ANNA = ANOREXIA
ANOREXIA É UMA DOENÇA, NÃO É FRESCURA. VOCÊ PODE ACHAR ESTA
CARTA UM ABSURDO, MAS ATRAVÉS DELA PODE TER A ...
números passam a ser amigos e inimigos ao mesmo tempo, então, em pensamento
você reza para que eles tenham diminuído da no...
para a privada, seus dedos irão para dentro da sua garganta e, com uma boa
quantidade de dor, a comida vai toda sair. Você...
No limite da magreza
"Os bastidores da Pró Anorexia"
Texto original: “The Thin Line - Making of Pro-Anorexia”
Tradução: Lo...
para atingir o corpo perfeito que eles idealizam. E não é difícil de entender o porquê
disso, uma vez que a sociedade nos ...
freqüentemente citados como “meios de lidar com as dificuldades” quando uma
pessoa não consegue fazer isso de outra maneir...
que ela estava vivenciando. E deveria ter havido uma manifestação muito clara
para contestar esses “moderadores”.
Agora es...
coisas não ajudam ninguém. Só faz as pessoas se sentirem tremendamente piores.
E isso certamente não vai converter pessoai...
anas e wanna-be querem atenção e popularidade, elas irão provavelmente divulgar
cada vez mais este tipo de material. O fat...
“Vítimas de um transtorno alimentar potencialmente fatal, anorexia nervosa, são
alvos de sites radicais pró-anorexia que, ...
What Parents NEED To Know
About Eating Disorders
O que os pais precisam saber sobre Transtornos Alimentares
Quando o seu f...
devem ser SEMPRE checados em caso de suspeita ou confirmação de um T.A dado
que a maioria das mortes provocadas por TAs oc...
Arquivo do Grupo Sinto Muito
http://br.groups.yahoo.com/group/sintomuitogrupo/
Acesse também:
http://diadeamarseucorpo.blo...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Desvendando Anna (ANOREXIA)

6,930

Published on

Arquivo contendo os seguintes textos:
- Carta da Anna
- No limite da magreza
- O que os pais precisam saber sobre Transtornos Alimentares

Published in: Health & Medicine
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
6,930
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Desvendando Anna (ANOREXIA)

  1. 1. ANNA = ANOREXIA ANOREXIA É UMA DOENÇA, NÃO É FRESCURA. VOCÊ PODE ACHAR ESTA CARTA UM ABSURDO, MAS ATRAVÉS DELA PODE TER A OPORTUNIDADE DE CONHECER UM POUCO O QUE SE PASSA NA CABEÇA DE QUEM ESTÁ SOFRENDO COM UM TRANSTORNO ALIMENTAR. Querida leitora, Permita que eu me apresente. Meu nome, ou como sou chamada pelos também chamados 'doutores' é Anorexia. Anorexia Nervosa é meu nome completo, mas você pode me chamar de Anna. Felizmente nós podemos nos tornar grandes parceiras. No decorrer dos dias vou investir muito em você, cobrando-lhe a toda hora. No passado você ouviu seus professores e seus pais falarem sobre você. Diziam que era tão madura, inteligente, e que tinha tanto potencial! Eu pergunto: onde tudo isso foi parar? Absolutamente em lugar algum! Você não é perfeita, não tenta o bastante, perde muito tempo pensando e falando besteiras. Logo, esses atos não serão mais permitidos. Seus amigos não lhe entendem, nem são verdadeiros. No passado, quando com insegurança você perguntou a eles: "Estou gorda?" e eles te disseram: "Não, claro que não!", você sabia que estavam mentindo. Apenas eu digo a verdade! Sem falar nos seus pais...Você sabe que eles te amam e se importam com você, mas em parte é porque eles são pais, são obrigados a isso. Eu vou te contar um segredo agora: bem no fundo eles estão desapontados com você. A filha deles, que tinha tanto potencial, se transformou em uma gorda lerda sem merecimento de nada. Não se desespere, eu vou mudar isso. A partir de agora você não tem permissão para comer muito. Eu vou começar devagar: diminuindo a gordura, lendo tabelas de nutrição, cortando doces e frituras. Por um tempo os exercícios serão simples: corridas, talvez exercícios localizados... Nada muito sério. Talvez você perca alguns quilos, tire um pouco de gordura deste seu estômago gordo! E não vai demorar muito até que eu te diga que não está bom o suficiente. Vou fazer com que diminua as calorias consumidas e aumente a carga de seus exercícios. Vou te forçar até o limite! Já estou dentro de você há algum tempo, esperando para te acolher. Eu preciso fazer isso e você quer que eu faça! Estaremos juntas quando você acordar de manhã e correr para a balança. Os
  2. 2. números passam a ser amigos e inimigos ao mesmo tempo, então, em pensamento você reza para que eles tenham diminuído da noite para o dia. Você se olha no espelho com enjôo, fica enjoada quando vê tanta banha neste seu estômago, e sorri quando começam a aparecer seus ossos. Eu estou aí quando você pensa nos planos do dia: 400 Kcal e 2 horas de exercícios. Sou eu quem faz esses planos, pois agora meus pensamentos e seus pensamentos estão juntos em um só. Eu te sigo durante o dia. Na escola, quando sua mente sente vontade, eu te dou alguma coisa para pensar: recontar as calorias consumidas do dia, elas são muitas! Eu vou encher sua cabeça com pensamentos sobre comida, peso e calorias, pois agora eu realmente estou dentro de você, sou sua cabeça, seu coração e sua alma. A dor da fome, que você finge não sentir, é meus braços te acolhendo! Logo eu não vou estar te dizendo o que fazer com comida, mas o que fazer o tempo todo. Sorria, apresente-se bem. Diminua este estômago gordo, droga! Deus, você é uma vaca gorda! Quando as horas das refeições chegarem, eu vou te dizer o que fazer. Quando eu fizer um prato de alface, será uma refeição de rei! Empurre a comida envolta, faça uma cara de cheia como se você já tivesse comido. Não coma nenhum pedacinho de nada. Se você comer, todo o controle será quebrado...Você quer isto? Ser de novo aquela vaca gorda que você era? Eu te forço a ver uma revista de modelos: aqueles corpos perfeitos, magros, aqueles dentes brancos! Essas modelos perfeitas lhe encaram pela página da revista, e eu lhe digo que você nunca será tão bonita quanto elas, você sempre será gorda! Quando você se olhar no espelho eu vou distorcer sua imagem e te mostrar uma lutadora de sumô, mas, na verdade, você é apenas uma criança com fome. Você não pode acolher essa verdade, pois se você o fizer, começará a comer de novo e nossa relação pode vir a cair, até me destruir! Às vezes você será rebelde, felizmente não com muita freqüência. Você dará força para aqueles últimos pensamentos e talvez entre naquela cozinha escura! A porta do armário vai se abrir devagar, você vai colocar sua mão naquele pacote de biscoitos e depois vai simplesmente engoli-los, sem sentir gosto nenhum na verdade. Você simplesmente estará indo contra mim. Você procurará por outra caixa de biscoitos, e outra e mais outra. Seu estômago ficará cheio de massa e gordura, mas você não vai parar de comer. O tempo todo eu vou estar gritando para que você pare, sua vaca gorda! Você realmente não tem controle, você vai engordar! Quando isso acabar, você correrá desesperada para mim de novo, pedindo-me conselhos para não ficar ainda mais gorda. Você quebrou uma regra, comeu; agora você me desejará de volta. Eu vou te forçar a ir ao banheiro. Ajoelhada e olhando
  3. 3. para a privada, seus dedos irão para dentro da sua garganta e, com uma boa quantidade de dor, a comida vai toda sair. Você vai repetir isso várias vezes, até que vomite sangue e água e saiba que toda aquela comida se foi! Quando você se levantar vai sentir tontura, mas não desmaie. Fique em pé agora mesmo, sua vaca gorda! Você merece sentir dor. Talvez meu método para aliviar sua culpa seja diferente. Talvez eu escolha lhe encher de laxantes, então provavelmente você vai ficar sentada na privada até altas horas da manhã, sentindo seu estômago se revirar. Talvez eu faça você se machucar e bater sua cabeça contra a parede até que ganhe uma dor de cabeça insuportável! Cortar também é bem útil. Eu quero ver sangue, quero vê-lo cair sobre seu braço. Naquele segundo você vai perceber que merece qualquer tipo de dor que eu te dou. Você vai ficar deprimida, obcecada, com dor, se machucando, e ninguém vai notar? Quem se importa? Você merece! Ah, isso é muito duro? Você não quer que isso aconteça com você? Eu sou injusta? Não, absolutamente, faço coisas que apenas vão te ajudar! Eu vou fazer com que seja possível parar de sentir e pensar coisas que lhe estressam. Pensamentos de raiva, tristeza, desespero e solidão serão anulados, pois vou tirá-los de você e encher sua cabeça com contas metabólicas de calorias. Vou te tirar a vontade de sair com pessoas de sua idade, de tentar agradar todos eles, pois agora eu sou sua única amiga, sou a única que você precisa agradar. Nós não podemos contar a ninguém sobre nossa amizade. Se você decidir o contrário e contar como eu te faço viver, todo o inferno vai voltar. Ninguém pode descobrir, ninguém pode quebrar esta concha que estou construindo com você. Eu te farei magra e perfeita, minha menina lutadora! Você é minha e só minha! Sem mim, você não é nada! Então, não me contrarie. Quando outras pessoas comentarem, ignore, esqueça! Todos querem me fazer ir embora. Eu sou seu melhor apoio e pretendo continuar a ser. Com sinceridade, Anna. Acesse: http://br.groups.yahoo.com/group/sintomuitogrupo/ http://diadeamarseucorpo.blogspot.com/ http://encontros-de-sabado-a-tarde.webnode.com.pt/
  4. 4. No limite da magreza "Os bastidores da Pró Anorexia" Texto original: “The Thin Line - Making of Pro-Anorexia” Tradução: Lovely Girl Pró-anorexia é um fenômeno relativamente novo, sendo observado na Internet, em artigos de revistas e outros meios de comunicação. No entanto, o desejo de permanecer magra a qualquer custo, o medo de se tornar gorda, e o desejo secreto de ficar doente não são absolutamente novos. Este desejo secreto é negado pelo paciente e está tão presente em suas vidas como os próprios transtornos alimentares. Uma parte essencial dos transtornos alimentares é a percepção do “normal=gordo” e que a recuperação implica em se tornar normal, então implica em engordar. Esta característica é uma das complicações que faz com que estes transtornos sejam tão difíceis de serem tratados. A única diferença agora é que existem lugares onde estes indivíduos podem expressar isso normalmente de uma maneira aberta, sem mencionarem os perigos de seu transtorno alimentar. Antes isso já vinha ocorrendo essencialmente, mas antes de uma maneira mais encoberta. Por exemplo, muitas anoréxicas e bulímicas alegavam que estavam em tratamento ou se tratando para participarem de grupos de discussão sobre TAs ou de salas de bate-papo. Definitivamente existe um esforço de comunicação com aqueles que nos entendem e isso se estende para qualquer transtorno que seja complexo, seja ele anorexia ou depressão. A diferença fundamental é que a maioria das pessoas não querem ficar deprimidas. Não há satisfação na depressão, nenhuma meta para atingir, e não há uma felicidade a ser alcançada. Nos transtornos alimentares a meta é estar satisfeito com o próprio transtorno. Ela é vista como algo que possa ser atingido através da perda de peso e da percepção de que a pessoa tem o controle do seu próprio corpo à medida que ela consegue atingir o peso desejado na balança. Controle e Perfeição Quando um indivíduo está dominado por um TA, ele acredita que ele só será “bom o bastante” se a balança (medidas ou calorias ingeridas) refletirem isso. Freqüentemente esses indivíduos são perfeccionistas ou pessoas que sentem que suas vidas estão fora de controle de alguma maneira. Quando eles olham no espelho e vêem imperfeições (reais ou imaginárias), eles escolhem a perda de peso
  5. 5. para atingir o corpo perfeito que eles idealizam. E não é difícil de entender o porquê disso, uma vez que a sociedade nos bombardeia constantemente com dietas, propagandas e revistas que publicam artigos como “Tenha um corpo perfeito” que envolvem muitas vezes pílulas de emagrecimento e receitas "milagrosas" de todos os tipos. Atingir a perfeição na nossa sociedade está primeiramente beaseado na perda de peso. Se tem uma coisa que a sociedade, a mídia e todos em geral relacionam com mudança, é o tamanho e a forma do corpo humano. Isso deveria fazer com que nós nos sentíssemos melhores, tivéssemos uma aparência melhor e entrássemos naquela roupa que “nós” sempre quisemos usar. Quando consideramos a combinação dessas influências sociais a necessidade de controle de algumas pessoas ou sentimentos de perda de controle, nós começamos a entender os componentes fundamentais dos transtornos alimentares. A necessidade pelo controle é universal e, para alguns, normal. Existem certas coisas na vida que nós podemos ou não podemos controlar. Em geral nós temos uma idéia muito clara do que são essas coisas e nós aceitamos isso. No entanto, quando a nossa segurança pessoal está comprometida rotineiramente (como em casos de abusos físicos), ou quando nós perdemos algo ou alguém muito próximo de nós (morte de uma pessoa amada, de um amigo ou de um animal) ou mesmo quando a nossa vida está passando por mudanças (casamento ou divórcio, trabalho novo, mudança de cidade, começar a faculdade, etc) nós podemos sentir às vezes que as coisas que nós sentíamos antes eram seguras e controladas e que elas não o são mais sem o NOSSO controle. É nestas situações que transtornos como anorexia, bulimia, compulsão alimentar e outros transtornos como auto-flagelação (leia-se: fazer mal para si mesmo, como cortar-se, por exemplo) e depressão podem se desenvolver. A esta altura já deve ser óbvio que existem mais fatores do que simplesmente ver uma página na internet (ou qualquer item com o potencial de atrair aqueles com pré-disposição) que devem ser considerados para o desenvolvimento de um TA. Complementando o que foi dito antes, existem também outros fatores necessários como hisórico de alguma doença psicológica na família, que pode variar de um TA para transtorno do humor, ansiedade e assim por diante. Geralmente indivíduos que têm algum parente próximo com algum desequilíbrio psicológico têm maiores chances de desenvolver um transtorno alimentar. Não é apenas uma questão biológica, pois depende muito do ambiente em que se convive. Mães ansiosas podem criar filhos ansiosos, mas os tipos de ansiedade podem ser completamente diferentes. Uma mãe obsecada compulsiva, por exemplo, pode criar um filho que se torna ansioso com a comida e com a imagem corporal. Ainda, pais depressivos que demonstram baixa habilidade de lidar com os problemas (por exemplo: “Eu deveria me matar porque eu não consigo fazer isso!”) podem também criar as bases para um transtorno alimentar. Anorexia, bulimia e outros transtornos alimentares são
  6. 6. freqüentemente citados como “meios de lidar com as dificuldades” quando uma pessoa não consegue fazer isso de outra maneira. A NECESSIDADE DE COMUNICAÇÃO Isto posto, é evidente que os indivíduos com TAs estão brigando com algo além da balança. Isso supera o fato de simplesmente quantas calorias eles consomem e como atingir o corpo perfeito. Estes indivíduos precisam encontrar meios de se comunicar. Esta forma não verbal de comunicação e ao mesmo tempo de defesa, conforto e auto-punição possui esta função. Por meio dos transtornos alimentares eles sentem que têm o controle dos seus corpos, dos seus níveis de felicidade (relativos à comida, perda peso, etc) e também da sua auto-punição. O que eles não conseguem perceber freqüentemente é que o TA os controla. Neste esforço para se comunicarem, eles freqüentemente se tornam profissionais atrapalhados, pais confusos, amigos insensíveis e são receptivos a outras pessoas que parecem “não entender isso”. Com o advento da internet e a sua popularização cada vez maior, este se tornou um meio pelo qual os indivíduos que sofrem destes transtornos possam se comunicar uns com os outros. Geralmente, estes sites com bate-papos, fóruns e listas de discussão são similares a encontros do AA para alcoólatras. A idéia inicial era a de “RECUPERAÇÃO”. Muitos dos visitantes destes sites não estavam recuperados e procuravam receber a compreensão dos que passaram pelo mesmo problema e que entendiam o que eles estavam passando. Devido à particular natureza dos transtornos alimentares, era difícil não esconder destas pessoas o fato de que eles ainda estavam sofrendo. Elas simplesmente postaram mensagens com situações que ainda estavam vivenciando (como se elas tivessem acontecido no passado) como uma forma de buscar uma resposta de alguma forma. Enquanto isso o TA estava se espalhando por trás da tela em alta velocidade. OS BASTIDORES DA PRÓ-ANOREXIA Com o passar do tempo, algumas pessoas passaram a ficar receosas com o regulamento das salas de bate-papo e listas de discussão. Se elas mencionassem algo sobre “peso” ou “purgações”, corriam o risco de serem expulsas da sala de bate-papo ou nunca mais terem as suas mensagens postadas na lista de discussão. Alguns lugares até mesmo baniram certos indivíduos devido a comentários por eles feitos sobre perda de peso. A intenção da pessoa que fez o comentário não era a de sugerir que os outros se prejudicassem, mas simplesmente expressar a realidade
  7. 7. que ela estava vivenciando. E deveria ter havido uma manifestação muito clara para contestar esses “moderadores”. Agora está ocorrendo. E é chamada pró-anorexia. E as pessoas não conseguem entender por que existe algo tão “terrível” assim. De onde surgiu isso? O que elas estão pensando? Por que elas querem permanecer doentes? "Anoréxicos não querem permancer doentes!" SIM, eles querem. Não só por ficarem doentes, mas eles desejam permanecerem magros sem as conseqüências negativas de um transtorno alimentar. Eles TEMEM a gordura. Eles temem ser “normais”. E eles temem aqueles que supostamente deveriam ajudá-los. Existem outros também que simplesmente sentem que não há escapatória. Eles tentaram se tratar e falharam. Eles foram a psicólogos e se decepcionaram. Eles sentiram falta do apoio que eles precisavam. Foram excluídos dos “grupos de apoio” e também de comunidades online, devido a algo que disseram. E isso atingiu um ponto culminante: “Isso sou eu. Então eu vou me aceitar e encarar isso”. Eles não desejam morrer. Eles não buscam atenção por meio dos jejuns e da doença. Eles têm um PROBLEMA LEGÍTIMO, o qual infelizmente é completamente incompreendido. E eles não podem simplesmente “sair dessa”. Transtornos alimentares requerem introspecção e um esforço em lidar com a subjetividade dos problemas de cada indivíduo, o que contribue para a perpetuação cíclica dos TAs. Isso não pode ser tratado superficialmente. É como colocar um band-aid sobre outro band-aid. Não funciona. PRÓ-ANOREXIA E "QUERO SER ANORÉXICA" (Wanna-be) No entanto, existem indivíduos (adeptos da alta publicidade sobre pró-anorexia) que procuram por isso e acham que anorexia é um “simples clube” para se juntar em prol da perda de peso. Estas pessoas dirão que ouviram sobre pró-anorexia numa reportagem e que elas querem pertencer a um destes clubes porque querem emagrecer. Agora é importante entender que estas pessoas que “querem ser anoréxicas” não entendem os transtornos alimentares. Elas querem tê-los, mas sempre faltará algo. E, RARAMENTE (senão NUNCA) estas pessoas desenvolvem um transtorno alimentar de fato. SIMPLESMENTE PORQUE ISSO NÃO ACONTECE DESSA MANEIRA. Elas podem perder horas navegando nestes sites, juntando- se a eles. Elas podem criar o seu próprio site com as suas próprias fotos de inspiração. Mas esses esforços só irão ajudar tanto quanto qualquer outra dieta de emergência ajuda qualquer pessoa normal. Além de tudo, de onde você pensa que a idéia de fotos de inspiração surgiu? - "diário de comida", "contadores de calorias", "inspiração da magra" - Todas elas foram idéias de seguidores de dieta que alegavam que terem “descoberto o que funcionava”. A verdade é que estas
  8. 8. coisas não ajudam ninguém. Só faz as pessoas se sentirem tremendamente piores. E isso certamente não vai converter pessoais normais em pessoas com transtornos alimentares. ANORÉXICOS RECUPERADOS DESCOBRINDO A PRÓ-ANOREXIA Não podemos dizer que alguém recuperado ou em recuperação não possa ter uma recaída. Mas na minha opinião, estas pessoas deveriam ficar longe de qualquer coisa que os faça recair. Assim como um alcoólatra deveria ficar longe do bar. Não há diferença. Sites pró-anorexia existem, assim como bares existem. Os donos de bar não são responsáveis por pessoas que se tornam alcoólatras e pelos alcoólatras que sofrem recaídas. Espero que você tenha entendido onde eu queria chegar. UM RAIO X DA PRÓ-ANOREXIA - O QUE TUDO ISSO SIGNIFICA? Mandamentos e Regras São encontrados em quase todos sites pró-ana. Não existe a intenção de impor as “Regras do Jogo”, ao menos na maioria dos casos. Sites pró-anorexia que dizem que “ana é um jogo”, que é “divertido” ou “prazeiroso” ter um transtorno alimentar, caem na categoria de pessoas que “querem ser anoréxicas” e que não possuem um transtorno alimentar no momento, mas que aspiram a desenvolver um. Em geral, os mandamentos são o que o transtorno alimentar significa para o dono do site. É uma lista de coisas que se iniciam com a anorexia ou bulimia de acordo com o ponto de vista dele. Ler os mandamentos de uma anoréxica não fará uma pessoa normal desenvolver um TA. Uma pessoa normal verá isso e sairá da página pensando o que toda pessoa normal pensa (leia-se: “Que diabos é isso?!”) "FOTOS DE INSPIRAÇÃO" Podem ser encontradas em quase todos os sites pró-ana. Estas fotos são geralmente para o usadas pelo próprio do dono do site, ou pelas “wanna-be” (pessoas que querem ser anoréxicas) para atraírem visitantes para os seus sites. Alguns sites de pessoas em recuperação ou recuperadas também usam este tipo de foto para atraírem pró-anoréxicos para os seus sites. Curiosidades também podem ser encontradas nos sites daqueles que apenas têm um transtorno alimentar ou curiosidade sobre o assunto (não são pró-anorexia ou pró-bulimia). Desta forma, sites com muitas fotos irão atrair mais visitantes. E já que as pró-
  9. 9. anas e wanna-be querem atenção e popularidade, elas irão provavelmente divulgar cada vez mais este tipo de material. O fato de simplesmente ver fotos de mulheres anoréxicas não vai provocar um transtorno alimentar em alguém. Para isso, muitos outros fatores são necessários. Se isso fosse verdade, qualquer criança que visse uma revista de moda desenvolveria anorexia. Se uma pessoa é impressionável e facilmente influenciável, ela já tem um problema. “DICAS E TRUQUES” Têm lugar em todo site pró-ana ou pró-mia. Novamente, estas listas são o que o criador do site julga serem úteis e (por qualquer que seja a razão) decide dividir isso com o público em geral. Estes conselhos compartilhados são geralmente para o uso próprio e não para encorajar os outros a se prejudicarem. (ACREDITE OU NÃO!!!!). Freqüentemente os conselhos desencorajam o uso de laxantes e remédios (opções certamente perigosas). Os conselhos podem não ser saudáveis, mas na mente anoréxica eles são a maneira mais saudável de atingir um objetivo “não saudável”. Listas de discussão e salas de bate-papo são provavelmente mais úteis, porém, mais difíceis de serem encontradas. Grande parte das pessoas que abrem estas salas de bate-papo e listas discussão querem ser anoréxicas e estão procurando pelo “grande segredo” que elas acreditam que aqueles que realmente são anoréxicos escondem. As "wanna-be" falham em perceber que ANOREXIA É UM TRANSTORNO, e elas continuam tentando encontrar a “mágica” que elas estão perdendo. No entando estas listas de discussão podem ser úteis para aqueles que realmente estão sofrendo. E, ao contrário da crença popular, quando alguém decide procurar ajuda, as pró-anoréxicas e bulímicas incentivam esta escolha. Solidariedade Um novo movimento, como é chamado, é a pulseira pró-anorexia. Na minha opinião, isso é uma busca por popularidade. Enquanto esta pulseira pode ser útil para mostrar aos anoréxicos que eles não estão sozinhos e que existem pessoas que entendem as suas dificuldades, as “wanna-be” identificarão a pulseira como uma grande oportunidade de chamarem a atenção para si, dizendo que são anoréxicas, quando na verdade os seus corpos provam o contrário. De acordo com as evidências que você pode ver aqui, os sites pró-anorexia podem ser vistos como mais do que uma autobiografia criada pelo dono do site (alguém cruel e sem coração que deseja prejudicar as outras pessoas). Assim como um artigo erroneamente aponta:
  10. 10. “Vítimas de um transtorno alimentar potencialmente fatal, anorexia nervosa, são alvos de sites radicais pró-anorexia que, segundo especialistas, podem encorajar garotas vulneráveis e desenvolverem o problema, assim como desencorajar pessoas que já têm o problema a procurarem ajuda”. Se estas pessoas realmente fossem especialistas, deveriam saber que um transtorno alimentar não se desenvolve pelo simples fato da pessoa visitar um site pró-anorexia. Estes sites oferecem apoio para aqueles que JÁ POSSUEM um transtorno alimentar e que ainda não estão prontos para procurarem ajuda. Vamos encarar os fatos: O que é pior? Um ciclo de recaídas e melhoras ou ficar doente e descobrir por si próprio (sem a pressão dos outros) o caminho para a verdadeira recuperação depois de perceber que não há melhora? Isto está acontecendo, seja online ou não. Nós não podemos fazer isso parar. Nós podemos, porém, PREVENIR isso. Mas o único meio de se fazer isso é nos informando para comprendermos a questão em sua totalidade. Partindo para a conclusão, JULGAR quando se DEVERIA oferecer COMPREENSÃO, apenas irá apenas promover e perpetuar o problema. Arquivo do Grupo Sinto Muito http://br.groups.yahoo.com/group/sintomuitogrupo/ Acesse também: http://diadeamarseucorpo.blogspot.com/ http://encontros-de-sabado-a-tarde.webnode.com.pt/
  11. 11. What Parents NEED To Know About Eating Disorders O que os pais precisam saber sobre Transtornos Alimentares Quando o seu filho tem um transtorno alimentar (TA), você se depara com muitas questões difíceis: "Meu filho realmente tem um transtorno alimentar?" "Será que isso é apenas uma fase que vai passar?" "O que eu deveria fazer como responsável?" "Qual é a gravidade de um transtorno alimentar?" Os e-mails mais frequentes que eu recebo são de meninas adolescentes com idade entre 14 e 19 anos que me dizem que seus pais não entendem o que elas estão passando. Algumas contam que elas estão sendo chamadas de "gordas" pelos próprios pais e que eles as provocam dizendo que elas estão fazendo isso para chamar a atenção ou as humiliam devido à sua doença. Alguns pais realmente acreditam que dizendo coisas negativas como essas sobre o comportamento dos seus filhos, eles estarão impedindo-os de continuar com este comportamento. A verdade é que agindo assim, os pais acabam incentivando este comportamento. Transtornos alimentares são um sério desequilíbrio físico e psicológico que podem ocasionar danos permanentes à saúde ou até mesmo a morte. O tratamento e a intervenção (principalmente no início) são vitais para a recuperação. Se você suspeita que o seu filho(a) tem um TA, é imprescindível que você não ignore os sinais e se permita acreditar que fazer dieta é normal ou uma fase passageira para uma pessoa jovem. É notável que o índice de transtornos alimentares entre os homens está aumentando mais rápido do que entre as mulheres, mas isto não é divulgado. Transtornos alimentares estão se tornando comuns entre crianças cada vez mais novas. Nossa sociedade tende a acreditar que homens e crianças são de alguma maneira incapazes de desenvolverem TAs. Isso é algo muito perigoso de se supor. A melhor maneira de começar é adquirindo informações sobre T.A's pelo meio de sua escolha, conversando com o seu filho, encorajando-o a buscar tratamento para ter certeza que a sua saúde ainda não foi afetada. Os níveis eletrolíticos
  12. 12. devem ser SEMPRE checados em caso de suspeita ou confirmação de um T.A dado que a maioria das mortes provocadas por TAs ocorrem devido a um desequilíbrio eletrolítico. Tenha certeza que o seu filho sabe que ele pode conversar com você abertamente sobre este assunto. Tente se livrar das suas preocupações e da incompreensão. É importante saber OUVIR e ter CALMA. Uma vez que você rompe a linha de comunicação, isso será irreparável. Não deixe as coisas chegarem a este ponto. Estabeleça uma zona de conforto o mais breve possível, livre de julgamentos, comentários dolorosos, ou ameaças (ex: ou você come ou vou te internar num hospital!). Ameaças só fazem com que alguém que tem um T.A sinta que precisa continuar cada vez se agredindo mais. Transtornos alimentares são difíceis para todos que estão envolvidos (pais, família, amigos e companheiros). Nunca existem soluções prontas aplicáveis para todos os casos. T.As levam tempo e devem ser cuidadosamente monitorados por um médico ou terapeuta. Alguns casos mais graves podem requerer internação para estabilizar o paciente. O melhor a se fazer é tratar o TA antes que ele atinja esse estágio. Danos aos órgãos vitais, incluindo o coração, podem acontecer num curto período. Pessoas com T.A's podem morrer em alguns meses se não forem devidamente assistidas. Este não é um problema que você deve esperar para ver o que acontecerá ou apenas esperar esta "fase" passar. • Não presuma que seu filho(a) está apenas querendo chamar a atenção. • Não permita que os irmãos tirem vantagem ou façam piadas sobre o seu filho que tem um TA, chamando-o(a) de gordos ou fazendo piadas sobre este assunto. Isso ocasiona uma piora da situação e da gravidade do T.A, mesmo que eles não tenham a intenção de magoar. • Não acredite que fazer dieta é uma parte comum da adolescência. • Não deixe os sintomas de um transtorno alimentar sem tratamento. • Não acredite que os homens são imunes a transtornos alimentares. • Não acredite que o seu filho é muito novo para ter um transtorno alimentar. • Mantenha a linha de comunicação aberta livre de julgamentos. • Tente aprender tudo o que você puder sobre transtornos alimentares e sobre os tratamentos possíveis. • Seja paciente e compreensivo. • Acompanhe a saúde de seu filho para ter certeza que o quadro está sob controle. • Assegure-se que os níveis eletrolíticos estão sendo monitorados pelo médico. Eles precisam ser monitorados.
  13. 13. Arquivo do Grupo Sinto Muito http://br.groups.yahoo.com/group/sintomuitogrupo/ Acesse também: http://diadeamarseucorpo.blogspot.com/ http://encontros-de-sabado-a-tarde.webnode.com.pt/

×