• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Release 1 t11
 

Release 1 t11

on

  • 958 views

 

Statistics

Views

Total Views
958
Views on SlideShare
958
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
9
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Release 1 t11 Release 1 t11 Document Transcript

    • Resultados do 1º trimestre de 2011 Resultados do 1º trimestre de 2011Relações com Investidores: Teleconferência 1T11:Leandro BousquetCFO e DRI PortuguêsDerek Tang 2 de maio de 2011Coordenador 9:00 horas (horário de Brasília) Tel: +55 11 3301-3000Leonardo VazquezAnalista RepetiçãoBruno Cani Tel: +55 (11) 3127-4999 Código: 43403402ri@brmalls.com.br 1Tel: +55 21 3138-9900Fax: +55 21 3138-9901
    • Resultados do 1º trimestre de 2011 A BRMALLS ANUNCIA EBITDA AJUSTADO DE R$140,6 MILHÕES NO 1T11, CRESCIMENTO DE 58,6% SOBRE O 1T10.Rio de Janeiro, 29 de abril de 2011 – A BRMALLS Participações S.A. (Bovespa: BRML3), a maior empresa int egrada deshopping centers do Brasil, anuncia hoje seus resultados ref erentes ao primeiro trimestre 2011 (1T11). A BRMALLSdetém participação em 40 shoppings, que totalizam 1.219, 2 m² de Área Bruta Locável (ABL) e 634,3 mil m² de ABLpróprio. A BRMALLS possui 3 projetos greenfield e 8 expansões em desenvolvimento, que somados elevam o ABL totalda companhia para 1.407,2 mil m² e o ABL próprio para 748,1 mil m² até 2013. A BRMALLS é a única empresa nacionalde shopping centers, com presença em todas as cinco regiões do Brasil, atendendo aos consumidores de todas asdif erentes classes sociais do país. A Companhia of erece serviços de administração ou comercialização para 32shoppings centers, nos quais 31 shoppings centers detém participação.Destaques do Primeiro Trimestre de 2011 e Eventos Subseqüentes:• No primeiro trimestre de 2011, a receita líquida cresceu 68,4%, alcançando R$179,1 milhões;• O NOI atingiu R$158,6 milhões no 1T11, com um crescimento de 70,5% sobre o NOI do 1T10 de R$93, 0milhões, registrando uma margem NOI no trimestre de 89,5%. Nosso NOI mesmos shoppings cresceu 26,0% notrimestre quando comparado ao 1T10.• O EBITDA ajustado alcançou R$140,6 milhões no trimestre, um crescimento de 58,6% comparado ao mesmo períododo ano anterior.• No 1T11, o Lucro Líquido foi de R$57,2 milhões, um crescimento de 36,1% em relaç ão ao ano anterior. Nosso FFOatingiu R$60,1 milhões, um aumento de 33,3% comparado ao mesmo período do ano anterior.O FFO ajustado registrouR$56,4 milhões no trimestre comparado a R$60,2 milhões no 1T10.• No trimestre aumentamos participação no Shopping Center Crystal Plaza, Shopping Piracicaba e ShoppingCuritiba, totalizando R$108,7 milhões em inv estimentos com TIR média real e desal avancada de 13,1%. Vendemosnossa participação de 814,9 m² de ABL no Esplanada Shopping por R$11,8 milhões, com TIR real de 16,7%.• Inauguramos esta semana, com grande sucesso, o Via Brasil Shopping e a expansão do ShoppingTamboré, adicionando em conjunto 30,1 mil m² do nosso ABL próprio, apresentando taxa de ocupação de 95% e100%, respectivamente.• Continuamos apresentando um alto índice de taxa de ocupação em nossos shoppings, alcançando uma média de98,1% do ABL total ocupado no 1T11, sendo que dos 39 shoppings em que detínhamos participação, 18 apresentarammais de 99,0% de seu ABL ocupado.• O leasing spread de renovações alcançou 28,1% e novos contratos atingiu 21,0% no trimestre, mostrando aelevada demanda dos lojistas por novos espaços aliada com nossa alta taxa de ocupação.• O aluguel mesmas lojas seguiu apresentando crescimento próximo aos dois dígitos, atingindo 9,7% no trimestre. Asvendas mesmas lojas registraram 8,7% de crescimento no mesmo período, impactado pelos ef eitos da alta base decomparação no 1T10 e o feriado da Páscoa. Excluindo as lojas mais afetadas, o SSS no 1T11 seria de 9,3%.• No primeiro trimestre de 2011, nosso ABL próprio e ABL total aumentou em 6, 9% e 1,8%, respectivamente emcomparação ao 4T10. Acrescentamos 11,2 mil m² de ABL próprio referente às aquisições, 14,3 mil m² com greenfieldse 15,1 mil m² com expansões.• Pré-pagamos em sua totalidade as parcelas à prazo pela aquisição do Shopping Tijuca de R$520,5 mihões, queseriam pagas em 10 parcelas trimestrais após o 21º mês com custo de CDI+2% a.a, substituindo por um CRI commesmo volume, 14 anos de prazo, carência de 2 anos e amortizações mensais, a um custo de TR+10,7% a.a. 2
    • Resultados do 1º trimestre de 2011• Concluímos a captação de US$230 milhões através da emissão de um bônus perpétuo auma taxa de 8,50% a.a. Realizamos um swap a uma taxa de 99,15% do CDI até a data daopção de recompra em janeiro de 2016. Captamos no trimestre um total de R$670,7 milhõesem linhas de TR para o Shopping Tijuca, Shopping Tamboré e Mooca Plaza Shopping. Destaques Financeiros (R$ mil) 1T11 1T10 % Receita Líquida 179.083 106.325 68,4% Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas 24.549 15.904 54,4% Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas (% Rec Bruta) 12,7% 13,7% -1,1% NOI 158.635 93.021 70,5% margem ajustada efeito Ub erlândia % 91,5% 88,8% 2,7% Lucro Bruto 160.068 94.412 69,5% margem % 89,4% 88,8% 0,6% EBITDA 139.314 87.560 59,1% EBITDA Ajustado 140.602 88.638 58,6% margem ajustada efeito Ub erlândia % 79,3% 83,4% -4,1% Lucro Líquido 57.224 42.052 36,1% margem % 32,0% 39,6% -7,6% FFO 60.077 45.055 33,3% FFO Ajustado 56.433 60.177 -6,2% margem % 31,5% 56,6% -25,1% Destaques Operacionais 1T11 1T10 % ABL Total (m²) 1.173.179 1.034.911 13,4% ABL Próprio (m²) 603.633 467.752 29,0% Vendas Mesmas Lojas / m² 1.038 956 8,7% Vendas Totais (R$ m ilhões) 3.251 2.702 20,3% Vendas / m² 955 897 6,4% Vendas / m² (lojas até 1.000 m²) 1.347 1.293 4,1% Vendas mesmas lojas/ pé² (US$) (lojas até 1.000 m²) 920 828 11,2% Aluguel Mesm as Lojas / m² 62 57 9,7% Aluguel / m ² 83 68 21,2% NOI / m² 94 73 29,9% Custo de Ocupação (% das vendas) 10,5% 10,2% 0,3% (+) Aluguel (% vendas) 6,5% 6,4% 0,1% (+) Condomínio e Fundo de Promoção (% vendas) 4,0% 3,8% 0,2% Ocupação (média trimes tral) 98,1% 97,9% 0,2% Inadimplência Líquida 1,3% 1,6% -0,3% Pagam entos em Atraso (média trimestral) 3,6% 3,7% -0,1% Turnover das lojas 5,0% 4,5% 0,5% Leasing Spread (renovações) 28,1% 18,3% 9,8% Leasing Spread (novos contratos) 21,0% 12,6% 8,4% Indicadores de Mercado 1T11 1T10 % Número Total de Ações 406.884.274 404.825.782 0,5% Número de Ações em Circulação 383.135.379 378.022.816 1,4% Preço Médio da Ação (R$) 16,04 10,86 47,7% Preço Final da Ação (R$) 17,00 10,39 63,6% Valor de Mercado - final do período (R$ milhões) 6.917 4.206 64,5% Volume Médio Diário Negociado (R$ milhões) 27,9 27,2 2,6% Dólar(US$) Final 1,63 1,78 -8,4% Dívida Líquida (R$ milhões) 1.898,8 413,4 359,3% NOI por ação 0,39 0,23 69,7% Lucro Líquido por ação 0,14 0,10 35,4% FFO Ajustado por ação 0,14 0,15 -6,7% EV/EBITDA 2011 (anualizado) 15,7 13,0 20,3% P/FFO 2011 (anualizado) 30,6 17,5 75,4% * Checar glossário para definições 3
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Comentários da Administração:Iniciamos o ano de 2011 apresentando forte desempenho nos nossos três vetores de crescimento: shoppingsatuais, aquisições e desenvolvimento. Assim como em 2010, continuamos sendo benef iciados por um cenárioeconômico ainda muito favorável para o país e para o setor de varejo.No primeiro trimestre de 2011, aumentamos participação no Shopping Center Crystal Plaza, Shopping Piracicaba eShopping Curitiba, totalizando R$108,7 milhões em investimentos. Com as ref eridas aquisições, consolidamos nossaposição em Curitiba, alcançando um ABL próprio de 74,7 mil m². O NOI realizado dos shoppings adquiridos por nósdesde 2006 apresentaram um crescimento real de 27,2%, bem acima do que estava projetado para o 1T11.Nessa semana adicionamos 30,7 mil m² de ABL próprio ao portfólio da companhia com as inaugurações do Via BrasilShopping e Expansão do Shopping Tamboré,elevando o nosso numero total de shoppings para 40, dos quais 10 estãolocalizados no estado do Rio de Janeiro.Possuímos ainda três outros projetos de desenvolvimento em andamento, que seguem em linha com o cronograma, eque devem adicionar 72,4 mil m² de ABL próprio. O Mooca Plaza S hopping está previsto para inaugurar no 4T11 e jápossui cerca de 80% de seu ABL comercializado a cerca de 6 meses da inauguração. Adicionalmente, temos oitoexpansões planejadas até 2013, representando uma adição de 42,2 mil m² de ABL próprio.Em nossos shoppings existentes, vendas mesmas lojas (SSS) registraram um crescimento de 8,7%, quando comparadoao mesmo período do ano anterior, impactado pelos efeitos da alta base de comparação do 1T10 e da sazonalidade daPáscoa, que nesse ano ocorreu na segunda quinzena do mês de abril. O aluguel mesmas lojas (SSR) cresceu próximoaos dois dígitos, alcançando 9,7% para o mesmo período, contribuído pelos reajustes reais dos aluguéis além da alta doIGP-M.O nosso NOI cresceu 70,5%, comparado ao 1T10, atingindo R$158,6 milhões, com uma margem de 91,5% ajustandopelos ef eitos não recorrentes do Shopping Uberlândia. O NOI mesmos shoppings cresceu 26,0% em relação ao mesmoperíodo em 2010, benef iciado pelos altos patamares de leasing spread e taxa de ocupação. O EBITDA ajustado totalizouR$R$140,6 milhões, sendo 58,6% superior ao 1T10, com uma margem de 79,3%.Um dos destaques do trimestre foi a taxa de ocupação que registrou 98,1%, completando um ano em patamar acima de98% e um crescimento de 0,2 p.p. sobre o mesmo período do ano anterior. Nossa inadimplência líquida totalizou 1,3%no trimestre, uma redução de 0,3 p.p. comparada ao 1T10, indicando o bom momento dos nossos lojistas. O custo deocupação seguiu apresentando níveis baixos, encerrando o trimestre em 10,5% e contribuindo para que possamoscontinuar obtendo elevado leasing spread em nossas renovações e novas locações.No trimestre comercializamos 218 lojas, representando um ABL total de 21,7 mil m². Dos quais destacamos acomercialização de projetos de desenvolvimento e expansões, que totalizaram 71 contratos, um ABL total de 10,3 mil m².A alta taxa de ocupação de nossos shoppings, além do foco em controlar os custos de ocupação e a boa performancede vendas de nossos lojistas contribuíram para que alcançássemos um alto leasing spread de renovações e novaslocações no trimestre que registraram 28,1% e 21,0%, respectivamente.As boas condições no mercado nos deixam conf iantes para seguir aproveitando as oportunidades de crescimento ebuscar melhorar ainda mais a nossa ef iciência. Temos a inauguração de mais um projeto greenf ield e uma expansãoprevista para esse ano e esperamos ao longo do ano anunciar novos projetos de desenvolvimento e, dentro da nossaestratégia, continuar crescendo através de aquisições. 4
    • Resultados do 1º trimestre de 2011As inf ormações financeiras e operacionais a seguir, exceto onde indicado ao contrário, são apresentadas em Reais(R$), e as comparações ref erem-se ao 1º trimestre de 2010 (1T10). As tabelas com os resultados no padrão daspráticas contábeis adotadas no Brasil e normas expedidas pela CVM estão disponíveis ao f inal deste documento.As informações trimestrais - ITR consolidadas foram preparadas e estão sendo apresentadas de acordo com aspadrões internacionais de demonstrações financeiras (International Financial Reporting Standards) emitidos peloInternational Accounting Standards Board.Em atendimento às Instruções CVM 603/ 09 e CVM 626/10, a Companhia está reapresentando as ITRs do 1T10 paraque as mesmas estejam também de acordo com a norma internacional de contabilidade IAS 34 - DemonstraçãoFinanceira Intermediária, emitida pelo IASB - International Accounting Standards Board. Nesse contexto, a únicadif erença entre as práticas contábeis adotadas anteriormente pela BR Malls no consolidado (adoção antecipada) e IAS34, ref ere-se ao saldo de Ativo Dif erido, que f oi revertido conf orme demonstrado na Nota Explicativa 2.Em virtude da imaterialidade desse ajuste, a administração da Companhia decidiu por não alterar o comentário dedesempenho, uma vez que a baixa do Ativo Dif erido não gera impactos signif icativos nas análises, índices e resultados . COMENTÁRIOS DA ADMINISTRAÇÃO SOBRE OS RESULTADOS DO 1T11Receita Bruta:No trimestre alcançamos uma receita bruta de R$193, 9 Evolução da Receita Bruta (R$ mil)milhões, um crescimento de 67,2% quando comparado 67,2%ao mesmo período do ano anterior. O crescimento dareceita bruta no trimestre é explicado principalmentepelos f atores abaixo: 193.895 115.960Aluguel mínimoNo período obtivemos um crescimento de R$44,2milhões, ou 68,1% em relação ao 1T10. Esse aumento éjustif icado pelo crescimento nas taxas de leasing spreadde novos contratos e renovações, o aumento da inf lação 1T10 1T11sendo repassado nos reajustes contratuais e as Aluguel Percentualaquisições/inaugurações concluídas ao longo de Obtivemos um aumento de R$4,3 milhões, ou 53,0%2010, conjuntamente com os 3 aumentos de sobre o 1T10,explicado principalmente pelo crescimentoparticipações anunciados no trimestre. O ef eito da de 20,3% nas vendas totais dos lojistas, e aslinearização de aluguel f oi positivo em R$10, 0 milhões no aquisições/inaugurações de novos shoppings ao longo de1T11; 2010, contribuindo com 25,7% da receita de aluguel percentual total. Nesse trimestre essa linha foiMall & Merchandising negativamente impactada pela Páscoa, distorcendo aRegistramos uma rec eita de R$17,0 base de comparação entre 1T11 e 1T10. Cerca de 30,0%milhões, representando um aumento de 69,7% em da receita de aluguel percentual f oi de lojas auditadas norelação ao mesmo período do ano passado, em grande trimestre. A receita de aluguel percentual representouparte devido às aquisições/inaugurações de novos 9,0% da receita total de aluguel no período;shoppings ao longo de 2010, atingindo 23,5% da receitade mall & merchandising total. A receita representou Taxa de cessão (luvas)7,2% da receita total de aluguel do trimestre; Aumento de R$7,5 milhões, ou 152,8% em relação ao mesmo período do ano anterior, excluindo os ef eitos daPrestação de serviços linearização. Este crescimento foi benef iciado peloAumento de R$5, 3 milhões, ou 47,4% de crescimento em aumento do ritmo de comercialização de nossosrelação ao mesmo período do ano anterior. Esse greenf ields e expansões em comparação ao ano anterior.crescimento é explicado pelo maior número de shoppings A taxa de cessão incluindo os ef eitos da linearizaçãoadministrados pela Companhia, sendo 29 nesse trimestre aumentou em R$4,3 milhões ou 135,1% comparado aocomparado a 22 no 1T10, além da entrada do Shopping 1T10. Nosso estoque de CDU no 1T11 f oi de R$84,4Uberlândia ao CSC, totalizando 23 shoppings no 1T11 milhões, um crescimento de 98,9% em comparação aointegrados ao CSC. 1T10; 5
    • Resultados do 1º trimestre de 2011EstacionamentoRegistramos um crescimento de R$12, 7 Evolução NOI Estacionamento (R$ mil)milhões, ou 89,9% comparado ao mesmo períododo ano anterior. O crescimento é em grande part eexplicado pela alteração na estrutura societária daoperação de estacionamento de parte de nossos 77,4%shoppings. Além disso, a entrada de novosshoppings adquiridos desde o 1T10 contribuiu com 22.48141,3% do crescimento registrado nessa linha. No1T11, o NOI de estacionamento registrou um 12.673crescimento de 77,4%, somando R$22,5 milhões. 1T10 1T11 Distribuição da Receita Bruta 1T11 Aluguel 0,9% 1,3% 56,3% Estacionamento 3,9% 71,5% Aluguel Mínimo Prestação de Serviços 8,5% Aluguel Percentual Taxa de Cessão Outras Mall & Merchandising Taxa de Transferência 13,9% Aluguel Mínimo 6,4% 8,8% Aluguel Percentual Mall & Merchandising Abertura da Receita Bruta (R$ mil) 1T11 1T10 % Aluguel Mínimo 109.102 64.891 68,1% Aluguel Percentual 12.452 8.137 53,0% Mall & Merchandising 17.020 10.032 69,7% Estacionamento 26.898 14.163 89,9% Prestação de Serviços 16.552 11.226 47,4% Taxa de Cessão 7.520 3.199 135,1% Taxa de Transferência 1.779 483 268,3% Outras 2.572 3.829 -32,8% Receita Bruta 193.895 115.960 67,2% 6
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Receita Líquida: Evolução da Receita Líquida (R$ mil)No trimestre a receita líquida alcançou R$179,1 68,4%milhões, representando um crescimento deR$72,8 milhões, ou 68,4% comparado ao 1T10. 179.083Excluindo os ef eitos da linearizaç ão a receita 106.325líquida seria de R$174, 1 milhões no trimestre, umaumento de R$67,5 milhões, ou 63,3% comparadoao mesmo período do ano anterior. 1T10 1T11Custos: Evolução dos Custos (R$ mil)Nesse trimestre os custos de aluguéis e serviçosaumentaram em R$7,1 milhões, ou 59,6% quandocomparado ao 1T10. Excluindo os custos não 59,6%recorrentes ref erentes ao condomínio doUberlândia, o custo seria de R$17,0 milhões no 19.0151T11, representando um aumento de 42,4%. Oscomponentes do custo responsáveis por esseaumento f oram: 11.913 1T10 1T11 Diversos Serviços Custo com Pessoal Incremento de R$3,6 milhões devido Aumento de R$2,5 milhões nos custos com principalmente ao ef eito não recorrente dos custos pessoal. O principal impacto foram os custos condominiais do Center Shopping Uberlândia que condominiais do Center Shopping Uberlândia somaram R$2,0 milhões no trimestre, além do conf orme explicado anteriormente, representando aumento de nosso ABL devido à entrada de novos 11,0% do total de custos de pessoal, e o aumento shoppings ao longo de 2010. A reestruturação de nosso ABL devido a adição de novos societária do shopping foi realizada em f evereiro de shoppings em nosso portf ólio ao longo de 2010. 2011, portanto esses custos começaram a transitar Além disso, ocorreu a mudança na estrutura no condomínio a partir dessa data, não tendo mais societária de algumas operações de impacto no resultado da Companhia para os estacionamento, e o maior esf orço em auditoria trimestres posteriores. também contribuiu para o aumento nessa linha, porém trazendo como ef eito um aumento de 53,0% na receita de aluguel percentual para o trimestre. 7
    • Resultados do 1º trimestre de 2011 NOI:No 1T11 o NOI f oi de R$158,6 milhões, umcrescimento de R$65,4 milhões ou 70,5% quando Evolução do NOI (R$ mil)comparado ao mesmo período do ano anterior. A e da Margem NOI (%)margem NOI no trimestre f oi de 89,5%, umcrescimento de 0,7 p.p em relação ao 1T10. A 88,8% 89,5%margem f oi novamente impactada pelos ef eitos nãorecorrentes do Center Shopping Uberlândia 70,5%conf orme explicado anteriormente, e também pelaalteração na estrutura societária das operações de 158.635estacionamento que passaram a reconhecer areceita e o custo separadamente a partir do f inal do1T10. A margem NOI ajustada pelos ef eitos não 93.021recorrentes do Uberlândia seria de 91,5% no1T11, um crescimento de 2,7 p.p. 1T10 1T11 Evolução do NOI Mesmos Shoppings (R$ mil) 26,0% Observamos no trimestre um crescimento de NOI mesmos shoppings de 26,0% em comparação ao 1T10. Os shoppings administrados pela BRMALLS obtiveram um crescimento de NOI mesmos shoppings 111.552 de 27,5%. A maior parte de nosso NOI no trimestre 88.539 (89,2% ) f oi concentrado nos 29 shoppings administrados pela Companhia onde nossa participação média é de 63,1%. 1T10 1T11 NOI e Vendas por Shopping (R$ milhões) NOI 1T11 Vendas 1T11 Reconciliação do NOI (R$ mil) Shopping Tijuca 17.667 140.664 1T11 1T10 Plaza Shopping 17.512 163.688 NorteShopping 15.247 262.884 Receita Bruta 193.895 115.960 Shopping Uberlândia 8.153 104.070 (-) Prestação de Serviços (16.552) (11.226) Shopping Recife 7.943 263.372 (-) Custos (19.015) (11.913) Shopping Metrô Santa Cruz 7.147 74.937 (+) Debêntures do Araguaia 1.288 1.078 Shopping Tamboré 7.091 81.980 (+) Crédito Presumido PIS/COFINS (981) (878) Shopping Del Rey 6.136 107.597 NOI 158.635 93.021 Campinas Shopping 6.102 66.405 Margem % 89,5% 88,8% Granja Vianna 5.664 51.419 Margem Ajustada %* 91,5% 88,8% Shopping Estação 5.335 69.178 * Ajustado pela receita e custos condominiais do Uberlândia Shopping Campo Grande 5.126 72.848 Shopping Villa-Lobos 4.754 119.772 Fashion Mall 4.709 53.605 Ilha Plaza Shopping 4.185 57.447 Independência Shopping 4.104 45.222 Goiânia Shopping 3.786 64.264 82,4% do NOI do 1T11 Outros 27.972 1.451.925 Total 158.635 3.251.278 * NOI considerando os efeitos da linearização 8
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas: No 1T11 as despesas com vendas, gerais e Evolução das Despesas Gerais e administrativas, excluindo depreciação e Administrativas (R$ mil) amortização totalizaram R$24,5 milhões, um crescimento de 54,4% em relação ao 1T10, ou seja 54,4% um aumento de R$8,6 milhões. A despesa representou 12,7% da receita bruta no 24.549 trimestre, uma redução de 1,0 p.p. comparada aos 13,7% registrado no 1T10. 15.904Despesas Gerais e AdministrativasAs despesas gerais e administrativas tiveram umincremento de 54,4%, ou R$8,6 milhões, em relação 1T10 1T11ao 1T10. As despesas de pessoal aumentaram108,8% em relação ao mesmo período no anoanterior, explicado pelo provisionamento de R$4,3 Despesas com Vendasmilhões relacionado ao novo plano de stock options Redução de 0,3% na despesa com vendas, devidoaprovado em setembro de 2010, a inclusão de 5 ao menor número de contratos que venceram noshoppings no nosso portfólio desde 1T10, o trimestre em relação ao 1T10. Foramaumento no número de projetos em comercializados 218 contratos no 1T11, totalizandodesenvolvimento e pelo acréscimo de shoppings 21,7 mil m² de ABL, comparado a 242 contratos nointegrados ao CSC. mesmo período no ano anterior, que representaram 27,1 mil m² de ABL. Deste total, no 1T11 f oramAs despesas com serviços contratados registraram negociados 147 contratos em shoppings existentesuma redução de 28,9%, ou R$0,9 comparado a 201 contratos no 1T10.milhão, comparado ao 1T10 devido a integração def uncionários do CSC que antes eram terceirizados.Depreciação e Amortização: Dada a adoção antecipada dos pronunciamentos de acordo com a deliberação CVM 603 passamos a não depreciar mais as nossas propriedades para investimento, que são avaliadas ao valor justo anualmente em dezembro. Além disso, também não amortizamos mais o ágio gerado por aquisições. Nesse trimestre observamos uma despesa de depreciação de R$0,04 milhão, contra um ajuste negativo de R$0,4 milhão no 1T10. Além disso, a despesa de amortização foi de R$2,8 milhões, um aumento de 9,9% comparado ao mesmo período do ano anterior, que se ref ere principalmente a ativos dif eridos e ativos f iscais diferidos.Outras Receitas Operacionais:No 1T11 registramos outras receitas operacionais de R$3,5 milhões, comparado a R$9,1 milhões no mesmo períododo ano anterior. Deste valor, destacamos a receita ref erente à venda de participação integral no Esplanada Shoppingem janeiro, em que registramos uma TIR, real e desalavancada, e 16,7%. 9
    • Resultados do 1º trimestre de 2011EBITDA:O EBITDA ajustado totalizou R$140,6 milhões no 1T11, um crescimento de 58,6%, ou R$52,0 milhões, comparadoao mesmo período no ano anterior. A margem EBITDA ajustado foi de 79,3% no trimestre. A margem foiimpactada principalmente pelas mudanças nas operações de estacionamento. Considerando o resultado líquidodo estacionamento diretamente na rec eita como era contabilizado anteriormente, a margem EBITDA ajustadoseria de 81,5%. Reconciliação do EBITDA (R$ mil) Evolução do EBITDA Ajustado (R$ mil) 1T11 1T10 Receita Líquida 179.083 106.325 (-) Receita condomínio Uberlândia 1.735 - 58,6% (-) Receita Líquida ex-Uberlândia 177.348 106.325 (-) Custos e Despesas (46.417) (30.820) 140.602 (+) Custo condomínio Uberlândia 2.049 - (+) Depreciação e Amortização 2.853 3.003 88.638 (+) Outras Receitas Operacionais 3.481 9.052 EBITDA 139.314 87.560 (+) Debêntures do Araguaia 1.288 1.078 EBITDA Ajustado 140.602 88.638 Margem %* 79,3% 83,4% 1T10 1T11* Ajustado pela receita e custos condominiais do UberlândiaResultado Financeiro:No trimestre obtivemos um resultado f inanceiro líquido negativo deR$77,0 milhões, contra um resultado negativo de R$40,1 milhõesno 1T10. A receita f inanceira registrou R$73,3 milhões, enquanto a Resultado Financeiro (R$ mil)despesa financeira f oi de R$150,3 milhões. Nosso resultado Receitas 1T11 1T10f inanceiro caixa foi negativo em R$66,2 milhões comparado aR$20,0 milhões negativo no mesmo período do ano anterior. Os Aplicações Financeiras 18.068 22.385principais f atores que impactaram o resultado financeiro foram: Variações Cambiais 20.433 10.839 Swap na Curva 19.415 29.045Swap a MercadoO reconhecimento dos nossos swaps ao valor de mercado gerou Swap a mercado 12.841 -uma despesa f inanceira líquida, não-caixa, de R$25,6 milhões no Outros 2.529 4.2221T11,sendo o maior efeito causado pelo aumento das curvas Total 73.286 66.490f uturas do IGPM e CD I no trimestre, uma vez que estamos na Despesas 1T11 1T10ponta passiva do swap em ambos (ponta ativa em TR). Juros (80.001) (44.728)Despesas com Juros Variações Cambiais (5.660) (20.410)As despesas com juros foram de R$80, 0 milhões no Swap na Curva (24.737) (29.389)trimestre, comparado a R$44,7 milhões no mesmo período do ano Swap a Mercado (38.421) (10.538)anterior. Os principais ef eitos foram o aumento da dívida Outros (1.460) (1.544)líquida, passando de R$413,4 milhões no 1T10 para R$1.992,3milhões no 1T11, e a despesa f inanceira ref erent e ao pagamento à Total (150.278) (106.609)prazo da aquisição do Shopping Tijuca, com um custo de dívida de Resultado Financeiro (76.992) (40.118)CDI+2% a.a. Considerando que essas parcelas f oram totalmenteantecipadas e substituídas por um CRI no mesmo montante com Resultado Financeiro - Caixa (66.186) (20.009)custo de TR+10,7% a.a., ao subtrairmos do resultado f inanceiro ocusto da dívida antiga desde o início do 1T11 e adicionar o custoda dívida do CRI para o trimestre inteiro, isso implicaria em umaredução da despesa f inanceira estimada em R$2,1 milhões no1T11. 10
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Lucro Líquido:Nosso lucro líquido do trimestre f oi de R$57,2 milhões, um aumento de 36,1% em relação ao mesmo período do anoanterior. O lucro líquido por ação no 1T11 alcançou R$0,14. Evolução do Lucro Líquido (R$ mil) 36,1% 57.224 42.052 1T10 1T11FFO Ajustado:O FFO ajustado alcançou R$56,4 milhões, comparado a R$60,2 milhões no mesmo período do ano anterior, umaredução de R$3,7 milhões. A margem FFO ajustada registrou 31,5%, impactada pela redução de nossa posição decaixa e aumento de nossa despesa financeira causado pelo aumento de nosso endividamento bruto e variação nosnossos indexadores da dívida. Ajustando R$4,3 milhões devido ao provisionamento de stock options, nosso FFOAjustado seria de R$60,7 milhões, com margem de 33,9%. Nesse trimestre, antecipamos as parcelas depagamento à prazo para aquisição do Shopping Tijuca, que eram corrigidos pela variação do CDI + 2% a.a. Essefinanciamento foi substituído por uma dívida de R$500 milhões a TR+10,7% a.a, o que deverá contribuir para umaredução da despesa de juros nos próximos trimestres. Reconciliação do FFO (R$ mil) Evolução do FFO Ajustado (R$ mil) e 1T11 1T10 Margem FFO Ajustado (%) Lucro Líquido 57.224 42.052 (+) Depreciação e Amortização 2.853 3.003 -6,2% FFO 60.077 45.055 (-) Variação Cambial 14.774 (9.571) 60.177 (-) Swap a Mercado (25.580) (10.538) 56.433 (+) Ajuste Impostos Não Caixa (14.450) (4.987) FFO Ajustado 56.433 60.177 Margem % 31,5% 56,6% 1T10 1T11 11
    • Resultados do 1º trimestre de 2011CAPEX:Ao todo nesse trimestre a companhia investiu R$147,3 milhões, distribuídos da seguinte f orma:AquisiçõesTotal de R$37,3 milhões, referentes às aquisiçõesdo Shopping Crystal Plaza, Shopping Piracicaba, eShopping Curitiba; CAPEX Total 1,0%Expansões e Revitalizações Aquisições 25,3%Total de R$39,5 milhões, sendo a maioria ref erente àexpansão do Shopping Tamboré, inaugurado no dia 28de abril desse ano, e revitalizações em andamento; Expansões e Revitalizações 46,8% Projetos Greenf ieldProjetos GreenfieldTotal de R$69,0 milhões ref erentes principalment e Diversosà obra do Shopping Mooca, com previsão para 26,9%conclusão no 4T11, além dos outros projetosgreenf ield já anunciados; Diversos Total de R$1,4 milhão investido em sistemas e processos internos, dentre outros. 12
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Disponibilidade de Caixa e Dívida:Encerramos o 1T11 com uma posição de dívida bruta deR$2. 623, 7 milhões, um aumento de R$1.057,8 milhões emrelação ao f inal do exercício de 2010. Esse aumento foiprincipalmente devido à captação do CRI do Shopping Tijucaconcluída no trimestre. Com os recursos do CRI, antecipamos Indexadores da Dívidaas parcelas de pagamento a prazo ref erentes à aquisição doShopping Tijuca. A substituição do financiamento à aquisição IPCApelo CRI deve representar nos próximos trimestres uma 12,7%economia superior a 100 bps no custo da dívida. O aumentona dívida bruta foi também impactado pela captação do bônusperpétuo realizada em janeiro no montante de US$230 milhõesa uma taxa de US$ + 8,5%. Realizamos um swap do fluxo de TR Dólares 43,4% (USD)juros do perpétuo para 99,15% do CDI por um prazo de 5anos. No f inal do trimestre o saldo da dívida perpétua era de 19,7%R$380,7 milhões. Adicionalmente, no trimestre realizamos arealavancagem do CRI para a expansão do Shopping CDITamboré, captando R$150 milhões. As três captações 1,9% TJLP IGP-Mmencionadas acima representaram R$1,0 bilhão do R$1,1 0,5% 13,1%bilhão de aumento na dívida bruta. Assinamos o f inanciamentodo São Bernardo, representando um montante de R$107,0milhões, com 12 anos de amortização e 2 anos de carência, auma taxa de TR + 10,65% a.a. No f inal do 1T11, nossa posição de caixa encerrou Cronograma de Amortização da Dívida em R$725,0 milhões, um aumento de R$407,3 861 (R$ milhões) milhões em relação ao 4T10. Esse aumento f oi causado principalmente pelas novas captações mencionadas acima além do desembolso de R$520,5 milhões ef etuado para antecipar as parcelas de 237 239 231 231 pagamento ref erentes à aquisição do Shopping Tijuca 114 127 150 151 142 além dos desembolsos ref erente aos aumentos de 94 76 69 participação no Shopping Crystal Plaza, Shopping Piracicaba e Shopping Curitiba.2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 em diante Considerando o resultado líquido dos desembolsos acima Principais Indicadores (R$ mil) mencionados, chegamos a uma dívida líquida de R$1.898,8 milhões, um aumento de R$650, 6 milhões em relação ao 1T11 4T10 Disponibilidades 724.993 317.716 4T10. Nossa dívida segue com perf il de longo prazo (94,3% Remuneração Média 101,1% 101,8% da dívida bruta) com um calendário de amortização de dívida Dívida Bruta (R$ mil) 2.623.751 1.565.896 com duração média de 11,0 anos, comparado a 10,8 anos no Prazo Médio (anos) 11,0 10,8 Custo Médio IGP-M + 6,70% IGP-M + 7,55% 4T10. O custo médio reduziu desde o último trimestre de Dívida Líquida 1.898.758 1.248.180 IGP-M + 7,55% para IGP-M + 6,70%, representando um Dívida Líquida / EBITDA anualizado 3,38 0,45 custo nominal de dívida de 12,92% a.a. Dívida Líquida (ex-perpétuos) / EBITDA an. 2,18 0,35 EBITDA / Despes a Financeira Líquida 7,30 10,40 Dívida Bruta / EBITDA 4,67 0,57 FFO / Dívida Bruta 0,09 0,18 * Checa r gl os s á ri o pa ra defi ni ções . 13
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Indicadores Operacionais: NOI por m² (R$)*NOI por m²Nesse trimestre o NOI por m² médio de nosso portfólio 106considerando os ef eitos da linearizaç ão representaram 93 94 83 82um crescimento de 29,9% sobre o mesmo período do 68 73 73 73ano anterior, alcançando uma média mensal deR$94,3. Se considerarmos apenas os 10 shoppingsmais repres entativos em termos de NOI para aCompanhia, o NOI por m² registrou uma média mensalde R$106,6, um aumento de 35,0%. 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 Aluguel por m² (R$)* *O NOI por m² médio considera os efeitos da linearização 94 86 83 68 73 76 65 67 68 Aluguel por m² Também no mesmo período o aluguel por m² considerando os ef eitos da linearização aumentou em 21,2%, alcançando uma média mensal de R$82,6. Nos 10 shoppings mais representativos atingimos uma média mensal de R$89,7, um 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 crescimento de 24,6%. *O Aluguel por m² médio considera os efeitos da linearização Taxa de Ocupação (%) 98,5%Taxa de Ocupação 98,3% 98,3% 98,1% 97,9% 97,9%Seguimos apresentando um alto nível de taxa de 97,3%ocupação em nossos shoppings, alcançando uma taxa 96,9% 97,0%de ocupação média de 98,1% do ABL total notrimestre. No 1T11, dos 39 shoppings que detínhamosparticipação, 18 apresentaram mais de 99% de seuABL ocupado. 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 Pagamentos em Atraso (%) 5,3% Pagamentos em Atraso 3,7% 3,7% 3,6% No trimestre o nível de pagamentos em atraso (30 3,1% 3,2% 2,9% 2,7% 2,6% dias) registrou uma média de 3,6%, contra 3,7% no mesmo período do ano anterior. A inadimplência líquida também apresentou queda, registrando 1,3% no 1T11 em comparação a 1,6% no mesmo período do ano anterior. 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 14
    • Resultados do 1º trimestre de 2011 Distribuição do Custo de Ocupação (% das Vendas) Custo de Ocupação 6,6% 6,1% 6,1% 6,4% 6,5% O custo de ocupação como percentual das 6,1% 5,8% 5,8% 6,0% vendas dos lojistas aumentou 0,3 p.p em relação ao 1T10, registrando 10,5%. O 4,2% incremento é explicado principalmente pelo 3,7% 3,6% 3,8% 3,4% 3,4% 4,0% 2,9% 2,9% aumento do aluguel por m², de 21,2% no 1T11, em maior grau que o crescimento de1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 6,4% das vendas por m². Condomínio e Fundo de Promoção AluguelResumo da Evolução dos Indicadores 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11SSS/m² 833 953 960 1.332 997 1.077 1.114 1.421 1.038SSR/m² 55 57 57 77 59 60 62 81 62Vendas/m² 795 874 880 1.186 897 999 1.040 1.317 955Vendas/m² (lojas < 1.000 m²) 1.220 1.158 1.352 1.616 1.293 1.311 1.387 1.858 1.347Aluguel/m² 65 68 67 86 68 73 76 94 83NOI/m² 68 73 73 93 73 83 82 106 94Custo de Ocupação (% das Vendas) 10,8% 9,8% 9,8% 9,0% 10,2% 9,3% 9,3% 8,9% 10,5%Pagamentos em Atraso (30 dias) 5,3% 3,7% 3,1% 3,2% 3,7% 2,9% 2,7% 2,6% 3,6%Inadimplência Líquida 3,2% 0,7% 1,1% 0,4% 1,6% 0,6% 0,6% 0,2% 1,3%Ocupação (%) 96,9% 97,0% 97,3% 97,9% 97,9% 98,3% 98,5% 98,3% 98,1%Valores em dólares/ft²As vendas mesmas lojas para espaços com menosde 1.000 m² registraram uma média mens al deU$920,4/pé², um crescimento de 11,2% em relaçãoao mesmo período do ano anterior. Para f inscomparativos incluímos abaixo alguns indicadoresoperacionais da Companhia adotando os padrõesusados pelas companhias norte-americ anasValores Anualizados em USD/pé² 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11Vendas mesmas lojas /pé² (lojas < 1.000 m²) 783 1.171 828 900 975 1.292 920Aluguel/pé² 42 58 45 48 51 65 67NOI/pé² 46 63 48 55 55 74 58 15
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Desempenho das Vendas:No 1T11 os 39 shoppings de nosso portf ólio Crescimento das Vendas Mesmas Lojas porregistraram um total de vendas de R$3,3 Segmento (1T11 versus 1T10)bilhões, um crescimento de 20,3% em relação aomesmo período no ano anterior. As vendasmesmas lojas cresceram 8,7% comparado ao1T10, quando cresceram 16,2%. A 18,5%desaceleração foi causada principalmente pelaalta base de comparação e, em menor grau, a 11,6%Páscoa que nesse ano ocorreu na penúltima 6,7%semana de abril, enquanto que no ano passadoocorreu na primeira semana de abril. 0,9% Âncora Megaloja Satélite Lazer O segmento de lojas que mais se destacaram 6,8% foram as lojas de lazer e satélite, com 3,4% crescimento de vendas mesma lojas de 18,5% e 11,6%, respectivamente. Em contrapartida, as lojas âncoras, devido aos ef eitos mencionados acima, contribuíram para a desaceleração das vendas mesmas lojas registrando SSS de 0,9% no trimestre. Por região do país, o destaque de 10,7% crescimento de vendas mesmas lojas f oi a região Cent ro-Oeste, onde o SSS foi de 10,7% comparado ao 1T10, impulsionado pelo Araguaia 8,5% Shopping. A região Sudeste, que representa 8,6 % 76,6% do NOI da companhia apresentou um crescimento de 8,6%, com destaque para o Shopping Metrô Santa Cruz que registrou um SSS de 20,4%. SSS (%) % do NOI Em termos de segmento de renda, os shoppings voltados para a classe média alta 6,4% 7,5% obtiveram o maior crescimento com 10,9%, ante o 1T10. O aumento nesse segmento foi contribuído pelo Goiânia 10,9% 36,7% Shopping e Shopping Uberlândia, que alcançaram SSS de 20,9% e 14,2%, respectivamente. Os shoppings da classe média baixa também apresentaram um 7,1% 40,3% SSS acima da média de nosso portf ólio com um crescimento de 9,7%. 9,7% 15,6% Média Baixa Média Média Alta Alta 16
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Atividade Comercial:O leasing spread das renovações dos contratos dealuguel e dos novos contratos em shoppings existentesregistraram 28,1% e 21,0%, respectivamente. Pelo Leasing Spread Renovações (%)quarto trimestre consecutivo o leasing spread de 27,7% 28,1%renovações alcança níveis superiores a20%, contribuindo para uma maior ef iciência de nossas 22,3%22,5%áreas comerciais e um ref lexo do forte SSS, redução 17,7% 18,3%do custo de ocupação e baixa vacância dos últimos 13,9% 14,7%trimestres. 8,1%No trimestre foram comercializadas 218 lojas, umaredução de 9,9%, ou 24 lojas, comparado ao mesmoperíodo do ano anterior, devido a uma redução nonúmero vencimento de contratos e conseqüentement e 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11uma redução na quantidade de lojas assinadas notrimestre em shoppings existentes de 201 para 147.Entretanto, a comercialização de projetos greenf ield eexpansão aumentaram em 30 lojas, ou 73,2%, de 41 Aluguel Médio por m² *para 71 lojas. (Portfólio Atual versus Novos Contratos)O ABL total comercializado foi de 21,7 mil m², cerc a de 22,9%1,8% do ABL total, dos quais 32 lojas, representando9,1 mil m² de ABL, em projetos greenf ield e 9lojas, totalizando 1,2 mil m² de ABL, em expansões. 101,5Nos próximos 6 meses serão renovados contratos que 82,6representam cerca de 116,9 mil m² de ABL, ouseja, 7,6% do ABL total. Portf ólio Atual Contratos Negociados Cronograma de Vencimento dos Contratos (% ABL) Cronograma de Reajuste Anual pela Inflação (% ABL) 69,2% 23,8% 18,6% 19,9% 37,7% 18,1% 5,2% 7,6% Até 6 De 6 a 12 De 12 a 24 Mais de 24 1T11 2T11 3T11 4T11 meses meses meses meses 17
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Aquisições:No 1T11 concluímos aumentos de participação noShopping Center Crystal Plaza, Shopping Piracicaba NOI das Aquisições Realizadas (R$ mil)e Shopping Curitiba. As 3 aquisições adicionaram11,2 mil m² de ABL próprio ao portfólio daBRMALLS, totalizando um investimento de R$108,7 27,2%milhões.O NOI realizado nesse trimestre dos shoppings que 79.356foram adquiridos desde 2006 continuam 62.378performando em níveis elevados em comparação aoprojetado nos estudos de viabilidade no momentodas aquisições, apresentando um crescimento realde 27,2% para o 1T11. NOI Projetado NOI Realizado 1T11 1T11 Aumento de Participação no Shopping Center Cystal Plaza Em janeiro de 2011 a Companhia concluiu aquisição de participação adicional no Shopping Crystal Plaza, localizado em Curitiba, passando de 40% para 70% do empreendimento e adicionando 3,7 mil m² de ABL próprio ao nosso portfólio. O investimento foi de R$43,1 milhões, com um cap rate para 2011 estimado em 11,5% e TIR, real e desalavancada, de 13,4%. Essa aquisição consolida nossa posição no Crystal Plaza, um shopping que acreditamos ter upsides importantes, e cujo NOI de 100% do shopping estimado para 2011 foi recentemente revisado de R$14,1 milhões para R$14,8 milhões. 18
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Aumento de Participação no ShoppingPiracicabaNa mesma data do anúncio do CrystalPlaza, anunciamos a aquisição adicional de 4,3 milm² de ABL no Shopping Piracicaba, saindo de umaposição de 19,1% para 34,4% do shopping.Estimamos um NOI para 2011 de R$3,4milhões, represent ando um cap rate de entrada de10,9%, com uma TIR, real e desalavancada, de13,7%.O investimento f eito para a aquisição da f atiaadicional f oi de R$31,0 milhões.O Shopping Piracicaba vem apresentandoindicadores operacionais com níveis elevadosdesde quando realizamos a nossa primeiraaquisição em julho de 2008, com taxa de ocupaçãoem 100% desde agosto de 2009, leasing spread derenovações em 2010 de 50% e custo de ocupaçãoabaixo da média de nosso portf ólio.Aumento de Participação no ShoppingCuritibaNo mesmo mês de janeiro, realizamos a aquisiçãode participação adicional no ShoppingCuritiba, adicionando 3,2 mil m² de ABL para onosso portfólio, passando de 35% para 49% departicipação no shopping. O investimento total foide R$34,6 milhões, com R$14,6 milhões pagos nadata da aquisição. A TIR, real e desalavancada, foiestimada em 12,1%.O shopping registrou bons indicadores operacionaisnesse 1T11, com leasing spread novos contratosde 33,4%, acima da média de nosso portf ólio. Comessa aquisição, além das sinergias operacionais ecomerciais por já termos participações em 3shoppings da cidade de Curitiba, consolidamosnossa posição na cidade, totalizando 74,7 mil m² deABL próprio, todos administrados pela companhia. 19
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Expansões:A BRMALLS possui 8 projetos de expansão que em conjunto adicionarão 42,2 mil m² de ABL próprio, um aumento de6,7% ao nosso portfólio atual, e um NOI próprio estabilizado de R$59,3 milhões. Possuímos uma participação média de61,3% nos projetos com participação de 50% ou mais em 6 expansões. O cronograma de abertura e de investimentoscontinua em linha com o estimado, sendo que do total de capex previsto para 2011, 20,1% já f oi gasto até o final do1T11. Continuamos estudando possibilidades para geração de valor em nossos ativos existentes. Cronograma do CAPEX das Expansões a Serem Inauguradas (R$ mil) ABL Próprio Adicionada pelas Expansões 20.855 368.031 225.640 42.189 676.505 96.735 634.316 15.676 9.125 Até 2010 1T11 2011 (ex- 2012 2013 Total ABL Próprio Atual ABL Próprio - ABL Próprio Total 1T11) Expansões Resum o das Expansões % do Físico NOI Próprio Estab. CDU Próprio TIR (real e Data de Status de Expansões ABL Total Participação ABL Próprio Realizado (R$ milhões) (R$ m ilhões) desalav.) Inauguração Comercialização Shopping Campo Grande 5.515 69,1% 3.812 41,0% 4,5 2,5 16,9% 4T11 57,6% Shopping Recife 7.538 31,1% 2.344 22,0% 3,4 3,7 18,0% 3T12 - Plaza Shopping 11.517 100,0% 11.517 18,0% 20,5 14,4 17,1% 2T13 27,5% Top Shopping 15.336 50,0% 7.668 0,0% 12,5 5,4 13,3% 4T13 - Osasco Shopping 10.852 39,6% 4.297 0,0% 3,9 1,3 17,6% 4T12 - NorteShopping 2.172 100,0% 2.172 0,0% 2,2 0,8 16,1% 1T12 - Natal Shopping 8.688 50,0% 4.344 0,0% 5,4 1,6 14,4% 1T13 - Independência Shopping 7.231 83,4% 6.034 0,0% 6,9 4,3 15,4% 2T13 - Total 68.850 61,3% 42.189 59,3 34,2 20
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Expansão do TamboréInauguramos ontem a expansão do ShoppingTamboré, a 7ª expansão da BRMA LLS. O ShoppingTamboré foi inaugurado em 1992 e essa foi a 7ªexpansão do shopping, que aumentou o ABL doshopping em quase 50% adicionando 15,1 m² de ABLtotal.O shopping vinha apresentando taxa de ocupação de100% desde novembro de 2008, o que contribuiu para osucesso na comercialização da expansão que inauguroucom 100% de seu ABL ocupado.Esperamos que a expansão adicione para a BRMALLSR$20,4 milhões em NOI estabilizado, um aumento de60,0% ao NOI apresentado pelo shopping em 2010. ONOI consolidado do shopping após expansão devesuperar R$46,5 milhões o que representa um aumentode 200,0% comparado ao NOI em 2007, ano daaquisição do shopping pela BRMALLS, um CA GR de31,6%.Expansão do Shopping Campo GrandeNossa próxima expansão prevista para inaugurar no4T11 será o Shopping Campo Grande. Essa expansãoirá adicionar 5,5 mil m² de ABL total, um aumento de16,5% ao ABL total do shopping. Nossa participaçãoserá de 69,1% na expansão.O Shopping Campo Grande adicionará um NOIestabilizado para a companhia de R$4,5 milhões e vemapresentando um bom ritmo de comercialização com50,0% de seu ABL já comercializado a 8 meses dainauguração. 21
    • Resultados do 1º trimestre de 2011 Desenvolvimento: Possuímos três projetos greenf ield em andamento, dos quais um projeto está previsto para inaugurar no 4T11, o Mooca Plaza Shopping. Esses projetos em andamento irão adicionar 72,4 mil m² de ABL próprio, um crescimento de 11,4% em relação ao nosso ABL próprio atual. O investimento próprio a ser desembolsado em 2011 é cerca de R$226,6 milhões, das quais 16,3% já f oram gastos até o f inal do 1T11. A participação média nos projetos é de 60,0%. O NOI estabilizado estimado para a companhia é de R$87,7 milhões. Cronograma do CAPEX dos Projetos Greenfield a Serem Inaugurados (R$ mil) ABL Próprio Adicionada pelos Desenvolvimentos 72.370 706.687 2.712 433.610 99.680 994 634.316 194.859 103.656 31.709 Até 2010 1T11 2011 (ex-1T11) 2012 2013 2014 Total ABL Próprio Atual ABL Próprio - ABL Próprio Total DesenvolvimentoResum o dos Projetos Greenfield % do Físico NOI Próprio Estab. CDU Próprio TIR (real e Data de Status deProjetos ABL Total Participação ABL Próprio Realizado (R$ m ilhões) (R$ m ilhões) desalav.) Inauguração Com ercializaçãoMooca Plaza Shopping 41.963 60,0% 25.178 39,5% 33,3 18,1 18,3% 4T11 79,7%Shopping Estação BH 36.317 60,0% 21.790 37,0% 23,6 11,0 19,2% 1T12 66,4%São Bernardo 42.338 60,0% 25.403 16,6% 30,7 14,3 16,8% 4T12 17,3%Total 120.617 60,0% 72.370 87,7 43,5 22
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Inauguração Via BrasilNessa semana inauguramos o Via Brasil Shopping, o 40ºshopping da BRMALLS, sendo o 10º no estado do Rio deJaneiro e o terceiro shopping da companhia inauguradoem cerca de 6 meses. O projeto foi adquirido pelaBRMALLS ainda em desenvolvimento em maio de 2010.O shopping está estrategicamente localizado no encontroda Av. Brasil com a Rodovia Presidente Dutra, duas viasde grande movimentação, que contribuirão para o f luxoelevado do shopping.O shopping inaugura com 95% de seu ABLcomercializado. O projeto foi inicialmente comercializadopor uma empresa independente, e em f evereiro de 2011 aBRMALLS assumiu a comercialização para que pudesseimplementar o seu padrão de qualidade nas locações. Ataxa de ocupação evoluiu de 82% para 95% em apenas 2meses.A inauguração adicionou 30,7 mil m² de ABL total e 15,0mil m² de ABL próprio, contribuindo para um aumento de2,4% e 4,9%, respectivamente. Estimamos que oshopping adicione R$13,9 milhões de NOI estabilizadopara a companhia.Mooca Plaza ShoppingO shopping já conta com suas obra avançada em linhacom o cronograma para inauguração no 4T11. Uma vezinaugurado o Mooca Plaza Shopping irá adicionar 42,0mil m² de ABL total e 25,2 mil m² de ABLpróprio, representando um aumento de 3,5% e4,2%, respectivamente.Do ABL total do shopping, 79,7% já f oi comercializadocom 8 meses para inauguração. Estimamos que oshopping adicione R$33,3 milhões de NOI próprioestabilizado. 23
    • Resultados doMercado de Capitais: 1º trimestre de 2011A BRMALLS tem sua ação ordinária negociada no Novo Índices com BRML3 na carteira:Mercado da BM&F Bovespa sob o código BRML3. Aempresa também possui um programa de ADR nível Peso1, permitindo a negociação das ações no mercado BM&F Bovespa IBrX 0,56%secundário ou de balcão nos Estados Unidos, sob ocódigo BRMLL, disponibilizando as ações a um número BM&F Bovespa IGC 0,98%maior de investidores nos Estados Unidos e no mundo. BM&F Bovespa ITAG 0,93% BM&F Bovespa MLC 0,57% BM&F Bovespa IMOB 15,53% iShares MSCI Brazil 0,52% Fonte: Bloomberg (31/03/2011) Distribuição Regional da Base Acionária (31/03/2011) 6,0% 2,0% 0,8% Estados Unidos Performance da Ação 7,0% Europa Encerramos o 1º trimestre de 2011 com uma base Brasil de investidores bem distribuída pelo Brail, Estados 9,2% Unidos e Europa. Nosso volume financeiro médio 47,7% Ásia no trimestre f oi de R$27,9 milhões, um crescimento América Latina de 1,3% em relação ao 1T10. O número de negócios médio no 1T11 f oi de Pessoa Física 2.518, apresentando um aumento de 71,6%. 27,3% OutrosPerfil do InvestidorA ação da BRMALLS enc errou o trimestre sendonegociada a R$17,0, uma desvalorização de 0,6% emrelação ao preço de f echamento de R$17,1 do4T10, comparado a uma desvalorização do índice Ibovespade 1,0%. Base 100 Desdobramento de ações 200 45 Milhões 180 40 160 35 140 30 120 25 100 20 80 15 60 40 10 20 5 0 0 ago-09 out-09 dez-09 fev-10 abr-10 jun-10 ago-10 out-10 dez-10 fev-11 Volume Médio Negociado (30 dias) BRML3 Ibovespa 24
    • Resultados doNossos Shoppings: 1º trimestre de 2011Atualmente, a BRMALLS tem participação em 40 shopping centers, totalizando 1.219,2 mil m² de ABL total e 634,3 milm² em ABL próprio, uma participação média no portfólio de 52,0% Já, se considerarmos somente os shoppings ondedetemos participação de 50% ou mais, estes representaram 83,6% do NOI da BRMALLS no 1T11 sendo nossaparticipação média nestes 19 shoppings 82,3%. Detemos participação de 100% em 9 shoppings de nosso portf ólio.Atualmente prestamos serviços para 32 de nossos 40 shoppings. No total, dos shoppings em que detemosparticipação, 32 são comercializados, 29 administrados e 24 para os quais o CSC presta serviços. Nossos shoppingssomados apresentam cerca de 6,9 mil lojas que atraem milhões de visitantes anualmente. A BRMALLS é a únicaempresa nacional de shopping centers com presença em todas as cinco regiões do Brasil, atendendo aosconsumidores de todas as dif erentes classes sociais no país. Shopping Estado ABL Total % ABL Próprio Serviços Prestados Maceió Shopping AL 34.742 34,2% 11.892 Amazonas Shopping AM 34.214 17,9% 6.124 Admin./ Comerc./CSC Araguaia Shopping GO 22.078 50,0% 11.039 Admin./ Comerc. Goiânia Shopping GO 22.692 48,4% 10.983 Admin./ Comerc./CSC São Luís Shopping MA 34.123 15,0% 5.118 Center Shopping Uberlândia MG 52.415 51,0% 26.732 Admin./ Comerc./CSC Shopping Del Rey MG 37.171 65,0% 24.161 Admin./ Comerc./CSC Shopping Sete Lagoas MG 16.451 70,0% 11.515 Admin./ Comerc./CSC Independência Shopping MG 23.214 83,4% 19.360 Admin./ Comerc./CSC Minas Shopping MG 35.120 2,1% 747 Big Shopping MG 17.555 13,0% 2.282 Shopping Campo Grande MS 33.415 71,2% 23.792 Admin./ Comerc./CSC Pantanal Shopping MT 43.187 10,0% 4.319 Shopping Pátio Belém PA 20.631 13,3% 2.744 Shopping Recife PE 61.079 31,1% 18.968 Adm. Compartilhada/ Comerc. Shopping Crystal Plaza PR 12.686 70,0% 8.880 Admin./ Comerc. Shopping Curitiba PR 23.379 49,0% 11.456 Admin./ Comerc./CSC Shopping Estação PR 54.716 100,0% 54.716 Admin./ Comerc./CSC West Shopping RJ 38.481 30,0% 11.544 Admin./ Comerc. Center Shopping RJ 14.294 30,0% 4.288 Admin./ Comerc. Norteshopping RJ 77.908 74,5% 58.041 Admin./ Comerc./CSC Plaza Shopping RJ 33.196 100,0% 33.196 Admin./ Comerc./CSC Fashion Mall RJ 14.886 100,0% 14.886 Admin./ Comerc./CSC Ilha Plaza Shopping RJ 21.614 100,0% 21.614 Admin./ Comerc./CSC Rio Plaza Shopping RJ 6.955 100,0% 6.955 Admin./ Comerc./CSC Shopping Tijuca RJ 35.055 100,0% 35.055 Admin./ Comerc./CSC Top Shopping RJ 18.168 35,0% 6.359 Comercialização Via Brasil Shopping RJ 30.680 49,0% 15.033 Admin./ Comerc./CSC Natal Shopping RN 17.690 50,0% 8.845 Comercialização Shopping Iguatemi Caxias do Sul RS 29.101 45,5% 13.241 Admin./ Comerc./CSC Shopping Mueller Joinville SC 27.453 10,4% 2.855 Shopping ABC SP 46.285 1,3% 602 Admin./ Comerc./CSC Shopping Piracicaba SP 27.870 34,4% 9.587 Admin./ Comerc./CSC Shopping Villa-Lobos SP 27.023 39,7% 10.733 Admin./ Comerc./CSC Granja Vianna SP 29.813 77,8% 23.188 Admin./ Comerc./CSC Shopping Tamboré SP 46.776 100,0% 46.776 Admin./ Comerc./CSC Shopping Metrô Santa Cruz SP 19.248 100,0% 19.248 Admin./ Comerc./CSC Campinas Shopping SP 30.769 100,0% 30.769 Admin./ Comerc./CSC Osasco Plaza Shopping SP 14.367 39,6% 5.689 Comercialização Shopping Metrô Tatuapé SP 32.718 3,0% 982 Total 1.219.218 52,0% 634.316 25
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Glossário:Área Bruta Locável ou (“ABL Total”): refere-se à soma de todas as áreas de um shopping disponíveis para aluguel com a exceçãodos quiosques.ABL Próprio: refere-se ao ABL total multiplicado pela nossa participação no shopping.Net Operating Income ou (“NOI”): Receita bruta dos shoppings (sem incluir receita de serviços) menos o custos dos shoppingsmais a depreciação e a amortização + Debênture Araguaia.Lei 11.638: A Lei n 11.638 tem como finalidade a inserção das companhias abertas no processo de convergência contábilinternacional. Dessa forma, alguns resultados financeiros e operacionais sofreram alguns efeitos contábeis decorrentes dasmudanças definidas pela nova Lei.CPC: Comitê de Pronunciamentos ContábeisNOI Mesmos Shoppings: Variação do NOI dos shoppings que hoje estão em nossa carteira proporcional a nossa participação atualpara ambos os períodos em comparação.EBITDA (Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization): Lucro Bruto – despesas com vendas, gerais eadministrativas + depreciação + amortização.EBITDA Ajustado: EBITDA + efeitos da linearização das receitas de aluguel mínimo e CDU - outras receitas operacionais referentesa propriedade para investimento + receita da debênture de participação nos lucros do shopping AraguaiaFFO Ajustado (Funds From Operations): Lucro Líquido + Depreciação + Amortização - Variação Cambial sobre o principal doperpétuo- Ajuste do Swap a Mercado – Impostos não caixa + linearização das receitas de aluguel mínimo e CDU - outras receitasoperacionais referentes à propriedade para investimento - impostos diferidos referentes à propriedade para investimentoSame store sales (SSS): Comparativo das vendas declaradas das mesmas lojas que se encontravam no mesmo local no períodoatual e no mesmo período do ano anterior.Same store rent (SSR): Aluguéis das mesmas lojas que se encontravam no mesmo local no período atual e mesmo período do anoanterior.Taxa de Ocupação: ABL total alugado dividido por ABL total.Turnover das lojas: Soma de todo ABL das Novas Negociações dos últimos 12 meses – variação do ABL das lojas vagas do últimos12 meses / média do ABL dos últimos 12 mesesInadimplência: medida no último dia útil de cada mês considerando o total faturado no mês sobre o total recebido referente aomesmo mês. Não considera lojas inativas.Custo de Ocupação como % das vendas: Aluguel (mínimo + percentual) + encargos comuns + fundo de promoção dividido pelasvendas totais. (Este item deve ser analisado do ponto de vista do lojista)Leasing Spread: Comparação entre o Aluguel Médio do novo contrato e o AMM faturado do contrato antigo para o mesmo espaço.ABL Médio (Aluguel/m²): Não considera os 27.921 m² referentes ao Centro de Convenções do Shopping Estação. No cálculo doABL médio do aluguel/m², não consideramos os ABLs próprios do Araguaia Shopping, pois sua receita é contabilizada via pagamentode debêntures.ABL Médio (NOI/m²): Não considera os 27.921 m² referentes ao Centro de Convenções do Shopping Estação.. 26
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Shoppings por Classe Social (Critério Brasil): O Critério Brasil está relacionado com o poder de compra dos indivíduos e famíliasurbanas do país. É definido a partir do LSE do IBOPE. De acordo com este critério os shoppings de nosso portfólio estãoclassificados da seguinte maneira:•Classe Alta: Villa Lobos e Fashion Mall;•Classe Média Alta: Goiânia, Iguatemi Caxias, Plaza Niterói e Rio Plaza;•Classe Média: Amazonas, Independência; Campo Grande, Curitiba, Norte Shopping, Campinas Shopping, ABC, Metrô SantaCruz, Piracicaba, Tamboré, Belém, Esplanada, Mueller, São Luís, Recife, Natal, Iguatemi Maceió e Pantanal;•Classe Média Baixa: Metrô Tatuapé, BIG, Minas, TopShopping, Osasco, Araguaia, Del Rey, Estação, Center, Ilha Plaza e West.Portfólio Original: Considera os shoppings originalmente adquiridos (Norte Shopping, Shopping Recife, Villa-Lobos, DelRey, Campo Grande e Iguatemi Caxias)EV/EBITDA: Valor de Mercado da Companhia no final do período + Dívida líquida / EBITDA Ajustado anualizadoP/FFO: Valor de Mercado da Companhia / FFO Ajustado anualizadoROE: Lucro Líquido Ajustado anualizado / Patrimônio LíquidoROIC: EBIT anualizado * (1 – taxa de impostos efetiva) / capital investidoPortfólio Adquirido: Considera os demais shoppings que foram adquiridos ao longo de 2007 em diante.Cash on cash: NOI estabilizado (4 anos após inauguração) sobre capex líquido (investimento total – receita de taxa de cessão)Pro-forma: Considera o resultado anualizado das aquisições do Shopping Crystal Plaza, Independência Shopping, Shopping Tijuca eCenter Shopping Uberlândia e os projetos greenfield Shopping Sete Lagoas e Shopping Granja Vianna, todos realizados em 2010. 27
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Demonstração de Resultados: Demonstração de Resultado (R$ mil) 1T11 1T10 % Receita Bruta 193.895 115.960 67,2% Aluguéis 128.559 81.587 57,6% Linearização de Aluguel 10.015 1.473 579,9% Taxa de Cessão 12.572 4.973 152,8% Linearização de CDU (5.052) (1.774) 184,8% Estacionamento 26.898 14.163 89,9% Taxa de Transferência 1.779 483 268,3% Prestação de Serviços 16.552 11.226 47,4% Outras 2.572 3.829 -32,8% (-)Impostos e Contribuições (14.812) (9.635) 53,7% Receita Líquida 179.083 106.325 68,4% Custos (19.015) (11.913) 59,6% Custos com Pessoal (4.013) (1.556) 157,9% Diversos Serviços (9.925) (6.343) 56,5% Custos Condominiais (3.942) (3.005) 31,2% Custos com Fundo de Promoções (1.135) (1.009) 12,5% Resultado Bruto 160.068 94.412 69,5% Despesas com Vendas, Gerais & Administrativas (24.549) (15.904) 54,4% Despesas com Vendas (2.328) (2.336) -0,3% Despesas de Pessoal (18.237) (8.734) 108,8% Serviços Contratados (2.323) (3.267) -28,9% Outras Despesas (1.661) (1.567) 6,0% Depreciação (37) (440) -91,6% Amortização (2.816) (2.563) 9,9% Resultado Financeiro (76.992) (40.118) 91,9% Receitas Financeiras 73.286 66.490 10,2% Despesas Financeiras (150.278) (106.609) 41,0% Resultado da Equivalência Patrimonial - - Outras Receitas Operacionais 3.481 9.052 -61,5% Resultado Operacional 59.155 44.439 33,1% Resultado Antes Tributação/Participações 59.155 44.439 33,1% Provisão para IR/CSLL (10.716) (6.007) 78,4% Impostos Diferidos 14.450 4.987 189,8% Participação dos minoritários (5.665) (1.367) 314,4% Lucro/Prejuízo do Período 57.224 42.052 36,1% 28
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Balanço Patrimonial:Balanço Patrimonial (R$ mil) 1T11 4T10 % 1T11 4T10 %Ativos PassivosCirculante CirculanteDisponibilidades 9.328 19.843 -53,0% Empréstimos e Financiamentos 148.053 126.873 16,7%Contas a Receber 150.524 154.933 -2,8% Fornecedores 29.996 21.796 37,6%Títulos e Valores Mobiliários 715.665 231.961 208,5% Impostos e contribuições a recolher 46.951 58.198 -19,3%Swap Curva 1.745 618 182,4% Salários e Encargos Sociais 38.268 37.852 1,1%Impostos a Recuperar 50.774 59.922 -15,3% Dividendos Mínimos Obrigatórios a Pagar 27.742 27.742Adiantamentos 11.371 10.033 13,3% Impostos e Contribuições - parcelamentos 4.366 4.803 -9,1%Outros Valores a Receber 39.279 30.001 30,9% Adiantamentos de Clientes 17.329 20.729 -16,4%Despesas Antecipadas 17.742 7.683 130,9% Obrigações a pagar por aquisição de shopping 166.385 203.139 -18,1%Total 996.428 514.994 93,5% Diferencial de swap a pagar 2.713 2.078 30,6% Outros valores a pagar 87 2.150 Total 481.890 505.360 -4,6% Não Circulante -Não Circulante Empréstimos e Financiamentos 2.475.699 1.439.023 72,0%Clientes 86.229 80.935 6,5% Fornecedores 6.399 6.226 2,8%Ativo Fiscal Diferido 46.255 48.386 -4,4% Provisão para Riscos Fiscais e outros passivos 110.238 110.530 -0,3%Depósitos e cauções 22.707 21.867 3,8% Impostos e Contribuições - parcelamentos 75.009 75.751 -1,0%Títulos e Valores Mobiliários - 65.912 -100,0% Obrigações a pagar por aquisição de shopping 20.870 519.930Imposto de Renda e Contribução Social 62.207 54.756 13,6% Diferencial de swap a pagar 73.038 89.828 -18,7%Swap Curva 18.160 64.469 -71,8% Imposto de Renda e Contribução Social 1.886.695 1.901.146 -0,8%Outros Investimentos 467 11.673 -96,0% Receita Diferida 84.423 128.427 -34,3%Outros 8.615 7.914 8,9% Outros valores a pagar 9.709 4.148 134,1%Total 244.640 355.912 -31,3% Total 4.742.080 4.275.009 10,9% Patrimônio LíquidoPermanente Participação dos Minoritários 298.478 307.227 -2,8%Propriedade para Investimento 9.823.450 9.676.115 1,5% Capital Social Realizado 2.567.617 2.561.195 0,3%Imobilizado 11.432 11.574 -1,2% Reservas de Capital 24.562 20.284 21,1%Leasing - - Reservas de Lucro 2.955.363 2.955.363 0,0%Diferido - - Ações em tesouraria (8) (14.792) -99,9%Intangível 11.377 11.172 1,8% Lucros/Prejuízos Acumulados 57.224 -Financiamento de construção - - Gastos com Emissão de Ações (39.879) (39.879) 0,0%Total 9.846.259 9.698.861 1,5% Total 5.863.357 5.789.398 1,3% - -Total Ativo 11.087.327 10.569.767 4,9% Total Passivo e Patrimônio Líquido 11.087.327 10.569.767 4,9% 29
    • Resultados do 1º trimestre de 2011Fluxo de Caixa: Fluxo de Caixa (R$ mil) 1T11 Atividades operacionais Lucro (prejuízo) do Exercício 57.224 Ajustes para reconciliar o lucro liquído ao fluxo de 116.034 caixa gerado pelas atividades operacionais Depreciação e amortização 4.984 Juros e variações monetárias sobre empréstimos 65.227 Rendimento de aplicação 18.068 Ajuste linearização e AVP (4.961) Ajuste leasing - Lei 11.638 (302) Ajuste IRPJ e CSLL (3.734) Ajuste plano de opções outorgadas 4.277 Outros 3.361 Ativo fiscal diferido - CVM 349 (2.131) Ajuste 11.638 financeiro 25.580 Participação de não controladores 5.665 Redução (aumento) dos ativos 16.994 Contas a receber 9.128 Impostos a recuperar 9.148 Adiantamentos a condomínio (1.338) Despesas antecipadas (10.059) Depósitos e cauções (840) Outros 10.955 Aumento (redução) dos passivos (622.591) Fornecedores 8.373 Impostos e contribuições (6.067) Imposto de renda e contribuição social (24.526) Salários e encargos sociais 416 Obrigações a pagar por aquisição de Shopping (535.814) Adiantamento de clientes (3.400) Participação de não controladores - Outros (61.573) Fluxo líquido gerado pelas (utilizado nas) atividades - operacionais Atividades de Investimento - Aquisição de títulos e valores mobiliários (2.961.970) Venda de títulos e valores mobiliários 2.526.109 Dividendos pagos - Intangível (369) Propriedade para investimento (147.335) Outros (ativo diferido) - Aquisição de Imobilizado - Integralização de capital - Fluxo líquido utilizado nas atividades de investimento (583.565) Atividades de Financiamento - Adições no ativo diferido - Aumento de capital 6.422 Gastos com Emissão de Ações - Reserva de Ágio - Captação de financiamentos 1.054.440 Amortização de financiamentos (61.508) Ações em tesouraria/emissão de ações 14.784 Participação de não controladores (8.749) Fluxo líquido gerado pelas (utilizados nas) atividades 1.005.389 financeiras Fluxo de caixa gerado (utilizado) no período (10.515) 30
    • Resultados doAnexo - Tabela de Dívidas: 1º trimestre de 2011 P e rf il da D í v ida ( R $ m il) Í ndic e T a xa ( %) V e nc im e nt o 3 1/ 12 / 10 3 1/ 0 3 / 2 0 11 D í v ida de C urt o P ra zo Unibanco - CCB (i) IGP M 9,70% a.a. 15/2/2019 12.676 12.691 Itaú - CCB (ii) IGP M 9,75% a.a. 27/3/2020 13.999 14.467 Itaú - CRI (iii) TR 1 5% a.a. 0,1 16/2/2023 64.737 65.907 Debêntures - Série 1(juro s) (iv) CDI 0,50% a.a. 14/2/2019 5.969 5.423 Debêntures - Série 2 (juro s) (iv) IP CA 7,90% a.a. 15/7/2014 1 .580 1 18.307 B anco do No rdeste do B rasil 1 a.a. 0% 16/7/2016 210 0 HSB C - Finame TJLP 3,70% a.a. 120 102 HSB C - Leasing 16,43% a.a. 453 0 B anco Santander (vi) TR 1 % a.a. 1 15/2/2012 4.340 5.367 B anco Santander (viii) TR 1 a.a. 0% 1 0/201 /1 9 1.465 2.087 Itaú (vii) TR 1 ,1 a.a. 1 6% 21 2/201 /1 9 1.939 4.910 Itaú (vii) TR 1 ,00% a.a 1 28/6/2022 2.697 B anco do B rasil - Finame (ix) TJLP 3,35% a.a. 1 0/2021 5/1 3.969 2.573 B anco B radesco - Finame (ix) TJLP 3,85 % a.a. 15/6/2012 612 552 B anco do B rasil (ix) DI 2,86% a.a. 15/8/2012 698 2.835 Título s de crédito perpétuo (juro s) (v) US$ Dó lar 9,75% a.a 4.106 4.032 Título s de crédito perpétuo (juro s) (v) US$ Dó lar 8,50% a.a. 6.103 T o t a l D í v ida de C urt o P ra zo 12 6 .8 7 3 14 8 .0 5 3 D í v ida de Lo ngo P ra zo Unibanco - CCB (i) IGP M 9,70% a.a. 15/2/2019 56.951 55.759 Itaú - CCB (ii) IGP M 9,75% a.a. 03/27/20 73.280 72.414 Itaú - CRI (iii) TR 1 5% a.a. 0,1 16/2/2023 447.478 439.665 B anco B radesco (xi) TR 10,7% a.a. 25/3/2025 504.432 B anco B radesco (x) TR 9,8% a.a. 14/2/2019 36.278 Debêntures - Série 1(iv) DI 0,50% a.a. 15/7/2014 14.903 14.903 Debêntures - Série 2 (iv) IP CA 7,90% a.a. 16/7/2016 322.285 329.898 B anco Santander (vi) TR 1 % a.a. 1 89.005 88.197 B anco Santander (viii) TR 1 a.a. 0% 29.256 28.712 Itaú (vii) TR 1 ,1 a.a. 1 6% 15/2/2012 103.401 103.502 Itaú (vii) TR 1 ,00% a.a. 1 1 0/201 /1 9 132.733 B anco B radesco - Finame (ix) TJLP 3,85 % a.a. 21 2/201 /1 9 450 357 B anco do B rasil - Finame (ix) TJLP 3,35% a.a. 28/6/2022 9.455 6.427 B anco do B rasil (ix) DI 2,86% a.a. 1 0/2021 5/1 974 1.521 Título s de crédito perpétuo (v) US$ Dó lar 9,75% a.a. 291.585 286.300 Título s de crédito perpétuo (v) US$ Dó lar 8,5% a.a. 374.601 T o t a l D í v ida de Lo ngo P ra zo 1.4 3 9 .0 2 3 2 .4 7 5 .6 9 9 D í v ida T o t a l 1.5 6 5 .8 9 6 2 .6 2 3 .7 5 2 31