Novas tecnologias e a internet

3,589 views
3,426 views

Published on

Com o constante crescimento da internet, surge a necessidade de facilitar o acesso, com maior velocidade. A proposta da Tecnologia 4G é fazer com que seja mais rápido o acesso à internet sem fio.
Esse trabalho tem como foco a Tecnologia Móvel na quarta geração,e para melhor compreensão utilizam-se as Tecnologias Móveis e Sem Fio, usando uma comparação entre as tecnologias 2G, 3G e 4G, tecnologias disponíveis no mercado.
São reunidas informações que visam levar ao leitor à compreensão da importância da escolha da Tecnologia Móvel mais adequada para desenvolvimento da rede sem fio, apresentando as vantagens, as desvantagens, a segurança e finalizando com um comparativo entre as tecnologias Móveis 3G E 4G.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,589
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
108
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Novas tecnologias e a internet

  1. 1. CENTRO UNIVERSITÁRIOINSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE BRASÍLIA - IESB TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES ANDRESON LOPES BRUNO MONTENEGRO ELIVELTON BARROS JAIRO LIMA JORGITO XAVIER LUCIANO GOMES NOVAS TECNOLOGIAS E A INTERNETTECNOLOGIA DE COMUNICAÇÃO DE QUARTA GERAÇÃO 4G BRASÍLIA - DF 2012
  2. 2. 2 GRUPO 01 - ALUNOS: ANRESON LOPES BRUNO MONTENEGRO ELIVELTON BARROS JAIRO LIMA JORGITO G. XAVIER LUCIANO GOMES NOVAS TECNOLOGIAS E A INTERNET TECNOLOGIA DE COMUNICAÇÃO DE QUARTA GERAÇÃO 4G Este trabalho visa introduzir o conceito de Novas Tecnologias no mercado - 4G, buscando inserir os seus conceitos, visão no mercado e suas configurações. Curso de Tecnologia de Redes - 5º Semestre. Trabalho com supervisão do Professor Ronaldo Costa - Estudo da Contemporaneidade. BRASÍLIA - DF 20122
  3. 3. 31 - INTRODUÇÃO O Termo Novas tecnologias deriva-se do surgimento de tecnologias emétodos que emergem no contexto da revolução informacional. Com as tendênciasàs novas tecnologias estão permitindo o desenvolvimento de facilidades de redes ecomunicações corporativas que estão cada vez mais bem integradas à base deinformações. Destas, sua grande maioria caracterizam-se por agilizar, horizontalizar efacilitar o acesso ao conteúdo da comunicação, por meio da digitalização e dacomunicação em redes, para captação, distribuição e transmissão da informação emdiversos formatos como: Imagem, vídeo, som, texto entre outros. No geral, as novas tecnologias estão associadas à interatividade e a quebracom o modelo de comunicação em que a informação é transmitida de modounidirecional, adotando assim o modelo todos-todos, onde os que integram redes deconexões fazem parte do envio e recebimento das informações. Em referência ao descrito, optamos por apresentar a tecnologia 4G quesurge com o objetivo de revolucionar a transmissão de dados utilizando redesmóveis de longo alcance com altas taxas de transmissão e melhor utilização doespectro.3
  4. 4. 42 - EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS MÓVEIS DE COMUNICAÇÃO A primeira geração (1G) de redes móveis surgiu na década de 80 com atecnologia AMPS (Advanced Mobile Phone System). Era totalmente analógica esuscetível a interferências. Seu sinal era interceptado com facilidade, bastavaalguém sintonizar na mesma frequência que seu celular trabalhava para escutar suaconversa. Além disso, seu telefone podia ser clonado com mais facilidade queatualmente. A segunda geração (2G) surgiu na década de 90, mas muitos celularesainda continuavam a usar a tecnologia 1G. A transição de uma geração para outraocorre de forma lenta, já que demanda troca de aparelhos para suportarem a novatecnologia. Com as redes 2G houve a troca do analógico para digital, como o sinalnão era mais analógico era possível agora ser codificado. Com essa geração ganhamos um recurso que hoje é trivial: enviar e receberSMS. Os aparelhos celulares reduziram seu tamanho e passaram a consumir menosbateria. Com isso, os preços também reduziram. Mas o celular ainda era um luxopara poucos. No decorrer da década os preços ficaram mais populares.4
  5. 5. 53 - TECNOLOGIA 3G A tecnologia 3G surgiu em meados de 2001, prometendo interatividade viainternet móvel no celular, oferecendo ainda uma gama de serviços que vão desde osuporte a aplicações multimídia (vídeo, áudio e dados) ao acesso a vários serviçosdisponíveis na internet (www, correio eletrônico, comércio eletrônico, etc). Estatecnologia permite uma melhor utilização do espectro para a transmissão deconteúdos de grande volume de taxas de 5 a 10 Mbps. Esta tecnologia utiliza umafrequência diferente da utilizada pelo WAP e permite tráfego de dados em maiorvolume. O surgimento do 3G revolucionou o uso da internet em dispositivos móveiscomo celulares, tablets entre outros, gerando impacto no consumo de conteúdosaudiovisuais em aparelhos móveis. Alguns padrões 3G são: W-CDMA, HSPA, Wimax e EVDO.5
  6. 6. 64 - TECNOLOGIA 4G A tecnologia 4G promete oferecer um serviço mais estável, permitindo umaqualidade de conexão até mesmo em veículos em movimento, ao contrário daconexão atual, que muitas vezes tem o sinal reduzido nessas situações. Além disso, a rede 4G é baseada totalmente em protocolo IP, utilizadoatualmente para conexão com a internet pelos computadores. Com a utilização do IPem uma rede de telefonia celular, é possível o suporte de mais usuários acessandosimultaneamente.4.1 - O QUE É A TECNOLOGIA 4G? 4G é a sigla para 4ª geração de telefonia móvel. Ela designa tecnologias queoferecem conexões à internet de altíssima velocidade. De modo geral, redes móveis4G alcançam velocidades próximas a de conexões fixas via cabo ou modem ADSL.Existem pelo menos duas tecnologias consideradas 4G: WiMax (utilizada em algunspaíses asiáticos) e LTE (utilizada nos EUA e alguns países europeus). No Brasil,querem implementar 4G com tecnologia LTE. A Internet 4G está disponível em Brasília, a partir de um serviço da empresade televisão a cabo Sky. Chamada de Sky Banda Larga, a internet, porém, nãofunciona como o 4G disponível no exterior, que permite a conexão em altavelocidade para dispositivos como celulares e notebooks. A 4G oferecida pela Skyestá disponível somente para modens fixos, podendo ser usada em casa ou emescritórios. Ainda assim, a chegada da 4G propriamente dita está prevista para antesda Copa do Mundo de 2014. A Claro já capacitou toda a sua rede em IP Ran e em 3G Max (HSPA+), oque atualmente é melhor experiência em velocidade, que o usuário pode ter,atingindo velocidade média de navegação de até 3 Mbps. Com o lote W dafreqüência 4G adquirido hoje, a Claro poderá oferecer tecnicamente uma velocidadepróxima a 100 Mbps, mas estima-se que a velocidade oferecida pelas operadoras4G no Brasil será em média de 10 a 15 Mbps, o que é 5 vezes mais rápido do quetemos atualmente.6
  7. 7. 7 Os dois padrões que competem pelo mercado de 4G no mundo hoje são oWIMAX, com a versão 802.16M, e o LTE Advanced (Long term evolution). A tecnologia LTE (adotada pelo Brasil), desenvolvida pela Third-GenerationPartnership Project (3GPP), é uma evolução do High-Speed Packet Access (HSPA).Você já deve ter reparado que quando está conectado ao 3G aparece a letra Hindicando que a conexão está estabelecida, pois é o HSPA. A tecnologia LTE usa novas técnicas de modulação, por isso conseguealcançar altas taxa de downlink. Abaixo é mostrada a evolução das redes digitais,que vai desde o 2G até o 4G. O LTE usa como modulação: OFDM (OrthogonalFrequency Division Multiplex) e MIMO (Multiple Input Multiple Output), que aumentaa capacidade das ondas de transmissão. Abaixo apresenta-se a taxa de dados(downlink) oferecida, aos usuários,pelas principais operadoras de banda larga móvel no Mundo:Geração 2G 3G WCDMATecnologia GSM GPRS EDGE HSPA *HSPA+ (UMTS) **LTETaxa de 10-40 40-50 100-130 128-384 0,3-1 3-6 5-12dados para Kbps Kbps Kbps Kbps Mbps Mbps Mbpsusuário * Oferecida pela Claro e Vivo. ** Oferecida pela Verizon e AT&T nos EUA.7
  8. 8. 8 Evolução da Tecnologia GSM -> LTE-Advanced Origem GSM: Europa. Geração 2G 3G 4G WCDMATecnologia GSM GPRS EDGE* HSPA HSPA+ LTE** LTE-Advanced (UMTS)Taxa de dados máx. 14,4 171,2 473,6 7,2/14,4 21/42 100 1,0 2,0 Mbpsteórica (Downlink) Kbps Kbps Kbps Mbps Mbps Mbps GbpsTaxa de dados 473,6 474 5,76 7,2/11,5 50 0,5 - -máx. teórica (Uplink) Kbps Kbps Mbps Mbps Mbps Gbps 100-Taxa de dados 10-40 40-50 128-384 1-10 130 - - -média teórica kbit/s kbit/s kbit/s Mbps kbit/sCanalização (MHz) 0,2 0,2 0,2 5 5 5 20 100Tempo de latência 500 500 300 250 ~ 70 ~ 30 ~ 10 <5(ms) 4.2 - TAXAS DE TRANSMISSÃO DO 4G A taxa de transmissão de dados via 4G é aproximadamente 10 vezes maior que na tecnologia anterior, o 3G. Segundo a Anatel, a transmissão em 3G é feita em até 2 Mbps, enquanto a tecnologia 4G permite transferências a 22 Mbps, em média. O 4G foi especificado para trabalhar com seis canais diferentes: 1,4 MHz, 3 MHz, 5 MHz, 10 MHz, 15 MHz e 20 MHz. Mas as velocidades mais altas somente são atingidas nos canais de 20 MHz, podendo chegar a impressionantes 100 Mbits por segundo de downlink e 20Mb por segundo de uplink (downlink é o nome dado ao sinal de comunicação que parte de um satélite em direção a uma estação terrestre). Seria o mesmo que baixar um arquivo a mais de 12 megabytes por segundo. A telefonia móvel de quarta geração exige de três a cinco vezes mais torres de transmissão para que a velocidade 4G seja garantida. Segundo dados da consultoria Teleco, para cada faixa adquirida no leilão serão necessárias de 1,2 mil a 2 mil estações radiobase (ERB). 8
  9. 9. 95 - PADRÕES EM DISPUTA NO ACESSO MÓVEL À INTERNET5.1 - WIMAX Wimax (Worldwide Interoperability for Microwave Access -Interoperabilidade Mundial para Acesso de Micro-ondas) O padrão tem como objetivo estabelecer a última milha (last mile), isto é, aparte final da infra-estrutura de conexão de banda larga fixa e móvel, oferecendoconectividade para uso doméstico, empresarial e em hotspots. O termo WiMAX foi criado por um grupo de indústrias conhecido comoWiMAX Forum, cujo objetivo é promover a compatibilidade e interoperabilidadeentre equipamentos baseados no padrão IEEE 802.16, que especifica uma interfacesem fio para redes metropolitanas (WMAN). Este padrão é similar ao padrão Wi-Fi(IEEE 802.11), que já é bastante difundido, porém agrega conhecimentos e recursosmais recentes, visando a um melhor desempenho na comunicação.5.2 - LTE LTE (Long Term Evolution - Evolução de Longo Prazo) O LTE é uma tecnologia móvel de transmissão de dados que foi criada combase no GSM e WCDMA. A diferença é que a tecnologia prioriza o tráfego de dadosem vez do tráfego de voz, como acontecia em gerações anteriores. Isso proporcionauma rede de dados mais rápida e estável. Aliás, quando o LTE foi criado, não existia voz trafegando sobre a rede. Paraque a rede suportasse ligações, as operadoras precisaram adaptar a rede. Existemduas possibilidades: uma delas é de, no momento de receber a ligação, rebaixar odispositivo móvel para a rede GSM/WCDMA. A outra possibilidade surgiu um poucodepois, com a criação do VoLTE, no qual o telefone funciona normalmente na rede4G.9
  10. 10. 10 É a tecnologia padrão para a evolução das atuais redes GSM/WCDMA.Ainda assim, algumas operadoras com tecnologia CDMA, como as americanasVerizon e Sprint, optaram por aderir à tecnologia.5.2.1 - DIFERENCIAL O principal diferencial do LTE é a rede de dados. Em testes de laboratório,uma rede experimental de LTE, com 20 MHz de espectro, alcançou,aproximadamente, 300 Mbps de downstream e 75 Mbps de upstream. Entretanto, avelocidade real de navegação beira aos 100 Mbps de download e 50 Mbps deupload. O tempo de resposta do LTE é visivelmente mais baixo em relação ao queconhecemos das redes 3G: em condições normais, a latência da rede chega a, nomáximo, 30 ms. Outra diferença é sobre a quantidade de usuários pendurados na rede: 5MHz de espectro permitem até 200 acessos simultâneos — praticamente o dobrodas redes atuais.5.3 - ESTRATÉGIAS DE ADOÇÃO DOS PADRÕES Embora pareçam à primeira vista padrões totalmente discrepantes emtermos técnicos, os padrões LTE e WiMax têm semelhanças tecnólogicasrelevantes: são baseados no protocolo IP; utilizam o mesmo sistema de modulação(OFDM); e, têm eficiência espectral e custo de operação. Suas diferenças se evidenciam em função do posicionamento de seusprincipais agentes de mercado: de um lado, as operadoras, os fabricantes deequipamentos e aparelhos de telefonia móvel (LTE); de outro, as operadoras de TVa Cabo (principalmente as de MMDS), de telefonia fixa, de acesso à internet efabricantes de chips e equipamentos de rede 802.16x (WiMax). O posicionamento do agente regulador (ANATEL) vai desempenhar umpapel crucial na disputa do mercado brasileiro nos próximos cinco anos, emolduradopela Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. O que está em jogo éa alocação do espectro de frequência hoje destinado ao serviço MMDS (2,5 MHz), acertificação dos equipamentos 802.16x (WiMax) já licenciados para a Telefônica na10
  11. 11. 11mesma frequência e as bandas de VHF e UHF liberadas pelas estaçõestransmissoras de TV analógica, depois da total implantação da TV Digital no Brasil. As estratégias de afirmação dos blocos antagônicos são suportadas porargumentos consistentes. Alinhadas com o LTE, as operadoras de telefonia móvelcosturaram um acordo com os fabricantes para construir um quadro de transiçãocontínuo, a partir das tecnologias anteriores (2G, 2,5G e 3G). Esse blocoargumenta, então, que não faz sentido abandonar o volumoso investimento járealizado nas redes atuais. Já o bloco dos agentes interessados no WiMax argumenta que estatecnologia está disponível hoje, não apenas em 2013 como a versão 4G da LTE, erepresentará um trunfo importante na meta de universalização do acesso à Internetsustentada pelo governo brasileiro.6 - MODALIDADES DE TRANSFERÊNCIA Há basicamente duas modalidades de transferência de conteúdo audiovisualem Mídias Móveis: o streaming e o download. A modalidade de transferência em fluxo contínuo ou vídeo ao vivo(streaming) é utilizada para transmissão de canais com programação linear (gradede programação fixa), e em regra não permite a retenção de cópia do conteúdo pelousuário. A transferência de arquivos por download é empregada na transferência devídeo de acordo com a demanda do usuário, que constitui a programação não-linearou serviço de vídeo por demanda (VOD). Na maioria dos casos, o serviço permite aretenção da cópia do conteúdo pelo usuário, ainda que a sua licença e acesso sejatemporário.11
  12. 12. 127 - APARELHOS DE RECEPÇÃO/REPRODUÇÃO Atualmente existem diversos aparelhos com capacidade para reproduzirarquivos audiovisuais e com acesso a redes dedicadas. Será apresentado a seguirum rol exemplificativo de algumas espécies comuns, a partir de características deutilização, de funcionalidades específicas ou posicionamento de mercado.7.1 - TELEFONES CELULARES (2G) Possibilitam acessar conteúdos apenas pelo padrão WAP. O WAP foi umpadrão usado pelos desenvolvedores para tornar as páginas mais simples e anavegação possível em uma época que a velocidade da troca de dados era muitobaixa.7.2 - TELEFONES CELULARES (3G) São aparelhos que utilizam a tecnologia de transmissão 3G (mais rápida) epor isso permitem uma melhor navegação e troca de dados.7.3 - SMARTPHONES São aparelhos que também utilizam a tecnologia de transmissão 3G e que,por possuírem dispositivos multimídia mais avançados (telas maiores, players emaior capacidade de processamento), são os que permitem a melhor experiênciacom produtos audiovisuais. São celulares com funcionalidades estendidas por meiode programas executados em seu Sistema Operacional, que tentam simular aexperiência do usuário com um computador pessoal.12
  13. 13. 137.4 - E-READERS São aparelhos portáteis que permitem a leitura de livros e outros arquivosdigitais e que utilizam tela E-ink, que funciona de maneira bastante semelhante aopapel, ou seja, refletindo luz ambiente. São exemplos de E-readers o Kindle e oNook.7.5 - TABLETS Um tablet é um computador em forma de prancheta eletrônica, sem tecladoe com tela sensível ao toque. São exemplos de tablets o IPad (da Apple), oSamsung Galaxy Tab e o HP Slate.7.6 - PDA – PERSONAL DIGITAL ASSISTANT Os PDAs (palmtop ou handhelds) são computadores com dimensõesreduzidas, mas dotados de grande capacidade computacional, cumprindo asfunções de agenda e sistema informático de escritório elementar, com possibilidadede interconexão com um computador pessoal ou uma rede informática sem fios. OsPDAs foram a evolução das agendas eletrônicas e os antecessores dosSmartphones. Entretanto, o termo PDA atualmente também tem sido utilizado comouma alternativa ao “Smartphone”, para identificar aparelhos para os quais afuncionalidade de fazer e receber chamadas telefônicas é praticamente secundária.7.7 - GAMES PORTÁTEIS São os aparelhos de vídeo games com consoles portáteis. Normalmente sãoderivados de consoles de marcas tradicionais que produzem versões compactasagregando mobilidade à experiência de seus jogos. São exemplos o PSP (versãoportátil do PlayStation da Sony) e o Nintendo DS.13
  14. 14. 147.8 - MINI-PCS São computadores que possuem um processadores do tipo AMD T56N(conhecido como Fusion Zacate) funciona com 1,6GHz e com dois núcleos deprocessamento gráfico é um AMD Radeon HD6310. E o melhor é que estes doisprocessadores não precisam de arrefecimento ativo, reduzindo o espaço ocupadoassim como o ruído de funcionamento. Além disso, este mini-PC pode ter até 4GB de memória RAM DDR3,consegue acoplar um disco rígido de 2,5 polegadas na USB e inclui saídas HDMI eDisplayPort assim como 6 portas USB 2.0, ele ainda tem um slot para microSD,além duas portas eSATA e WIFI Estes mini-pcs são do tamanho de um pen-driver utilizam desde softwareslivres até um Windows CE e estão sendo muito utilizados acoplados aos televisoresfull HD para transformá-los em SMART TVS, ou seja, com esta pequena maravilhavocê pode conectar seu televisor a internet, rodar aplicativos , jogos , ver diversosformatos de filme direto do dispositivo de armazenamento e muito mais.14
  15. 15. 158 - CONCLUSÃO A necessidade de modernização das redes sem fio é cada vez maior, umavez que os equipamentos, infraestrutura e sistemas evoluem constantemente. Agrande mudança na aplicação do projeto está na evolução das tecnologias, a fim deatender à necessidade de redução de custos e melhoria dos resultados. ATecnologia Móvel e Sem Fio estão entre os assuntos mais discutidos na área deSistemas de Informação atualmente. Com o crescimento da telefonia móvel, bandalarga e redes sem fio a mobilidade e a computação em múltiplas plataformas eaparelhos tornam-se cada vez mais possível. As redes 4G tem uma característicasignificativa na velocidade de transmissão de dados, podendo atingir umavelocidade de 1 Gbps no celular quando estiver parado e de 100 Mbps quandoestiver se movendo em um veiculo qualquer, no qual permitirá carregamento rápidode sites, incluindo os download de músicas. Terá acesso a voz, dados e serviçosmultimídia disponíveis a qualquer hora, em qualquer lugar, também oferecendo umamaior proteção e segurança para os usuários e habilitando a conectividade globalentre diferentes redes, para evitar a falta de cobertura quando o usuário se deslocaratravés de áreas cobertas para redes diferentes. Através da conexão de quartageração, o acesso à Internet terá um salto ainda maior, visto que o tráfego de dadospelos aparelhos móveis será de acordo com o que, atualmente, é utilizado noscomputadores. A conexão de banda larga sem instalação de provedores via cabo oulinha telefônica se torna possível. No entanto, a realidade brasileira é bastantediferente, e todas as operadoras nacionais de telefonia móvel oferecem conexõesem velocidades desfavoráveis a preços não tão cômodos e com limites de tráfego. A tecnologia 4G, embora claramente superior a suas antecessoras, aindapossui um custo alto de implantação, o que diminui a oferta do serviço em todo omundo. Do ponto de vista dos aplicativos móveis, o 4G cria novas possibilidadespara os aplicativos destinados a transmissões de dados (documentos, fotos, vídeos,emails etc.), além de jogos e aplicações de streaming, entre outros. Com a expansão do uso da tecnologia e seu consequente barateamento, anova tecnologia certamente beneficiará desde usuários de aplicações móveis agrandes soluções corporativas.15
  16. 16. 169 - BIBLIOGRAFIA 3G Americas. The Mobile Broadband Evolution: 3GPP Release 8 andBeyond HSPA+, SAE/LTE and LTE-Advanced. 3G Americas, 2009. 178 p. 3G Americas. GSM-UMTS Network Migration to LTE: LTE and 2G-3Ginterworking functions. 3G Americas, 2010. 42 p. 3GPP. Disponível em: < http://www.3gpp.org/LTE Anritsu. LTE Resource Guide. Anritsu, 2010. 18p. Disponível em:http://www.eu.anritsu.com/lte_resources AL-SHAHRANI, Abdurrhman; AL-OLYANI, Hammod. LTE: Project EE-424.2009. 21p. Disponível em: http://faculty.ksu.edu.sa/adelali/Student%20Presentations%20May%202008/LTE.pdf Anritsu. White paper: Future technologies and testing for fixed Mobileconvergence, SAE and LTE in cellular mobile communication. Anritsu, 2010. 38 p.Disponível em: http://www.eu.anritsu.com/lte_white_paper DAHLMAN, Erik; PARKVALL, Stefan; SKÖLD, Johan; BEMING, Per. 3GEvolution: HSPA and LTE for Mobile Broadband. San Diego: Elsevier, 2007. 485 p. D’ÁVILA, César Kyn. LTE: Long Term Evolution – Arquitetura Básica eAcesso Múltiplo. 2009. Disponível em :http://www.cedet.com.br/index.php?/Tutoriais/Telecom/lte-long-term-evolution-arquitetura-basica-e-acesso-multiplo.html ERICSSON. LTE: an introduction. 2009. Disponível em:http://www.ericsson.com/res/docs/whitepapers/lte_overview.pdf MOTA,Tiago Andrade. Redes 3G e evolução para as redes 4G. 2009.Disponível em: http://www.teleco.com.br/tutoriais/tutorialev4g/Default.asp QUALCOMM. LTE: Uma Solução OFDMA Otimizada para Espectro comMaior largura de Banda. 2009. Disponível em:<http://www.tecnologia3g.com.br/site/pt/images/pdf/LTE_Whitepaper_Dez09final.pdf Motorola. Long Term Evolution (LTE): A Technical Overview. Motorola, 2009.15p. Disponível em: http://www.motorola.com/staticfiles/Business/Solutions/Industry16
  17. 17. 17%20Solutions/Service%20Providers/Wireless%20Operators/LTE/_Document/Static%20Files/6834_MotDoc_New.pdf Rohde & Schwarz. UMTS LONG Term Evolution (LTE): TechnologyIntroduction. Rohde & Schwarz, 2009. 55 p. Disponível em: http://www2.rohde-schwarz.com/file/1MA111_2E.pdf RYSAVY, Peter. EDGE, HSPA, LTE: Broadband Innovation. 3G Americas,2008. 104p. Disponível em:http://www.3gamericas.org/documents/EDGE_HSPA_and_LTE_Broadband_Innovation_Rysavy_Sept_2008.pdf SILVA, Ildelano Ferreira. Padrões de Telefonia Móvel Digital. 2010. PontifíciaUniversidade católica de Minas Gerais. Minas Gerais. SOUZA, Adriano Aurélio. Análise de Desempenho de Técnicas MIMO noSistema LTE. 2009. 129f. Monografia (conclusão de curso) – Instituto Federal deSanta Catarina, São José - Santa Catarina. RODRIGUES, Marcio Eduardo da Costa. Telefonia Celular. 2000.Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro,Departamento de Engenharia Elétrica, Rio de Janeiro. http://tecnologia.uol.com.br/album/2012/06/22/perguntas-e-respostas-sobre-4g.htm - acessado em 18/09/2012 às 14h35hs.17
  18. 18. 18SUMÁRIO1 - INTRODUÇÃO..................................................................................................... 42 - EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS MÓVEIS DE COMUNICAÇÃO..............................53 - TECNOLOGIA 3G................................................................................................ 64 - TECNOLOGIA 4G................................................................................................ 74.1 - O QUE É A TECNOLOGIA 4G?..........................................................................7 4.2 - TAXAS DE TRANSMISSÃO DO 4G.................................................................85 - PADRÕES EM DISPUTA NO ACESSO MÓVEL À INTERNET....................................9 5.1 - WIMAX......................................................................................................... 9 5.2 - LTE............................................................................................................... 9 5.2.1 - DIFERENCIAL......................................................................................... 9 5.3 - ESTRATÉGIAS DE ADOÇÃO DOS PADRÕES.................................................106 - MODALIDADES DE TRANSFERÊNCIA ...............................................................117 - APARELHOS DE RECEPÇÃO/REPRODUÇÃO ......................................................12 7.1 - Telefones celulares (2G) ...........................................................................12 7.2 - Telefones celulares (3G) ...........................................................................12 7.3 - Smartphones............................................................................................. 12 7.4 - E-readers .................................................................................................. 12 7.5 - Tablets ..................................................................................................... 12 7.6 - PDA – Personal Digital Assistant ...............................................................13 7.7 - Games Portáteis ....................................................................................... 13 7.8 - Mini-pcs..................................................................................................... 138 - CONCLUSÃO.................................................................................................... 149 - BIBLIOGRAFIA.................................................................................................. 1518

×