Your SlideShare is downloading. ×
Espiritismo - Falsos Cristos e Faltos Profetas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Espiritismo - Falsos Cristos e Faltos Profetas

2,029
views

Published on

Published in: Spiritual

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,029
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
108
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • Perguntar se alguém está vindo pela primeira vez à casa espírita.
  • Perguntar se alguém está vindo pela primeira vez à casa espírita.
  • Talvez o profeta pareça saber o futuro por saber de coisas que nós ainda não saibamos.
  • Exemplo, a arrumação antes de sair de casa.
  • Exemplo da reunião mediúnica. Com pessoas se apresentando com nomes famosos; Ex: João Batista.
  • Reforço às ideias de São João.
  • A compra da felicidade!
  • Probabilidades! Atenção, só palavras, não são o bastante.
  • Muito cuidado com quem você segue, que bandeira você levanta... Com o que você anda prometendo.
  • Segundo o Espiritismo, nós, Espíritos, não retrocedemos em nossa caminhada. Ponto. A razão para descortinar nossas mentes.
  • Se eu sou contra os falsos cristos e falsos profetas? Com certeza.
  • O Espiritismo tem cerimônias sim. E é uma diferente da outra, dependendo de qual casa se está.
  • Manifestação contra os falsos profetas? rsrsrs
  • Telexfree
  • Agora vocês já são investigadores. Basta olhar as pegadas.
  • FINAL.
  • Precisamos mudar de sintonia, para que a “mágica” aconteça. Precisamos nos movimentar.
  • Transcript

    • 1. “Como falar de falsos profetas, falando verdadeiramente e sem agredir ninguém?” (George Bueno)
    • 2. MISSÃO DOS PROFETAS
    • 3. Do grego “prophetes” (pessoa que fala em lugar de outra”), porta-voz; pessoa que prediz o futuro. (Enciclopédia)
    • 4. Atribui-se geralmente aos profetas o dom de revelar o futuro, de modo que as palavras profecia e predição se tornaram sinônimas. No sentido evangélico, a palavra profeta tem uma significação mais ampla, aplicando-se a todo enviado de Deus, com a missão de instruir os homens e de lhes revelar as coisas ocultas, os mistérios da vida espiritual. (ESE – Cap XXI)
    • 5. Houve profetas, entretanto, que tiveram o pressentimento do futuro, seja por intuição ou por revelação providencial, a fim de transmitirem advertências aos homens. Como essas predições se realizaram, o dom de predizer o futuro foi considerado como um dos atributos da qualidade de profeta. (ESE – Cap XXI)
    • 6. FALSO: 1. Contrário à realidade; em que há mentira; 3. Desleal, traiçoeiro; 4. Ifundado, inexado; 5. Falsificado. (Dicionário)
    • 7. PRODÍGIOS DOS FALSOS PROFETAS
    • 8. (ESE – Cap XXI) Aos olhos do povo, todo fenômeno cuja causa é desconhecida passa por sobrenatural, maravilhoso e miraculoso. Conhecida a causa, reconhece-se que o fenômeno, por mais extraordinário que pareça, não é mais do que a aplicação de uma determinada lei da natureza.
    • 9. Quem são os falsos profetas?
    • 10. (ESE – Cap XXI) Desde todos os tempos, certos homens exploram, em proveito de sua ambição, de seus interesses e de seu desejo de dominação, certos conhecimentos que possuíam, para conseguirem o prestígio de um poder supostamente sobre-humano ou de uma pretensa missão divina.
    • 11. (ESE – Cap XXI) São esses os falsos cristos e os falsos profetas. A difusão dos conhecimentos vem desacreditá-los, de maneira que o seu número diminui, à medida que os homens se esclarecem.
    • 12. Será mesmo que hoje temos menor número destes?
    • 13. NÃO ACREDITEIS EM TODOS OS ESPÍRITOS
    • 14. Como diferenciar os verdadeiros dos falsos?
    • 15. (ESE – Cap XXI) O verdadeiro profeta se reconhece por características mais sérias, exclusivamente de ordem moral.
    • 16. Será que no Espiritismo há maior chance de existirem falsos cristos e falsos profetas?
    • 17. (ESE – Cap XXI) Não. Os que fossem tentados a explorar esses fenômenos em proveito próprio, fazendo-se passar por enviados de Deus, não poderiam abusar por muito tempo da credulidade alheia, e bem logo seriam desmascarados.
    • 18. (ESE – Cap XXI) Levantar o véu de muitos mistérios. Esse é um dos resultados do desenvolvimento da ciência espírita, que vem pesquisando a causa de certos fenômenos.
    • 19. Será que existem falsos profetas desencarnados?
    • 20. (ESE – Cap XXI) O Espiritismo vem revelar outra categoria de falsos cristos e de falsos profetas, bem mais perigosa, e que não se encontra entre os homens, mas entre os desencarnados. É a dos Espíritos enganadores, hipócritas, orgulhosos e pseudo-sábios, que passaram da Terra para a erraticidade e se disfarçam com nomes veneráveis, para procurar, através da máscara que usam, tornar aceitáveis as suas ideias.
    • 21. (ESE – Cap XXI) São João nos põe em guarda contra eles (encarnados e desencarnados), quando adverte: “Meus bem amados, não acrediteis em todos os Espíritos, mas provai se os Espíritos são de Deus; porque muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”. O Espiritismo nos oferece os meios de diferenciá- los, ao indicar as características pelas quais se reconhecem os bons Espíritos. Características sempre morais e jamais materiais.
    • 22. Quem são eles?
    • 23. INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS – OS FALSOS PROFETAS
    • 24. (ESE – Cap XXI) (...) Desconfiai dos escribas e dos fariseus, que pregam nas praças públicas, vestidos de longas vestes. Desconfiai dos que pretendem estar na posse da exclusiva e única verdade!
    • 25. (ESE – Cap XXI) Jesus: “Reconhece-se a árvore pelos seus frutos; uma boa árvore não pode dar maus frutos, e uma árvore má não pode dar bons frutos”.
    • 26. Já descobrimos que são eles?
    • 27. (ESE – Cap XXI) Desconfiai dos falsos profetas! Esta recomendação é útil em todos os tempos, mas sobretudo nos momentos de transição, em que, como neste, se elabora uma transformação da humanidade. Porque nesses momentos uma multidão de ambiciosos e farsantes se arvoram em reformadores e messias.
    • 28. INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS – CARACTERES DO VERDADEIRO PROFETA
    • 29. (ESE – Cap XXI) Como se pode conhecê-los?
    • 30. (ESE – Cap XXI) Para fazer avançar a humanidade, moral e intelectualmente, são necessários homens superiores em inteligência e moralidade! Concluireis que o verdadeiro missionário de Deus deve provar que o é pela sua superioridade, pela suas virtudes, pela sua grandeza, pelos resultados e a influência moralizadora de suas obras.
    • 31. (ESE – Cap XXI) Os verdadeiros profetas se revelam pelos seus atos e são descobertos pelos outros, enquanto os falsos profetas se apresentam por si mesmos como enviados de Deus. Já se viram desses impostores apresentarem-se como apóstolos do Cristo, outros como o próprio Cristo, e, para vergonha da humanidade, encontraram pessoas bastante crédulas para aceitarem as suas imposturas.
    • 32. Já descobrimos que são eles?
    • 33. “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vem até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.” (Mateus, VII: 15-20)
    • 34. (ESE – Cap XXI) Uma observação bem simples, entretanto, bastaria para abrir os olhos aos mais cegos: se o Cristo reencarnasse na Terra, o faria com todo o seu poder e todas as virtudes, a menos que se admita, o que seria absurdo, que ele houvesse degenerado. Ora, da mesma maneira que se tirarmos a Deus um dos seus atributos, já não teremos Deus, se tirarmos uma só das virtudes do Cristo, não mais o teremos.
    • 35. (ESE – Cap XXI) Esses profetas (falsos) que se apresentam como o Cristo revelam todas as suas virtudes? Eis a questão.
    • 36. INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS – FALSOS PROFETAS DA ERRATICIDADE
    • 37. (ESE – Cap XXI) Espíritos orgulhosos que, fingindo amor e caridade, semeiam a desunião e retardam o trabalho de emancipação da Humanidade, impingindo-lhe os seus sistemas absurdos, através dos médiuns que os servem.
    • 38. (ESE – Cap XXI) Esses falsos profetas, para melhor fascinar os que desejam enganar, e para dar maior importância às suas teorias, disfarçam-se inescrupulosamente com nomes que os homens só pronunciam com respeito.
    • 39. Algum nome vem em seus pensamentos?
    • 40. Como saber se são mesmo falsos?
    • 41. (ESE – Cap XXI) Os Espíritos da ordem a que eles dizem pertencer, devem ser não somente muito bons, mas também eminentemente racionais. Pois bem: passai os seus sistemas pelo crivo da razão e do bom-senso, e vereis o que restará.
    • 42. (ESE – Cap XXI) Desconfiai das comunicações que se caracterizam pelo misticismo e a extravagância, ou que prescrevem cerimônias e práticas estranhas. Há sempre, nesses casos, um motivo legítimo de desconfiança.
    • 43. O que fazer com estes falsos profetas?
    • 44. (ESE – Cap XXI) Repeli impiedosamente todos esses Espíritos que se manifestam como conselheiros exclusivos, pregando a divisão e o isolamento. São quase sempre Espíritos vaidosos e medíocres, que tentam impor-se a pessoas fracas e crédulas, a fim de fasciná-las e dominá-las.
    • 45. TEMOS FALSOS PROFETAS NAS CASAS ESPÍRITAS?
    • 46. (ESE – Cap XXI) Todo médium e todo grupo que se julguem privilegiados, em virtude de comunicações que só eles podem receber, e que, além disso, se sujeitam a práticas supersticiosas, encontram- se indubitavelmente sob uma obsessão bem caracterizada.
    • 47. “Encontraremos EM TODAS AS RELIGIÕES: -Tiranos domésticos, mas aplicados trabalhadores da fé; -Infiéis nas relações, mas pregadores da moral e bons costumes; -Fofoqueiros e maledicentes, mas atenciosos e prestativos nas igrejas e casas espíritas; -Chefes enlouquecidos e vaidosos, mas humildes e servis nos palanques doutrinários; - Impacientes na vida, mas no reduto religioso calmos e mansos.” (Leonardo Pereira)
    • 48. “Verdadeiros lobos famintos de poder, de riqueza e de domínio sobre o outro, através da falsidade se impõem como criaturas perfeitas e desejosas de guiar as almas, ou melhor, seu rebanho de ovelhas para a salvação.” (Leonardo Pereira)
    • 49. Quem são eles?
    • 50. Quem somos eles?
    • 51. O que podemos fazer? Qual caminho podemos seguir?
    • 52. “Nós, os lobos, precisamos buscar a melhora, modificar e compreender a oportunidade que nos é ofertada. Chegou a oportunidade de nos transformarmos, domesticando o lobo que ruge em nós. As disputas por cargos, por diretorias, por quem sabe mais, quem faz mais, quem fundou a casa, quem lava, quem paga, tudo isso, cai no mesmo lugar.” (Leonardo Pereira)
    • 53. Forçoso distinguir sempre o exterior do conteúdo. Exterior, atende à informação e ao revestimento. Conteúdo, porém, é substância e vida. Exterior, em muitas ocasiões, afeta unicamente os olhos. Conteúdo alcança a reflexão. A casa impressiona pelo feitio. O interior, contudo, é que lhe decide o aproveitamento. Exterior consegue enganar. Um frasco, indicando medicamento é capaz de trazer corrosivo. Uma bolsa aparentemente inofensiva pode conter uma bomba. Conteúdo, entretanto, fala por si. A essência disso ou daquilo é ou não é. EMMANUEL da obra “Livro da Esperança” Psicografia de Francisco Cândido Xavier
    • 54. Quem somos eles?
    • 55. Pelos seus frutos. “Toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus” (Mateus 7, 17) Pelo caráter da pessoa. Os verdadeiros profetas não viviam à custa dos segredos que Deus lhes comunicava. Tinham o seu trabalho, a sua missão na Terra e a sua missão espiritual. Pode-se dizer que eram orientadores do povo, mas não viviam das consultas futuristas. Pela finalidade do que é revelado. Os profetas de Deus não sabiam tudo, sabiam apenas aquilo que Ele lhes desvendava e com uma intenção bem definida: prepará-los para que fossem mais dignos Dele, sabendo o que era preciso fazer para vencer os obstáculos que se colocavam entre o povo e o Pai. Pela importância da revelação. Os profetas não andavam sempre a incomodar o Pai para saberem das coisas comezinhas do dia a dia. Preocupavam-se com o futuro do povo e o aperfeiçoamento da sua relação com Deus.
    • 56. A BATALHA DOS LOBOS
    • 57. " A batalha dos lobos” Um velho índio conversava com seu neto a respeito da grande batalha íntima que travamos entre o nosso lado bom e o lado mau, entre a sombra e a luz, o velho índio começa assim: - A batalha é entre os dois lobos que vivem dentro de todos nós. Um é Mau: é a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, orgulho e ego.
    • 58. " A batalha dos lobos” O outro lobo é Bom: é alegria, fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé. O neto do velho índio pensou nessa luta e perguntou ao avô: - “Mas avô, qual é o lobo que vence? “ O velho índio respondeu: - "Aquele que você alimenta!"
    • 59. Um convite!