Your SlideShare is downloading. ×
0
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Palestra - Desajustes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Palestra - Desajustes

287

Published on

Apresentada no dia 22/07/2012.

Apresentada no dia 22/07/2012.

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
287
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • Desvelam-se empeços dos cônjuges no ramerrão do cotidiano. Conflitos, moléstias, desníveis, falhas de formação e temperamento.
  • adj. Que perdoa facilmente; tolerante.
  • Quando você escolhe ser desajustado, automaticamente, você escolheu também deixar de ser ajustado.
  • Desvelam-se empeços dos cônjuges no ramerrão do cotidiano. Conflitos, moléstias, desníveis, falhas de formação e temperamento.
  • Muitas vezes é a mulher que quer acreditar
  • Desvelam-se empeços dos cônjuges no ramerrão do cotidiano. Conflitos, moléstias, desníveis, falhas de formação e temperamento.
  • Continua-se a buscar o amor romântitco, talvez isso seja um problema? Ou leve a problemas futuramente.
  • Com o matrimônio.
  • Desvelam-se empeços dos cônjuges no ramerrão do cotidiano. Conflitos, moléstias, desníveis, falhas de formação e temperamento.
  • É uma viagem em que nós escolhemos a companhia que estará ao nosso lado.
  • A viagem pode ser diferente em outros casos... Em que tudo corre bem! Por merecimento, principalmente.
  • Mesmo que o navio do relacionamento não afunde, é preciso passar pelo mar das experiências!
  • A água das experiência tem muito a ensinar e nem todos sobrevivem à violência das ondas! Casar não é fácil... Mas é importante tentar fazer dar certo!
  • É um preço a se pagar, para não viver de mentiras...
  • Amigos, médicos e psicólogos podem nos ajudar a levantar novamente...
  • Lembrar que o compromisso muitas vezes foi firmado em época de planejamento reencarnatório. Portanto, não foi uma obra do acaso.
  • A água das experiência tem muito a ensinar e nem todos sobrevivem à violência das ondas!
  • Uma segunda metáfora: o casamento como uma fusão de dois planetas! Isto na verdade não ocorre, o que acontece é que cada um está na órbita do outro.
  • Porém, eles continuam a existir em suas individualidades, que precisam ser respeitadas.
  • Evolução demais do outro, do companheiro, não deve ser esperada! Uma brincadeira: escolher o parceiro mais evoluído e inteligente que houver disponível. Atenção para onde você está procurando... Afinal, o desajustado pode ser você.
  • Todo pé descalço acha o seu chinelo velho...! Ou algo assim...
  • O casamento como uma possibilidade de resgate do passado! Se tudo estiver bem, não há resgate...
  • De ser ouvidos. Uma nova chance de reparação de algum empecilho do passado! Um reencontro!
  • E o mesmo acontece com a parceira! A infidelidade seria uma consequência do principio de ação e reação. E o livre arbítrio...!?
  • Dois assuntos importantes neste ponto da palestra! Porque? Afinal, uma não pode ser utilizada como regra. E o outro é sempre responsável por suas ações. Por ter sido a vítima, você não tem direito de ser o que causa dor.
  • adj. Que perdoa facilmente; tolerante.
  • Cuidado com o tédio...
  • REFORMA ÍNTIMA!
  • É hora de deixar o passado pra trás! Vamos viver o presente!
  • Deixar o passado pra trás...!
  • Primeiro mandamento.
  • Plinio Oliveira.
  • É nesta fase que o sentimento do amor começa a se desenvolver. Começa a se lapidar.
  • Primeiro mandamento.
  • Primeiro mandamento.
  • Primeiro mandamento.
  • Este é um amor doente! Muitas vezes falamos de um casamento doente, mas é o amor que está doente... O casamento é apenas
  • Primeiro mandamento.
  • Para amar, é preciso primeiro se amar...!
  • Não é uma troca de coisas materiais, e sim de bons sentimentos, boas energias!
  • Plinio Oliveira.
  • Primeiro mandamento.
  • São Francisco
  • Primeiro mandamento.
  • Na vida a dois… Ele tem bons exemplos para seguirmos!
  • Na vida a dois… Ele tem bons exemplos para seguirmos!
  • A convivência somente será saudável se a levarmos com suavidade e leveza.
  • Transcript

    • 1. DESAJUSTES
    • 2. 1. acerto, prudência, afinar, reflexão, sensatez, concordância, aliança; 1. Ato de desajustar; 2. Quebra de ajuste, pacto ou convenção; (Dicionário)
    • 3. Como agir diante dos desajustes?
    • 4. “Sede indulgentes, meus amigos,porquanto a indulgência atrai, acalma,ao passo que o rigor desanima, afasta e irrita.” (Item 16, Cap X, do ESE)
    • 5. (Item 16, Cap X, do ESE)
    • 6. O casamento pode adoecer? Quais seriam os motivos principais?
    • 7. “Uma mulher que busca no marido afigura do pai e o esposo que busca a “mãe” na esposa.” (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 8. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 9. Largamos o cais dos laços afetivos... (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 10. Como é a viagem docasamento (relacionamento)?
    • 11. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 12. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 13. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 14. “É no “mar” da vida a dois(quaisquer tipos de casamento) que defeitos e virtudes serão revelados um ao outro.” (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 15. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 16. “Homem e mulher, usando a chave deste entendimento, passam a reconhecer que é preciso renovar sentimentos, agora em bases decompreensão, serenidade, amor e paz...” (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 17. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 18. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 19. É possível mudar o outro?
    • 20. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 21. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 22. “Muitas vezes, o homem encontra a mulher (ou o contrário) como a deixou no passado, para a continuidade da obra de resgate e de elevação.” (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 23. Não é fácil aceitar o outro!
    • 24. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 25. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 26. (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 27. Por que ocorrem traições num casamento?
    • 28. “Um parceiro infiel pode ser aquele homem que a parceira conduziu à perturbação, doença ou deslealdade...” (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 29. (Item 16, Cap X, do ESE)
    • 30. Seria o tédio, umapreocupação no casamento?
    • 31. “Seja qual for o motivo em que o tédio se fundamente, oscompanheiros do lar devem recorrer ao apoio recíproco...” (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 32. “...Assim, estarão no caminho daharmonia íntima, sem castigarem opróprio corpo. Reeducar-se-ão, sem hostilizar os que lhe demonstrem afeto...” (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 33. “...Acolhendo o companheiro, nãomais na condição de cúmplices, das aventuras deprimentes, e sim por irmãos queridos, com quempodemos fundirmos em espírito, no mais alto amor espiritual ...” (Emmanuel – Vida e Sexo – Chico Xavier)
    • 34. Mas...Você sabe o que é o amor?
    • 35. “É nesta fase que o sentimento do amor tem início, confundindo-se ainda com as manifestações do instinto em primitivas formas predatórias...” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 36. “Atados, entretanto, às heranças do gozo, às vezes asselvajado pela imposição grosseira, passamos a administrar os impulsos que se tornam ao longo das sucessivas reencarnações, mais sutis e nobres..” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 37. Como o amor nasce?
    • 38. “Uma faísca ridícula responde pela calamidade de um incêndio devorador, desde que encontrecombustível próprio para expandir- se...” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 39. “Da mesma forma, o amor, apresentando-se em mínima expressão, quando encontra estímulos, desenvolve ossentimentos e transforma-se em um oceano de riquezas...” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 40. “Ninguém vive sem amar...”
    • 41. Mas...Como começar a amar?
    • 42. “O amor possessivo,herança do passado é composto de ciúmes, inseguranças e desconforto...” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 43. “Somente é capaz de amar realmente o outro aquele que seama. É indispensável o auto-amor, o auto-respeito...” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 44. “O amor é uma troca...!” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 45. Uma pergunta importante:Vocês amam algum animal?
    • 46. Quando você ama umcachorro, você espera que ele seja mais do que um cachorro? (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 47. “Todavia, quando se ama a outrem,no nível de humanidade, sempre se exige que o outro submeta-se, adquira valores que ainda não possui, cresça ao elevado patamar da expectativa de quem se lhe afeiçoa..” E isto é errado! (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 48. “É preciso entender que o desenvolvimento do amor faz-selentamente, conquista a conquista de experiência, de vivência, de entrega...” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)
    • 49. Mas, afinal, como começar a amar?O que é preciso para ser feliz?
    • 50. “Amar como Jesus amou...”
    • 51. Um dia uma criança me parouOlhou-me nos meus olhos a sorrirCaneta e papel na sua mãoTarefa escolar para cumprirE perguntou no meio de um sorrisoO que é preciso para ser feliz?Amar como Jesus amouSonhar como Jesus sonhou Ouvindo o que eu falei ela me olhouPensar como Jesus pensou E disse que era lindo o que eu faleiViver como Jesus viveu Pediu que eu repetisse, por favorSentir o que Jesus sentia Mas não dissesse tudo de uma vezSorrir como Jesus sorria E perguntou de novo num sorrisoE ao chegar ao fim do dia O que é preciso para ser feliz?Eu sei que dormiria muito mais feliz Depois que eu terminei de repetir Seus olhos não saíram do papel Toquei no seu rostinho e a sorrir Pedi que ao transmitir fosse fiel E ela deu-me um beijo demorado E ao meu lado foi dizendo assim Amar como Jesus amou...
    • 52. Será que precisamos de mais bons exemplos? Será possível amar como Jesus amou?
    • 53. Imitando a vida de Cristo, desenvolveu umaprofunda identificação com os problemas de seus semelhantes e com a humanidade do próprio Cristo. Sua atitude foi original também quando afirmou a bondade e a maravilha daCriação num tempo em que o mundo era vistocomo essencialmente mau, quando se dedicou aos mais pobres dos pobres, e quando amou todas as criaturas chamando-as de irmãos.
    • 54. Vamos orar juntos?
    • 55. Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz;Onde houver ódio, que eu leve o amor;Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;Onde houver discórdia, que eu leve a união;Onde houver dúvida, que eu leve a fé;Onde houver erro, que eu leve a verdade;Onde houver desespero, que eu leve a esperança;Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;Onde houver trevas, que eu leve a luz.Ó Mestre, fazei que eu procure maisConsolar, que ser consolado;Compreender, que ser compreendido;Amar, que ser amado;Pois, é dando que se recebe,É perdoando que se é perdoado,E é morrendo que se vive para a vida eterna...
    • 56. Ó Mestre, fazei que eu procure maisConsolar, que ser consolado;Compreender, que ser compreendido;Amar, que ser amado;Pois, é dando que se recebe,É perdoando que se é perdoado,E é morrendo que se vive para a vida eterna...
    • 57. Vamos exercitar a Lei do Amor...?
    • 58. “Sublime, em qualquer expressãoem que se apresente, é a presença da harmonia que deve vibrar no sentimento humano...” (Joanna de Ângelis – Conflitos Existenciais – Divaldo Franco)

    ×