Automação da Engenharia Tema 10  - Grupo : Bruno Castro Costa   12.105.171-8  Tiago de Lima Cabrera   12.105.375-5  Paulo ...
Sumário <ul><li>Evolução da Engenharia </li></ul><ul><li>CAD/CAM/CAE e Simuladores; </li></ul><ul><li>Prototipagem Rápida ...
Automação da Engenharia <ul><li>Principais Objetivos do Engº Produção: </li></ul><ul><li>Verificar em quais casos são nece...
<ul><li>Dados importantes: </li></ul><ul><li>Hoje em dia os projetos estão cada vez mais complexos e com menos prazos para...
Automação da Engenharia <ul><li>Implantação da solução tecnológica: </li></ul><ul><li>Buscar a aproximação dos passos de i...
CAD/CAM/CAE Automação da engenharia
CAD/CAM/CAE <ul><li>CAD –  Computer-Aided Design </li></ul><ul><li>Desenho Auxiliado por Computador. </li></ul><ul><li>CAM...
Ciclo do Projeto do Produto
CAD – Sistemas & Aplicações <ul><li>Sistemas 2D; </li></ul><ul><ul><li>Pranchetas Eletrônicas: </li></ul></ul><ul><ul><li>...
Vantagens Sistemas 2D & 3D <ul><li>Possibilidade de envio de desenhos eletrônicos; </li></ul><ul><li>Baixo custo de aquisi...
Evolução
Evolução
Softwares 2D & 3D  2D 3D <ul><li>uto CAD </li></ul><ul><li>nventor </li></ul>Micro Station Catia Corel Draw <ul><li>olid W...
Sistemas CAD - Usuários
Sistemas CAD - Usuários
Exemplos
Definição <ul><li>CAM – Manufatura Auxiliada por Computador. </li></ul><ul><li>Tecnologia dedicada ao uso de sistemas comp...
Vantagens Sistemas CAM <ul><li>Prevê os erros de usinagem, antes que os mesmos sejam executados; </li></ul><ul><li>Não é n...
Com e Sem CAM <ul><li>Com CAM </li></ul><ul><li>Produto é projetado usando CAD </li></ul><ul><li>Especificações do produto...
Softwares CAM <ul><li>Master Cam; </li></ul><ul><li>Edge Cam; </li></ul><ul><li>NX 6 - Unigraphics; </li></ul><ul><li>ESPR...
Aplicações – CAM
Definição <ul><li>CAE – Engenharia Auxiliada por Computador. </li></ul><ul><li>A partir de modelos matemáticos que informa...
Vantagens Sistemas CAE <ul><li>Permite fazer certo da primeira vez; </li></ul><ul><li>Reduz o tempo do projeto; </li></ul>...
Exemplos de Softwares CAE <ul><li>Cosmos; </li></ul><ul><li>El Cad; </li></ul><ul><li>Super Form; </li></ul><ul><li>Visi F...
Aplicações – CAE Analise de elementos finito
Aplicações – CAE   Analise de elementos finito
Aplicações – CAE
Aplicações – CAE   Analise de elementos finito
Resultados da Análise
Exemplo de Aplicação CAD/CAM/CAE
Integração CAD/CAM/CAE
IMPLATAÇÃO CAD/CAM/CAE <ul><li>Custo da licença do software CAD High-end – U$ 20 000,00 </li></ul><ul><li>Custo da licença...
IMPLATAÇÃO CAD/CAM/CAE <ul><li>Tempo de Projeto </li></ul><ul><li>Prancheta = 1,5 meses  </li></ul><ul><li>CAD 2D = 1 mês ...
Integração e Evolução das Tecnologias
Bibliografia <ul><li>Departamento de marketing UGS Siemens – Regina Pinheiro </li></ul><ul><li>http://www.abepro.org.br </...
Prototipagem Rápida
Conceito <ul><li>“ O termo prototipagem rápida designa um conjunto de tecnologias usadas para se fabricar objetos físicos ...
História <ul><li>O primeiro processo de prototipagem rápida, sendo desenvolvido em 1986 pela 3D Systems foi a Estereolitog...
<ul><li>Todos os processos de prototipagem rápida atualmente existentes são constituídos por cinco etapas básicas:  </li><...
Esquema Representativo do   Processo
<ul><ul><li>Prototipagem SLA </li></ul></ul><ul><ul><li>Prototipagem FDM </li></ul></ul><ul><ul><li>Prototipagem MJM </li>...
Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem SLA </li></ul><ul><li>Fonte: HowStuffsWorks </li></ul>
Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem SLA </li></ul><ul><li>Fonte: Agepro 2006 </li></ul>
Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem FDM </li></ul>
Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem FDM </li></ul><ul><li>Fonte: Agepro 2006 </li></ul>
Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem MJM </li></ul>
Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem 3D Printing </li></ul>
Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem SLS </li></ul>
<ul><li>Custos: </li></ul>Comparação de Prototipagem
<ul><li>Custos: </li></ul>Comparação de Prototipagem
<ul><li>Tempo: </li></ul>Comparação de Prototipagem
<ul><li>Análise: </li></ul><ul><li>Fonte: Agepro 2006 </li></ul>Comparação de Prototipagem
Aplicações <ul><li>As técnicas de prototipagem rápida podem ser aplicadas às mais diversas áreas tais como, automotiva, ae...
Aplicações <ul><li>Prototipagem na engenharia: </li></ul><ul><li>- Desenvolvimento de novos produtos; </li></ul><ul><ul><l...
Aplicações <ul><li>Prototipagem na arquitetura </li></ul>
Aplicações <ul><ul><li>Neurocirurgia </li></ul></ul>
Aplicações <ul><ul><li>Oncologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Ortopedia </li></ul></ul>
Aplicações <ul><ul><li>Implantologia </li></ul></ul>
Aplicações <ul><li>Video Fetos </li></ul>
Bibliografia <ul><li>http://informatica.hsw.uol.com.br/estereolitografia4.htm </li></ul><ul><li>www.gorni.eng.br </li></ul...
Realidade Virtual e Aumentada
Introdução <ul><ul><li>Em um ambiente de realidade virtual, o usuário sente a  imersão , ou tem a sensação de estar dentro...
Definição <ul><ul><li>O que é Realidade Virtual?  </li></ul></ul><ul><li>Conjunto de métodos e tecnologias relacionadas co...
Histórico Fonte:  http:// wwwx .cs. unc . edu <ul><ul><li>Morton Heilig   – Década de 50 </li></ul></ul><ul><ul><li>Philco...
Funcionamento básico da Realidade Virtual
Funcionamento básico da Realidade Aumentada
Vantagens <ul><ul><li>Telepresença : onde o equipamento permite ao usuário visualizar ou até mesmo ter uma sensibilidade d...
Implementação <ul><li>Fatores de custo importantes: </li></ul><ul><ul><li>Tempo de desenvolvimento; </li></ul></ul><ul><ul...
Softwares <ul><ul><li>Realidade Virtual </li></ul></ul><ul><ul><li>Realidade Aumentada </li></ul></ul>
Aplicações <ul><ul><li>Educação </li></ul></ul><ul><ul><li>Arquitetura e urbanismo </li></ul></ul>
Aplicações <ul><ul><li>Medicina </li></ul></ul>
Aplicações <ul><ul><li>Jogos e entretenimento </li></ul></ul>
Aplicações <ul><ul><li>Engenharia </li></ul></ul>
Aplicações <ul><li>Video BMW </li></ul>
Bibliografia <ul><li>ACKERMAN, M. J. - Accessing the Visible Human Project. http://www.unicamp.br /NIB/visible/dlib.htm  <...
Dúvidas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Tema 10 Automação Da Engenharia

2,065

Published on

Published in: Education, Technology, Business
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,065
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tema 10 Automação Da Engenharia

  1. 1. Automação da Engenharia Tema 10 - Grupo : Bruno Castro Costa 12.105.171-8 Tiago de Lima Cabrera 12.105.375-5 Paulo Sergio Mendes 12.105.550-3
  2. 2. Sumário <ul><li>Evolução da Engenharia </li></ul><ul><li>CAD/CAM/CAE e Simuladores; </li></ul><ul><li>Prototipagem Rápida e Estereolitografia; </li></ul><ul><li>Realidade Virtual e Aumentada; </li></ul>
  3. 3. Automação da Engenharia <ul><li>Principais Objetivos do Engº Produção: </li></ul><ul><li>Verificar em quais casos são necessários a utilização das tecnologias de engenharia; </li></ul><ul><li>Analisar minuciosamente os pós e contras de cada tecnologia; </li></ul><ul><li>Estudar a viabilidade de cada caso dependendo do tipo de projeto; </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Dados importantes: </li></ul><ul><li>Hoje em dia os projetos estão cada vez mais complexos e com menos prazos para desenvolvimento (Time to Market); </li></ul><ul><li>Profissionais cada vez mais capacitados e polivalentes ao mesmo tempo (economia enxuta) </li></ul><ul><li>Trabalho em equipe, comunicação e motivação são essenciais para que qualquer medida seja tomada com sucesso; </li></ul>Automação da Engenharia
  5. 5. Automação da Engenharia <ul><li>Implantação da solução tecnológica: </li></ul><ul><li>Buscar a aproximação dos passos de implantação “real”, com modelos , métodos e visões de como deveriam ser processados; </li></ul><ul><li>Utilizar métodos como o CMM (Capability Maturity Model) para acompanhar e melhorar o projeto; </li></ul><ul><li>Fonte: The Business Of Projects </li></ul>
  6. 6. CAD/CAM/CAE Automação da engenharia
  7. 7. CAD/CAM/CAE <ul><li>CAD – Computer-Aided Design </li></ul><ul><li>Desenho Auxiliado por Computador. </li></ul><ul><li>CAM – Computer-Aided Manufacturing Manufatura Auxiliada por Computador </li></ul><ul><li>CAE – Computer-Aided Engineering Engenharia Auxiliada por Computador. </li></ul><ul><li>Fonte: www.technologyevaluation.com </li></ul>Automação da engenharia
  8. 8. Ciclo do Projeto do Produto
  9. 9. CAD – Sistemas & Aplicações <ul><li>Sistemas 2D; </li></ul><ul><ul><li>Pranchetas Eletrônicas: </li></ul></ul><ul><ul><li>- Elaboração de Plantas: </li></ul></ul><ul><ul><li>- Esquemas Elétricos; </li></ul></ul><ul><ul><li>- Desenhos Mecânicos Diversos; </li></ul></ul><ul><li>Sistemas 3D; </li></ul><ul><ul><li>Modeladores de Sólidos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Modeladores de Superfícies; </li></ul></ul>
  10. 10. Vantagens Sistemas 2D & 3D <ul><li>Possibilidade de envio de desenhos eletrônicos; </li></ul><ul><li>Baixo custo de aquisição de software e hardware; </li></ul><ul><li>Facilidade de reutilização das informações; </li></ul><ul><li>Maior precisão de dimensionamento. </li></ul><ul><li>Permite através do modelo 3D, obter quaisquer vistas que o usuário desejar; </li></ul><ul><li>Permite a criação de modelos paramétricos; </li></ul><ul><li>Facilidade de modificação; </li></ul><ul><li>Rapidez na elaboração; </li></ul><ul><li>Menor chance de erros; </li></ul><ul><li>Propicia a obtenção do volume, centro de massa, momentos de inércia, etc. </li></ul><ul><li>Verificação de Interferências em conjuntos; </li></ul><ul><li>Interação com softwares de CAM e CAE. </li></ul>
  11. 11. Evolução
  12. 12. Evolução
  13. 13. Softwares 2D & 3D 2D 3D <ul><li>uto CAD </li></ul><ul><li>nventor </li></ul>Micro Station Catia Corel Draw <ul><li>olid Works </li></ul><ul><li>ia CAD 2D </li></ul><ul><li>olid Edge </li></ul>MSCAD Mechanical Desktop ZW CAD <ul><li>ro Engineer </li></ul>Profi CAD Unigraphics
  14. 14. Sistemas CAD - Usuários
  15. 15. Sistemas CAD - Usuários
  16. 16. Exemplos
  17. 17. Definição <ul><li>CAM – Manufatura Auxiliada por Computador. </li></ul><ul><li>Tecnologia dedicada ao uso de sistemas computacionais para planejar, gerenciar e controlar operações de produção. </li></ul><ul><li>Uso de computadores para traduzir o projeto em um produto. </li></ul>
  18. 18. Vantagens Sistemas CAM <ul><li>Prevê os erros de usinagem, antes que os mesmos sejam executados; </li></ul><ul><li>Não é necessário que sejam feitos cálculos relativos a trajetória da ferramenta; </li></ul><ul><li>Permite usinagem livre de interferência e colisão; </li></ul><ul><li>Permite a otimização da usinagem; </li></ul><ul><li>Permite definir o tempo de ciclo de uma operação com exatidão; </li></ul><ul><li>Agilidade na preparação das máquinas. </li></ul>
  19. 19. Com e Sem CAM <ul><li>Com CAM </li></ul><ul><li>Produto é projetado usando CAD </li></ul><ul><li>Especificações do produto são enviadas pela rede para cada máquina </li></ul><ul><li>As máquinas possuem “inteligência” para produzir sem interferência humana </li></ul><ul><li>Sem CAM </li></ul><ul><li>Produto é projetado usando CAD </li></ul><ul><li>Cada máquina é programada separadamente para produção </li></ul><ul><li>OU </li></ul><ul><li>Empregados são treinados </li></ul><ul><li>para a produção </li></ul>
  20. 20. Softwares CAM <ul><li>Master Cam; </li></ul><ul><li>Edge Cam; </li></ul><ul><li>NX 6 - Unigraphics; </li></ul><ul><li>ESPRIT CAM 2009 </li></ul><ul><li>Anvil; </li></ul><ul><li>Cam Works; </li></ul><ul><li>Gibbs; </li></ul><ul><li>Pro NC </li></ul>
  21. 21. Aplicações – CAM
  22. 22. Definição <ul><li>CAE – Engenharia Auxiliada por Computador. </li></ul><ul><li>A partir de modelos matemáticos que informam a forma de carregamento das forças que um corpo irá sofrer em regime de trabalho, é possível conhecer a magnitude de tensões em cada ponto do modelo. </li></ul><ul><li>Com o resultado da simulação, podemos identificar as regiões com concentração de tensões a fim de minimizá-las modificando sua geometria, tornando-as mais eficientes </li></ul>
  23. 23. Vantagens Sistemas CAE <ul><li>Permite fazer certo da primeira vez; </li></ul><ul><li>Reduz o tempo do projeto; </li></ul><ul><li>Elimina o trabalho braçal do projetista com relação aos cálculos de projeto; </li></ul><ul><li>Melhora a eficiência e a eficácia do projeto e do produto; </li></ul><ul><li>Permite experimentar conceitos e testá-los rapidamente; </li></ul><ul><li>Reduz a quantidade de protótipos e testes práticos. </li></ul>
  24. 24. Exemplos de Softwares CAE <ul><li>Cosmos; </li></ul><ul><li>El Cad; </li></ul><ul><li>Super Form; </li></ul><ul><li>Visi Flow. </li></ul>
  25. 25. Aplicações – CAE Analise de elementos finito
  26. 26. Aplicações – CAE Analise de elementos finito
  27. 27. Aplicações – CAE
  28. 28. Aplicações – CAE Analise de elementos finito
  29. 29. Resultados da Análise
  30. 30. Exemplo de Aplicação CAD/CAM/CAE
  31. 31. Integração CAD/CAM/CAE
  32. 32. IMPLATAÇÃO CAD/CAM/CAE <ul><li>Custo da licença do software CAD High-end – U$ 20 000,00 </li></ul><ul><li>Custo da licença do software CAD Middle-end – U$ 5000,00 </li></ul><ul><li>Custo da licença do sistema CADCAMCAE – U$ 80000,00 </li></ul><ul><li>Custo da mão-de-obra - Projeto – R$ 70,00 / h </li></ul><ul><li>Custo da mão-de-obra - Ferramentaria – R$ 85,00 / h </li></ul><ul><li>Custo de Estampo novo – R$ 90 000,00 </li></ul>
  33. 33. IMPLATAÇÃO CAD/CAM/CAE <ul><li>Tempo de Projeto </li></ul><ul><li>Prancheta = 1,5 meses </li></ul><ul><li>CAD 2D = 1 mês </li></ul><ul><li>CAD 3D = 2 semanas </li></ul><ul><li>Tempo de Construção do Ferramental e Ajustes </li></ul><ul><li>Prancheta/CNC = 3 meses </li></ul><ul><li>CAD 2D/CNC = 2,5 meses </li></ul><ul><li>Sistema CAD/CAE/CAM = 1,5 meses </li></ul><ul><li>Problemas com Projeto/Construção/Ajustes </li></ul><ul><li>Prancheta < CAD 2D < Sistema CAD/CAE/CAM </li></ul>
  34. 34. Integração e Evolução das Tecnologias
  35. 35. Bibliografia <ul><li>Departamento de marketing UGS Siemens – Regina Pinheiro </li></ul><ul><li>http://www.abepro.org.br </li></ul>
  36. 36. Prototipagem Rápida
  37. 37. Conceito <ul><li>“ O termo prototipagem rápida designa um conjunto de tecnologias usadas para se fabricar objetos físicos diretamente a partir de fontes de dados gerados por sistemas de projeto auxiliado por computador (C.A.D). Tais métodos são bastante peculiares, uma vez que eles agregam e ligam materiais, camada a camada, de forma a constituir o objeto desejado” </li></ul><ul><li>Fonte: Revista Plástico Industrial, Março/2001 Autor: Antonio Augusto Gorni </li></ul>
  38. 38. História <ul><li>O primeiro processo de prototipagem rápida, sendo desenvolvido em 1986 pela 3D Systems foi a Estereolitografia. </li></ul><ul><li>O processo baseia-se na polimerização de uma resina foto-sensível (acrílica, epóxi ou vinil) composta de monômeros, fotoiniciadores e aditivos, através de um feixe de laser ultra- violeta (BADOTTI, 2003). </li></ul>
  39. 39. <ul><li>Todos os processos de prototipagem rápida atualmente existentes são constituídos por cinco etapas básicas: </li></ul><ul><li>Criação de um modelo CAD da peça que está sendo projetada; </li></ul><ul><li>Conversão do arquivo CAD em formato STL, próprio para estereolitografia; </li></ul><ul><li>Fatiamento do arquivo STL em finas camadas transversais; </li></ul><ul><li>Construção física do modelo, empilhando-se uma camada sobre a outra; </li></ul><ul><li>Limpeza e acabamento do protótipo </li></ul>Esquema Representativo do Processo
  40. 40. Esquema Representativo do Processo
  41. 41. <ul><ul><li>Prototipagem SLA </li></ul></ul><ul><ul><li>Prototipagem FDM </li></ul></ul><ul><ul><li>Prototipagem MJM </li></ul></ul><ul><ul><li>Prototipagem 3D Printing </li></ul></ul><ul><ul><li>Prototipagem SLS </li></ul></ul><ul><ul><li>Prototipagem LENS </li></ul></ul><ul><ul><li>Prototipagem LOM </li></ul></ul>Tipos de Prototipagem
  42. 42. Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem SLA </li></ul><ul><li>Fonte: HowStuffsWorks </li></ul>
  43. 43. Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem SLA </li></ul><ul><li>Fonte: Agepro 2006 </li></ul>
  44. 44. Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem FDM </li></ul>
  45. 45. Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem FDM </li></ul><ul><li>Fonte: Agepro 2006 </li></ul>
  46. 46. Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem MJM </li></ul>
  47. 47. Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem 3D Printing </li></ul>
  48. 48. Tipos de Prototipagem <ul><li>Prototipagem SLS </li></ul>
  49. 49. <ul><li>Custos: </li></ul>Comparação de Prototipagem
  50. 50. <ul><li>Custos: </li></ul>Comparação de Prototipagem
  51. 51. <ul><li>Tempo: </li></ul>Comparação de Prototipagem
  52. 52. <ul><li>Análise: </li></ul><ul><li>Fonte: Agepro 2006 </li></ul>Comparação de Prototipagem
  53. 53. Aplicações <ul><li>As técnicas de prototipagem rápida podem ser aplicadas às mais diversas áreas tais como, automotiva, aeronáutica, marketing, restaurações, educação, paleontologia e arquitetura. </li></ul>
  54. 54. Aplicações <ul><li>Prototipagem na engenharia: </li></ul><ul><li>- Desenvolvimento de novos produtos; </li></ul><ul><ul><li>Ferramenta rápida </li></ul></ul>
  55. 55. Aplicações <ul><li>Prototipagem na arquitetura </li></ul>
  56. 56. Aplicações <ul><ul><li>Neurocirurgia </li></ul></ul>
  57. 57. Aplicações <ul><ul><li>Oncologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Ortopedia </li></ul></ul>
  58. 58. Aplicações <ul><ul><li>Implantologia </li></ul></ul>
  59. 59. Aplicações <ul><li>Video Fetos </li></ul>
  60. 60. Bibliografia <ul><li>http://informatica.hsw.uol.com.br/estereolitografia4.htm </li></ul><ul><li>www.gorni.eng.br </li></ul><ul><li>http://newronio.espm.br/index.php/2009/06/15/realidade-aumentada-overloadedreloaded/#more-2951 </li></ul><ul><li>http://www.baixaki.com.br/info/2124-como-funciona-a-realidade-aumentada.htm </li></ul><ul><li>http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u616399.shtml </li></ul><ul><li>http://www.pdf-search-engine.com/realidade-aumentada-na-publicidade-pdf.html </li></ul><ul><li>http://www.brainstorm9.com.br/2009/03/10/realidade-aumentada-reinventa-mercado-de-cards-esportivos/ </li></ul>
  61. 61. Realidade Virtual e Aumentada
  62. 62. Introdução <ul><ul><li>Em um ambiente de realidade virtual, o usuário sente a imersão , ou tem a sensação de estar dentro e fazer parte daquele mundo. Ele também é capaz de interagir com seu ambiente de várias maneiras significativas. </li></ul></ul>
  63. 63. Definição <ul><ul><li>O que é Realidade Virtual? </li></ul></ul><ul><li>Conjunto de métodos e tecnologias relacionadas com a imersão do usuário em ambientes com aparência realística de comportamento e interação simulados pelo computador. </li></ul><ul><ul><li>O que é Realidade Aumentada? </li></ul></ul><ul><li>Sobreposição de objetos virtuais 3D gerados por computador em um ambiente real, por meio de algum dispositivo tecnológico como web-cams ou leitores de códigos de barras. </li></ul>
  64. 64. Histórico Fonte: http:// wwwx .cs. unc . edu <ul><ul><li>Morton Heilig – Década de 50 </li></ul></ul><ul><ul><li>Philco Corporation – 1961 </li></ul></ul><ul><ul><li>Ivan Sutherland – 1965 </li></ul></ul><ul><ul><li>Michael McGreevy – 1984 </li></ul></ul><ul><ul><li>Jaron Lanier – 1987 </li></ul></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento tecnológico – 1990 em diante </li></ul></ul>
  65. 65. Funcionamento básico da Realidade Virtual
  66. 66. Funcionamento básico da Realidade Aumentada
  67. 67. Vantagens <ul><ul><li>Telepresença : onde o equipamento permite ao usuário visualizar ou até mesmo ter uma sensibilidade do ambiente mesmo estando remoto </li></ul></ul><ul><ul><li>Espaço cibernético : onde uma representação gráfica das informações é feita no ambiente humano. </li></ul></ul>
  68. 68. Implementação <ul><li>Fatores de custo importantes: </li></ul><ul><ul><li>Tempo de desenvolvimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>Tempo de coleta de informações; </li></ul></ul><ul><ul><li>A validade e especificidade dos resultados obtidos. </li></ul></ul>
  69. 69. Softwares <ul><ul><li>Realidade Virtual </li></ul></ul><ul><ul><li>Realidade Aumentada </li></ul></ul>
  70. 70. Aplicações <ul><ul><li>Educação </li></ul></ul><ul><ul><li>Arquitetura e urbanismo </li></ul></ul>
  71. 71. Aplicações <ul><ul><li>Medicina </li></ul></ul>
  72. 72. Aplicações <ul><ul><li>Jogos e entretenimento </li></ul></ul>
  73. 73. Aplicações <ul><ul><li>Engenharia </li></ul></ul>
  74. 74. Aplicações <ul><li>Video BMW </li></ul>
  75. 75. Bibliografia <ul><li>ACKERMAN, M. J. - Accessing the Visible Human Project. http://www.unicamp.br /NIB/visible/dlib.htm </li></ul><ul><li>Carlson, Wayne. &quot;A Critical History of Computer Graphics and Animation.&quot; The Ohio State University. 2003.  </li></ul><ul><li>Sipress, Alan. &quot;Does Virtual Reality Need a Sheriff?&quot; Washington Post. 2 de junho de 2007. </li></ul><ul><li>Steuer, Jonathan. &quot;Defining Virtual Reality: Dimensions Determining Telepresence.&quot; Journal of Communications. Vol. 42, N.º 2. 1992. </li></ul>
  76. 76. Dúvidas

×