Como gerenciar o processo de desenvolvimento da estratégia para a inovação

  • 13,763 views
Uploaded on

Slides apresentados durante o 3ª Convenção Gestão em Saúde da Bahia. Salvador/BA, 30 de outubro de 2009.

Slides apresentados durante o 3ª Convenção Gestão em Saúde da Bahia. Salvador/BA, 30 de outubro de 2009.

More in: Business , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
13,763
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
12
Likes
44

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PALESTRA Como gerenciar o processo de desenvolvimento da estratégia para a inovação 3ª Convenção Gestão em Saúde da Bahia Bahia Othon Palace Hotel - Salvador/BA
  • 2. Roteiro
    • Momento Global da Inovação : crise e dinâmica mundial, importância crescente, Manual de Oslo, Inovação de Ruptura, Open Innovation ;
    • Momento da Inovação no Brasil : Pintec, Anpei, Indicadores C&T, Manifesto CNI, Anprotec, MEI, ABDI, exigência para a competitividade e a sustentabilidade;
    • Estruturação dos esforços de inovação : diagnósticos/auditorias, benchmarking, cultura inovadora, meio inovador interno, inteligência competitiva, interação fontes de conhecimento, processos, procedimentos, sistemas, comitê de inovação, funil de ideias, monitoramento de oportunidades;
    • Desenvolvimento da Estratégia de Inovação : “definição” de estratégias, planejamento estratégico corporativo, papel da inovação na estratégia, comprometimento da alta administração;
    • Gestão da Estratégia de Inovação : dinâmica da estratégia - diagnósticos/auditorias, benchmarking, cultura inovadora, meio inovador interno, inteligência competitiva, interação fontes de conhecimento, processos, procedimentos, sistemas, comitê de inovação, funil de ideias, monitoramento de oportunidades;
    • Resultados da Estratégia de Inovação : indicadores de esforço x indicadores de resultados.
  • 3. “ Tudo começa com as palavras” 6,7 mi Criatividade 19,0 mi Processo 24,8 mi Inovação 77,1 mi Organização 4,5 mi Sustentabilidade 25,7 mi Ideia 28,5 mi Conhecimento número de citações 01/Out/2009 Palavra
  • 4. conceitos
    • “ Inovação é a exploração com sucesso de novas ideias”
    • UK Department of Trade & Industry
  • 5. conceitos
    • “ Inovação é a ferramenta específica do empreendedor, o meio através do quals ele explora a mudança como uma oportunidade para um negócio ou serviço diferente. Isso é capaz de ser apresentado como uma disciplina, capaz de ser aprendido, capaz de ser praticado.”
    • Peter Drucker
  • 6. conceitos
    • “ Na realidade capitalista não é a competição que conta, mas sim a competição do artigo novo, da nova tecnologia, da nova fonte de conhecimento, do novo tipo de organização.”
    • Joseph Alois Schumpeter
  • 7. conceitos
    • “ Companhias obtêm vantagem competitiva através de ações de inovação. O enfoque da inovação em seu sentido amplo inclui novas tecnologias e novas maneiras de fazer coisas.”
    • Michael Porter
  • 8. 1. Momento Global da Inovação
    • Crise e dinâmica mundial
    • Importância crescente
    • Manual Frascati e Manual de Oslo
    • Inovação de Ruptura
    • Open Innovation
    Fonte: Flickr de Linden.g.
  • 9. Crise Mundial
    • “ A crise representa um momento singular, uma oportunidade para que as empresas e pessoas repensem os conceitos e as premissas que as impedem de ver o quadro real.” Peter Senge
    • “ O quadro a ser construído deve ter como alicerce o desenvolvimento sustentável da nova economia e não o modelo exploratório da velha economia.” McKinsey & Co.
    • “ Não vivemos em uma época de mudança, mas sim em uma mudança de época.”
    • Estamos vivendo uma mudança de sistema. É mais do que uma crise da economia. É uma crise de percepção” Hazel Henderson.
  • 10. “ Remédios” para a crise
    • Inovação  Competitividade
    • Inovação  Sustentabilidade
    • Empreendedorismo  Inovação
    • Como fazer isso acontecer?
  • 11. Tendências a acompanhar Pós-Crise
    • Artigo julho/2009 da revista Harvard Business Review;
    • Autores: Eric Beinhocker, Ian Davis e Lenny Mendonça;
    • Foco: 10 tendências a serem monitoradas por qualquer estrategista de plantão;
    • Base: forças subjacentes que ajudam a moldar o ambiente de negócios e buscar sinais de descontinuidade que são monitoradas pela McKinsey & Co. que vão desde o crescimento em mercados emergentes à evolução do papel da empresa na sociedade;
    • Avaliação: após a crise, o ambiente de negócios sofreu transformações e não voltará a ser o que era antes da crise;
    • Comentário Blog HSM
  • 12. Sociedade do Conhecimento
  • 13.
    • Convergências das políticas públicas dos países desenvolvidos e dinâmicos voltadas para a incorporação do conhecimento como principal elemento de geração de competitividade e sustentabilidade.
    Momento Internacional “ Sociedade do Conhecimento” Inovação como meio para a competitividade e a sustentabilidade
  • 14. Manual de Oslo
    • Em 1990 foi editada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) a primeira edição do Manual de Oslo - Proposta de Diretrizes para Coleta e Interpretação de Dados sobre Inovação Tecnológica, que tem o objetivo de orientar e padronizar conceitos, metodologias e construção de estatísticas e indicadores de pesquisa de P&D de países industrializados .
    • No Brasil, a primeira tradução para o português foi produzida e divulgada pela FINEP em meio eletrônico, em 2004. A edição mais recente, de 2005, do Manual de Oslo agrega as atualizações apresentadas na terceira edição do documento.
  • 15. Lugar comum... http://olimpiadas.uol.com.br/2008/guia/locais-de-competicao/centro-aquatico-cubo-dagua.jhtm
  • 16. Inovação é isso?
  • 17. Ela está em todo o lugar...
  • 18. Inovação levada a sério
    • Entendimento profundo sobre o conceito de inovação na empresa;
    • Pequenas melhorias em partes da empresa são inovação?
    • Milhares de pequenas melhorias no dia a dia representam uma grande inovação?
    • O esforço constante para modernizar o obsoleto pode levar a um salto de patamar?
    • Inovação é sempre reinvenção?
    • Para que inovar? Médio Prazo? Sustentável? Resultados?
    Fonte: Oscar Motomura – Época Negócios jul09
  • 19. “ Inovação virou um mantra” Guilherme Ary Plonsky - Anprotec
  • 20. O que é Inovação?
    • Inovação “é o impulso fundamental que coloca e mantém em movimento a engrenagem da economia” (Joseph Schumpeter)
      • Essencial à evolução do mercado
      • Condição para o aumento da competitividade das empresas, regiões e países
      • Ponto fundamental da “Economia do Conhecimento”
  • 21. Você sabe o que é inovação?
    • “ Não quero inventar nada que não seja vendável. A venda é a prova da utilidade, e utilidade é igual a sucesso.” Thomas Edison (1847 – 1931)
    • http://pt.wikipedia.org/wiki/Thomas_Edison
  • 22. Inovação
    • Inovação “é o impulso fundamental que coloca e mantém em movimento a engrenagem da economia” (Joseph Schumpeter)
    • “ A inovação é a força motriz do capitalismo.”
      • Essencial à evolução do mercado
      • Condição para o aumento da competitividade das empresas, regiões e países
      • Ponto fundamental da “Economia do Conhecimento”
    http://www.pensamentoeconomico.ecn.br/economistas/joseph_schumpeter.html
  • 23.
    • “ Inovação é a transformação de uma ideia em um produto novo ou melhorado que se introduz no mercado, ou em novos sistemas de produção, e em sua difusão, comercialização e utilização. Entende-se também por inovação tecnológica, a melhoria substancial de produtos ou processos já existentes.” Manual Frascati (2003)
    Inovação Nossa visão “ É o impulso fundamental que coloca e mantém em movimento a engrenagem da economia ” Joseph Schumpeter “ Inovação hoje é sinônimo de boa gestão .” Clemente Nóbrega "Todas as inovações eficazes são surpreendentemente simples. O maior elogio que uma inovação pode receber é que alguém diga: 'É óbvio. Por que não pensei nisso antes?'" Peter Drucker (1909-2005) Inovação = ideia + implementação + resultados Fórum de Inovação FGV-EAESP
  • 24. Inovação Tecnológica
    • Requer a posse de um conhecimento especializado mediante patentes ou licenças para que se agregue valor ao produto.
    “ t pequeno”
  • 25. Inovação Organizacional
    • Ocorre quando uma organização busca vantagem competitiva em outras áreas, tais como Operações, Comercial, Finanças, Logística, Marketing etc.
      • Implica em mudanças no Modelo de Negócio
      • Impulsionado por Idéias
    “ T grande”
  • 26. Tipologia da Inovação
    • Onde acontece?
      • Produto (bem ou serviço)
      • Processo produtivo
      • Organizacional
      • Marketing
    • Qual a abrangência da inovação?
      • Novo para a empresa
      • Novo para o mercado local
      • Novo para o mundo
    • Tipo?
      • Tecnológica
      • Não tecnológica
    • Qual o grau da inovação?
      • Radical – resulta em um produto ou processo cujas características, atributos ou usos difiram radicalmente dos existentes
      • Incremental – entendida como a melhoria de produto ou processo existente cujo desempenho tenha sido significativamente melhorado ou a reconfiguração de uma tecnologia já existente para outros propósitos
      • Disruptiva - provocam uma ruptura em modelos de negócios que estão estabelecidos. Normalmente favorecem o aparecimento de novos produtos com desempenho equivalente ao padrão do mercado, mas inferior ao dos líderes, adotando uma nova abordagem que o torne mais barato, mais conveniente ou mais fácil de usar
  • 27. Tempo Desempenho/ custo e melhorias Incremental Radical Disruptiva/ Ruptura Tipologia da Inovação
  • 28. Dinâmica da Inovação
    • Os resultados vêm da mudança de uma visão endógena e unidirecional para uma perspectiva exógena, multidirecional e em rede
      • Compreensão da cadeia produtiva e das potenciais fontes de obtenção de conhecimento, lucratividade e competitividade;
      • Potencialização das fontes internas de geração de conhecimento, lucratividade e competitividade
    Atuação em rede e organização interna
  • 29. Benefícios da inovação
    • Desenvolver novos produtos, processos, serviços e mercados
    • Aperfeiçoar métodos de produção
    • Surpreender e fidelizar a clientela
    • Reduzir custos e impacto ambiental
    • Melhorar condições de trabalho e produtividade
    • Aumentar a participação de mercado e lucratividade
  • 30. Tendências da Competitividade com base na Inovação
    • Ampliação da participação das empresas no Sistema Nacional de Inovação
    • “ Ambientes de Inovação ”
    • Inovação de Ruptura
    • Open Innovation
    • Estruturação do processo de pesquisa, desenvolvimento e inovação nas organizações
    • Foco em resultados: C ... T  I = $ = 
    • Mas como chegamos nisso?
  • 31. Matriz de Ansoff
  • 32. Modelo Linear de Inovação Fonte: Eduardo Grizendi
  • 33. Modelo Interativo de Inovação Fonte: Eduardo Grizendi
  • 34. Dinâmica da Inovação Etkowitz – Capitalização do Conhecimento
  • 35. Triângulo de Sábato
    • ICTs
    Mercado Empresas Políticas públicas
  • 36. Inovação de Ruptura
    • Clayton M. Christensen – Trës tipos de inovação
    • Inovação de Sustentação: crescimento natural;
    • Inovação de Ruptura: transforma em algo mais simples e acessível;
    • Inovação em Modelos de Negócios: novos clientes, custos baixos e maior eficácia.
    Fonte: Flickr de Linden.g.
  • 37. Inovação de Ruptura
    • Clayton M. Christensen – Dois tipos de inovação de ruptura
    • O primeiro é o das empresas entrantes no mercado, que optam por focar uma pequena parcela dele, atendendo clientes que já são servidos pelos concorrentes estabelecidos. Neste caso, o entrante concorre com uma estratégia de baixo custo e, por algum tempo, conseguirá concorrer e obter lucros;
    • A segunda é a ruptura de novo mercado, na qual se concorre com o não-consumo, isto é, oferecendo o produto a pessoas que até então não eram consumidores, muitas vezes a uma qualidade inferior, mas a um preço acessível.
    • “ O Brasil tem uma grande quantidade de não-consumo”
    • Clayton M. Christensen
  • 38. Os elementos da inovação de ruptura 1. Tecnologia sofisticada simplificadora 2. Modelos de gestão inovadores e de baixo custo Regras e Padrões que facilitam a mudança 3. Cadeia de valor economicamente coerente Clayton M. Christensen (Inovação na Gestão da Saúde, 2009)
  • 39. Os elementos da inovação de ruptura 1. Medicina de precisão 2. Centros resolutivos, redes facilitadoras e organizações com processos que agregam valor. Regras e Padrões que facilitam a mudança 3. Cadeia de valor de ruptura: reforma sistêmica ou inserção gradual? Clayton M. Christensen (Inovação na Gestão da Saúde, 2009) Abordagem: Inovação em Gestão permite serviço menos dispendioso e com qualidade.
  • 40. “ O processo inovativo não segue uma linearidade que inicia no laboratório do cientista e termina na linha de montagem da fábrica ( science push ) ou se limita aos meros incentivos operados pelo mercado ( market-pull )” Jackson De Toni, 2006
  • 41. Open Innovation
    • Cada vez mais as empresas buscam um modelo organizacional e de operações mais enxuto e flexível, objetivando sua adequação rápida às condições de mercado e buscando vantagens competitivas pela constante inovação e reinvenção de si mesmas.
    Contexto Fonte: http://www.fubiz.net/
  • 42. Modelo fechado de inovação Pesquisa Desenvolvimento Século XX Pesquisa interna Integração vertical: Laboratórios próprios de P&D Altos investimentos tempo Antiga dinâmica...
  • 43. Modelo Aberto de Inovação Pesquisa Desenvolvimento Século XXI Internalização de tecnologias Interação com outras empresas e laboratórios de pesquisa Investimentos certos tempo Nova dinâmica
  • 44. Modelo Aberto de Inovação Pesquisa Desenvolvimento tempo Comercialização Internalização de idéias e tecnologias Licenciamento de patentes Internalização de patentes e know how Spin offs Internalização de protótipos para scale up Boas e viáveis idéias próprias Boas idéias, sem viabilidade Nova dinâmica
  • 45. E no Brasil?
    • Como anda a inovação no Brasil?
    • Como anda a inovação nas empresas brasileiras?
    • Como anda a inovação no setor de saúde no Brasil?
  • 46. 2. Momento da Inovação no Brasil
    • Pintec
    • Anpei
    • Indicadores C&T
    • Manifesto CNI
    • Anprotec
    • MEI
    • ABDI
    • Portal Inovação
  • 47.
    • Novo marco regulatório nacional
      • Lei de Propriedade Industrial (1996), Fundos Setoriais (1999), PICTE (2003), Lei de Inovação (2004), Lei do Bem (2005), Subvenção Econômica, Política de Desenvolvimento Produtivo etc.
    • Disseminação de iniciativas de apoio à Inovação
    • Ampliação dos recursos públicos disponíveis
    Momento Brasileiro da Inovação Novo Cenário Oportunidades para captação de recursos: Finep, MCT, CNPq, BNDES, Fapesb, Decit/MS contabilizam o maior volume da história: R$ 39,1 bilhões estimados de 2007 a 2010.
  • 48.  
  • 49. Produção Científica Brasil: Artigos publicados em periódicos científicos internacionais indexados no Institute for Scientific Information (ISI) e percentual em relação ao mundo, 1981-2006 Fonte: http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/5711.html
  • 50. Investimentos Brasil: Comparação - índice dos investimentos empresariais em C&T com o percentual de investimentos empresariais em relação ao PIB, 2000-2005 Fonte: http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/73493.html
  • 51. Propriedade Intelectual Depósito de patentes de invenção nos escritórios nacionais em relação ao produto interno bruto (PIB), 2004 Fonte: http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/9238.html
  • 52. Relatório da OCDE diz que Brasil investiu 1,02% em P&D em 2006
    • Publicações científicas brasileiras: 1,4% mundo (Suécia), dobrou entre 1995 e 2005
    • OCDE - Brasil destinou 1,02% PIB a P&D (2006)
    • Média OCDE: 2,26% (2006)
    • Acima Rússia e China, porém atrás da Argentina
    • Participação: 51% Estado, 49% empresas
    • 60% da participação registrada no Brasil provêm de entidades de fora do país.
    • 10,7% dos graduados universitários têm titulações em ciência e engenharia
    • Entre a população de 25 a 64 anos, 7,8% chegam ao ensino superior.
    • A tendência das patentes acadêmicas brasileiras aumentou em um terço entre 2004 e 2005 e as receitas de aluguel de patentes cresceram 60%, segundo dados da Agência de Inovação da Universidade de Campinas (Unicamp).
    • A OCDE reiterou que impulsionar a contribuição da inovação ao crescimento da produtividade e competitividade é um dos principais desafios estruturais do Brasil.
  • 53. Marco legal - mudança
    • Lei de Inovação (N º 10.173/04) - organizada em três eixos:
    • a constituição de um ambiente propício à construção de parcerias entre as universidades, institutos tecnológicos e empresas
    • o estímulo à participação de institutos de ciência e tecnologia no processo de inovação
    • o estímulo direto à inovação na empresa
    • Lei do Bem (N º 11.196/05) – Benefícios Fiscais à Inovação:
      • Diversos mecanismos à disposição.
      • Exemplos: Natura = R$ 15 mi (2006).
      • Braskem = R$ 6,2 mi (2006).
  • 54. Marco legal
    • Subvenção Econômica
      • Prevê a subvenção como forma de estímulo direto às empresas, e amplia as possibilidades de utilização desse mecanismo em dois sentidos.
        • Em primeiro lugar, ao desatrelar a concessão do benefício da utilização dos incentivos da Lei 8.661.
        • Em segundo, ao autorizar a destinação de percentual mínimo de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) para subvenção de atividades de P&D.
      • Aplicação de recursos públicos não-reembolsáveis diretamente em empresas.
      • Linhas de crédito à inovação através do BNDES e fundos de capital de risco através da Finep.
  • 55. Inovação Tecnológica no Brasil
    • 30% das empresas industriais realizam algum tipo de inovação tecnológica - média européia é de 50%
    • Menos de 4% das empresas lançam produto novo no mercado
    • Menos de 3% introduzem processo novo no mercado
    • Inovação para adequação a padrões internacionais:
    • - 23% das empresas que inovam e diferenciam produtos
    • 13% das empresas especializadas em produtos padronizados realizaram inovação
    • Fonte: IPEA – Glauco Arbix, Mar.2006
  • 56. Razões do baixo investimento do empresariado em pesquisa tecnológica (ANPEI, 2006)
    • Pouco domínio em relação às tendências dos mercados e das possibilidades de atendê-los
    • Distanciamento. Entendimento que a lucratividade depende da macroeconomia
    • Desconhecimento sobre os principais instrumentos de apoio à P&D, incentivos fiscais, fontes de financiamento
    • Aversão a novos formatos. Pouca disposição para o questionamento às regras de competição
  • 57. Questões de fundo
    • Você entende que inovação é importante?
    • A inovação faz parte da estratégia de sua organização?
    • A inovação é um pilar importante de sua estratégia?
    • A alta administração está ciente e segura de que inovação é importante?
    • Os resultados obtidos com a prioridade à inovação são concretos?
    Fonte: Flickr de Linden.g.
  • 58. 3. Estruturação dos esforços de inovação
    • Diagnósticos/auditorias
    • Benchmarking
    • Cultura inovadora
    • Meio inovador interno
    • Inteligência competitiva
    • Interação fontes de conhecimento
    Processos Procedimentos Sistemas Comitê de Inovação Funil de ideias Monitoramento de oportunidades
  • 59. 3. Estruturação dos esforços de inovação
    • Em que estágio está a organização (James Todhunter – Innovation Machine)
    • Estágio 1: organização não começou a estruturar políticas que motivem a inovação
    • Estágio 2: organização passa a testar algumas práticas de inovação
    • Estágio 3: desenvolvimento de melhores práticas para estimular ideias inovadoras
    • Estágio 4: organização está comprometida a desenvolver a inovação como competência necessária à evolução do negócio
    diagnósticos/auditorias
  • 60. Estruturação dos esforços de inovação diagnósticos/auditorias
  • 61. Estruturação dos esforços de inovação: benchmarking
  • 62. Estruturação dos esforços de inovação: cultura inovadora
  • 63. Estruturação dos esforços de inovação meio inovador interno
  • 64. Estruturação dos esforços de inovação inteligência competitiva
  • 65. Estruturação dos esforços de inovação interação fontes de conhecimento Governos Empresas Instituições de CT&I Investidores Pesquisadores
  • 66. Estruturação dos esforços de inovação processos
  • 67. Estruturação dos esforços de inovação procedimentos
  • 68. Estruturação dos esforços de inovação comitê de inovação
  • 69. Estruturação dos esforços de inovação funil de ideias Idéias Conceito Produção Comercialização Estudos Viabilidade Planos de Negócios Protótipos Decisão 1 Decisão 2 Decisão 3 Decisão 4 Decisão 5 Disclosure Caixa de Sugestões Brainstorming Técnico Concursos Reuniões Brainstorming Eventos Econômico Comercial Modelo 1 Produtos Serviços Processos Modelos Modelo 2 Avaliação de Idéias Surgimento de Idéias Viabilidade das Idéias Avaliação do Potencial das Idéias Teste de Mercado Oferta ao mercado Inteligência Competitiva – Informações do Mercado Mercado Ambiental
  • 70. Estruturação dos esforços de inovação monitoramento de oportunidades “ Finep vai investir R$ 1 bi em inovação nas empresas” “ Bahia tem R$ 20 mi sobrando para inovação” “ Novo presidente do BNDES defende inovação para a indústria” “ Academias de Ciências de 13 países recomendam que G8 discuta mudanças climáticas e inovação” As empresas conhecem os instrumentos à inovação? Pesquisa realizada no mês de maio/2007, com 230 empresas no Estado de São Paulo, revela que apenas 14% delas conhecem os instrumentos existentes para o financiamento da inovação tecnológica.
  • 71. Gestão da Inovação Modelo de Implantação
  • 72. Modelos de Gestão da Inovação
    • Modelos conceituais que descrevem o desenvolvimento e a implementação de projetos de inovação.
  • 73.
    • Desenvolvimento da Cultura de Inovação
    • Todo o esforço de inovação na empresa, começa com a sensibilização das pessoas para o desafio, demonstrando a importância do tema para o desenvolvimento empresarial, e a capacitação dos profissionais nas ferramentas, instrumentos, habilidades e competências necessárias no processo de inovação da empresa. Esta base deve ser construída como uma verdadeira Cultura de Inovação.
    Gestão da Inovação Modelo de Implantação Cultura de Inovação Ações de sensibilização e capacitação
  • 74.
    • Estruturação para a Inovação
    • Após a sensibilização e a capacitação para a inovação, o desafio é estruturar adequadamente a empresa para a inovação, estabelecendo ações de inteligência competitiva, promovendo a organização interna e elaborando o planejamento estratégico da inovação. Estes alicerces são os principais elementos necessários para a Gestão da Inovação da empresa.
    Gestão da Inovação Modelo de Implantação Cultura de Inovação Ações de sensibilização e capacitação Organização para Inovação Planejamento Estratégico de Inovação Sistema de Inteligência Competitiva
  • 75.
    • Gestão da Inovação para a Competitividade
    • A construção da Cultura de Inovação e da Organização para a Inovação permitem o completo gerenciamento da inovação na empresa. O desafio é identificar idéias e oportunidades, avaliar viabilidades, planejar, desenvolver projetos e testar seu potencial de mercado. A Gestão da Inovação permite a obtenção de resultados diretos na competitividade empresarial.
    Gestão da Inovação Modelo de Implantação Organização para Inovação Planejamento Estratégico de Inovação Sistema de Inteligência Competitiva Cultura de Inovação Ações de sensibilização e capacitação Gestão da Inovação para a Competitividade
  • 76. Gestão da Inovação Modelo de Implantação Organização para Inovação Planejamento Estratégico de Inovação Gestão da Inovação para a Competitividade Sistema de Inteligência Competitiva Cultura de Inovação Ações de sensibilização e capacitação Inovação e Competitividade
  • 77. Gestão da Inovação Organização para Inovação Planejamento Estratégico de Inovação Gestão da Inovação para a Competitividade Sistema de Inteligência Competitiva Cultura de Inovação Ações de sensibilização e capacitação Inovação e Competitividade
  • 78. Gestão da Inovação Aberta Idéias Conceito Produção Comercialização Estudos Viabilidade Planos de Negócios Protótipos Decisão 1 Decisão 2 Decisão 3 Decisão 4 Decisão 5 Disclosure Caixa de Sugestões Brainstorming Técnico Concursos Reuniões Brainstorming Eventos Econômico Comercial Modelo 1 Produtos Serviços Processos Modelos Modelo 2 Avaliação de Idéias Surgimento de Idéias Viabilidade das Idéias Avaliação do Potencial das Idéias Teste de Mercado Oferta ao mercado Inteligência Competitiva – Informações do Mercado Mercado Ambiental
  • 79. 4. Desenvolvimento da Estratégia de Inovação
    • “ Definição” de estratégias
    • planejamento estratégico corporativo
    • papel da inovação na estratégia
    • comprometimento da alta administração;
    Fonte: http://illusion.scene360.com/
  • 80.
    • Inovação é estratégia. Vijay Govindarajan
    • Inovação acontece quando expertise migra para regras simples.
    • Inovação é uma engenharia. Clemente Nóbrega
    • A gestão pode ser um diferencial. Rosiléia Milagres
  • 81. Os 5 requisitos de uma estratégia bem-sucedida Michael Porter
    • Os princípios subjacentes à estratégia devem perdurar , não obstante a evolução da tecnologia ou o ritmo das mudanças. Se não há barreiras de entrada, se os clientes têm todo o poder e se a concorrência é baseada em preço, a rede não faz diferença. Você não terá muitos lucros.
    • Uma estratégia saudável começa com um objetivo correto . O único objetivo que pode servir de base para uma estratégia saudável é a lucratividade superior. Se o seu objetivo é qualquer outro que não a lucratividade –se é ser grande, ou crescer rapidamente, ou tornar-se líder em tecnologia– você terá problemas.
    • A estratégia tem de ter continuidade . Ela não pode ser constantemente renovada. A estratégia diz respeito ao valor básico que você tenta entregar aos clientes e diz respeito aos clientes que você está tentando atender. Esse posicionamento, nesse nível, é o ponto no qual a continuidade deve ser mais forte.
    • As empresas têm de ser muito esquizofrênicas . Por um lado, elas têm de manter a continuidade da estratégia. Por outro lado, têm de ser boas em se aperfeiçoar constantemente.
    • A gestão estratégica e o aperfeiçoamento constante têm de reforçar um ao outro . A continuidade da direção estratégica e o contínuo aperfeiçoamento na maneira com que você faz as coisas têm de ser totalmente consistentes um com o outro. A habilidade para mudar constantemente e eficazmente é facilitada pela continuidade em alto nível.
    •   Fonte: TIPS FROM THE TOP – HSM Global
  • 82. Alinhando a iniciativa de inovação com a estratégia corporativa
    • Alinhamento Estratégico . Para qualquer iniciativa de inovação corporativa ser bem sucedida, é importante que esteja alinhada com a estratégia corporativa.
    • Liderança . Isso ocorre mais naturalmente quando os gestores mais experientes estão liderando a iniciativa inovadora – e esse é o principal fator para que o convencimento da alta administração seja o maior fator de sucesso para qualquer processo de inovação.
    • É necessário alinhar a geração de ideias e a inovação com a estratégia. Ideias relevantes para a estratégia. Esquemas de sugestões que estimulam a geração de ideias ao acaso, incrementam preferencialmente melhorias incrementais.
  • 83. A Three Step Approach
    • Metodologia básica para alinhar atividades de inovação e estratégias.
    • Step 1: Ask Lots of Questions
    • Step 2: Pose Innovation Challenges Based on Strategic Needs
    • Step 3: Evaluation
  • 84. “ O caminhar depende do calçado”
    • Gestão de Processos;
    • Processo internalizado de inovação;
    • Atitude de inovação;
    • Entusiasmo, brilho nos olhos dos colaboradores e parceiros;
    • Espaços para desenvolver a inovação;
    • Apoio profissional para estruturar a inovação na empresa;
    • Caixa de sugestões = ferramenta passiva;
    • “ É melhor fazer as coisas sistematicamente” Hesíodo VIII A.C.
    Estratégias para a “economia da inovação”
  • 85. A Gestão da Estratégia NÍVEL FUNDAMENTAL ANÁLISE INTERNA DA ORGANIZAÇÃO GERAÇÃO DE ESTRATÉGIAS ANÁLISE AMBIENTAL (ANÁLISE EXTERNA) ANÁLISE DO RAMO DE NEGÓCIOS (POR ÁREA ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS) ANÁLISE DO PORTFÓLIO DE NEGÓCIOS
  • 86. Sistema Corporativo de Inovação
    • Você pode descrever como está estruturada a inovação em sua organização?
  • 87. Inovação: caminho, combustível e a crise
    • Inovação é o caminho para o sucesso dos negócios
    • Inovação é o combustível para o crescimento das organizações (crescer = inovar)
    • A crise exige mais eficiência, novos formatos e novos modelos
    • “ Quem não inovar, desaparece” Jorge Gerdau
  • 88. Por que inovar?
    • Sobrevivência/Perpetuação do negócio – sobre a ótica de todos os stakeholders ;
    • Adaptação do modelo de negócios em ambientes turbulentos;
    • “ De 2010 a 2020, o Brasil será da primeira divisão mundial” LF Furlan
    • Melhorar a posição competitiva
    • Sustentabilidade
    • “ Inovação é inevitável, como a morte e os impostos” presidente da 3M
  • 89. Sem dinheiro para comprar zebra, zoo em Gaza pinta burro 08 de outubro de 2009 - Foto: Reuters
  • 90. Contatos www. brasilinovacao .com.br BRAIN - Brasil Inovação Consultoria e Assessoria Ltda. Rua Rubens Guelli, 134, Ed. Empresarial Itaigara Sala 408, Itaigara – Salvador/BA Tel.: 71 335-335-63 E-mail: brain@brasilinovacao.com.br