• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Antecedentesgeopoliticoseestrategico
 

Antecedentesgeopoliticoseestrategico

on

  • 396 views

 

Statistics

Views

Total Views
396
Views on SlideShare
385
Embed Views
11

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

1 Embed 11

https://jujo00obo2o234ungd3t8qjfcjrs3o6k-a-sites-opensocial.googleusercontent.com 11

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Antecedentesgeopoliticoseestrategico Antecedentesgeopoliticoseestrategico Presentation Transcript

    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAROBJECTIVOS: Descrever a situação da Europa após a II Guerra Mundial Justificar a afirmação dos EUA e da URSS Explicar os objectivos do Plano Marshall Explicar o papel do Kominform Justificar o estado de tensão permanente entre as duas superpotências Caracterizar a guerra fria Justificar a criação da NATOJustificar a criação do Pacto de Varsóvia Explicar a coexistência de um equilíbrio geo- político Explicar em que consistiu a coexistência pacífica Apontar a proliferação de múltiplos conflitos regionais Justificar o fim da guerra fria Explicar o aparecimento da ONU Referir alguns objectivos da Carta das Nações Unidas caracterizar os órgãos das Nações Unidas Referir as atribuições do Secretário geral Apontar alguns desafios que se colocam à ONU
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR 1945 FIM DA II GUERRA MUNDIAL Cerca de 60 milhões de mortos VITÓRIA DOS ALIADOS Cidades, indústrias, portos, pontes, linhas férreas totalmente destruídas As matérias primas faltam Custos desta vitória para a Todos os aparelhos produtivos e militares Europa destruídos Duas superpotências emergem no panorama internacional Indústria intacta, reforçam o poder militar e Apesar de ter ficado com aeconómico estrutura económica danificada pela Única potência a possuir armamento nuclear guerra, efectuou um esforço de de principal fornecedor de bens, logo o maior reconstrução económica associado àcredor produção de armamento Grandes reservas de ouro, que levam o dólar A expansão da ideologia socialistaa ser o único ponto de referência no mercadomundial. nos países do leste europeu Criação de duas importantes instituições impuseram a URSS como 2ªfinanceiras: FMI (Fundo Monetário potência no mundoInternacional) e BIRD (Banco Internacional Existência de grandes quantidadespara a Reconstrução e Desenvolvimento) naconferência de Bretton Woods. Define-se um de recursos naturais, sobretudonovo sistema financeiro baseado no dólar minerais
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR DOS ALIADOS VÃO EMERGIR DOIS BLOCOS DEFENSORES DE DOIS MODELOS DE SOCIEDADE DIFERENTRES: O OCIDENTE: O LESTE: Pretende que a ideologia do mercado Pressiona a tomada de poder pelos comunistas na livre e da democracia parlamentar seja Europa de leste e influencia os movimentos de adoptada não só na Europa, como libertação nas nações ainda submetidas ao também noutras regiões do mundo colonialismo Defensor do capitalismo e da Defensor do socialismo e da revolução dos povos ideologia liberal oprimidos A que se deveu o agudizar de tensões entre os dois blocos que levou ao clima de guerra friaO factor fundamental relaciona-se com o facto do ambos os blocos possuírem sistemas económicos e políticoscompletamente diferentes: Os EUA estavam organizados sob a forma de um regime democrático e o seu sistema económico era de economia demercado A URSS, politicamente era uma regime comunista e o seu sistema económico era de direcção centralMas se a causa principal das tensões teve origem em divergências políticas e ideológicas, vários factores provocaram oclima de guerra fria: Os EUA, através da doutrina Truman e do plano Marshall desafiam o poder da URSS na Europa Por seu lado a URSS responde com a criação do KominformContudo, até à década de 50, a relação de forças era, globalmente favorável aos EUA, nomeadamente porque: Os EUA controlavam quase todos os espaços marítimos e o seu poder económico era muito grande O Plano Marshall estava a permitir a recomposição de um novo bloco económico forte, a Europa ocidental. Até 1949, dispunham do monopólio das armas atómicasMas, na década de 50, com o fim do monopólio atómico e com a guerra da Coreia, a violência ideológica que opunha osdois blocos recrudesce.
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLARO PLANO MARSHALL Trata-se de uma ajuda gratuita dos EUA à Europa. Tem como objectivo apoiar a recuperação económica daEuropa, fortalecendo ao mesmo tempo a resistência aocomunismo. Inicialmente destinava-se a toda a Europa, mas a URSSrecusou a ajuda e impôs a mesma decisão às repúblicas sob asua influência. Este plano enquadrava-se na chamada doutrina Trumanque defendia: A Paz, a expansão da prosperidade e aimplantação do modelo social e económico americanoA URSS responde aos EUA criando o Kominform Tratava-se de um organismo de origem soviética fundada emSetembro de 1947, numa reunião na Polónia, para congregar partidoscomunistas europeus. O encontro foi convocado por Stalin emresposta a divergências entre os governos do Leste Europeu quanto acomparecer ou não à conferência do Plano Marshall em Paris, emJulho de 1947. Este organismo estabelecia a ligação entre os partidoscomunistas das várias repúblicas de Leste e apoiava os movimentosrevolucionários no exterior.
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR AS ORGANIZAÇÕES POLITICO – MILITARES ORGANIZAÇ Em consequência do bloqueio de Berlim (1948-49) e conscientes da sua fragilidade face ao poderio militar da URSS, a Europa Ocidental ponderou a necessidade de criar uma organização político – militar com o apoio e participação dos EUA.OTAN – Organização do tratado do Atlântico Norte (4 de Abril de1949) Principal objectivo – Proporcionar o apoio Norte Americanoaos estados europeus no caso de uma agressão Russa. Defende o propósito dos seus países membros:“Salvaguardarem a liberdade, a herança comum e a civilizaçãodos p+ovos respectivos, baseados nos princípios da democracia,da liberdade individual e do respeito pela lei...” O tratado estipularia também que o ataque a um dossignatários passaria a ser considerado como um ataque aoterritório de todos, levando à assistência mútua. mú ESTADOS SIGNATÁRIOS SIGNATÁ -RFA (1952) - HOLANDA (1949) - ESPANHA (1952) - BÉLGICA (1949) -ISLÂNDIA (1949) -EUA (1949) -CANADÁ (1949) - ITÁLIA (1949) -FRANÇA (1949) - DINAMARCA (1949) - LUXEMBURGO (1949) -GRÉCIA (1952) - NORUEGA (1949) -REINO UNIDO (1949) -PORTUGAL (1949) - TURQUIA (1952)
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR O MAPA ACTUAL DA NATO E PAÍSES CANDIDATOS PAÍ 1999
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR EM 1955 A URSS RESPONDE À CRIAÇÃO DA NATO CRIAÇ Criando uma aliança estratégica militar protectora dos seus interesses- Tratado de assistência militar- (14 DE Maio de1955) PACTO DE VARSÓVIA Principal objectivo: Os países signatários comprometem-se a prestar auxilio imediato em caso de agressão a qualquer dos seus membros ESTADOS SIGNATÁRIOS -ALBÂNIA - HUNGRIA - BULGÁRIA - POLÓNIA - CHECOSLOVÁQUIA - ROMÉNIA - RDA - URSSEm consequência do aparecimento destas duas aliançaspolítico – militares, este período caracterizou-se pelodesenvolvimento de uma poderosa indústria dearmamento convencional e nuclear.
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR A COEXISTÊNCIA PACÍFICA ENTRE OS DOIS BLOCOS Na década de 50, a URSS já dispunha de armas atómicas e a corrida aos armamentos nuclearespermitiu-lhe, em 1957, a construção de mísseis intercontinentais. Tal situação significou que oterritório das duas superpotências já não está imune ao eclodir de uma guerra. Deste modo, se a paz continuava a ser uma impossibilidade, a guerra torna-se impensável. Daíque a coexistência pacífica se impusesse progressivamente aos dois blocos rivais. Foram vários os factores que levaram à coexistência pacífica Em 6 de Maio de 1956, morre Staline e inicia-se um processo de desestalinização daURSS. Os EUA que reagiram violentamente ao fim do monopólio atómico em 1949, também sepredispõem a um maior diálogo. Deste modo estavam lançadas as bases para se iniciar um período de maior distensão entre os dois blocos cujas regras principais são:Manter um diálogo permanente e procurar chegar a acordos recíprocos em substituiçãoda oposição ideológica, provar a sua contenção respeitando as zonas de influência decada um e impedir um conflito local de degenerar.
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR O FIM DA GUERRA FRIAVários foram os acontecimentos que levaram ao fim da guerra fria: Em 1963 após a crise dos mísseis de Cuba foi criado o telefone vermelho entre o Kremlim e a Casa Brancapara permitir o contacto directo entre os presidentes soviético e norte americano. Em 1972 é assinado o 1º tratado de limitação de armas estratégicas (SALT I) entre os presidentes Nixon eBrejnev. Em 1979 é assinado o tratado SALT II entre os presidentes Jimmy Carter e Brejnev. Em 1985 Mikhail Gorbatchev lançou a “PERESTROIKA” (reestruturação) e a GLASNOST (transparência) Em 1986 foi assinado o Tratado de Washington o primeiro acordo de verdadeiro desarmamento nuclear e convencional. Gorbatchev leva a cabo uma série de reformas a nível político e económico. Abre caminho´`a economia de mercado e introduz a democracia e a liberdade de expressão levando à expansão do modelo ocidental. Os regimes comunistas do Leste europeu começam a desmoronar-se, a Polónia e a Hungria têm as primeiras eleições livres. O movimento lançado por Gorbatchev leva, em 1989, à derrocada do bloco socialista.
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR A segunda guerra mundial relançou a ideia de um organismo supranacional capaz de arbitrar conflitos, de impedir a resolução de problemas de relacionamento entre estados pelo recurso às armas, de garantir a igualdade entre os estados e de fazer respeitar os direitos humanos. Todos estes objectivos, que eram uma reedição dos propósitos que haviam norteado a criação da Sociedade das Nações após a I guerra mundial, estavam consignados numa Carta, aprovada em Outubro de 1945 na Conferência de S. Francisco. OBJECTIVOS DA CARTA DAS NAÇÕES UNIDAS Manter a paz e a segurança internacionais. Desenvolver as relações de amizade entre as nações baseadas no respeito pelo princípioda igualdade de direitos e de autodeterminação dos povos. Desenvolver a cooperação internacional resolvendo os problemas de ordem económica,social, cultural e humanitária. Assegurar o respeito pelos direitos do homem e pelas liberdades fundamentaisA adesão à ONU está aberta a todos os Estados que assinem e estejam dispostos a cumprir aCarta das Nações Unidas. Os novos membros têm de obter a aprovação de 2/3 dos votos daAssembleia Geral.
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR OS ÓRGÃOS DAS NAÇÕES UNIDASASSEMBLEIA GERALÉ o órgão onde estão representados todos os estados membros (189), cada estado dispõe de um voto. Sãodiscutidas todas as grandes questões internacionais, sendo as suas resoluções tomadas, consoante o seu grau deimportância, por maioria de 2/3 ou simples.CONSELHO DE SEGURANÇAInstitucionaliza a hegenomia do poder de decisão das potências vencedoras da guerra (EUA; URSS; Reino Unido,França e China). É formado actualmente por 15 membros dos quais 5 são membros permanentes, os referidosanteriormente, sendo 10 eleitos pela Assembleia Geral por maioria de 2/3 e por um período de dois anos. OConselho de Segurança para aprovar uma resolução tem que ter o voto favorável de 9 membros incluindo os 5permanentes que têm direito de veto.SECRETARIA GERALÀ frente da Secretaria Geral encontra-se o Secretário Geral que é eleito por todos os Estados membros por umperíodo de 5 anos e com possibilidade de ser reeleito no fim do mandato. Este órgão detém o poder executivo,desempenhando o Secretário Geral uma função muito importante na resolução de conflitos e na sua mediação.CONSELHO ECONÓMICO E SOCIALÉ formado por 27 membros eleitos pela Assembleia Geral e estabelece a relação entre os organismosintergovernamentais (FAO, OIT,OMS, UNESCO, UNICEF etc.) e a Assembleia Geral.CONSELHO DE TUTELAControla os territórios sob Tutela, é composto pelos 5 membros permanentes do Conselho de segurança, pelosEstados sob tutela e por igual número de outros estados eleitos por 3 anos.TRIBUNAL INTERNACIONAL DE JUSTIÇAÉ composto por 15 juizes eleitos pela Assembleia Geral e Conselho de Segurança, cuja função é resolver osconflitos entre os Estados membros, a eleição é por 9 anos e a sede deste tribunal é em Haia (Holanda).
    • OS CONFLITOS E OS EQUILÍBRIOS NO MUNDO BIPOLAR A ONU ENTRE A PARALISAÇÃO CRÓNICA E A RENOVAÇÃO Durante o período da Guerra Fria, a ONU, e em particular o Conselho de Segurança, serviram de palcoao confronto político- ideológico entre os EUA e a URSS, o que levou a uma paralisação crónica de que aorganização foi vítima. A intervenção da ONU na guerra da Coreia (1950-1953) só foi possível pela ausência da URSS nareunião do Conselho de segurança que aprovou a resolução. A organização esteve ausente da gestão dosconflitos da guerra fria que afectaram os países do Terceiro Mundo (guerra do Vietname, crise dosmísseis de Cuba, conflito Israelo-árabe etc.) Actualmente a organização apresenta uma má situação financeira devido às dívidas de alguns Estadosmembros como por exemplo os EUA que têm uma elevada dívida. Raros são os países que pagam as suasquotas a tempo e horas pelo que se iniciou um processo de reformas para resolver a crise financeira epolítica. A resolução da crise política só será possível alterando a composição do Conselho de Segurança pois jánão representa a actual relação de forças, pois a Alemanha e o Japão, pertencentes ao G 7 tambémpretendem estar incluídas. Outros países do Terceiro mundo, que pelo facto de possuírem elevados índices demográficos e muitasriquezas naturais reclamam também uma presença permanente no Conselho Por outro lado há quem defenda mais poderes para este órgão assim como a dotação de forças armadaspróprias.
    • O PAPEL DO MOVIMENTO DOS NÃO ALINHADOSEm Abril de 1955 realizou-se a conferência de Bandung com 29 países do Terceiro Mundo cujos principaisobjectivos foram: Definir o papel dos países do Terceiro Mundo face às grandes potências; Organizar uma maior intervenção política destes países na cena internacional, de forma a conseguiremrelações mais justas entre o Norte e o Sul.Durante esta conferência surgiram posições pró-ocidental, pró-leste e neutrais, acabando por vencer a viaNEUTRAL dando origem: O resultado da conferência foi: A condenação ao colonialismo; Um apelo à paz à cultura e à cooperação mundial; O desejo do Terceiro Mundo alcançar o desenvolvimento.Depois de Bandung o Movimento dos Não Alinhados realizou outras conferências.Mas o movimento sobreviveu com dificuldade à morte dos seus fundadores , Nehru (1ºministro da Índia) Nasser (Presidente do Egipto) e Tito (Presidente da Jugoslávia), e aodesaparecimento do facto colonial. Numerosos factores conjugaram-se para desunir oTerceiro Mundo.Às diferenças geográficas, demográficas, históricas e culturais adicionaram-se asconsequências das políticas, económicas e de inserção mais ou menos ampla na economiamundial.
    • O Movimento dos Não alinhados abre umaterceira via entre as políticas das grandespotênciasDesde o seu início, o movimento dos não alinhados foi afectado pelas lutas internas e porcertas ambiguidades. Os confrontos entre Nehru, Nasser e N`Krumah para controlar omovimento, as divergências ideológicas e as tensões internas ( Guerra entre a Índia e a Chinaem 1962) arruinaram os esforços do Terceiro Mundo para se constituir uma terceira força eenfraqueceram o seu peso nas relações internacionais. Deste modo em poucas décadas estaunidade vai despedaçar-se completamente.