• Save
Equações diferenciais de ordem n(metodo dos coeficientes indeterminados)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Equações diferenciais de ordem n(metodo dos coeficientes indeterminados)

on

  • 11,214 views

Descrição do método de resolução de equações diferenciais de ordem N

Descrição do método de resolução de equações diferenciais de ordem N

Statistics

Views

Total Views
11,214
Views on SlideShare
11,207
Embed Views
7

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 7

http://static.slidesharecdn.com 6
http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Equações diferenciais de ordem n(metodo dos coeficientes indeterminados) Equações diferenciais de ordem n(metodo dos coeficientes indeterminados) Document Transcript

  • Equações diferenciais de ordem N Métodos dos coeficientes indeterminados(1) Considere o seguinte PVI (problema de valor inicial)A equação diferencial do PVI é de 2ºgrau(2) Agora vamos coloca-la na forma de polinómio característicoSe b(t) for da forma:Pode-se usar este método de resolução de equações diferenciais (método doscoeficientes indeterminados). Caso contrário, teríamos de usar o método da variaçãodas constantes, que é bem mais complicado do que este.(3) A solução final da equação diferencial é um misto de solução particular e desolução homogénea.Equação diferencial que dará a solução ParticularVamos agora encontrar as raízes desta equação e para isso usaremos a fórmularesolventeVerifica-se que as raízes são complexas conjugadas (figura 6)BrianSupra www.briansupra.blogspot.com
  • (4) Sendo assim a equação diferencial homogénea pode-se escrever da seguinteforma:Daqui sai que a solução homogénea é:Como y(0) =0 e sen(0)=0 e por isso a solução homogénea fica a seguinte:(5) De seguida vamos ter de calcular a solução particular. Para isso precisamos qual é opolinómio aniquilador de b(t). O polinómio aniquilador de b(t) não é mais do que umpolinómio que anula b(t) para que possamos ter, tal como na determinação da soluçãohomogénea , uma equação diferencial que está igualada a zero.Em seguida estão os vários polinómios para as varias formas possíveis de b(t)BrianSupra www.briansupra.blogspot.com
  • Agora que sabemos os vários polinómios aniquiladores vamos o polinómio aniquiladora ambos os membros da equação diferencial do PVI.Por exemplo, vamos considerar b(t)=t.Usando as formulas de cima descobrimos que o polinómio aniquilador de t é:Assim a equação que dará origem á solução particular é:As soluções desta equação são as seguintes:Se repararmos com atenção vamos perceber que o 3º termo desta equação é igual àsolução da equação homogénea. Sendo assim, a solução particular é composta apenaspelos dois primeiros termos da solução de cima.BrianSupra www.briansupra.blogspot.com
  • (6) Solução particularEm seguida temos de calcular os termos indeterminados da equação particular(c1,c2).Como a equação particular é y’’+y’+y=t, a forma que nós temos para encontrar oscoeficientes, c1 e c2 (podiam ser mais coeficientes), é fazer com que a equaçãoparticular verifique também ela a igualdade:No fim do cálculo dos coeficientes é só somar a solução particular com a soluçãohomogénea e encontrar, dessa forma, a solução geral.(7) Solução geralNesta solução geral o c1 e c2 são os coeficientes indeterminados que acabaram de serdeterminados, realizando o que sugere (6). O c3 é um coeficiente que vai serdeterminado usando as condições iniciais PVI( Problema de valor inicial), que nestecaso é y(0)=0. No final de todos os coeficientes calculados, o PVI fica resolvido.BrianSupra www.briansupra.blogspot.com