ANO XX - No
336 - 1a
Quinzena de SETEMBRO de 2013
Em defesa da verdade e do desenvolvimento de São Miguel e Região
®
Ediçã...
P Á G . 2
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
CIRCULAÇÃO: SÃO MIGUEL, ITAQUERA, VILA
JACUÍ, JD. HELENA, V. CURUÇA E GUARULHOS
Dir...
P Á G . 3
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
Com a expansão urbana
da cidade, as vigorosas ma-
tas de Ururaí começam a ser
abati...
P Á G . 4
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
Se o início da expansão
do bairro de São Miguel de
Ururaí está vinculado às ola-
ri...
P Á G . 5
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
Na noite de quinta-feira
(05), a Associação Comerci-
al Distrital de São Miguel
Pau...
P Á G . 6
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
go com o projeto PET - Pro-
grama de Educação para o
Trabalho. São centenas de
jove...
P Á G . 7
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
utilizado na fabricação de
cosméticos, proteção e aca-
bamentos para madeira, re-
p...
P Á G . 8
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
P Á G . 9
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
Há mais de 40 anos atu-
ando no ensino superior, a
Universidade Cruzeiro do
Sul con...
PÁG.10
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
Castor Center uma das pioneiras no ramo de
material para construção da região
construç...
PÁG.11
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
ginalizadas
da cidade
de São Pau-
lo e agora
nós estamos
vendo que
as atenções
do pode...
PÁG.12
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
Léo Tintas: as cores que dão o toque
certo para a região de São Miguel
Com 15 anos no ...
PÁG.13
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
conhecendo a cada dia a his-
tória de muitos clientes bem
de pertinho, isto é muito
gr...
PÁG.14
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
Geraldo Alckmin recebeu para entrevista exclusi-
va as entidades representativas dos j...
PÁG.15
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
A outra linha da CPTM é a 13, que vai até o Aero-
porto de Cumbica. Vocês já estão con...
PÁG.16
1A QUINZENA DE
SETEMBRO/2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Acontece336

234

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
234
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Acontece336

  1. 1. ANO XX - No 336 - 1a Quinzena de SETEMBRO de 2013 Em defesa da verdade e do desenvolvimento de São Miguel e Região ® Edição Especial 391 anos de São Miguel 70mil exemplares O Grupo Acontece está em festa e temos duas ótimas razões para comemorar: a escolha do Jornal Acontece Agora e da Revista Acon- tece Leste para fazerem a cobertu- ra completa da festa dos 391 anos de aniversário de São Miguel. O jornal já saiu e a revista sairá no fimdomês,portantoaindaestamos aceitando anunciantes para a maior revista que já foi feita em São Mi- guel e região. Aproveite esta gran- deoportunidade,sejaumagenteda história do nosso bairro e divulgue asuamarcanestaediçãoespecialda Revista Acontece Leste. Neste momento em que temos a responsa- bilidade de registrar em documentário os 391 anos da história de São Miguel, quere- mos destacar os 20 anos de dedicação incon- dicional ao bairro mais tradicional da Zona Leste de São Paulo. São 20 anos de luta, trabalho e comprome- timento que nos transformou num dos princi- pais jornais de bairro da cidade de São Paulo. O Jornal Acontece Agora deu uma nova cara à mídia impressa da região tornando-se refe- rência para muitos jornais. Estamos integrados ao esforço da socieda- de de São Miguel, que vislumbra novos rumos para o nosso bairro, em especial a exploração do seu potencial turístico e cultural. Parabéns São Miguel pelos 391 anos. Jornal Acontece Agora 20 anos de amor por São Miguel Divaldo Rosa (Grupo Acontece) São Miguel se prepara para realizar a maior festa de aniversário dos últimos anos Governador Geraldo Alckmin concede entrevista exclusiva aos jornais de bairro Educação, saúde, segurança, transporte, manifestações, CDHU, Fatec, Etec, Metro, CPTM, EMTU, Fábricas de Cultura, Obras no entorno do Itaquerão, Sabesp, reeleição, denuncias em licitações do Metro, o governador fala tudo aos jornais de bairro da Zona Leste. PÁGINAS: 2 à 13 PÁGS. 14 e 15
  2. 2. P Á G . 2 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 CIRCULAÇÃO: SÃO MIGUEL, ITAQUERA, VILA JACUÍ, JD. HELENA, V. CURUÇA E GUARULHOS Diretor: Divaldo Rosa Adm. e Financeiro: Ademyr Rodrigues Representante comercial e jornalista responsável: Divaldo Rosa Jornalista FL: Silmara G. Nunes Revisão: Suseli Corumba d os Santos Fotos: Bruno Barreto Rosa Diretor de Arte: Sergio Avante Depto. Jurídico: Agilson M. Oliveira Distribuição: Mart Press Distribuidora Jornais, Revistas e Folhetos As matérias assinadas são de exclusiva responsabilidade dos colaboradores e não representam, necessariamente, a opinião do Jornal. Os nomes dos colaboradores e representantes comercias não mantém vínculo empregatício com a empresa. Jornal Acontece Agora, FolhaJornal Acontece Agora, FolhaJornal Acontece Agora, FolhaJornal Acontece Agora, FolhaJornal Acontece Agora, Folha do Itaim & Curuça, Jornal dedo Itaim & Curuça, Jornal dedo Itaim & Curuça, Jornal dedo Itaim & Curuça, Jornal dedo Itaim & Curuça, Jornal de Ermelino & Ponte Rasa, JornalErmelino & Ponte Rasa, JornalErmelino & Ponte Rasa, JornalErmelino & Ponte Rasa, JornalErmelino & Ponte Rasa, Jornal Guaianás & Cidade TiradentesGuaianás & Cidade TiradentesGuaianás & Cidade TiradentesGuaianás & Cidade TiradentesGuaianás & Cidade Tiradentes e Revista Acontece Lestee Revista Acontece Lestee Revista Acontece Lestee Revista Acontece Lestee Revista Acontece Leste A J O R L E S T E O jornal Acontece Agora é Filiado à Associação dos Jornais da Zona Leste Avenida dos Guachos, 166 - Vila Curuça Cep: 08030-360 Itaim Paulista – SP E-mail: raleste@gmail.com site: www.grupoacontece.com.brREDAÇÃO E PUBLICIDADE 2031-2364 | 2513-0928 PATENTE: PROC. 830024034 CLASSE 16 RPI RM 2087 Tiragem desta Edição:Tiragem desta Edição:Tiragem desta Edição:Tiragem desta Edição:Tiragem desta Edição: 70.000 exemplares70.000 exemplares70.000 exemplares70.000 exemplares70.000 exemplares FL=FreeLancer CNPJ: 03.115.443/0001-16 2031-2364 2513-0928 Anuncie no mais completo e mais lido jornal de São Miguel e região. Ótimas promoções e formas de pagamento!!! Consulte!!! Artigo publicado na edição da Revista Acontece Leste no ano I nºII Falar sobre o bairro de São Miguel Paulista é um exercício polissêmico por expressar múltiplos signifi- cados que obriga-nos a re- correr à história, à filosofia, à arte, à ciência entre outras dimensões do conhecimen- to. História que vem de sua origem, uma dissidência dos índios Guaianases que vie- ram ao redor do colégio fun- dado pelos jesuítas em São Paulo de Piratininga e que fugindo da dominação dos colonizadores, foram mais tarde aldeados em Ururaí, berço-origem do bairro São Miguel Paulista. História que perpassa a própria história do Brasil e chega à contem- poraneidade do bairro ca- racterizada pelo fenômeno crescente de urbanização iniciada com o advento da indústria Companhia Nitro "São Miguel Paulista: do diminuto arraial a bairro-cidade" Química Brasileira em mea- dos da década de 30, do sé- culo XX. A recorrência à fi- losofia advém da possibili- dade do reencontro com os primórdios da aldeia de Uru- raì, seu desaparecimento gradativo e a constituição de um novo cenário: um bair- ro sob uma nova ordem so- cioeconômica e cultural. Também a arte, que nos re- mete ao reconhecimento das condições iniciais do bairro, suas vigorosas ma- tas, o rio com suas várzeas arenosas e que, num dado momento, dirige-se para um novo destino, ou seja, o de servir a sociedade urbana que emergia e se consolida- va no início do século XX. A própria capela de São Mi- guel Arcanjo, tombada pelo patrimônio histórico é exemplo disto, que se trata da síntese dominação, tra- balho, aculturação, arte e religiosidade. Quanto à ci- ência, esta não pôde evitar o confronto entre o velho (aldeia) e o novo (bairro) que emergia naquele con- texto histórico, a industria- lização que trouxe ao bair- ro uma nova forma de tra- balho, novos moradores. Assim a velha aldeia com seu bucólico cenário, passa a ser espaço de nascimento de novos valores, costumes e tradições, ensejando uma nova cultura. São Miguel de Ururaí foi um dos primeiros rebentos de São Paulo e participou da evolução socioeconômi- ca da cidade até o início da segunda metade do século XVIII, quando ainda podia oferecer a mão-de-obra in- dígena remanescente do al- deamento. Enquanto pela sua própria localização dis- tante do centro da cidade de São Paulo e sem meios próprios de desenvolvimen- to, o bairro não apresenta- va nenhum prenúncio de evolução. Somente no iní- cio do século XX, por volta de 1905, quando se inicia o crescimento extraordinário da cidade de São Paulo, São Miguel de Ururaí começa a sentir os primeiros reflexos deste novo tempo.
  3. 3. P Á G . 3 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 Com a expansão urbana da cidade, as vigorosas ma- tas de Ururaí começam a ser abatidas para o comércio de madeira para constru- ção, lenha e carvão. Concomitante ao des- matamento tem início a ati- vidade das olarias que, ape- sar de ter sido iniciada pe- los índios aldeados, adqui- re, a partir de então, um papel relevante para a in- dústria de construção civil, dada a expansão populaci- onal da cidade de São Pau- lo. Assim, a partir das ola- rias, primeira atividade de cunho industrial do bairro, São Miguel Paulista inicia seu processo de desenvol- vimento. Contudo o bairro en- frentava o problema de transporte para distribui- ção de sua produção, pois a Estrada de Ferro Central do Brasil passava bem lon- ge do rio Tietê, em cujas várzeas espalhavam-se as olarias. Foi assim que sur- giu a navegação fluvial e por esta via era feito o transporte de cargas. "Um antigo morador do bairro, Sr. Geraldo Lopes relatou- nos que seu pai Manuel Lopes do Amaral estabele- ceu no bairro de São Mi- guel nas várzeas do rio Ti- etê um Porto de Barcas e também um Porto de Areia. Assim, foi estabelecido o primeiro meio de trans- porte do bairro o qual foi altamente utilizado para o transporte de madeiras, le- nha, tijolos, telhas e areia." A Expansão urbana e a primeira atividade industrial Como já afirmamos an- teriormente, São Miguel não dispunha de meios de transporte e só por volta de 1930 foi inaugurada a pri- meira Linha de ônibus Pe- nha-São Miguel, que nesta época não chegava ao cen- tro da cidade de São Pau- lo, indo de São Miguel até o bairro da Penha. Em 1932, foi inaugurada a Estação Ferrovias/variante Poá - Es- trada de Ferro Central do Brasil), que passou a ser bastante utilizada pela po- pulação do bairro. São Miguel Paulista até 1930 teve um crescimento lento. Vejamos trecho de relato do senhor Moacir de Jesus, nascido em São Mi- guel de Ururaí em 1925. ["1930! Nesta época, São Miguel de Ururaí não pas- sava de um arraial onde to- dos se conheciam e se sau- davam. Não existiam as "Vilas" que hoje existem, mas existiam "valos". Cada "valos" pertencia a uma fa- mília. Eram grandes áreas de terra separadas umas das outras por "valetas" que hoje são as diversas vilas do bairro: Vila Rosário, Vila Lilá, Vila Bei Filho, Vila Ei- ras etc... Sei destas coisas porque meu pai também nascido em São Miguel me contava. Ele era neto de ín- dios que viviam aldeados em São Miguel de Ururaí".
  4. 4. P Á G . 4 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 Se o início da expansão do bairro de São Miguel de Ururaí está vinculado às ola- rias, a partir de 1935 a ex- pansão do mesmo vai ocor- rer de forma mais acelerada por intermédio da instala- ção da primeira indústria no bairro: a Companhia Nitro Química Brasileira, a qual concorre com a intensifica- ção da migração nordestina para o bairro. Contudo, segundo da- dos contidos em alguns documentos oficiais, a mi- gração mineira para o bairro não pode ser des- considerada. Concreta- mente podemos constatar quando observamos as de- nominações das ruas das vilas do bairro, nomes que reportam às cidades do Sul de Minas tais como: Esti- va, Camanducaia, Cambuí, Pouso Alegre entre outras. Com o advento da Com- panhia Nitro Química Bra- sileira e com o aumento po- pulacional ocorrido a par- tir dela, o bairro se trans- forma e de pequeno arrai- al, vai aos poucos se tornan- do um bairro-cidade. Sua diminuta população come- ça a expandir-se formando novos núcleos habitacionais e de comércio. Este novo centro comercial foi locali- zado nas proximidades da Estação Ferroviária e da Rua da Fábrica e pode ser repre- sentado pelas seguintes fa- mílias proprietárias de ca- sas comerciais, tais como: Gomes da Costa, Rachid e irmãos, Caldine, Rutko- wski, Xavier, Piassi, Melo, Righetti, Murad, de Nicolau Orzakauskas, Guerra, Leo- nice Serrano, Alcides Rama- lho, Augusto Berti, Bernar- do, Velluci, etc. Assim, o bairro de São Miguel Paulista foi forma- A industrialização, migração nordestina e fortalecimento do comércio Aprovamos seu credito sem burocracia GOL 2012 R$ 48x 619,00 CELTA LS 2012 sem entrada de R$ 48x 599,00 CORSA HATCH MAXX 1.4 R$ 20.990,00 Chegou o momento certo de comprar ou trocar seu carro Falar com Junior ID 121*56731 Nextel: 7770-3365 Celular Tim: 9 5396-2849 Temos Zero km semi-novos e outras marcas. do e do seu passado e fei- ção histórica, restou apenas em seu centro velho, a an- tiga capela do século XVIII que continua dando mos- tras de um tempo imorre- douro porque continua vivo e presente na alma daqueles que nutrem pelo bairro sentimento de amor e respeito. As velhas casas de taipa de pilão que durante lon- gos anos compuseram o ce- nário do bairro, foram subs- tituídas por construções modernas. O velho coreto do anti- go jardim, palco de saudo- sas lembranças foi substitu- ído dando espaço a um pas- seio, alguns bancos e pou- ca arborização. No passado, o bosque iluminado por lampiões, lo- cal de seresteiros e trovado- res, é hoje a Praça Aleixo Mafra (nome em homena- gem ao antigo pároco de São Miguel), popularmente conhecida como Praça do Forró. Este local é para a população de São Miguel Paulista, não somente um largo onde se localiza a ve- lha capela de 1622, constru- ída pelos índios de Ururaí, mas também um espaço público que oportuniza o encontro das pessoas, que com a liberdade e sem medo podem exercer sua humanidade entre risos e calor humano de amigos e conterrâneos. Cresceu o ar- raial, floresceu o bairro a partir da instalação da in- dústria, do aumento popu- lacional e da expansão co- mercial. Surgiram novas for- mas e concepções de vida. A grandeza natural pré-exis- tente à fase industrial pas- sou a ser o principal objeti- vo material utilizado pela indústria nascente. É a in- dústria que passa a caracte- rizar o bairro e não mais a sua origem indígena. Herança histórica Cultural Sabemos que muitos lei- tores desta matéria podem estar indagando: qual é a nossa pretensão ao escrever- mos sobre este tema? Esta- ríamos defendendo a estag- nação do arraial de Ururaí diante da modernidade? Desejamos esclarecer aos leitores que a resposta à indagação está ligada à teia de subjetividade e ao bus- carmos sua compreensão acreditamos ser necessário tecer algumas considera- ções: "Não podemos conce- ber o mundo como um con- junto de coisas acabadas, mas como um conjunto de processos em que as coisas que parecem estáveis pas- sam por uma série ininter- rupta de transformações, por um processo de surgi- mento e caducidade, nos quais, em última instância se impõe sempre uma tra- jetória progressiva." (En- gels) Assim, fugindo das con- cepções fatalistas, é impor- tante que todos aqueles que vivem no bairro conheçam sua história e a partir dela encontrem meios para rein- ventá-la. Nós humanos te- mos a ten- dência de hipervalori- zar o passa- do e muitos vezes, ao in- vés de proje- tarmos o fu- turo, retroa- gimos jo- gando nele todas nossas expectativas do presente. Esquecemos que ao fazer isto, esta- mos nos ali- e n a n d o , pois, joga- mos ao tem- po passado o que devería- mos fazer no presente. Es- quecemos que somos sujei- tos históricos e ao assumir a nossa condição humana é vital definir o que iremos construir socialmente: se um bairro que respeita o passado com sua herança histórica apenas como pa- trimônio, ou se um bairro que a partir desta herança é capaz de planejar e criar uma nova humanidade. Nesta perspectiva o di- reito a um bairro não pode ser concebido como simples retorno ao passado, mas deverá ser formulado como direito à vida urbana o que pressupõe o pensar integral sobre o bairro em todas as suas dimensões: histórica, cultural, educacional, soci- al, política e econômica. Enfim, é preciso que a população, conjuntamen- te, sem esquecer a origem histórica do bairro e sua evolução, conceba um novo projeto de bairro que atenda as novas necessida- des, resgatando valores es- senciais à verdadeira huma- nização.
  5. 5. P Á G . 5 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 Na noite de quinta-feira (05), a Associação Comerci- al Distrital de São Miguel Paulista realizou um coque- tel em sua sede com empre- sários e comerciantes da re- gião para dar as boas vin- das aos 391 anos do bairro. O evento aconteceu por vol- ta das 18h, cerca de 50 em- presários participaram do coquetel. Com uma nova gestão e cheio de expectativa para que a festa seja vista de uma maneira renovada, os orga- nizadores do evento alme- jam que este aniversário seja um marco na história de São Miguel Paulista. Em parce- ria com grandes empresas do bairro e junto da subpre- feitura local, todos estão trabalhando para que a co- munidade tenha um final de semana de festa com bastan- te entretenimento voltado para todas as faixas etárias. No coquetel também voltou a ser discutida a pro- gramação dos eventos, tais como Culto Evangélico, Ho- menagem aos Pioneiros, Domingo Radical, Sexta da Juventude, Dia da Família, Festa da Harmonia, Pintan- do na Praça, Passeio Ciclís- tico, Exposição Indígena, Comidas Típicas (Japonesa, Árabe e Brasileira), Concur- ACSP-Distrital São Miguel recebe organizadores da festa de São Miguel so de Miss São Miguel, Cam- peonato de Judô, Barraca da Saúde com testes de HIV e Sífilis, Baile da Melhor Idade e muitas outras ativi- dades culturais. O objetivo dos festejos deste ano é resgatar a ques- tão histórica do bairro for- mando um grupo represen- tativo com um único pro- pósito: criar um marco nos festejos de São Miguel Pau- lista. Durante o coquetel pôde- se notar que a maior con- quista em relação à festa foi a volta do Desfile Cívico para a tão tradicional Marechal Tito. Para homenagear ain- da mais a região, veja abai- xo alguns depoimentos da- dos por grandes líderes de São Miguel. FernandoVelucci- Superintendenteda ACSP-SãoMiguel "Desde criança eu sempre participei das festas do bair- ro de São Miguel, hoje vem modificando muito, a dife- rença atual é a participação do comércio, iremos ter uma festa mais composta, unida, porque o trabalho está sen- do feito, acredito que todos abraçaram o bairro. Hoje São Miguel é considerado o 3º Pólo Comercial da cidade de São Paulo.Parabenizo a to- dos organizadores da festa deste ano.” MIkan-Presidenteda Ass.CulturalDesportiva NikkeideSãoMiguel "Toda esta melhoria aqui na região é em função das coisas boas que estão vindo aqui para a zona leste, esta mudança do desfile para a Marechal Tito era o anseio de todos nós, acredito que o povo irá participar mais. Com certeza é tempo de mudança para nossa região". MarceloDória EmpresáriodoDepósito daLingeriedeS.Miguel "A acolhida de São Mi- guel é diferente, o povo da- qui é um povo acolhedor, as pessoas do bairro recebem a gente muito bem e está no DNA daqui. Eu não tenho como descrever o que sinto de estar hoje gerando empre- go nesta região e de poder oferecer produto de qualida- de. Estamos aqui para retri- buir ao bairro o que ele tra- rá para nós no ponto de vis- ta econômico. A loja está dentro de um contexto his- tórico de São Miguel, os se- tores homenageiam todas as ruas comerciais do bairro, têm a história da região em nossos murais". dito que uma festa deste ní- vel irá trazer bastante entre- tenimento aqui para a popu- lação e vai também realçar a importância de São Miguel dentro de São Paulo. Vale lembrar que hoje neste novo governo, São Miguel está no foco da administração. A re- gião será muito beneficiada pelo plano diretor, teremos a construção da escola do SENAC que terá 25 mil vagas por ano, 80% gratuito e no campo da educação isto é fantástico. São Miguel ga- nhou mais este presente e isto é fruto de todo o traba- lho do povo de São Miguel. Teremos o corredor Celso Garcia que irá começar pelo Itaim e terminará no Parque Dom Pedro, este projeto irá mudar o centro de São Mi- guel, que irá melhorar o trânsito da região. Portanto, isto irá beneficiar muitos tra- balhadores que passam ho- ras em conduções para che- gar até o trabalho. Então só a obra do corredor e o pla- no diretor vão criar um im- Setembro é o mês de aniversário de São Miguel Paulista. São 391 anos de tradição e miscigenações entre di- ferentes povos, de cul- turas que nascem e se desenvolvem no bairro entre moradores e visi- tantes. Para comemorar mais um ano do nosso bairro, a Subprefeitura São Miguel junto à Co- missão de Festejos pro- gramou atrações espe- ciais para prestigiar os 391 anos com muitos eventos culturais, es- portivos, religiosos e sociais. O mês inteiro será dedicado a alegrar e home- nagear São Miguel, "berço de São Paulo, patrimônio do Brasil". É importante destacar o papel desempenhado pelo subprefeito de São Miguel Engenheiro Aldo Antunes, que soube conduzir com magnitude as reuniões com a comunidade, dando espa- ço para as manifestações mais diversas. Esta postura democrática e conciliadora do subprefeito, somada aos esforços de bastidores em- preendidos pela chefe de gabinete Célia Aparecida Assumpção e a determinação do coordenador geral do evento, Marcos Romanoski, tornou possível realizar a melhor festa de aniversário de São Miguel dos últimos tempos. "Eu espero que o povo de São Miguel aproveite muito a festa de aniversário, pois a região aqui é carente, não temos muito espaço para a cultura, lazer, esporte... acre- pacto muito grande aqui na nossa região. Estou muito confian- te, com muita espe- rança, e nós da sub- prefeitura estamos sempre à disposição a todos da comunida- de". Aldo Antunes - Subprefeito de São Miguel "Desejo que nossa querida região de São Miguel seja cada vez mais forte na sua participação social, no fortalecimento das políticas publicas, em especial para as mulheres. Que a re- gião consiga crescer e se de- senvolver no sentido da ge- ração do trabalho e renda para aqueles que ainda não conseguiram melhorar a sua qualidade de vida. Penso que é necessário uma construção coletiva com todas as forças políticas para a região cres- cer; unir todos os projetos, unir os esforços em nome do crescimento e em nome de uma região fortalecida e sus- tentavelmente defensora do meio ambiente e de quali- dade de vida para todos". Célia Aparecida Assumpção - Chefe de Gabinete da sub- prefeitura de São Miguel. São Miguel se prepara para realizar a maior festa dos últimos anosA Subprefeitura teve participação em todas as etapas de organização do aniversário de São Miguel Subprefeito Eng. Aldo Antunes Célinha, Chefe de Gabinete da Subprefeitura
  6. 6. P Á G . 6 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 go com o projeto PET - Pro- grama de Educação para o Trabalho. São centenas de jovens e pessoas beneficia- das, direta e indiretamente, com os investimentos sociais. Para o gerente geral da unidade São Miguel Paulis- ta, Marcelo Oliveira Silvestre, os investimentos da empre- sa no bairro justificam a im- portância que São Miguel tem para o grupo Votoran- tim. Estamos aqui há 32 anos e nós orgulhamos de fazer parte da história do bairro e de ajudar a torná-lo um lu- gar melhor para se viver. Parabenizo o bairro São Mi- guel Paulista pelos seus 391 anos e também todas as pes- soas que ajudaram a escre- ver essa história de sucesso. Sobre a Votorantim Metais A Votorantim Metais é uma empresa do Grupo Vo- torantim, um dos maiores conglomerados empresariais da América Latina. A compa- nhia possui dezessete unida- des: onze no Brasil, quatro nos Estados Unidos, uma na China e uma no Peru. A Em- presa é a maior fabricante de níquel eletrolítico da Améri- ca Latina, líder no mercado brasileiro de alumínio e uma das cinco maiores produtoras de zinco do mundo. Votorantim Metais tem orgulho de participar da história de São Miguel Paulista O grupo Votorantim está presente no bairro de São Miguel Paulista há mais de sete décadas. A história de desenvolvimento do bairro de São Miguel Paulista se confunde com a história da Votorantim na região com as empresas Votorantim Metais e Nitroquímica. A Votorantim Metais, maior produtora de Níquel Eletrolítico da América Lati- na, está no bairro de São Miguel Paulista desde 1981. O envolvimento da empresa com o bairro vai além dos mais de 400 empregos dire- tos que ela gera e cujo cerca de 80% é da região. Por meio da Votorantim Metais e do Instituto Voto- rantim, o grupo entende a importância cultural do bair- ro e por isso apoiou a refor- ma e a restauração da Cape- la de São Miguel - uma im- portante obra da arquitetu- ra e da história de São Paulo e do Brasil. A empresa também se preocupa com o desenvolvi- mento local e regional. Em 2013, o Instituto Votorantim está investindo 700 mil reais em democratização cultural por meio dos projetos Ban- da Alana e Círculo de Leitu- ra, e em preparação de jo- vens para o primeiro empre- AAAAA VVVVVotorotorotorotorotorantimantimantimantimantim MetaisMetaisMetaisMetaisMetais temtemtemtemtem orororororgulhogulhogulhogulhogulho dedededede SãoSãoSãoSãoSão MiguelMiguelMiguelMiguelMiguel eeeee dedededede fazerfazerfazerfazerfazer parteparteparteparteparte dadadadada históriahistóriahistóriahistóriahistória eeeee dododododo desenvolvimentodesenvolvimentodesenvolvimentodesenvolvimentodesenvolvimento dadadadada ZonaZonaZonaZonaZona Leste. PLeste. PLeste. PLeste. PLeste. Parararararabénsabénsabénsabénsabéns SãoSãoSãoSãoSão MiguelMiguelMiguelMiguelMiguel pelopelopelopelopelo seuseuseuseuseu Aniversário.Aniversário.Aniversário.Aniversário.Aniversário.
  7. 7. P Á G . 7 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 utilizado na fabricação de cosméticos, proteção e aca- bamentos para madeira, re- pintura automativa e tinta para impressão de embala- gens. E são por estas e ou- tras que a Nitro Química se tornou um grande patrimô- nio histórico na região de São Miguel Paulista e é com imensa satisfação que cele- bramos junto a comunida- de mais está data tão im- portante. Parabéns São Miguel Paulista! É festa! Nitro Química e São Miguel comemoram mais um ano de aniversário Este mês a Nitro Quími- ca completa 78 anos; São quase 8 décadas de muito trabalho e desenvolvimen- to na área Química Industri- al. Desde 1935 a Nitro Quí- mica se consolida como a única indústria brasileira com permissão para fabricar Nitrocelulose; "Quando nos instalamos em São Miguel Paulista já éramos conside- rados uma empresa de gran- de porte, e desde então, fo- mos adaptando a nossa for- ma de atuação conforme as adversidades e as exigênci- as impostas pelo mercado. Pensar e agir de forma res- ponsável se tornou nossa maior obrigação e compro- metimento com a nossa gen- te" Afirma o Engenheiro Nelson Furlan, Funcionário Nitro Química há 44 anos . Além da Contribuição significativa que trouxe para a região de São Miguel Paulista, a empresa tam- bém foi responsável por fo- mentar a economia local entre a comunidade e seus colaboradores, oferecendo "Este ano estamos trazendo uma festa consolidada, teremos um final de semana de grande festa em São Miguel, teremos várias atividades que já aconteciam nos anos anteriores, tais como: Cultura, Lazer, Shows e uma série de eventos que irão marcar o final de se- mana. Um dos principais fatores que marcará o aniver- sário será o desfile, que volta para a Marechal Tito, e isto só foi possível com a ajuda de todos que estão participando do evento. As novas gestões: tanto a sub- prefeitura como a Associação comercial, tem trazido uma forma de se trabalhar mais juntos e esta união sempre traz ganhos. Acho que as conquistas que nós tivemos aqui, tal como a nova estação, mostra que jun- tos conquistamos o melhor para nossa região. O gran- de diferencial de São Miguel hoje é estarmos unidos, não só para fazer uma festa, mas também para que o bairro cresça". Marcos Romanoski- Coordenador de Produção na Cia Nitro Química Brasileira desde a sua fundação, uma grande oportunidade de encarreramento e qualida- de de vida, sendo umas das primeiras empresas a cons- truir creche, ambulatório, restaurante e um clube pró- prio para melhor atender seus colaboradores. Essas e outras atuações inovadoras estão no DNA da equipe desde tradições, fa- zendo da companhia Nitro Química a única fábrica da américa a produzir Nitroce- lulose, material base que é
  8. 8. P Á G . 8 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013
  9. 9. P Á G . 9 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 Há mais de 40 anos atu- ando no ensino superior, a Universidade Cruzeiro do Sul conta com, aproximada- mente, 28 mil alunos, dis- tribuídos em Graduação, Pós-graduação lato e stricto sensu, a distância e presen- cial, 450 funcionários e 500 professores distribuídos pe- los campi Anália Franco, Li- berdade, São Miguel e Pi- nheiros. É reconhecida por sua forte atuação na área social e pelo destaque em vários indicadores oficiais nas áreas de ensino, pesqui- sa e extensão. Integra a Cru- zeiro do Sul Educacional junto à Universidade Cida- de de São Paulo (São Paulo - SP), ao Centro Universitá- Universidade Cruzeiro do Sul é sinônimo de modernidade, credibilidade e respeito em São Miguel e zona leste reitora, somente o Campus de São Miguel Paulista tem cerca de 12 mil alunos em graduação por dia, sem con- tar alunos do colégio e pós- graduação; que também faz parte do corpo discen- tes do Grupo Educacional da Cruzeiro. "A universidade deseja que São Miguel tenha mais e mais sucesso, é um bairro que cresce e não é um bair- ro tão carente e tão pobre como as pessoas pensam, aqui é um bairro bom, as pessoas são muito calorosas e da mesma forma que as pessoas têm orgulho de ter a universidade Cruzeiro do Sul na região, podemos di- rio Módulo (Caraguatatuba - SP), ao Centro Universitá- rio do Distrito Federal (Bra- sília - DF), e pela Universi- dade de Franca (Franca - SP); um grupo de ensino superi- or de atuação nacional que reúne instituições academi- camente relevantes e mar- cas reconhecidas em seus res- pectivos mercados. Em entrevista ao Jornal Acontece Agora, a Pró-rei- tora de Extensão e Assuntos Comunitários Professora Dra. Janice Valia de Los San- tos, explica que a Universi- dade Cruzeiro do Sul tem um papel relevante em re- lação ao crescimento do bairro de São Miguel Pau- lista e não poderia ficar de fora de uma data tão espe- cial que é a comemoração dos 391 anos do bairro. "Este ano houve uma grande mudança em relação aos anos anteriores, a equi- pe de organizadores da fes- ta resolveu ampliar e centra- lizar as atividades, a festa este ano está maior, será toda realizada aqui na Praça do Morumbizinho. Teremos o "Dia da Responsabilidade Social" por um feliz acaso, este ano será no dia 21, ou seja, dia em que estaremos celebrando mais um aniver- sário de São Miguel". Segundo a professora Janice, São Miguel teve uma mudança muito gran- de principalmente nestes últimos 15 anos, e cresceu em torno da Universidade, "30 anos atrás já existia a Nitro Química, ela era a maior provedora de empre- gos e, com certeza, fez a região crescer muito, com o tempo, podemos dizer que atualmente ela come- ça a dividir com a Cruzei- ro, já que a Universidade gera muitos empregos na região, ela é hoje a empre- sa com maior número de funcionários passando a Ni- tro Química", frisa. Segundo aponta a pró- Prof. Dra. Janice Valia de Los Santos, pró-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários zer que a universidade tam- bém tem muito orgulho de estar em São Miguel Paulis- ta. É um casamento que deu certo", finaliza Janice. A Universidade Cruzeiro do Sul participará do Dia da Responsabilidade Social, a ser realizado no dia 21. Des- tinada à população geral, a programação possui diversas atividades gratuitas, com o intuito de fornecer à comu- nidade atendimentos, servi- ços úteis e preventivos, no campus São Miguel. As ati- vidades são promovidas pe- los cursos das áreas de Ciên- cias Administrativas, Negó- cios, Biológicas, Saúde, Hu- manas, Sociais e Exatas. Anuncie no mais completo e mais lido Jornal de São Miguel e região. Ótimas promoções e formas de pagamento. Consulte!!! 2031-2364 2513-0928 LIGUE E ANUNCIE Campus de São Miguel
  10. 10. PÁG.10 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 Castor Center uma das pioneiras no ramo de material para construção da região construção do bairro e, com isto, presenciou de perto o crescimento e todas as con- quistas da região. Com grandes expectati- vas de desenvolvimento, não demorou muito para que fosse inaugurada a se- gunda loja. No ano de 1981, a Castor inaugurou a segunda loja na mesma avenida situada na Avenida Dr. José Arthur da Nova, no Parque Paulistano. Na época a empresa comer- cializava apenas material bruto, hidráulico e elétrico. Após a abertura da segunda loja, a Castor Center passou a comercializar itens para acabamento. Atualmente a segunda loja se especializou na venda de madeiras. Em 1997 foi inaugurada a terceira loja em Guarulhos onde se tornou uma rede no setor de materiais para cons- trução. Com o avanço e cres- cimento das empresas nos anos de 2004, 2007 e 2011, a rede de materiais para construção Castor Center ampliou para 07 lojas distri- buídas dentro e fora do mu- nicípio de São Paulo. "Fomos um dos primeiros a nos instalar aqui, é muito A empresa Castor Center tornou-se uma das empresas mais antigas de São Miguel Paulista e tem ganhado des- taque como um dos patro- cinadores oficiais dos feste- jos de São Miguel. Em maio de 1977, fundou-se a primei- ra Loja de materiais para construção Castor Center em São Miguel Paulista, ini- cialmente eram cerca de 15 sócios, posteriormente deu continuidade na administra- ção da loja 03 sócios. A Castor Center é um das lojas tradicionais do bairro de São Miguel, e pode-se di- zer que foi uma das primei- ras lojas de materiais para Antiga fachada da Loja Castor bom ver que a região cres- ceu e nós acompanhamos. Temos muito a agradecer à São Miguel por todos estes anos, e temos que levar em conta que foi através deste bairro que conseguimos ex- pandir as outras lojas que temos", comenta o gerente de marketing Caio Almeida. Hoje a Castor Center pos- sui cerca de 250 funcionári- os, um dos mais antigos pos- sui cerca de 30 anos de em- presa. "Nosso diferencial está em manter nossos fun- cionários sempre bem pre- parados para lidar da me- lhor forma com nossos cli- entes, este é nosso segredo, oferecer produtos de quali- dade e confiança ao cliente e manter o melhor atendi- mento", conclui Caio. Caio Almeida - Gerente de Marketing
  11. 11. PÁG.11 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 ginalizadas da cidade de São Pau- lo e agora nós estamos vendo que as atenções do pode pú- blico estão v o l t a d a s para a Zona leste e eles querem me- lhorar a situ- ação, com c e r t e z a , quem ganha somos nós o povo, e nada me- lhor do que comemorar uma data com esta magnitude renovando as perspecti- vas de melhoria do bairro. Todo este investimento para zona leste é prova de que a região está em um ponto cru- cial de renovação, está ten- do um empenho muito gran- de das autoridades públicas, tanto municipal, como esta- dual e até investimento fe- deral, a construção do está- dio de futebol, primeiro jogo da abertura na Copa do Mundo, tudo isto caminha a passos largos para tentar ti- rar esta imagem ruim da zona leste, que é uma região esquecida de povo carente. Sendo que dá para se dizer hoje que a zona leste está se equiparando as outras regi- ões da cidade podendo da- qui a alguns anos passar à frente em termos de quali- dade de vida e urbaniza- ção", finaliza ele, desejando que a festa deste ano seja sucesso total. Maior Sindicato de Químicos da América Latina está em São Paulo e completa 80 anos ros na discussão que foi con- solidando o sindicato". Com cerca de 30 anos na região de São Miguel, Osval- do lembra que sempre o sin- dicato participou dos feste- jos de São Miguel, porém este ano, segundo ele, a fes- ta tem algo especial. "Este ano nós do sindica- to estamos participando ati- vamente do aniversário do bairro, uma coisa bem baca- na é que este ano estão res- gatando as histórias de São Miguel, e o sindicato faz par- te disto também, a própria empresa Nitro e os milhares de trabalhadores que por ali passaram... estamos honra- dos em fazer parte de um evento com esta magnitude". O diretor sindical diz ain- da que: "Quando se compa- ra a zona leste com outras regiões da cidade, ela é con- siderada uma das mais mar- O Sindicato dos Químicos de São Paulo está comemo- rando 80 anos. Para quem não sabe ele foi criado em 22 de janeiro de 1933, no bairro do Brás, para repre- sentar os trabalhadores da inglesa Companhia de Gás de São Paulo. As perseguições aos tra- balhadores na época eram muito intensas e, em dois anos, o Sindicato estava com as portas fechadas. Em 1938 surge o Sindicato dos Operários e Empregados na Fabricação de Produtos Quí- micos Industriais. E, em 1940, o Sindicato dos Traba- lhadores nas Indústrias Quí- micas e Farmacêuticas de São Paulo obtém reconhe- cimento oficial, de acordo com a estrutura sindical im- posta pelo governo Getúlio Vargas. Logo depois, uma subsede do Sindicato foi ins- talada na região de São Mi- guel Paulista para atender as necessidades dos funcioná- rios da empresa Nitro Quí- mica, considerada uma das maiores fábricas da Capital Paulista. Sempre empenhado a pro- teger os trabalhadores da re- gião, pode-se dizer que o Sin- dicato faz parte da história de São Miguel Paulista tanto quanto a Nitro Química. Em entrevista ao Jornal Acontece Agora, o diretor sin- dical Osvaldo Bezerra expli- ca que a subsede de São Mi- guel contribui até hoje com a vida dos aposentados da Nitro, " lá na subsede até hoje tem vínculos com os traba- lhadores aposentados e nós fazemos questão de dar todo suporte necessário para que eles mantenham esta rotina com o sindicato, afinal de contas eles foram os pionei- Diretor sindical Osvaldo Bezerra
  12. 12. PÁG.12 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 Léo Tintas: as cores que dão o toque certo para a região de São Miguel Com 15 anos no mer- cado, quem não poderia ficar de fora do grupo de patrocinadores das co- memorações do aniversá- rio de São Miguel é a Léo Tintas, que atua no mer- cado de tintas imobiliá- rias, industriais e auto- motivas oferecendo vari- edades e produtos com qualidade, atendimento personalizado e assistên- cia técnica com profissi- onais treinados e devida- mente qualificados. Com tradição no mer- cado Léo Tintas no ano de 2014 completará seus 15 anos de São Miguel. "Es- tamos na região há 40 anos no depósito Castor, então eu resolvi abrir uma loja de tintas. Semana que vem vamos abrir a 13° loja em Santa Isabel. Fui morador muitos anos aqui, sai há 03 anos, mas nasci aqui", comenta o empresário Léo Mariano. Com um imenso carinho pelo bairro, Leo lembra que vivenciou momentos de grandes conquistas na região e se alegra muito em fazer parte de um dos patrocinadores do even- to. "Tudo que conquista- mos foi em São Miguel, a nossa 1° loja nasceu aqui, procuro estar próximo dos acontecimentos do bairro de São Miguel. O que nos faz sermos patro- cinadores deste grande evento é saber que a equi- pe toda se uniu para fa- zer o melhor pela região". Sempre disposto a aju- dar o desenvolvimento do bairro, Leo Mariano diz que embora a região tenha tido seus avanços, o bairro precisa de me- lhorias no setor de lazer. "Poderia ter mais cultu- ra, lazer, um teatro ou shopping quem sabe? O bairro merece nosso me- lhor. É claro que houve muitas melhorias no bair- ro, tais como: a nova es- tação, terminal de ônibus no Lapenna, enfim, hou- ve muitas melhorias e es- pero que a cada ano me- lhore ainda mais. Aqui é uma região boa para morar, as pessoas são ale- gres, querem viver bem, só falta ajuda do poder público, assim a moradia será melhor". Atualmente LéoAtualmente LéoAtualmente LéoAtualmente LéoAtualmente Léo Tintas possui 13 lojasTintas possui 13 lojasTintas possui 13 lojasTintas possui 13 lojasTintas possui 13 lojas e tem 64 funcionáriose tem 64 funcionáriose tem 64 funcionáriose tem 64 funcionáriose tem 64 funcionários diretos.diretos.diretos.diretos.diretos. BOX 21 - A&R Moda Masc. e Fem. Infanto Juvenil... BOX 22 - A&R Modas Masc. e Fem. Sex Shop BOX 23 - A&R Modas Masc. e Fem. Sex Shop BOX 26 - Perfumaria, Óleos de Banho, Shampoo.. Parabenizamos o Bairro deParabenizamos o Bairro deParabenizamos o Bairro deParabenizamos o Bairro deParabenizamos o Bairro de São Miguel pelos 391 anos deSão Miguel pelos 391 anos deSão Miguel pelos 391 anos deSão Miguel pelos 391 anos deSão Miguel pelos 391 anos de história e desenvolvimentohistória e desenvolvimentohistória e desenvolvimentohistória e desenvolvimentohistória e desenvolvimento Avenida Marechal Tito, 955 - São Miguel Ainda temos Box para Locação. Venha Reservar o seu!!! BOX 1 - Celulares e acessórios em geral BOX 2 - Perfumes importados, maquiagem... BOX 4 - Celulares, Tablets, iluminação de festas... BOX 11 - Winas Fashion Confecção, acessórios... BOX 18 - Camaleão Refeições em geral BOX 20 - Jogos Xbox360, Play2, Controles, mouse... BOX 30 - Meninas Artesanatos & Presentes BOX 34 - Gilda Modas e Acessórios para Jovens BOX 42 - Pereira Calçados Femininos, Botas, etc... BOX 45 - Rosa Chik - Moda Íntima adulto e infantil BOX 47 - Miramoça Calçados femininos, bolsas BOX 54 - BMZS - Tudo para celulares em geral Léo Mariano
  13. 13. PÁG.13 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 conhecendo a cada dia a his- tória de muitos clientes bem de pertinho, isto é muito gratificante", garante ele. Já é o 4º. ano que a Ultra- jacui apóia os festejos de aniversário de São Miguel, "estou muito feliz por mais um ano poder participar, pois vejo que este ano esta- mos com uma grande equi- pe de organizadores do evento e acredito que São Miguel merece uma grande festa", finaliza ele. Ultrajacui: o diferencial do seu trabalho social to na região, Odir garante que seu principal diferenci- al é manter o cliente amigo da empresa. "Eu conheço muita gen- te por aqui e o meu traba- lho dá esta possibilidade, pois nestes anos todos, ga- nhei a confiança de muitos clientes, ou seja, o carteiro, o medidor da Sabesp, não precisa entrar na casa de nin- guém, mas eu ou alguém da minha empresa entra na casa dos nossos clientes e acaba Com uma bela história de responsabilidade social nos bairros carentes de São Mi- guel, a Ultrajacui é muito bem vista pelos moradores da região. Instalada na região de São Miguel há cerca de 13 anos, como de costume a empresa também faz parte dos patrocinadores do ani- versário do bairro. Uma das principais áreas que a empre- sa tem maior ação é o Jar- dim Pantanal e a Vila Reis, todo ano a empresa faz do- ações de presentes em datas como: festa do Dia das Cri- anças, Dia das Mães, Dia dos Pais, festas natalinas, festa da família e outras. Cerca de 02 mil famílias participam das festas. "Como eu trabalho e gan- ho meu pão aqui na região é desta forma que eu vejo uma maneira de reconhecer o que a região me proporci- ona e assim faço isto com muito carinho", frisou o empresário da Ultrajacui Odir Antonio Silveira. Com um grande concei-
  14. 14. PÁG.14 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 Geraldo Alckmin recebeu para entrevista exclusi- va as entidades representativas dos jornais de bair- ro AJORLESTE, AJORB e SINDJORB e 31 jornais e revistas da Zona Leste para falar de suas realizações para a cidade de São Paulo e em especial para a Zona Leste da capital. A entrevista durou cerca de 2h45min. e foi marcada pela descontração dos jor- nalistas presentes, governador e assessores da SE- COM. Cada representante de jornal fez uma pergun- ta. Segue abaixo o conteúdo da entrevista. Ao completar, em 1º de setembro, 118 anos de existência, os jornais de bairro da Cidade de São Pau- lo, a segunda maior grande imprensa regional do mundo, tem um papel imprescindível no desenvol- vimento e no futuro da maior metrópole da Améri- ca do Sul. Após uma pequena explanação sobre os jornais feita por Antonio Carlos Cimino presidente do Sindjorb e apresentação dos diretores dos jor- nais presentes, deu início a entrevista, uma iniciati- va da Ajorleste, que contou também com a presen- ça de assessores diretos da Secom e do secretário adjunto de Comunicação Márcio Aith. Entrevista Jornais - As obras do sistema viário de Itaquera, que abrigará a abertura da Copa do Mundo da Fifa de 2014 estão dentro do cronograma previsto e a Pre- feitura está cumprindo com a parte que ficou definida junto ao Governo? Alckmin - "Antes de responder a sua pergunta, gos- taria de revelar a importância da posse do professor David Uip na Secretaria Estadual de Saúde e que trou- xemos também para o Governo o Professor Ronaldo Laranjeira da UNIFESP. Nós vamos priorizar o trata- mento das pessoas com dependência química, seja ál- cool, seja drogas. Na região da Nova Luz vamos ter um mini hospital, na Rua Helvetia, onde havia um prédio abandonado, na antiga Cracolândia, vamos ampliar o número de leitos e atendimento para dar mais opor- tunidade de tratamento. Também o Cartão Recomeço que é preciso esclarecer que ele não é para o depen- dente e sim para as entidades terapêuticas que pro- movem o tratamento. O Governo paga pelo período que o paciente fica em tratamento, refazer a vida. O Brasil é o maior consumidor de crack do mundo e o segundo maior consumidor de cocaína. O problema da droga tem caráter epidêmico, é preciso uma mobi- lização de toda a sociedade, das famílias, das igrejas e das escolas para ajudar. Em relação à Zona Leste, queria dizer do nosso en- tusiasmo, nós temos investimentos históricos, expressi- vos. Não temos dinheiro público no estádio pois ele é privado. Nós temos investimentos públicos na região, mais especificamente no sistema viário. Obras no polo de Itaquera, no chamado mergulhão para tirar cruza- mento na Radial, a ligação leste/oeste que passa por cima da Radial, do Trem e do Metrô. Um grande via- duto e uma grande passarela. O entroncamento da Ra- dial Leste com a Jacu-Pêssego, com viadutos. O entor- no do estádio, com novas avenidas, novo sistema viá- rio ao custo de R$ 257 milhões. Todas obras dentro do cronograma. Já em dezembro entregaremos parte e o restante até março. Mais R$ 61,4 milhões da ligação Jacu-Pêssego, com alças de acesso e R$ 14,6 milhões da grande passarela. Um total de R$ 333 milhões só do Estado. Recursos Integralmente do Estado de São Paulo melhorando o sistema viário na região." Jornais - O que o senhor poderia nos dizer quanto aos investimentos da CDHU e a relação em unidades habitacionais na sua gestão? Alckmin - "Em relação a CDHU, nós somos o único estado brasileiro, dos 27 que põe 1 por cento do ICMS para moradia. Habitação de interesse social. São Pau- lo é único, dá R$ 1.2 bilhão por ano e cria uma cartei- ra para subsídio. Casa para quem não tem casa. Nós já entregamos 400 mil moradias no Estado de São Paulo. Quem ganha um salário mínimo pode ter acesso pa- gando R$ 101,00 de prestação. Temos hoje 40 mil uni- dades em construção, o que gera muito emprego. Em média 3 empregos por unidade. Estamos com unida- des em construção no Belém, Cangaíba, Iguatemi, José Bonifácio, dois conjuntos, Itaquera, Cidade Tiraden- tes e Ermelino Matarazzo. Nós criamos a chamada Casa Paulista onde o investimento é multiplicado. Com um bilhão a gente alavanca 4 bilhões de reais com parce- ria com o Governo Federal no Programa Minha Casa Minha Vida na Cidade de São Paulo à fundo perdido para poder ter viabilidade do sistema na cidade por causa do custo do terreno que é alto. Assinamos aqui no Palácio dos Bandeirantes um convênio com a presi- dente Dilma para viabilizar Cem mil apartamentos com o programa Federal que é complementado com recur- sos do Estado com subsídios de R$ 20 mil por unidade. R$ 2 bilhões. A novidade é que estamos terminando o edital para a PPP para a construção de 20 mil apartamentos no chamado centro expandido. Pari, Braz, Mooca, Luz, Cambuci. São áreas que têm Trem, Metrô, perto do em- prego, comércio, universidades, hospitais e que têm muitos galpões vazios e prédios vazios e terrenos aban- donados. A maioria em prédios novos e alguns pou- cos reformados. A iniciativa privada faz e o Estado en- tra com subsídios. O maior programa de requalifica- ção urbana." Jornais - Os investimentos para o Metrô e CPTM tem a participação do Governo Federal, qual a por- centagem, ou somente é do Governo do Estado de São Paulo? Alckmin - "O Brasil ultrapassou a casa de 201 mi- lhões de habitantes. Estado de São Paulo passou de 43 milhões de habitantes, sendo metade, 21,5 milhões na região metropolitana, com 8 mil Km², segundo da- dos do IBGE. O problema de mobilidade urbana é questão prioritária. Nós temos a terceira maior região metropolitana do mundo que é a de São Paulo. A pri- meira é Tóquio, segunda Nova Delli. A prioridade é transporte de alta capacidade sobre trilhos. Na Zona Leste temos a Linha 15, onde recentemente estivemos juntos em Vila Prudente e Oratório. São 17 estações, 24,5 Km, com uma demanda prevista de 800 mil passa- geiros por dia, 5,5 bilhões de investimento e espera- mos entregar agora em janeiro duas estações e o pri- meiro trecho. A estação de Vila Prudente e Oratório. O Monotrilho vai por cima da avenida, evita muita desapropriação, elétrico, não polui, silencioso e tem boa capacidade. Cerca de 40 a 50 mil passageiros/hora. Cada trem tem sete carros e transporta mil passagei- ros, substituindo 15 ônibus das ruas. Não tem um cen- tavo do Governo Federal. É tudo do Estado de São Paulo. O que tem são financiamentos, empréstimos, do BIRD, BNDS, Banco Mundial. Não é dinheiro orçamen- tário. Vamos entregando as estações até São Mateus e posteriormente Cidade Tiradentes. Governador Geraldo Alckmin concede entrevista exclusiva aos jornais de bairro Educação, saúde, segurança, transporte, manifestações, CDHU, Fatec, Etec, Metro, CPTM, EMTU, Fábricas de Cultura, Obras no entorno do Itaquerão, Sabesp, reeleição, denuncias em licitações do Metro, o governador fala tudo aos jornais da Zona Leste. Jornais - Quando será inaugurada em FATEC em Itaquera? Alckmin - "Em Itaquera, ao lado do estádio nós temos um complexo de ensino técnico e tecnológico. A FATEC não foi inaugurada, mas já está pronta e fun- cionando. A ETEC vai estar pronta em três meses, mais somente vai funcionar em agosto de 2014. O prédio da Etec será utilizado como apoio à abertura Copa do Mundo, ao Comitê Paulista. Os cursos da FATEC de Itaquera são: Mecânica In- dustrial, Processo de Soldagem, Automação Industrial, Fabricação de Peças e Projeto de Mecânica que ainda será implantado. Quatro faculdades com curso de 3 anos. A ETEC vai ter ensino médio integrado aos cursos técnicos. Projeto de Mecânica, Soldagem, Desenho de Construção Civil, Edificações, Projeto de Instalação Elé- trica Predial, Tecnologia da Informação, Informática, Segurança no Trabalho e Enfermagem. Jornais - As Fábricas de Cultura. Qual a previsão de expansão na Cidade de São Paulo e outros muni- cípios do interior? Alckmin - "Nós já temos inauguradas quatro Fábri- cas de Cultura na Zona Leste: Vila Curuçá, Sapopem- ba, Itaim Paulista e Belém. Funcionando com escola, teatro, música, balé, circo, biblioteca, internet, dança, instrumentos musicais. Um trabalho muito bonito. A quinta que em breve vamos inaugurar vai ser na Cida- de Tiradentes. Já está pronta. Com isso teremos somen- te na Zona Leste cinco Fábricas de Cultura, sem contar as outras nas regiões Norte e Sul". Jornais - A saúde tem sido o calcanhar de Aquiles em todas as administrações. Como médico, o que o senhor tem a dizer sobre o Programa Mais Médicos do Governo Federal? Alckmin - " Em relação à Saúde nós temos na Zona Leste um conjunto de obras programadas. Primeiro, o novo Pronto Socorro do Hospital Santa Marcelina que vai estar pronto e funcionando em abril. R$ 7,5 mi- lhões de investimentos do Governo do Estado. Refor- ma do Hospital Geral de São Mateus que vai estar pron- to agora em novembro, R$ 8,7 milhões. Despachei como o Professor David Uip e pedi para que o primei- ro hospital que ele vai visitar será o de São Mateus. Nós vamos fazer uma grande contratação de médicos. Os hospitais que são administração direta são mais com- plicados para admitir pois tem de se fazer concursos. O outro é o Hospital de Sapopembinha, que as obras serão iniciadas agora e concluídas em março de 2014. Depois o ambulatório do Hospital Leonor Mendes de Barros, que vamos reformar, R$ 49,7 milhões de inves- timentos. O Cândido Fontoura, mais o AME da Zona Leste, Hospital Geral de Guaianases, do Itaim Paulista, de Sapopemba e o Centro de Referência do Idoso em São Miguel. Ao todo são 8 hospitais púbicos do Esta- do na Zona Leste, além do Hospital de Vila Alpina. Quanto mais médico melhor. A questão é que fal- tam médicos para o SUS. Para a iniciativa privada não. O grande problema da Saúde é o financiamento do SUS. Ninguém aguenta ganhar o valor pago que é muito baixo. Dez Reais é um valor ínfimo. Faltam al- gumas especialidades: intensivista, anestesista, ortope- dista, pediatra. Vamos abrir as 50 AMES aos sábados para andar mais depressa as filas dos exames. Resso- nância Magnética, Ultrassonografia, Mamografia, al- guns podem fazer pequenas cirurgias. A partir do fim de setembro já vamos abrir. Continua na próxima página Governador reunido com representantes de jornais de bairro e diretores de jornais da zona leste
  15. 15. PÁG.15 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013 A outra linha da CPTM é a 13, que vai até o Aero- porto de Cumbica. Vocês já estão convidados, come- çam as obras no dia 16 de setembro e deve estar pron- ta no final do ano que vem. Começa no Braz, passa por cima da Ayrton Senna, Rio Tietê e depois da Dutra até chegar ao aeroporto. Nós vamos ter os dois aero- portos ligados pelo sistema metro-ferroviário. O Aero- porto de Congonhas pela Linha 17 do Metrô, Mono- trilho. Também estamos modernizando todas as estações. Acabou de ser entregue a de São Miguel é pratica- mente nova com acessibilidade etc. Vamos ter investimento federal na Linha 18 que deve ser licitada a PPP, que sai de Tamanduateí e vai para São Bernardo do Campo. Esta deve ter recursos do PAC de R$ 400 milhões. A primeira. Todas as outras é somente com recursos do Estado. Temos quatro Linhas em obras simultaneamente. A Linha 4 Amarela que já está funcionando, e vamos en- tregar mais 5 estações. Obras também na Linha 17, Li- nha 15 Monotrilho Tiradentes. Também a Linha 5 que sai de Santo Amaro e vai até a Chácara Klabin, são 11 estações. Vamos ter 6 tatuzões trabalhando ao mesmo tempo em São Paulo. Quatro obras de Metrô, e ainda mais três outras totalizando sete obras simultâneas que é recorde no mundo. Através da EMTU estamos cons- truindos vários Corredores Metropolitanos através do PCM (Programa de Corredores Metropolitanos de Transporte Coletivo), sendo destaque na Zona Leste, o BRT Perimetral Jacú Pêssego que ligará São Mateus ao Terminal CECAP em Guarulhos)" Jornais - A modernização da linha 3 vermelha do Metrô vai estar concluída até o início da Copa do Mun- do e a Linha Verde até Tiquatira, tem previsão? Alckmin - "A Linha 3 Vermelha, nós vamos ter 47 novos trens que serão entregues. Cada trem de Metrô tem seis carros. Com esses novos trens e o sistema ele- trônico em pleno funcionamento deveremos alcançar o tempo para 90 segundos de intervalo na Linha 3 Ver- melha e de 3 minutos de intervalo nos trens da CPTM. Com isso a superlotação deve diminuir sensivelmente. Depois nós temos a Linha 2 que é Metrô, sai da Vila Prudente e vai até Tiquatira, Dutra e Guarulhos, com 13 estações. Está em fase de licitação. Expectativa de início no primeiro trimestre de 2014. Por isso que anun- ciei a ampliação da Linha 15 vai ganhar mais 2.3 Km indo até o Ipiranga para distribuir melhor os usuári- os." Jornais - Direito de Manifestações X Direito de ir e vir. A sociedade está querendo uma atitude por parte do Governo pois a Constituição assegura o direito de ir e vir. O que o Governo de São Paulo pretende fazer para garantir tais direitos e coibir abusos? Alckmin - "Nós temos procurado garantir o direito de manifestação e até a segurança dos manifestantes. Por outro lado não se permite e não se permitirá o vandalismo e a depredação do patrimônio público ou patrimônio privado. A Polícia está orientada no senti- do de aceitar a manifestação mas é preciso respeitar o direito das pessoas. Houve um bloqueio da Régis Bit- tencourt e por consequência do Rodoanel. Será que é aceitável bloquear uma rodovia de fluxo tão impor- tante? Pessoas que têm compromisso ficarem prejudi- cadas. A gente tem procurado assegurar os direitos, tanto dos manifestantes quanto da sociedade, mas não aceitamos vandalismo nem depredação. Que manifes- tem mais sem prejudicar a outra parcela da popula- ção. Uma hora a Polícia é criticada e outra é cobrada. Acredito que estamos acertando. Por falar em Rodoanel, vamos, em abril entregar o Rodoanel Leste, interligando a Ayrton Senna a parte Oeste e Sul." Jornais - Saneamento: São Paulo está investindo em despoluição, tratamento de esgoto e de água. Qual o resultado atual dos investimentos? E a perspectiva a médio prazo? Alckmin - "Em um artigo técnico, o Brasil no ritmo que vai, universaliza o saneamento com 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado e 100% de esgoto tratado em 2122. São Paulo universaliza o saneamen- to no interior em 2014, no litoral em 2016 e na região Metropolitana de São Paulo em 2019, nos municípios operados pela Sabesp. A primeira tarefa é garantir água. Somos 21 milhões de pessoas à 700 metros de altura, no Planalto de Piratininga. Estamos buscando água até em Minas Gerais. Fizemos a primeira PPP do país em Taiaçupeba, Alto Tietê, o que garantiu mais 4 metros cúbicos por segundo de água. Vamos passar a buscar água no Rio São Lourenço em Juquitiba atra- vés de PPP ao custo de R$ 2,2 bilhões, em quatro anos a água vai subir a serra e estar aqui integrada no siste- ma. A cidade de São Paulo não cresce mais tanto, mas o entorno continua crescendo. Água com qualidade. É só abrir a torneira. Coletar e tratar o esgoto, ampli- ando as estações de tratamento. A mancha de polui- ção retrocedeu 140 Km no Rio Tietê. Trabalhando para alcançar o objetivo. Combater a poluição do rio, cons- cientizando para que não se jogue lixo. Refazer o Par- que do Tietê. Limpeza do Rio, ciclovia, áreas verdes, campo de futebol, quadras, áreas de lazer. A ciclovia vai ser paga com a economia do transporte do materi- al assoreado que hoje é feito por barcaça." Jornais - Projeto para o futuro. O senhor é candi- dato natural a reeleição em 2014. Dentro do contexto o que tem a falar à população. O que melhorou e o que vai melhorar com a sua permanência frente à ad- ministração do Estado de São Paulo? Alckmin - "Eu sempre tenho dito o seguinte: elei- ção é em ano par, nós estamos em ano ímpar. Tem dois ansiosos: os políticos e as jornalistas. Não sou fa- vorável a antecipar debate sucessório, primeiro por- que o povo não está muito ligado e segundo porque encurta o governo o Governo. Agora o negócio é tra- balhar, trabalhar, trabalhar. O ano que vem a gente discute o quadro político. Jornais - Sobre as manifestações em relação aos en- capuzados e mascarados que se escondem para prati- car quebradeiras? Alckmin -"Eu acho que a gente tem de agir de ma- neira a separar movimentos legítimos que colaboram com o processo democrático. Meu pai gostava de lem- brar, Santo Agostinho dizia: "Prefiro os que me criti- cam, porque me corrigem aos que os que me adulam porque me corrompem". Então a crítica é importante, é balizadora. Uma coisa é manifestação, luta política, reivindicação e outra coisa é depredação, destruição de patrimônio público. A gente vai acompanhando esse processo. A Polícia está bem orientada para sepa- rar joio do trigo, garantir manifestações, evitar abusos e os excessos devem acabar". Jornais - Sobre a denúncia de cartel em licitações do Metrô. O que o Governo está fazendo? Alckmin - "É importante esclarecer isso. Nós temos hoje os grandes investimentos no transporte de trem e de metrô. Uma empresa multinacional vai ao CADE e faz um acordo de leniência. Revela que em 1998, de- pois de licitações as empresas do setor se reuniram e fizeram um conluio para evitar disputa entre as mes- mas. Cartel se tem no mundo inteiro. Agora mesmo se descobriu um sobre aviação de carga. No Brasil a gen- te está caminhando para oligopólios. Surgiu a denún- cia, imediatamente a apuração através da Corregedo- ria Geral da Administração. Se isso realmente ocorreu, o Governo é vítima e foi prejudicado e as empresas vão ter de indenizar o Estado. Chamamos as empresas e a Siemens não compareceu. Conseguimos na Justiça o conteúdo do processo, pois o Estado é o maior inte- ressado, criamos uma comissão da transparência com onze entidades da sociedade civil e vamos não só apu- rar, mas requerer na Justiça a reposição dos valores ao Estado. O Estado não é citado, apenas empresas do setor. Só que as outras negam. A Siemens já é ré con- fessa, vai ter de pagar, só falta definir o valor que de- verá ser estipulado ao final do processo. Primeiro ver- dade absoluta, transparência total. Quero falar do nosso cuidado em licitações. O ano passado abrimos licitação para compra de 65 trens da CPTM. 520 va- gões. Abrimos as propostas e achamos caro. Estava tudo certo, várias empresas. Anulamos tudo e abrimos nova concorrência internacional. Perdemos um ano. O pre- ço caiu em 30% no custo de 35 trens e 22% no lote de 30 trens. No mesmo tempo o Governo Federal, através da CBTU abriu concorrência para compra de trens em Porto Alegre e Belo Horizonte. Só São Paulo tem em- presas de trem e Metrô. Um consórcio participou com- posto por CAF e Alston. Resultado: 90% Alston, 10% CAF, em Porto Alegre e em Belo Horizonte 90% CAF e 10% Alston. Não tiveram nem o cuidado de mudar os números. Também no Rodoanel a concorrência públi- ca internacional, 30% mais barato. Nós somos extre- mamente cuidadosos, transparência absoluta e se ti- ver agente público envolvido será rigorosamente pu- nido". Jornais- Educação: o que o Governo do Estado está fazendo de novo pela educação? Alckmin - "O ensino infantil de zero a cinco anos é de responsabilidade das Prefeituras. Estamos pela pri- meira vez pondo dinheiro fazendo 1.000 (mil) creches em 645 municípios que aderiram. De 6 a 14 anos é a escola de tempo integral. Nós já implantamos mais de 100 escolas de tempo integral e o resultado é um es- petáculo, onde os professores também trabalham em tempo integral com salário de 75% a mais. Se o profes- sor ganha R$ 5 mil ele vai ganhar R$ 8,75 mil de salá- rio. Nós estamos melhoran- do a auto estima dos alunos oferecendo o ensino médio junto com o ensino técnico. Estamos avançando na tec- nologia da informação e oferecendo oportunidade a jovens que sejam monitores ganhando cerca de R$ 400 por mês. A Escola da Família, que completou dez anos. Fize- mos uma festa no Parque da Água Branca com 8 mil jo- vens para comemorar. Estamos aumentando para R$ 500. O Governo paga a mensalidade da faculdade e o jovem universitário fica como instrutor universitário aos finais de semana nas escolas. O Governo paga R$ 500 e a faculdade abre mão dos outros valores da mensali- dade. É melhor receber R$ 500 por aluno do que nada. O aluno faz a faculdade de graça e presta serviço aos sábados ou aos domingos por 8 horas em escolas esta- duais. Ampliar as ETECs e FATEs. Acabamos de inaugurar a ETC dos Esportes na Vila Maria, formando técnicos em um ano e meio. A questão da progressão continuada: o aluno que faltar às aulas é reprovado todo ano. Se não falta, se ele vai à escola, porque ele não está apren- dendo? Se a família tem recursos contrata professor particular. Não podemos punir uma criança e criar uma cultura do fracasso. Jornais - Saúde: O senhor sancionou Lei que esta- belece salário de até R$ 14,7 mil para médicos no sis- tema de Saúde do Estado de São Paulo. O que melho- rou após a entrada da Lei em vigor? Alckmin - "Agora que vamos abrir os concursos, um grande pacote. Mas não temos dúvidas são dois as- pectos: salário e a carreira. O profissional precisa vis- lumbrar o futuro. Quem não for trabalhar para o go- verno vai contribuir para o INSS e o teto de aposenta- doria é de R$ 4,3 mil. No governo é integral. O plano de carreira de São Paulo está sendo implantado ago- ra. O que se tem são algumas especialidades: aneste- sistas, ortopedistas, intensivistas, pediatras. O grande problema nosso é residência médica. Vamos fazer resi- dência nesses setores, nessas áreas com maior falta, em um grande programa em hospitais universitários. Jornais - Sobre a terceirização do atendimento 190 da Polícia. Os atendentes serão treinados? O senhor acredita que eles terão discernimento e saber a impor- tância de uma ligação e capacidade para orientar em casos de emergência imprescindíveis para salvar vidas? Alckmin - "Nós queremos o policial na atividade fim, no policiamento ostensivo. Polícia na rua. Cria- mos o agente de vigilância penitenciária, substituímos a segurança de presídio e liberamos os 5 mil policiais militares para as ruas. Ninguém fugiu. Escolta: Estamos lutando com o Tribunal de Justiça, com o poder judiciário para fazer vídeo conferência para evitar deslocamentos e custos quando das audi- ências. Vamos colocar também agentes de escolta da Secretaria de Administração Penitenciária. A atividade do 190 está sendo estudado, ainda não está definido, mas eu vejo com bons olhos, porque uma equipe bem treinada só para fazer isso vai proporcio- nar um trabalho ótimo. O policial vai para a atividade de rua. No mundo inteiro, o policial que precisa ser um profissional muito bem treinado na atividade fim. Criamos o soldado temporário para serviços burocráti- cos, um jovem de 18 a 22 anos, que não anda armado. O objetivo é ter esses profissionais na atividade meio para liberar o policial para a atividade fim. Vamos inau- gurar o novo COPOM agora. Ao final da entrevista o secretário Márcio Aith agra- deceu a presença de todos e fez uma explanação onde relatou que um diretor de jornal de circulação nacio- nal o procurou para informar que devido a questões de modernidade estaria mudando a distribuição para gratuidade e distribuição seletiva em bairros, o que os jornais de bairro já faz isso há mais de 118 anos. Governador Geraldo Alckmin e Divaldo Rosa (Presidente do Grupo Acontece)
  16. 16. PÁG.16 1A QUINZENA DE SETEMBRO/2013

×