especializadas, internações em clínica médica, ginecologia/obstetrícia e cirurgia eletiva, serviço de radiodiagnóstico, Centro Cirúrgico, serviço de colonoscopia e o atendimento em urgência/emergência odontológica 24hs.
    • HOSPITAL MENDO SAMPAIO Serviços 2004 2008 Ofertados Média de 200 350 Atendimento- dia Nº de Leitos de 14 0 Pediatria Nº de Leitos de 12 20 Clínica Médica Nº de Leitos de 0 04 Clínica Cirúrgica Nº de Leitos de 06 14 Obstretícia Nº de Leitos de 03 03 Expectação
    • Hospital Mendo Sampaio em 2004
    • Hospital Mendo Sampaio em 2004
    • Hospital Mendo Sampaio Hoje
    • Hospital Mendo Sampaio Hoje
    • HOSPITAL MENDO SAMPAIO As enfermarias também foram readequadas Bloco cirúrgico totalmente reformado.
    • Maternidade Padre Geraldo Funcionando no mesmo espaço que o Hospital Mendo Sampaio, tem média de 600 atendimentos mensais  02 Reformas  Leitos:  01 externa e uma parte interna  Recursos do TM  Obstetrícia = 16  Recursos do MS  Expectação = 03  Berçário  Escorpiões  Intermediário = 06  Central de Leitos de Obstetrícia  Lactário  Projeto Nascer - Evitar  Bloco Cirúrgico transmissãoda Aids e sífilis de mãe para filho e  Salas = 03 Teste rápido anti-hiv e nos casos de aborto
    • MATERNIDADE PADRE GERALDO Hoje
    • Serviço de Pronto Atendimento José Antônio de Lima (Gaibu) Inaugurado em 25/08/06  PSF: 02 Consultórios, Salas de Curativo, Vacina, Odontologia, Farmácia, Esterelização  SPA:  Posto de enfermagem  Sala de observação – 04 leitos  Sala de estabilização  Nebulização  Repouso dos profissionais  CME  Expurgo  Necrotério  Consultório  Curativo
    • Serviço de Pronto Atendimento José Antônio de Lima (Gaibu)
    • Serviço de Pronto Atendimento José Pedro Xavier - Sacramento  Reformado em 2008 Reforma  PSF- 02 Consultórios, Salas de Curativo, Vacina, Odontologia, Escovódromo, Farmácia, Esterelização  SPA  Posto de enfermagem  Sala de observação – 04 leitos  Sala de estabilização  Repouso dos profissionais  CME  Expurgo  Necrotério  Consultório
    • SPA Sacramento antes de 2005
    • SPA E PSFSacramento Hoje
    • POLICLÍNICA JAMACI DE MEDEIROS Reforma:  Reforma do Bloco cirúrgico (pequenas cirurgias)  Climatização das enfermarias da emergência  Otimização da estrutura física do posto de coleta  Reestruturação da farmácia  Equipe de acolhimento (enfermagem e serviço social)  Aumento do quantitativo de RH Média de 200 atendimentos/dia Serviços Oferecidos: •Especialidades médicas em: Psiquiatria, Ortopedia, Endoscopia, Neurologia, Cardiologia, Endocrinologia e Médico Cirurgião. Ambulatório com nutricionista
    • POLICLÍNICA JAMACI DE MEDEIROS
    • CENTRO DE SAÚDE MANUEL GOMES Média de 250 atendimento/dia  Reforma / Readequação física  Readequação da farmácia  Aquisição de novos equipamentos
    • CENTRO DE SAÚDE MANUEL GOMES
    • CENTRO DE SAÚDE HERBERT DE SOUZA  Reforma / Readequação física  Readequação da farmácia; Aquisição de equipamentos modernos que permitem maior agilidade para os usuários na liberação de exames de diagnóstico de HIV CTA - Herbert de Souza totalmente reformado e com novos equipamentos para diagnóstico
    • CENTRO DE SAÚDE HERBERT DE SOUZA
    • SPA e Centro de Saúde Dr. Vicente Mendes (COHAB) Reforma  Adequação da sala de espera (ventilação)  Repouso dos profissionais  Otimização da estrutura física da farmácia  Pintura geral  Adequação da sala de nebulização  Adequação do CME
    • SPA e Centro de Saúde Dr. Vicente Mendes (COHAB) Hoje
    • Laboratório Municipal  Construção  Hematologia / Bioquimica / Sorologia  Microscopia  Bacteriologia  Parasitologia/Urinase  Tuberculose/Hanseníase  Citologia  Coleta infantil / adulto  CME  Expurgo  Sala de reunião  Repouso Incremento no número de exames
    • PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA  Reformas  Aquisição de equipamentos diversos  Capacitações contínuas dos profissionais  Implementação de protocolos de assistência.
    • PSF CAÇARI ANTES 2005
    • PSF CAÇARI Hoje
    • PSF BELA VISTA II Hoje
    • Unidade de Saúde da Família Prof. Benedito Engenho Novo - Implantação 2008
    • PSF ENSEADA DOS CORAIS IMPLANTAÇÃO EM 2006
    • Algumas Ações da Saúde
    • SAMU 192: 24 HORAS A SERVIÇO DA POPULAÇÃO • Dispõe de 3 viaturas móveis, sendo 1 de suporte avançado (UTI móvel) e 2 unidades de suporte básico para o atendimento a casos de acidentes de trânsito, doenças clínicas emergenciais como infarto, convulsão, desmaio, pacientes vítimas de transtorno mental e remoções inter-hospitalares. A equipe é composta de 8 médicos, 8 enfermeiros, 24 técnicos de enfermagem, 20 condutores socorristas e 3 auxiliares de higienização. • Dentro da região metropolitana coberta por SAMU, composta por 15 municípios, o SAMU do Cabo é referência em qualidade assistencial, sendo o único serviço no Nordeste capacitado a realizar resgate e salvamento em alturas e salvamento aquático.
    • SAMU 192: 24 HORAS A SERVIÇO DA POPULAÇÃO
    • REGULAÇÃO: CONTRIBUINDO PARA O ACESSO • A Central de Regulação vem estruturando uma melhor organização desse acesso, de forma a adequar a oferta de serviços às necessidades da Central de Regulação operando com o SISREG. população e garantir a continuidade do atendimento ao usuário em sua necessidade de saúde. • Para isso a população do Cabo de Santo Agostinho conta com um serviço de marcação informatizado e ligado a internet (SISREG – Sistema de Regulação), onde sua consulta é agendada na própria unidade básica de saúde mais próxima de sua residência, sem necessidade de grandes deslocamentos.
    • AMPLIANDO O ACESSO E ESPECIALIZANDO A SAÚDE BUCAL CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS Possui quatro consultórios odontológicos, recepção climatizada, central de esterilização de material, copa e dois banheiros. O centro oferece serviços especializados nas áreas de endodontia (tratamento de canal), periodontia (tratamento das gengivas), odontopediatria, cirurgia oral, atendimento a pacientes com necessidades especiais e diagnóstico de lesões bucais com ênfase no diagnóstico de câncer bucal.
    • AMPLIANDO O ACESSO E ESPECIALIZANDO A SAÚDE BUCAL SERVIÇO DE PRONTO ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO 24 HORAS Implantado no Hospital Mendo Sampaio, o serviço presta atendimento às urgências odontológicas de domingo a domingo tanto no período diurno quanto noturno. A equipe é composta por sete cirurgiões- dentistas plantonistas e sete auxiliares de consultório dentário.
    • AMPLIANDO O ACESSO E ESPECIALIZANDO A SAÚDE BUCAL Ações Especializadas em Odontologia, Cabo de Santo Agostinho 9468 10000 8000 4528 4503 4444 6000 4000 2000 0 2004 2005 2006 2007 Ação Coletiva Escovação Dental Supervisionada, Cabo de Santo Agostinho 36989 40000 30000 20000 2868 10000 0 0 2005 2006 2007 Ações junto às Escolas com distribuição de kits de higiene dental e orientações aos alunos e professores.
    • CUIDADO INTEGRAL NA SAÚDE MENTAL • Implantado o Centro de Atenção Psicossocial – álcool e drogas (CAPS – AD) Pr. Armando José da Silva, além dos 2 CAPS já existentes (um para o atendimento da população infantil e o outro para população adulta acima dos 18 anos) e do Ambulatório em saúde Mental (com 3 psicólogos e 3 psiquiatras); • 4 equipes de apoio matricial em saúde mental, uma para cada Regional Político Administrativa do município. Cada Equipe O CAPS-AD possui ambientes tranqüilos e agradáveis é formada por 01 Psicólogo, 01 Assistente Social, 01 Terapeuta Ocupacional e 01 Arte-Educador.; • 1 residência terapêutica (06 residentes). As Residências Terapêuticas garantem bem-estar e dignidade aos usuários
    • APOSTANDO NA DESCENTRALIZAÇÃO DAS AÇÕES DE DST/AIDS • Descentralização da coleta de sangue para realização dos exames de diagnóstico do HIV às pessoas com tuberculose e gestantes (5 novos postos de coleta); • Implementação do Projeto Nascer na Maternidade Padre Geraldo Leite Bastos, garantindo no pré-parto a realização da testagem rápida para HIV e para sífilis nas No carnaval é intensificada a distribuição de gestantes ; preservativos nos principais pólos de animação. • aumento da cobertura das ações de prevenção para populações consideradas mais vulneráveis; • Campanhas de prevenção às DST/ Aids Parcerias importantes foram estabelecidas com a Secretaria de Promoção Social e Associações.
    • ACADEMIA DA CIDADE: PROMOVENDO SAÚDE E LAZER • Práticas Corporais, Atividades Físicas e orientações para uma Alimentação Saudável. • A equipe de trabalho é composta por profissionais de Educação Física, de Nutrição e estagiários em ambas as áreas. • Atividades: orientação à caminhada; aulas de alongamento e ginástica; avaliação física e avaliação e orientação nutricional.
    • ENFRENTANDO A TUBERCULOSE E A HANSENÍASE • Elaboração da Política Municipal de Tuberculose • Capacitações envolvendo os diversos níveis de profissionais da rede • de ações educativas em áreas descobertas, indústrias, escolas, Reuniões com profissionais da rede de Saúde FUNDAC e praças • Descentralização e implantação do Programa de Controle da Tuberculose e do Programa de Erradicação da Hanseníase em 100% das USF • Implantação da busca e do registro do Capacitação para detecção da Tuberculose (PPD) Sintomático Respiratório em 100% das USF • Implantação da Estratégia do Tratamento Supervisionado da Tuberculose (DOTS) em 100% das USF e na Unidade de Referência Ação de conscientização sobre a Hanseníase e Tuberculose com dramatização em via pública
    • O CUIDADO COM A SAÚDE DA MULHER • Ampliação da oferta e da diversidade de contraceptivos • Implantação do Comitê de Mortalidade Materna • Ampliação da oferta de exames especializados e garantia da entrega dos resultados da prevenção com menos de 30 dias • Capacitações para todos os profissionais de saúde que realizam a coleta da prevenção • Sensibilização das mulheres para promoção do auto-exame de mama • Ampliação do número de consultas semanais para o pré- natal de alto risco nas duas referências de saúde da mulher, além de consulta em mastologia e pequenas cirurgias de mama
    • ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA E ADOLESCENTE • Capacitações específicas na promoção do aleitamento materno exclusivo; • Atualização em imunização para enfermeiros e técnicos de enfermagem; • Implantação do Protocolo de Saúde da Criança para atenção básica; • Implantação do Comitê Municipal de Mortalidade Infantil; • Implantação da coleta de sangue para Triagem Neonatal (Teste do Pezinho) que é realizado na Maternidade Padre Geraldo Leite Bastos; • Implantação do Plano Operacional Case-Cabo (FUNDAC), realizando ações de promoção e prevenção, e a garantia de medicamentos para os adolescentes desta unidade.
    • VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL • Política Municipal de Vigilância Alimentar e Nutricional • Estímulo à avaliação rotineira do estado nutricional da população • Auxílio na operacionalização dos programas governamentais no combate as principais carências nutricionais • Capacitação de equipes e usuários na promoção da alimentação saudável
    • SOMANDO ARTE E EDUCAÇÃO À SAÚDE • A Coordenação de Saúde, Arte e Educação – Sarte tem atuado como apoio institucional junto às demais coordenações da Atenção Básica e junto às Equipes de Saúde da Família no desenvolvimento dos trabalhos de Educação Popular em Saúde no município A adesão dos profissionais às atividades de Saúde, Arte e Educação é muito abrangente no município. Grupos de usuários participando de evento de Premiação para profissionais que participaram de promoção à saúde. Atividade de educação em saúde.
    • INTEGRANDO AS AÇÕES DE VIGILÂNCIA À SAÚDE VIGILÂNCIA AMBIENTAL: Fortalecendo as ações de controle Dia D contra a dengue. No Pólo Academia da Cidade e no • Emprego de novas tecnologias para o controle Mercadão. biológico da dengue (junto ao Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães - FIOCRUZ do Recife ) • Intensificação das ações no combate ao mosquito com maior rapidez no bloqueio de casos, estratégias para maior cobertura de visita aos imóveis, além de ações em áreas não cobertas pelo Programa de Controle da Dengue • Redução dos índices de infestação • Implantação do Comitê Municipal de Controle da Dengue • Campanhas semestrais de vacinação animal atingindo a meta de mais de 80% dos animais vacinados, conforme preconiza o Ministério da Saúde • Prêmio de Experiência Bem Sucedida, no Congresso Nacional de Saúde Pública Veterinária (realizado em Fortaleza – 2007) referente ao trabalho de controle da Equistossomose no Engenho Cajabuçu
    • INTEGRANDO AS AÇÕES DE VIGILÂNCIA À SAÚDE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COM ÊNFASE NO MONITORAMENTO • Ampliação das ações de vigilância aos casos de acidentes e violência • Implantado o Núcleo de Controle e Vigilância à Violência e Acidentes • Sistema VIDA de monitoramento funcionando para as notificações de atendimentos dos casos de violência e acidentes no município
    • INTEGRANDO AS AÇÕES DE VIGILÂNCIA À SAÚDE CEREST Um Novo Olhar para a Saúde do Trabalhador  Promoção, assistência e vigilância à saúde do trabalhador  Referência a Saúde do Trabalhador de 16 municípios do Estado de Pernambuco
    • O CONTROLE SOCIAL FORTALECENDO A PARTICIPAÇÃO POPULAR • De 2006 a 2008 as 42 reuniões ordinárias e as 32 reuniões extraordinárias acontecidas demonstram um espaço democrático de discussão de todas as políticas propostas e implementadas pela Secretaria de Saúde • Em maio de 2006 foi realizada a VI Conferência Municipal de Saúde (precedida por 04 pré-conferências), com a participação Foram realizadas Conferências Municipais de Saúde, I Seminário de Ouvidoria, Audiências de aproximadamente 450 pessoas Públicas entre outras atividades que estimulam a participação popular e o controle social. • I Conferência Municipal em Gestão do Trabalho e I Conferência em Saúde do Trabalhador • Em execução o projeto que prevê a implantação dos Conselhos Locais de Saúde onde aconteceu, no primeiro momento, um Curso de Formação em Controle Social com a capacitação de 85 entidades da sociedade civil organizada e a reeleição do Conselho de Pontezinha O Conselho Municipal de Saúde manteve-se atuante e vigilante durante todo tempo, com uma agenda • Eleição para presidente do Conselho permanente de reuniões sempre pautando o atendimento das necessidades da população. Municipal
    • Ações de Manutenção das Unidades de Saúde em Andamento
    • Unidades de Saúde da Família que foram solicitadas Desapropriação do Imóvel. Projeto arquitetônico pronto aguardando a aquisição. USF PAJUÇARA USF CHARNECA III USF BELA VISTA I e II USF ALTO DOS ÍNDIOS USF SÃO FRANCISCO I USF SANTO ESTÊVÃO USF LOTEAMENTO ILHA USF PIRAPAMA Unidades de Saúde da Família que foram solicitados início dos procedimentos de reforma (Projeto arquitetônico) USF SÃO FRANCISCO II e III USF MERCÊS USF JUÇARAL
    • Processo Licitatório na modalidade Carta Convite para manutenção emergencial das seguintes Unidades: •PSF Maruim •PSF Bela Vista II •PSF Charneca III •PSF Pajuçara •PSF Alto dos Índios •PSF Mercês •PSF Charnequinha •Hospital Infantil
    • •Processo Licitatório na modalidade Tomada de Preço para manutenção emergencial do Hospital Mendo Sampaio •Processo Licitatório para manutenção das Unidades de Saúde para o ano de 2009.
    • OBRIGADO!!!