Cartografia2.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Cartografia2.

on

  • 88 views

 

Statistics

Views

Total Views
88
Views on SlideShare
83
Embed Views
5

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

1 Embed 5

http://www.slideee.com 5

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Cartografia2. Presentation Transcript

  • 1. COORDENADAS GEOGRÁFICAS E CARTOGRAFIA
  • 2. Linhas imaginárias  As linhas imaginárias são divididas em: paralelos ou latitudes e Meridianos ou longitudes
  • 3. Paralelos  Os paralelos são linhas imaginárias e paralelas em relação ao equador.  Vão de 0º (equador) a 90º graus (pólos)
  • 4. Paralelos (linhas de Latitude)  As latitudes são fundamentais para a geografia, sobre tudo em relação as faixas climáticas.  Aqui, podemos ver 3 tipos climáticos pautados pelas latitudes. Tropical, temperados (subtropicais) e polares.  Direção: Norte/Sul  Linha de referência: Equador (0º)  Linhas horizontais
  • 5. Meridianos  Semicircunferências cujas extremidades são os dois polos geográficos da terra.  Divide o mundo em hemisfério ocidental e oriental, com 180º para cada lado.
  • 6. Meridianos (Linhas de Longitude)  Greenwich, é o nome de um bairro londrino, que serve de referência assim como a linha do equador.  Lembre se que as longitudes sempre se cruzam nos pólos.  Direção Leste/Oeste  Vertical
  • 7. Coordenadas Geográficas  As coordenadas geográficas surgem do cruzamento entre as latitudes e longitudes, isso possibilita que tenhamos pontos específicos que não se repetem no planeta.  Com esse mecanismo, podemos localizar qualquer ponto no planeta.
  • 8. Observe o mapa. Coordenadas geográficas de algumas cidades MárioYoshida
  • 9. (UFV)Identifique as coordenadas geográficas correspondentes, respectivamente, aos pontos B e A:B a) 30º de Lat. Sul e 45º de Long. Leste; 90º de Lat. Sul e 60º de Long. Leste b) 45º de Lat. Norte e 30º de Long. Oeste; 90º de Lat. Sul e 60º de Long. Leste c) 30º de Lat. Norte e 45º de Long. Oeste; 60º de Lat. Sul e 90º de Long. Leste d) 30º de Lat. Sul e 45º de Long. Leste; 60º de Lat. Norte e 90º de Long. Leste
  • 10. Coordenadas Geográficas - GPS  A partir da divisão do planeta em quadrantes (norte e sul, leste e oeste), podemos identificar o posicionamento correto de algum lugar específico.  O GPS (global position system) é um aparelho que identifica o exato local em que ele se encontra.  Interligado a satélites, o GPS manda um sinal para que o satélite responda. Para isso o satélite tem que decodificar o exato (coordenadas geográficas)
  • 11. Fuso Horário
  • 12. Fusos Horários  As longitudes também são responsáveis pelos fusos horários. Cada 15 graus equivale uma hora.  Como o dia tem 24 horas, e a terra 360º, temos: 360/24 = 15.  Hora solar ou local – é fornecida pela posição do sol  Hora legal – é aquela estabelecida por legislação própria de um país.  Linha internacional de datas – antimeridiano de Greenwich
  • 13. Fuso horários – soluções de exercícios 1) 360 24 horas = 15º a 1 hora 2) Observe os hemisférios. Some as longitudes se forem opostas (leste-oeste) e subtraia se estiverem no mesmo hemisfério 3) O resultado obtido será dividido por 15º fornecendo-nos a diferença horário entre as duas localidades
  • 14. Exercício Resolvido Quando os relógios de uma Estação Ferroviária em São Petersburgo, Rússia (30ºL), estão marcando 10 horas, que horas marcarão os relógios de outra Estação localizada emVladivostok, Rússia (135ºL)? Resolução: A distância entre São Petersburgo 30ºL (chamaremos P) e Vladivostok 135ºL (chamaremos V). dist 1 _30ºE dist 2 135ºE dist 3 = 105º dividir por 15 = 7 Mas sabemos que a cada 15º temos 1 hora. Portanto, em 105º teremos 7 horas. Considerando que Vladivostok está à frente(adiantado) em relação a São Petersburgo, os relógios nesse local marcarão 17 horas. Eram 10h em S. Petersburgo + as 7 horas do adiantamento = 17 horas.
  • 15. Fuso horário – Brasil 3 fusos até novembro de 2013
  • 16. Novo Fuso Horário Brasileiro: 4 fusos
  • 17. Horário de Verão Brasil Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o fuso horário é de menos 1h em relação a Brasília
  • 18. (FUVEST) Exercício mamão com açúcar A cidade de São Paulo está situada no fuso horário 45º Oeste. Quando em São Paulo forem 13 horas, que horas serão numa cidade localizada no fuso 75º Leste? a) 5 horas b)11 horas c) 15 horas d)19 horas e) 21 horas e
  • 19. Exercício (UFV) Observe o gráfico a seguir. Considerando que o eixo X corresponde à Linha do Equador e o eixoY corresponde ao Meridiano de Greenwich, responda as questões a seguir. Considerando que no ponto A são 14 horas, calcule o horário local do Ponto B. Em sua resposta, desconsidere a possibilidade da existência de horário de verão e de horas cifradas:  a) 20 horas  b) 18 horas  c) 17 horas  d) 8 horas  e) 15 horas
  • 20. Mapas  Os mapas são representações de realidades distintas.  Todo mapa carrega consigo o ponto de vista de seu elaborador ou seu público.  São absolutamente necessários aos mapas as escalas, as legendas e seu título.
  • 21. Mapas São as representações da superfície curva do planeta Terra Eles nos oferecem uma visão vertical do espaço geográfico.sobre uma superfície plana, ou seja, uma folha de papel.
  • 22. Tipos de mapa Os mapas fornecem informações sobre aspectos físicos ou naturais da superfície terrestre e sobre dados culturais, ou seja, resultantes da ação do homem. Existem, portanto, diversos tipos de mapa. Veja alguns exemplos: • Os mapas políticos mostram municípios, estados, países, seus limites, capitais e cidades importantes. • Os mapas físicos representam um ou vários elementos naturais, como os rios (hidrografia), as formas de relevo, as diferentes altitudes, os tipos de clima e os tipos de vegetação. • Os mapas econômicos representam as riquezas disponíveis e as atividades praticadas num continente, país, estado ou município: jazidas minerais, principais produtos agrícolas, tipos de indústria etc. • Os mapas de população, também chamados de demográficos, mostram a distribuição da população no espaço geográfico. • Os mapas históricos apresentam informações sobre determinado momento histórico.
  • 23. Projeções A representação da superfície da Terra num plano só é possível graças as projeções. Esse tipo de representação, porém, apresenta alguns problemas. É como abrir uma bola de futebol em gomos e tentar montar com eles uma figura plana como um retângulo. Ao unir os “gomos” que se formam, o que acontece com a superfície dos continentes, principalmente nos trechos próximos aos polos?
  • 24. Projeções cartográficas- Mercator A projeção de Mercator é uma das mais famosas.  Ele desenvolveu seu mapa sempre a partir da Europa, com ela acima dos demais países.  Essa projeção distorce as áreas dos continentes, alargando-os conforme aumenta a latitude.  Compare o tamanho da Groenlândia com a América do Sul.  Mantém fielmente os contornos  Projeções Conformes
  • 25. Projeções cartográficas - Peters A projeção de Peters terceiro –mundista, alargando ás áreas equatoriais e diminuindo conforme a latitude aumenta.  Dessa maneira Perters pretendia chamar a atenção do planeta para os países mais pobres que ocupam essa região.  Nessa projeção, as áreas continentais são respeitadas, mas seus contornos perdem exatidão.  Projeção Equivalente
  • 26. Projeção Cilíndrica - é a projeção mais utilizada • Projeta-se sobre um cilindro que envolve o globo terrestre • A linha do equador é a única coordenada que mantém a dimensão original . • Assim, quanto mais perto do equador, menor é a distorção , nas áreas mais distantes, as distorções são maiores.
  • 27. Projeção Cônica  Proveniente da projeção do globo sobre um cone.  Nessa projeção os paralelos aparecem sob a forma de círculos e os meridianos , sob forma de retas  Somente um dos hemisférios pode ser cartografado.  As regiões temperadas podem ser mais bem representadas.
  • 28. Projeção Plana ou Azimutal  Resulta da projeção do globo terrestre sobre um plano.  A azimutal permite uma enorme fidelidade no entorno do centro do mapa, que na figura é o pólo Norte.  Utilizada em mapas especiais , principalmente os náuticos e aeronáuticos
  • 29. Anamorfoses: é uma representação cartográfica que mostra as superfícies dos países em áreas proporcionais a um determinado dado quantitativo.
  • 30. As Linhas Uma isolinha é uma linha que une um conjunto de pontos com o mesmo valor.  Isoterma : linhas de mesmas temperaturas  Isóbaras: linhas de igual pressão atmosférica  Isoietas : linhas de igual pluviosidade  Isoípsas: linhas de igual altitude  Isóbatas: linhas de igual profundidade
  • 31. Escalas  As ESCALAS são fundamentais as projeções na medida em que elas mantém a proporção entre o mapa e a área cartografada.  Existem 2 tipos de escala, a numérica (1: 5000.000) e a gráfica, como a da figura ao lado.  Também existem 3 categorias diferentes de tamanhos, as escalas grandes, médias e pequenas.  Fique atento a esse ponto, pois aqui prevalece o jogo dos inversos. Veremos.....
  • 32. Escala Grande  As escalas GRANDES fazem a proporção de 1: 50 cm até 1: 20.000 cm, geralmente são utilizadas para plantas arquitetônicas ou guias de ruas, ou seja, oferece um grande número de detalhes por mapear uma pequena área.
  • 33. Escala Média  As escalas MÉDIAS servem para mapear áreas maiores que as grandes, podendo abarcar estados ou países.  Geralmente as escala MÉDIAS estão na faixa entre 1: 25.000000cm (250km) até 1: 30 000 000 cm (300 km).
  • 34. Escala Pequena  As escalas PEQUENAS, são aquelas que mapeiam uma área muito grande, pois como a proporção é grande, o mundo inteiro “cabe” em pouco espaço.  As escalas PEQUENAS, são aquelas a partir de 1:30 000 000.
  • 35. Como achamos as escalas  Nas escalas, trabalhamos com os seguintes elementos: D = distância real no terreno, em km. d = distância no mapa, em cm. E = escala. Com isso, dependendo da incógnita, formamos as seguintes equações: D = d . E d = D / E E = D / d A transformação de CM para KM e vice versa, vocês já sabem, mas hei de lembrá-los. De cm para KM, extraímos 5 casas, de modo que 30 000 000 cm = 300 km De KM para cm, adicionamos 5 casas, de modo que 2 KM = 200 000 cm
  • 36. Exercício (UFV)Considere que, em uma planta urbana, a distância entre dois bairros é representada por 20 cm. Sabe-se que a distância real em linha reta entre eles é de 4 km. Com base nessas informações, pode-se deduzir que a escala neste caso corresponde a: a) 1: 5. b) 1: 80. c) 1: 2 000. d) 1: 20 000. e) 1: 8 000 000.
  • 37. (UFU) O campus da UFAC em Rio Branco dista, aproximadamente 630 km do campus de Cruzeiro do Sul. No mapa do Acre essa distância em linha reta é de 9 cm. A escala do mapa é de: a) 1: 9.000.000 b) 1: 6.300.000 c) 1: 630.000 d) 1: 900.000 e) 1: 7.000.000 (UFBA) Em um mapa no qual a escala é de 1: 100 000, a distância em linha reta entre duas cidades é de 8 cm. Qual a distância real entre essas cidades? a) 8 km b) 80 km c) 800 km d) 8000 km