Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Conflitos Convesti
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Conflitos Convesti

  • 4,516 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
4,516
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
132
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Professor Bosco
  • 2. CONFLITOS GEOPOLÍTICOS • No fim do século XX, a ONU contava com 54 missões de paz em regiões afetadas pela guerra ou em vias de pacificação. • Guerras entre Estados-Nações, guerras civis, guerrilhas, ocupação de territórios à força e movimentos de separatismo dentro de Estados-Nações acontecem em todos os continentes, exceto na Oceania. • Os principais motivos dos conflitos que ocorrem no mundo são: disputas por território, soberania do Estado nacional (nacionalismo e separatismo), rivalidades étnicas e religiosas, questões de fronteiras, recursos minerais e, até mesmo, água. A pobreza é também causa de muitos desses conflitos.
  • 3. Principais Conflitos
  • 4. Antecedentes dos EUA: • Política imperialista na América Latina desde doutrina Monroe (fins século XIX) • Na Guerra Fria: intervenções militares, estímulo a golpes de Estado, armamentismo nuclear e químico pelo mundo afora. • No mundo islâmico: apoio a Israel e ditaduras, bem como proximidade com elites petrolíferas.
  • 5. Pós-11 / setembro EUA deflagram estratégia imperialista global sob disfarce de uma “guerra infinita contra o terrorismo”
  • 6. UNILATERALISMO DOS EUA O governo fragmentação norteia o mundo atual: a • A Bush e sua política internacional enfraqueceu nacionalismo, separatismo e terrorismo multipolaridade. Posição retrógrada mãos dadas, aliados a problemas sobre andam de nos tratados internacionais: Conferência religiosos, raciais, lingüísticos . racismona África do Sul (posição conservadora) e a não-assinatura do Protocolo de Kioto. • Canadá (Quebec); Curdistão; Israel e Interferência em organismos da ONU. Palestina; País Basco; Caxemira ; Tibet e Boicote ao Tribunal Penal Internacional, responsável pelo tantos outros. julgamento de casos de desrespeito humano. • A violência do terrorismo: as FARC Guerra preventiva no Iraque. (Colômbia); ETA (País Basco); IRA (Irlanda); Combate ao chamado “eixo do mal”. e África); Hamas Al Qaeda ( Oriente Médio (Oriente Médio e África). Consolidar a presença no Oriente Médio deslocando grandes contingentes militares para a região. Alianças com países europeus na questão iraquiana sem o aval da ONU, permite uma tentativa de ordem monopolar liderada pelos EUA.
  • 7. O Vietnã
  • 8. Vítimas do agente laranja
  • 9. Imagens • Kim Phuc - Embaixatriz da Boa Vontade da UNESCO
  • 10. • Utilização de armas químicas de destruição de massa. Aldeia bombardeada com Napalm em 1965. Efeito do “Agent Orange” Aviões americanos despejando o “Agent Orange” em plantações.
  • 11. O atentado ... Por quê?
  • 12. Trem em Madrid
  • 13. Vítima nº 1: Afeganistão
  • 14. AFEGANISTÃO • 1979-1989 – tentativa de dominação soviética, frustrada pela oposição dos mujahedin (guerrilheiros islâmicos), entre eles Bin Laden, apoiados pelos EUA, Irã e Paquistão. • 1996 – tomada do poder pelo grupo radical sunita Taleban, que adota a Sharia (doutrina islâmica) como lei. • 2001 – atentados aos EUA atribuídos a Bin Laden ; os EUA atacam o Afeganistão acusando-o de proteger o terrorista e servir de base para a Al Qaeda; o Taleban é deposto do poder. • 2001-2005 – rivalidades étnicas e crescimento do cultivo da papoula (ópio) dificultam a normalização do país.
  • 15. AFEGANISTÃO • Maioria muçulmana – 20% Xiita – 80% Sunita • 1979 – Invasão soviética • 1989 – Soviéticos expulsos – Apoio EUA • 1996 – Taleban – Tráfico – fonte de renda • 2001 – Atentados WTC • Invasão EUA
  • 16. Afeganistão 2
  • 17. Afeganistão 3
  • 18. Afeganistão 4
  • 19. Vítima nº 2: Iraque
  • 20. Iraque 1
  • 21. Iraque 2
  • 22. Reconstrução do Iraque
  • 23. Iran a próxima vítima?
  • 24. A REVOLUÇÃO ISLÂMICA (IRÃ 1979): • Até 1979: o Irã era governado pelo xá (rei) Reza Pahlevi (governo autoritário disposto a modernizar o país em termos econômicos e aliado dos EUA no Oriente Médio). • Transformação dos costumes (cada vez Pahlevi mais próxima dos ocidentais) desagradando setores religiosos (o Irã é um país de maioria xiita). • 1979: forças xiitas leais ao aiatolá (maior liderança religiosa xiita) Ruhollah Khomeini depuseram o governo do xá e criaram o primeiro governo xiita da história.
  • 25. • Governo nasce enfraquecido politicamente: – Repressão da oposição interna gerando guerra civil de dois anos. – Hostilidade às grandes potências (EUA e URSS). – Vizinhos (com populações xiitas), temiam revoluções do mesmo caráter em seus territórios.
  • 26. A QUESTÃ PALESTINA ISRAELENSES JUDEUS X PALESTINOS MUÇULMANOS Palestina -região de interesse geopolítico - Petróleo;
  • 27. • Característica do conflito: – APARÊNCIA: diferença étnica- religiosa – disputa PARÊNCIA pela Terra Santa - Jerusalém: cidade sagrada para judeus, cristãos e muçulmanos; – ESSÊNCIA: questão espacial (“luta pela terra”) - SSÊNCIA mensagem de jornal árabe de Haifa (final do século XIX): “...dos judeus não comprem nada, exceto terras; aos judeus vendam tudo, exceto terras”;
  • 28. Palestina
  • 29. Palestino mascarado mira estilingue contra tropas do exército durante conflitos na cidade de Nazaré
  • 30. Meninos palestinos
  • 31. Muro na Cisjordânia
  • 32. 14/07/2006
  • 33. Palestina
  • 34. OS TERRITÓRIOS OCUPADOS EM 67: COLINAS DE GOLÃ PENÍNSULA DO SINAI CISJORDÂNIA FAIXA DE GAZA
  • 35. A mulher do turista brasileiro que foi morto no atentado a bomba ocorrido em um restaurante em Jerusalém atentado a bomba que matou pelo menos 15 pessoas e feriu outras 92 em Jerusalém
  • 36. Corpo das vítimas do atentado contra posto do Exército israelense, em Tel Aviv
  • 37. Soldados israelenses cercam ônibus que foi usado em um atentado contra posto do Exército israelense por um palestino. O atentado causou 8 mortes, em Tel Aviv
  • 38. ACORDO DE PAZ
  • 39. O Hamas (acrônimo de Harakat al-Muqawamah al- Islamiyyah, ou ‫م‬ ‫ آ ا و ا‬em árabe) é um partido político e movimento guerrilheiro palestiniano, cuja sigla designa o Movimento de Resistência Islâmica, ou seja, luta contra a existência do Estado de Israel (estado esse criado após a Segunda Guerra Mundial para abrigar judeus). Criado, em 1987 na cidade de Gaza, a qual situa-se na Faixa de Gaza, preconiza a luta contra Israel, por todos os meios, visando a libertação da Palestina quot;... desde o Rio Jordão até o marquot;. O Hamas é responsável por vários atentados terroristas contra Israel e foi alvo de um boicote da comunidade internacional.
  • 40. Fatah ou Al-Fatah é um acrónimo reverso do nome Árabe Harakat al-Tahrir al-Watani al-Filastini , literalmente: quot;Movimento de Libertação Nacional da Palestinaquot;), é uma organização política e militar, fundada em 1964 pelo engenheiro Yasser Arafat e Khalil al-Wazir (Abu Jihad), juntamente com a criação da OLP. Os membros desse grupo defendiam a luta armada para expulsar Israel dos territórios ocupados. O Fatah ocupou o Conselho Revolucionário da OLP, atuando como seu braço armado. Atualmente possui o presidente da Palestina, Mahmoud Abbas.
  • 41. Hezbollah O Hizbollah, Hezbollah ou Hizbullah (conforme a transliteração do árabe o que significa quot;Partido de Deusquot;) é uma organização política e militar dos muçulmanos xiitas do Líbano, criada em 1982 no contexto da invasão de Israel ao sul do Líbano.
  • 42. Questão Curda
  • 43. Povo Curdo – lutam pela formação do Curdistão
  • 44. Curdos 3
  • 45. A Cachemira
  • 46. CACHEMIRA •CONFLITO ÉTNICO-RELIGIOSO ( ISLAMISMOX HINDUÍSMO) •A INDEPENDÊNCIA DA ÍNDIA EM 1947 •CRIAÇÃO DE DOIS PAÍSES ( PAQUISTÃO E ÍNDIA) •DISPUTA PELA POSSE DO TERRITÓRIO CACHEMIRA •PREOCUPAÇÃO – CORRIDA ARMAMENTISTA NA REGIÃO DEVIDO A DISPUTA DE PODER REGIONAL; AS DUAS NAÇÕES SÃO DETENTORES DE ARMAS NUCLEARES.
  • 47. atentado
  • 48. Terror atômico
  • 49. MÉXICO • EZLN (Exército Zapatista de Libertação Nacional) – movimento rebelde que, em 1º de janeiro de 1994 (início do NAFTA), ocupou várias cidades no estado de Chiapas. Opôs-se ao governo mexicano, reivindicando o combate à exclusão social e a melhoria dos direitos constitucionais dos povos indígenas. Liderado pelo subcomandante Marcos, iniciou negociações com o governo mexicano e não atua mais por meio do confronto armado. As condições sociais de Chiapas contrastam com grandes reservas petrolíferas e de gás natural encontradas em seu subsolo.
  • 50. Pobreza e riqueza em Chiapas
  • 51. Zapatistas
  • 52. Exercito Zapatista de Libertação Nacional
  • 53. COLÔMBIA • Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e ELN (Exército de Libertação Nacional) – guerrilhas de esquerda surgidas na década de 1960, muito ativas até 1980. Após esse período, perderam seu caráter ideológico e passaram a atuar buscando desestabilizar o governo colombiano. Cobram ‘pedágios’ dos traficantes de drogas nas áreas que controlam – cerca de metade do território do país. Como oposição a essas guerrilhas surgiram as AUC (Autodefesas Unidas da Colômbia), grupos paramilitares de direita apoiados pelo exército colombiano.
  • 54. farc
  • 55. Conflitos europeus
  • 56. Questões Basca e Irlandesa
  • 57. ESPANHA / BASCOS • O “País Basco” localiza-se entre Espanha e França. Os bascos são um povo com língua de origem desconhecida e cultura tradicional. Durante a ditadura de Francisco Franco (1939- 1975), os bascos foram proibidos de ensinar sua língua (euskera) nas escolas da região e de usar a bandeira com as cores do País Basco. • Em 1959, foi criado o ETA (Euskadi ta Askatasuna), responsável por inúmeros atentados terroristas, que reivindica a independência do “país basco”. A partir da redemocratização do país, o ETA perdeu a credibilidade e o apoio popular, mas se mantém ativo.
  • 58. Os Bascos – lutam pela autonomia na Espanha e França
  • 59. Atentado eta
  • 60. IRLANDA DO NORTE • Os problemas na Irlanda do Norte são conseqüência de uma longa história de conflitos entre católicos (irlandeses) e protestantes (ingleses). • Os católicos, majoritários na República da Irlanda, mas minoritários na Irlanda do Norte (Ulster), reivindicam a separação do Ulster em relação ao Reino Unido. Para combater o domínio britânico, formou-se o IRA (Irish Republican Army/Exército Republicano Irlandês) – grupo que se notabilizou por uma série de atentados terroristas. • Na década de 60 os católicos passaram a exigir direitos e liberdades civis, o que provocou reação dos protestantes, levando a radicalização dos católicos e a ativação do Exército republicano Irlandês.em 1972 tropas britânicas abriram fogo contra manifestantes (Domindo sangrento). • Um acordo de paz foi assinado em 1998, porém a situação ainda é relativamente tensa.
  • 61. Atentado IRA
  • 62. Ex-Iugoslávia
  • 63. Balcãs
  • 64. CHECHÊNIA • Maioria muçulmana • 1991 – Declarou-se independente – Moscou não aceitou • 1994 – Invasão – Derrota russa • 1996 – Acordo de paz • 2000 – Administração passa à Rússia • 2004 – Rebeldes tomam escola - 300 mortes
  • 65. Os familiares das vítimas do massacre de Beslan lamentaram hoje que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, não tenha tido a coragem de pedir perdão em público pela incompetência das autoridades durante o seqüestro.
  • 66. Ossétia do Sul
  • 67. ÁFRICA • Agravamento da situação econômica a partir da década de 1990 / “excluídos da globalização” – fraco mercado consumidor e exportação de produtos primários de baixo preço. • Conjunto de problemas: fome, guerras civis, aids, miséria, catástrofes naturais, fraca economia, fronteiras artificiais – formam um verdadeiro barril de pólvora. • Maioria dos países africanos passou por algum conflito nos últimos quinze anos: Ruanda, Burundi, Serra Leoa, Libéria, Sudão, Somália, Etiópia, Eritréia, República Democrática do Congo, Angola, Moçambique, Argélia são alguns exemplos.
  • 68. Os excluídos da globalização “ À medida que a economia mundial se tornava global e, sobretudo após a queda da região soviética, mais puramente capitalista e dominada por empresas, investidores e empresários descobriram que grande parte dela não tinha interesse lucrativo para eles, a não ser, talvez, que pudessem subornar seus políticos e funcionário públicos para gastar dinheiro extraído de seus infelizes cidadãos com armamentos ou projetos de prestígio. Um número desproporcionalmente grande desses países se encontrava no infeliz continente africano.” Eric Hobsbawn – Era dos Extremos, 1995, p. 355
  • 69. O inferno de Ruanda Campo de refugiados ruandeses na Tanzânia
  • 70. O País: Ruanda • População: 7.954.013 (1994) – 84% - hutu – 15% - tutsi – 1% - tvás/pigmeus • Analfabetismo: 30% • 60% da pop. vive abaixo do limite da pobreza
  • 71. Ruanda: breve histórico • Ex-colônia da Bélgica • Desde sua independência foi governada pela maioria hutu • 1989: crise econômica • 1990: Frente Patriótica Ruandesa, composto por exilados tutsis, com o apoio do Exército invadem o país • Revolta dos hutus: milícia interahamwe e movimento extremista Power Hutu
  • 72. Ruanda: o genocídio • Estopim: assassinato do ditador Habyarimana (hutu) • Facções hutus começam a atacar os tutsis e hutus moderados • Uso de táticas primárias: machado, martelo, machete, garrote e a tiros (menos utilizado) • Conseqüência: entre 800 mil e 1 milhão de mortos (tutsis e hutus moderados) em pouco mais de 100 dias • Não houve interferência internacional, nem da ONU
  • 73. Como 350 mil pessoas chegaram ao campo de Benako em apenas quatro dias, as condições iniciais eram deploráveis. Tanzânia, 1994. Com 350 mil refugiados, o campo de Kibumba cresceu ainda mais quando o governo do Zaire transferiu refugiados de Goma e de Munigi para lá. Zaire, 1994
  • 74. No campo de Kibumba, milhares de ruandeses morriam todo dia de cólera, disenteria, fome e desespero. Os tratores do exército francês empilham os corpos contra montes de lava vulcânica, depois os cobrem com terra. A morte tornou-se um problema logístico. Zaire, 1994. Cadáveres de tutsis (a maioria estava cruelmente mutilada) em uma escola abandonada. Nyarubuye, Ruanda, 1995
  • 75. Angola Durante quase quatro décadas de guerra, os exércitos angolanos e estrangeiros teriam O número de mutilados é tão elevado que o espalhado entre 10 e 12 centro ainda está muito distante de atender milhões de minas de 67 a toda demanda de próteses, ainda que diferentes tipos. Angola, metade dos que pisam nas minas (80%, no 1997. caso das crianças) morram instantaneamente. Bomba Alta, Angola, 1997.
  • 76. África
  • 77. África
  • 78. África
  • 79. Bendito o povo brasileiro, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos