Diagramas de casos de uso - aula 2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Diagramas de casos de uso - aula 2

  • 3,220 views
Uploaded on

Aula 2 sobre diagramas de caso de uso, revisando brevemente os conceitos de UML, ao final da aula o aluno deverá estar capacitado para escrever diagramas de caso de uso iniciais. Nas aula 3......

Aula 2 sobre diagramas de caso de uso, revisando brevemente os conceitos de UML, ao final da aula o aluno deverá estar capacitado para escrever diagramas de caso de uso iniciais. Nas aula 3 aprofundaremos nos relacionamentos entre casos de uso e construção de diagramas mais complexos

More in: Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
3,220
On Slideshare
3,220
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
91
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. DIAGRAMAS UML Diagramas de Caso de Uso (Use Case)
  • 2. AGENDA  Revisão UML  Definição  Motivação  Objetivo  Diagramas  Diagrama de Caso de Uso  Conceitos  Componentes  Associações  Exemplos  Exercício 2
  • 3. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE  Uma linguagem para visualização, especificação, construção e documentação de artefatos de um software em desenvolvimento.  Notação independente de processos 3
  • 4. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE  Motivação  Enumerar as etapas mais importantes do software  Facilitar a especificação dos requisitos do software  Padronização para facilitar a comunicação entre os Analistas de Requisitos e Desenvolvedores  Criação de modelo independente de implementação 4
  • 5. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE 5
  • 6. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE  Objetivo  Auxiliar na especificação  Documentação  Visualização lógica do desenvolvimento  Disponibilizar vários tipos de diagramas para descrição do sistema 6
  • 7. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE  Diagramas  Estáticos  Dinâmicos  Funcional 7 Diagrama de Classes Diagrama de Objetos Diagrama de Casos de Uso
  • 8. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE  Diagramas  Estáticos  Dinâmicos  Funcional 8 Diagrama de Estados Diagrama de Sequencia Diagrama de Colaboração Diagrama de Atividades
  • 9. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE  Diagramas  Estáticos  Dinâmicos  Funcional 9 Diagrama de Componentes Diagrama de Execução
  • 10. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE 10
  • 11. UML - UNIFIED MODELING LANGUAGE  Diagramas  Estáticos  Dinâmicos  Funcional 11 Diagrama de Classes Diagrama de Objetos Diagrama de Casos de Uso
  • 12. CONCEITOS  Use Case é uma técnica de modelagem utilizada para descrever o que um sistema deverá fazer ou o que um sistema existente já faz.  Este modelo é construído através de um processo de discussões entre os desenvolvedores e usuários. 12
  • 13. CONCEITOS  Os componentes primários de um modelo use case são os :  use cases  atores (actors)  sistema modelado  Nota: As fronteiras do sistema são definidas pela funcionalidade que é tratada pelo sistema. A funcionalidade é representada por um número de use cases e cada um deve especificar uma funcionalidade completa. 13 U s u á r io P o lí t ic a d e a s s in a t u r a
  • 14. CONCEITOS  Um use case deve sempre entregar algum valor para o ator, geralmente o que o mesmo está esperando do sistema.  O ator, de forma geral, é o homem usuário do sistema, mas pode ser outro sistema ou algum tipo de hardware que precise interagir com o sistema. 14
  • 15. CONCEITOS  Na modelagem o sistema é tratado como uma caixa preta, dentro do qual estão os casos de uso. 15 Sistema U s u á r io C o n s u lt a r p r o d u t o s E f e t u a r V e n d a s C a d a s t r o d e C lie n t e s U s u á r io V e n d e d o r
  • 16. CONCEITOS  O modelo use case representa a visão do sistema. Esta visão é muito importante uma vez que esta pode afetar todas outras visões do sistema. 16
  • 17. DIAGRAMA DE USE CASE  Um modelo use case é descrito como um “diagrama use case” e este modelo pode ser dividido em um número de diagramas de use case.  Os diagramas de use case possuem relacionamentos entre si como especialização, agregação, associação, etc. 17
  • 18. DIAGRAMA DE USE CASE  Exemplo 18
  • 19. PARTES COMPONENTES  Sistema  Parte do modelo use case, que define os limites do sistema desenvolvido. Pode ser um negócio ou uma máquina. 19 Sua representação gráfica é uma caixa, onde o nome do sistema aparece em sua parte superior. ControleEstoque
  • 20. PARTES COMPONENTES  Atores  Parte do modelo use case, que define os elementos responsáveis pela interação com o sistema, enviando ou recebendo mensagens. 20 Cabe notar que o ator não é a instância, mas a classe. Não representa a pessoa, mas o papel que a mesma desempenha no sistema. U s u á r io
  • 21. PARTES COMPONENTES  Atores  Uma pessoa pode ser diferentes atores em um sistema (é bom entender o conceito de ator como “papel desempenhado”). 21 O papel de cada ator pode ser limitado por regras (roles) impostas pelo sistema. Geralmente o nome do ator está relacionado com estas regras. U s u á r io < < a c to r > > U s u a r io d o s is te m a
  • 22. PARTES COMPONENTES  Use case  Representa a funcionalidade percebida por um ator. É um conjunto de sequências de ações que um sistema desenvolve para um determinado ator (papel). 22 Podem envolver comunicação com outros atores bem como operações dentro do sistema. U s u á r io CadastrarCliente
  • 23. PARTES COMPONENTES  Use case  Características:  é sempre inicializada por um ator  sempre devolve um valor para um ator  possui descrição completa e podem se relacionar entre si  Como descobrir use cases:  Que funções o ator necessita do sistema?  O ator precisa ler, criar, modificar, destruir algum tipo de informação do sistema?  O ator deve ser notificado sobre eventos do sistema? O que estes tem a ver com sua funcionalidade?  Que tipo de i/o o sistema precisa? De onde e para onde vai? 23
  • 24. PARTES COMPONENTES  Use case  A representação de um diagrama de use case contém os diversos use cases de um sistema. 24 U s u á r io C o n s u lt a r p r o d u t o s E f e t u a r V e n d a s C a d a s t r o d e C lie n t e s U s u á r io V e n d e d o r Sistema de Vendas
  • 25. PARTES COMPONENTES  Identificando atores:  Identificando os atores, estabelecemos quais entidades estão interessadas em interagir com o sistema. Isto pode ser descoberto perguntando-se:  Quem utilizará as principais funcionalidades do sistema?  Quem precisará do sistema para tarefas diárias?  Quem precisará manter e administrar o sistema, mantendo- o funcional?  Que dispositivos de hw o sistema necessitará manipular?  Que outros sistemas este precisará manipular?  A quem interessará os resultados que o sistema produzir? 25
  • 26. ASSOCIAÇÕES DE CASOS DE USO  Inclusão  Ocorre quando há uma parte do comportamento que é semelhante em mais de um caso de uso. 26
  • 27. ASSOCIAÇÕES DE CASOS DE USO  Generalização  Ocorre quando um caso de uso possui funcionalidades adicionais a um já existente (o conceito de herança é valido para use-case, também). 27
  • 28. ASSOCIAÇÕES DE CASOS DE USO  Extensão  Semelhante à generalização. O caso de uso estendido pode acrescentar comportamentos para o caso de uso- base, declarando os “pontos de extensão” e o caso de uso de extensão pode acrescentar comportamento adicional somente nos pontos de extensão. 28
  • 29. EXEMPLO  Sistema de compras 29 C o m p r a d o r V e r p r e ç o C o m p r a r p r o d u t o n a c io n a l < < in c lu d e > > C o m p r a r p r o d u t o I m p o r t a d o C o n v e r t e r M o e d a V e r p r e ç o e m R e a l < < in c lu d e > > < < in c lu d e > > Ver preço em Real é comparar preços de diversos distribuidores cujos valores estão em moeda estrangeira, o que necessariamente implica ainda na conversão entre moedas. Ver preço é comparar preços de diversos distribuidores cujos valores estão em moeda corrente
  • 30. CASOS DE USO  Casos de uso do negócio  Representa como a aplicação responde ao cliente ou a um evento externo. Trata o sistema como uma “caixa preta”, ocultando suas funções internas.  Casos de uso do sistema  Representa a interação com o software. Esta deve satisfazer cada situação (use case) pertencente aos casos de uso do negócio.  De forma geral, podem ser elaborados um conjunto de casos de uso de sistema para cada caso de uso de negócio identificado. 30
  • 31. CASOS DE USO  Casos de uso do negócio e de sistema 31 Usuário Consultar produtos EfetuarVendas Cadastrar Clientes UsuárioVendedor Sistema de Vendas Calcular nr de CPF Conferir preenchimento do formulário e inserir no banco de dados ValidaçãoCliente Negócio Sistema Calcular Total Pedido Preecher formulário da nota fiscal ValidaçãoPedido Sistema
  • 32. EXEMPLO – ESPAÇO FÍSICO - UFBA  Problema: Organização e utilização do espaço físico da UFBA para eventos. Salas Reservadas para mais de 1 evento no mesmo dia. Problema de calendário para seminários SisBic. 32
  • 33. EXEMPLO – ESPAÇO FÍSICO UFBA 33
  • 34. EXEMPLO – ESPAÇO FÍSICO UFBA 34
  • 35. EXERCÍCIOS Da entrevista com o responsável da biblioteca de uma universidade resultou a seguinte descrição para um novo sistema: “A atividade da biblioteca centra-se principalmente no empréstimo de publicações pelos alunos da universidade. O empréstimo é registrado pelos funcionários da biblioteca, que também consultam diariamente os empréstimos cujos prazos foram ultrapassados. Todo este processo é efetuado manualmente, sendo muito ineficiente. Espera-se que o novo sistema resolva esta situação. Os alunos necessitam de pesquisar os livros existentes na biblioteca. Caso um livro esteja requisitado é mostrada a data esperada de entrega”. 35